História The Big Obsession second season. - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias AnnaSophia Robb, Justin Bieber
Personagens AnnaSophia Robb, Jeremy Bieber, Justin Bieber
Tags Drama, Novela, Obsessão, Romance
Visualizações 70
Palavras 2.093
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Luta, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey babys!!!
D volta cm mais um cap pra voocs,espero q gostem!!

Capítulo 9 - Now you have your Father with you.


Fanfic / Fanfiction The Big Obsession second season. - Capítulo 9 - Now you have your Father with you.

POV Jeremy Bieber

Desde quando eu havia olhado pro rosto dessa menina pela primeira vez,eu senti algo estranho dentro de mim,uma sensação inexplicável ,uma sensação boa,porém ainda sim inexplicável. Quando Justin havia proferido aquelas palavras naquele quartinho quando torturavamos Adam,que ela poderia ser a minha filha eu não consegui acreditar,foi uma mistura de sentimentos e antes que Adam podesse negar que ela fosse filha dele,eu ja tinha certeza,pois quando olhei pra ela pela primeira vez eu senti vontade de protege-la,algo muito inexplicável.

-Você acha que se eu chama-la pra sair,pra conversar com ela,ela irá aceitar? -Pergunto um pouco nervoso pra Justin que me encarava divertido sentado em sua cadeira de frente pra sua mesa do escritório.

-Relaxa coroa,ta com medo de um menina? -Perguntou debochado me fazendo revirar os olhos.

-Isso é um assunto serio Justin, porra!. -Digo nervoso o vendo bufar.

-Eu acho que ela vai aceitar,mas primeiro você precisa se acalmar,ta mais nervoso que ela. -Disse se levantando indo até o outro lado do seu escritório onde tinha um mini bar preparando um uísque.

-Você acha ? ,não quero que ache Justin,quero que tenha certeza. Você tem noção de quanto coisa eu perdi na vida dela? E se você e ela não tivessem juntos? Eu iria continuar sem saber dela? -Pergunto andando de um lado pra outro.

-Relaxa pai,eu tenho certeza de que ela irá aceitar,e parece de pensar nisso,o importante agora é que voce sabe dela e ela de você e que agora poderão ficar juntos,e irão poder saber mais um do outro. -Disse me entregando um copo de uísque,o qual bebi em uma golada de tão nervoso e ansioso que eu estava.

-É que eu estou muito nervoso,tenho medo de que ela não me aceite. -Digo passando as mãos no rosto.

-Quem diria que Jeremy Bieber o maior mafioso do canadá estaria com medo de ser rejeitado por uma menina ,cujo a mesma é a sua filha. -Disse Justin mais uma vez de forma irônica dessa vez me fazendo olha-lo de forma dura o vendo levantar as mãos em rendição.

-Não sei como você consegue levar tudo na maior naturalidade. -Digo o vendo dar um último gole em seu uísque.

-O quê você queria que eu fizesse? Que eu atirasse na minha cabeça ? . Como eu ja disse,nós temos três filhos juntos e não ha nada que possa mudar isso,e Anne aceitou muito bem tudo isso,pra minha surpresa. -Disse pondo as maos no bolso da calça jeans.

-Você tem razao. Se ela aceitou o fato de serem irmaos,isso quer dizer que ela aceitará conversar comigo. Entao irei leva-la pra dar um passeio e tentar saber mais sobre ela,se ela me permitir é claro. -Digo me levantando.

-Ela irá permitir ,eu garanto,mas você precisa relaxar. Agora vamos almoçar,pois estou faminto. -Disse pondo as maos em meus ombros enquanto saíamos do escritório. Ao chegarmos na sala e todos os amigos de Justin estavam la ,jogados no sofá.

-Que bagunça é essa aqui? Não me lembro de ter convidado vocês pra uma visita. -Disse Justin brincalhão.

-Nós viemos na maior boa vontade te fazer companhia e você nos trata dessa maneira? -Peeguntou Chaz fingindo esta ofendido.

-Deixa de ser hipócrita Chaz,fala logo que a gente veio por conta da comida gostosa que a Beth faz. -Dessa vez Ryan quem se pronunciou arrancando risadas de todos,inclusive minhas.

-Vocês são tudo folgado,mas vamos logo pois também estou faminto. -Dito isso fomos todos pra sala de jantar e antes que eu pudesse me pronunciar perguntando sobre Anne, a mesma adentrou a sala de jantar e ao olhar pra mim,pareceu meio nervosa e hesitante em se juntar conosco me fazendo ficar mais nervoso com a sua reação. Se ao me ver ela ja reagiu assim,quero nem imaginar como irá reagir ao meu convite pra um passeio.

-Vem amor,ja ia mesmo te chamar. -Disse Justin a fazendo olhar por um segundos e depois olhar pra mim novamente,se aproximando com cautela .

