História The Chosen One - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Revelaçoes, Romances
Visualizações 40
Palavras 2.685
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 14 - Capítulo 13


Fanfic / Fanfiction The Chosen One - Capítulo 14 - Capítulo 13

Point of View Hanna

— Eu não quero saber de erros, essa pode ser a sua última oportunidade. — a voz de Caios transpassava superioridade por todo o lugar e eu sopude revirar os olhos

 — Não abuse garota. — Parker rosnou do canto da sala e eu bufei. 

— Eu não vou errar. Ela é fácil de ser influenciada. — disse e Parker revirou os olhos. 

Quanta implicância! 

— Se fosse tão fácil você teria conseguido na primeira vez. — disse e eu olhei com a cara mais debochada que eu tinha vendo-o avançar em mim.

— Basta! 

O barulho dos saltos da loira ecoaram pelo ambiente fazendo Parker voltar ao seu lugar e me fazendo deixar a posição de ataque. 

— Não tem necessidade de tanta briga entre vocês dois. — disse com o olhar direcionado para mim e Parker — Vá logo antes que eles impeçam a garota. — ordenou e eu a olhei com a sombrancelha arqueada.

— Mas eu...

— Caios? — direcionou o olhar para Caios que assentiu. 

— Vá! Tenha sucesso dessa vez. — me afastei deles indo para o carro.

— Pode ser a sua última chance. — ouvi a voz de Parker e não pude deixar de lhe mostrar o dedo do meio antes de sair dali.

Point of View Annelise

— Ryan eu não quero. — fiz bico e Ryan revirou os olhos. 

— Para de manha e toma isso logo Annelise. 

— Já disse que não...

Ryan enfiou a colher cheia de remédio em minha boca e eu segurei a vontade de vomitar. 

— Ótimo, agora você vai melhorar rapidinho. — sorriu debochado e eu bufei. 

— Babaca! 

— Esse apelido não era do Justin? 

— Se aplica a vocês dois. 

— Devo me sentir honrado por ter um apelido ou triste por ele não ser só meu? 

— Vai se ferrar! 

— Palavras feias para uma escolhida 

— Não ligo 

— Não liga? 

Ryan se aproximou de mim e começou a fazer cosquinhas sem parar

— O que está acontecendo aqui? 

— Nada. Não está acontecendo nada. — respondi rápido e Dom sorriu 

— Eu só estava brincando Annelise, está tudo bem. — sorrimos. 

— Coloca as sacolas encima da cama por favorzinho? — a voz de Lia ecoou pela sala e logo Justin sumiu nas escadas — Nada melhor que fazer compras pra relaxar. — respirou fundo e se jogou no sofá 

— O que trouxe pra mim? — perguntei animada e ela sorriu 

— Uns saltos maravilhosos. 

— Sério?

— Não. É tudo pra mim 

— Nossa Lia. 

— Mas eu te empresto um. — falou e eu bufei fazendo-a sorrir 

Os dias estão super hiper mega tranquilos. Dom deu uma super folga de qualquer tipo de treino e isso é maravilhoso. Ryan e eu estamos super próximos e até Justin tem falado comigo depois dessa aproximação minha com Ryan.

Lia me explicou que Justin se aproximaria de vez quando eu me apaixonasse por Ryan, somente por ele. Mas e se eu já sentir algo por Justin?

Olhei de relance pela janela e não pude deixar de sorrir.

— CHRIS! 

Corri em direção ao jardim e abracei Chris o mais forte que eu podia. Ele estava fora a dois meses e eu estava morrendo de saudades dele já que ele passa mais tempo no conselho do que aqui. 

— Oi Annelise. Como está? 

— Com saudades. — respondi com a cabeça apoiada em seu ombro na tentativa de ficar da sua altura. 

— Percebi. — sorrimos. — Vamos? — assenti o seguindo até a casa onde todos fizeram o mesmo que eu. 

Point of View Justin

— Tem algo diferente. — Ryan disse e eu o olhei 

— Concordo com o Ryan. Ela está aqui a quatro meses e isso é quase o tempo que a Teresa ficou e nada tem acontecido ou tem deixado sinal. — Chris disse e eu bufei.

— O importante é que tudo está se ajeitando. 

— Tudo o que? — Lia perguntou com a sombrancelha arqueada

— Ela está apaixonada pelo Ryan e isso já minimiza um problema. — comentei e Ryan sorriu fraco. 

