História The Blood Flower - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Tá ai mais um capítulo, espero que gostem <3

Capítulo 4 - Red Eyes


Fanfic / Fanfiction The Blood Flower - Capítulo 4 - Red Eyes

As veias pulsantes e cheias de sangue os atraí.
Você acha que pode escapar de suas presas ?
Não podia estar mais enganado.

Você verá olhos vermelhos sangue te observando na escuridão
E ai você saberá que seu fim está chegando
E a única certeza que você terá nesse momento é que:

A morte te espera.

 

 

Ela corria...

Corria desesperada para salvar sua vida, desesperada pra fugir daqueles olhos famintos...

Famintos por ela.

 

A única coisa que podia ser ouvida naquela floresta eram seus passos rápidos e sua respiração ofegante. Corria cada vez mais rápido, sem parar, mas mesmo em alta velocidade ela podia sentir que era seguida, ela sabia que tinha algo ou alguém atrás dela, por isso ela não parava, ela não podia parar. 

 

Mas tinha algo de errado, faz muito tempo que ela está correndo, mas mesmo assim aquela floresta parecia não ter fim.

O que estava acontecendo ali?

 

Aquilo tudo estava muito confuso, ela não conseguia entender o que estava acontecendo, não ouvia nada além da sua própria respiração. Olhou para cima e viu as nuvens escuras, quase negras, a lua estava em um tom de vermelho, e não era só isso..., tinham duas luas? 

Não.

 

Aquilo não era a lua, ela já viu aquilo em algum lugar, aquilo pareciam ser olhos..., e a sensação ficou ainda pior por que parecia seguir ela, mas é diferente da sensação que dizem que a lua nos seguem, não, era muito diferente, por que aquela coisa estava realmente a olhando, parecendo olhos de verdade. Dois pares de olhos vermelhos sangue, como naquele dia...

 

Quis gritar, quis fazer alguma coisa, mas apenas continuo correndo sem olhar o que estava a sua frente, até que ela não sentiu mais o solo, e então todo o peso do seu corpo a puxou pra baixo. Olhou pra baixo e se deu conta do que estava acontecendo, ela estava caindo...

 

Mas não havia nada ali, parecia ser um mar de escuridão, ela não podia ver nada além disso. Ela ainda estava caindo em alta velocidade, e mesmo que não houvesse nada lá em baixo, ela sentia que estava mais perto, mais perto de algo.

 

Olhou pra frente e pode ver um galho de árvore, se segurou firme ali como se sua vida dependesse daquilo, e realmente dependia. Mas as coisas não ficaram assim. 

 

Ela sentiu algo agarrar sua perna e rapidamente olhou pra baixo. Ficou apavorada ao ver o que era, para ser mais precisa, ao ver quem era...

Era o menino da escola, aquele que despertou sua atenção, aquele que possui um ar sombrio e a atraí mesmo que cada poro do corpo diga que ele é perigo.

 

– O-o que está acontecendo ? – Ela estava apavorada, sem saber o que fazer e tudo piorou quando a cor dos olhos dele mudou.

 

Olhos Vermelhos sangue...

 

– Não é possível... – Sussurro incrédula e amendrotada. Viu o sorriso macabro crescer na face dele e sentiu cada parte do seu corpo ficar tensa, e de alguma forma sua mente lhe avisou que aquele era o momento...

 

O momento da sua morte havia chegado.

 

– Você é minha! – Foi a única coisa que ouviu ser pronunciada antes de ser puxada com força pra baixo.

 

E só nesse momento ela se deu conta do que estava acontecendo. E por isso ela gritou, gritou com toda força que tinha, mas de nada adiantou. Ela foi banhada pela escuridão, e tudo que podia ver naquele momento eram aqueles olhos a encarando famintos, como que se quisesse devorar até mesmo sua alma, e era realmente aquilo que ele faria.

 

...

 

– aaaaaaaah – Acordou em um sobressalto, ainda gritando.

 

A porta foi aberta em um rompante e pode ver Tsunade passar por ela desesperada.

 

– Sakura o que aconteceu ? 

 

– Não deixe que ele me leve, por favor, não deixe... – Eu estava afoita, desesperada, e chorava sem controle algum. Aquele pesadelo tinha sido muito real.

