História The Crown - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Rainhas, Reino Fictício, Reinos
Visualizações 1
Palavras 1.916
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Misticismo, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Estupro, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


depois de MUITO tempo eu voltei,embora ninguém leia isso...eu acho.

eu tinha perdido a conta....

Capítulo 2 - Capitulo 2


A garota de cabelos esbranquiçados acordou em uma cama, que se parecia muito com uma nuvem comparada com o chão no qual dormia anteriormente, olhando ao redor ela percebeu que aquele quarto tinha uma decoração um tanto quanto extravagante com castiçais e janelas banhadas em ouro branco.Ela se levantou e começou a explorar aquele quarto, ela não se sentia ameaçada, nem mesmo segura ela aprendeu da pior maneira a se manter sempre alerta não importa a situação, olhando para algo que parece chamar sua atenção, era uma caneta tinteiro encrustada de rubis, era lindo e seria perfeito para se defender caso necessário. Alguém entra no quarto era um homem alto com armadura brilhante e dourada, a garota pega a caneta e aponta para o homem não tinha nenhuma chance de ganhar mas não iria morrer sem lutar, o soldado sorri.

- My lady, o que pretende fazer com isso? - ela não responde - não é necessário ficar tão apreensiva aqui é um lugar seguro, está tudo bem.

O cavaleiro se aproxima devagar, a garota corre em sua direção e tenta acerta-lo mas o homem em um movimento rápido pega seu pulso e vira seu braço, fazendo com que ela solte o objeto e caia no chão.

- Você está bem?- a garota estava com os olhos marejados, ainda era uma criança dava ate mesmo pra esquecer que ela matou alguém, o soldado se aproximou da garota para consola-la, em um movimento rápido ela pega a caneta que estava no chão e avança sobre o homem que não tinha muita escolha a não ser machuca-la,ele coloca a mão na frente da caneta para para-la a caneta não atravessaria sua mão já que estava de armadura ele, ela o golpeia mas a caneta fica presa no meio dos dedos do soldado que fecha o punho prendendo a mão da garota. - Por favor fique calma eu não quero te machucar.

Ela começa a se debater para tentar fugir, o soldado desiste de machuca-la e apenas a levanta pelos braços ela parecia ainda mais leve que no dia em que a trouxe do mercado de escravos.

- Me solta. - ela gritava enquanto se debatia.

- Fique calma - a voz de James era calma e serena, qualquer outra pessoa estaria furiosa por quase ter sido morto por uma caneta, mas James tem uma longa história com crianças violentas e assustadas.O medo leva as pessoas a fazer coisas estupidas e ele sabia disso melhor do que ninguém.

- O que você está fazendo James, solta ela. 

O soldado solta a criança que olha em direção a caneta no chão próximo aos pés da princesa, ele apenas coloca uma mão no ombro da criança, ela entende que se tentar algo será punida.Embora James não vá fazer nada.A pequena princesa se aproxima.

- Vamos brincar? - era estranho as pessoas normalmente ficam com medo dela por sua aparência diferente alguns ate mesmo a chamam de demônio por causa de seus olhos, por que alguém iria querer brincar com ela? Mestiços não eram apenas escravos? Talvez tenha sido isso ela foi comprada pára servir a princesa.

- Sim.

- Princesa creio que não seja adequado ela precisa se alimentar e tomar um banho, mesmo que seus ferimentos tenham sido tratados ela precisa se recuperar, e você tem aulas de magia e etiqueta agora isso não sera possível.

- Soldado reconheça seu lugar não me de ordens, bem me desculpe Vit agora não podemos brincar tenho aulas de magia e etiqueta.Você acha que ela pode estudar comigo?

- Sim. - embora ela fosse de certa forma arrogante e sempre estivesse rebaixando todos ao seu redor ela era facilmente influenciável por ele, ela o respeitava, por algum motivo desconhecido a todos

Depois de se alimentar,tomar um banho e vestir roupas novas, Sariu seguiu a garota até a biblioteca, ela ficou maravilhada ao entrar no lugar havia muitas coisas de papel nas estantes, era um lugar enorme.

- O que são essas coisas de papel?

A garota se vira e sorri.

- Você é mesmo muito burra, são livros.Eu te perguntaria se você quer ler algum livro mas nem mesmo sabe o que é um.

- Desculpe.

- Tudo bem, não te comprei pra estudar comigo, sua unica função é brincar comigo.

O professor dela chega é um homem e alto magro, que usava óculos escuros e tinha cabelos longos e negros.Sariu sorriu, era engraçado um homem com cabelos longos, e por que dos óculos escuros durante a noite?

- Perdoe meu atraso senhorita.

- Tudo bem, essa é Sariu meu brinquedo novo.

- Oi. - diz a garota acenando e sorrindo para o homem.

- Muito prazer minha senhorita, meu nome é Oswald Waistorm.

- Por que dos óculos escuros?

- Estilo minha criança.Você comprou uma mestiça, tem gostos estranhos minha senhora.Ela estudará contigo?

- Não, ela é muito burra.Não sabe nem mesmo o que é um livro.

A conversa acabou com um ''humm entendo'' e Sariu tendo que sair para a princesa não se distraísse.Ela andou um pouco mais pelo palácio, reparou em alguns olhares de espanto e de curiosidade de alguns empregados do castelo, até mesmo desprezo.Ela andou que tanto que chegou aos estábulos que ficavam do outro lado do castelo.Ela gostava de cavalos, sempre que podia acariciava um quando estava com os seus antigos mestres, escondido é claro se alguém visse ela seria castigada.Eram tão lindos e todos amavam eles, ela queria ser um cavalo, eles eram grandes e fortes, além de muito elegantes, quem não queria ser um cavalo?

