História The Classmate - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Mamamoo
Personagens Moonbyul, Solar
Tags Couple, Kim Yongsun, Mais Yuri Por Favor, Moonbyul, Moonsun, Romantico, Shoujo, Solar, Yuri
Visualizações 120
Palavras 960
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: FemmeSlash, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Escrevi essa fic há pouco mais de uma semana e finalmente resolvi publicá-la no site (depois de muita revisão rsrs). Moonsun é o meu ultimate couple e foi com muito carinho à essas duas beldades e ouvindo muita sad music que escrevi essa singela fanfic <33
Espero que gostem!
Tenham uma boa leitura~💕

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction The Classmate - Capítulo 1 - Capítulo Único

No início, era para sermos apenas colegas de turma lembra, Yongsun? Certamente, as coisas teriam sido mais simples, a vida tão menos complicada e você não precisaria fingir não me conhecer quando nos encontrássemos por acaso pelos corredores do nosso colégio, me fugindo o olhar penitente e tampouco buscando desesperadamente encontrar com o meu no cumprimento da nossa farsa.

É irônico pensar que mesmo em grandes catástrofes como a dos hipopótamos de Pablo Escobar na Colômbia, algo pretensamente insignificante pode vir a se tornar o agente do caos. E de certa forma, você foi esse agente, Yongsun. Talvez você não faça a mínima ideia do que eu esteja falando, afinal, sou tão culpada nisso quanto você. Mas, por que diabos você tinha que ser tão apaixonante, unnie?

Nada disso teria acontecido se você não tivesse rido daquele jeito quando fiz aquela piada a qual todos da nossa turma ignoraram ou pela forma como sorriu ao passar por mim pelo refeitório, olhando-me como se fosse me devorar a qualquer momento - sempre com aquele maldito sorriso no rosto. Creio que qualquer pessoa em meu lugar estaria saltitando de felicidade por isso ou no mínimo entraria em parafuso, pois que adolescente insegura e que tem como hobby ir à bibliotecas esperaria ser digna da sua atenção?! Eu só podia estar maluca por achar que você estava me dando moral. 

Você não devia ter respondido àquele maldito bilhete ao qual com muito custo fiz o meu melhor amigo te entregar, afinal, que chances alguém como eu poderia esperar em ter com alguém como Kim Yongsun?!

Longe de mim dizer que odiei quando te vi vindo me encontrar atrás da quadra de basquete durante a aula de química (a sua favorita), mas confesso sequer ter acreditado quando você disse “sim“ ao pedido da garota mais desacreditada do colégio, portanto, ter você bem ali na minha frente (a princípio tão tímida quanto eu) fora no mínimo a coisa mais surreal que já acontecera em toda minha vida.

Eu que nunca fui lá muito boa com as palavras devo ter parecido uma criancinha ao balbuciar o seu nome daquela forma tão incoerente, como se nunca antes houvesse chamado por ele em meus sonhos mais sujos. 

Você não tirava o sorriso do rosto, consequentemente me fazendo sorrir também, até o momento em que cruzou o meu território, roubando o meu ar por simplesmente me olhar com tamanho desejo enquanto se aproximava cada vez mais de mim, mordendo os próprios lábios descaradamente ao encarar os meus visivelmente inseguros, tornando tudo a nossa volta demasiadamente lento e quente.

Eu estaria mentindo se dissesse que odiei a forma como você me beijou, tomando os meus lábios com gentileza e intensidade ao passo em que suspiros arrastados eram abafados pela timidez dos primeiros instantes. A forma como segurou o meu rosto como se soubesse que eu cairia a qualquer momento demasiada a felicidade que senti e que fez com que todo o meu corpo estremecesse ante aquela sensação. Talvez seja apenas delírio de uma garota apaixonada, mas eu tive certeza disso quando também agarrei-me ao seu corpo, porventura, sentindo que nós duas cairíamos no chão pelo mesmo motivo.

Eu já havia beijado outras pessoas antes de você unnie, mas quando fazíamos isso era como se fosse a minha primeira vez. Você sempre exerceu esse poder sobre mim, Yongsun.

Ainda me é estranho ver você passar por mim como se não me conhecesse. Me fugindo o olhar desconcertado enquanto ouve sem graça aos comentários sujos que suas amigas fazem sobre os rapazes que você dispensou na semana passada. Sei muito bem que elas nunca gostaram de mim, ainda mais quando o colégio inteiro ficou sabendo por quem MoonByul Yi "a esquisitona do segundo ano” era apaixonada.

Não foi nem um pouco fácil convencê-los de que tudo não passava de um boato, uma brincadeira de mau gosto e sei que assim como eu, você também sofreu em silêncio, enterrando em si mesma a verdade que só nós duas sabíamos.

Sei que deve ter sido difícil pra você negar os fatos daquela forma dura a qual seus amigos fizeram você negar, mas só porque você era legal demais para mandá-los à merda sem que se sentisse péssima por isso depois. Não cabia a mim julgá-la, Yongsun, nem à ninguém. Ambas levamos vidas completamente diferentes, sem contar que aquele velho clichê da nerd desajeitada que se apaixona pela garota mais bela e popular do colégio sempre me pareceu perigoso demais para a vida real. Mas felizmente, não completamente impossível. 

“A farsa” a qual nós duas conhecemos tão bem foi a coisa mais filme da sessão da tarde que poderíamos ter feito e admito que não havia imaginado que me divertiria tanto fingindo ser o seu reforço depois das aulas. Não que você precisasse do meu auxílio em trigonometria, limites ou derivadas (afinal, estamos falando da campeã regional das olimpíadas de matemática do segundo ano), mas porque fora a única forma que encontramos para que uma fosse à casa da outra sem levantar maiores suspeitas e com o apoio e reconhecimento do Sr. e Sra. Kim, seríamos sim as melhores em toda a Coreia. 

Eu poderia facilmente mandá-los à merda por nós duas, unnie e sei que você iria adorar ver a cara de descontentamento daquela sua amiga insuportável a qual todos fingem gostar. Eu sei que nem tudo é perfeito e que talvez esta seja a maior loucura que já cometi em toda a minha vida, mas enquanto houverem longas tardes de estudo quando sinto toda e qualquer farsa cair por terra ao adentrar em seu quarto onde os boatos se consolidam e o clichê deixa de nos incomodar, eu continuarei sendo o seu reforço aos olhos de todos e a melhor namorada que a garota mais bela e popular do colégio poderia querer.


fim



Notas Finais


Vejo vocês na próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...