História The Candy Little Boy: Saga - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Anjos, Comedia, Demonios, Doces, Horror, Original, Parque De Diversões, Sadomasoquismo, Sangue, Suspense, Terror, Tortura, Violencia
Visualizações 14
Palavras 3.946
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Canibalismo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Quem é o verdadeiro monstro aqui?

Capítulo 19 - Quem sou eu? O que é você?


Fanfic / Fanfiction The Candy Little Boy: Saga - Capítulo 19 - Quem sou eu? O que é você?

*A noite, em uma casa pequena.

 

*Artur e Pedro estavam na sala sentados em um sofá de frente a televisão.

 

*Pedro está com um gesso na perna.

 

Pedro: Esse programa é muito bom!

 

*Artur e Pedro estão assistindo uma serie de um RPG escolar bem estranho.

 

Artur: É... Até que é legal.

 

Pedro: O que foi que você está pensativo?

 

Artur: ...

 

Pedro: É sobre o que aconteceu ontem né? Deve ter sido uma cena muito brutal e traumatizante, mas olha o lado bom seu amigo, eu, faltei nesse dia... Imagine o que de ruim podia ter me acontecido!

 

Artur: Verdade.

 

Pedro: Muita gente morreu ontem.... Quem iria imaginar que algo desse tipo aconteceria com nossa escola, hahaha mas a gente já está acostumado a lidar com essas coisas, afinal faz 1 ano já que aquele jogo doce sangrento acabo.

 

Artur: Concordo, mas Pedro...

 

Pedro: Hm?

 

Artur: Você se lembra o que aquele homem disse?

 

Pedro: Homem?

 

Artur: Aquele homem calvo e meio gordo.

 

Pedro: Ata lembrei!

 

Artur: Ele disse que a próxima vez que a gente se encontrar com ele, coisas boas não aconteceriam.

 

Pedro: Não se preocupe, quais as chances desse cara estar na nossa porta agora e tocar a campainha daqui de casa?

 

*A campainha é tocada.

 

Pedro: Hm? Mas eu não estou esperando ninguém, você chamou alguém Artur?

 

Artur: Não.... Eu atendo!

 

Pedro: Valeu.

 

*Artur se levanta e caminha em direção a uma porta da sala, ao chegar na porta sua mão que se aproxima da maçaneta começa a tremer.

 

Artur: Droga.... Não pode ser coincidência pode?

 

*Artur abre a porta e se depara com Rose.

 

Rose: Oi!

 

Artur: Ro... Rose?

 

Rose: Desculpe por essa visita inesperada, mas.... Eu queria conversar com você sabe.

 

Artur: Hm?

 

Rose: Se lembra que no dia que aquele jogo da morte acabou, eu acho.... Eu não me lembro bem mas devo ter prometido, eu prometi que ia te ver novamente.

 

Artur: É, mas você já me viu ontem.

 

Rose: Ontem não foi bem um encontro haha.... Foi praticamente uma procura de velhos amigos.

 

Artur: Um encontro? Você está me chamando para sair?

 

*O rosto de Rose fica vermelho de vergonha.

 

Rose: Não, não, não! Pera.... Não foi isso que eu quis dizer é... Eu só queria tipo ser amigo de vocês, ficar com vocês.... Com você...

 

*Artur abraça Rose.

 

*O rosto de Rose fica mais vermelho ainda de envergonhada.

 

Rose: ...

 

Artur: Mas Rose.... Você já é nossa amiga, bem só tenta parar com esses negócios de matança e devorar pessoas está!

 

*Artur para de abraçar Rose.

 

Rose: Eu não devoro mais pessoas, eu já falei que aquilo que aconteceu quando eu te conheci foi sem querer, algo em mim explodiu quando me aproximei de você, eu não devoro pessoas, apenas... Doces.

 

Artur: Hahaha, entendi linda.

 

Rose: Linda?

 

Artur: Bem se preferir te chamo de Ro.

 

Rose: Prefiro Rose.

 

Artur:  Tudo bem Ro.

