História The Candy Little Boy: A revolta de Candy Boo - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Palhaços, Terror
Visualizações 10
Palavras 3.238
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


A amizade verdadeira tem um poder maior que a fúria solitária.

Capítulo 5 - Uma nova esperança?


Fanfic / Fanfiction The Candy Little Boy: A revolta de Candy Boo - Capítulo 5 - Uma nova esperança?

*Escurecendo, em um parque totalmente vazio, está Rose, Artur, Sykara observando Natas e Candy Boo, um de frente para o outro.

 

*Emilly está inconsciente no chão.

 

Natas: Então... Vamos começar?

 

Candy Boo: Eu estava esperando você dizer isso.

 

Natas: A é?

 

Candy Boo: Sim, mas tudo bem... Não sei o que um boneco como você é, mas agora eu estou...

 

*Em um piscar de olhos, Natas avança em Candy Boo, porem, rapidamente Candy Boo segura o punho de Natas, impedindo o ataque.

 

Natas: ...!?

 

Candy Boo: Eu odeio... Eu realmente odeio quando não deixam eu terminar a frase.

 

Natas: Interessante... Estou começando a gostar de você.

 

Candy Boo: Pare de falar idiotices e lute sério de uma vez!

 

Natas: Por que a pressa? Ainda nem usei 2% do meu poder.

 

Candy Boo: Ora seu...

 

*Natas consegue retirar seu punho que estava sendo segurado pelas mãos de Candy Boo, e novamente tenta golpear Candy Boo, porem é de novo seu golpe é impedido por Candy Boo que segura seu punho, em seguida, Candy Little Boy e Candy Boo começam a trocar golpes em uma velocidade extremamente rápida.

 

*Rose começa a sentir fortes dores e ardências nas costas, ao mesmo tempo, seu tentáculo gravemente ferido começa a sangrar.

 

Rose: Arg...

 

*Rose faz seu tentáculo partido voltar para dentro de seu corpo, parando o sangramento.

 

Artur: O quê foi, Rose?

 

Rose: Aquele maldito arrancou meu tentáculo como se não... Fosse nada, impediu meu ataque facilmente.

 

Sykara: Era de se esperar.

 

Rose e Artur: Hm?

 

Sykara: Candy Boo agora está em um nível muito mais elevado que antes, quando vocês o enfrentaram... Meus cálculos ele aumentou sua ameaça de escala nível continental para global.

 

Rose: Global!?

 

Artur: Mas como?

 

Sykara: Eu não sei ao certo... Mas tem algo a ver com a Suusy.

 

*Emilly acorda.

 

Emilly: Hm?

 

*Emilly se levanta lentamente do chão, extremamente confusa, ao se levantar por completo, sente uma forte dor no peito, na área onde foi perfurada.

 

Emilly: Arg... Droga....

 

*Rose e Artur reparam que Emilly acordou.

 

Rose e Artur: Emilly!

 

Emilly: Olá... Por que eu desmaiei?

 

Rose: Você levou um ataque de Candy Boo.

 

Emilly: Candy Boo? Como assim? Aonde ele está?

 

Artur: Ali.

 

*Artur aponta o dedo indicador em Candy Boo e Natas lutando, indicando suas posições.

 

*Emilly observa a cena assustada.

 

Emilly: Esse boneco desgraçado... Voltou?

 

Sykara: Parece que sim... E muito mais forte.

 

*Emilly começa a olhar para todos os lados, a procura de Candy Little Boy e Girl.

 

Emilly: Aonde está aquelas crianças? Temos que tirar elas daqui!

 

Rose: Er...

 

Artur: Você estava desmaiada, então acabou não vendo.

 

Emilly: Não vendo o quê?

 

Sykara: Os dois bonecos, Candy Little Boy e Girl, foram mortos pelo Candy Boo, em questão de segundos.

 

Emilly: ...!

 

Rose: Droga...

 

Artur: Maldito monstro...

 

*Emilly olha para um local perto onde Natas e Candy Boo estão lutando, se deparando com os restos dos corpos de Candy Little Boy e Girl.

