1. Spirit Fanfics >
  2. The Boy - Jinson >
  3. Não deixe ele escapar.

História The Boy - Jinson - Capítulo 28


Escrita por:


Capítulo 28 - Não deixe ele escapar.


Fanfic / Fanfiction The Boy - Jinson - Capítulo 28 - Não deixe ele escapar.

 

A delegada Jenny se encontrava em um bar, no balcão principal ela tomava um drink enquanto divagava sobre as coisas que estava passando. Depois que havia libertado o garoto, seu sono nunca fora o mesmo. Ela era perturbada com pesadelos todas as noites, pesadelos esses que envolviam aquele menino asiático de olhos azuis. 
 

Tão distraída em seus próprios pensamentos, não percebeu a presença de um homem que se sentou ao seu lado, o mesmo olhou para seu graxa.
 

—Hongwan, uh? —  Falou, se referindo a penitenciária na qual a mesma trabalha.
 

Jennifer olhou para o homem que já devia ter seus cinquenta anos, cabelos em uma espécie de cinza devido os diversos fios grisalhos, ele trajava um terno formal. A ruiva revirou os olhos, iria se retirar, achando que fosse mais um homem sem noção que queria dar em cima de si. 
 

— Eu já fui da polícia, mas não era que nem hoje em dia. Era só você em sua patrulha tomando uma decisão. — O sujeito continuou, bebericando um pouco de seu drink. 
 

— A conta, por favor. — Ela pediu ao barman, enquanto pegava seu dinheiro em sua bolsa. 
 

— Lembro quando um carro passou em alta velocidade, parecia possuído. Mandei ele encostar. — O homem não pareceu ligar, continuou com seu monólogo — Era SeungWoo. Conhece esse nome, delegada? 
 

Jenny parou o que estava fazendo. SeungWoo… não seria aquele velho maníaco que aprisionou o garoto? E de repente, se sentiu interessada. Olhou para o homem desconhecido, como se desse permissão para o mesmo continuar.
 

— Naquela noite ele me contou, que havia finamente descoberto o que tinha de errado em Namwon. 
 

A ruiva se sentou novamente, ouvindo com a testa franzida, onde ele queria chegar com toda aquela história?
 

— Ele disse que sempre achou que o mal fosse apenas uma metáfora, mas agora ele sabia que o mal era um menino. — Ele a olhou, sua voz pareceu rouca e seu olhar era sério. – E o velho SeungWoo disse que tinha o pegado, que havia trancado o mal em uma caixa. E depois disso, tudo seria mil maravilhas. — Ele suspirou.
 

— A quanto tempo isso faz? 
 

Não deixe aquele garoto escapar. — E foi tudo o que aquele homem disse antes de se retirar.

---
 

— Jackson me ajuda a por o lençol! — Resmungou Mark, enquanto segurava um ponta do lençol branco com quadriculados vermelhos, típicos de piqueniques. 
 

— Já estou indo! — O loiro falou em resposta, já se aproximando do castanho e pegando na outra ponta do lençol, o forrando no gramado verdinho. 
 

O resto do pessoal iam trazendo os lanches e aperitivos, os colocando bem organizado no lençol já forrado. E quando tudo estava pronto, eles se sentaram com sorrisos satisfeitos nos rostos.
 

— Me passa o salgadinho, babe? — Youngjae pediu manhoso.
 

— Porque eu deveria? — Provocou o namorado, com um sorrisinho de lado. 
 

— Porque você me ama e porque… — O azulado logo cochichou no ouvido do ex-policial, ninguém soube o que era, mas todos notaram a face vermelha de Jaebum, este que resmungou e finamente lhe passou o salgadinho. Youngjae riu vitorioso.
 

— Então, Jae, o que você pretende fazer agora que largou a penitenciária? — Indagou Yugyeom, enquanto mordia seu sanduíche. 
 

— Acho que irei investir no meu sonho de ser escritor. Posso fazer alguns bicos aqui e ali, mas ainda sim vou ter tempo para escrever. Finalmente! — Jaebum contou, animado com a ideia.
 

— Isso é ótimo, cara! 
 

— E pelo menos agora ele vai ter tempo para mim. — O azulado disse, sorrindo enquanto se apoiava nos ombros do namorado. 

---
 

— Jinyoung, e como está indo as memórias? — Mark perguntou depois de algum tempo, curioso.
 

Jinyoung o encarou, para logo desviar o olhar, parecia estar pensativo.
 

— Eu… — Fizera um pausa, cauteloso. — Não me lembrei de nada. — Suspirou e mordeu os lábios.
 

Jackson notou seu comportamento estranho. Seria o desconforto de não ter um avanço em suas memórias? Mas… porquê sentia que algo estava errado?
 

— Sem pressa, Jinyoung, estaremos aqui para te ajudar. — Jaebum o consolou, enquanto passava para si um copo de refrigerante. 
 

Jinyoung aceitou grato, sorrindo sutilmente. 

---
 

— Pessoal, tem um pequeno lago aqui perto, quem quer ir comigo? — O tailandês propôs, enquanto se levantava animado.
 

— A não sei não, estou com preguiça… — Yugyeom murmurou arrastado.
 

— Deixa disso, vamos aproveitar que hoje está mais quente! — Insistia, enquanto massageava brutalmente os ombros do amigo, este que murmurava um "Para, isso dói". 
 

— Saco! Tá bom, tá bom, eu vou. — O de cabelos cor de mel se rendeu, levantando-se contra-gosto, devido a dor pela massagem brutalmente feita. 
 

Bambam de fato não havia mentindo em dizer que o dia estava mais quente, mesmo no inverno. O sol brilhava e o calor que provinha dele, embora não lhe desse uma impressão térmica de que poderia derreter de tanto calor, ainda sim irradiava um calorzinho que lhe fazia querer se refrescar. 
 