 

Tsunade me abraçou e prometeu me proteger, ela com certeza não estava entendendo nada, muito menos eu.

 

 

 

                    ▪︎▪︎▪︎

 

 

– Vamos logo Naruto! – O chamei já impaciente.

 

– Calma, já estamos aqui — Vi o loiro andar em minha direção juntamente com o ruivo.

 

Gaara acenou com a cabeça me cumprimentando e eu fiz o mesmo, nada mais foi dito, apenas começamos a andar em direção à saída da enorme mansão Uzumaki. 

 

– Onde está o Sai? Ele não vem ? – Perguntou o loiro como sempre quebrando o silêncio.

 

– Você sabe que ele não liga pra essas coisas, eu ainda fiz o favor de chama-ló, porém ele não quis vim, então o problema é dele. – Respondi dando de ombros.

 

– Ele só pode estar querendo morrer, se tem uma coisa que o Kakashi odeia, é quando recusam o chamado dele. 

 

Apenas concordei com a cabeça, o que era realmente verdade, mas eu não importo com o Sai, então não ligo se ele morrer ou não.

 

 

Depois de alguns minutos finalmente chegamos a sede da "Anbu". O enorme prédio fica em um terreno abandonado que é refleto de árvores de folhas secas e murchas, os caules das árvores estão aprodecidos e as raízes mortas. O prédio tem três andares e é todo pintado de preto, possui algumas poucas janelas e uma enorme porta na entrada. Seguimos em direção a porta e assim que estávamos à alguns poucos metros da entrada duas figuras surgiram, rápidas e silenciosas, sem fazer barulho algum.

 

– Boa noite garotos, se identifiquem por favor. 

 

– Isso é totalmente desnecessário Hidan, não é como se vocês não soubessem quem somos. – Disse Naruto revirando os olhos.

 

– Não importa, essas são as regras e pra entrar aqui vocês sabem que precisam se identificar, agora andem logo com isso. – Ordenou Kakuzo sendo grosseiro como sempre.

 

Dei um passo a frente e estendi meu braço esquerdo para Hidan que pegou sua pequena foice e fez um pequeno corte que em segundos cicatrizou. Hidan lembeu o meu sangue que estava em sua foice e em seguida linhas grossas e brancas cobriram o rosto dele.

 

– Pode entrar Sasuke Uchiha. – Os dois abriram a grande porta dupla de metal escuro que fez um rugido macabro ao ser aberta. Me deram espaço e eu logo passei, entrando no edifício.

 

O mesmo foi feito com os outros dois e logo nós três andávamos pelos corredores do prédio. Chegamos no terceiro andar do prédio e seguimos andando pelo lugar, esse andar é o maior dos três, tem mais corredores e mais portas do que os outros. Chegamos ao corredor mais largo dali vimos a grande porta no fundo do corredor e dois homens parados ali, começamos a andar naquela direção, porém uma voz feminina se fez presente nos impedindo de continuar.

 

– Ele não está na sala de reuniões no momento.

 

Nós três nos viramos e vimos a mulher de mais ou menos 1,70 de altura, com seus cabelos pretos soltos e ondulados, seus olhos brilhavam em um vermelho vivo, e um sorriso malicioso brotava em seus lábios. Sua roupa como sempre era chamativa e ousada, usava um vestido preto e colocado ao corpo que valorizava muito bem suas curvas, principalmente o decote nada discreto que realssava seus seios.

 

– Então onde ele está Kurenai? – Perguntei depois de alguns segundos em silêncio.

 

– Hum..., eu poderia até dizer, mas sabe, eu estou aqui pensando em uma coisa bem melhor, vocês três poderiam vir comigo, eai podemos nos divertir, o que acham ? – Ela soltou uma risada baixa e maliciosa nos encarando como se fôssemos presas que ela estava pronta para atacar.

 

– Agradecemos o contive, mas vamos recusar. Agora nos diga onde ele está. – Respondi sério vendo seu sorriso desaparecer.

 

– Indelicado como sempre não é Uchiha? Você consegue ser ainda mais difícil do que meu querido Hatake, qual o problema de vocês pra dispensar uma mulher como eu ? – Bufou descontente mas logo voltou a nos encarar maliciosamente.