 

Emilly: Isso... Isso só pode ser um pesadelo.

 

Rose, Artur e Sykara: ...

 

Emilly: E... Eu vou acabar com esse desgraçado.

 

Rose: O quê?

 

Artur: Ficou louca? Ele vai te matar rapidamente.

 

Sykara: Suas chances de vencer no seu porte físico atual, contra ele, é de 0,05%.

 

Emilly: Eu realmente... VOU MATÁ-LO.

 

*Os olhos de Emilly ficam vermelhos, em seguida vários braços negros começam a sair de suas costas que avançam em Candy Boo.

 

Rose: Emilly?

 

Artur: O quê está acontecendo com ela?

 

Sykara: ...?

 

*No confronto de Natas e Candy Boo, no exato momento quando Natas iria golpear Candy Boo, uma avalanche de braços negros e longos batem em Candy Boo, o levando e o fazendo colidir em uma rocha grande violentamente.

 

Natas: O quê? Mas quem?

 

*Natas olha para o local de onde os braços negros vieram, se deparando com Emilly, totalmente inconsciente de raiva.

 

Natas: Hm... Entendi, me perdoe querida amiga... Mas essa luta é minha!

 

*Natas estrala os dedos, fazendo os olhos de Emilly voltarem ao normal, e a deixando extremamente cansada, seus braços negros desaparecem e Emilly desmaia, caindo no chão.

 

Rose: Emilly!

 

Artur: Essa mulher só dorme.

 

Sykara: Achei que eu ia ver mais.

 

Rose: A calem a boca vocês dois!

 

Artur e Sykara: Ok... Foi mal.

 

???: Nossa! Por que está tão exaltada gatona?

 

Rose: Hm?

 

*Rose, Artur e Sykara viram-se para trás, se deparando com uma mulher de pele vermelha, aparentando ter 1 metro e 70 centímetros de altura, cabelos pretos, usando apenas um sutiã, calcinha e botas pretas, sendo uma mulher incrivelmente e surrealmente bonita.

 

*Rose reparam que a mulher muito bonita, está chupando um sorvete de chocolate.

 

???: O quê foi gente? É o sorvete? Aqui no bairro vendem alguns desses muito bons.

 

*Por algum motivo estranho, Rose e Artur começam a sentir atração por essa mulher.

 

???: Gente? Vocês estão me assustando.

 

*Rose chacoalha a cabeça, voltando ao normal.

 

Rose: Er... Desculpe, mas... Quem é você?

 

???: Hahahaha, nossa é a minha cara mesmo, esqueci de me apresentar! Sou Súcubos, a guardiã de Natas.

 

Rose: Guardiã?

 

*Rose olha para Artur, que ainda está apaixonado pela Súcubos, após reparar isso, dá um tapa forte em seu rosto, o fazendo voltar ao normal.

 

Artur: Eita... Foi mal.

 

Rose: Foi mal nada! Pare de olhar para outras mulheres desse modo.

 

Súcubos: Hahahaha... (Risada sensual).

 

Artur: Eu não estava fazendo essas coisas.

 

Rose: A tanto faz, conversamos isso depois, o que você estava dizendo Súcubos?

 

Súcubos: Que sou guardiã de Natas, e vocês querem uma resposta... Bem, ele é um diabo, e apesar disso, é bem fofinho não acham?

 

Artur: Você está falando daquele diabo que está lutando contra aquele boneco?

 

Súcubos: Exatamente, e por sinal, foi ele que colocou sua amiga Emilly para dormir!

 

Sykara: Você sabe o nome deles?

 

*Súcubos termina de tomar seu sorvete.

 

Súcubos: Claro que conheço, convivi décadas naquela boneca, já sou familiarizado com vocês.

 

Rose: Como assim?

 

Súcubos: O quê? Acham que vencemos como Candy Boo pela primeira vez? Acham que era o poder do amiguinho boneco de vocês? Nhan... Era o nosso.

 

Artur: Essa história está muito confusa.

