1. Spirit Fanfics >
  2. The Boss - Imagine Oh Sehun >
  3. Uma única vez

História The Boss - Imagine Oh Sehun - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Vortei hehehe Desculpa a demora

Boa Leitura :3

Capítulo 10 - Uma única vez


S/n On: 

Ao as portas se fecharem me escorei na parede colocando a mão no peito ao sentir meu coração acelerado junto da minha respiração e a tesão ainda percorrer por todo o meu corpo, ainda não acreditando no que tinha feito. Mas ele estava tão perto que eu não consegui resistir dessa vez, só que como eu vou agir perto dele agora? 

Passo uma mão sobre meu cabelo tentando esquecer o que havia acontecido, vendo a porta se abrir no andar desejado, saindo e caminhando apressadamente até o banheiro. Chego perto da pia e me apoio ali, respirando fundo e olhando pro espelho.

-Calma, tá tudo bem. Não vai acontecer nada. É só continuar fazendo o que sempre faz e vai ficar tudo bem. - repito pra mim mesma em voz baixa algumas vezes conseguindo me acalmar um pouco. 

Saio dali e voltei a minha mesa meio receosa, vendo Jun-myeon vir até mim. 

-O que aconteceu lá em cima hein? 

-P-por que? Ele já está aí?! - minha voz sai um pouco estridente por causa do nervosismo encarando a porta.

-Sim, ele acabou de entrar na sala. E na minha opinião ele estava meio agitado. - comprimo os lábios desviando o olhar - Tá, o que você fez?

-Eu beijei ele… - falei baixo e o vejo arregalar os olhos minimamente

-O que?! Beijou ele?! - aumenta um pouco a voz e alguns olhares caem sobre nós, me fazendo encolher um pouco e o puxar pra um canto.

-Não precisava anunciar pra empresa toda! 

-Como se eles soubessem que eu estou falando do todo poderoso Oh Sehun, poderia ser qualquer pessoa. - retruca e reviro os olhos. 

-Ta! Mas por que a surpresa? Sabia que isso ia acontecer cedo ou mais tarde. 

-Porém eu não sabia que era você que ia tomar a iniciativa, S/n!  - disse enfatizando o você enquanto apontava seu dedo indicador para mim e bufei um pouco irritada. - Sabe que ele é o chefe e só quer usar você em benefício próprio, além de estar querendo te fazer pedir demissão pra ganhar aquele acordo que fizeram. 

-Olha, aconteceu, e estivesse em meu lugar aposto que faria o mesmo depois de ele dar em cima de você por quase uma semana inteira. - cruzo os braços o encarando com uma sobrancelha arqueada. 

-Ta, ta. Eu sei que não é fácil, mas o que vai fazer se vocês transarem? Sei que está bem ciente de que tipo de homem ele é. Ele vai te machucar e vai destruir sua carreira, S/n. Não vai ganhar nada com isso. - suspiro e concordo. 

-Eu sei… Não vou deixar isso acontecer. Você me conhece, sabe que eu não sou vencida facilmente. - sorrio de canto, mesmo estando um pouco abalada por dentro. 

-Assim que se fala. - sorriu - Agora volte lá antes que ele saia dali berrando.

Somente concordei com a cabeça e me afastei dele indo em direção a sala de Sehun. Olha, eu sei que não devia ter beijado ele. De verdade, sei ele não desistiu daquele acordo bobo que fizemos. Sei que está tentando me levar pra cama pra que eu me demita, quer sair ganhando das duas formas. Mas eu não controlo o que sinto. Mesmo sabendo de tudo isso, eu me deixei conhecê-lo melhor e ele mesmo facilitou isso pra mim. 

Por mais que esteja aqui faz quase duas semanas posso afirmar que sou a pessoa que o conhece melhor do que todos nesse prédio, e odeio admitir que estou me permitindo criar sentimentos por essa parte dessa personalidade que ele esconde de tudo e a todos, até mesmo da parte séria e assustadora que ele usa como máscara. Ainda não faço ideia do porquê ele ter contado sobre seu passado, pois o que ele disse não é algo que se diga a uma mulher com quem ele está simplesmente tentando transar e descartar depois. 