 

Rose: É Rose!

 

Artur: Está bom Ro, não precisa se irritar!

 

Rose: .... Você é bem irritante quando quer ser.

 

Artur: Estou brincando com você Rose, pode entrar se quiser, aqui fora está escuro demais e está fazendo um pouco de frio.

 

Rose: .... Você tem certeza?

 

Artur: É claro que tenho!

 

Rose: Artur...

 

Artur: Hm?

 

*Um facão é encravado por trás no pescoço de Rose, a fazendo cair no chão na hora.

 

Artur: ROSE!

 

???: Boa noite!

 

Artur: Hm?!?

 

*O homem calvo usando uma máscara branca dá um soco em Artur o nocauteando na hora.

 

*1 hora depois.

 

*Candy Little Boy arranca a faca encravada no pescoço de Rose a fazendo acordar de susto na hora.

 

*Rose começa a tossir sangue.

 

Candy Little Girl: O que aconteceu aqui?

 

*Rose observa em sua frente estão Candy Little Boy e Girl.

 

Rose: O Gabriel...

 

Candy Little Boy: Gabriel? Do que você está falando? Quem fez isso com você?

 

Rose: Gabriel... Ele me esfaqueou de surpresa, e logo em seguida eu...  Droga!

 

*Rose rapidamente se levanta e entra na casa, encontrando apenas um pouco de sangue, cacos de vidro e alguns materiais quebrados pela casa.

 

Rose: Ele pegou eles...

 

Candy Little Boy: Nossa, já vi que aconteceu um sequestro rápido aqui.

 

*Rose se ajoelha no chão.

 

Candy Little Girl: Rose?

 

Rose: Droga.... Por que toda vez que tento ter uma vida normal e feliz, alguma coisa acontece...

 

*Rose começa a chorar.

 

Candy Little Boy: Você está tentando se relacionar com humanos Rose?

 

Rose: ...

 

Candy Little Boy: Você não viu o que aconteceu comigo? O que esses monstros fazem com inocentes.... Com amigos.... Todos eles merecem morrer!

 

Rose: Não!

 

Candy Little Boy e Girl: Hm?

 

Rose: Eu também sou um deles.... Mesmo eu sendo doce, isso não me tira a minha parte humana, mas seu pensamento está errado, completamente errado!

 

Candy Little Boy: ...

 

Rose: Existem pessoas malvadas, que realmente merecem morrer, que fazem esse mundo e essa realidade ser essa merda que conhecemos... Mas você sabe muito bem como eu que existem pessoas boas, pessoas que damos risadas, se divertimos e... Amamos.

 

Candy Little Boy: Mas...

 

Rose: Você se esqueceu Candy Little Boy.... De seu pai?

 

Candy Little Girl: Papai...

 

Candy Little Boy: Pai...

 

Rose: Ele nos amava, ele tinha sido manipulado pelo Gabriel, mas ele criou a gente com muito amor e carinho... Sempre nos tratou bem, como filhos.

 

*Candy Little Girl começa a lacrimejar.

 

Rose: Por favor Candy Little Boy.... Me ajude.... Eu já perdi minha primeira família e amigos antes de tudo isso acontecer... Eu não quero perder mais ninguém!

 

Candy Little Boy: ... O que você quer que eu faça?

 

Rose: Ajude Artur e Pedro.... Salve eles.

 

Candy Little Boy: Mesmo que se arrependa?

 

Rose: Eu só irei me arrepender se eles morrerem.

 

Candy Little Boy: Tudo bem Rose!

 

Rose: Hm?

 

Candy Little Boy: Mas quero que saiba, eu só vou fazer isso porque é você que está pedindo, eu vou te dar o que eu nunca consegui, porque eu já deixei de confiar em humanos.

 

Rose: ...

 

Candy Little Boy: Candy Little Girl vamos! Temos alguém para visitar.

 

Candy Little Girl: Mas a gente sabe onde ele está?

 

Candy Little Boy: Eu sei muito bem aonde ele está!

