1. Spirit Fanfics >
  2. The Boss - Two-shots - Mark Lee (NCT) >
  3. Eu mando aqui

História The Boss - Two-shots - Mark Lee (NCT) - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Olhem quem voltou! Estavam ansiosxs?????

Se preparem, caso ainda não tenham feito isso, rs.

⚠️ Alerta de HOT ⚠️

Capítulo 2 - Eu mando aqui


Fanfic / Fanfiction The Boss - Two-shots - Mark Lee (NCT) - Capítulo 2 - Eu mando aqui

 

- E-eu não sei do que está falando. - Minto e ouço a risada do Senhor Lee ecoar pelo escritório vazio.

- Não se faça de desentendida, S/n. - Mais uma vez meu primeiro nome foi proferido por sua boca, fazendo meus pelos arrepiarem por inteiro.- Faça o mínimo de esforço e conseguirá se lembrar.

 

Seis meses atrás...

- Vice-presidente Lee marcou presença no nosso happy hour de hoje à noite. - Sora comenta em sussurros.

- O QUE?! - Não consigo conter o grito e todos do escritório se voltam para mim.- Desculpem... - Faço uma reverência e me volto para Sora novamente.- O que?! - Sussurro.

- Sim. É a primeira vez que isso acontece. - Comenta a loira.- Mas você tem que cortar esse mal pela raiz! Ele é seu chefe! Não pode gostar dele.

- Eu não gosto dele...

- Não negue, S/n! - Ela arqueia a sobrancelha.- Você está sempre tentando flertar com ele. O cara é uma pedra! Esquece isso. Conselho de amiga. - Toca meu ombro e então arrasta sua cadeira de volta para sua mesa, começando a digitar em seguida.

Naquela mesma noite, após cinco doses de tequila...

- Vou dançar com o SiCheng, aquele gato da advocacia. - Sora anuncia, já se levantando e sendo puxada pelo moreno, me deixando sozinha, sentada em frente ao bar.

- Mais uma! - Peço para o barman, que assente.

- Não acha que já estrapolou, secretária S/s? - O doce som da sua voz entra pelos meus ouvidos, me fazendo virar e encontrá-lo sentado no lugar onde antes estava Sora.

- Não, Mark Lee. - Seus olhos de esbugalham.- Sim. Te chamei pelo primeiro nome. Não estamos no trabalho, fofo. Não sou secretária de ninguém. - Rolo os olhos e entorno o líquido que estava em meu copo.

- Acho melhor eu te levar para casa. - Disse o americano, já ficando de pé.

- Para a sua casa? - Arqueio uma sobrancelha e ele se espanta.- Deixa pra lá. - Bufo.- Você é de pedra. Não adianta perder meu tempo dando em cima de você. Fui! 

Ando pela pista de dança, escutando ele me chamar diversas vezes e ignorando todas elas. Um cara alto, forte, bronzeado e com um sorriso largo maravilhoso aparece em meu campo de visão.

- Sou S/n. - O viro pelo ombro, podendo assim enxergar Mark um pouco mais afastado, me encarando com sangue nos olhos.

- Sou Lucas. - Ele mostra seu sorriso mais uma vez. Umideço os lábios, mordendo em seguida.

- Está afim? - O encaro sugestivamente.

- Claro! - Dito isso, o puxo pela nuca para um beijo intenso, que é prontamente correspondido.

O gosto de álcool se faz presente e rapidamente já estou em êxtase. Lucas suga meu lóbulo e beija meu pescoço, faço questão de encarar Mark, que continua em pé, balançando a cabeça em reprovação. Mordo o lábio inferior, ainda o encarando, com Lucas sugando a pele sensível do meu pescoço. 

- Quer ir para um lugar mais calmo? - Lucas me olha de cima a baixo, mordendo o lábio.

- Amanhã tenho que trabalhar, gato. - Digo e ele faz biquinho. Me aproximo e sugo seu lábio inchado.- Um dia a gente se esbarra. - Dou uma piscadela e saio andando.

