História The Bite Marks - JungKook - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Jay Park
Personagens Jay Park, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kai, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Sehun
Tags Amor, Bite Marks, Bts, Bulimia, Drama, Família, Hibridos, Hoseok, Jay Park, Jimin, Jungkook, Marcas Da Mordida, Medo, Romance, Sobrenatural, Superação, Taehyung, Tristeza, Vampiros, Yoongi
Visualizações 114
Palavras 3.337
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um capítulo!!!
Mandem energias boas pra mim... Preciso delas...

Aproveitem e confiram se suas teorias sobre uma possível gravidez estão corretas... hehe...

B O A L E I T U R A

Capítulo 32 - Desejo.


Fanfic / Fanfiction The Bite Marks - JungKook - Capítulo 32 - Desejo.

— Amanda! — Mônica disse preocupada e me amparou.

— Ah. — Coloquei a mão na cabeça.

— Você comeu hoje?

— Na verdade acho que não. Saí cedo de casa.

— Amanda, você tem que comer!! Já disse isso várias vezes, você não quer voltar naquela época horrível né?

— De jeito nenhum, eu vou almoçar agora e vai passar.

— Não, acho melhor eu marcar uma consulta com a sua médica. Ela vai saber o que fazer. Não podemos arriscar.

— Sim, mas tem mesmo que fazer isso?

— Claro! Vou ligar pra lá agora mesmo.

— Eu vou...

— ... Pra mesa! Almoçar mocinha.

Resmunguei um pouco mas depois aceitei que ela estava certa. Juntas fomos pra dentro da mansão.

*Quebra de Tempo*

Pov's JungKook 

Andar sempre me ajudava a pensar, pensar sobre o presente e o futuro. Várias coisas me preocupavam naquela época, Amanda era a maior das preocupações, o pior era que ela não sabia a verdade, sua verdade! Isso sim era uma preocupação, por quem era melhor saber? Eu não me sentia no direito de contar nada, mas Mônica também não abria a boca. Era uma coisa difícil... O círculo estava se fechando e Jay Park iria fazer de tudo para conseguir o que queria.

Aliás, pensando nele me lembrei que faziam dias que eu não via sua cara, isso era bom mas ao mesmo tempo ruim. Calcular os passos do inimigo era o mais importante e eu nem ao menos sabia onde estava Jay Park, muito menos Dark-wo!! Mas com certeza eles sabiam onde estávamos, esse era perigo.

— Finalmente. — Uma voz conhecida me chamou, uma voz que eu conhecia muito bem. — Pensei que nunca mais iria te ver. Claro, só depois, no túmulo da Amanda.

Permaneci em silêncio, eu sabia quem era e que ele estava atrás de mim.

— Não vai nem cumprimentar seu amigo?

— Não somos amigos Jay Park.

— Ah, mas que bom que você sabe. Não é digno da minha amizade.

— Que bom que não sou digno da sua amizade. — Me virei sério e encarei seu rosto pálido e seus olhos avermelhados. — O que você quer dessa vez?

— Só te avisar, meu pai está prestes a agir. Só queria alertar você que seu tempo está acabando.

— Queria me alertar?! Como se você gostasse de me ver sorrir não é mesmo Jay Park?

— E não gosto, sua felicidade me irrita, mas ela está prestes a acabar. Amanda está com os dias contados!

— Não fala dela. Já disse, Amanda não tem nada a ver com nossa briga!!

— Parece que quando fala dela você fica nervosinho. Ou é impressão minha?

— Não é problema seu, nos deixe em paz, eu podia te prender agora se quisesse!

— Não mude o assunto, está mesmo apaixonado por uma frágil humana?

— Não se faça de bobo Jay Park, eu sei que você sabe que Amanda é a filha do Dong-Yun.

— Então descobriu?

— Não chega perto dela.

— Não vai me atacar hoje?

— Não sabe a vontade que eu tenho, mas me seguro, agora tchau, e espero nunca te ver de novo!

Disse isso e corri rápido até minha casa.

As ameaças de Jay Park estavam ficando a cada vez mais graves e objetivas!! Ele não iria descansar enquanto não pegasse Amanda... Só que eu não iria deixar...

*No Dia Seguinte*

Pov's Amanda 

Mônica me acordou cedo com a desculpa de que queria acompanhar minha alimentação, era segunda-feira, eu sabia que JungKook não iria estar em casa naquele dia, o mesmo todas as segundas ia até Vampcity resolver assuntos de trabalho e pessoais, ou seja, todas as minhas segundas-feiras eram um tédio.

