1. Spirit Fanfics >
  2. The cop and the chef >
  3. Capítulo 3

História The cop and the chef - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Antes que vo6 me apedrejem, so queria pedir desculpas e dizer que não tive motivos pra essa demora toda. Por favor, prossigam com o apedrejamento.
Anyways, é meu primeiro lemon, deve estar uma bosta :v

Capítulo 3 - Capítulo 3


   Anoitecia. Mais um dia comum para a maioria das pessoas, menos para o moreno. Estava satisfeito, porém triste ao mesmo tempo. O Yamazaki ficara aliviado por sua pena ter sido reduzida, e triste por ter de se vingar de seu amor desde o colegial, Matsuoka Rin. Todavia, não seria capaz de machucá-lo fisicamente, tinha planos para depois de cumprir o que queria, Sousuke sentia que esta era a hora de mostrar seus sentimentos ao ruivo, depois de anos de amor platônico e desconhecido por parte do outro.

   Pensava em várias coisas, variando de onde encontraria Rin a onde passaria a noite, assunto mais preocupante no momento. Devaneava sobre coisas aleatórias enquanto era espremido na janela do metrô, até que alguém praticamente caiu em cima de si, o fazendo ir de cara com a vidraça. Já ia virar-se para reclamar, quando deu de cara com, sem dúvidas, um dos caras mais bonitos que já havia visto. Pouco mais alto que si, cabelos castanhos, olhos vivamente verdes, trajando um uniforme de bombeiro cujo casaco havia sido retirado. Se encontrava completamente em transe.

   Tachibana, mesmo sentindo que era errado, acabara seduzindo-se com aquele belo homem espremido em sua frente. Para se aproximar, esperou que o ônibus freasse para se jogar em cima daquele ser angelical de olhos chuvosos e, "acidentalmente", esfregar sua recém-formada ereção em seu traseiro. Era tudo tão errado. Ao ver o outro se virar, entrou em pânico e soube que levaria um tapa por ser tão assanhado.

   --- Gomenasai! Gomenasai! Gomenasai! --- Pediu o mais alto, colocando as duas mãos na frente de seu próprio rosto levemente corado. --- E-eu estava distraído e o metrô freou!

   --- N-nee, calma aí, cara, não é como se eu fosse te bater por conta disso. --- Tentou parecer o mais indiferente possível com a situação, mas não estava sendo nada convincente, já que seu rosto estava corado e não conseguia evitar sua excitação. Fazia muito tempo desde que não se envolvia com alguém, tanto de forma fraterna quanto amorosa. Sabia que não seria isso que o  faria esquecer o Matsuoka, mas não é por causa de um amor não correspondido que iria ficar sem transar.

   --- Hm! --- Makoto gemeu ao sentir o bumbum do outro roçando em sua ereção já formada pelo contato corporal que havia tido com aquele homem delicioso. Sousuke não costumava ser o uke, e, mesmo não tendo experiências ficando por baixo, não se importava nem um pouco de inverter os papeis.

   --- Olha só... --- sussurrou o de olhos cinzentos, seguido de uma risadinha. --- já está duro assim só de esbarrar em mim, é? Há quanto tempo não transa, sr...?

   Arqueou uma sobrancelha. "Oh", pensou, "então é assim que ele quer jogar?"

   --- Makoto, e é claro que estou assim, você vem se esfregando em mim feito uma cadelinha no cio e quer que eu fique indiferente, sr...? --- O esverdeado decide entrar na brincadeira, colando os dois corpos de forma lasciva e exibindo um lindo sorriso.

   --- Sousuke. A propósito, o que vai fazer sobre isso, Ma-ko-to? --- Perguntou sedutoramente, empinando o traseiro mais uma vez e começando a rebolar contra o membro do maior. --- ah, então quer dizer que você é grande?

   --- Você tá num fogo, hein?

   --- Então vem e apaga tudinho, vem!

   Já virados um pro outro, estavam prestes a se beijar quando, subitamente, lembraram-se que ainda estavam dentro de um metrô e que provavelmente todos lá estariam assistindo àquela ceninha, mas, milagrosamente, ninguém prestava atenção aos dois. "Sinal verde", pensaram, e logo suas línguas se encontravam despudoradamente dentro - e fora - das bocas. As mãos grandes de Makoto apertavam sua cintura e os dedos finos de Sousuke puxavam levemente aquele cabelo castanho tão macio.

   Ao sentirem necessidade de respirar, se separaram com alguns selinhos, querendo mais do que tudo pegar um pouco mais de fôlego para se beijarem novamente, quando ouviram palmas e alguns "uhhhh", e então a ficha caiu. Todos os passageiros os assistiam atentamente. Coraram dos pés à cabeça e se separaram abruptamente, tamanha fora a vergonha e o susto. Mesmo assim, ainda desejavam um ao outro. O maior puxou do bolso uma caneta e um pedaço de papel, escreveu um bilhete e o colocou nas mãos do Yamazaki. Selou uma de suas bochechas coradas e desceu assim que o motorista parou.