Percebo que Mark não está mais no lugar de antes e nem em lugar algum. Decido não ficar procurando por ele, mas sim encher a cara mais ainda, até esquecer quem eu sou e que acabei de me declarar para o meu chefe.

 

No dia seguinte...

Sentada em frente à minha mesa, levando uma caneca de café à boca é como me encontro. Completamente arrependida pela noite anterior e com uma ressaca dos infernos. Estou usando óculos escuros, porque a claridade do ambiente está me matando.

- Secretária S/s, na minha sala. - Senhor Lee passa por nós, como todas as manhãs.

- Ele parece irritado. - Sora se aproxima e comenta.- Boa sorte. 

Envergonhada e apavorada, tiro os óculos, ajeito a postura e caminho até a sua sala.

- Quero essas planilhas prontas até o fim do expediente. - Ordena, sem nem ao menos me olhar nos olhos. Típico.

- Certo. - Coço a garganta.- Hm... Vice-presidente Lee?

- Sim, secretária S/s? - Finalmente me encara, com uma sobrancelha arqueada.

- Sobre ontem... - Começo, mas ele sinaliza para que eu pare.

- Não me recordo de nenhum acontecimento. - Garante.- Estava alterado pelo efeito do álcool. Se era apenas isso, já pode fazer seu trabalho.

- Sim, Vice-presente. - Faço uma breve reverência e me retiro, agradecendo aos céus.

 

Hoje em dia...

- Pela sua cara, acho que lembrou. - Mark interrompe meus devaneios.

- Sinto muito pelo que houve... - Faço uma reverência e me assusto quando Mark, digo, Vice-presidente Lee gruda nossos corpos, me empurrando contra sua mesa.

- Ah, S/n... - Fala com o rosto próximo ao meu.- Não sabe que tortura foi te ver com aquele cara enquanto me olhava.

Sua atenção se volta para sua mão, que sobe pelo meu corpo, apalpando meu seio, ainda coberto pelo tecido grosso do vestido.

- Vai pagar por ter sido má. - Garante com um sorriso nos lábios.

O pouco juízo que me restava some e por isso, só por isso, respondo:

- Me castiga. 

 

 

Eu sou o seu chefe absoluto, você quer (eu gosto disso)

Se você me quer, me tenha, é escolha sua (eu gosto disso)

 

 

Seus olhos passam a brilhar e sem pensar duas vezes ele começa e me beijar com intensidade. Me deixo levar pelo seu toque. Mark beija meu pescoço, me arrepiando por inteiro. Ele deixa um chupão na área sensível, me fazendo gemer baixinho. 

Mark passa sua mão pela minha bunda com força, subindo até as minhas costas, onde puxa meu cabelo com força, fazendo minha cabeça pender para trás. Ele se aproxima do meu ouvido e sua respiração quente me faz arrepiar mais uma vez.

- Quero te ouvir gritar meu nome. - Sussurra próximo no meu ouvido, sugando meu lóbulo em seguida.

- Sim, Vice-presidente Lee... - O provoco.

- S/n... - Ele ri de modo sádico.- Se eu fosse você pararia com essa provocação. - Diz, ainda segurando meus cabelos com força.

- Com o que, Vice-presidente Lee? - Exponho um sorriso sonso e Mark me vira bruscamente, abrindo o zíper do meu vestido até o fim.

Após se livrar daquele tecido grosso, Mark literalmente rasga minha calcinha e joga em um canto qualquer da sala.

- Está louco?! - O encaro com os olhos esbugalhados.

- Você não quis me provocar? - Ele ri fraco e então me olha sério.- Agora vai ter que aguentar.

Dito isso ele joga as coisas que estavam sob a mesa ao chão, me empurra sob a mesma, e ainda de pé abre sua camisa social com um puxão, fazendo os botões quicarem pelo chão, fazendo uma sinfonia ecoar pelo ambiente silencioso.

