História The Cat - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, V
Tags Bangtan Boys, Bias, Bts, Gato, Happyjiminday, Jimin, Tae, Taehyung, Você
Visualizações 1.515
Palavras 1.561
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


AEEEE! Aniversário do Jimin e também de The Cat! Atrasei 2 minutos, mas a gente lida, né? Obrigada pelos 111 comentários e 1060 favoritos! Estarei respondendo cada uma de vocês com muito carinho!!!

Leiam as notas finais!! Desculpem, ainda não revisei o capítulo.
Boa leitura!

Capítulo 5 - Everything will change


Capítulo 5: Tudo irá mudar


HOJE 


             Acordei com o sol batendo em meu rosto. Vislumbrei s/n ao meu lado, já que, na noite passada, levei-lhe à cama depois de seu pequeno "desmaio" pelo cansaço. Ela era absurdamente linda e seus cabelos espalhados pelo travesseiro faziam-lhe parecer uma obra de arte. Minha mão segurava sua cintura, enquanto sua perna envolvia a minha de uma forma engraçada. Ri suave. Minha nudez era evidente e tê-la tão perto da mesma forma que eu, uma tentação.

             Sorri, acariciando sua cintura e me arrependendo no momento seguinte. S/N tentou se soltar do meu enlace ainda sem abrir os olhos, então, forcei meu braço contra si, prendendo-a comigo. Infelizmente, tive de afrouxar meu aperto quando ela sentou-se bruscamente. Aish... por que aquele momento tão maravilhoso tinha de acabar assim?

             – Quem é você?

             E, bem, essa história já conhecemos. Convenhamos que ver o ex de s/n ficando completamente puto e envergonhado foi a melhor coisa que já vi na minha vida (claro que ouvi-lo esmurrar a parede após ser expulso foi divertido também).

             S/N virou para trás e tomou um leve susto ao me ver ali parado, totalmente nu. Ela engoliu seco ao me encarar da cabeça aos pés e eu sabia o que se passava pela cabeça dela ao me vislumbrar daquela forma.

             – E agora? – questionou-me, mordendo o lábio inferior de um jeito absurdamente sexy.

            – Você vai me deixar ficar? – respondi-a com outra pergunta, sentindo meu coração começar a acelerar.

            Tornei a ficar sério, meu peito subia a descia num ritmo louco, eu queria que me dissesse sim, mesmo que o não fosse mais sensato. Vi-a bagunçar os próprios cabelos, cheia de indecisão, parecia confusa, porém, quando me olhou de novo, nossos olhares se prenderam como imãs durante um longo tempo, ambos hipnotizados, loucos de desejo um pelo outro.

            – Ah... quer saber? Foda-se! 

            Deixei um sorriso dominar meus lábios quando seu lençol caiu no chão. Mesmo que eu tentasse negar ou dizer que era apenas luxúria, estava tremendamente apaixonado por aquela garota e saber que poderia ficar com ela era incrível. Esperançoso, perguntei para ter certeza:

            – Isso é um "sim"? 

            Tendo seu sorriso sapeca como resposta, meu coração acelerou ainda mais. S/N veio em minha direção, seus quadris seduziam-me com seu gingado próprio e seus seios com bicos rosados me deixavam maluco. Sua mão tomou a minha para si e guiou-me até o quarto. Aquele sorrisinho continuava em sua boca carnuda e rosada, deixando minha mente suja formular várias situações envolvendo nós dois naquele cômodo perfumado por seu cheiro doce.

             Sem esperar mais, joguei-a contra a cama e coloquei-me em cima dela, sorrindo também com malícia. Meu rabo e orelhas ainda apareciam e ela parecia gostar daquilo, pois suas mãos foram de imediato acariciar minhas orelhinhas de pelagem escura, negras como meus cabelos. 

             – Você não vai se arrepender de ter me escolhido – sussurrei.

             – Eu sei que não – aproximou seu rosto do meu – Só acho que você está falando demais.