 

– Bem, minhas três delícias, parece que não vai ser hoje que iremos nos divertir.. – Disse Kurenai com uma cara triste que me fez revirar os olhos.

 

– Você poderia nos dizer de uma vez onde ele está? – Perguntei já impaciente.

 

– Você é muito sem graça Uchiha, mas que seja. Sigam pelo corredor da direita, logo vocês vão escutar gritos, e ai saberão onde ele está. – Me virei e comecei a seguir em direção ao corredor indicado.

 

– Não ganho nem um agradecimento ? – Escutei Kurenai perguntar já um pouco distante, mas ignorei completamente e segui andando com Gaara e Naruto vindo logo atrás.

 

Não foi difícil encontrar a sala que deveríamos entrar, pois como Kurenai disse era só seguir o som dos gritos. Chegamos na sala, que ficava no final do extenso corredor, se destacando das demais salas por ter a porta alguns centímetros maior e ser de um metal que aparenta ser mais pesado e reforçado do que das outras salas, o que não é de se esperar menos considerando que aquela é a sala em que somente o líder da Anbu usa, ou seja, aquela sala somente é usada quando o líder é quem vai cuidar da "sentença" dada ao julgado. Quando é o próprio líder que cuida do castigo quer dizer que a coisa é séria, o julgado com certeza deve se preparar pro pior.

 

Ficamos parados em frente a porta por alguns segundos apenas escutando os gritos agoniantes que viam de dentro, quando nada foi dito sabíamos que podíamos entrar. Abri a porta de metal que rangeu ao ser puxada, entrei juntamente dos meninos e apenas ficamos parados na entrada observando o que acontecia ali.

 

Um homem de cabelos curtos e pretos estava totalmente nu com os pulsos presos em uma corrente grossa e forte que estava acoplada ao teto, as correntes possuíam um tipo de bracelete de ferro que possui pregos grandes por dentro do bracelete que estavam atravessando os pulsos e cortante a carne, fazendo o sangue descer pelos braços e pingarem no chão. Já os pés estavam presos cada um com uma corrente dessa só que em tamanho menor, porém com ainda mais pregos que perfuravam desde os tornozelos até a sola dos pés, e ainda tinha um parafuso perfurado em cada dedo. Abaixo do homem a poça de sangue era enorme, além disso também era notável as várias cicatrizes espalhadas por todo o seu corpo.

 

O homem estava preso no meio da sala, enquanto na parede de frente para ele possuía uma mesa retangular que cobria praticamente todo a extensão da parede, havia vários armamentos ali, desde facas, alicates, pregos, parafusos, martelos, pequenos machados e até mesmo espadas. Aquela parte em específico era bem iluminada, enquanto o resto da sala era praticamente um breu, tendo apenas uma luz um pouco fraca que iluminava o homem no centro da sala.

 

– Sabe Danzou eu conheço muitas maneiras de causar uma dor inimaginável, porém eu estou pegando leve com você só pelo fato de um dia você já ter ocupado meu posto, mas não considere isso como respeito ou coisa do tipo, então não teste minha paciência, pois eu te garanto que ela já está chegando ao limite, e você não vai querer que isso aconteça certo ? – Disse Kakashi surgindo de um dos cantos escuros da sala. A voz de Kakashi saiu baixa e sombria ao pronunciar a última fala.

 

– Você e seu ego gigante não é Kakashi? Você acha que me assusta ? – O homem denominado Danzou deu uma risada antes de continuar – Pois saiba que não. Você nem se quer merecia esse cargo, é só um merda que se acha demais só por conta do legado que seu pai um dia teve, mas quer saber ele é um lixo ainda pior que você, aquele filho da puta está bem melhor agora que está a sete palmos debaixo da terra, junto com a vagabunda da sua mãe.

 

Em seguida o que aconteceu foi tão rápido que eu nem se quer tive tempo de pensar no que estava acontecendo. Tudo que eu ouvi foi o grito abrupto de dor que Danzou soltou. Kakashi havia enfiado uma barra de ferro um pouco enferrujada de tamanho mediano no olho esquerdo do homem, sem dó, muito menos piedade. Tudo que eu vi foi o sangue escorrer pelo objeto e por todo o seu rosto, os gritos dele não cessaram, muito pelo contrário pioraram ainda mais quando Kakashi segurou a barra de ferro e girou lentamente. Os gritos eram de pura dor e agonia.