— Ok, vamos então! — Jackson se pronunciou, se levantando. — Vem, anjo. — Ofereceu sua mão como  ajuda para o moreno, sorrindo doce.
 

Jinyoung sorriu e aceitou a ajuda de bom grado. Todavia ao se levantar, acabou tropeçando em um dos pés do loiro, o que lhe fez cambalear para cima de Jackson, este que fora ágil o bastante para segura-lo pela cintura firmemente, impedindo que ambos caíssem.
 

O moreno corou forte, enquanto apoiava suas mãos do peito de Jackson, que ria baixinho lhe olhando em seus olhos. Jinyoung sorriu constrangido, enquanto desviava seu olhar. 
 

Jackson inevitavelmente quis beija-lo. Mas se segurou, aquela cena já era suspeita demais para os meninos ali presentes. Portanto, se limitou em apenas bagunçar seus cabelos negros. E entrelaçando sua mão na do moreno, eles caminharam até o lago, onde BamBam lhes mostravam o caminho.

---
 

— Uhuuuul! — Gritou o tailandês, tirando sua blusa e a jogando no chão aleatoriamente, enquanto corria entusiasmado para o lago, fazendo com que a água fosse respigada nos garotos que apenas observavam.
 

— Seu doido, a água deve estar um gelo. Não abuse do calor repentino, Bambam! — Mark o repreendeu.
 

— Depois pega um resfriado e não sabe o porquê! — Acrescentou Youngjae, revirando os olhos.
 

— Parem de chatice vocês dois! Água tá perfeita, ok? Venham ver, e tirem suas próprias conclusões. — Respondeu o tailandês, enquanto colocava seus cabelos já molhados para trás.
 

Não demorou muito para que eles começassem a tirar suas blusas, adentrando no lago cautelosamente.
 

Eu sei! só por favor calem a boca...
 

Jackson que havia acabado de retirar seus chinelos, parou ao ouvir um murmúrio saindo do moreno, este que permanecia ao seu lado, absorto no mundo ao seu redor. 
 

— Anjo, falou comigo? — Perguntou confuso, enquanto se virava para o mesmo, tocando em seu ombro. 
 

Jinyoung lhe olhou assustado, e quando pareceu perceber que era apenas o loiro ali, seu olhar se suavizou.
 

— N-Não, acho que foi impressão sua. 
 

— Você não vai entrar? — Perguntou o advogado, se referindo ao lago.
 

— Vou… — Murmurou receoso. — Posso entrar assim mesmo? — Questionou, olhando para sua roupa.
 

— Pode, depois a gente dá um jeito. — Concordou, retirando sua regata.
 

Jinyoung não evitou de notar em como o corpo do advogado era bem definido. Com gominhos levemente adornando seu abdômen e sua pele leitosa que parecia ser extremamente macia ao toque, seu rosto adquiriu um vermelho forte e se praguejou mentalmente, evitando olhar para o corpo do loiro.
 

E quando entrou no lago, Jackson lhe ajudou cuidadosamente. Céus, sentira tanta falta do advogado, do verdadeiro Jackson, não daquele que o evitava sempre. 

---
 

— Para com isso, Jaebum! — Exclamou Youngjae, enquanto se protegia com as mãos dos ataques de água que Jaebum fazia.
 

— Toma essa! — O Bambam dá um ataque surpresa no ex-policial, fazendo o mesmo cessar o ataque por ter sido pego desprevenido.
 

— Jinyoung cuidado! — Mark o alertou, mas fora tarde de mais, pois um Jackson sorrindo travesso o atacou com a água, fazendo o moreno rir alto enquanto protegia seus olhos. 
 

— Hyung, deixa de ser bobo! — O garoto exclamava, tentando inutilmente revidar os ataques rápidos do loiro. 
 

E de surpresa, os meninos se juntaram e deram um contra-ataque no advogado, todos jogando água no mesmo, defendendo assim a integridade de Jinyoung que ria contente. 
 

— Isso é por atacar nosso Jinyoungie! — Falou Bambam, sua intonação lembrava um herói falando com uma espécie de vilão. 
 

Jinyoung que ria se divertido com a vingança feita pelos meninos, sentiu algo em seu pé. Se alarmou, quebrando o sorriso, assustado. Seria algum bicho talvez? 
 

— P-Pessoal… 
 

Chamou, mas sua voz não fora ouvida. Ele iria chamar mais alto, porém abruptamente, algo agarrou seus pés. Parecia uma mão grande e áspera, se desesperou ao sentir ela lhe puxar para o fundo do lago. Tentou pedir ajuda, mas ao se der conta já havia mergulhado, e a cada vez que se debatia tentando se soltar daquele aperto, mais a mão lhe apertava, fazendo lhe arfar de dor, o que ocasionou a uma parcela de água adentrar em seu pulmão. Uma queimação lhe preencheu e o desespero lhe causava tontura. 
 

“Chegou a sua hora, garoto”
 

“Te levaremos embora”
 

“Da onde você nunca deveria ter saído”
 

Os sussurros voltavam, cada vez mais altos e insuportáveis. Céus aquilo era tortura, e a água que estava em uma temperatura ambiente e confortável, de repente pareceu se esfriar mais e mais. 
 

Era igual aquele dia.
 

E já não era mais apenas uma mão. Sentia como se fossem centenas de mãos agarradas em seus pés, lhe forçando a afundar, a lhe afogar mais e mais. 


Notas Finais


estamos na reta final oficialmente aaaa

Eai, confusos? saushaus xD

Obrigada por lerem, até amanhã! ( pois terá cap extra) <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...