             Tomei seus lábios para mim, iniciando um beijo quente, em que explorávamos a boca um do outro cheios de vontade, cheios de tesão. Levei minhas mãos aos seus seios, brincando com eles. Parei o ósculo para descer com a boca pelo seu pescoço até chegar neles, seus biquinhos eriçados apenas me davam mais vontade de chupá-los.

             Os dedos de s/n faziam um carinho gostoso em minhas orelhas, gemi baixinho contra seu seio direito graças a isso, completamente manhoso. Não podia negar que aquele era meu ponto fraco. Os seus arfares e sussurros deixavam-me louco, meu pau já começava a ficar duro novamente.

             Rodeei seu mamilo com a língua, enquanto minha mão direita ia ao seu seio esquerdo para massageá-lo e brincar com seu bico também.

             Suas mãos saíram de minhas orelhas para o topo de minha cabeça, fazendo força. Imediatamente entendi o que queria dizer e comecei a descer minha boca por seu corpo até chegar em sua intimidade. 

             – A-Aí, J-Jimin – gemeu manhosa, voltando a mexer nas minhas orelhas.

             Salivei ao encarar sua boceta tão rosada e apetitosa. Sem pensar duas vezes, comecei a lambê-la de cima a baixo, dando uma atenção especial ao seu clitóris, enchendo-o de mordidinhas. Depois, invadi sua entrada, sentindo-a se contorcer embaixo de mim, praticamente berrando meu nome.

             Agarrei suas coxas grossas com vontade, aproveitando para arranhá-las com as minhas garras também. S/N, como uma boa masoquista, ia ao delírio com a mistura de dor e prazer que proporcionava à ela.

             Seu corpo estremeceu e eu soube que estava chegando ao ápice. Aprofundei-me e cravei as unhas em sua carne macia, sendo agraciado gosto de seu clímax, a sua doce e excitante explosão.

             Fiquei por cima novamente. A visão de s/n esparramada na cama com o rosto avermelhado e cabelos espalhados era a mais linda do mundo. Sorri, deitando sobre ela e adentrando sua intimidade aos poucos, eu não aguentaria por muito tempo.

             – Você é perfeita, querida – sussurrei próximo ao seu ouvido, fazendo-a estremecer – e eu mal posso esperar para te comer assim todos os dias.

             Ao invadi-la por completo, s/n rebolou, levando-me à insanidade. Levei minhas mãos aos seus quadris e passei a estocá-la com força, sem delicadeza alguma, fudendo-a com vontade até conseguir atingir seu ponto G. Ia tão fundo, suas paredes escorregadias, quentes, pareciam devorar meu pau, estava desesperado por mais e mais, sentia-me crescer dentro dela.

             – P-Porra, s/n – gemi, vendo-a revirar os olhos de prazer.

             – J-Jimin! M-Mais, p-por favor! 

             Aumentei a velocidade assim como s/n havia pedido, guiando-nos ao mais puro delírio. 

             Apenas diminuí o ritmo quando agarrei seu quadril com ainda mais força e levei suas pernas até meus ombros. Essa posição era ainda melhor que a anterior, sentia-me indo mais fundo dentro de s/n, a qual gemia de forma que até os vizinhos poderiam ouvir.

             Ao senti-la me apertar completamente, gemi sôfrego e precisei de apenas mais uma estocada para chegar ao meu clímax, gozando, enquanto ela também chegava ao dela.

             – Puta que pariu, Jimin – sussurrou.

             Senti suas pernas trêmulas e apenas sorri, saindo de dentro dela e acomodando-me ao seu lado na cama. Depois de alguns segundos, s/n também se ajeitou. Nossas respirações no entanto, demoraram mais tempo para se regularizarem.

             – Jimin, precisamos conversar – disse, olhando para mim – Seu pai deve estar preocupado contigo.

             – Eu sei – suspirei, sentindo minha consciência começar a pesar – E irei resolver aquele problema com a mídia...

             – Caso queira, poderei te ajudar. Ainda não sei como, mas posso tentar.

