História The caregiver (Imagine Min Yoongi - BTS) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys (BTS), Min Yoongi
Visualizações 71
Palavras 1.388
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Hentai, Literatura Feminina, Mistério, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi! moranguinho! Tudo bem? Espero que sim! Vim com mais uma Fanfic com esse tema de “babá”, mas é cuidadora. Espero que gostem de verdade criei com amor e veio na minha cabeça do nada e resolvi fazer. Capa feita pela essa maravilhosa @Babygirlsadd acompanham ela, ela é maravilhosa! Espero que gostem!

♡ — Yoongi, 27 anos Você, 25 anos Min DongSun, 05 anos.

♡ — A história se passa nos Estado Unidos, em Nova Iorque, e um pouco na Coreia do Sul, em Seul.

Boa leitura!❤

Capítulo 1 - Prólogo - I


Fanfic / Fanfiction The caregiver (Imagine Min Yoongi - BTS) - Capítulo 1 - Prólogo - I

Nova Iorque, Estados Unidos. 

Casa dos Min's 

Pra falar a verdade, no começo era estranho ser pai solteiro, mas com o tempo, fui me aditando aos costumes e as funções. Quando descobrir que iria ser pai foi um susto no começo mais me deixei levar com essa notícia. Semanas depois pedi demissão e Sook como sempre me acolheu e começou a cuidar da casa. Como todo casal, veio as brigas, discussões e tudo por causa dá, a mesma que reclamava de tudo. Apos Dongsun completar dois meses, Sook pediu demissão do trabalho e começou a sair e gastar todo o dinheiro em festas, baladas e nada com a família, não suportando isso, depois de algumas semanas não demoraram muito para eu pedi divorcio e a guarda de Dongsun ficou comigo, o juiz deu finais de semanas para Sook visitar seu filho, mas ela sumiu nunca mais a vimos. Acabei tendo totais responsabilidades de criar um filho sozinho. Com isso, me mudei para Nova Iorque com a ajuda dos meus pais, conseguir afundar minha própria gravadora e minhas lojas de roupas. Hoje sou um pai, um empresário e proe produtor musical mais feliz desse mundo.

 Mas, Dongsun com apenas 3 anos, passou mal e sair correndo para o hospital, lá o médico, Mim Taehyung (amigo meu), disse que meu filho tem algum tipo de infecção ou doença, que ninguém sabe no momento. Dongsun acabou ficando de cama e tomando remédios. Com as empresas crescendo e muitos contratos vindo, fico sem tempo de ver meu filho e isso me mata profundamente. 

06:00 da manhã. 

De manhã acordei, deparei-me com um cobertor preto cobrindo o meu corpo inteiro e com calor que estava em minha cidade. Levantei na maior preguiça e seguir para meu banheiro fazendo minhas higienes e logo saindo do meu quarto e indo o quarto de Dongsun acorda-lo, já que só o vejo esse horário e depois só as 22:00 horas da noite. 

 — Filho, filho, acorda — mexo em seus cabelos na tentativa de acorda-lo.
 — acorda! 

— Hm… appa? Bom dia. — murmurou coçando seus olhinhos. Ah! É muita fofura.

 — Bom dia, filhão! — falo, deixando um beijo no tomo de sua cabeça. 

— to com fome, appa

 — Depois do seu banho e pediam pra Tia Marcele fazer um bolo gostoso pra você. — Digo, vendo o garoto a minha frente sorri. 

— appa, vai trabalhar!? — Sorriu triste.

— Sim, mas vou voltar logo. Agora pró banheiro — digo, batendo palmas. Dongsun correu imediato para banheiro. 

Ai começa minha rotina, arrumar as coisas dele, dar remédio, dá um suco pra ele e depois me alimentar e ajuda-lo também.  Arrumo minhas coisas e deixar tudo separado, agora e só partir para o trabalho, enquanto minha mãe (que a mudou para aqui a pouco tempo) ajudar a Marcele a cuidar do Donsung.

— rotina pesada? — Taehyung, se aproxima dando um aperto de mão.

— oh! Sim… — Digo, indo até minha sala sendo acompanhado pelo mesmo.

 — você deveria contratar uma enfermeira, ou como dizem, cuidadora. — sugeriu.

— Sim, mas não confio nessas cuidadoras. Tá! Bom a Marcele e minha mãe cuidar dele.

 — Para de ser doido 'homi'! Contratar logo uma cuidadora. Sua mãe e a Marcele não são profissionais. — Diz Taehyung, com ar sério. 

— Mas ele se sente mais a vontade com elas — Digo.

— Lembra do dia que ele passou mal e ela não soube o que fazer e ligou para você? Lembra? Contrate logo uma cuidadora, eu te ajudo.

Fiquei pensado por alguns segundos, será que é melhor com uma cuidadora? E se ele não gostar da ideia? Ele vai esta segura? Sera que ela iria fazer algum mal? Aish! Quantas perguntas…

— Depois conversamos sobre isso — Falo, arrancando um sorriso vitorioso do Tae.

 — agora vamos conversa sobre meu solo. Ah! Não esqueça dessa conversa — Diz, olhando seu relógio de pulso.

— Ok, ok. Agora vamos resolver seu solo. — Rio. Taehyung é um grande barato mesmo! Uma comédia.

