1. Spirit Fanfics >
  2. The blue blood >
  3. Me aguarde

História The blue blood - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Olá!
Cá estou eu com mais um cap, demorei mas voltei hahaha

Espero que curtam!

Qualquer erro de português me perdoem.

Vou revisar novamente depois ❤

Capítulo 2 - Me aguarde


 
O frio da madrugada se fazia presente no local, as luzes neons estavam cada vez mais intensas, as baladas exalavam tensão sexual e o sangue corria com intensidade pelas diversas veias ali espalhadas. As gotículas de suor deslizando entre os corpos, fazendo com que uma mistura de diferentes odores corporais se espalhassem pelo local era algo tentador.

A situação estava realmente perfeita, era a hora exata de começar uma chacina. 

O Hwang acompanhava tudo em cima de um dos prédios da badalada Gangnam, encarava tranquilamente as casas noturnas que ficavam abaixo de si e sorria ladino com isso.

Amava os ricos e ao mesmo tempo os odiava. Os odiava por gastarem todo o dinheiro com orgias deixando o resto da sociedade em situações precárias, sem terem, no mínimo, um misero crédito para comprar alimento.
Mas os amava pelo sangue que corria em suas veias, o líquido tão saboroso e que fornecia tantas informações preciosas.

Beber o sangue de um burguês, significa se integrar entre eles, ao beber adquirimos o conhecimento que eles possuem, assim podemos nos infiltrar com mais facilidade e começar as nossas caçadas que tanto amamos. 

Há tempos atrás, os ricos se auto nominavam sangues azuis, uma mera idiotice mortal é claro, o eterno desejo de se mostrarem superiores só pelo status ou cor de pele é algo banal. Esses idiotas se acham melhores que os outros só por causa de seus bens, mas não passam de apenas mais um dos humanos fúteis e sem rumo algum para a vida.

Suspirou irritado ao lembrar de tudo o que teve que encarar por séculos, toda a desigualdade, perseguição e ainda se encontrar na mesma situação no ano de 2085.

A raça humana é uma vergonha e merece ser extinta o mais rápido possível, só assim o mundo estará livre de toda essa podridão. — encarou o céu e suas poucas estrelas, levou seus dedos ao dispositivo em sua orelha fazendo com que uma tela aparecesse em frente ao seu rosto. Com os dedos ágeis procurou saber mais sobre a casa noturna abaixo de si e quais tipos de pessoas a frequentavam, não conseguiu encontrar muita coisa, já que o local era restrito para as pessoas da "nata", então tudo o que acontecia ali morria ali mesmo. Pesquisou mais um pouco e encontrou em alguns portais boatos sobre prostituição no local, mulheres de castas mais baixas raptadas e forçadas a se prostiruirem, muito dos clientes eram pessoas do governo e ricos desocupados.

Hyunjin podia sentir a raiva crescer dentro de si, nunca aceitou a prostituição e fazia de tudo para punir os responsáveis da piores formas possíveis.