 

*Candy Little Boy e Girl saem da casa.

 

Rose: Obrigado...

 

*Em uma sala branca, iluminada por uma luz vermelha, estava Artur e Pedro amarrados, um em cada cadeira.

 

*Artur acorda.

 

Artur: Hm.…?

 

???: A você acordo!

 

Artur: Hm?

 

*Artur olha para o lado e observa que Pedro esta inconsciente.

 

???: Não se preocupe com ele, se preocupe com você!

 

*Artur olha assustado para o homem calvo mascarado em sua frente.

 

???: Você se lembra de mim?

 

Artur: O que você quer?

 

*O homem calvo mascarado dá um soco e Artur.

 

???: Quem faz as perguntas aqui sou eu, vou perguntar de novo não me faça perguntar uma terceira vez.... Você se lembra de mim?

 

Artur: Não...

 

???: Hahaha.... Se eu tirar essa mascara talvez refresque sua mente.

 

*O homem retira a máscara, mostrando o rosto de senhor G

 

Artur: Você é aquele homem daquele jogo maldito!

 

Senhor G: Exatamente, só que veja pelo outro lado das coisas, eu não sou um vilão, por favor não me veja assim, muito pelo contrário talvez eu seja um herói hahaha, eu estou aqui para acabar com tudo isso!

 

Artur: Hm?

 

Senhor G: Isso está muito confuso eu sei, deixa eu explicar melhor.... Sabe deis do ano de 2020, eu participei da empresa como forma de diversão, matar pessoas manualmente é coisa do passado, sendo que as vezes não se pode evitar, então para deixar as coisas mais tecnológicas usamos bonecos!

 

Artur: ...

 

Senhor G: Só que como você talvez deve ter reparado... Começo a dar muita merda, os bonecos começaram a criar uma consciência, a ter emoções e decisões.... Estragando todos os planos.

 

Artur: ...

 

Senhor G: Então para evitar qualquer tipo de transtorno, eu explodi a empresa com uma bomba que estava em uma boneca, que por ironia do destino era aquela garota que você estava conversando.

 

Artur: Hm!

 

Senhor G: Depois da ´´falência`` da Candy World, recomeçamos todo o projeto na mansão do nosso chefe, nem eu mesmo sabia o nome daquele verme... Ele sempre parava a frase quando ia citar seu nome... Certeza que o nome dele é horrível.

 

Artur: ...

 

Senhor  G: Mas voltando ao assunto, depois que recomeçamos o projeto e as pesquisas, vimos que realmente estávamos criando uma ´´população doce``, com uma insaciável sede por carne humana, sangue e doce, só nunca conseguimos saber a causa dessa sede, sendo que eles não sentem fome, mas tudo estava muito chato... Sabe era só pesquisa, trabalho e bonecos doces, não tínhamos entretenimento, então criamos um jogo hahaha, onde pessoas morrem para a gente se divertir, era maravilhoso, e ficamos nesse entretenimento por um bom tempo, alguns bonecos não tinham o que fazer... A mente deles não mudava ou estava muito corrompida as vezes, Rose por exemplo esse meio humana e meio doce hahaha, não importava o que a gente fizesse, ela sempre ficava com aquela personalidade e modo de agir rebelde misturado com criança, haha, então para evitar que ela ficasse corrompida Igual outros bonecos que eu fiz com a ajuda das pesquisas de Matheus.... Eu deixei ela ir para a escola sabe, ter ou fazer ela pensar que tem uma vida normal, ela estava gostando, menos da parte que eu as vezes controlava ela para devorar outros alunos quando estivessem sozinhos, você e seu amigo por exemplo, eu os peguei para jogar nosso querido jogo.

 

Artur: Então foi você que fez a Rose me atacar!

 

Senhor G: Exatamente garoto, mas você estragou tudo, novamente tudo desmoronou, só que agora por completo!

 

Artur: Hm?