Sem aviso, ele se põe entre minhas pernas e lambe minha intimidade do início ao fim, sem deixar nada de fora. Um gemido contido me escapa quando prende meu clitóris entre seus dentes. Mark enfia dois dedos em minha intimidade e continua estimulando meu clitóris com a língua. Me estoca com intensidade, enfiando até onde os dedos alcançam, enquanto suga meu pontinho de prazer com vontade.

- Ah... Mark... - Em meio a gemidos, seu nome é preferido por mim. Não consegui conter...

- Agora sim. - Mark se levanta com um sorriso vitorioso nos lábios.- Mas já era. - Arqueia uma sobrancelha.- Vai se arrepender. 

Ele tira as calças e a cueca junto, deixando seu membro totalmente exposto, que é devorado por meus olhos. Sua glande vermelhinha coberta por pré-gozo me faz salivar, mas assim que faço menção em me levantar daquela mesa, Mark me empurra de volta.

- Nem pense nisso. - Sorri ladino. Passo a gemer manhosa, mas ele apenas ri de meu desespero.- Eu que mando aqui, Secretária S/s. Parece que está esquecida...

 

 

Você não sabe que eu sou um

Chefe que te lidera?

Você não sabe que eu sou um

Jogador que te move?

 

 

Mark se posiciona sobre mim, apoiado por seu cotovelo ao lado da minha cabeça. Ele tira as alças do meu sutiã e o abaixa, até deixar meus peitos completamente nus. Não perde tempo em lamber meu biquinho, enquanto pincela seu membro em minha intimidade.

- M-mark... - Solto quando suga todo o meu seio e me penetra de uma só vez.

- É assim que eu gosto. - Diz me encarando perverso, enquanto dá estocadas fortes, lentas e precisas.- Geme mais, amor... Ah... Tão quente e apertada. Exatamente como eu havia imaginado.

Ele aumenta o ritmo, encarando nossos sexos se chocando, enquanto morde o lábio inferior. Mark aperta meu seio que pula, de acordo com a velocidade de suas estocadas. A essa altura já estou gritando seu nome o mais alto que consigo e arranhando suas costas com força, do início ao fim.

- Desce. - Ordena assim que sai de cima de mim. 

Obedeço e ele me curva. Seguro forte na mesa e me empino o máximo que consigo. Estão tão molhada que não me surpreende sentir um pouco escorrer pelas pernas. Sou pega de surpresa por seu membro me preenchendo mais uma vez e um tapa forte é depositado em minha bunda, fazendo seu estalo ecoar pelo ambiente. Mark solta um gemido alto quando entra até o fim.

- Porra... - Solta entre dentes.

Mark puxa meu cabelo e me estoca com velocidade e força. Ele me puxa até que minhas costas encostem em seu peitoral sarado.

- Eu sou seu chefe! Você deve fazer o que eu mando, entendido?! - Fala perto do meu ouvido. Concordo com a cabeça, porque de meus lábios só saem gemidos enquanto ele ainda me penetra com força.

- Mark... Ah! - Grito sentindo minhas paredes se contrairem.

- Aah! Isso! - Ele grita, indo ainda mais rápido.- Tão apertada...

Chegamos ao ápice juntos e ficamos os dois, parados, apenas buscando normalizar a respiração.

Estava prestes a me vestir, quando sua risada sádica ecoa novamente.

- Nem pense nisso. - Diz com a voz rouca.- Ainda não te dispensei, Secretária S/s. 

Caminha até o chão, onde a gravata, que antes estava sobre a mesa, se encontra no chão. Vem ao meu encontro e cobre minha visão, mas me puxa pela mão até que eu sinta o sofá de couro que ali fica bater em meus joelhos.

- Quero te ver bem empinadinha. Me mata de tesão ver sua bocetinha toda encharcada assim. - Mais uma vez me curva, fazendo com que meu rosto fosse de encontro com o couro gelado.