 

Súcubos: Vocês humanos tão preocupados com detalhes... Bem, digamos que eu e o Natas estamos nesses bonecos deis do início, aquele chefe de vocês fez bom proveito da gente... Ou melhor dizendo, do nosso poder.

 

Rose: Quem liga para os detalhes? Por que o Natas não venceu Candy Boo ainda?

 

Súcubos: Por que está tão preocupada? Ele é um diabo, mas não qualquer diabo, o poder de um diabo é medido pelo tamanho do país que ele governa, relembrando que... O Brasil não é pequeno e ele é um diabo, ele quer se divertir um pouco, afinal, ele é uma criança praticamente.

 

*Rose olha para Natas, reparando que ele tem 1 metro e 20 centímetros de altura.

 

Rose: Reparando agora... Ele é do tamanho do Candy Little Boy e Girl.

 

Artur: Pera... Já sei!

 

Rose e Sykara: Hm?

 

Artur: Você disse que é forte, certo? Súcubos?

 

Súcubos: Bem... Eu diria que sim, súcubos são fortes, mas nem tanto, Tipo... Como os diabos.

 

Artur: Você poderia... Por favor... Reviver Candy Little Boy e Girl?

 

Súcubos: Você diria reconstrui-los? Mas tudo bem, aceito seu termo de reviver, afinal, eles possuíam uma personalidade e pensamentos reais.

 

Artur: Poderia?

 

Súcubos: Poderia!

 

Rose e Sykara: Sério?

 

Súcubos: Com muito prazer, eu como vocês, também adoro eles.

 

*Súcubos estrala os dedos, causando uma grande explosão de fumaça vermelha em volta dos restos de Candy Little Boy e Girl, impossibilitando de ver os restos.

 

Rose: O... O quê você fez?

 

Sykara: Isso é magia?

 

Súcubos: Vocês irão ver...

 

Artur: ... (Espero que dê certo).

 

*Na luta entre Natas e Candy Boo, Candy Boo está totalmente prensado na parede, com um sorriso extremamente perturbador, enquanto Natas fica de frente a Candy Boo, o observando.

 

Natas: Tenho que admitir, um boneco levar um golpe desses e ainda continuar vivo, é realmente incrível.

 

Candy Boo: ...

 

Natas: O quê foi? Não vai me dizer que você morreu mesmo, morreu?

 

Candy Boo: Hahahaha...

 

*Candy Boo consegue sair da parede e cair no chão ajoelhado, de cabeça abaixada.

 

Natas: Hm?

 

Candy Boo: Vejo que você realmente foi além da minha compreensão, isso é incrível!

 

Natas: Incrível?

 

*O corpo de Candy Boo começa a possuir raios roxos, em todos seus membros.

 

Candy Boo: Pena que isso não vai durar muito! Te combater foi essencial para eu ver até onde eu devo ir, você será um oponente muito bom para mim, em sua homenagem, peço que eu e você lutemos com 100% do nosso poder!

 

Natas: Hahahahahahaha... Você está brincando né?

 

Candy Boo: O quê?

 

Natas: Você está pedindo para um diabo usar 100% do poder dele? Isso é patético e burro.

 

Candy Boo: Tudo bem... Como quiser, mas nesse exato momento, me considere com poder total! QUE IRÁ AUMENTAR A TODO SEGUNDO QUE SE PASSA!

 

Natas: Interessante... (Cara, que boneco chato).

 

*Na cafeteria, Suusy e Gabriel estão sentados em uma mesa, enquanto Mr. Jesus, Majin, Rafaella e Alice estão sentados em um banco grande da cafeteria, em frente a uma televisão, assistindo desenhos.

 

Rafaella: Eu não entendi esse desenho, como podem existir tantos deuses de outros universos?

 

Alice: Você não entendeu mãe? São 12 universos, e cada um deles, tem um deus que cuida da destruição.

 

Rafaella: Entendi.

 

Mr. Jesus: Agora a luta vai começar de verdade, está pronto para ela Majin?

 

Majin: Majin gosta desse desenho.