-Boa tarde. -Disse se sentando ao lado de Justin meio hesitante.

-Boa tarde. -Responderam em coro todos os que estavam presentes,inclusive eu obviamente. Ela se sentou ainda meio sem jeito e uma grande tensão se apoderou no ar. Eu não desfiava os olhos dela e ela pareceu perceber isso,pois se demonstrou desconcertada tentando agir com naturalidade. Beth a empregada logo serviu o almoço e comemos em silêncio. Alguns minutos depois ao perceber que Anne assim como eu ja terminava o seu almoço eu resolvi me pronunciar ,confesso que com bastante receio de ela recusar,porém o fiz.

-Ahan...-Pigarrei chamando a atenção de todos inclusive a de Anne. Mimhas mãos suavam frio e eu não sabia como fazer aquilo,não sabia por onde começar.

-Anne,an será que podemos conversar? -Pergunto meio nervoso trazendo a atenção de todos pra mim que intercalavam os olharem entre mim e Anne.

-An...-Disse olhando pra Justin e logo voltando a olhar pra mim.

-Tudo bem,podemos sim. -Disse sorrindo de leve me fazendo relaxar os ombros. Meu coração faltava pular pela boca de tanto nervorsismo.

-Ja conversei com Justin sobre te levar pra dar um passeio,assim poderemos conversar, tudo bem pra você ? -Pergunto cauteloso a vendo novamente olhar pra Justin voltando sua atenção pra mim em seguida.

-Por mim tudo bem sim. -Disse aparentiemte nervosa,pelo visto eu nao era o unico.

-Podemos ir agora? Pergunto um pouco nervoso a vendo assentir. Confesso que queria muito conversar com ela,saber tudo oque ela tem pra me dizer,sobre a sua infância,sobre sua vida inteira.

- Com licença. -Dissse se levantando me fazendo fazer o mesmo em seguida a acompanhando até ao jardim guiando-a até ao meu Audi preto parado ali abrindo a porta do passageiro pra ela e assim que ela entrou eu espirei fundo e entrei no banco do motorista dando partida. Eu nao fazia de aonde a levaria, e o silencio no carro me fazia ficar ainda mais nervoso e inseguro.

-An,você concluiu o ensino médio? -Pergunto tentando puxar assunto fazendo-a me olhar com o cenho franzido. Óbvio ,mais quem começa a porra de um assunto perguntando de escola? Eu to nervoso caralho,da um desconto aí.

-An,sim. Justin contratou um professor particular e eu terminei em casa. -Disse me lançando um sorriso de lado.

-E qual era a materia que você maia gostava? -Pergunto dessa vez mais calmo.

-Eu gostava muito de Ciências ,desde que comecei a estudar essa materia eu gostei muito. -Disse aparentemente mais solta.

-E sua materia preferida qual era? -Perguntou me olhando com aqueles olhos azuis brilhantes me surpreendendo.

-Álgebra ,eu amava essa matéria , ,era a matéria mais fácil pra mim,fora que é muito facil de se aprender. -Digo sorrindo sem desviar os olhos da estrada.

-Você pirou? -Perguntou me assustando ,me fazendo olha-la por uns segundos e volta a atenção rapidamente pra estrada.

-Não ,por quê ? -Pergunto novamente nervoso com o cenho franzido com receio de ter falado merda.

-Voce com toda certeza não é desse planeta. Desde quando Algebra é facil de se aprender? Calcular com letras com letras com e a porra toda,isso nao existe. -Disse incrédula me fazendo soltar um riso nasalado.

-Confesso que não é tão facil assim,mas quando se pega o gosto aí tudo parece facil. -Digo a vendo negar com a cabeça .

-Não quero pegar gosto disso nunca ,quero continuar pegando desgosto mesmo. Definitivamente você não é desse planeta. -Disse me fazendo rir enquanto negava com a cabeça.

 Ao chegar no central parque,eu estacionei em uma vaga e logo saí do carro vendo Anne fazer o mesmo. Quando a tensão evaporou e conseguimoss conversar dentro do carro,eu resolvi então traze-la praca,onde poderemos conversar melhor.

Várias crianças corriam pelo parque,alguns casais estavam sentados fazendo um piquenique ,algumas pessoas passeando com seus cachorros ,tudo em uma tranquilidade só. Caminhamos até a um banco e sentamos ali olhando para aquelas crianças que brincavam e sorriam arrancando sorrisos involuntários de Anne.

-Bom,confesso que estou nervoso e não sei por onde começar pois quero definitivamente saber tudo sobre você,desde sua infância até a sua adolescência,quero saber definitivamente sobre tudo que eu perde da sua vida Anne. -Digo tendo sua atenção sobre mim agora.

