História The crimson peak - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Visualizações 11
Palavras 496
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Mistério, Misticismo, Shonen-Ai, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


EU VOLTEI!!!!
♥¤♥/
E DESSA VEZ COM FANFIC DE KPOP!!!
:3
Para quem não entendeu, essa é uma obra adaptada da história "Colina Escarlate" de Guilhermo del Toro. Gente eu sou muito apaixonada por filmes de terror, principalmente os dele!
Então resolvi misturar três coisas que eu amo: Yaoi, kpop e terror!
E me veio essa idéia!
Espero que gostem!
Nos vemos nas notas finais!

Capítulo 1 - Carmesim


Fanfic / Fanfiction The crimson peak - Capítulo 1 - Carmesim

Fantasmas  são reais, disso eu sei. Eu tinha dez anos na primeira vez que vi um, era o da minha mãe. A cólera negra a levou, o papai pediu caixão fechado e disse para eu não olhar. 

Não haveria um beijo de adeus, sem despedidas, sem últimas palavras. Isto é... Até a noite que ela voltou. 

Chovia muito nesse dia, o barulho dos trovões me deixava um pouco assustado e me tirava o sono, já era bem tarde, papai já estava dormindo e muito provavelmente todos os empregados estavam em seus devidos aposentos.

Inquieto, rolava de um lado ao outro da cama, acabando por lembrar das vezes em que chovia e sua mãe vinha lhe acalmar, uma lágrima rolou de meus olhos grandes e um tanto vermelhos, tanto pelo cansaço, quanto pela lembrança da mamãe. 

A porta do meu quarto aberta dava visão para o corredor que a noite ficava extremamente assustador, o som da chuva batendo nas paredes somado ao escuro me deixou apavorado. 

Postei minha mão contra a boca quando ouvi um barulho vindo do corredor escuro, ao qual eu estava, até o então momento de costas. Tremendo até os ossos me virei lentamente na direção do barulho, dando de cara com o corredor que era iluminado apenas pela fraca luz da luminária da rua que penetrava pela janela. 

Aos poucos uma sombra assustadora se formou, os dedos finos, compridos e negros entraram em meu campo de visão, e lentamente vinha na direção do meu quarto, quando dobrou o corredor pude contemplar perfeitamente a imagem aterrorizante. 

Era minha mãe, em seu vestido preto favorito, - o qual eu sempre disse que ela ficava linda, com um fino véu negro cobrindo seu rosto que agora era deformado e assustador. Porém não estava como antes, sua pele era agora negra e apodrecida, onde um dia estiveram os belos olhos grandes e castanhos, tinha agora apenas um vão negro e profundo. Ela flutuava e uma suave aura negra dançava ao seu redor.

Eu hiperventilava e as lágrimas embaçavam meus olhos completamente. 

Aquela não era minha mãe. 

Aterrorizado pela visão infernal que tinha, me virei e encolhido na cama de costas para o corredor, com as mãos trêmulas na boca novamente, chorava baixinho enquanto sentia a presença diabólica se aproximar aos poucos. Apertei fortemente os olhos quando senti que já estava bem perto de minha cama. 

Um desespero enorme tomou conta do meu ser quando senti aquela mão gelada, esquelética e negra tocar meu braço.

-Filho...- a voz doce que um dia me contou histórias para dormir, agora era rouca e saia quase como um sussurro. -Quando for chegada a hora, cuidado com a Colina Escarlate...

Nesse momento eu não aguentei,  me levantei com tudo e gritei chamando meu pai enquanto chorava mais e mais. Desesperado. Porém, quando olhei ao redor estava sozinho novamente. 

Levou anos para ouvir aquela voz novamente. Ou entender aquele aviso desesperado. Um aviso fora de seu tempo. Um aviso que só entendi, quando já era tarde demais. 


Notas Finais


Meu...!
Eu amei muito escrever esse capítulo!
Suspense!
Quem é o garoto da minha história?
Ah! Não posso me esquecer de pedir isso!
Pudins (vocês) que já assistiram ao filme, por favor não dêem spoiler para quem estiver vendo pela primeira vez.
E se alguém quiser assistir o filme depois que terminar a fic. Eu super recomendo! E maravilhoso!
Bem, acho que é isso...
Me digam se vocês gostaram okay? # Tô_viciada_em_Anpanman!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...