 

Mr. Jesus: Eu também cara! É o meu favorito.

 

*Na mesa onde Gabriel e Suusy estão.

 

Suusy: Por que não está com sua filha e mulher vendo desenhos japoneses?

 

Gabriel: Não me interesso por essas coisas.

 

Suusy: Não é?

 

Gabriel: Não.

 

Suusy: Então você é um dos meus tipos.

 

Gabriel: Um dos seus tipos?

 

Suusy: Exatamente, um de mim, que não gosta dessas coisas.

 

Gabriel: Não que eu não goste, a maioria dos conteúdos não me interessa... Porém, tem algo que você disse que me interessou!

 

Suusy: Tem?

 

Gabriel: Você disse algo de Candy Boo, quando estávamos no parque, por acaso esse boneco é o que eu estou pensando?

 

Suusy: Exatamente, o que estava no porte de meu irmão, em 2021.

 

Gabriel: Mas você disse também que ele era uma ameaça maior agora, como fez isso?

 

Suusy: Simples, eu mandei fazer melhorias em seus equipamentos e peças, o deixando mais resistente..., mas eu sabia que apenas isso não adiantaria, então usei um pouco de magia.

 

Gabriel: Magia?

 

Suusy: Exatamente.

 

*Suusy retira um livro de seu vestido e coloca em cima da mesa.

 

Suusy: Tudo que eu coloquei no Candy Boo em 50% é o que está nesse livro.

 

Gabriel: Esse não é o livro de...

 

Suusy: Exatamente, o livro onde meu pai escreveu todas as anotações que teve viajando e explorando o Brasil, em suas viagens, e por sinal, ele disse que esse país é o mais mágico que ele já viu.

 

Gabriel: Mágico?

 

Suusy: Esses baratos aí de fazer coisa desaparecer e pá...

 

Gabriel: Evite usar essa linguagem comigo, eu odeio.

 

Suusy: Já estressado? Patético.

 

Gabriel: Você disse também que aquela bomba... Explodiu mais cedo certo?

 

Suusy: Disse, e por sinal achei até estranho, pois não era para ela fazer isso.

 

Gabriel: Já pensou na possibilidade de na verdade... Não ter sido a bomba que explodiu o parque?

 

Suusy: O quê?

 

Gabriel: Que na realidade, quem explodiu foi Candy Boo?

 

Suusy: ...!

 

Gabriel: É só uma teoria, fique calma.

 

Suusy: Não... Talvez não.

 

Gabriel: Hm?

 

Suusy: Quando vocês entraram no parque, faltava muito pouco tempo para Candy Boo renascer... Porcaria, se foi aquele boneco, estamos perdidos.

 

Gabriel: Entendo, são realmente verdadeiros motivos para se desesperar.

 

Suusy: Como podemos acabar com esse boneco?

 

Gabriel: Não sei e não vamos.

 

Suusy: O quê? Como assim?

 

Gabriel: Alguém vai fazer esse trabalho para gente, não precisamos sujar as mãos.

 

Suusy: Do que está falando?

 

Gabriel: Apenas... Relaxe.

 

Suusy: Eu também pensava assim! Mas agora eu não tenho mais minha empresa, uma hora temos que fazer o trabalho sujo.

 

Gabriel: Você está correta.

 

*Um homem usando agasalho laranja, calça azul e sapatos marrom entra armado na cafeteria, o homem está armado com um pequeno revolver.

 

Homem 1: Isso é um assalto!

 

Alice: Xiu!

 

Homem 1: Hm?

 

*O homem 1 olha para Alice, Mr. Jesus, Majin e Rafaella totalmente concentrados no desenho que está passando na televisão, ignorando o ladrão.

 

Homem 1: Vocês me escutaram bem? Eu disse que isso é um assalto!

 

Rafaella: Cala a boca! Se você falar mais uma vez, eu juro que vou arrancar sua língua com uma tesoura e fazer você comer ela.

 

Homem1: O quê?

 

*Rafaella continua prestando atenção no desenho.