Talvez Ryan não seja o escolhido de  Annelise.

Nem começa Lia. 

Bufei e fui para o quarto. Achei que com o tempo isso passaria e a saudade dela amenizaria mas a cada dia que se passa só aumenta. 

Ah... Teresa. 

(...)

— Pra onde vai toda arrumada? — Lia perguntou fazendo Annelise parar no meio da sala. 

— A uma festa. 

— Com quem? 

— Hanna. 

— Não vai mesmo — Chris entrou no meio da conversa e Annelise bufou

— Sim, eu vou. 

— Não, você não vai. 

— Dúvida? 

— Não ouse sair por essa porta mocinha. 

— Opa, já saí. — falou um pouco alto e entrou na floresta, com certeza Hanna a esperava lá. 

— Dom... 

— Vão — Dom disse e Lia e Chris saíram atrás de Annelise.

— Tão impulsiva quanto Teresa. — Dom comentou e eu tive que concordar. 

Ainda me lembro de Teresa emburrada por querer ir a festas e Dom não permitir por causa do perigo em volta da casa. 

Point of View Annelise

— Vamos logo Hanna, vamos. — disse entrando no carro e Hanna acelerou sem questionar nada. 

— Tem alguma sugestão? — perguntou com o olhar concentrado na estrada e eu mordi os lábios. 

Desde que eu vim pro casarão eu não tenho saído pra lugar nenhum além do shopping...

— Vamos aquela boate onde a gente ia? — sugeri e Hanna sorriu. 

— Claro, vamos sim. — concordou e eu sorri 

— Você está linda com esse vestido. — comentei e ela sorriu fraco 

— Você acha? — olhou para mim com seus olhos vermelhos... Essas mudanças de lente as vezes me assustam. 

— Sim. Esta vestido pra matar. — brinquei 

— Com certeza. — disse um pouco baixo e seu tom de voz se tornou... Demoníaco? 

Point of View Justin

— Não achamos ela. Com certeza já estão na estrada. — Chris disse entrando na casa e Dom bufou 

— Eu, Ryan e Justin vamos atrás da garota. — Dom disse e Lia assentiu — Vocês dois vão descansar, qualquer coisa e eu contato vocês. — falou e eu me levantei. 

E lá vamos nós salvar a favorita. 

Lia me fuzilou e eu revirei os olhos.

Point of View Annelise

— Nossa, essa fila ta imensa. — comentei e Hanna torceu os lábios. 

Ficamos uns minutos na fila até que finalmente chegasse a nossa vez. Hanna disse algo no ouvido no segurança que olhou pra mim e assentiu deixando-nos entrar. 

— O que disse pra ele? — perguntei e Hanna sorriu me ignorando 

Franzi o cenho e a segui até a lista de dança onde começamos a dançar sem ter noção do tempo mas em algum momento eu percebi que Hanna havia sumido e cabia a mim procurá-la já que ela era a minha volta pra casa. 

Comecei entre as pessoas um tanto doadas de dançar e alguns com hálito de bebidas, sentia mais em minha cintura a cada passo mas procurei ignorar. 

Onde está Hanna? 

Fui até a área Vip procurá-la já que ela conseguiu entrar aqui sem pagar ela conseguiria entrar em qualquer lugar mas não achei. 

Eu deixei o celular no casarão então não tenho a menor noção da hora e as pessoas ao meu redor também não deveriam ter já que estavam piores do que eu.

— Droga Hanna! — resmunguei um tanto frustrada por não encontrá-la. 

Senti meu pulso ser puxado e me virei pronta para acertar um soco em quem quer que fosse.

— Hanna! — respirei aliviada. 

— Vem. — seus olhos se destacaram na escuridão e eu a segui. Não ficaria sozinha ali. 

— Onde estava? — perguntei um pouco alto por causa da música.

— Fui ao banheiro. — respondeu no mesmo tom e continuou andando. 

— Oh. — respondi um tanto inconformada já que eu tinha procurado ela lá também. 

Hanna continuou me puxando pela boate e por impulso eu procurei um rosto conhecido... Nada. 

De um momento para o outro eu sentia necessidade ter algum deles aqui, com aquela cara fechada ou só Lia fazendo palhaçadas. 

E literalmente do nada eu senti medo... Senti medo de estar ali sem nenhum deles por perto.

Pesei meu corpo e Hanna parou junto a mim. Estavamos na parte de trás da boate e eu não pude deixar de estranhar.