-Você não tem noção de como a presença de um pai me fez falta a vida toda. Eu assistia aos filmes e via aquela familia reunida na mesa pra tomar o café da manhã ,a filha dando um beijo na bochecha do pai e recebendo outro em troca como forma de bom dia. Definitivamente era isso que eu sempre quis pra mim,sempre me perguntava como era ter uma pai,de como era receber a bronca dele toda vez que eu desobedecesse uma ordem dele ou te como era poder ser levada pro quarto ao dormir no sofá assistindo ao um desenho e de como era receber um beijo na testa de boa noite. -Disse olhando pra um ponto fixo fazendo meu coração se apertar.

-E..eu não sabia da sua existência e...-Me interrompeu segurando minhas mãos enquanto dizia:

-Eu sei que você não fazia ideia,Lívian me contou tudo,desde quando se conheceram e até o motivo de ela ter fugido. -Disse me olhando com um sorriso torto nos lábios.

-Eu não pude participar do seu crescimento ,perdi muita coisa relacionada a sua vida,mas agora eu estou aqui e quero saber de tudo,quero poder fazer tudo aquilo que não tivesse a oportunidade de fazer. -Digo acariciando o seu rosto limpando uma lágrima que teimava em descer por seu rosto.

POV Anne Thompson

Cada palavra dita fazia meu coração se aquecer. Agora entendo a sensação estranha que tive quando o vi pela primeira vez na casa de Justin,era a sensação de conforto,proteção ,algo totalmente inexpl,porém era algo bom. Ficamos caminhando a tarde toda pelo parque,Jeremy contou os tipos de musicas que gostava de ouvir,disse que curtia muito o sertanejo,uma musica Brasileira ,disse que quando precisou ir ao Brasil resolver uns assuntos relacionados ao trafico se viu muito envolvido em relação a essa musica,o que me fez ri pois era um nome bastante estranho de se pronunciar. E dissemos tambem um para o outro as nossas comidas preferidas,cores,países que gostariamos de visitar,na verdade que eu queria visita,ja que Jeremy ja havia visitado quase todo o mundo. Agora nesse momento estavamos riando,falando das nossas travessuras quando crianças enquanto tomavamos um sorvete.

-Eu não acredito nisso. -Digo entre risadas. Jeremy havia dito que na 8° série pregou tachinhas na cadeira de sua professora de literatura por ela nao o ter deixado sair pra ir ao banheiro.

-Sério ,aquela mulher era muito chata,vivia no meu pé. Ela passou o mês todo tentando descobrir quem foi,mas por sorte nao conseguiu. -Disse entre risos enquanto chupava seu sorvete e eu fazia o mesmo com o meu.

-Eu ja fui a típica nerd,nunca gostei de me enturmar muito,era sozinha no meu canto estudando o tempo todo. -Digo dando mais uma lambida em meu sorvete dd morango vendo Jeremy fazer o mesmo no seu sorvete de baunilha.

-Ah,vai me dizer que nunca,nunquinha você fez algo pra alguém ? Nem pra popular do colegio que vivia te chamando de nerd? -Perguntou me fazendo parar de andar e o olhar chocada.

-Como você sabe que isso acontecia? -Pergunto assustada .

-Não é dificil de se imaginar Anne. Você era calada na sua e só vivia estudando,e em toda escola tem uma patricinha ou que se acha a praticinha pra infernizar a vida alguém só pra chamar a atenção. -Disse me fazendo assentir.

-Bom,o nome dela era Kimberly e eu estava no primeiro ano do ensino médio . Estavamos todos na quadra vendo os meninos treinarem para uma partida de basquete que teria na proxima semana e Kimberly era a lider de torcida,ela ficava o tempo todo me chamando de quatro olhos e isso me irritava muito,entao eu peguei uma lata de coca-cola que estava nas mãos da Lily minha melhor amiga e joguei dentro da blusinha de vadia da Kimberley na frente da turma toda e disse um monte de coisa ate mesmo a chamei de vadia,não foi algo assim demais,mas depois disse ela meio que manerou comigo. -Digo o vendo soltar um diso nasalado enquanto negava com a cabeça. Eu estava adorando passar essa tarde com ele,eu sempre me imaginei em um momento assim com meu pai,com a minha familia e isso agora esta acontecendo e eu estou feliz muito feliz.

-Nós poderiamos fazer isso mais vezes,assim eremos aos poucos saber um do outro. -Disse parando na minha frente.

-Podemos sim,confesso que essa tarde foi maravilhosa,eu sempre me imaginei fazendo isso com o meu pai quando era criança ,eu ate cheguei a comentar com Justin,mas eu não tinha mãe e muitos menos um pai pra aproveitar esses momentos. -Digo o vendo entrelaçar as maos nas minhas e me puxar pra continuar a caminhar.

-Mas agora você não está sozinha Anne,você tem ao Justin,tem aos seua filho e  você tem a mim. Agora você tem o seu pai com você .


Notas Finais


Bom é isso,espero q tenham gostado e até proximo😘 boom diiaa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...