Ela fez questão de olhar e fazer carinho em cada um.Mas um deles era diferente, ele não deixou com que ela se aproximasse, era o mais lindo de todos, era tão negro que seu pelo brilhava a pálida luz dos estábulos.Talvez estivesse com medo por isso não deixava ela se aproximar.

- Sabe,não precisa ficar com medo,eu não vou te machucar.

O animal relincha alto e bate contra a porta de seu pequeno espaço, ela se entristece, só queria ser amiga dele.Então ela se lembra do cavaleiro de mais cedo que não parecia querer machuca-la mas ela o atacou, e que mesmo assim não a machucou, talvez ela fosse um como um cavalo.

- Ei quem é você? - um homem baixo, mas robusto aparece e vai na direção dela com a intenção de machuca-la, ela percebeu isso pela cara que ele estava fazendo.Ela corre o mais rápido que pode, o homenzinho joga algo nela acertando-a, ela cai e se rala um pouco. - O que você estava fazendo nos estábulos criança?

Ela coloca os braços na frente do rosto pra se proteger, não podia machucar o homenzinho, se ele cuidasse dos cavalos e se machucasse quem iria cuidar deles? Ela começa a pedir desculpas incansavelmente e diz que só queria conhecer os animais, por que achava eles muito bonitos.O homenzinho sorri tirando os braços dela da frente de seu rosto.

- Você está bem? - ele olha seus machucados, não se surpreendeu por que já havia um boato pelo castelo sobre uma mestiça - Você gostou mesmo dos cavalos? Saiba que eu sozinho cuido de todos eles, ninguém vem aqui, eles acham que os estábulos são sujos, você não acha esse lugar perfeito?

Ela ficou sem reação, pois sentiu a fúria do homenzinho ele pareceu briguento, mas na verdade era um senhor gentil.Eles conversaram muito sobre o quão incrível eras esses animais, ele também falou sobre sua filha que tinha mais ou menos a idade de Sariu.Ele a levou no colo até os estábulos e cuidou de seus machucados.

- Então garotinha você não se assustou com o nosso amigo ali? - disse apontando para o cavalo negro - ele tem um péssimo temperamento, apenas James consegue lidar com ele.

- Não, ele estava apenas assustado.

- ah é claro, me perdoe meu nome é Andrew.

- Seu nome não combina com você.Andrew soa mais como um nobre elegante e chato. - ele se espanta e sorri - talvez Hagar, é um nome mais robusto seus inimigos teriam medo.

- Meu maior inimigo é a sujeira desses estábulos que não importa o quanto eu limpe continua imundo - ele se aproxima como se fosse contar um segredo e diz baixinho pra ela como se os cavalos fossem contar para alguém caso ouvissem - embora assim aquele nobres frescos não venham aqui.

Eles começam a conversar sobre nomes o que levou, de alguma maneira, a conversarem sobre as raças do reino,ela disse que ele se parecia com um anão da montanha, pelo seu tamanho e barba e cabelos desgrenhados.Ele a comparou com uma ninfa das terras distantes do sul, pois era bela como uma.Ela se comparou com os terríveis asmodianos dos desertos ao norte pelos seus olhos negros, ela já tinha ouvido isso, normalmente os homens da praça de escravos a comparavam com demônios.

- Já esta tarde, vou embora não quero que se meta em problemas.

Após alguns passos ela se distrai e bate em algo de metal.Ela dá um pulo pra trás e entra em modo defensivo pronta para o ataque.Era James, ele parecia bravo, ela se encolhe e pede desculpas por mais cedo, " eu agi como um cavalo desculpe" ele estranhou, achou até engraçado a comparação.

- Estava nos estábulo?

- Sim é um lugar maravilhoso, e o homenzinho é muito gentil.

- Homenzinho? Andrew?

- Esse nome não combina com ele, não pode mudar de nome?

- Não, vamos a princesa terminou suas aulas e já esta dormindo, você tem noção do quão tarde esta?

Era verdade estava muito tarde, ela nunca viu o tempo passar tão rápido.Enquanto andavam surgiu uma dúvida.

- James.

- Sim.

- Me ensina a usar as coisas de papel? Eu fui lá com ela mas ela disse que sou muito burra pra estudar com ela.

- Coisas de papel? Esta falando de livros, humm.O certo seria um professor te ensinar eu sou um soldado.

- O senhor Oswald pode me ensinar então, ele é professor.

- Ele não pode, ele é exclusivo de Helena. - Ela se deu conta que foi apenas naquele momento que ela ouviu o nome de sua compradora. - Eu conheço uma senhora que pode te ensinar, mas ela é muito rígida.Ela seria a professora de Helena, mas ela não quis uma professor rígido ainda mais uma mulher.

- O que tem de errado em ser mulher e em ensinar?

- Nada.Ela provavelmente usou isso como desculpa para ter o Sr.Waistorm como seu professor.

Antes de perguntar o por que, eles chegam no quarto.James diz que alguns empregados foram designados para cuidar dela.Ela entra e  vê um mordomo de cabelos grisalhos e uma empregada jovem de cabelos ruivos.Ela estava preocupada pelo que eles achariam dela.

Eles se apresentaram como Sebastian e Nora, ele era um senhor cego que trabalhava como mordomo para nobres que muitas vezes o subestimavam, Nora era gaga.Sariu ficou muito feliz em conhecer eles, Nora a ajudou no banho e a se vestir.Teve um discussão com Sebastian sobre sapatos e o quão desconfortáveis eram, mas ele a convenceu de usar.Eles foram embora, Sariu se deitou e pensou que talvez aquilo tudo fosse um sonho, e se fosse ela não se importaria de nunca mais acordar.


Notas Finais


melhor comparação.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...