 

Senhor G: Você ganhando o jogo, acabou com a Candy World de vez, hahaha, perdemos quase tudo, a empresa, e até o mais grave problema.... Perdemos o controle dos bonecos... A partir desse momento que eles não têm alguém que mande neles, eles agora agem por extinto, quando eles sentem fome eles comem, quando eles sentem o prazer de matar.... Eles matam.... Não existe mais alguém que possa falar ´´Pare`` para eles, eles não aceitam mais ordens.... Agora eles são monstros sedentos por sangue livres pela rua a noite, atrás de cadáveres ambulantes inocentes para devorar.

 

Artur: E o que sobrou de você.... Vocês?

 

Senhor G: Hahahaha.... Não é obvio garoto? A insanidade!

 

Artur: E qual o sentido nisso?

 

Senhor G: Sentido?

 

Artur: ...

 

Senhor G: Garoto, isso começou antes mesmo de você nascer!

 

Artur: Hm?

 

Senhor G: Vou te contar um segredo, Candy Little Boy não foi criado em 2020 ele já existia antes disso!

 

Artur: Como assim?

 

Senhor G: Hahahaha, a Candy World talvez nem sempre tenha sido uma empresa maligna diante de seus olhos.... Ela já foi apenas uma empresa de vendas chata, até que recebemos uma grande mensagem de um culto, eles queria um boneco para usar em sei la o que, mas eles não queriam qualquer boneco, eles queriam algo que impressionasse, algo que você daria como um presente especial para alguém, talvez ele teria sido usado como uma oferenda para alguma coisa.

 

Artur: Oferenda?

 

Senhor G: Exatamente, e nesse tempo Candy Little Boy quando foi vendido para esse suposto culto, ele era um boneco normal, nós nem pensamos em controlar ele algo assim... 2 dias depois que vendemos Candy Little Boy a esse culto, a casa que eles residiam pegou fogo, e alguns cadáveres encontrados que não foram consumidas pelo fogo, foi descoberto que possuíam marcas de facas e desmembradas, como se alguém tivesse entrado lá ou sei lá... E matado todo mundo.

 

Artur: Talvez tenha sido coincidência!

 

Senhor G: É isso que pensamos no início, depois desse acontecimento um tanto estranho, pegamos o boneco que por sinal não tinha nenhuma marca de queimado, como se o fogo não tivesse o atingido, e vendemos ele para uma igreja, o destino da igreja foi ainda pior, cadáveres mutilados, desmembrados e alguns até decapitados,

Como se alguém não tivesse curtido o lugar que estava ou... Das pessoas que estavam a sua volta.

 

Artur: ...

 

Senhor G: O que eu estou tentando dizer garoto é que...  Tem algo de errado, muito errado com aquele boneco e isso não foi interferência nossa, duvido que seja um erro de fabricação, isso é muito especifico, hahaha nem Candy Little Boy é seu verdadeiro nome!

 

Artur: O que?

 

Senhor G: Quando o culto nos pediu para criar o boneco, ele nos deu o nome do boneco.... Após o trágico acidente colocamos o nome dele de Candy Little Boy.

 

Artur: Quantos anos esse negócio tem?

 

Senhor G: Depende se for o boneco.... Uns 70 ou 80 anos, se for a Candy World hahaha.... Nem mesmo eu sei.

 

*Pedro acorda lentamente.

 

Pedro: Hm?

 

Artur: Pedro?

 

Pedro: Artur?

 

Senhor G: Parece que nosso convidado acordou, hahaha, mas calma eu tenho uma surpresa para você!

 

*Senhor G pega de uma mesa um pote com uma aranha grande dentro.

 

Pedro: Aranha não!

 

Senhor G: Que foi? Tem medo de aranhas?

 

Pedro: Tira isso de perto de mim!

 

Artur: Calma cara!

 

Pedro: Fico louco? Olha o tamanho dessa desgraça!

 

Senhor G: Hahaha, essa é uma aranha extremamente rara, sendo encontrada apenas aqui no Brasil, o nome dela? Esqueci, mas isso não vem ao caso, querem que eu explique o que essa aranha faz?

 

Pedro e Artur: Não!

