História The Contract - Capítulo 7


Escrita por:

Visualizações 417
Palavras 1.485
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Droubble, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ta aí uma surpresinha pra a madrugada de vocês... eu estava muito ansiosa pra postar logo esse capítulo e não me aguentei.


Boa leitura 💕

Capítulo 7 - You'll still have me.


Fanfic / Fanfiction The Contract - Capítulo 7 - You'll still have me.





Mackinze P.O.V


Liguei para Diana pra dizer que não estava me sentindo bem hoje e que por isso não iria acompanhar Philippe no jogo, mas prometi que não faltaria nenhum outro. Ela não ficou nada satisfeita, mas disse que entendia e que me daria essa folga. Pelo menos um dia de paz. pensei.


Mandei mensagem pra Megan perguntando se poderia passar o dia com ela, porque ficar nessa casa realmente não estava me fazendo bem.



Megan : então quer dizer que a madame finalmente resolveu me responder.


Me : Esses últimos dias foram muito corridos, mas eu vou te contar tudo.


Megan:  To te esperando.



Eu não iria contar sobre toda essa história de contrato, eu iria contar apenas que estava com Philippe, que é o que todo mundo acredita até então. Não gostava de mentir pra Megan, mas era necessário.


Agora, tudo que eu mais precisava era da minha melhor amiga e dos mimos dela. Estava morrendo de saudade.


Apenas troquei o shorts por uma calça e desci as escadas rapidamente. Quando eu estava prestes a passar pela porta da sala, Philippe apareceu.



- Fugindo, Mackinze?


- Vou pra casa de uma amiga.


- Eu tenho jogo daqui a algumas horas, você não vai me acompanhar?


- Não, Diana me deu esse dia de folga. - forcei um sorriso e sai batendo a porta.


No fundo, eu não queria deixar de acompanhar ele nesse jogo, mas eu também não estava com cabeça e eu iria nos próximos, eu prometi pra Diana.





(...)








Philippe Coutinho P.O.V

Eu já estava no vestiário com os outros jogadores, faltava apenas 30 minutos pra o jogo começar e eu estava nervoso. Eu nunca havia ficado tão nervoso assim antes de um jogo. Minha cabeça parecia estar em outro lugar, muito longe daqui. Eu precisava me sair bem hoje, mas eu tinha que admitir que não estava nos meus melhores dias.



- A cabeça tem que estar 100% no campo hoje, Coutinho - Piqué falou dando tapas leves nas minhas costas.


- Coutinho, Pode vir aqui? - Ernesto, técnico do nosso time e pai de Mackinze me chamou. Fui até ele, que não estava com uma cara muito boa.


- Onde está Mackinze? Fui na arquibancada, mas ela não está lá.


- Ela não estava disposta hoje e preferiu assistir o jogo em casa. - falei encarando o chão. Eu sabia que Mackinze não iria se quer assistir esse jogo, ela estava magoada comigo.


- Você não fez nada a ela, fez?- A mão dele estava com toda força em meu ombro.


- Não, lógico que não. Eu falei que não iria acontecer nada entre nós e estou cumprindo minha palavra.


- Ótimo.- falou me encarando e depois saiu para falar com os outros jogadores. Respirei fundo e tentei me concentrar pela milésima vez, Mas não conseguia.



Peguei o celular pra olhar se tinha alguma mensagem de Mackinze, mas não tinha nada. Não conseguia entender porque eu estava tão cismado e preocupado com ela. 


Foco, Philippe. O mais importante é vencer esse jogo.



O técnico se reuniu conosco em uma roda e começou a falar o quanto aquele jogo era importante. Ele ressaltou algumas coisas que ele já tinha falado antes e tinha chegado a hora de entrar em campo.





Mackinze P.O.V 



Depois de um bom tempo de conversa com a Megan, agora eu estava no quarto dela, com um balde de pipoca, refrigerante e assistindo "os incríveis" pela décima vez. Megan não parava de mexer no celular e eu estava a ponto de chutar ela pra fora da cama. 



- O jogo do barcelona já começou, não vai assistir seu namorado?


- Sei que eles vão se sair bem e eu não gosto de assistir, fico muito nervosa. - falei e não deixava de ser verdade que eu ficava nervosa, mas esse não era bem o real motivo.


- Isso que é otimismo - Ela falou pegando pipoca. - Mas ainda é estranho você não querer ver seu namorado jogando.



- Xiu, Megan. Vou tacar essa pipoca em você  - falei a ameaçando.


- Você não é louca. - ela me encarou


- Está duvidando de mim? - falei cerrando os olhos pra ela e ela assentiu. Peguei o balde de pipoca e coloquei em cima da cabeça dela ameaçando derramar.



- Mackinze, não. - Ela saiu correndo e eu fui atrás.

.

