História The Colour of Your Soul - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Elfos, Fluffy, Harrystyles, Larrystylinson, Louistomlinson, Unicornios, Universo Alternativo
Visualizações 89
Palavras 3.029
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fantasia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Antes que resmunguem à respeito dos nomes dos bebês: essa é uma história que, apesar de passar em um universo totalmente alternativo, tem certa influência de culturas indo-europeias e, não sei se perceberam, mas os nomes de todos personagens - com excessão dos membros da banda e família- são dessa cultura. E eu prefiro mil vezes me manter fiel à estética e ao conceito da história do que colocar qualquer nome americanizado - não que eu tenha algo contra. Os nomes de ambos bebês são nomes que possuem significados e histórias incríveis que eu particularmente admiro e me esforcei muito para encontrar algo que se encaixasse na fic, então deem uma chance e superem essa ideia que nome bonito é nome em inglês.

Agora que eu já dei a bronca rotineira, tenho duas boas notícias: a) eu acabei optando por colocar mais um capítulo antes do epílogo pra história ficar bem explicadinha [aquelas autoras chatas que não acabam a fic nunca] b) se vocês comentarem bastante, o epílogo sai na sexta :~)

Capítulo 21 - 20. I don't wanna miss a thing


Fanfic / Fanfiction The Colour of Your Soul - Capítulo 21 - 20. I don't wanna miss a thing

Quando Louis completou o que eles supunham ser o quarto ciclo lunar, Harry já estava em seu sexto. À partir desse momento, Tomlinson não poderia mais permanecer em sua forma humana, já que o feto em sua barriga tomaria proporções impossíveis para um humano carregar - ainda mais um tão pequenino quanto Louis - então, é, Styles ficou meses sem ver a forma humana de seu marido. E, quando Harry entrou em trabalho de parto, Louis ficou totalmente inquieto, porque ele não conseguia ajudar o elfo. Anne quem foi a responsável por trazer o primeiro bebê deles ao mundo: a menininha mais linda que Tomlinson já havia posto os olhos. E ele não podia sequer pegar ela no colo. 

 

A gravidez de Louis levava bem mais tempo, então, quando o filhotinho deles nasceu, durante uma madrugada chuvosa, a bebê já estava no seu quinto mês. E, assim como a filha deles, o filho era o potrinho mais lindo e desajeitado do mundo. O chifre dele era mais claro que o de Louis e ele também tinha pelagem branca com manchas escuras no focinho. No final daquele mesmo dia, ele já estava andando, com as perninhas trêmulas e uma leve tendência de cair para a frente. 

 

‘’Ele tem as patas tortas,’' Anne comentou, olhando para o neto e recebendo uma encarada mortal de Louis.

 

‘'Não é porque o seu filho tem cara de bastardo que você tem que procurar defeito no meu.’'  O unicórnio retrucou, olhando aquele serzinho que há pouco havia saído de dentro de si. Louis sabia exatamente o que Anne queria implicar ao dizer que o filhotinho tinha pernas tortas. 

 

‘’As pernas dele são tortas porque você é um unicórnio muito pequeno e ele é um potrinho enorme.’’ Ela apontou e Louis desejou estar em sua forma humana só para revirar os olhos para aquela mulher que ele chamava de sogra. Desejou que Harry estivesse ali, mas o elfo acabou dormindo sentado, aproveitando os raros momentos que a bebê estava dormindo para ceder ao cansaço. Ele tinha o rosto inchado, olheiras escuras marcadas sob seus olhos e o cabelo estava preso no mesmo coque há uns três dias. E ainda assim, Louis achava ele a coisa mais bonita do mundo. 

 

‘'Ele é só um recém-nascido, Anne. Em algumas semanas, as pernas dele se ajeitam.’’ Argumentou. ‘’E eu não sou pequeno.’'  Ele sabia que Anne só estava de mau-humor por causa das últimas noites insones ajudando eles a cuidarem da bebê e, agora que, eles tinham mais um serzinho para tomar conta, ele estava igualmente cansado. Eventualmente, Anne se despediu, dizendo que ia para casa tentar dormir um pouco e que voltaria no dia seguinte. 

