História The Black Swan - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Izumi Uchiha, Kakashi Hatake, Karin, Kushina Uzumaki, Mikoto Uchiha, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shino Aburame
Tags Drama, Império, Naruto, Romance, Sasusaku
Visualizações 404
Palavras 1.188
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Literatura Feminina, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oii, demorei de novo, né? :(
Desculpas </3

Capítulo 5 - A escolha


- Ainda não entrou na minha cabeça que se casará em breve. – Dizia Mikoto, arrumando alguns detalhes na roupa do filho. – É tão jovem.

- Foi sua a ideia de me casar. – Respondeu com um meio sorriso. – Não me importaria em esperar alguns anos.

- Tudo é fácil para os homens. – Falou debochada. – Nós mulheres nunca poderíamos nos dar esse luxo. Esperar não é uma opção.

- Certamente não me importaria em desposar uma moça mais madura. – Rebateu, esperando a mãe prender as presilhas de seu gibão. – Moças jovens são tolas. Apenas falam o que são treinadas a dizer.

Nada pôde fazer Mikoto além de rir, então pegou a coroa e levou a Sasuke, concedendo-lhe um sorriso amável.

- Majestade. – Saldou, fazendo uma pequena reverencia. – Que Deus faça do seu reinado prospero, meu filho.

- Que consagrem minha divindade, então. – Anunciou, fazendo os olhos vermelhos fumegarem em soberbia. – Pois serei eu a fazer deste império grandioso.

- Não lhe ensinaram a não cometer blasfêmia, irmãozinho? – Pode-se ouvir da porta.

- E não lhe ensinaram a bater antes de entrar? – Retrucou com escarnio.

Itachi gargalhou, aproximando-se de Sasuke e tocando sua testa com a ponta dos dedos. Descontente, o imperador bufou e fez uma careta, causando ainda mais risadas no irmão.

 - Já lhe disse para não fazer isso. Não sou mais uma criança.

- Não seja tão rabugento, irmãozinho. As mulheres não gostaram de você assim. – Brincou.

- Parem com isso! – Repreendeu Mikoto. – Estão prestes a se casar e agem como duas crianças?

- Estou tentando trazer um pouco de alegria a vida dele. Como se interessaram por alguém tão mal-humorado?

Com um sorriso travesso, Itachi se preparava para mais uma provocação, mas foi impedido pela súbita chegada de Kushina e Kakashi, que pareciam ter muita pressa.

- Majestade, todos estão à sua espera. – Avisou o marechal, fazendo uma longa reverencia para evitar o contato visual.

- Já estamos a caminho. – Respondeu o Sasuke, estranhando seu comportamento. Então olhou para a mãe e o irmão e percebeu que estavam igualmente estranhos. – Há algo que queiram me contar? – Indagou alto, causando calafrios em todos.

- Por que teríamos algo para contar? – Tentou desconversar Mikoto, apertando forte as mãos e mexendo os olhos freneticamente. – Não há nada. Apenas vamos, o baile já começou e você não quer se atrasar.

- Pobre, irmãozinho! Está alucinando. – Disfarçou, com um riso forçado. – Nossa mãe tem razão, devemos ir. Não é bom que o imperador deixe tantas moças esperando.

- Adiaremos esse assunto por hora. – Cedeu, revirando os olhos. – Não é como se eu não soubesse o que está acontecendo...

Paralisados, todos se entreolharam receosos, com a mesma questão em mente: ele realmente sabia?

...

No salão, as cornetas enfim soaram, anunciando a chegada de quem tanto esperavam e do início de uma guerra. O grande espetáculo havia começado e, sob os leques requintados, as damas escondiam seus rostos perversos repletos de cobiça.

Uma a uma, as moças apresentaram-se ao imperador e seu irmão, fazendo questão de usar todas as armas que possuíam. Assim como máscaras, a pureza e delicadeza exagerada tomaram conta de seus corpos, dando vida ao eterno clichê da boa-moça.

Contudo, nem mesmo as máscaras poderiam ocultar suas verdadeiras intenções, pois, ainda que regessem uma peça perante o monarca, nenhuma era tão boa atriz a ponto de fazer os próprios olhos mentirem. 

- Alguma lhe agradou? – Perguntou Mikoto, vendo o filho observá-las atentamente.