— Vamos coma. — Mônica dizia.

— Tudo bem, estou comendo. — Peguei uma fatia do pão de forma e levei até a boca.

— Não!! — Ela gritou.

— Ahn, o que foi?

— Vai comer pão seco Amanda? De maneira nenhuma. Coloque uma geleia, uma manteiga nesse pão.

— Ah... Não acha que está exagerando?

— Não mesmo.

Mônica ficou em silêncio e seus olhos passearam em meu braço. Ela o encarou com um semblante meio triste, ela olhava uma cicatriz, que eu tinha por conta da minha loucura de me cortar com o espelho uma vez.

— Que fase hein? Ainda bem que não foi um corte fundo.

— Sim, mas já passou... Agora estou bem.

— Não cem por cento, por isso marquei uma consulta com sua médica.

— Mas...

— Mas nada, não comeu direito ontem e quase desmaiou, e se eu descobrir que você está tendo crises de bulimia...

— Não!! Nem brinque com isso por favor...

— Ok. Agora coma, hoje vamos sair.

— Sair? Pra onde?

— Iremos no centro, fazer umas compras.

— Compras?! Tipo, roupa?

— Se quiser sim, mas eu vou ao mercado.

— Queria levar o JungKook com a gente... Acho que ele iria gostar muito.

— Chama ele, por mim tudo bem.

— Acho que não vai dar, hoje ele tem um compromisso em Vam... Em, em... Na cidade natal dele!

Me repreendi, quase que contei o segredo. Mas algo me deixou intrigada... Mônica deu uma risadinha.

— Amanda, não nasci ontem. Sempre que você vai falar sobre ele você se embola toda.

— Sim, é que... JungKook é diferente.

— Diferente como?

— Bom, não dá pra explicar. O fato é que o JungKook fica ocupado toda segunda...

— Quem sabe hoje não? Seria uma ótima oportunidade.

Eu não tinha alternativa, Mônica estava me deixando encurralada... Por fim me rendi.

— Vou ligar pra ele.

— Ok, mas só depois do café.

Sorri e voltei a me alimentar.

*Quebra de Tempo*

Pov's JungKook 

Todas as segundas-feiras eu ia pra Vampcity treinar com os garotos, afinal, eu ainda fazia parte daquilo. Naquele momento eu estava com Jimin em um luta corporal de treinamento, estávamos em empate, foi quando meu celular começou a tocar.

— Tempo... — Eu dizia ofegante, mas ele não parava de dar golpes. — Jimin, tempo! — Eu me defendia. — PORRA JIMIN TEMPO!!!! — Gritei e o mesmo se jogou no colchonete rindo e cansado.

— Não sabe perder? — Dizia ofegante.

— Meu celular ta tocando... Bom, estava né, você não me deixou atender a tempo. — Peguei uma toalha.

Sequei um excesso de suor e fui em direção ao celular, enquanto isso Jimin bebia água sentado no chão.

— Quem era? — O mesmo disse se levantando e indo até mim.

— Sai, você ta suado!

— Você também. Deixa de frescura, quem era?

— Não sabia que vocês tinham chegado nesse nível... — A voz de Yoongi ecoou pela sala juntamente com uma leve risada. — Aproveitar o treinamento pra namorar?

— Só não te mando pra merda porque você já vai pra sua casa mesmo. — Jimin proferiu num tom de provocação.

— Quem cala consente hein JungKook.

— Dá um tempo Yoongi, vai cuidar do Hoseok! — Disse e ao mesmo tempo desbloqueei a tela do celular.

— Vou falar nada. Mas, não era pros dois estarem treinando?

— Cuida da sua viiidaaah... — Jimin cantarolou.

— Estávamos, mas meu celular tocou. — Olhei e vi que a chamada era da Amanda.

— Hmmm. — Jimin olhou pro Yoongi. — Era a princesinha cor-de-rosa dele.

— Que merda hein. — Yoongi disse. — Não se preocupa, se for importante ela vai ligar de novo.

— Ta chamando!

— Então atende!! — Jimin disse impaciente.

Atendi o celular e ouvi sua voz doce do outro lado da linha.

Oi JungKookie. — Disse ela. — Tudo bem? 

— Tudo. Precisa de alguma coisa?

Na verdade, queria saber se você está em casa. 

— Não, estou na academia em Vampcity. Aconteceu algo?