 

 O maior alívio para Louis era de que em algumas horas, ele poderia retornar para sua forma humana e finalmente pegar sua filha nos braços e depois passar horas beijando o marido. 

O elfo acabou sendo acordado minutos depois pelo próprio filho, que estava curioso em saber quem era aquele homem. Harry acordou em um susto, suas orelhas se movendo lentamente para tentar descobrir se a bebê estava chorando e logo ele percebeu que quem o acordou, na realidade, foi seu filhotinho. Coçou os olhos e sentou no chão, murmurando:

 

‘’Você é curioso igual seu outro papai, hm?’' E, quando o pequeno reconheceu sua voz após meses de Harry contando histórias para a barriga grávida de Louis, ele deitou a cabeça em seu colo. O elfo imediatamente olhou para Louis, sorrindo largo. ‘’Acho que ele já tem um preferido, hein, Lou? Eu vou totalmente monopolizar nossos filhos.’' 

 

‘’Ele não tem nem um dia de vida direito, ele está confuso ainda. E a bebê só prefere você porque eu ainda não tive a oportunidade de cuidar dela direito. Porque, Harry Styles, quando eu pegar ela no colo, ela certamente vai me escolher como o papai preferido.’’

 

O elfo fez um bico ao se lembrar que Louis ainda não tivera a oportunidade se segurar a própria filha.  

 

‘’Eu acho que ter filhos tão perto um do outro não foi uma ideia tão boa, no fim das contas… Você estava certo, Lou.’' Murmurou, acariciando a crina curtinha do potrinho em seu colo. 

 

‘’Não é como se nós tivéssemos outra escolha, e- Harry, nossos filhos são as crianças mais adoráveis do mundo. Eu não poderia desejar outra coisa.’' Reconfortou o elfo. ‘'Lógico que vamos ter que planejar melhor nossos próximos filhos, porque eu quero ser o primeiro a pegar eles no colo mas… meio que foi uma prova de fogo, né? Eu no final da gestação sem poder te ajudar, as noites sem dormir… E tudo bem que a gente se irritou muito um com o outro, mas a gente conseguiu, não conseguiu? E, assim que eu me recuperar do parto, eu vou poder voltar para minha forma humana e te ajudar mais.'’ 

 

‘'Acho que, depois desses últimos meses, nós nos tornamos à prova de fogo, não é?’' Sorriu para o unicórnio, que trotou até ele e se deitou ao seu lado. ‘’Parece que conseguimos, Lou.’' 

 

Eles até tentaram descansar, mas seus filhos pareciam querer outra coisa. Logo, Harry foi buscar a bebê que havia acordado e Louis passou a dar voltas pela casa com o filho, incentivando ele a mover suas patinhas para elas ajeitarem logo. E, vendo Harry bocejar de minuto em minuto, Tomlinson cansou de esperar. 

 

Porque fazia muito tempo que Harry não via a forma humana de Louis - tempo demais, para dizer a verdade. 

 

O elfo pareceu levar um susto quando sentiu a mão calejada de Tomlinson encostar em sua pele e o potrinho parecia mais confuso ainda, tentando entender de onde aquele homem desconhecido havia saído. Logo, Harry sorriu e se levantou para abraçar o humano; contudo, se lembrou da bebê no colo e não demorou em oferecer ela para Louis. O humano tinha as mãos trêmulas quando as estendeu para poder pegar a filha, obtendo a ajuda de Styles para ajeitar ela em seu colo. A nenê olhava para Tomlinson, desconfiada daquele desconhecido. Tomlinson riu baixinho para o estranhamento da filha, sentindo a alegria borbulhar em seu estômago e se expressar como uma risada baixinha e descontraída. 

