História The Blind Passion -Jikook - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 19
Palavras 1.610
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hi, baby!♡

Capítulo 3 - Third


Fanfic / Fanfiction The Blind Passion -Jikook - Capítulo 3 - Third

    Irlanda- 1875


Dublin- 10:00 a.m



Depos de passar muito tempo tentando encontrar uma maneira de sair do --meu consideravelmente-- pequeno quarto  com a ajuda de um garoto chamado Perrie que pelo sotaque me parecia ser escocês.


Isso estava se tornando uma coisa complicada, todos esses pensamentos que rodeavam minha cabeça. Eu calmamente estava irritado com Jungkook por ter me largado em tal lugar sozinho, eu não o culpo de certo modo, eu também não gostaria de ficar tomando conta de um garoto como eu.


Eu adorava a dança, pintar quadros, sempre fui apaixonado por piano...mas era ridículo. Eu sou um homem! Park Jimin deveria honrar sua família e estudar para pelo menos fazer algo útil ao invés de continuar a ser o imprestável cego com a doença da homossexualidade em sua família.


Eram exatamente 10:00 a.m de acordo com Perrie, e como para Sra. Kindle horários eram tá importantes não demoramos para chegar ao grande salão.


Me sentei em uma das cadeiras de madeira rústica com a ajuda de Mia. O salão se tornou um grande silêncio e o barulho do salto fino na madeira foi escutado chamando a atenção dos alunos que ficaram em um grande silêncio,  logo a voz levemente grossa e alta da mais velha foi ouvida.


- Queridos alunos!! Antes de nossa refeição gostaria de apresentar nossa nova e querida professora Nora Woods ela será a  nova professora  de história  e  ética.- Kindle se pronunciou quando todos ficaram em total silêncio.



Sinceramente eu gostava muito do antigo professor ele era ótimo era um velho muito engraçado. 

Ele já era um homem em sua meia idade sempre fora muito educado com todos e me ajudava a ter aulas escondidas de ballet com sua adorável esposa que morava aos fundos da escola. 


-professora de ética? Sério?-  Perrie perguntou em um tom entediado.


 -Olhar esse mulher me dá arrepios- a mais baixa proferiu se sentando ao meu lado.  


- Bem alunos o outro aviso e que....as aulas começarão mais cedo ou seja na próxima semana-  Kindle disse tirando noravemnte nessa atenção- Eu sei que preso  a política da pontualidade, tudo tem seus horários e datas mas, infelizmente a data teve que ser mudada para o nosso bem estar e para que nossas tarefas anuais sejam cumpridas corretamente.


A mais velha terminou seu longo discurso e foram trazidas a refeição até nós. Comi com a ajuda de Mia delicadamente em quanto ouvia as várias vozes dos alunos conversando em nossa volta.


Pareciam milhares de vozes rodando minha cabeça sem parar, eu não conseguia compreender o que cada uma delas dizia ou se realmente alguma delas dizia alguma coisa.


Me levantei e fui com Perrie e Mia até a biblioteca pegar os livros necessários para quando as aulas realmente começassem.


Me sentei em uma das macias poltronas em quanto os outros iam a procura dos antigos livros. O silêncio da antiga biblioteca reinava, apenas o que se ouvia era o barulho dos estalos que Dana a senhora que cuidava --a não sei quantos anos-- desta biblioteca fazia com a boca.


Estava perdido em pensamentos ao senti um beijo estalado em minha testa, franzi o cenho olhando na direção que o beijo viera.


-Brendo?


-Não me diga que o insolente está dando beijos em sua testa também?- achei que Brendo não fosse uma pessoa tão vulgar-  falou a voz infelizmente reconhecida em um tom de piada. -Acho que deveria me preocupar.


-Achei que estava ocupado-  proferi tedioso - onde está a garota de cedo? 


-Ah! - suspirou cansado- Eu vou dizer sinceramente que não sei quem era de ser, ela saiu me arrastando pelos corredores.


-Hum...poderia pelo menos me avisar para não ter o trabalho de procurar alguém para me ajudar.


-Deveria aprender a andar sozinho Park já está demasiado velho para auxílio.- rio e eu rodei os olhos suspirando e me deitando as costas na poltrona.


Jungkook era um garoto que não pensava no futuro era só um idiota....minha paixão idiota.


Ele me parecia ser muito bonito ao contar as milhares de garotas que o cobiçava atordoados. Não me admira


Quem se apaixonaria pelo pobre Park?


Meu pai já me dissera isso diversas vezes, eu deveria estudar e me preocupar com o dinheiro afinal, quem iria se quiser com alguém sem utilidade?


Meu pai e suas tentativas de me casar forçadamente por dinheiro que nunca deram certo. Um dos motivos das brigas e das bebidas exagerados ou das mulheres que meu pai trazia para casa que ao pensamento dele "eram escondidas" de minha mãe que por outro lado devia saber de todo a bagunça.


Sempre resultando o mesmo, eu trancado no velho porão pintando telas e meus pais discutindo no cômodo abaixo.


Quando meu pai descobriu este "dom" que eu um  breve garoto cego tinha de pintar desistiu de me vender para um qualquer para se casar.... o que por outro lado era um alívio para mim.


Voltei minha atenção para o mais alto quando senti suas mãos tocarem as minhas.