 

*Senhor G retira com a mão a aranha dentro do pote e fica a segurando.

 

Senhor G: Essa linda espécie, gosta de torturar suas presas, após prender elas em suas teias, ela dá uma pequena mordida dolorosa nelas, fazendo surgir umas bolinhas talvez bolhas na parte mordida, causando uma dor insuportável em insetos, mas em nós coceira, paranoia, tontura, febre e o que mais deixa ela interessante...

Esse veneno mata a vítima sem a matar, confuso não? Vou explicar melhor! Esse veneno impede que seu coração pare de bater por 1 hora dependendo da quantidade do veneno injetado, fazendo a dor apenas aumentar, a sua loucura disparar... E quando metade desse período do veneno acabar, as bolhas que estão dentro de sua pele,

Nervos, carne e até veias explodem, na verdade essas bolhas são ovos.... Pequenas aranhas começam a te comer por dentro, espalhadas pelo seu sangue hahaha, mesmo elas devorando seu coração, o veneno dessa diaba faz você viver para sofrer... A natureza é realmente incrível, não é?

 

*Pedro começa a suar e tremer muito.

 

Artur: Calma Pedro, você precisa se acalmar!

 

Pedro: Eu não consigo, eu não consigo.

 

Senhor G: Os covardes entendem o medo.... Como são espertos, essa aranha nunca em si foi testada em laboratório para ver realmente TODOS seus efeitos colaterais, nem mesmo no mercado negro deixam testar.... Então que tal serem as cobaias?

 

Pedro: Que?

 

Artur: Do que você está falando?

 

Senhor G: Vamos lá! Vai ser como ir ao médico tomar uma rápida injeção, e veja por outro lado, nossa amiguinha aqui está faminta, você vai alimenta-la!

 

Artur: Tire essa porra daqui!

 

Pedro: Pare por favor!

 

*Senhor G começa a aproximar sua mão que está segurando a aranha em Artur.

 

Artur: Não!

 

Candy Little Boy: Pare!

 

Senhor G: Hm?

 

*Senhor G olha para trás rapidamente, e se depara com Candy Little Boy.

 

Senhor G: Então você veio... Como me achou?

 

Candy Little Boy: O cheiro de merda estava impregnando o lugar e só tinha você, então foi fácil de te achar.

 

Senhor G: Bem-humorado como sempre não é Natas?

 

Candy Little Boy: Que?

 

Pedro: O que foi que ele disse?

 

Artur: Natas...

 

Candy Little Boy: Quem é esse?

 

Senhor G: Não se lembra pequeno boneco? Dos seus primeiros donos?

 

Candy Little Boy: Primeiros donos?

 

Senhor G: Esses 70 ou 80 anos na terra acabam com a mente né? Não se lembra de participar de nenhum culto? Ou igreja?

 

Candy Little Boy: Não.... Talvez em uma segunda vida!

 

Senhor G: Bem esse argumento é até valido, afinal você já morreu, eu te reconstruí, só não me lembro de ter apagado sua mente.

 

Candy Little Boy: Não.... Eu realmente não me lembro.

 

*Senhor G coloca a aranha solta pela mesa e começa a caminhar lentamente em direção a Candy Little Boy.

 

Senhor G: Que cara deprimida é essa? Cadê seu sorriso?

 

Candy Little Boy: Por que eu deveria sorrir?

 

Senhor G: Por que você é Natas... Mas pra nós Candy Little Boy, a representação e alegria das crianças, sorrir é sua marca.

 

*Um longo braço escuro sai das costas de Candy Little Boy, o longo braço negro pega Senhor G pelo pescoço e o pressiona na parede da sala.

 

Senhor G: O que... é isso?

 

Candy Little Boy: Agora quem faz as perguntas aqui sou eu! Por que vocês me criaram?

 

Senhor G: Criamos você.... Para um cliente.... Um culto que pediu você!

 

Candy Little Boy: Um culto entendi, agora a última coisa que vou perguntar, o que eu sou?