‘’É o seu papai Louis…’’ Encostou a ponta do dedo no narizinho de botão dela, que foi rápida em segurar o dedo do pai e tentar levar à boca. ‘’Você não sabe muito bem quem eu sou, mas… eu te acho a elfa mais linda de todo o mundo.’’ Falava baixinho, em uma voz infantil, sentindo a filha morder seu dedo. Bem, morder ao máximo que você consegue quando ainda não tem dentes. ‘’Você quer conhecer o seu irmãozinho? Você estava dormindo quando ele nasceu… Ele é lindo igual você.’' Andou com ela até o potrinho, que os encarava com os grandes olhos azuis, tentando descobrir o que era aquela coisinha estranha se remexendo no colo de Louis. ‘'Esse é o seu irmão. Vocês nasceram bem pertinho, então eu e o seu papai Harry esperamos que vocês sejam grandes amigos. Eu que escolhi o nome dele, do mesmo jeito que o seu outro papai escolheu o seu. É o nome da flor preferida do seu papai Harry.’’ Tomlinson falava, tentando conquistar a filha, mas sem perceber que todos estavam prestando atenção em suas palavras.

 

Porque Louis tinha essa energia acolhedora que, quando ele falava, fazia todo mundo parar para ouvir. A bebê fez um de seus barulhos incompreensíveis, mas que haviam se tornado bem frequentes nos últimos tempos. O humano entendeu aquilo como uma deixa para continuar:

 

‘'Narciso, igual ao das histórias. Ele era tão bonito que ele se apaixonou por ele mesmo. Mas eu só vou contar o que aconteceu no final quando vocês estiverem grandinhos para entender. Você sabia que existia uma princesa grega com o seu nome?’' Perguntou, olhando para filha. Harry se aproximou, deixando Narciso subir em seu colo e fazendo massagem em suas perninhas compridas, para estimular o desenvolvimento delas. ‘’Andrômeda. Diziam que ela era mais bonita que as sereias…’'

 

‘’Posso terminar, Lou?’' Harry pediu, enquanto tentava fazer uma trança na crina do filho, mas ela era curta demais para isso. ‘’Os gregos acreditam que existe um deus que governa o mar e os seres marinhos, Poseidon. Ele não gostou muito quando disseram que a princesa era mais bonita que as suas sereias, então ele mandou um monstro marinho para destruir o reino dela - a Etiópia. E só conseguiriam derrotar o monstro se o rei desse a princesa em troca. Então, um herói chamado Perseu salvou ela e eles se casaram e tiveram sete filhos. Mas, apesar de você também ser a nossa princesa, nós vamos te ensinar a se defender sozinha, claro…’’ Sorriu gentil, vendo a bebê começar a se acostumar ao colo de Louis, estendendo os bracinhos gordinhos e abraçando o pescoço dele. ‘'Quando ela ficou bem velhinha, a deusa Atena fez ela virar uma constelação, ao lado de seu marido. Uma constelação é um amontoado de estrelas no céu que formam algum desenho. A sua vovó Jay sempre diz que seu papai Lou carrega uma estrela dentro do peito, sabia? Porque ele não consegue parar quieto. Eu… não posso dar uma estrela para ele, mas agora ele tem a sua própria constelação, não é?’’ 

 

‘’Então… é por causa disso?’' Louis questionou, com os olhos brilhando. ‘’Eu sempre pensei que você tinha dado esse nome para ela por causa da princesa, não da constelação…’' 

 

‘’Bem, parece que dessa vez eu fui mais esperto que você.’' Cutucou as costelas do marido, que sorriu largo e se lembrou que ainda não havia beijado Harry. Mudou a filha para o outro braço e se inclinou na direção do elfo, que pousou uma das mãos em suas bochechas. Quando seus lábios finalmente tocaram, Tomlinson se questionou como ele havia conseguido ficar tanto tempo sem aquilo. Porque os beijos de Harry eram tudo que se podia imaginar de um beijo - o encaixe, a conexão, o sentimento- e mais um pouco. Porque quando se adiciona amor à soma, tudo fica melhor. Bem- quando se adiciona amor e filhos, porque agora a bebê batia insistentemente as palminhas contra o peito de Louis, tentando entender porque ele estava tentando engolir a cara de seu papai Harry. 

 

‘'Eu realmente espero que você não faça isso toda vez que eu beijar o seu pai.’' Louis respondeu, fazendo cócegas na criança e deixando beijos em sua barriga. Quando ela se cansou, pediu o colo de Harry, que acabou ficando com as duas crianças enquanto Tomlinson ia buscar algo para eles comerem. Ficou assistindo os três brincarem enquanto amassava as bananas, rindo baixinho das tentativas do marido de tentar ensinar eles a brincarem de ‘'cadê o bebê?’’

