1. Spirit Fanfics >
  2. The Boss - Two-shots - Mark Lee (NCT) >
  3. Hora extra

História The Boss - Two-shots - Mark Lee (NCT) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, olá! Como estão???

Trago o repost de The Boss! O segundo - e último- capítulo será publicado às 23 horas!

• Inspirada em "Boss" do NCTU e os trechos destacados foram tirados da letra da música.

Capítulo 1 - Hora extra


Fanfic / Fanfiction The Boss - Two-shots - Mark Lee (NCT) - Capítulo 1 - Hora extra

 

- Secretária S/s, na minha sala. - Senhor Lee passa pela minha mesa, sério como sempre.- Agora. - Seu tom de voz é calmo, mas firme. Nada novo sobre o sol.

Sora me encara de sua mesa, que fica ao lado da minha, e me deseja sorte apenas com o olhar.

Apesar de seu tom e suas feições nunca mudarem, sabemos qual é o humor do Senhor Lee só pela sua respiração e modo de pisar. Parece estranho? Parece, mas é a única forma de detectar ao menos uma parcela do que se passa em sua cabeça.

Passo a mão pelo vestido branco longuete de alcinhas que uso, respiro fundo e vou em direção às duas portas imensas que dão acesso à sala do nosso tão querido CEO. Duas batidas na porta são o suficiente para ouvir sua voz permitindo a minha entrada.

Após adentrar o escritório imenso, fecho a porta atrás de mim e me aproximo de sua mesa. Senhor Lee está sentado em sua cadeira do outro lado da mesa, mexendo em alguns papéis.

Seus cabelos pretos estão divididos na lateral, presos de um lado por uma fina camada de gel. Ele usa um terno azul royal e enquanto trabalha e fica pensativo, trava o maxilar, o deixando ainda mais sexy do que já é. Talvez ser sério assim faça parte do seu charme... Fico mais uns segundos o analisando, até quebrar o silêncio do ambiente.

- Me chamou, vice-presidente? - Pergunto educadamente.

- Isso é óbvio, secretária S/s. - Seco como sempre e ainda focado em seus papéis.- Preciso que faça hora extra hoje. - Finalmente me encara e busco ao máximo não transparecer o ódio que sinto.

- Ontem perguntei e o senhor garantiu que eu estaria livre. Tenho um compromisso, senhor. - Falo calmamente.

- Desmarque. - Diz tão somente.

- Me desculpe, mas o senhor não pode fazer isso. Eu deveria ter sido informada. - Argumento.

- A senhorita trabalha conosco há... - Ele dá leves batidinhas em seu queixo com o indicador.- Uns sete meses? - Me encara e concordo.- Seu trabalho é muito bom, senhorita, mas sua presença não é indispensável. Hora extra, sem mas. - Ele volta sua atenção para seu computador e fico plantada, sentindo meu sangue borbulhar.

- Com licença. - Digo por fim, girando os calcanhares e saindo da sala em passos largos.- Esse desgraçado... - Resmungo, me sentando de frente para minha mesa mais uma vez.

- O que houve? - Sora se arrasta em sua cadeira de rodinhas, parando ao meu lado.

- Não vou poder ir ao encontro duplo com vocês hoje. - Anuncio e ela bufa.

- De novo?! - Pergunta irritada e afirmo.- Quantos encontros vai dispensar por causa desse cara? Não vê que está sendo escravizada? Vai acabar solteira para sempre!

- Acha que não sei disso?! - Bufo e fico de pé em um pulo, andando rápido até o banheiro. Se não me acalmar, vou acabar matando alguém usando meu salto alto.

 

23:00 - Sexta-feira

Sim. Estou em plena sexta-feira à noite revisando um discurso idiota, para meu chefe idiota. O cara ainda está em seu escritório e sei que isso é normal, já que parece não ter vida social. Mas parece que ele pensa que também não tenho, caceta!

Finalmente termino tudo, pego os papéis e caminho até sua sala mais uma vez. Bato na porta e não espero por sua resposta antes de entrar.

Senhor Lee está sentado na mesma posição de hoje cedo, mas sem seu paletó, usando apenas sua blusa social branca, evidenciando seu peitoral, por conta de um botão aberto que costuma estar fechado.

- Terminei o que me pediu, vice-presidente. - Anuncio e entrego os papéis para ele.