~ Pov passado on


Quando criança presenciou uma das piores cenas de sua vida, sua mãe e irmã foram violadas em sua frente e forçadas a se prostiruirem por anos para velhos ricos de diversos países, teve que aguentar calado por muito tempo até que um dia um jovem rapaz chamado Lee Song lhe ofereceu uma proposta curiosa, trocar sua vida mortal e em troca poderia se vingar por tudo o que sofreu. O Hwang tinha apenas 20 anos na época e não entendeu o peso real daquela troca, mas aceitou rapidamente. O homem então aproximou seus lábios do pescoço bronzeado do mais novo e mordeu o local, transferindo aos poucos seu veneno, assim o transformando em um vampiro. Todo o processo fora extremamente doloroso, mas quando tudo passou só podia sentir raiva e determinação para livrar sua família daquele inferno. 
Levantou-se ainda um pouco atordoado e caminhou em passos pesados para o bordel onde sua irmã e mãe trabalhavam, sendo questionado pelos homens presentes que queriam saber o motivo dele estar ali, a resposta foi simples, em questão de segundos avançou sobre aqueles corpos os estraçalhando e bebendo o máximo de sangue que podia, o local estava coberto por um mar vermelho que escorria pelas paredes e formavam poças entre os membros esquartejados. 
Rapidamente pegou uma barra de ferro que encontrara entre os balcões e caminhou para a sala do dono daquele local, o mesmo homem que cometeu tais atrocidades com sua família, um sorriso insano se formava na boca do jovem, seus olhos brilhavam cada vez mais e adquiriam um tom escarlate, exatamente nada o faria parar naquele momento, estava finalmente livrando sua família daquele terrível sofrimento. 
Subiu o último lance de escadas e caminhou lentamente até a porta de tonalidade bordô, arrastava a barra de ferro pelo assoalho fazendo um barulho irritante, girou a maçaneta e pode encarar o velhote sentado em sua mesa que o olhava assustado. 
Hyunjin não pensou duas vezes, apenas respirou fundo e com toda sua força acertou a cabeça do mais baixo com a barra de ferro, sem nem ao menos esperar uma reação. A pancada fez com que o crânio rachasse ao meio esguichando sangue para todos os lados — Seu maldito! Isso é por tudo que você fez.— Mais um acerto e a cabeça do velhote curvou para trás e assim ficou — Por dez anos você fez o que bem entendia com minha família, e tive que aguentar tudo calado — A barra de ferro foi de encontro ao homem novamente, mas dessa vez fez com que a cabeça separasse do corpo, caindo ao chão como uma bola qualquer e indo de encontro ao canto da sala. — Eu finalmente pude me vingar e agora irei liberta-las dessa imundice. Queime no inferno, seu monstro! — soltou a barra encarando toda a tela vermelha que se encontrava naquele aposento, olhou mais uma vez o corpo desfigurado mas se recusou a beber um sangue tão imundo quanto aquele. Girou os pés rapidamente e foi de encontro aos aposentos de sua irmã e mãe, mas ao abrir a porta presenciou a pior cena de sua vida. Naquele quarto coberto por mofo e com pouca luz, acabou por encontrar as duas mulheres, elas tinham seus corpos pendurados com cordas em volta de seus pescoços e abaixo delas um pequeno papel. 
O mundo tinha acabado para Hwang nesse exato momento, as lágrimas insistiam em cair molhando todo o seu rosto. Pensou que poderia finalmente salvar sua família de toda aquela situação mas chegara tarde, e não podia fazer mais nada. Se permitiu chorar ainda mais e se engasgar com as próprias lágrimas, se aproximou dos pés das mulheres e procurou aconchego ali, mas apenas sentia o clima fúnebre e os pés gélidos. 
Tudo estava morto inclusive Hyunjin, a diferença é que ele teria que viver pela a eternidade roubando a vitalidade dos outros. 
Apanhou o papel do chão e encarou ainda com medo de ler o que estava lá, abriu lentamente e leu o que estava escrito. Sim, em partes iria cumprir o que sua família pediu, só não sabia até quando aguentaria, agora imortal poderia se vingar de todas as pessoas maldosas mas precisava ir com calma antes, sua mãe lhe pedira para ser um homem gentil, educado e acima de tudo não deixar que a raiva consumisse o seu coração, só assim teria uma vida longa e próspera. 
Hyunjin apenas suspirou e guardou o papel em um dos seus bolsos, retirou sua família daquele local e levou para um terreno próximo de onde moravam anos atrás. Com o coração partido, enterrou os corpos e fez uma prece aos céus, mesmo que sua alma já estivesse condenada ao diabo, pediu que tivessem piedade de sua família pois o sofrimento foi de fato muito forte, implorou também para que elas encontrassem paz no céu e que o acompanhassem em seus pensamentos, só assim não se sentiria tão só.
Terminando então o ato fúnebre, olhou pela última vez as covas e disse adeus ás pessoas que mais amou em toda sua vida, e partiu para um novo rumo, um novo futuro. 


~ Pov Passado off

Uma solitária lágrima escorreu pelo canto externo de seu olho direito, lembrar de sua família era uma tortura.
Lembrou do passado em que teve que viver sozinho por séculos, os poucos amigos que conseguia morreram com a velhice, mas Hwang continuou vivo devido a maldição, tudo morria ao seu redor menos ele. Se soubesse que se transformar em vampiro seria tão doloroso assim não teria aceitado tão facilmente a proposta.

Suspirou cabisbaixo e levou mais uma vez dois dedos para o dispositivo em sua orelha o desligando.