   Sousuke abriu o bilhete lentamente, e leu:

   " Desça na próxima parada e me encontre no motel mais perto de lá.

    - M. T."

   Sorriu de canto. Era hoje que tirava seu atraso. A parada seguinte era dali a duas esquinas, e não levou mais que cinco minutos para que chegassem lá. Desceu, assim como foi pedido pelo homem cujo apenas o primeiro nome era de seu conhecimento. Passou a procurar o bendito motel, e o encontrou, aproximadamente, dez minutos depois. Estava, com certeza, bem escondido. Não que houvesse muita necessidade, pois o bairro não era residencial, metade do comércio era composta de bars e, a outra metade, de sex shops. Quando chegou à recepção do local, Makoto já estava lá, sentado no sofá e observando o quanto aquele teto completamente branco era interessante. Pigarreou para chamar a atenção do outro, que desviou sua atenção para si.

   --- Então? --- o de olhos azuis questionou.

   --- Bem, acabei de falar com o secretário e fiz uma reserva pra nós.

   --- O que estamos esperando? --- Sorriu maliciosamente e caminhou até o elevador, onde apertou o botão e escorou-se na parede, esperando que a máquina chegasse. Makoto, um pouco constrangido, foi até o outro e pôs-se a esperar.

   Logo, as portas metálicas se abriram, e eles nada disseram ao entrar. Tachibana apertou o botão de número quinze e aproximou-se de Sousuke e o prensou contra as paredes prateadas do local. Tomou seus lábios com desejo e apertou as nádegas rechonchudas de Yamazaki, dando um leve tapa logo em seguida. O mais baixo gemeu entre o beijo, odiando o fato de sua ereção ter pulsado debaixo de tantos panos. Suas línguas se encontravam loucamente, sedentas por mais. Estavam desesperados um pelo outro, duros novamente, inebriados pelo prazer do momento.

    Justo quando Makoto tocou o membro do outro por cima da calça, o elevador parou e as portas deslizaram, revelando um corredor estreito, com paredes completamente brancas e carpete vermelho no chão. O maior tirou um par de chaves de seus bolsos e destrancou a porta denominada "1502". Mal entraram e já estavam se agarrando de novo, sem nem reparar na mobília rústica, porém bela, daquele quarto cujas paredes eram cor de palha. Deram igual importância às suas mochilas, jogando-as de qualquer jeito em algum canto desconhecido do local.

   Quando se desgrudaram por falta de ar, Sousuke foi atirado na cama de casal com lençóis de um intenso vermelho-sangue. Tachibana, ao se posicionar em cima do outro, teve seu pescoço enlaçado pelos braços do mesmo e sua boca tomada com tanta volúpia e luxúria que chegava a ser palpável. Adentrou a camisa cinza de Yamazaki com sua destra, enquanto apoiava seu peso na outra mão. Capturou um dos mamilos rosados com seus dedos, passando a belisca-los e acaricia-los, ato que fazia o de olhos azuis gemer entre os lábios do outro.

   Quando o beijo foi quebrado, separaram os corpos apenas para tirar aquelas peças de roupa tão incômodas no momento e ficarem nus da cintura para cima. Makoto beijou o maxilar de Sousuke, descendo em direção ao seu pescoço, onde chupou e mordeu toda a extensão. Traçou um caminho imaginário do pescoço até a orelha do menor, e mordiscou o lóbulo. Descendo novamente, foi até os botões rosados do outro, que, apesar de se encontrarem em um tórax bem definido, pareciam muito delicados. Brincou ali com sua língua, fazendo movimentos circulares enquanto chupava o bico, acariciando que não recebia a atenção de sua boca.

   --- M-Makoto, vá logo com isso! --- Sousuke proferiu, as palavras entrecortadas por arfadas e leves gemidos. Seu membro pulsava dentro da calça, carente por alguma atenção.

   Tachibana nada disse, apenas parou o que fazia para retirar as calças do outro lentamente, fazendo questão de passar suas mãos pelas coxas grossas e o traseiro invejável que exibia. Como forma de tortura, iniciou lentos movimentos de vai-e-vem por cima da boxer preta, arrancando gemidos baixos do outro. Queria ouvir mais. Queria ouvi-lo gemer despudoradamente, queria ouvi-lo dizer bobagens, queria que ele implorasse por seus toques. Parou abruptamente os movimentos e tirou a mão dali, se inclinando para sussurrar no ouvido do outro um "o que você quer?" em um tom grave que fê-lo arrepiar-se todo.

