1. Spirit Fanfics >
  2. The Black Hall - Pentagon >
  3. Jinho

História The Black Hall - Pentagon - Capítulo 23


Escrita por:


Capítulo 23 - Jinho


Minhe estava do lado de fora da empresa, juntamente de Minsu, que abraçava a irmã a cada minuto. Ela estava com tanta saudades do mais novo, que parecia que ele havia estado fora por anos, quando só havia passado um mês.

-Noona, o que acha de irmos no parque central que sempre íamos quando éramos mais novos? -ele pergunta para ela em libras, o que chama atenção de alguns dos que trabalhavam na empresa, já que eles nunca tinham visto alguém conversar com Minhe daquela maneira.

-Seria ótimo, Min Min. Estou precisando espairecer meus pensamentos um pouco. -Ele encarou fixamente a Kim por alguns segundos. O suficiente para saber que ela não parecia bem, logo começando a se perguntar se tinha haver com o namoro que ele nunca havia aprovado da irmã.

-Tudo bem, vamos até lá. Compro alguma coisa para você. -Ela sorriu largamente e bateu palmas feliz, o que só fez o mais novo sorrir.

Eles caminhavam lentamente, enquanto conversavam sobre a viagem à Tailândia que Minsu havia feito com a mãe. Ele dizia que foi até bastante divertido, para uma viagem que era à negócios. Minhe apenas ria das histórias que ele contava ter visto enquanto estava lá.

- E você? O que há para me contar? -Minsu pergunta, assim que eles se sentam em um balanço infantil. Minhe desvia o olhar e então suspira. -Tem haver com Hyojong, não é? Por favor, me conte. -ele pede, assim que ela volta a olhá-lo.

- Minsu... -ela fala, sentindo os olhos encherem de lágrimas. -Eu não sei o que está havendo. Hyojong me tratava tão bem. -ela começa falando, sentindo a garganta falhar. O irmão mais novo vendo aquela cena, apenas permaneceu calado para a ouvir atentamente, enquanto enxugava as lágrimas dela. -ele tem muito ciúmes, Min Min. Fica mandando em mim a todo momento... -ela soluça, fazendo o coração de Minsu apertar, então ele a abraça.

-Está tudo bem agora. -ele dita, depois de afastar a Kim para poder conversar novamente com ela. -me diga, é só isso mesmo? Ele já agrediu você fisicamente? -Minhe hesitou, desviando o olhar, lembrando do dia que Hyojong quase a acertou, porém Jinho chegou na hora exata.

-Não... Eu fui salva. -ela comenta, lembrando daquele dia que foi apavorante de mais.

-Salva? -Minsu pergunta curioso. Minhe olha em volta deles dois, e decide falar em libras com o irmão.

- o nome dele é Jinho, Cho Jinho. Trabalha a pouco tempo na empresa de nosso pai,  mas desde esse incidente em questão, após um ocorrido inesperado, nós dois não nos damos bem. Aparentemente o senhor Cho, me odeia.

- Por que ele odiaria você? Não faz nenhum sentido. -Minsu indaga, negando freneticamente.

-Minsu, ele disse que eu não sou bonita. Isso é um insulto. - Minhe troca os sinais, pelas palavras, fazendo Minsu notar que  sua voz estava carregada de ressentimento.

-Hey, calma. Não se descontrole assim. - o Kim pede, voltando para as libras.- está a me dizer que ele é um bruto? - o caçula pergunta, ainda incerto. Ok, ele acreditava sim em sua irmã. Porém ele sabia que Minhe implicava com as pessoas, e Minsu era a prova. Já que ele era a vítima dela quando estavam juntos em casa.

- É o que estou dizendo. -ela murmura, cruzando os braços.

-Isso basta, por enquanto. Mas preste atenção no que direi a você sobre Hyojong. - o maior se aproxima da mais velha, logo segurando a mão alheia. -assim como esse tal Jinho a salvou, agora eu estarei aqui, para não deixar que aquele bastardo de Kim Hyojong não toque em você, nunca mais! -Minhe sorriu para o irmão, deixando um beijo em seu rosto.

- você cresceu tanto... Obrigada Min Min. -ele sorri e acaricia a mão da Kim.

- Me diga, o que ainda sente por Hyojong? -a garota suspirou, abaixando a cabeça, logo voltando a olhar o irmão.

-ele sempre diz que me ama, e que descontrola-se por amor.

- e você acredita, Minhe? Poxa, você não merece ser tratada assim. Nem você, nem ninguém. 

- Eu sei...

-Noona, eu não aceito que você continue com esse relacionamento conturbado com ele. Você precisa se distanciar dele... Nosso pai não iria gostar nada se soubesse disso tudo. Você sabe que que se ele descobre, manda Hyojong embora, e sem questionamentos. -Minhe ficou pensativa, permanecendo calada. -Se você não tomar uma atitude, eu mesmo a farei. -Minsu dita, fazendo a garota abaixar o olhar.