É que... 

Enquanto eu ouvia a explicação de Amanda os dois palhaços a minha frente faziam mímica me zoando por ser prestativo a ela. Eu queria rir e dar um soco em cada um.

— Entendi. Mas, você sabe que...

Sim eu sei. — Ela me interrompeu. — Mas não tem nenhum jeitinho?! 

— Bom, tem um.

Então você pode vir? 

— Acho que sim, faço isso por você.

Ah que lindo!! Obrigada. Então te vejo daqui duas horas na porta de casa ok? 

— Ok. Beijo, te amo.

—  Te amo. — Disse e encerrou a chamada. 

Olhei pra Yoongi e Jimin que riam da minha cara e imitavam minha fala.

— Um beijo, eu te amo, bler! — Jimin deu risada.

— Tchauzinho meu bem, também te amo. — Yoongi deu risada.

— Vocês são chatos demais!!

— Você pode por favor voltar aqui pra Terra? — Jimin disse.

— Porque essa menina te leva pra outro planeta. — Yoongi completou.

— Muito engraçado, hilário! Tô até morrendo de rir aqui. Bom, sinto muito mas irei privar vocês da minha humilde companhia.

— Ainda bem!! A não, o Jimin vai ficar com saudade.

— Vai tomar no meio seu...

— Ei ei. — Taehyung apareceu de repente, impedindo Jimin de completar a frase. — Sem palavrões hein.

— Ele ta nervosinho hoje. — Yoongi sorriu.

— Boa sorte pra acalmaram ele. Tenho que ir, posso? — Olhei pra Taehyung.

— Vai lá... — Me lançou uma piscadela e sorriu minimamente. — Você merece um descanso mesmo.

— Valeu irmão. Tchau pra vocês.

— Se meu parceiro vai embora, eu também posso ir, afinal, não tem porque ficar aqui.

— Parceiro de que exatamente? — Ouvi Yoongi dizer enquanto eu saia pela porta.

— Yoongi, corre!!

Após essas palavras só vi Yoongi passando rapidamente pela porta e Jimin foi atrás. Dei uma risada.

Ser chamado pra ir a cidade pela Amanda foi um convite meio arriscado, porém tentador. Aceitei é claro, naquele dia iria ficar frente a frente com Mônica. Cheguei rapidamente em minha casa e tomei um bom banho, coloquei uma roupa confortável e me declarei pronto. Mandei uma mensagem a Amanda dizendo que eu já estava chegando.

Quando já ia sair me lembrei de algo. Fui até meu quarto e tive um pouco de dificuldade em achar as pílulas que a muito tempo eu não usava. Respirei fundo quando peguei a pílula e coloquei na boca, acabei de engolir com água e senti sensações que me lembravam uma épica antiga. Minhas presas encolheram, meu reflexo apareceu no espelho e eu me sentia mais frágil.

Aproveitei a visão e ajeitei melhor o cabelo, depois de uma última olhada peguei meu celular, coloquei no bolso e saí de casa. Andando tranquilamente até a casa da minha namorada.

Fui aproximando e a visão que tive foi de Amanda saindo de casa sozinha, a mesma olhou para os lados e seu olhar parou em mim. Ela estava linda como sempre, usava peças delicadas e um tênis branco. Sua regata era florida e seu short combinava com os detalhes da peça de cima. Seu cabelo estava solto e ela usava delicadas pulseiras, nosso anel e mais alguns.

— Oi. — Disse e me aproximei dela.

— Oi. — Amanda disse e me deu um abraço. — Preparado?

— Sim, dei um jeito no meu outro lado, acho que dá pra disfarçar.

— Estávamos esperando só você, entra!

Fiquei um pouco inseguro de entrar, porém o olhar de Amanda me encorajava, entrei e demos de cara com um imenso jardim, onde tinha sido sua festa.

— Tudo aqui é lindo. — Eu disse.

— É, Mônica cuida muito bem de tudo sabe. Agora vem. — Pegou meu dedo indicador e saiu me puxando. — Vamos entrar!

— Ta bom né. — Sorri fraco.

Entramos, eu já tinha visto a casa, ou melhor, a mansão por dentro do dia em que tive que ir até lá para deixar a carta no quarto da Amanda... Mas nesse dia foi diferente, entrei e pude observar os detalhes. Entramos pela porta dos fundos e saímos direto na cozinha, era média, maior que a minha.

Amanda me soltou e foi em direção a geladeira, e abriu tirando de lá uma água.