 

Mova-se do jeito que eu te liderar

Estenda sua mão ainda mais alto

Eu estou amarrando juntos um diferente você e eu

Amarrados mais uma vez, é um nós diferente, nós diferente

 

 

- Ahn... - Gemia manhosa, sentindo a ponta de seus dedos deslizarem pela minha intimidade já tão sensível.

- Não sou tão malvado quanto dizem, S/n. - Dizia baixinho.- Te privei de todos aqueles encontros, mas quando eu acabar com você, vai perceber que foi a melhor coisa que já te aconteceu.

Dito isso, sinto sua língua passar pelo meu cuzinho. Um gemido arrastado sai de meus lábios pelo contato tão inesperado.

- Já sentiu algo aqui? - Pergunta e ri após me ouvir negar.- Vamos tentar e você me diz se gosta, ok? 

- Ok. - Respondo e sinto sua língua ali novamente.

Mark passa o dedo pela minha boceta encharcada e então enfia apenas o indicador em meu ânus, me fazendo arquear as costas.

- Mark... - Dizia baixinho, enquanto ele botava e tirava o dedo.

- Está bom? 

- Muito... 

- E assim? - Pergunta, me penetrando mais uma vez com seu membro grosso e pulsante.

- Ah! Porra, Mark. - Dizia entre gemidos.

- Que boquinha suja, secretária S/s. Veremos o que mais vai sair dela. - Falou divertido, passando a mover seu pau e seu dedo ao mesmo tempo.

Jamais havia sentido nada assim. Tudo era muito surpreendente, já que não podia ver seus passos. Além do jeito como me fodia, forte e rápido. Nossos gemidos eram altos, mas não ligavamos. 

- Ah... Mark... Que pau gostoso! - Gritei, já sentindo meu orgasmo próximo.

- Isso! Me aperta mais! Aperta meu pau, S/n! - Gritava ainda mais alto, enquanto meu ventre se contraia.

Minhas unhas cravaram no couro grosso daquele sofá, meus dedos dos pés fincaram no granito gelado e não conseguia controlar os espasmos que me atingiam. Mark estava na mesma situação, arranhando minhas costas com as unhas curtas e gemendo coisas desconexas, em todas as línguas que conhecia. Dessa maneira atingimos nosso ápice mais uma vez.

Fico daquela mesma posição por alguns minutos, tentando me controlar novamente. Quanfo finalmente me movo e tiro a venda improvisada, consigo ver a bela cena de Mark Lee completamente nu, escostado em sua mesa, tão bagunçado quanto eu. Seu corpo maravilhosamente esculpido está suado e os cabelos despenteados. Ele não podia estar mais perfeito.

Por fim cato minhas roupas e as visto, menos a calcinha, até porque, está em frangalhos. A pego do chão e chego perto de Mark, que está com suas calças, mas com a blusa aberta, por conta da perda dos botões. 

- Pode fechar pra mim? - Fico de costas para ele, que coloca meus cabelos para o lado e enquanto puxa o zíper, deixa um selar molhado na minha nuca.

- Segunda-feira teremos uns documentos para revisar. Terá que fazer hora extra. - Me encara com um sorriso perverso, que retribuo.

- Certo. - Sorrio e quando estou prestes a sair da sala, sua voz me interrompe.

- Secretaria S/s? - Me volto para ele, que caminha na minha direção e puxa a calcinha rasgada da minha mão.- Eu cuido disso. - Dá uma piscadela e o vejo guardando pedaço de tecido no bolso da calça social.

 

 

Chefe que te lidera?

Você não sabe que eu sou um

Jogador que te move?

Você não sabe que eu sou um

Chefe que te lidera?

Você não sabe que eu sou um

Você não sabe que eu sou um

Você não sabe que eu sou um

 

 

 


Notas Finais


EITA ATRÁS DE EITA!

Espero que vocês tenham gostado, lindxs! Mais ones no meu perfil @Truthearts

Não se esqueçam de dar muito amor pro Markinhos. Ele merece o mundo todinho, pena que não posso dar. Snif, snif...

Um grande BEIJO e nos vemos por aí!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...