História The Boy Behind Me - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Adolescentes, Ensino Medio, Romance, Tsundere
Visualizações 7
Palavras 1.750
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa Leitura :3

Capítulo 1 - Seja Forte


Fanfic / Fanfiction The Boy Behind Me - Capítulo 1 - Seja Forte

23:59 - Sexta-feira, 13

Nakahara Kiragi

Falta apenas 1 minuto para eu finalmente ter 15. Isso é praticamente está na porta da vida adulta, preciso ser um pouco mais madura, agora encarando meu quarto percebi que preciso mudar essa decoração infantil, gsus, tem pelúcias e coisas brilhantes em cada canto desse quarto, sem contar essas roupas fofinhas. Eu sei, muito infantil, mas não tenho culpa se gosto de coisas fofas, e não, por favor não pensem que tudo aqui é rosa, "para algo ser fofo não precisa ser rosa, acorda, nunca viu um lavanda? um azul bebê? um amarelo girassol ?"  
Foi isso que eu disse pra uma tia totalmente inconveniente natal passado, quando fez o santo comentário de que eu era uma neném fofa e que provavelmente eu amava coisas rosas, urgh, me dá ânsias só de lembrar. 
Enfim, esse monólogo durou um minuto, já é dia 14 de dezembro, meu aniversário!!!! Corri para fora do meu quarto, de pijama, admito que estou muito animada, provavelmente mamãe deixou um bolo na cozinha para amanhã, não posso esperar, preciso comer agora.
Estranho, as luzes estão apagadas, não sinto nenhum cheiro de bolo, ou biscoitos, e nem a tv da sala, esse corredor nunca foi tão longo. 

- Mamãe? Papai? Estão dormindo? Oliver? (meu cachorro)

Porque ninguém responde, só o Oliver veio me encontrar, ele deve ta com fome, pulando em mim desse jeito.

- Certo, calma rapaz, vou colocar ração agorinha.

Cheguei na cozinha finalmente, não tem nada e nem ninguém, coloquei ração para o Oliver e fui até o quarto dos meus pais, estou desapontada mas tento entender o lado deles, devem estar cansados do trabalho, afinal, são importantes mestres da computação em uma das melhores empresas de Tokyo. Bato na porta mas ninguém responde, coloco a orelha na porta pra saber se escuto algo, não vou abrir assim sem mais nem menos, vai que eles tão transando? Essa é definitivamente uma imagem que não preciso ver.
Nada.. não escuto nada, abro a porta devagar, não vejo nenhum volume na cama, acendi a luz, e fiquei em choque, todas as peças foram se juntando...

O fato de que mamãe me disse para ficar no meu quarto depois da janta até a horas do meu aniversário, a casa escura e silenciosa, ninguém no quarto, e agora... O enorme guarda roupa sem nenhuma peça de roupa, o cofre aberto sem nenhuma puta moeda, eles foram embora, essa é uma afirmação sem uma sombra de dúvidas. Meus olhos ardem, lágrimas teimam em cair uma por uma até ser uma cachoeira, estou entrando em pânico, por que eles fariam isso? estava tudo perfeito ate agora, por que meus pais me abandonariam aqui? deixo minhas pernas relaxarem, e caio no chão, desbruçada sobre minhas pernas brancas agora avermelhadas pelas minhas unhas que insistem em arranhá-las como uma forma de tentar manter a calma. Me levanto, junto todas minhas forças para enxugar as lágrimas e ir verificar o computador do papai, eu sei sua senha, já o vi colocar várias vezes, ele nem se importava se eu conseguiria decorar ou não, afinal é uma senha enorme.
Depois que entrei em seus arquivos, vi vários anexos, mensagens guardadas do seu email, ameaças, MAS QUE PORRA É ESSA AQUI? FOI POR ISSO QUE FUGIRAM? AMEAÇAS? MAS DE QUEM? NO QUE ELES PODERIAM TER SE METIDO PARA ABANDONAR-ME DESSA FORMA? 
Eu não entendo, simplesmente não entendo, eles são apenas funcionários de uma empresa como muitos outros, por que estariam sob ameaça? Não pude completar meu pensamento, um barulho muito alto me fez pular da cadeira, ouço vozes, não conheço essas vozes, alguém invadiu minha casa, puta merda, o que eu faço agora? Me escondo no lugar mais clichê, embaixo da cama, 2 minutos se passam, escuto alguém abrir a porta e entrar, só posso ver seus sapatos pretos, estilo bota, estou tão assustada que aperto muito o Oliver, fazendo ele soltar um gemido, me martirizo mentalmente por isso, e rezo para que ele não tenha escutado...

1:00 - Sábado, 14

Algo agarra meus pés, e me puxa com força, dou um grito estridente, que demonstra todo meu medo, a figura que está na minha frente, é um homem alto, forte, loiro, estilo militar, com uma máscara que cobre seu rosto, exceto os olhos, e seus olhos são tão frios, porra... eu vou morrer agora.
Ele aponta bem na minha cara sua AK-47, estou paralisada, sem forças para correr ou fazer algo estupido, isso até ele atirar no Oliver que numa forma de me defender, mordeu a perna desse louco, a partir dai vi vermelho, não pensei, só empurrei aquela enorme arma da minha frente e dei um chute na porra do seu saco. Ele caiu de dor, então pisei na mão que ele segurava a arma, fazendo ele soltar, e peguei rapidamente, em seguida dando um forte chute na sua cara, fazendo seu nariz sangrar, eu corri, com meu Oliver chorando nos braços, eu corri, as lágrimas querendo cegar minha vista, então quando vou abrir a porta, uma mão segura meus cabelos, fazendo meu corpo parar, quando viro, o mesmo loiro me encara, ainda com cara de dor, ele me derruba com um soco certeiro no meu rosto, Oliver cai e chora mais, meu coração aperta, ele é tudo o que tenho no momento, que dor... merda.