             – Você... ah... – cocei minha nuca, desconcertado – bem, eu sei que falei de ficar aqui, mas tenho meu apartamento e...

             – Tudo bem – interrompeu-me – Por que a gente não se conhece melhor primeiro? Nós começamos muito bem, admito – sorriu maliciosa – Só que eu tenho uma condição.

             – E qual seria? – questionei, sentindo meu coração acelerar.

             – Sem contrato, sem dominador e submissa, apenas eu e você, amarrando um ao outro na cama de vez em quando, ninguém querendo mandar na vida de ninguém. Sem humilhações, sem choro.

             – Ótimo, eu ia propor o mesmo – sorri para s/n.

             Eu estava disposto a mudar, disposto a ser um novo Jimin, tudo por ela, pois, sim, apaixonei-me perdidamente por aquela mulher, eu a amo.

 


Enquanto isso, em outro lugar...
(NARRADO EM 3ª PESSOA)


             Taehyung estava puto da vida, quase quebrando tudo, extremamente irritado. Como s/n podia ter lhe deixado?! Que absurdo! Ela lhe devia respeito, lhe devia amor! Que grande vadia! E agora? Quem faria sua janta toda sexta-feira?

             Decidiu sair pelas ruas e beber um pouco para, quem sabe, conseguir esfriar a cabeça. Havia pensado o dia inteiro naquela maldita, precisava parar. 

             Quando s/n ficava irritadinha, era só dar uma surra de cinta ou de pau que já se acalmava. Que porra! Por que dessa vez não tinha funcionado? Aquela garota era incapaz de arranjar alguém melhor que ele! Ou melhor, ele preferia deixá-la pensar assim para que não o deixasse. Taehyung sabia bem seus defeitos, mesmo que custasse admitir.

             Não pegou o carro, muito menos seu RG, apenas algumas notas de dinheiro seriam o suficiente para pagar umas cervejas no bar nojento que ficava a algumas quadras de sua casa.

             Andava até seu destino, passando por alguns becos escuros, até escutar a voz de uma senhora velhinha (uma mendiga melhor dizendo):

             – Por favor, meu jovem, teria algum dinheiro para essa pobre mulher comprar um pouco de pão?

             Olhou-a irritado. Não estava com paciência para esse tipo de coisa e, mesmo se estivesse, teria sido rude da mesma forma. Rico e pão duro como era, nunca se daria ao luxo de ajudar alguém.

             – Saia daqui, sua velha! Vá pedir dinheiro para outro, vá, sei lá, arranjar um emprego! Uma mendiga como você não deveria nem ousar falar comigo!

             – Sabe, garoto, falta bondade no seu coração. Consigo ver bem os acontecimentos recentes apenas por olhar em seus olhos – riu – Trocado por um gato? Pois bem, acho que não há então um castigo melhor do que o que lhe darei.

             Taehyung xingou a mais velha, pedindo para ela não dizer asneiras, porém, a senhora apenas sorriu e disse palavras desconhecidas, apontando para ele no fim.

             – Só voltará à sua forma humana quando aprender a lição.

             E o tão poderoso Kim apenas pôde ver suas roupas de marca caídas no chão, assim como as notas de dinheiro, e se assustar ao perceber que, agora, não era mais o homem cobiçado e rico de antes, mas, sim, apenas um gato marrom e sem graça.

 


Notas Finais


E AÍ? TOPAM UMA SEGUNDA TEMPORADA FOCADA NO TAEHYUNG? HAHAHAHHAHA

Bem, hoje não apenas nosso bebê Jimin fez aniversário, The Cat também completou 1 ano! E eu só posso agradecer cada uma de vocês que leram por isso! Obrigada por terem me feito mais feliz com sua presença, leitura, comentários etc! Tudo isso me deixou muito animada!
MIL FAVORITOS? TA DE BRINCADEIRA? Isso é um sonho para mim!!

AAAA BORA SEGUNDA TEMPORADA??
XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...