 

Claro que, quando ele estava quase conseguindo ensinar os filhos a se esconderem, a raposada entrou correndo dentro da casa, os três filhotinhos de Neese molhados de ficarem correndo na beira do rio. Eles tentaram pular em cima da bebê, animados com aquele mini humano e Harry logo tratou de levantar ela, correndo na direção de Narciso para tentar tirar o filhotinho do chão também, pelo menos até as raposas se acalmarem. Louis correu até a sala para pegar Narciso do colo do marido antes que ele derrubasse as crianças e riu, sentindo as raposas pularem em suas pernas, animadas em verem o humano após tanto tempo.

 

‘'Eu estive aqui esse tempo todo, sabe. E vocês me ignoraram!’’ Grunhiu, certificando-se que Narciso estava seguro em seu colo. Quando os animais se acalmaram, eles sentaram no chão e começaram a alimentar os filhos com as bananas que Louis tinha amassado mais cedo, ele tendo que literalmente bater na mão de Harry para impedir o elfo de comer tudo sozinho. ‘’Harry, se você quer comer, levanta e pega uma inteira para você, amassar as frutas dá trabalho, sabe.’' 

 

O elfo mostrou a língua para o marido, sentando Andrômeda no chão e indo buscar uma fruta para si mesmo. Vulcain se arrastou devagarinho no chão, até estar atrás da bebê, usando seu corpo felpudo para apoiar as costas de Andrômeda, que apesar de já saber ficar sentada, precisava de um apoio de vez em quando. Louis arqueou uma sobrancelha para cena, olhando para Harry que voltava do quintal, carregando um cacho de bananas. 

 

‘'Isso acontece sempre?’' 

 

‘’Sim, não é incrível? As raposinhas me ajudaram muito nesses últimos meses.’' Sorriu, sentando-se no chão e pegando a nenê, acariciando a cabeça de Vulcain em agradecimento pela ajuda. ‘'E para de me encarar enquanto eu como uma banana, Louis.’' O elfo riu baixinho, sentindo as bochechas esquentarem. 

 

‘’Bastardo.’' Louis revirou os olhos, voltando sua atenção para o filho, que tentava ficar parado enquanto uma das raposas o cheirava, tentando reconhecer quem era aquele ser novo em sua casa.

 

E, olhando aquela cena semi-caótica e estranhamente íntima, Louis concluiu:

 

‘'Nós vamos planejar direito nossos próximos bebês, Harry Styles.’' 

 

‘’É? E posso saber o porquê?’' O elfo perguntou, parecendo se divertir com a ideia. 

 

‘’Porque eu não quero mais perder um dia ao redor de vocês. Eu quero poder beijar você todos os dias, eu quero segurar sua mão no parto e segurar nosso próximo filho assim que ele sair de dentro de você, eu…’’

 

Foi interrompido com um beijo. Porém, não tiveram muito tempo para aprofundarem já que logo Harry voltou ao seu lugar e, quando abriu os olhos, Louis viu que Andrômeda estava dando tapinhas em seu papai. 

 

‘’É, eu acho que beijos estão proibidos nessa casa.’' 

 

‘’Ugh, eu sabia que tudo estava dando certo demais.’’ Tomlinson grunhiu, revirando os olhos de brincadeira. Harry ponderou por alguns segundos, antes de se inclinar novamente na direção do marido e dizer, em seu ouvido:

 

‘’Se você não tivesse tido nosso filho hoje… Eu te chamaria para fazermos mais um.’'

 

‘’Pela Deusa, Styles.’' Louis ofegou. ‘'Você não me dá um descanso…’’ Riu, pegando uma mecha do cabelo do marido e colocando atrás de sua orelha. Harry entregou a bebê para o marido e, fazendo sua cara mais doce, inclinou-se novamente na direção de Louis:

 

‘’Eu senti sua falta, Lou.’' Deixou um beijo na bochecha do marido, pegando mais uma banana no cacho e se levantando para jogar fora a casca da banana que havia acabado de comer. Porém, antes de passar pela porta, olhou para Louis e mordeu a fruta, rindo baixinho e saindo. Narciso pareceu notar algo e foi correndo atrás de seu pai. 