— Você tá bem? — perguntei já que ela veio pro lado de fora da boate — Abaixa ali — disse preocupada e ela levantou a cabeça e soltou minha mão. 

— Sabe... Muita coisa mudou desde que eu fui embora. — começou a falar ainda de costas pra mim e eu a olhava extremamente confusa — Mas mudanças são boas... Nesse caso foram ótimas. — quando ela terminou de falar um arrepio correu por todo o meu corpo. 

Fitzgerald... O homem que invadiu minha casa. Demônios.

— Hanna o que vo...

Hanna se virou fazendo-me perder o ar, seus olhos estavam mais vermelhos. Sua pele era num tom... Estranho. Com rachaduras, dentes imensos e pareciam afiados e eu não ficaria ali pra confirmar. 

Corri em direção a boate na tentativa de ele perder no meio da multidão mas logo senti uma mão me puxar e com a outra acertei um soco em Hanna que sorriu de forma sombria. 

Hanna tomou postura e começou a se contorcer... Asas surgiram, asas que pareciam ter sido chamuscadas ou queimadas. É claro Annelise, ela é um demônio, óbvio que teriam sido chamuscadas

— Incríveis as mudanças, não é? — sua voz me causou arrepios incessantes e eu arfei. 

— Hanna você é um... demônio. — falei e Hanna sorriu 

Eu recuei e acabei batendo na grade que servia de enfeite da boate e também servia como divisória. Hanna se aproximou até me deixar sem saída, ninguém ao nosso redor via a cena e eu estava ficando desesperada. 

Hanna me pegou pelo pescoço erguendo meu corpo, sua boca se abriu e eu repeti os mesmos movimentos de seu rosto e senti algo sair de mim, eu vi. Algo claro, cintilante saia de minha boca e ia para a de Hanna, senti meu corpo ficar mole, minhas mãos que antes tentavam afrouxar as de Hanna se soltaram e eu notei uma névoa negra e densa do outro lado da boate.

Senti minhas vistas escurecerem e notei que Hanna sorriu satisfeita... Tinha conseguido o que queria. 

Point of View Justin

— Ela está aqui, procurem.— Dom disse e corremos para dentro da boate empurrando todos e procurando a garota. 

Ryan estava aflito e eu notei isso pela sua feição preocupada e seu tom de voz que transparecia todos os seus sentimentos de uma só vez, ele queria a garota bem e parte de mim também... Afinal, ela era uma de nós. 

Avistei a garota perto de uma grade com a amiga — demônio ou sei lá. 

— Ali. — apontei e Ryan e eu avançamos para lá. 

A garota segurava o corpo desacordado de Annelise e sorriu ao nos ver. 

— Ela é todo de vocês rapazes. — disse e sumiu na multidão. 

— Eu levo a Annelise e você vai atrás da garota. — Ryan disse e eu assenti indo atrás dela. 

Eu corria e olhava para todas as direções a procura da garota mas não a encontrava em canto algum, pessoas se moviam no ritmo da música e eu não pude deixar de lembrar da última vez que Teresa e eu fomos a uma festa, sorri com a lembrança e pude ver de relance os cabelos loiros da garota. 

Avancei em sua direção mas algo me fez parar... Era ela. 

Teresa estava ali com seus cabelos loiros e seu sorriso inconfundível. 

A segui até não poder vê-la mais e bufei. Era uma distração, aquela não era Teresa e não sei explicar o quanto aquilo me afetou. 

Point of View Dom

— Pra que eles iriam querer a essência dela? — Christian perguntou e Lia torceu os lábios 

— Talvez seja para algum feitiço... — comentou baixo e eu neguei. 

— Eles não fazem feitiços, é desnecessário pra eles. Tem algo a mais nisso. — Justin disse e Ryan assentiu. 

— Isso. Eles não mandariam um deles pra pegar a essência dela por nada, eles tinham a chance de levá-la ou até de mata-la mas não fizeram. — Ryan disse e eu assenti em concordância

— Sim, tem algo a mais e isso me frustra. — comentei

— Ue, por que? — Christian perguntou incrédula

— Por não saber o motivo disso. Eles nunca estiveram tão próximos, eles querem a essência da garota mas eu não consigo entender o motivo — respondi e Chris assentiu. 

— Eu vou ver se ela acordou. — Ryan disse e foi seguido por Lia e Chris

— Está disperso do assunto. — observei e Justin pareceu sair de um devaneio. 