 

– Lave essa sua boca antes de falar alguma coisa sobre os meus pais. Eu construí o meu próprio legado, eu sou quem eu sou hoje por puro mérito meu, eu estou no topo ocupando um dos tronos enquanto você é só um lixo desprezível que todos querem ver morto, mas a morte é boa demais pra você, por isso eu vou me certificar de fazer você passar pelo próprio inferno até que eu me canse e decida te matar. Até lá eu sugiro que você colabore e me conte o que eu quero saber. – Kakashi ainda segurava a barra de ferro em seu olho enquanto fitava Danzou com sue olhar obscuro.

 

– Hum..., pelo visto você quer do modo difícil certo? – Kakashi indagou sorrindo por baixo da máscara, depois de ter tido o silêncio do homem como resposta. Eu poderia dizer até que ele estava se divertindo.

 

Kakashi puxou a barra de ferro com tudo do seu olho, fazendo Danzou gritar ainda mais. O globo ocular do seu olho esquerdo saltou pra fora totalmente esmagado. Kakashi deu as costas a ele e foi em direção a mesa de armas que tinha ali, ele pegou uma pequena tocha e a acendeu, Kakashi colocou uma faca sobre a pequena chama, e só retirou quando a lâmina estava laranja de tão quente. Ele seguiu calmamente em direção a Danzou porém ele parou no meio do percurso.

 

Pude sentir uma presença atrás de mim e sabia quem era. Segundos depois a faca que Kakashi segurava passou em alta velocidade bem próxima ao meu rosto, mas não me acertou, afinal, eu não era o seu alvo. Ouvi o grito dele ao ser atingido e me virei para trás apenas para ver Sai imprensado na parede com a faca que Kakashi jogou fincada em seu ombro direito.

 

– Caralho – Escutei Naruto sussurrar incrédulo.

 

– Puta que pariu, você só pode estar de brincadeira com a minha cara. – Rosnou Sai retirando a faca de seu ombro que havia queimado sua jaqueta, sua blusa e a carne no local atingido.

 

– Você recusou o meu chamado, e você sabe que eu odeio isso. Eu já te avisei antes, é bom você começar a me respeitar como seu mestre, ou o próximo que eu irei torturar será você. – Kakashi direcionou um olhar mortal na direção de Sai que fez meus pelos se arrepiarem mesmo não sendo pra mim.

 

– Sinto muito mestre, não irá acontecer novamente.. – Disse Sai em um fiapo de voz com os olhos vidrados em Danzou que estava no meio da sala.

 

– Bem, já que todos já estão aqui não temos tempo a perder. — Pronuciou Kakashi após um suspiro.

 

– Depois continuamos aqui. – Disse ele se dirigindo a Danzou e depois simplesmente quebrou seu pescoço usando apenas uma mão, fazendo Danzou ficar inconsciente na mesma hora.

 

– Ai porra, Kakashi tá assustador hoje. – Comentou Naruto ao meu lado engolindo em seco.

 

– Bom, vamos rapazes? – Kakashi deu um sorriso por baixo da máscara e agiu normalmente se aproximando de nós quatro.

 

– Gaara, é um prazer tê-lo aqui, sinto muito que tenha presenciado isso tudo, espero que não criado uma má impressão de mim. – Ele tá de brincadeira né ?

 

Depois disso seguimos andando pelos corredores até que chegamos na sala de Kakashi que pediu para que esperassemos enquanto ele se limpava já que suas roupas estavam cobertas de sangue. Nos sentamos nas cadeiras que haviam ali e aguardamos para começar o nosso treinamento de hoje.

 

– Nunca vi o Kakashi torturar alguém, parece que as histórias são verdadeiras, ele é realmente assustador. – Disse Naruto engolindo em seco.

 

– Aquele cara deve ter feito algo muito ruim pra Kakashi torturar ele daquele jeito, sem contar que pelo jeito que ele falou dos pais do Kakashi ele mereceu aquilo. – Comentou Gaara entrando na conversa.

