História The Color Of Happiness Is Yellow - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), TWICE
Personagens Jeongyeon, Kim Namjoon (RM), Personagens Originais
Tags Ajuda, Amor, Bangtan Boys (BTS), Casal, Discussões, Drama, Família, Intrigas, Jeongyeon, Namjoon, Paixão, Revelaçoes, Romance, Twice
Visualizações 35
Palavras 2.197
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa noite, peço desculpas pelos erros e pelo horário.

Capítulo 15 - Em uma noite tudo pode mudar


Fanfic / Fanfiction The Color Of Happiness Is Yellow - Capítulo 15 - Em uma noite tudo pode mudar

Kim Namjoon narrando:

Poderia estar exagerando, mas não conseguia controlar a minha raiva. Vê-la sorrindo e se divertindo com aquele cara causava uma revolta e me deixava desconfortável. Precisava saber se ela preferia estar com ele ou senão me considerava alguém suficiente, posso tentar melhorar.

- Fala Jeongyeon, - Estava sendo forte, tentando não chorar e mostrar fraqueza para ela. - por acaso não sou homem suficiente para você?

- Namjoon, - Depois de respirar fundo, colocou as mãos sobre meu peito e me empurrou levemente. Querendo quebrar aquela proximidade entre nós. - por favor, não começa. - Nos afastou completamente, indo se acomodar na cama. - Mesmo se houvesse mudança, ainda continuaria sendo a mesma pessoa. Senta aqui. - Bateu do seu lado. - Não entendo a sua reação, pedi para que tentasse conhecer a HeeJeong. Por que não pode dar uma chance para ela? - Naquele momento, ela segurava minhas mãos e brincava com a pulseira que havia numa delas.

- Porque a pessoa que quero não é ela. - Falei encarando a menor em minha frente, que ainda mantinha o olhar fixo em minha pulseira. - Droga, Jeongyeon, - Levantei seu queixo, fazendo ela me encarar. - custa entender que estou afim de você?

- Essa informação não importa quando.. quando sei... - Jeongyeon começou a gaguejar ao tentar responder.  - quando sei a opinião dos seus pais sobre nós. Foi deixado bem claro o pensamento e sentimento que eles têm pela minha pessoa. - Separou nossas mãos e deitou na cama, aproveitando para fechar os olhos. - Namjoon, nunca daria certo.

Dei uma risada sarcástica ao ouvir sua resposta, levantando logo em seguida da cama. Comecei a caminhar pelo quarto, pensando e absorvendo a sua fala. Não fazia sentido, deveria haver alguma coisa por trás daquilo. Tenho certeza que a Jeongyeon não pensava daquela maneira, impossível não se lembrar dos nossos beijos do mesmo jeito que eu.

- Está dizendo o que eles querem, o que deveria estar ouvindo. - Era uma conversa aonde ela falava tudo o que foi dito pelos meus pais antes. Basicamente, o mesmo discurso. -  Jeongyeon, seja verdadeira e responda com sinceridade, o que sente por mim? - Naquele momento, encontrava-me ajoelhado e encarava com expectativa a sua resposta.

Antes que ela pudesse responder, fomos interrompidos pela entrada da HeeJeong na companhia da minha mãe. Automaticamente, Jeongyeon se levantou da cama e foi pedindo desculpas. Bufei em negação e demonstrando a minha irritação, alertando as duas intrometidas do meu humor. Com vários pedidos de desculpas, a Jeongyeon deixou o quarto e foi embora.

Depois da sua saída, as duas voltaram a conversa e revelaram o motivo para terem entrado. Tínhamos sidos convidados para uma festa num barco, apenas pessoas nomeadas e importantes estariam presentes. Logicamente, meus pais conseguiriam colocar nossos nomes na lista. E tinha certeza que era mais uma tentativa de me juntar com a HeeJeong. Será que era difícil aceitar a minha decisão?

● Quebra de tempo ●

Mesmo não querendo e negando a todo momento, fui carregado para a festa. Praticamente, ouvia sermão do meu pai, enquanto a mamãe distraia a minha "parceria" para que não escutasse. Eles tentavam ao máximo mostrar sermos uma família unida, mas, qualquer pessoa poderia reparar no péssimo convívio que temos.

Durante o caminho, foquei meus pensamentos em outros assuntos e lugares. Não estava animado ou tinha vontade de participar da conversa dentro do carro. Foram tantas ideias, que cheguei até a pensar em pular para fora do veículo. Não tinha ânimo nenhum para estar ali.

Chegando no local, encontramos o barco decorado e chamativo, preparado para nos receber. Sem qualquer educação, fui subindo e deixando os outros para trás. Quando terminei de subir, fiquei brevemente surpreso com a decoração e logo fui a procura das bebidas. Poderia estar em más companhias, mas era certeza que iria beber.

Encontrando o meu paraíso, começo a fazer os pedidos e esqueço das pessoas. Tinha a intenção de aproveitar o passeio e experimentar toda a variedade de bebida daquele bar.