Resolvermos sobre o solo dele e sairia daqui a (cinco) mês, tinha que resolver outro solo e um MV dê um grupo. Esse tempo todo que estava escrevendo e gravando, ficou martelado em minha cabeça tudo que o Tae tinha digo, penso que estava decido, eu iria fazer entrevistas para achar uma cuidadora perfeita e qualificada para o cuidar dê meu filho. 

Chegou a hora do almoço, fui para uma lanchonete perto da gravadora que tinha combina com Tae.

— Pensou na proposta de contratar uma cuidadora?

— Sim — Falo, me ajeitando na cadeira. — Vou contratar, mais não sei como.

— Posso ver com minha mãe, deve ter mulher qualificada e boas. — Sugeri. Mãe de Tae, tem uma equipe que trabalha como cuidadoras, então julgo que vai ser fácil.

— Ok obrigado

— Eu te aviso hoje mesmo.

Almoçamos e fomos aos nossos deveres, e como sempre, a noite chega e vou para casa. 

— Cheguei! — Gritei, sendo recebido pela minha mãe com uma capa vermelha e meu filho vestido de. Superhomem. 

- Oi! appa! — Pronúncia, vindo até mim e pego-o no colo.

 — Eu e a vovó estava brincando de heróis. 

— Ai, sim! — Rio.

 — Agora está na hora de você ir dormir, não é mesmo? Uh

 — Sim! — Diz, saindo de meu colo e indo para o colo de minha mãe. 

— Vou colocar ele pra dormir. 

— Diz minha mãe, subindo as escadas com ele.

 Retiro minha gravata, meu sapato e, me jogo no sofá, estava exausto. Fecho meus olhos e respiro fundo. 

— Ele precisa de uma cuidadora. — Tomo um susto ao ver minha mãe na minha frente. 

— Até você? Sei mãe, vou procurar amanhã. 

— Digo, vendo a mesma ainda parada em minha frente, com suas mãos em sua cintura. 

— Como?

 — Não sei, ainda. 

— Fácil isso

 — Como assim, “Fácil”? 

— Divulga na Internet. — Fala, pegando seu celular e me entregando.

 — Ta, mas como posso escrever? — Indago, a mesma senta no meu lado.

 — Escreve assim. “Procuro uma cuidadora (Enfermeira) para cuidar de meu filho que está doente, com o cartão ativo e que seja qualificada para cuidar de uma criança. Interessada? Ligue para............. ou para..........Mas, informações e sò oligar para esses números.” 

— Uau! — murmuro, dando de volta o celular para a mais velha. 

- Eu sei, sou demais! — Rimos. — Vou ir agora e depois é só me mandar mensagem. 

Assim que minha mãe foi embora, tomei um banho e dormir feito pedra, estava exausto e cansado demais. 

Dia seguinte. Nova Iorque, Estados Unidos. Hospital Nova Estrela.

— Olha, você está se alimentando direitinho, isso pode ajudar no seu tratamento mochinho. — Diz o médico para o Dongsung que sorri para o mesmo.

— Fico feliz! — Digo, bagunçando o cabelo do meu filho.

— Vou ganha um docinho? — pedi, com uma voz muito fofa.

— Sim. — Doutor Jeon, sorri e entrega o pirulito para Dongsun.

— Vai aqui fora e procura a enfermeira Lisa, ela está aqui com a secretária. Vou conversa um pouco com seu appa.

— Ta bom.

Assim que Dongsun saiu da sala, o Jeon me olhou sério e começou a falar.

— Senhor Min, ele de mais um remédio.

- Porquê?

— Por mais, que ele esteja com alimentação boa e bebendo água todos os dias. Estou preocupado com ele. Ele veio aqui no hospital mais de três vezes por falta de oxigênio e com dores fortes em seu peito. Precisamos dar mais remédios a eles e ele precisa ser vigiado 24 horas.

— Eu não tenho tempo, doutor.

— Contrate uma cuidadora, uma enfermeira que esteja disposta a dar atenção mínima para seu filho.

— Até você? Um monte de pessoa está dizendo isso para mim.

— Eles estão certos. Espero que ele possa melhorar.

— Eu também. — Bufo, prendendo meus dedos em meu cabelo e jogando para trás.

— Desculpe, estou tentando dar o melhor. — Diz, tentando dar um apoio.

— Está tudo bem!

Saiu de sua sala e, pego Dongsun, e vamos para a casa. Não aguento ver meu filho tomando remédios e mais remédios, eu estava desesperado e precisa de uma luz agora. Estaciono meu carro na garagem, desço do carro e ajudo meu filho sair também, entramos em casa e logo ele corre para o seu quarto.

— Senhor Min? — Olho para a porta e cozinha e vejo Marcele o telefone na mão e um sorri no rosto.

— O que foi?

— Telefone para você. Vou até a mesma, pego o telefone de sua mão e sou uma respiração pesa, parecia que está pessoa estava nervosa.

- Alô?

- Alô! Acabei de ver seu anúncio, está precisando e uma cuidadora ainda?

É o milagre…


Notas Finais


Espero que tenham gostado, comenta aí que acharam do Prólogo. Hoje foi para mostrar um pouco o Min Yoongi.


Meu perfil: @xcryx
a capitalista: @Babygirlsadd


acompanham ela e vamos dar muito amor a ela e a FIC, bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...