Olhou agora para o seu pulso checando as horas, havia marcado com seus irmãos uma caçada pela madrugada, disseram que chegariam em breve então deveria esperar no prédio em frente a casa noturna.

Seus pensamentos foram desviados quando olhou para o seu lado esquerdo e pode ver três rapazes com seus sobretudos longos e escuros, logo reconheceu os seus irmãos Yang Jeongin, Seo Changbin e Lee Minho.

Não nasceram da mesma mãe, mas compartilhavam o mesmo veneno em suas veias então se consideravam irmãos, o mesmo vampiro que transformara Hwang cuidou dos 4 rapazes por décadas até que em certo momento decidiu tomar um rumo diferente dos garotos e assim eles decidiram nunca se separarem e deram início as caçadas como forma de se divertirem e passarem o tempo.

Hyunjin se levantou batendo em suas calças retirando toda sujeira que estava por lá, caminhando lentamente para os rapazes que sorriam mínimo. — Finalmente chegaram! Já estava preocupado com a demora.

Fizemos uma pausa para um lanche. — Minho sorriu safado encarando os outros garotos — tinha um casal passeando na rua e decidimos brincar um pouco. Mas não se preocupe, eles ainda estão vivos. — o mais velho lhe deu uma piscadela tentando provar que estava tudo sobre controle.

Então Hwang, me diga. — Changbin se aproximou do mais alto colocando um dos seus braços em seus ombros — Está pronto para hoje? Quantos pretende matar? — O olhou sugestivo

Depende do meu humor, talvez umas 50 ou até 80. O que acham? — Olhou brincalhão para os rapazes e passou lentamente sua língua pelas suas presas tão afiadas como uma faca.

Eu acho que estamos demorando muito. Vamos logo com isso! Não aguento mais esperar — Jeongin terminou sua fala e saltou de cima do prédio de encontro ao chão, sendo seguido pelos outros garotos.

Caminharam até a casa noturna mas foram barrados na entrada, precisavam comprovar que tinham o chip, tal chip que só a classe mais privilegiada possuía, rapidamente Minho esticou uma de suas mãos cobertas por uma luva, o que era bastante estranho pois ele nunca as usava, o segurança então passou o sensor e em um passe de mágica conseguiram entrar.

Ainda sem entender, Hyunjin decidiu perguntar — Como conseguiu? Finalmente colocou o chip? — Minho apenas riu e puxou a mão que logo saiu debaixo de sua manga. — Você arrancou a mão de algum humano? Mas você não disse que tinha deixado aquele casal vivo? — Hyunjin o encarou extremamente encantado com tudo aquilo. Minho apenas riu da reação mais jovem e o encarou — Os deixei vivos, mas com alguns membros faltando. Nada que vá fazer falta. — sorriu brincalhão para o mais alto — Pelo menos me agradeça. Se não fosse por isso não entraríamos aqui. — Caminhou rapidamente e jogou a mão para perto de um dos bares, a culpa agora não seria mais dele e sim do Bartender.

Vocês falam muito — Jeongin brincou puxando os braços de Hyunjin e Changbin — Vamos logo com isso! Estou morrendo de sede.

Caminharam mais um pouco e conseguiram adentrar, o piso escuro contrastava com os painéis azuis e verde fluorescente, acima de suas cabeças existiam gaiolas magnéticas onde ciborgues faziam seus shows eróticos, mesmo dentro de uma casa noturna ainda se podia ver a divisão de castas. Na primeira área permaneciam os de classe mais alta e na segunda estavam as pessoas do governo, a mais alta classe e seria bem mais difícil entrar, mas os irmãos não desistiriam tão fácil.

O Yang encarou seu primeiro alvo, uma bela mulher, com seus cabelos curtos e platinados, vestia um vestido branco que possuía um decote nas costas terminando no final da coluna, uma visão tentadora para o jovem rapaz que não pensou duas vezes antes de se aproximar. Pediu uma bebida e decidiu conversar com ela.

Já do outro lado do salão, Minho e Changbin também procuravam suas presas. Avistaram dois casais, pareciam tão tristonhos mas os rapazes estavam dispostos em animar aquela situação.

Jeongin, Minho e Changbin levaram seus respectivos parceiros para uma sala reservada e lá começaram sua diversão. Os corpos se entrelaçavam com maestria, as gotículas de suor rolavam deliberadamente pelas peles, o calor que emanava naquele quarto era surreal, os gemidos e gritos insistiam em encher o local, as mãos brincavam sem vergonha alguma e passavam a conhecer cada parte do outro, era uma cena digna de um prêmio.

