História The City Suicide - Emison (Hiatus) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Alison DiLaurentis, Emily Fields, Maya St. Germain, Personagens Originais
Tags Drama, Emaya, Emison, Festas, Mudança, New York, Romance, Suicida
Visualizações 40
Palavras 1.103
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), LGBT, Mistério, Orange, Poesias, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais uma história Emison pra vocês, ah, como eu amo esse meu otp, espero que gostem, haverá personagens originais totalmente de minha autoria, terá coisas pesadas na história, como está nas tags, bjs de luz e bom capítulo ❤

Capítulo 1 - Adeus Maya, Adeus Rosewood


Fanfic / Fanfiction The City Suicide - Emison (Hiatus) - Capítulo 1 - Adeus Maya, Adeus Rosewood

Emily Fields- Point of view
         Rosewood- Pennsylvania

Aqui estou eu, a poucos minutos acabei de passar por a segunda pior coisa da minha vida, sim juro que me despedir e ver a mulher que eu amo num caixão não foi a pior, a pior mesmo foi quando recebi a notícia e minha ficha caiu que a perdi pra sempre, eu saberia e ia doer, e aí se sabia.

Mas agora não dá pra voltar atrás, eu me sinto tão culpada por não ter dito que a amava mais vezes, por reclamar de suas piadas super sem graça que pra ela era a coisa mais engraçada do mundo, eu agora sentada de sofá dessa casa vazia consigo sentir ela dançando e cantando na cozinha, perguntando se aqueles batons de cor exóticas ficou bom nela, e principalmente por não estar lá na hora que a chuva começou e o carro se deslizou na pista, sei, minha história é muito clichê, eu queria culpar a todos, há 3 dias que minha amiga faleceu eu culpei a Deus, a quem não estava com ela e agora culpo a mim mesma, afinal ela estava voltando da igreja no outro lado do estado pra... É difícil falar em voz alta agora que tudo acabou, mas os preparativos do nosso casamento, seria uma surpresa para todos, e até agora eu não contei pra ninguém, e nem vou contar, a Maya morreu e junto com ela todos os meus sonhos, de me casar e ter uma família, de ser feliz com uma pessoa parceira, de acordar toda manhã ao lado de alguém, de tudo isso...

Eu estou cansada mesmo sendo só 3 dias isso foi muito desgastante, pego uma tesoura vou ao banheiro e sim, corto meu cabelo 1 palmo, não me julguem mas estou louca, eu preciso mudar, fui na gaveta do nosso quarto por um impulso, consegui finalmente entrar nele depois desses 3 dias, sim, eu estava dormindo no sofá, vou no nosso guarda-roupa e vejo aquele fundo falso, que nós combinamos que fazer para guardar algumas coisas de valor e coisas só nossas, eu me sinto desmoronar por dentro quando vejo uma foto nossa tirada numa cabine fotográfica, no nosso primeiro encontro a 3 anos atrás, foram os 3 melhores anos da minha vida e pensei que seriam mais, mas foram os melhores, lembro do filme de terror que assistimos e do quando eu quase me caguei de medo. Pego o que eu vim atrás, 500 reais, pelo algumas roupas e as jogo todas numa bolsa de viagem, até eu mesma me assustei com a minha violência, eu estava com muita raiva, raiva da vida, vida porque tirou ela de mim? Logo ela, tão boa, com um coração tão brilhante, a melhor pessoa que eu já conheci, bem que eu poderia ter ido no lugar dela...

Meu cabelo está com as pontas todas erradas, as conserto com raiva e até que ficaram boas, pego a bolsa de viagem e vou para o carro, aí... que saudade dela aqui do meu lado, essas lembranças parece que vão me atormentar pra sempre, e aí se vão...

Antes de ir embora com o pouco que tenho, decido ir ao cemitério, mas primeiro vou fazer algumas compras pra viagem, até lá os familiares dela não devem estar por lá, e será como nas nossas noites frias e quentes, nos dias chuvosos e ensolarados, na nossa cama na nossa casa, só eu e ela, não quero ser masoquista, será o último adeus.

Após fazer minhas compras lá vou eu, aguentar toda essa dor, mas a dor precisa ser sentida.

Entro naqueles velhos portões e vou até o recém túmulo, escrito "Maya amada filha, irmã e namorada" a família dela gostava muito de mim e agradeci muito pelo namorada, eles sabiam que minha paixão por ela era algo sem explicação, uma conexão imediata, algo muito intenso e forte, nada poderia explicar, me abaixo já com lágrimas dos olhos e um sorrisinho me escapa entre os lábios, e "falo" com ela, uma última vez.

"Maya, eu não sei se te agradeço mais ou peço perdão, vou começar pelo positivo, sempre que eu tinha uma notícia boa e ruim você optava pela boa primeiro -rio entre minhas lágrimas. Obrigada por ter sido essa menina doce e encantadora, que deu o sentido a palavra amor, por me abraçar quando tudo estava mal e dizer que tudo ficaria bem, pois bem meu amor, vice estava errada, as coisas não ficaram bem, você sempre amou os finais felizes e eu destruía eles, eu pela primeira vez na vida odeio estar certa, obrigada por tudo meu amor, por cada palavra e beijo, por cada abraço e eu te amo. -Nesse hora eu não tinha mais forças, mas precisava me desculpar, eu "conversava" olhando no fundo dos seus olhos naquela linda foto, como se ela estivesse me ouvindo e ali comigo, isso pode parecer macabro mas eu sentia ela. Me perdoe por ser tão chata e pessimista, por brigar com você por coisas bestas, por não fingir rir das suas piadas sem graça e não estar lá naquela maldita estrada chuvosa pra te proteger."

Por que teve que ser assim? Faço essa pergunta pra ela e pros céus, esperando que alguma força superior me desse uma resposta, eu juro que estava com esperanças de receber alguma explicação. 

"Mas eu sei que você gostaria que eu fosse feliz e seguisse em frente, então vou fazer o que você tanto queria, por que agora é tarde demais, eu vou te amar pra sempre, ex futura senhora Maya Fields." 

Nessa ora meu rosto já tá inchado de tantas lágrimas quentes que por ali escorreram instantes atrás, tento as limpar em vão e saio correndo como uma criança com medo daquele cachorro que todos dissem ser raivoso na rua (não riem, juro que isso é desesperados, será cômico se não fosse trágico) maya sempre teve esses tipos maluqinhos de pensamentos, não me aguento e rio, eu quero só ter lembranças boas dela, a maya é uma ferida que eu nunca vou esquecer, jamais. Saio daquele cemitério, dou partida no carro e ando alguns quilômetros, passo pela placa, que diz "saída de rosewood". 

Minhas lágrimas não cessaram, estava tocando no rádio local uma msc bad sinistra, que eu não sei o nome, eu parecia estar bêbada, e logo após passar por aquela maldita placa, vi do outro lado a pista que minha amado desabou, a xinguei de todos os nomes possíveis e juro que prometi que eu iria mata-lá nem que fosse a última coisa que eu faria na vida, e assim eu grito feito a louca que eu sou "Adeus Maya, Adeus Rosewod".


Notas Finais


Então, foi tipo um prólogo contando mais da morte da Maya, e como a Em tá lidando com isso, até o próximo capítulo leitorxs, se gostarem da história favoritem e comentem, isso é muito importante pra mim 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...