Começamos a fazer uma guerra totalmente sem sentido, de pipoca,  e em poucos minutos o quarto dela se encontrava irreconhecível e a gente só sabia rir sem parar. 


- Você vai me ajudar a limpar isso. - ela falou jogando uma pipoca em mim.



- Não tenho escolha, tenho? - Joguei uma última pipoca nela e olhei pra o quarto coberto de pipoca pra todos os lados. Eu estava morta de preguiça.


- Não mesmo. -  Ela respondeu e nós nos apressamos em limpar tudo, antes que a mãe de Megan aparecesse e nos matasse por fazer toda aquela bagunça. 






Philippe Coutinho P.O.V



Já estávamos no segundo tempo do jogo e o placar estava "Levante 3x1 Barcelona" Messi havia marcado o nosso único gol e nós tentávamos de todas as formas virar aquele placar, o que parecia cada vez mais impossível. Eu não sabia o que estava acontecendo comigo, eu simplesmente não estava jogando da forma que eu devia. Tinha algo muito errado comigo e eu não sabia dizer o que era, mas eu precisava me encontrar, e rápido. Eu já havia errado muitos passes e o técnico não parava de cobrar.



A bola estava em meus pés mais uma vez e aquela era minha chance. Passei por um, passei por outro, Suárez estava livre mais a frente, passei pra ele, levou pro gol... goleiro defendeu... Puta merda. Não era possível.




Mackinze P.O.V



Quando eu e Megan terminamos de limpar tudo, ela ligou a tv e eu estava totalmente aflita ao ver o placar do jogo. O barcelona perdia de 3x1. O comentarista do jogo falava sobre a atuação de Philippe na partida, que nunca viu ele errar tantos passes e que com toda certeza algo não estava deixando que ele mostrasse seu melhor hoje. Eu estava preocupada e principalmente me sentindo culpada de não ter acompanhado Philippe. 



Só faltava mais 10 minutos de jogo e eu podia sentir o desespero dos jogadores, tentando marcar pelo menos mais um gol, mas o Levante não dava chance alguma. A bola chegava muito perto do gol, mas não entrava. Agora sim eu estava nervosa. Barcelona vinha com 2 vitórias seguidas, uma derrota agora não seria bem vinda, principalmente pelo meu pai.




Os jogadores não desistiram, persistiram, mesmo faltando muito pouco pra acabar, mas infelizmente não deu.




Fim de jogo...



Levante 3x1 Barcelona.




- Seu namorado deve ta arrasado - Megan comentou. Nesse momento, eu só conseguia pensar nele. Ele iria precisar de mim e do meu apoio. Eu precisava voltar.





(...)








Quando cheguei, o carro dele já se encontrava na garagem, eu ainda não sabia o que iria falar pra pelo menos tentar amenizar a situação, mas sabia que não iria deixa-lo sozinho.


Entrei, subi as escadas e fui até o quarto de Philippe. Infelizmente eu não encontrei um Philippe Coutinho cheio de confiança em si, duro na queda, como costumava ser. Eu encontrei apenas o Philippe, confuso, inseguro, que acredito que era quase impossível de ver. Ele estava sentado na cama, apenas encarando o chão, eu me aproximei e ele me olhou, percebi que ele havia chorado. Não pensei duas vezes e o envolvi nos meus braços. O abracei e senti ele se entregar nos meus braços. Naquele momento eu percebi que eu não poderia estar em nenhum outro lugar que não fosse aquele.


- Eu sou um fracasso, Mackinze. - desabafou.


- Shhhh. - levei minha mão até o cabelo dele e comecei a acariciar. Ele estava um pouco alterado.


- Diana e seu pai falaram que eu talvez nem chegue a jogar a copa, que esses últimos jogos antes da copa são muito decisivos para que tenham certeza de cada jogador que foi escalado e que hoje foi o meu pior jogo desde que cheguei no barcelona, e que eu deveria ir quebrando qualquer expectativa.


- Eles só querem colocar medo em você, mas você é um dos jogadores mais talentosos, Philippe. Nunca te deixariam de fora e ainda tem outros jogos antes da copa.



- Mas e se eles estiverem certos? E se eu não puder jogar? E se eu perder tudo mais uma vez, Mackinze? - Sua voz estava trêmula e havia uma boa dose de medo nela.


- Você ainda terá a mim, Philippe. A partir de agora, você terá a mim. - respondi por total impulso, mas não me arrependi. Ele ficou em silêncio e se aninhou ainda mais nos meus braços. Aos poucos foi adormecendo e eu estava mais tranquila. 



Como eu havia dito para Bruna, eu seria paciente com ele.



Notas Finais


Finalmente uma bandeira de paz, né? Quero avisar que próximos capítulos já vai conter algumas partes hot... 👀👀👀👀 O que acham?


Até o próximo capítulo 💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...