— Nao é nada...

— Tem certeza? 

— Eu a vi. 

— Onde? Quando? 

— Ontem, na boate. Eu a vi, ela sorriu mas desapareceu. Talvez fosse só uma ilusão. — respondeu num tom triste e eu suspirei. 

— Se te deixa melhor ela volta... — disse e Justin olhou para mim com os olhos brilhando — Espere! — disse e ele assentiu com um olhar confuso. 

— Oh...

— Esperei uma reação melhor. 

— Será como antes? Ou não? — perguntou e eu dei de ombros. 

— Eu não posso te responder Justin, mas espero que seja como antes. — respondi e ele assentiu saindo da sala. 

Ah... Eu realmente espero que seja como antes. 

Point of View Justin

Dois dias. Annelise apagou por dois dias e eu prometi para Lia que conseguiria descobrir o motivo ja que de todos eu era o único que não estava sendo guiado pelo sentimento ou pela preocupação. 

Aproveitei esses dois dias para fazer algumas buscas e pesquisas  tanto na internet quanto em livros extremamente antigos da biblioteca. 

Quando ela finalmente acordou eu corri para o seu quarto a fim de terminar isso logo. 

— O que quer aqui? — perguntou com a voz baixa e o rosto amassado. 

Ah Teresa... 

 Eu quero que me conte o que aconteceu na boate. — respondi e ela se sentou na cama assentindo. 

— Eu tava seguindo ela e do nada eu senti medo, senti medo de estar ali e queria que vocês estivessem lá... Mas não estavam — disse com o olhar vago e eu fiz um sinal para que continuasse — Eu fugi dela quando ela mostrou o rosto de demônio e... — ela segurava as lágrimas e eu não sabia o que fazer então...

Eu a abracei. Eu abracei Annelise e do contrário de todos os sentimentos em relação a ela, pela primeira vez eu não senti que estava traindo Teresa. 

— Respira e tenta me contar. — disse olhando em seus olhos e ela assentiu fungando

— Eu corri e ela me alcançou, então eu fiquei cercada e ela me pegou pelo pescoço e... abriu a boca e eu só pude sentir que estava repetindo os movimentos dela sem controle algum — assenti e ela respirou fundo — Eu vi algo sair de mim, era claro... Entrava pela boca dela e eu me senti fraca, só me lembro disso. — finalizou e eu passei a língua nos lábios, uma mania muito sexy segundo Teresa. 

— Não consegue se lembrar de mais nada? Vultos, sombras... 

— Nevoa! Eu vi uma névoa do outro lado da boate um pouco antes de eu desmaiar. — disse como se tivesse tido um lapso de memória e eu sorri. 

— Já sei o que aconteceu com você. — disse e ela me olhou confusa. — Desce e você vai saber. — assentiu e se levantou me seguindo. 

— PRECISO DA ATENÇÃO DE TODOS VOCÊS. — gritei do topo da escada e eles se calaram, em milésimos eu estava no centro da sala. 

— Pode falar. — Dom disse e eu assenti. 

— Eu sei o motivo de pegarem a essência da Annelise. — falei e Lia me olhou confusa. 

— Então fale logo — Chris pediu e eu assenti 

— Eu prometi para Lia que faria o possível para descobrir algo já que de todos vocês  eu fui o único que não  se deixou levar pela emoção em relação a isso. — assentiram — Eu conversei com Annelise agora e descobri que ela viu uma névoa que segundo  Dom é o grande mal. 

— Por que eles dariam ao grande mal a essência de Annelise? — Chris perguntou confuso 

— Por que o grande mal não pode se aproximar de nenhum escolhido antes da batalha, é uma lei absoluta. — Ryan respondeu e Chris assentiu. 

— Mas ele só retorna a cada cem anos. — Chris comentou confuso 

— Exato! Ele deveria retornar quando Teresa era uma de nós. Se ele não retornou com Teresa, ele retornará com Annelise. — Dom disse e Chris assentiu finalmente entendendo. 

— Então eles irão entregar a essência de Annelise para o grande mal... Devem ter um plano ótimo. 

— Ou não... Eles só querem força, querem apoio na batalha e nada melhor do que o grande mal. — completei e Annelise assentiu. 

— Dessa vez foi por sorte, ninguém sabe a próxima. — lancei um olhar para Annelise que abaixou a cabeça.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...