 

Homem 1: Ora sua... Eu ia apenas roubar o dinheiro e sair fora, mas agora você me irritou! Vou matar todos dessa maldita cafeteria!

 

Gabriel: E a hora do trabalho sujo chega quando menos esperamos.

 

Suusy: Hm?

 

*Gabriel se levanta da mesa rapidamente e começa a caminhar em direção ao ladrão (homem 1)

 

Homem 1: O quê? Não se aproxime idiota!

 

*Gabriel continua a se aproximar.

 

Gabriel: Eu realmente adoro meu trabalho.

 

*Gabriel pega um bastão de Baseball encostado na parede no caminho até o ladrão.

 

Homem 1: Eu já falei para não se aproximar seu idiota! Eu vou atirar.

 

Gabriel: Vai atirar? Vamos ver quem vai fazer mais estrago, seu revolver ou meu bastão.

 

Homem 1: Ora seu...

 

*O homem 1 faz um disparo em Gabriel, que ao levar o tiro, continua a andar normalmente.

 

Homem 1: O quê?

 

*Os olhos de Gabriel ficam vermelhos.

 

Homem 1: Seus olhos... Sai de perto de mim!

 

*O homem 1 faz 5 disparos em Gabriel, que mesmo levando 5 disparos, continua a caminhar em direção ao homem 1, após chegar perto do homem 1, ficando de frente para ele, fica parado, o encarando.

 

Homem 1: Como? Como você ainda está vivo?

 

Gabriel: Minha vez!

 

*Gabriel rapidamente bate no homem 1 na cabeça com o seu bastão, o fazendo cair no chão, encostado a porta de saída e entrada da cafeteria.

 

Homem 1: ...!

 

Gabriel: Quanto tempo seu corpo aguenta?

 

Homem 1: O quê é você...? *Começa a tremer.

 

*Gabriel se aproxima novamente do homem 1, após se aproximar, começa a espancá-lo com o bastão de Baseball, quebrando vários ossos e machucando e rasgando vários membros do homem 1, fazendo muito sangue jorrar na porta da cafeteria, após alguns segundos o espancando, o homem 1 morre.

 

Suusy: Uau... Adorei o show!

 

Gabriel: Hahahaha... A cada dia que passa, quero que venha mais ladrões.

 

Suusy: Hahaha, você é cruel.

 

Gabriel: Você acha? Eu não acho... Mr. Jesus e Majin!

 

Mr. Jesus: O quê foi?

 

Majin: Majin está ocupado assistindo desenhos!

 

Gabriel: Eu não me importo o quanto estão ocupados, precisamos que a porta, o chão e as paredes dessa cafeteria sejam limpas, eu cuidarei do lixo.

 

*Gabriel pega o cadáver do homem 1, totalmente quebrado e deformado pela quantidade de pancadas que recebeu do bastão de baseball de Gabriel e em seguida, caminha para a saída da cafeteria.

 

Gabriel: Eu já volto, quando eu voltar, quero esse chão limpo.

 

Mr. Jesus: Limpar o chão? A qual é.

 

Majin: Não quer fazer isso.

 

Mr. Jesus: Não temos escolha Majin! Temos que trabalhar.

 

Majin: ... *Ficando triste.

 

Mr. Jesus: Não precisa ficar triste Majin, quando acabarmos, irei colocar um filme para nós assistirmos.

 

Majin: Oba!

 

Suusy: ... (Devo admitir, que eu realmente gostei desse Gabriel, que homão).

 

*Fora da cafeteria, Gabriel está caminhando, segurando o cadáver deformado, em direção a uma rua sem saída e muito escura.

 

Gabriel: Em toda nossa história, pode aprender que todo nosso destino pode ser modificado e realizado de acordo com nossas ações e vontades, quando bem entendermos, podemos mudar o que na vida foi destinado, até quando nem percebemos isso, acabamos de mudar, mas existe uma coisa que não podemos mudar... E essa coisa se chama ... Quem nós somos de verdade.

 

*Gabriel ao chegar no final da rua sem saída, se depara com 4 corpos de pessoas mortas no chão, um corpo em cima do outro, possuindo um cheiro desagradam-te e podre.