Com o passar do tempo, acabei exagerando no consumo de álcool e fiquei deitado o restante da festa. Algumas pessoas vinham e falavam comigo, tentando saber sobre o meu estado. Levantei, apenas, quando senti o forte beliscão em meu braço e um xingamento vindo da HeeJeong.

- Eita, parece.. que - Antes que pudesse cair, ela agarrou a minha cintura impedindo que tombasse. - que perdi a festa. - Começamos a caminhar, lentamente, para descer do barco. Meus pais estavam esperando por nós. - Eles devem estar espumando de raiva, não é?

- Sorte a sua que deitou e dormiu. - Balancei a cabeça positivamente e dei uma gargalhada alta, abraçando o corpo da menor em seguida. - Namjoon, por favor, não jogue seu peso em cima de mim.

Ao descer, permaneci colado a HeeJeong e deixei que a mesma guiasse o caminho. Logicamente, não estava em condições para andar ou parar em pé. Cairia no primeiro passo que tentasse.

Chegando de volta no resort, meus pais foram se despedir dos novos amigos, a HeeJeong foi andando em direção aos bangalôs. Com dificuldade, completou o caminho e nos encontrávamos em frente ao nosso quarto. Fiquei encostado na parede, enquanto ela pegava as chaves e abria a porta.

Puxando-me pelo braço, fui jogado na cama ao entrar no cômodo. Enquanto mantinha os olhos fechados e aproveitava a maciez dos lençóis, ouvi o barulho da porta sendo batida. Senti suas mãos retirarem os meus sapatos e colocar em algum lugar do quarto.

Respirei aliviado com a liberdade dos meus pés, balançando as pernas para saber se era verdade. Ao escutar a risada da HeeJeong, abri os olhos lembrando da presença de outra pessoa no bangalô. Só que antes de falar, prendi o olhar num acessório em cima da minha estante.

- Não acredito que ela deixou aqui. - Peguei o chapéu da estante e sentei observando o adereço. - Aah, será que ela se lembra?

- Namjoon, - Estava tão focado em manter meus pensamentos na Jeongyeon, que esqueci do fator de estar bêbado. Minha visão estava turva e desejava muito que a Jeongyeon estivesse aqui. - será que pode esquecer dessa mulher por algum momento? - Ela retirou o chapéu das minhas mãos e atacou em algum lugar, segurando meu rosto em seguida. - Poxa, olha um pouco para mim. Sei o tamanho do interesse dos nossos pais sobre nós, mas, - Ela acariciou minhas bochechas e depositou um breve beijo nelas. - acabei ficando interessada de verdade em você.

Queria tanto ouvir essas palavras saírem da boca da Jeongyeon, era essa a resposta que desejava receber. Seria tão simples, poderíamos apenas ficar juntos e curtir o restante da viagem. Era o que precisava e queria ouvir, que ela se interessava por mim.

Mas, naquele momento, a minha cabeça decidiu brincar comigo e transformou a HeeJeong na Jeongyeon. Acabei enxergando a pessoa que gostava em minha frente, fazendo-me se animar com aquilo que ouvi.

- Você está falando sério? - Demonstrei animação e sorri contente com a sua confirmação. - Desejei tanto escutar isso Jeongyeon.

Sem perder tempo, colei nossos lábios e beijei a sua boca. O receio no início foi substituído pela necessidade, dando intensidade para o beijo. Fazendo-me segurar firmemente sua cintura, aproximando nossos corpos e sentindo a menor rodeando os braços em meus pescoço.

Apesar de estar sendo bom, notei algo diferente neste beijo. Como se tivesse algo errado ou fora de contexto, mas não levei o pensamento a diante e continuei o ato. Percorrendo minhas mãos pelo seu corpo, descobrindo as suas curvas. Indo das costas até as suas nádegas, dando uma leve apertada naquela região.

Num movimento rápido, deitei ela na cama e me posicionei entre suas pernas. Interrompi nosso beijo para retirar as suas roupas, enquanto depositava uma mordida em cada parte do seu corpo que retirava a peça. Causando gemidos constantes vindo dela que ia deixando-me mais doido para conhecê-la intimamente.

Quando analisei seu corpo desnudo, esqueci a ideia de experimentá-la e desfrutar do seu sofrimento. Queria descobrir a sensação de estar dentro dela e saber o quão bom será. Então, deixei as preliminares de lado e fui direto ao que importava.

Ao estar completamente nu, revesti meu membro com o preservativo e segurei a cintura dela pincelando na sua entrada. Era um sentimento de ansiedade e nervosismo, está seria a nossa primeira vez e queria que fosse inesquecível. Estava com uma enorme expectativa em descobrir como seria.

- Desculpa, não aguento esperar mais. - Continuei pincelando o membro em sua entrada, que estava encharcada com seu próprio lubrificante.

- Venha, quero senti-lo neste exato momento. - Penetrei em sua entrada, fazendo ambos arfarem com a sensação daquilo. Começando a estocar fundo e lentamente, querendo que a mesma sentisse cada centímetro do meu membro. - Nam... Namjo..... Nam...... - Escutá-la gemendo foi dando-me mais força para continuar.