- Parecem cadelas adestradas. – Respondeu, analisando uma jovem de cabelos castanhos que fazia os seios saltarem do enorme decote. – Mas devo admitir que são belas cadelas.

- Não faria melhor descrição. – Concordou Itachi, mantendo os olhos fixos na moça bem apessoada que se apresentava.

- Sempre achei que eram o seu tipo de mulher, Sasuke. – Debochou a mãe. – Será que me enganei?

- Realmente não vejo problema nelas, desde que frequentem apenas a minha cama. – Disse tranquilo, com um sorriso divertido.  – Afinal, não é adequado que a imperatriz exiba-se como uma concubina.

- Você tem gostos peculiares, irmãozinho, mas devo admitir que são boas predileções. Mulheres muito interessantes frequentam os seus aposentos.

E de fato eram. Peles acobreadas, olhos dourados, cabelos cor de sangue, dotes estranhos... Noite após noite, cada uma dessas mulheres visitavam o imperador, servindo-lhe das mais variadas formas. Contudo, ao contrário do que pensava a maioria, nem todas iam para saciar seus desejos de homem.

As mulheres fazem bons homens, assim como um bom exército faz um império. Escute-as e tudo será seu. Dissera Fugaku a Sasuke, quando ele ainda era um garoto, e por anos o imperador pensou no significado de tais palavras. Entretanto, apenas quando deitou-se pela primeira vez com uma moça, pôde enfim compreende-las… 

Bruscamente, o imperador se levantou, passando a mão nos cabelos freneticamente. Então olhou para a mãe, que não parecia entender o que ele fazia, e voltou-se para o irmão. 

- Não verei todas as minhas opções sentado aqui. Além disso, tenho certeza que quer ir até lá, não? – Perguntou a Itachi. 

- No fim das contas, talvez você não seja tão ruim assim. – Brincou, batendo na testa de Sasuke e descendo do pedestal com seu sorriso galante. 

Revirando os olhos, o monarca o acompanhou, trocando poucas palavras com as damas que lhe pareciam pouco desejosas e beijando a mão das que agradavam seus olhos.  

Após passar por inúmeras pretendentes, avistou uma bela jovem e pôs-se em direção à moça. Ao longo do caminho, reparou nos aspectos exóticos que ela possuía e admirou-se ao ver a intensidade do rosa de seus fios de cabelo. Como se sentisse a aproximação do rapaz, ela olhou na direção do imperador e corou imediatamente, com os orbes prateados cintilando. 

...

Em outro canto do salão, Itachi conversava animadamente, provocando risos em uma senhora e sua dama de companhia. 

- É difícil encontrar senhoritas tão divertidas quanto você. – Falou, visivelmente interessado. 

- Temo que elas tenham se esquecido como se ri, meu senhor. – Respondeu prontamente, com enorme escárnio. – Mas me atrevo a dizer que são excelentes em barganhar. – Acrescentou, referindo-se aos seios que todas faziam questão de mostrar. 

- Seria desrespeitoso perguntar-lhe se também participa? – Riu, completamente cativo por seu achado. 

- Oh, não! – Negou, dando um meio sorriso. – Deus não me concedeu tal poder de negociação.  

- Sabe, eu não as julgo. Se pudesse, nem mesmo eu me recusaria a entrar nessa competição. – Então lançou um olhar ladino ao rapaz. – Os prêmios são extremamente tentadores. 

- Creio que também encontrei algo tentador. – Devolveu, completamente atado aos encantos de seu achado. 

Seguindo esse ritmo, a conversa perdurou por toda a noite, até o baile estar oficialmente finalizado, nos primeiros sinais da manhã. 

 No dia seguinte, após um bom descanso das festividades, Sasuke e o irmão deveriam mostrar suas escolhas à corte, porém, o imperador não encontrou alguém que o fascinasse. Ainda que belas, as moças se mostraram completamente vazias.

- Agradeço a presença de todas, belas senhoras. – Falou Itachi, sem tirar os olhos da moça que conhecera. – Mas já fiz minha escolha. – Então ele desceu e estendeu a mão à ela. – Vos apresento a futura duquesa e minha esposa, a princesa de Autriche, Sakura.  


Notas Finais


Até o próximo, galero <3
Beijinhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...