 

Senhor G: ...

 

*Candy Little Boy com seu longo braço escuro joga Senhor G na outra parede da sala, fazendo Senhor G colidir com ela violentamente.

 

Candy Little Boy: Eu sempre achei que eu podia ser como as outras crianças... Feliz..., Mas não, eu tinha que ter sido criado para outro propósito, então me responda! O que eu sou?

 

*Senhor G se levanta lentamente do chão.

 

Senhor G: Você.... Quer saber o que você é?

 

Candy Little Boy: ...

 

Senhor G: Uma máquina de matar inocente.... Um demônio!

 

*Em um movimento de piscar de olhos o braço negro de Candy Little Boy perfura a barriga de Senhor G.

 

Senhor G: O que fizeram com... Você?

 

*Senhor G se ajoelha no chão.

 

Candy Little Boy: O que.... Fizeram comigo? O que vocês fizeram comigo?

 

Senhor G: .... Você não é assim!

 

Candy Little Boy: Nem eu estou acreditando.

 

*A mão negra perfurando a barriga de Senhor G se afunda mais.

 

Senhor G: ... (Vomita sangue)

 

Candy Little Boy: Qual é seu nome mesmo?

 

Senhor G: Gabriel... (Vomita sangue de novo)

 

Candy Little Boy: Eu não pude reparar que você estava explicando sobre aranha e como ela fazia com suas vítimas.... Sendo uma delas a coisa mais magnifica segundo você, estender de uma forma dolorosa a vida da presa.

 

Senhor G: ...

 

*Candy Little Boy faz de suas costas sair outro braço escuro, que com apenas um golpe com dois dedos, aperta e fura os olhos de Senhor G.

 

*Senhor G começa a gritar de dor.

 

*Candy Little Boy lambe um pouco do sangue de Senhor G.

 

Candy Little Boy: Nem mesmo seu sangue colabora com esse cheiro horrível vindo de você.... Que pena pra mim, mas sorte pra você, terá uma morte rápida!

 

Senhor G: Hahaha... (Vomita sangue novamente)

 

Candy Little Boy: Admito que a cena é bem interessante, mas.... Não acho que seja uma hora boa para você dar risada!

 

Senhor G: Eu vou voltar seu boneco imundo, e quando eu voltar eu vou acabar com voc...

 

*Candy Little Boy com seus 2 braços escuros, desmembra Senhor G o matando na hora, fazendo toda a sala ser pintada de vermelho com o sangue de Gabriel.

 

Pedro: ...

 

Artur: Cara.... Tem sangue desse cara até na minha cara!

 

Pedro: O que é esse negócio?

 

*Pedro e Artur começam a olhar assustados para Candy Little Boy.

 

Candy Little Boy: O que eu sou? Não escutou aquele cara? Sou um demônio sei lá o que é isso, mas segundo ele eu sou isso.

 

Artur: Por que nos salvou?

 

Candy Little Boy: Obrigado por lembrar, já estava quase me esquecendo do sentido de eu estar aqui! Foi um favor.

 

Pedro: Um favor?

 

Candy Little Boy: Uma amiga.... Uma... Velha amiga me pediu carinhosamente para eu vir salvar vocês!

 

Artur: Rose...

 

Candy Little Boy: Eu ainda não sei o que ela viu em você, sério vocês humanos me dão nojo!

 

*Candy Little Boy repara que a aranha que Gabriel soltou na mesa está caminhando no chão, Candy Little Boy pisa nela e a esmaga em seguida.

 

Pedro: Hm...

 

*Candy Little Boy usa seus dois braços escuros e liberta Artur e Pedro das cordas que estavam os prendendo.

 

Candy Little Boy: Vamos sair daqui logo, esse lugar me irrita.

 

Pedro e Artur: ... Ok.

 

*Candy Little Boy, Artur e Pedro saem de dentro da sala que estavam, se deparando com uma rua pouco movimentada e logo em frente estava Candy Little Girl e Rose paradas de pé.

 

Candy Little Girl: Eles chegaram!