Observando que os humanos já estavam em puro êxtase apenas com as preliminares decidiram começar a brincadeira de verdade, Yang fez com que todos os encarassem os deixando hipnotizados e sem poder ter reação alguma, Minho aproveitando a oportunidade sugou um dos homens e não bebeu apenas o seu sangue como também sugou sua jovialidade, aos poucos os fios brancos apareciam até o humano ficar com uma aparência cadavérica, ao sentir que não poderia sugar mais nada além daquilo separou os lábios do pescoço e sorriu satisfeito.

Changbin se aproximou do outro casal e revezou as sucções entre os dois, Jeongin permanecia com a sua primeira parceira e Minho partia para a última mulher restante. Em questão de segundos um amontoado de corpos se fazia presente no meio da sala, e os belos vampiros os encaravam satisfeitos, ou quase. Sentiam que precisavam de mais.

Com as informações que adquiriram ao tomar o sangue dos burgueses decidiram que iriam chantagear mais outras 8 pessoas e assim continuariam a se alimentar.

Enquanto isso Hyunjin caminhava lentamente pelo salão, gostava sempre de estudar suas presas e não queria beber um mero sangue burguês, gostaria de beber o sangue de uma classe mais alta. Andou calmamente pelo corredor que dava a outra área, e encarou a porta logo a frente, era apenas um holograma mas para passar por ela precisava de um chip especial, chip esse que ainda não possuía.

Seus olhos foram de encontro a um rapaz franzino e com bochechas cheinhas, que caminhava para a porta com a intenção de sair dali, era o momento perfeito para Hyunjin se esconder e espera-lo sair.

Ao passar o punho pelo sensor, o rapaz atravessou a porta e foi para a sacada da casa noturna, Hwang o seguiu em silêncio torcendo para que ninguém o tivesse percebido, ao virar a direita encontrou o jovem encarando entediado os prédios.

Não está gostando da festa? — Hyunjin pronunciou se aproximando lentamente. O rapaz virou assustado e olhou para o mais alto — Calma, eu não mordo! Só se você quiser,é claro! — sorriu e piscou para o garoto que apenas desviou o olhar e sorriu de lado

Na verdade...— pigarreou limpando a garganta — eu não queria estar aqui. — suspirou — Detesto esse local, só estou aqui por que meu pai me obrigou. — O Hwang apenas o encarou e se aproximou aos poucos.

É realmente chato quando isso acontece, não é mesmo? — Olhou para o outro apreensivo — Agora me diga, qual o seu nome?

Eu me chamo, Jisung. Han Jisung — O olhou de lado — E você, como se chama?

Você pode me chamar de Jinnie — Se aproximou levando os dedos para o queixo do outro o fazendo lhe encarar — Mas fiquei preocupado com você. Detesto ver pessoas cabisbaixas, você quer que eu melhore sua madrugada? — Encurralou o mais jovem aproximando os quadris, fazendo as ereções friccionarem. Jisung nada respondeu, apenas juntou os lábios num beijo afoito, as línguas se enroscavam e o espaço entre eles era mínimo. Hyunjin ergueu os quadris estreitos de Han o colocando sentado sobre uma mesa próxima, desceu o beijo pelo pescoço e em míseros segundos rasgou a fina camisa que o mais novo usava, levou os lábios aos mamilos eriçados e rodeou a língua pelo local.

Tudo em Jisung era viciante e se sentiu embriagado e viciado com seu cheiro, subiu sua cabeça e encarou aquelas orbes novamente, agora marejadas e que repeliam todo o tesão que estava sentindo. O beijou novamente fazendo com que a saliva escorresse e manchasse as peças de ambos, mas não se importavam, queria apenas curtir o momento. Os quadris continuavam a se friccionar e podia sentir o membro explodir com tamanha tortura, levou os lábios novamente ao pescoço e ouviu um gemido manhoso, achou graça disso mas continuou a carícia. Levantou os olhos apenas para perguntar algo a Jisung — Você me deixa te morder aqui? — deslizou o dedo pela pele fina do pescoço sentindo os pelinhos se eriçarem, e fazendo o jovem jogar a cabeça para trás.