Minhe e Minsu voltaram à empresa minutos depois. A Kim ainda estava pensativa no que havia conversado com o irmão. Jinho realmente a odiava? Ou ela provocou algo? E por que ela estava a pensar naquele idiota  que a tratava com indiferença?

Pelo menos ele lhe defendeu e lhe contou a verdade a contra gosto sobre Hyojong. - o subconsciente dela a alertou, o que a fez bufar, assim que entrou em sua sala.

Jinho saiu da sala que dividia com os meninos, para comprar um chá quente para ele. Algo que o acalmava nos momentos estressantes, e que ele sabia que o ajudaria a por os pensamentos em ordem, para poder refazer o artigo sobre poluição. Ao chegar no hall de entrada, trombou com um rapaz extremamente bem vestido e de boa aparência.

-Oh, perdoe-me. Foi sem querer. -O garoto bem vestido apressou-se a dizer.

-não se preocupe, a culpa foi minha. Eu que fui um desastrado. Mil perdões. -Jinho faz uma breve reverencia como respeito.

-Jinho hyung! Você ainda não foi lá? -Wooseok pergunta, chegando perto do mais velho. O que chama atenção de Minsu.

-Você... Você é Cho Jinho? -Minsu pergunta, fazendo Jinho sorrir ladino.

-Sou eu... Nos conhecemos? -o menor pergunta confuso.

-Fiquei sabendo por acaso, que você e minha irmã não se dão bem.

-Sua irmã? -Jinho pergunta totalmente alheio.

-Kim Minhe. Sou irmão mais novo dela, Kim Minsu. -Jinho abre a boca surpreso, e Wooseok faz o mesmo. Jung Wooseok entrou dias antes de Jinho, então também não conhecia Minsu.

- Mesmo? Estou surpreso, não sabia. -Jinho dita, envergonhado.

- E você, quem é? -Minsu pergunta para o garoto maior.

-Jung Wooseok, é um prazer conhecê-lo. -Wooseok reverencia.

Minsu encara Jinho por um instante, e por um segundo, o Cho notou que o Kim tinha o mesmo olhar que Minhe.

-Podemos conversar um minuto? -Minsu pergunta para Jinho, que apenas assente, enquanto Wooseok observa os dois se afastarem. 

O Kim conta para Jinho o que a irmã havia contato a ele. O Cho acaba rindo do que havia ouvido. E então ele começa a explicar para Minsu o que havia acontecido no dia que Minhe teve sua primeira má impressão sobre ele. Era incrível como aquela garota era esnobe até mesmo contando algo interpretado de forma errada.

Os dois começaram a conversar mais, porém nada relacionado à Minhe, e sim como se fossem amigos de longa data. E então alí, Minsu pôde conhecer o Jinho totalmente oposto do que ouviu da irmã.

Yuto, Yanan, Wooseok e Hwitaek conversavam sobre o acontecido totalmente estranho de momentos atrás sobre o filho mais novo de senhor Beny estar na empresa.

- Ele sabia o nome de Jinho hyung. -Wooseok comenta para os outros, que apenas murmuram algumas respostas.

Enquanto algumas pessoas se ajeitavam para ir embora para suas casas, Minhe acabou pegando no sono em meio alguns papéis espalhados em sua mesa.

- O que eu devo fazer? - Minhe pôde ouvir... Ela conseguia ouvir? Ela escutou uma voz parecida com a dela falar, e então ela abriu os olhos para se certificar de quem era. Porém ela não reconhecia tal lugar. Aquilo era um sonho? Ela olhou em volta e avistou uma sala cheia de mesas e cadeiras. Seria uma escola? Tudo parecia tão diferente.

-Seunhye, vim buscar você. - as duas garotas olharam na direção da porta, onde um garoto estava em pé, encostado na parede. Minhe observou o garoto, e por algum motivo lembrou de Minsu. Eles não se pareciam nada, mas ela sentia a mesma vibração boa olhando aquele rapaz, de quando olhava Minsu.

A tal Seunhye se levantou, pegando suas coisas, e o garoto à espera dela, a ajudou.

-Seu oppa vai te ajudar. - o rapaz falou, sorridente. Seunhye sorriu levemente, e então eles saíram. Ainda confusa que lugar era aquele, que pessoas estranhas porém tão familiares eram aquelas, ela resolveu segui-los.

Minhe estava achando tudo tão estranho. A garota chamada Seunhye se parecia com ela mesma, mas ela não entendia que roupas modernas eram aquelas, que aparelhos de comunicação eram aqueles... Era tudo tão diferente.

Minhe andou com eles até a saída daquele tal colégio, vendo que entravam em um automóvel totalmente elegante e que ela não conhecia. E assim que o tal garoto deu partida e se afastou dalí, a Kim pôde sentir alguém passar a mão em seus cabelos, o que a fez acordar assustada.

-Noona, está tudo bem? Você dormiu aqui em cima... -Minsu pergunta preocupado, analisando Minhe suspirar chateada por ter tido aquele sonho repentino. O que significava?


Notas Finais


Opa, bom dia, boa tarde, boa noite


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...