Parei a alguns centímetros da porta e respirei fundo mais uma vez, colocando minha mão sobre a maçaneta e a girando, abrindo a porta e a fechando ao ter entrado. Me viro alguns segundos depois tentando não ficar envergonhada e muito menos corada, o que funcionou até eu olhar pra ele. O qual se encontrava sentado com um dos tornozelos apoiado em seu joelho no enorme sofá branco em formato de L me encarando fixamente enquanto apoiava a mandíbula em sua mão direita, a qual repousava no encosto um tanto baixo do móvel. 

Fico parada que nem uma estátua com as mãos juntas à frente do corpo, engolindo em seco tentando ao máximo não olhar em seus olhos e não ousando pronunciar nenhuma palavra. 

-Tem ideia do que fez, senhorita? - sua voz sai um pouco mais grave do que o normal, me causando um certo arrepio na espinha. 

-S-sim, senhor. E peço perdão por isso. - baixo a cabeça. 

-Olhe pra mim enquanto falo com você! - diz e de imediato levantei a cabeça, olhando nos seus olhos por mais difícil que fosse. - Um simples pedido de desculpa não vai funcionar, você me deixou duro e saiu como se não fosse nada. - o vejo se levantar e ir até a porta, a trancando e voltando a me olhar enquanto se aproximava de mim. - Não vai escapar dessa vez, S/n. 

-O que v-vai fazer? - minha voz vacila e me repreendo por isso ao vê-lo abrir um sorriso repleto de malícia. - E-estamos em um escritório, Sehun. Não é um bom lugar pra fazer isso, n-não? - sorri nervosamente dando alguns passos para trás, sentindo minha pulsação acelerar outra vez. 

-Como se isso fosse me impedir de fazer o que eu quero. - agarra minha cintura e me coloca sentada sobre a mesa ficando entre minhas pernas, derrubando todas as pastas e papéis que tinham ali. - Não é justo o que fez comigo, vai pagar caro. - sinto sua mão apertar minha coxa com um pouco de força e acabo por deixar um gemido escapar.

-O que não é justo é ter você quase o dia todo me provocando e não poder fazer coisa alguma contra isso, o que eu fiz não é nada. - digo rente aos seus lábios afastando meu rosto ao tempo de ver um sorriso ladino em seus lábios. 

-Está cansada de saber os meus motivos, querida. - pressiona mais meu corpo no seu, fazendo-me inclinar um pouco pra trás. - Eu te quero, e muito. Você me deixa louco a cada dia que passa e não posso fazer nada porque não deixa, o que faço com você só nos deixa kits até que se entregue de uma vez.

-Acha que eu esqueci o acordo que fizemos? Se eu me entregar simplesmente vai me descartar como lixo depois.

-Eu lhe disse que eu não ligo mais pra essa coisa idiota… - fala baixo se aproximando do meu pescoço, onde começou a deixar beijos lentos e molhados, os quais me fizeram pender a cabeça pro lado e soltar baixos arfares. 

-É orgulhoso demais pra fazer isso, Sehun… - murmurei colocando minhas mãos sobre seus ombros, tentando afastá-lo, mas dificultava quando você queria que ele continuasse. - Se eu deixar eu perco meu emprego.

-Eu prometo não te demitir, então por favor… - me olha nos olhos, tocando o meu rosto - Uma única vez…  Me deixe te fazer minha.

Droga… Por que ele tem que ser tão persistente? Eu disse inúmeras vezes pra mim mesma que não me entregaria, mas ele faz questão de deixar que eu cumpra isso cada vez mais complicado. Eu não vou conseguir negar, não agora. Estou cometendo um erro, sei que estou, mas só dessa vez eu vou confiar nele e que se dane o resto. Preciso fazer isso. Lido com as consequências depois.  

-Tudo bem. - falo num tom baixo - Uma única vez eu me permito ser sua.   

-Era somente isso que eu precisava ouvir. - sorriu sem mostrar os dentes e se aproximou lentamente, juntando nossos lábios em um beijo lento e quente, jurando sentir um sentimento muito além de somente excitação e desejo. 


Notas Finais


Por hj é só gente, espero que tenham gostado hehehe

Até a próxima e Bye Bye (。・ω・。)ノ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...