 

*Rose corre em direção a Artur, logo em seguida pula em cima dele o derrubando no chão.

 

Artur: Ai!

 

Rose: Artur você está bem, achei que algo muito ruim ia te acontecer.

 

Artur: É... Obrigado por... Ficar preocupada eu acho...

 

Pedro: Ei e eu?

 

Rose: É... Você também.

 

Pedro: Não gostei disso.

 

Candy Little Boy: Pronto Rose! Agora podemos voltar.

 

Rose: Hm?

 

Candy Little Girl: Não se lembra Rose.... Voltar a nossa família!

 

Rose: Eu.... Não quero.

 

Pedro, Artur, Candy Little Boy e Girl: Não quer?

 

Rose: Nesses dias que eu estava procurando vocês 2, vi cenas maravilhosas, de crianças... Famílias e amigos felizes juntos, mas, esse não é um tipo de família que eu quero ficar entende?

 

Candy Little Boy: Do que você está falando? Humano são verdadeiros monstros! Eles matam por prazer! Eles matam amigos! Humanos não merecem nem mesmo viver!

 

Rose: Mas.... Eu não sou humano?

 

Candy Little Boy e Girl: Hm?

 

Rose: Se lembra? Sou metade haha... Doce metade humano, mas ser metade não retira minha humanidade, eu apenas.... Quero ter uma vida feliz sabe, ser o que eu deveria ser.

 

Candy Little Girl: Rose...

 

Candy Little Boy: Mas Rose...

 

Rose: Vocês são meus amigos.... Por ironia do destino talvez más... São meus melhores amigos, mas o que vocês querem eu não posso aceitar, porque eu não quero e não é meu destino sabe.

 

Candy Little Boy: ...

 

Rose: Ser feliz.... Esse é meu destino.

 

Artur: Rose...

 

*A barriga de Pedro ronca.

 

Pedro: A foi mal... É que estou com fome gente! Querem passar em uma pizzaria?

 

Rose e Artur: Eu quero!

 

Pedro: Então vamos!... Querem ir baixinhos?... Baixinhos?

 

*Pedro, Rose e Artur reparam que Candy Little Boy e Girl não estão mais ali com eles.

 

Artur: Eles sumiram!

 

Rose: Às vezes eles fazem isso.

 

Pedro: Bem, então acho que eles não vão querer, vamos só nós 3 então!

 

Rose e Artur: Tudo bem!

 

*30 minutos depois, está Rose, Artur e Pedro conversando sentados em cadeiras com uma mesa podendo ser vista por uma janela, e de trás dessa janela está Candy Little Boy e Girl observando eles.

 

Candy Little Girl: Eu.... Vou sentir falta dela.

 

Candy Little Boy: ...

 

*Candy Little Boy para de olhar Rose, Artur e Pedro pela janela de fora e senta em um banquinho, logo em seguida começa a chover.

 

Candy Little Girl: O que você achou?

 

Candy Little Boy: Hm?

 

Candy Little Girl: Da decisão de Rose?

 

Candy Little Boy: Muito boa!

 

Candy Little Girl: Hm?

 

Candy Little Boy: Ela apenas quis o que eu não consegui... O que eu não podia ter, uma vida!

 

Candy Little Girl: ...

 

*Candy Little Girl para de olhar Rose, Artur e Pedro pela janela de fora e senta no banquinho ao lado de Candy Little Boy.

 

Candy Little Girl: Então... O que a gente faz agora?

 

Candy Little Boy: O que a gente faz agora?

 

Candy Little Girl: Sim! E depois de você pensar nisso, temos que voltar já está a noite, nossos amigos estão nos esperando.

 

Candy Little Boy: Vamos acabar com isso!

 

Candy Little Girl: Acabar com o que?

 

Candy Little Boy: Hoje eu matei o homem que acabaria com isso tudo, eles acham que nós somos o problema desse mundo, que nascemos quebrados deis do início.... Então eu acabarei com tudo isso.... Do meu jeito!


Notas Finais


Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...