 

– Aquele é o Danzou Shimura. Ele era líder da Anbu antes do Kakashi assumir, porém ele foi detido do cargo depois que descobriram que ele estava traindo o Conselho. – Escutamos a voz feminina pronunciar.

 

Olhei para o lado vendo a loira parada na porta com as mãos na cintura, veio caminhando até nós até que se sentou na cadeira vaga ao meu lado me lançando um sorriso malicioso enquanto cruzava as pernas para fazendo a sai que a mesma usava subir ainda mais. Revirei os olhos e ignorei completamente o ser ao meu lado que bufou de raiva.

 

– Ino? Como sabe disso ? – Indagou o loiro com o cenho franzido.

 

– Meu pai foi um dos especialista que interrogou ele antes de desistirem e deixarem ele nas mãos do líder. – Respondeu a loira dando de ombros.

 

– E o que você faz aqui ? – Perguntou Gaara.

 

– Meu pai é o que representa o Clã Yamanaka na anbu, e eu sou sua sucessora, por isso eu venho as vezes para ver como as coisas funcionam. – Naruto soltou uma risada alta debochando da loira.

 

– Você na Anbu?? – Riu novamente – Por favor né Ino, você não mata nem um coelho se quer, entrar na Anbu é mais a cara da Hinata. – Disse Naruto ainda rindo, e mesmo não tendo dito nada eu concordo com ele.

 

– Vai se foder Naruto. – Rosnou a loira. Mas ele não estava errado afinal.

 

A Anbu é uma organização antiga que foi criada para agir como juiz e júri no nosso mundo. Ela é a responsável por nos proteger de sermos descobertos caso ocorra problemas, mas também é ela que nos prende e sentencia nossos erros. A Anbu é uma organização perversa que tortura e mata sem dó, muito menos piedade, os membros da Anbu são sem dúvidas os mais sombrios da nossa espécie. Eles são os responsáveis por nos manter na linha, existem regras quais precisamos seguir, caso contrário seremos julgados e sentenciados pela Anbu.

 

As sentenças são diversas, desde espacamento, decapitação de membros, tortura, e claro, a morte. Porém a pior sentença é sem dúvidas o cativeiro. No cativeiro o condenado é trancado em uma sala pequena que mais parece um cubículo, é torturado diariamente de diversas formas, e sem poder se alimentar, eles recebem apenas uma vez por semana um copo com um pouco de sangue ( mais ou menos dois dedos ), e isso depende do tamanho do erro cometido, ou da importância da regra quebrada, tem alguns que ficam até mesmo meses sem se alimentar, é uma punição cruel que pode durar alguns dias, semanas, meses ou até mesmo anos. É por conta disse e de outros fatores que a Anbu é uma organização temida.

 

– Senhorita Yamanaka, as informações sobre Danzou são confidenciais, não era nem mesmo para o seu pai ter te contado, muito menos você ter contado para os meninos. – Disse Kakashi surgindo na sala.

 

– Eu sinto muito senhor Hatake, eu falei pois confio neles e eles são seus alunos certo ? Então pensei que não teria problema. – Respondeu Ino aparentemente envergonhada.

 

– Hum, certo. Mas da próxima vez lembre-se da sua posição antes de sair por ai contando a qualquer um informações confidenciais. Agora por peço que se retire da minha sala, tenho assuntos importantes a tratar com os meninos. 

 

– Sim, desculpe mais uma vez por minha insolência. Até mais meninos. – Dito isso a loira saiu da sala nos deixando a sós.

 

– Bom meninos, agora podemos começar certo? Hoje iremos caçar. 

 

 

                    ▪︎▪︎▪︎

 

 

Era apenas o segundo dia de aula e eu já estava querendo que acabasse logo de uma vez a escola, assim eu poderia ir para a minha tão sonhada faculdade de Medicina e quem sabe sair de uma vez dessa merda de cidade que já está me deixando louca, e estou aqui apenas a 3 dias. 

 

Nesses três dias eu tive dois pesadelos horríveis, o primeiro foi com aquele motorista estranho, e no outro dia eu descubro que ele morreu, e agora esse que eu tive nessa madrugada, que foi ainda pior já que eu era a protagonista do pesadelo dessa vez, e o pior é que pareceu bem real na verdade, estou até começando a ficar com medo de que a próxima a ser morta seja eu. Talvez seja pessimismo, mas vai saber né, aquele sonho foi muito assustador, parecia até mesmo real. Eu ainda posso sentir minha perna sendo agarrada por ele, é loucura, eu sei, mas eu realmente sinto o medo vívido que eu senti naquele momento.