 

Gabriel: Eita... A sacola de lixo acabou de encher.

 

*Gabriel joga o cadáver do homem 1 junto com os outros.

 

Gabriel: Hora de eliminar o lixo.

 

*Gabriel retira um isqueiro de seu bolso, em seguida, o ascende e o joga nos cadáveres, os fazendo pegar fogo na hora.

 

Gabriel: Hahaha, mudar quem você realmente é, isso é impossível... Não se pode fugir da própria sombra, é por isso que o mundo é tão cruel, hahahahahahahahahahaha.

 

*Em algum tipo de nave balão flutuante no ar, com um símbolo nazista desenhado, estão 3 bonecos dentro dele, de pé em uma sala, observando pelas janelas de dentro toda a cidade de São Paulo.

 

*Dentro da sala, está um boneco que é extremamente parecido com Candy Little Boy, porem com cabelo e roupas pretas, uma boneca parecida com Candy Little Girl, porem com cabelo e roupas pretas, e um boneco com cor de pele verde, cabelo pequeno e branco, usando um terno preto (com um símbolo nazista nas costas), uma calça preta e sapatos pretos, todos os bonecos aparentam ter 1 metro e 20 centímetros de altura.

 

???(Boneca parecida com Candy Little Girl): Uau... Essa cidade é muito linda a noite!

 

???(Boneco parecido com Candy Little Boy): Verdade, Dead Girl, a vista aqui de cima dela é incrível.

 

Dead Girl: Concordo plenamente, Dead Boy.

 

???: Não entendo o porquê de estarem glorificando essa cidade, logo ela vai ser destruída junto com todos os humanos que aqui vivem.

 

*Dead Boy e Dead Girl olham para o boneco de pele verde e cabelo branco ao lado deles.

 

Dead Boy: Oi, Humanidade!

 

Dead Girl: Oi!

 

Humanidade: Er... Oi.

 

Dead Boy: Achei que nunca iria acordar, não saia do seu quarto.

 

Dead Girl: Não estava fazendo coisas erradas lá dentro né?

 

Humanidade: Vou fingir que não escutei isso... E eu não sai daquele quarto pelo fato de eu estar ocupado pensando em quais cidades e países vou destruir depois desse.

 

Dead Boy: Você pensa de mais no trabalho... Relaxe um pouco.

 

Humanidade: Relaxar?

 

Dead Girl: Exatamente, afinal, todos que você vai exterminar são humanos e você é o filho da Deusa e do Diabo, não tem algo que irá te impedir de realizar seu plano.

 

Humanidade: Hahahaha... Vocês me falaram a mesma coisa na primeira guerra mundial.

 

Dead Boy e Girl: Er...

 

Humanidade: E vocês lembram o que aconteceu né?

 

Dead Girl: É que...

 

Humanidade: Nós perdemos! Mas tudo bem... Foi um erro meu, sem falar que eu confiei na força humana para realizar meu plano, outro grande erro.

 

Dead Boy: Mas será que os diabos vão interferir dessa vez?

 

Humanidade: Hm?

 

Dead Girl: É verdade, na última vez, a diaba de Portugal entrou no meio, sem falar que o diabo do Brasil não curtiu nada disso.

 

Humanidade: Entendo... O diabo do Brasil...

 

Dead Boy e Dead Girl: Hm?

 

Humanidade: Em todas as guerras que declarei e perdi, foi pelo fato de eu não ter participado dela pela maior parte e por ter subestimado meu oponente.

 

Dead Girl: Er... Como você vai acabar com tudo?

 

Humanidade: Pode deixar que... Eu irei dar o primeiro movimento do jogo, hahaha... Sei que meu pai vai interferir, ser o diabo do Brasil é uma grande responsabilidade, como minha mãe não está mais viva, ela não será problema.

 

Dead Boy: ...

 

Humanidade:  Papai... Vou te matar igualzinho como fiz com a mamãe... É apenas uma questão de tempo... Natas.


Notas Finais


Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...