Senhor Lee passa os olhos pelas linhas impressas na folha branca e assente por fim.

- Agora preciso que envie uma cópia para o meu e-mail, que analise os documentos da fusão e faça a planilha que comentei mais cedo. - Ordena, já olhando para seu computador.

- Mas senhor, já passam as onze e meia da noite. - O encaro com os olhos esbugalhados, na esperança de tudo não passar de uma pegadinha.

- Sabe o que é isso, senhorita S/s? - Ele aponta para seu relógio de pulso.- Sei exatamente que horas são. Dito isso, já pode fazer seu trabalho.

Fecho os olhos e deixo o ar entrar e sair dos meus pulmões. Nesse momento, as frases que passam pela minha mente são:

 

"Não vê que está sendo escravizada?"

"Quantos encontros vai dispensar por causa desse cara?" 

"Vai acabar solteira para sempre!"

 

Não é o fato de não namorar que me incomoda, apesar de eu sentir falta de ser tocada e de tocar alguém, mas sim os encontros de família, os feriados e viagens para a Disney que perdi por causa desse emprego miserável. Eu ganho bem, mas não o bastante para compensar a dor de ver minha vida passando diante dos meus olhos e não fazer nada a respeito.

- Não... - Falo baixinho, encarando meus pés.

- O que disse? - Senhor Lee finalmente me dá um pouco da sua atenção e me olha.

- Não! - Falo em alto e bom som, o encarando com sangue nos olhos.

- Espero que saiba o que isso significa, secretária S/s... - Senhor Lee fica de pé e anda lentamente até ficarmos frente a frente.- Posso te demitir por justa causa. Insubordinação.

- Eu sei. - Garanto, encarando seus olhos negros a poucos centímetros de distância.

- Não gosto quando não me obedece, senhorita S/s. - Ele gruda nossos corpos e aperta minha bunda com força.

Sou pega totalmente desprevenida com tal ato. Sempre tive um precipício pelo meu chefe, mas ele nunca demonstrou nem um pingo de interesse.

- O-o que está fazendo? - Gaguejo.

- Estou matando a vontade que me assombrou por todos esses meses. - Ele morde o lábio inferior, encarando meus lábios com desejo.

 

 

Não posso mais aguentar

Woo eu vou quebrar

Woo eu vou quebrar, quebrar

 

 

Abro minha boca para falar algo, mas sou interrompida por seus lábios grudados aos meus. Abro a boca lentamente e Senhor Lee aprofunda nosso beijo, fazendo nossas línguas se enlaçarem e seu gosto de menta invadir meus sentidos.

Ele aperta minha bunda com mais força, para me lembrar que sua mão nunca saiu de lá, enquanto segura minha nuca com a outra mão. Senhor Lee arrasta sua mão lentamente pelo meu ventre, até chegar no meio das minhas pernas, onde o empurro com força.

 

O que quer que eu toque

Eu pego

O momento que você sente o calor do meu corpo

Você vai se apaixonar por mim yeah

 

 

- Meu Deus! Mas que merda... - Cubro a boca com as duas mãos, completamente espantada.- Desculpe, senhor Lee. - Me curvo, ainda espantada.- Não sei o que deu em mim. Que porra! - Grito e me curvo mais uma vez.- Me desculpe de novo! Eu não deveria xingar.

- Sabe, S/n... - Ele me chama pelo primeiro nome pela primeira vez e caminha lentamente até a porta de seu escritório.- Quando te ouvi falando com Sora no bebedouro sobre um tal encontro, não pude me conter em te manter aqui. - Ele tranca a porta, mas mantem a chave na fechadura.

- Não acredito que fez isso! - Falo boquiaberta.- Então todas as vezes... - A ficha cai. Todos os meus encontros perdidos...

- É claro que as vezes tinham tarefas que não podiam esperar, mas não conseguia me conter. - Admite, caminhando na minha direção.

- Você é louco! - Balanço a cabeça em negação.

- Não finja que não sente o mesmo, S/n. - Ele dá um sorriso ladino, cheio de malícia.- Eu disse que não me lembrava daquela noite no bar, mas me lembro muito bem.

- E-eu não sei do que está falando. - Minto.

Sei exatamente do que ele está falando.

 

 


Notas Finais


Do que eles estão falando?!

Cenas do próximo capítulo! Akkakakakaka

grande BEIJO e nos vemos por aí!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...