 

– Sakuraaa!!! 

 

Despertei dos meus pensamentos vendo Lee e Tenten me esperando na porta da sala, então já era hora do intervalo? Eu nem se quer escutei o sinal tocar. Acenei para os dois e guardei meus materiais indo até eles em seguida.

 

– Oi! – Os comprimentei.

 

– Oi Sakura! No que você estava pensando? Parecia em outro mundo. – Indagou Lee ao meu lado direito, enquanto Tenten estava ao meu lado esquerdo.

 

– Aaa.., não é nada, eu só estava pensando no sonho que eu tive nessa madrugada, nada demais. – Respondi dando de ombros.

 

– E foi um sonho bom ? – Perguntou Lee curioso com um sorriso.

 

– Eu diria que foi mais um pesadelo. – Soltei uma pequena risada sendo acompanhada por eles.

 

– E quer nos contar sobre o que foi ? 

 

– Obrigada Tenten, mas não precisa, não foi nada demais. Agora vamos logo, estou morrendo de fome. – Falei dando aquele assunto por encerrado.

 

Pegamos nossos lanches e nos sentamos na mesma mesa do dia anterior, a diferença é que tinha mais duas pessoas já sentadas.

 

– Fala galera, essa daqui é a Sakura. Sakura esse é o Kiba – Lee apontou para um menino de cabelos castanhos e arrepiados, com um sorriso amigável no rosto direcionado a mim. – E esse é o Shikamaru – Apontou para o outro menino que estava na mesa. O reconheci, ele é da minha sala, é o menino que eu vi dormindo no primeiro dia. 

 

Acenei timidamente para os dois que corresponderam e logo eu, Lee e Tenten nos sentamos e começamos a comer. Os meninos até que são legais, Kiba é engraçado e divertido, um pouco egocêntrico eu diria, mas fora isso ele parece ser uma boa pessoa. Já Shikamaru é bem preguiçoso, ele ama dormir, e é o que ele mais faz, até mesmo nas aulas, mas ainda assim ele é bem inteligente, o mais inteligente da nossa turma. A conversa entre eles estava bem legal, porém minha atenção foi desviada para a porta do refeitório no momento em que certo grupo passou pela mesma.

 

E o mesmo de ontem aconteceu, analisei cada um deles, tendo a mesma sensação estranha e incomoda que tive desde a primeira vez que os vi. Todos se sentaram e eu observei disfarçadamente, ou nem tanto, cada um deles. Acho que eu realmente não disfacei pois logo senti um olhar sobre mim e quando encontrei o dono desse olhar meu coração falhou uma batida. 

 

Nossos olhares se fixaram e foi como se o mundo ao redor tivesse parado e só existissem seus olhos. Ônix, tão negros, tão sombrios, tão assustadores, mas ao mesmo tempo tão intrigantes, me perdi na intensidade que era ter seu olhar fixo ao meu, até que o sonho veio a tona, e foi como se eu estivesse nele novamente. 

 

Tudo ao meu redor desapareceu até que só sobrasse ele ali, e então ele foi sumindo aos poucos, senti todo meu corpo ficar tenso a medida que o corpo dele ia desaparecendo até restar apenas seus olhos que se fecharam, e quando abriram eu senti todo meu corpo entrar em combustão, meu corpo paralisou, minha respiração se tornou pesada e o maldito arrepio na espinha estava ali presente novamente, mas eu não desviei o olhar, eu não consegui, de alguma forma eu estava paralisada, hipnotizada por aqueles olhos que pareciam ver até mesmo minha alma, olhos que pareciam famintos e prontos para me atacar, aqueles olhos os quais eu sonhei, os olhos que me fazem sentir cada poro do meu corpo se arrepiar e minha mente alertar o perigo, olhos que eu posso ver nitidamente a minha morte...

 

Olhos Vermelhos Sangue.

 

 

 


Notas Finais


Desculpem qualquer erro na escrita.
Me digam o que acharam e até o próximo capítulo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...