Sim! Eu sou todo seu — Agarrou os ombros do mais alto — Faça o que você quiser!

Com a afirmação de Han, Hyunjin sentiu-se um pouco fora de si e ainda mais excitado com tudo aquilo, lentamente desceu os lábios e deixou chupões pelo local, os gemidos estavam cada vez mais altos e aproveitando a situação Hwang decidiu começar o que tanto ansiava. Liberou as presas e perfurou a pele, torturando ao máximo o mais jovem que implorava por mais atenção. Encontrou rapidamente a veia, o líquido tão saboroso se espalhou pela língua de Hyunjin indo de encontro a garganta. Se sentia revitalizado e absurdamente satisfeito, só o toque do rapaz o tirava dos eixos e seu sangue era o fim de tudo. Sentia que poderia explodir a qualquer momento.

Han estava tão excitado e levado pelo desejo que nem percebera o que estava de fato acontecendo, mesmo sentindo dor continuou implorando para que Hyunjin o morrdesse mais e mais, o mais alto apertava a cintura fina deixando as marcas de seus dedos na pele bronzeada, aproximou ainda mais o corpo e bebeu mais daquele sangue.

Até que foram interrompidos por uma voz masculina. — Jisung! O que você está fazendo? — O rapaz loiro encarava o rapaz assustado.

Jisung ainda enebriado o encarou e só depois de alguns segundos conseguiu ter algumas reação, afastando rapidamente o rosto de Hyunjin e encarando o mais velho. — C-Chan... O que você está fazendo aqui? Meu pai me chamou? — perguntou atropelando as palavras

Não chamou, apenas fiquei preocupado com seu sumiço — suspirou — E o que aconteceu com você? Sua camisa está rasgada e o que é... — Encarou assustado para o pescoço do outro — Jisung o que é isso no seu pescoço? — Se aproximou desesperado tentando estancar o sangue. Olhou raivoso para Hyunjin e o puxou pela camisa encarando sua face repleta de sangue, mas antes que pudesse falar qualquer coisa pode ouvir os gritos do outro salão.

AS PRAGAS ESTÃO AQUI! CORRAM! SE SALVEM! — Ao terminar essas frases três outros jovens, muito familiares por Hwang, apareceram correndo em direção a sacada sendo seguidos por diversas pessoas e seguranças com suas armas de plasma, Minho rapidamente puxou Hyunjin pelo braço e saltou junto com os outros três pela sacada, ao chegarem no chão correram o mais rápido que puderam e se esconderam em um beco bem distante de onde estavam.

Menos preocupados agora decidiram sentar e processar tudo o que tinha acontecido. O silêncio se instaurou, apenas se ouvia o barulho da chuva e as respirações aceleradas até que Hyunjin decidiu perguntar— Por que fugiram? Poderiam muito bem ter matado todos. Somos imortais, esqueceram? — os encarou extremamente chateado

Na verdade só estavamos cansados daqueles medíocres, queríamos um pouquinho de diversão. Faz um bom tempo que não nos divertiamos assim, não é? — Changbin socou o braço do mais alto e riu sendo acompanhado pelos outros.

Vocês são um empata foda, isso sim! — suspirou raiovoso.

Nós não temos culpa se você é lento, Jinnie! — Jeongin falou com ironia — Enquanto você tomava sangue de apenas um humano, nós pegamos uns 30 e aproveitamos muito bem. — Sorriu safado lembrando do que ocorrerá minutos atrás.

Essa noite ficará para a história. Estou ansioso para visitar os burgueses novamente, descobri tantos podres deles. — Minho sorriu brincalhão — E você Hyunjin, conseguiu descobrir algo?

Acho que sim — olhou para frente encarando a parede — Conheci um garoto, ele pertence ao governo, então aproveitei para hipnotizá-lo como podia. Tentarei voltar outro dia e descobrir mais coisas, mas por hora acho que consigo resolver algumas questões — Riu nasalmente — Para quando marcaremos nossa próxima caçada? — Encarou Jeongin

Que tal próxima semana? — o encarou sugestivo. Hwang devolveu o olhar e respondeu — Maravilha!

Jisung, você será um ótimo facilitador para todos nós.

Apenas me aguarde! 

Notas Finais


O que acharam?
Me contem nos comentários


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...