— Quer alguma coisa?

— Não, eu tô sem fome.

— Ok. Mônica já está vindo, ela se atrasou um pouco.

— Não tem problema.

— Que foi?

— O que? — Eu perguntei confuso.

— Está meio pensativo ou é impressão minha?

— Estou. Pensando, em coisas aleatórias, nada importante sabe.

— Não fica nervoso. Mônica é um amor.

Sorri pra ela e ela sorriu pra mim.

Alguns segundos se passaram e ouvimos passos se aproximando da cozinha, então uma mulher apareceu na porta, era jovem, tinha um sorriso lindo no rosto, e cabelos como o da Amanda, realmente, eram mãe e filha.

— Ele já chegou? — Mônica se dirigiu a mim.

— O-oi senhora, prazer em conhece-la. — Eu disse e coloquei uma das mãos no bolso da calça.

— Sem formalidades por favor. Me chame apenas de Mônica. — Ela se aproximou de mim e ergueu a mão, repeti o ato e apertamos as mãos. — É um grande prazer te conhecer, Amanda fala tanto de você.

— Ele é tudo que eu disse e muito mais. — Amanda disse ficando ao meu lado.

— Eu amo sua filha. — Disse sem delongas.

— Dá pra ver isso nos seus olhos, nem precisa explicar. — Sorriu.

Admito que seu comentário me surpreendeu, fiquei feliz e saltitando por dentro, já por fora apenas sorri. 

— Vamos? — Amanda disse. — Se não chegaremos tarde.

— Tem razão meu anjo, vamos.

— Só vou pegar minha bolsa e me despedir de Danbi. — Amanda disse e saiu rumo as escadas.

— Finalmente a sós. — Mônica disse e eu fiquei meio confuso. — Jeon, Dong-Yun falava tanto de você.

— Então me conhece mesmo?

— Sim, e vejo que andou visitando a Sook. Onde conseguiu pílulas?

— Lá mesmo. Mas Mônica, precisamos conversar... É um assunto sério, Amanda precisa.

— Do que eu preciso? — Amanda apareceu dizendo.

— De... Um par de sapatos! — Mônica salvou minha pele.

— Isso olhamos lá. Agora vamos.

Novamente Amanda pegou meu dedo e saiu me puxando, me conduziu até a garagem, entramos em um carro preto, Mônica na frente com um motorista e eu e ela atrás. O carro arrancou. Aquilo pra mim foi um pouco diferente porém me acostumei logo. Por todo o caminho a mão de Amanda não me soltava, aquilo era bom. Sentir seu carinho.

Pov's Amanda 

JungKook parecia calmo e surpreso ao passar a cada estabelecimento pelas ruas, sua expressões o entregavam e revelavam o seu olhar curioso quanto a tanta sofisticação e " frescuras ". Eu apenas ria sozinha dos meus pensamentos.

— Do que está rindo? — Mônica se virou pra mim.

— Também queria saber. — Agora era o olhar de JungKook que estava sobre mim.

— Preciso ter motivos? — Eu disse descontraída.

Os dois apenas riram.

— Chegamos!

Juntos descemos do carro, e Mônica deu a ordem pra que o motorista nos esperasse.

— Bom, eu vou ao mercado, vocês podem se divertir e comprarem o que desejarem. — Mônica disse. — Mas por favor, estejam aqui na porta antes das três.

— Bom...— Eu fui dizendo enquanto olhava a tela do celular. — Vamos, temos horas. — Disse e saí puxando JungKook.

— Calma Amanda. — JungKook reclamou.

— Tchau madrinha!! — Acenei.

Deixamos Mônica na porta do mercado e fomos andando pela cidade. Estava com uma quantidade agradável de pessoas, JungKook parecia meio chocado.

— Como é diferente.

— Então é uma coisa nova que você vai conhecer... Vem, que tal tomarmos um sorvete pra começar?

— Você só vai comer? — Ele sorriu.

— Estou morrendo de vontade. — Eu disse e ouvi sua risada.

Andamos até minha sorveteria favorita. Entramos no lugar e havia apenas um casal que assim que chegamos foram embora, em uma segunda-feira ninguém tinha tempo pra tomar sorvete.

— Olá moça, bom dia! — A atendente disse. — O que deseja?

— Eu quero... Hm... Napolitano! E você? — Perguntei a JungKook.

— Eu? Nada. — Ele disse.

— Ok. — Dei de ombros. 