   --- Ei! Não me faça dizer essas coisas! --- retrucou Sousuke, indignado.

   --- Então não vai se importar se eu te deixar aqui para resolver isso --- passou o indicador por cima do pênis ereto de Yamazaki. --- sozinho, não é?

   --- N-não! Espera, eu... --- Sousuke estava completamente corado, tanto de vergonha quanto de excitação, não aguentava mais, precisava da boca de Makoto. Precisava dele inteiro. --- Eu quero que você me chupe.

   --- Bom garoto. --- Sorriu, já descendo a última peça de roupa do outro. Se ajoelhou entre as pernas abertas do outro e passou a lamber e brincar com aquela glande rosada e gotejante. Yamazaki gemia febrilmente, porém aquilo não era suficiente. Empurrou seus quadris em direção à boca de Makoto, que engoliu todo aquele mastro e o chupou com toda a força. O outro gemia loucamente, tamanho era o prazer sentido. O de olhos verdes aproveitou-se da situação para preparar Sousuke, levando três de seus dedos à sua boca e o incentivando a chupá-los, o que foi feito com todo o gosto.

   Já com os dedos molhados, o de olhos verdes penetrou-o com um dígito e o moveu levemente, recebendo um gemido de desconforto. Para Sousuke, era desconfortável, mas nem tanto, já que o oral que recebia amenizava a sensação. Logo, Tachibana adicionou mais um dígito, tendo um pouco mais de resistência por parte do outro. Esperou um pouco até começar a movimentá-los, e, ao perceber o deleite em que o menor se encontrava, colocou o último ali dentro e os mexeu com rapidez, enquanto ainda dava lambidas no membro de Yamazaki.

   --- AHN! --- Arregalou os olhos e gritou ao ter sua próstata tocada. Ah, que sensação maravilhosa era aquela que o tomava conta? Sousuke quase atingia seu ápice quando teve todos os estímulos interrompidos. Olhou para cima, pronto para protestar, quando teve a melhor visão do dia: Makoto estava ajoelhado na cama, sua calça e cueca jaziam no chão e ele bombeava seu membro para que ficasse lubrificado enquanto olhava sedutoramente para ele. Seu desejo pelo moreno mais alto subiu juntamente de sua ereção. Abriu suas pernas e murmurou um "vem" histérico, provocando alguns risinhos do outro.

   Ao terminar sua lubrificação/provocação, Tachibana colocou-se entre as pernas de Yamazaki e foi, aos poucos, penetrando-o. A dor era imensa, porém Sousuke procurou não demonstrar, apesar de não conter as lágrimas. Makoto, preocupado, beijou todas as gotas que saíam daqueles olhos de um azul tão profundo. Ao ver a calma tomando conta do ser abaixo de si, tornou a enfiar-se naquele local tão apertado. Ao chegar até o final, ficou parado por algum tempo, até que Sousuke se acostumasse e começasse a mexer seu quadril, pedindo por mais daquele contato. A primeira estocada foi calma, afinal, o esverdeado sabia que ainda devia estar doendo um pouco.

   --- Unn... Ah...

   Aqueles sons eróticos foram um incentivo para Makoto, que foi mais fundo e com mais força, acertando em cheio a próstata do outro. Em resposta, Yamazaki agarrou a cintura do outro com suas pernas e circundou seu pescoço com os braços, gemendo longamente a cada entrada quase violenta dada. A dor já não mais existia, tudo que agora reinava era o prazer, o ar, minutos antes tomado por um silêncio tenso, agora era preenchido por gemidos.

   --- A-ah! Mais rápido, Mako...

   --- Está bom, Sousuke?

   --- Oh! Sim, está... Ah... Ótimo!

   As estocadas tomaram um ritmo intenso, eles deliravam enquanto se beijavam loucamente, estavam quase. Sousuke, com mais duas ou três estocadas, gozou, sujando ambos os abdomens, porém Makoto não havia chegado ao seu nirvana ainda. Rapidamente, tirou seu membro daquele orifício e colocou-o perto do rosto do outro, passando a se masturbar loucamente, até chegar ao ápice, acertando a boca, testa e queixo do Yamazaki. Ambos se beijaram novamente antes de se deitarem e, finalmente, caírem no sono.

   No outro dia, Tachibana acordou mais cedo, se lavou, deixou um bilhete para Sousuke e saiu. No caminho para sua casa, pensava na noite que tivera com aquele homem, no quão bom fora e em como ele não se arrependia de nada. Porém, ao refletir melhor sobre toda aquela loucura, conscientizou-se de seus atos.

    "Ah meu Deus, eu transei com um desconhecido!"


Notas Finais


É isso aí, tomara q nao tenham odiado, foi com mt carinho q eu fiz, deve estar td ferrado pq nao revisei sabagaça masok :P até o proximo capitulo, minhas peoples o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...