O que não imaginava era que iria encarar um problema na manhã seguinte. Aonde o álcool teria saído do meu organismo e dado lugar a consciência. E quando senti uma movimentação ao meu lado, abri os olhos e encarei surpreendido a pessoa que se encontrava ali. Ainda mais estando pelada. Tanto que acabei caindo da cama, vendo a HeeJeong deitada e desnuda.

- Aonde estava com a cabeça? - Ainda continuava perplexo encarando aquela situação, não conseguia acreditar.

Antes que acordasse a HeeJeong, peguei minhas roupas e corri para o banheiro. Sentando no chão e pensando na besteira que havia cometido, aquilo iria causar um enorme problema. Acabei dando uma oportunidade para os meus pais, aonde com certeza utilizariam esse fator para o benefício deles. Compliquei tudo.

- Como pôde ter feito aquilo? - Dei um tapa em meu rosto, demonstrando o quanto estava chateado com a besteira cometida. Acabei jogando no lixo a oportunidade que tinha com Jeongyeon.

Ao lembrar dela, tomei um banho rápido e troquei de roupa. Caminhei sorrateiramente para fora do bangalô, rezando para a HeeJeong continuar dormindo. Quando sai, com passos largos andei para o saguão e torcendo para encontrar com ela. E ao vê-la tomando um suco sentada no restaurante, abri um sorriso e comecei a caminhar na sua direção.

Pedi licença e sentei em sua frente, reparando levemente nas olheiras debaixo dos seus olhos. Deixei para perguntar durante nossa conversa, pedindo por um café da manhã caprichado para o garçom.

- Acabei levantando mais tarde do que queria. - Sorri abestalhado e foquei o olhar no meu prato vazio. O clima estava estranho e a Jeongyeon parecia irritada. - Tudo bem contigo, como foi a sua noite?

- O Sr. Kim cínico e imbecil finalmente apareceu nesta viagem. - Ela estava com um olhar mortal direcionado para mim. - Definitivamente, comecei a pensar que poderia mudar. Você não sabe quanto tempo passei imaginando como seria se lhe dá-se uma chance. - Deu uma risada irônica, limpando rapidamente uma lágrima que descia pelo seu olho. - Fui burra em desperdiçar meu tempo contigo.

- Jeongyeon, você... - Nem consegui concluir minha fala, ela acabou interrompendo.

- Por favor, Kim Namjoon, - Aquela tinha sido a primeira vez chamando por meu nome completo. - não venha se fazer de esperto. Tenho certeza que sabe do que estou falando. - Ela batucava as unhas sobre a mesa, demonstrando claramente estar nervosa com a situação. Parecia querer voar em meu pescoço. - Sabia que retornaria tarde da festa, mas pensei que pudesse pegá-lo acordado. E ao passar no seu bangalô, - Sorriu mais uma vez ironicamente. - percebi estar ocupado com ela. Então, optei por não atrapalhar sua noite de prazer.

Os hóspedes foram chegando e enchendo o restaurante. Olhei para os lados, não querendo nos expor e causar um mal-estar logo cedo. Então, comecei a pedir calma e que dê-se a oportunidade de esclarecer a situação para ela. Que visivelmente não seria acatada, Jeongyeon não estava disposta a ouvir a minha explicação.

- Está escrito idiota na minha testa? - Sinalizou enquanto perguntava, fazendo-me negar automaticamente. - Os gemidos vindo do quarto foi muito esclarecedor para mim. O que você vai tentar explicar? - Sem perceber, foi elevando o seu tom de voz. - Quer dizer o quanto foi bom? Detalhar como foi cada movimento ou sensação? - Escutá-la chateada daquela maneira estava acabando comigo, eu merecia.

- Sei que não acreditaria se revelasse estar alcoolizado, mas não tinha consciência nenhuma das minhas ações. - Ela gargalhou e respondeu um "me poupe", bebendo o restante do suco em seguida. - Jeongyeon, não sei nem o que falar nessa situação. Quero que aceite minhas desculpas e escute a explicação que tenho a dar. - Levantei da cadeira e ajoelhei ao seu lado. - Ao menos fique para escutar o que tenho a dizer.

- Não somos nada, - Afastou a sua cadeira da mesa e se levantou. - nem deveria estar sentada te ouvindo. - O garçom se aproximou, servindo o meu café e espalhando sobre a mesa. - Por que não leva uma bandeja para ela? Tenho certeza que irá acordar com fome. - E a Jeongyeon foi embora, me deixei ajoelhado no meio do restaurante.


Notas Finais


Um capítulo e tanto!! Namjoon revelou estar gostando da Jeongyeon e como sempre foram interrompidos na melhor parte. Tivemos um hot 🔥😈 e uma briga entre nosso casal 💔😔 como será o restante da viagem agora?

Espero que tenham gostado e continuem acompanhando, até o próximo capítulo pessoal.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...