A atendente demorou poucos minutos pra preparar meu sorvete, logo após me deu, eu paguei e saímos de lá.

— Não acha que é muito sorvete? — JungKook olhava pra grande quantidade de sorvete.

— Eu estou com muita vontade mesmo!! Acho que quero chocolate também... Ou talvez bala finny... Um milkshake de chocolate cairia bem, com bastante granulado e abacaxi.

— Espera aí... Abacaxi?! — JungKook deu risada. — Você ta bem mesmo?

— Eu queria algumas framboesas também, talvez framboesas com toddynho!! Sim, ah... Toddynho!!

JungKook deu uma risada tão alta que quem estava por perto se assustou.

Pov's JungKook 

Rir, minha vontade era essa, dar gargalhadas, as vontades de Amanda estavam estranhas, quase bizarras! Tentei colocar na minha cabeça que era só uma brincadeira, mas ver o modo como ela comia o sorvete me fez refletir um pouco...

— Acho que está comendo demais. — Tentei controlar a risada.

— Primeiro pedem pra me comer e depois quando eu resolvo comer me chamam a atenção.

— Ei ei, calma. Ficou brava de repente. — Eu disse e a parei. — Está certo, você tem que comer.

— Chantilly...

— Ahn?

— Isso, quero chantilly com... — Ela fechou os olhos parecendo pensar. — Com... Hmm... Salada de frutas!

— Isso ta começando a ficar estranho...

— Ah! Ninguém me entende. — Disse e saiu andando.

— Espera, não foi isso que eu quis dizer, Amanda você bebeu alguma coisa antes de me encontrar?

— Está insinuando que estou bêbada Jeon?!

— Não!! Só... Melhor eu ficar calado né?

— Sim!! Agora vamos, meu sorvete já acabou.

— Mas já?!

Amanda apenas me olhou com um olhar mortal, depois fiquei calado. Andamos e a cada esquina ela inventava comprar alguma coisa. Eu apenas ria da situação. Falava que nem uma maritaca e às vezes ficava irritada a toa, sei lá, eu pensei, pode ser TPM.

Finalmente achamos um parque tranquilo pra ficar me sentei no banco e Amanda deitou, colocando as pernas nas minhas coxas.

— Ai, olha que paz!

— É, mas já vai acabar. — Eu disse. — Que dizer, não exatamente né? Nosso horário está chegando ao fim.

— Que pena. Gosto de ficar com você.

— Eu também gosto de você, e você não imagina o quanto. E dês de quando! — Eu disse e Amanda se sentou.

— Digo o mesmo. — Disse apertando minhas bochechas.

— Eu fico me perguntando como pode? Como pode você chegar e dar verdadeiro sentido a tantas coisas que eu já havia até esquecido, ou que até cogitei a nunca ser possível acontecer comigo. Como você faz isso, sem nem mesmo se esforçar?

— Eu te amo. Simplesmente isso.

Não disse nada, apenas a beijei, como se fosse a primeira vez, porque nossa relação era assim, nos apaixonávamos um pelo outro todos os dias, nosso amor era delicado, mágico, e forte!

— Te amo! — Eu disse e a abracei.

Ficamos ali por mais alguns minutos até que resolvemos ir embora. Ao chegar na porta do mercado lá estava Mônica a nos esperar.

— Vamos embora?

— Sim, afinal amanhã eu tenho consulta né?

— Sim, não podemos esquecer.

— Consulta?

— Sim, vou na minha médica amanhã. Mônica cismou que preciso ir.

— Cismei nada mocinha. Vamos, entrem que eu te explico JungKook.

— Se ficar do lado dela eu não olho pra sua cara. — Amanda me disse e eu sorri de nervoso.

— Amanda Cristine!

— Tudo bem. — Eu disse. — Né Amanda?

— É, foi uma brincadeira. — Disse forçando um sorriso que me fez rir.

Entramos no carro e as duas me contaram sobre o porquê da consulta. Escutei atentamente e concordei com Mônica, levei um olhar mortal por isso porém passou depois.

*Quebra de Tempo*

Pov's Amanda 

 * * * 


Notas Finais


Boom foi isso gente... O que acham hein? Particularmente foi um dos capítulos mais gostosos de escrever kskssk.

Amo você aí que está lendo. Sério, te amo e agradeço. @Kim_Taenu

[ https://www.spiritfanfiction.com/historia/adeus-ou-ate-logo-14003209 ]


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...