-Você parece estar exausto querido-  Querido


Jungkook costumava me chamar assim quando mais novos e dizia que iria se casar comigo um dia.


Pobre de mim que estou iludido a isto até estes dias. Eu deveria deixar de sonhar com coisas erradas e amores irracionais.


-Vamos! - puxou meus braços me levantando da poltrona e me arrastando para algum canto.

-


 O que está fazendo? Esta me levando para onde?- proferi me debatendo em seus braços-  Vamos Jeon para de brincadeiras!! Mia vai entregar os meus livros,  se ela chegar e não me ver ficará preocupada.


Senti seus passos cessarem bruscamente fazendo meu tronco se chocar contra o seu.


-Não seja chato querido- sussurrou- Anda vamos, vai ser engraçado ver a cara de irritação em Mia quando descobrir que eu te sequestrei.


o ouvi rir e continuar a me puxar me levando sem ao menos me contar onde estávamos  indo.




(...)



Eu já tinha certeza que pelo menos uns 20 minutos teriam passado e continuávamos andando.


-Diga que já estamos a chegar! Minhas pernas doem- disse em um tom com una certa manha excessiva.


-Você reclama demais para alguém com tantos problemas- riu e eu bufei tedioso o sentindo parar os passos e me assentar em um lugar macio.


Passei meus dedos pela superfície sentindo em meus dedos.


-Grama? - o perguntei sorrindo sem mostrar os dentes.


-Até que você é inteligente querido- riu e o mostrei a língua continuando a passar minhas mãos pelos lugar- Lembra deste lugar? Fica aos fundos do jardim, sempre te trazia aqui quando estava chateado não lembra?


Me desferiu as várias perguntas e o senti soltar minha mão direita que ainda segurava.


-Eu me lembro bem- ri - Este lugar tem uma áurea doce - sorri-  Tenho boas lembranças deste lugar "querido" - Proferi sarcástico ouvindo sua risada gostosa e alegre ao meu lado- Jungkook...


-Diga meu futuro marido - riu e senti minha respiração travar.


-Ainda com esta besteira? - me virei para onde sua voz parecia vir.- Não deveria brincar assim..


-Eu não estou brincando Jimim - suspirou e me puxou fazendo meu corpo cair na grama macia atrás de mim- Por que desconfia tanto do futuro? Sabe que não poderá fugir da verdade.


Bufei irritado o empurrando e ouvindo sua risada estética invadir meus ouvidos.


-Isso não é importante! Me deixe terminar- o ouvir rir novamente e concordar em um sussurro. -Você....deixaria eu tocar o seu rosto? Eu queria  poder ver como você é...digo como está agora.


-Como assim ver como sou? - era perceptível a confusão em sua voz- Sabe como sou querido.


-Aigoo Jungkook, isso foi a tempo- levantei meu tronco e senti a brisa fria passar por mim- quero ver como está agora.


o ouvir rir novamente e seu vulto se levantar ao meu lado e suas mãos tocarem as minhas, senti uma batida do meu coração falhar e suas mãos se direcionar ao meu rosto.


-Estou aqui-  virou meu rosto para onde estavam o seu e minhas mãos serem colocadas no mesmo.


Passei minhas mãos sobre por todo o rosto do mais alto sentido cada parte dele. Desde seus olhos grandes, seus lábios finos,  seu sorriso era largo e me parecia tão fofo com seus dentes avantajados. Eu não poderia esquecer o seu ....


-Oh céus!! Querido como isto é possível?- ri passando minha mão por seu rosto.


-Eu sei!Eu sei! Eu fico mais lindo a cada temporada que se passa -Rimos


-É claro! E o seu amor próprio sempre aumentando- ri mais uma vez posicionando minhas mãos em suas bochechas-  Não estou mencionando sua beleza "avassaladora"-  riu fazendo sua bochechas vibrarem- Como é possível que seu nariz possa crescer a cada tempo que se passa? 


Senti seu rosto se transformar em uma careta engraçada.


-Ei!! Que brincadeira sem graça é esta? Onde está o carinhoso bebê que eu conhecia? - ri apertando suas bochechas.


-Eu nunca fui um bebê carinhoso Jeon Jungkook!


-Ele não é tão grande assim!!- senti suas mãos tocarem o próprio nariz - Ele até que é bonitinho.


Ri


- É claro que é!!


-Querido como posso me casar com alguém que não ama o meu preciso nariz?-  suspirei.

- tudo bem!! Sei que não acredita nisso....mas espero que saiba que não é apenas uma brincadeira.


Senti o clima se tornar mais frio.


-Tudo bem! Vamos esquecer isso por um.....Oh céus!! -  falou eufórico me puxando para levantar- estamos atrasados! Kindle irá nos matar.



Senti ser puxado mais uma vez naquela tarde.


Me puxava em quanto eu o xingava com os únicos palavrões que eram conhecidos por mim em quanto era arrastado.




Pobre do pequeno cego que achava estar sendo iludido novamente sem saber que era recíproco todo o pensamento...





Constantly
Boy you played through my mind like a symphony

There's no way to describe what you do to me
You just do to me what you do
And it feels like I've been rescued

I've been set free
I'm hypnotized by your destiny
You're magical, lyrical, beautiful
You are
I want you to know baby

Love like a Love song -Selena Gomes










Notas Finais


Not Revised ♡
Up until 🌻


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...