 

Claro que, quando Louis retornou à realidade, ele percebeu que tudo aquilo foi uma encenação de Harry para que o humano não percebesse que a neném em seu colo havia acabado de fazer cocô. 

 

‘’Harry!''

 

‘'O melhor jeito de se aprender a cuidar de um bebê é na prática, Lou!’' O marido gritou, aparentemente ainda no pomar. ‘’Sem contar que eu limpei a bunda dela nas últimas cinco fases da Lua, agora é a sua vez de recompensar o tempo perdido…’' 

 

‘'Nós claramente temos noções diferentes sobre o que é ‘recompensar o tempo perdido’…’' Louis murmurou, passando por Harry no quintal e indo até a beira do rio, para tentar dar um jeito em Andrômeda e sua fralda de tecido.

 

Sinceramente, ele não sabia como um bebê tão fofo e angelical era capaz de tamanho estrago. 

 

‘'Eu não posso simplesmente jogar a fralda dela fora?’'

 

‘’Nope.'' O elfo retrucou e Louis procurou por ele, percebendo que ele estava em cima de uma amoreira, comendo mais frutas. E com o Sol do fim da tarde refletindo no rosto do elfo, ele não pôde deixar de se lembrar daquele dia logo quando eles se conheceram, que Harry levou amoras para ele. 

 

Tomlinson tinha certeza de que o elfo disse algo sobre amora ser sua fruta preferida.

 

Ele esperava que o próximo filho deles fosse uma menina.

 

‘’Louis, por mais que eu adore que você ainda fique com cara de bobo quando me olha, não esquece da bebê no seu colo, por favor… O cheiro ‘tá subindo aqui em cima.’' O elfo reclamou, descendo da árvore e indo até onde Narciso estava deitado, oferecendo algumas frutas para o seu filhotinho. 

 

‘’Você pode, por favor, me ajudar? Pelo menos dizer o que eu tenho que fazer.’' O humano pediu, após longos segundos debatendo com o seu orgulho e sua falta de habilidade com bebês.

 

‘'Estava esperando você pedir.’' O elfo disse, aproximando-se de Louis e indicando o que ele devia fazer, ajudando-o a lavar a bebê e o tecido. Harry enrolou Andrômeda no próprio manto enquanto os quatro andavam até a casa, o elfo explicando para Tomlinson que, toda vez que ele fosse lavar a bebê, ele deveria esquentar um pouco de água e lembrar de levar um pano para o rio, para enrolar na água. A água quente era porque Styles não gostava de dar banho na elfa na água fria do rio, mas ele explicou que no fim da tarde não tinha problema, já que geralmente a água estava mais quente do que no decorrer do dia. O pano era para substituir a fralda suja. 

 

Quando finalmente conseguiram ajeitar tudo, Louis já estava bem mais exausto do que imaginou que estaria. Tudo bem que ele tinha que dar atenção para um marido carente, uma bebê, um filhotinho e quatro raposinhas, mas ele achou que seria fácil ter uma casa cheia. Pelo menos, seus pais faziam parecer ser fácil. Ele teria que conversar com Harry sobre adiar o próximo bebê por alguns anos. 

 

Mas aquilo era conversa para outra hora.

 

Porque agora que Andrômeda já havia caído no sono junto com seu irmãozinho e os dois estavam em seus devidos colchões, Louis não queria fazer outra coisa além de beijar o marido até ambos adormecerem. 

 

Ali, abraçados e trocando beijos, sentindo seus corações baterem fortes em seu peito, Louis finalmente conseguiu aceitar o que ele já sabia ser verdade há muito tempo: 

 

Amor e liberdade andavam juntos. Ele não amava Harry simplesmente porque Harry o amava, ele amava o elfo por seus sorrisos, seu senso de humor, sua paixão pela natureza. Ele o amava porque amar Harry era espontâneo. E Harry o amava de tal forma que ele se sentia totalmente livre. Pela primeira vez, Louis percebeu que a estrela dentro de seu peito se acalmou. 

 


Notas Finais


Até sexta se tudo correr bem :-)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...