-Pra uma pirralha que nasceu em berço de ouro até que você tem um chute bem forte, deve ser por ter essas linda coxas grossas e não os hashis como a maioria das japonesas, diga, meu japonês está bom? você consegue me entender?

- Estou entendendo tudo que você fala, seu pedaço de merda.

- Oh hoho, que boca suja. eu gosto disso

Ele tentou me agarrar, quando tocou nos meus seios, me desesperei, lembrei que ainda estava com a arma, mas não por muito tempo, ele fez menção de pegá-la, mas foi surpreendido pela minha cabeçada, logo em seguida apontei a arma na fuça dele

-Vai pro inferno, seu filha da puta!

E atirei...

Ou foi o que pensei, o cara caiu morto nas minhas pernas, sangue cobria todo meu rosto e pijama, mas... eu não atirei, alguém foi mais rápido, um cara alto, de cabelos azulados, um sobretudo negro, e olhos ônix me observava, ele se ajoelhou para ficar perto de mim, limpando meu rosto com um lenço, ele aparenta ter uns 40 anos mas muito, muito conservado, se fosse meu tipo já teria me apaixonado, mas tudo que passava pela minha cabeça era quem é esse cara que me salvou?

Senhorita Nakahara, peço mil desculpas pelo atraso, por favor me siga.,

- O que? Seguir para onde ?

- Para sua nova casa.

- EEEEH? Espera, OLIVER, meu Deus, por favor, meu cachorro, ele vai morrer, perdeu muito sangue.

- Não se preocupe, o tiro não atingiu em cheio, com os devidos cuidados vai sobreviver, ele receberá um ótimo atendimento, explico tudo no carro.

Resolvi confiar nesse cara, no momento estou deitada em uma cama solteirão, em um apartamento no centro, o cara de antes que se chama Seichirou, explicou que meus pais são hackers muito habilidosos, estavam trabalhando na tal empresa TUY para ter acesso mais rapido aos dados da empresa, eles na verdade trabalham pra CIA dos Estados Unidos, foram recrutados aos 17 anos, foram la que se conheceram, se apaixonaram e blá, blá blá, quando começaram a desconfiar que era eles que estvam por trás da invasão de dados, que so foi ser percebida depois de 7 anos deles trabalhando lá, começaram a receber ameaças de outros hackers, descobriram onde moravamos, me observaram, a coisa tava ficando séria, então eles pediram para esse Seichirou, um velho amigo para cuidar de mim, quando precisassem ir para os Estados Unidos resolver todas essa bagunça, sem rastros, deixaram uma boa quantia na minha conta, compraram esse apartamento, me deram uma moto, e um celular novo com apenas o numero do Seichirou.
Sinceramente, é muita informação, que merda de familia, onde ja se viu esse tipo de situação? A tristeza agora se transformou em raiva, uma raiva tremenda me toma por completo, deitada nessa cama, com a roupa suja de sangue, no meu aniversário de 15 anos, eu caio no sono.

12:08- Sábado, 14

Acordo com uma dor no maxilar, aquele maldito, ele realmente me deu um soco. Me levanto e vejo Oliver dormindo tranquilamente na sua caminha, enfaixado, Seichirou não tava blefando quando disse que ele ia receber o melhor atendimento. Vou pro banheiro, tomo um banho bem demorado, pra tirar todo esse fedor de sangue, jogo as roupas na lixeira, não as quero. Lavo meus cabelos pretos lisos, são longos, quase chegam na bunda, e minha franja está enorme, está cobrindo meus olhos, tenho que mudar meu visual, até mesmo por causa desses acontecimentos, visto uma muda de roupa que tem nesse closet, quem será que comprou essas roupas? Até que são meu estilo, saio com uma blusa lilás de alcinha, e um short desfiado jeans, com manchas, e uma meia calça preta, minhas sapatilhas, prendo o cabelo em um coque, coloco a franja pro lado esquerdo, deixando apenas meu olho direito visivel. Ligo para o Seishirou preciso fazer algumas coisas antes para me preparar para o primeiro dia de aula amanhã.

Seishirou chegou 5 minutos depois da ligação, entrei em seu carro, e fomos conversando sobre como seriam as coisas agora, ele fez minha transferência para outro colégio, um público porém bom aqui no centro, meu uniforme iria chegar hoje mesmo, junto com material e todo o necessário, eu não posso pegar metrô, é perigoso, por isso a moto, sorte que eu aprendi a pilotar com 13 anos, sempre gostei de fazer trilha com o papai. Ele estacionou em um restaurante para almoçarmos, comemos, e pude conhecer ele melhor, ele me contou das aventuras que teve no passado com meus pais. Perguntei se ele tem família, ele disse que sim, é separado da mulher, mas tem 3 filhos com ela, todos homens. Eu gostaria de ter um irmão.
Depois da refeição fomos comprar umas roupas, e pedi para comprar algo para o Oliver também, e de quebra passei no salão de beleza. 

22:00- Sábado, 14

Amanhã começa minha nova vida, tenho que ser cautelosa, minha doce vida colegial não é mais possivel, não posso me descuidar, agora sim eu amadureci, da pior forma, mas amadureci. Só me resta ser forte, com essas mudanças. 

-Seja forte Kiragi

Pode deixar Seishirou-san, serei forte.
Fechei meus olhos e adormeci.


Notas Finais


A intenção era ser uma oneshot mas foi impossivel kkkkkkkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...