História The Cruel Beauty - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias 101 Dálmatas
Tags 101 Dálmatas, Cruello Devil, Disney, Princesas Disney
Visualizações 30
Palavras 5.297
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá queridos leitores!
Como estão? Eu demorei, mas aqui está mais um capitulo da fanfic! Peço desculpas pela demora em atualizar, dessa vez demorei mais do que o esperado. Eu realmente não sei o que está havendo, o tempo passando rápido demais ou eu fazendo coisas demais. Sei que está difícil conciliar tudo, então peço que me perdoem e não desistam da fanfic @[email protected] Eu também estou passando por um período bem complicado no lance familiar então minha mente não está em sua melhor época.
Como eu havia postado na Page do Cruello, não vou postar mais nela e qualquer atualização da fanfic estarei fazendo pela minha Page pessoa: www.facebook.com/tsukeehl. Lá além de coisas da fanfic vocês poderão conferir também meus outros cosplays, vídeos do meu canal no Youtube, postagens do meu blog e etc! XD
Enfim, chega de papo que vocês querem ver a fanfic né? Boa leitura! E deixem comentário, incentivem a escritora! XD

Capítulo 30 - Capítulo 30


Fanfic / Fanfiction The Cruel Beauty - Capítulo 30 - Capítulo 30


~*~

  Igraine encostou as mãos na mesa, tremendo e suando. Mordeu os lábios, fechando os olhos com força. Não queria gritar, não de novo. Era capaz de suportar aquilo, tinha que ser capaz.
- Posso colocar? – sussurrou Cruello.
- Si...sim...mas...vai devagar.
  Igraine inspirou com força, preparando para o que viria a seguir. Sentiu aquela parte do seu corpo se contrair devagar, desconforto e uma pequena dor começando a crescer e dominar seu corpo.
- ...posso continuar?
  Ela afirmou com a cabeça, mantendo os olhos fechados e as mãos segurando com firmeza na mesa. Cruello  avançou um pouco mais, devagar, atento as reações da jovem á sua frente, de costas para si.
  Igraine soltou um gemido baixo quando ele começou a apertá-la. Não estava acostumada com esse tipo de coisa, talvez não fosse conseguir. Era desconfortável demais, sentia sua respiração falhar e quase pediu que ele parasse. Mas reprimiu a si mesma. Havia começado isso há alguns dias..de pouco em pouco, mas agora chegara o momento final.
“Não! Eu tenho que me acostumar com isso! Não deve ser tão ruim depois que se acostuma! É questão de hábito. Eu não vou ceder, vou mostrar ao Cruello que aguento, sim! Eu vou aguentar, vou me acostumar...pode doer um pouco no começo mas será bom!”
- Posso ir com tudo, raposinha?
- P-pode...
  E ele foi. Com força e sem rodeios. Igraine arqueou o corpo e não conseguiu deixar de soltar um berro de dor com o pouco de ar que havia em seus pulmões.
- AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!!
- ...relaxa, Igraine! Agora já foi!
- Você tá...me..machucando!
- Aguenta mais um pouco, isso não vai te matar!
-  Tá doendoooo! Pára! PÁRA!
- Pronto! Já dei o nó! Ficou uma maravilha!
  Ele se afastou satisfeito para observar. Igraine, se virou com dificuldade, trêmula, ofegante e sentindo que suas costelas haviam se rompido.
  O corset fora tão apertado, que ela mal conseguia respirar e se mexer. Ao longo da semana usara outros mas nenhum como aquele. Cruello apertara ao máximo, como ele teve coragem?
- Minha nossa. Eu sabia que esse vestido ficaria um luxo! 
- Eu...não consigo respirar...nem me mexer!
- Claro que consegue! Endireite-se! Não é muito diferente dos que te fiz usar ao longo dessa semana!
- Mas..mas..os outros que usei não apertavam tanto assim!
- é porque não era eu amarrando, queridah! É desse jeito que se amarra um corselet! Olhe só para você!
  Ele puxou um grande espelho até Igraine que olhou surpresa para a roupa que vestia.
- É...é isso que..que eu vou...usar no...desfile?
- Sim, um arraso não? Eu gosto de me gabar, eu sei que me superei. O vestido está na medida para você. Valorizou tudo no seu corpo que eu queria que valorizasse!
- Mas..mas...eu não consigo me mexer direito e...o ar...não consigo respirar muito bem...
- Pare de choramingar, logo se acostuma. Olhe pra você, olha para o tamanho desses seios, dessa bunda e a cinturinha na medida! Eu peguei uma mulher gostosa, mesmo!
 - Mas...mas...está doendo...
- Ah, por favor! Pare de reclamar! – ele colocou ambas mãos na cintura. – Você conseguiu aprender a andar de salto sem parecer um tiranossauro manqueta em quatro dias, vai conseguir aguentar esse corset facilmente!
  Igraine olhou pra si mesma no espelho. Realmente, naquele vestido, via curvas e atributos de seu corpo que ela realmente não sabia que tinha. O vestido era inteiramente de courino branco no estilo cauda de sereia. Na parte de cima era um corset que valorizava seus seios e comprimia sua cintura. O corset era inteiramente detalhado com pequenas pedras de rubi contornadas por um sutil acabamento em ouro. O vestido era longo, descendo suavemente quase até o chão. Para facilitar a mobilidade, ambas laterais foram cortadas permitindo que as pernas ficassem elegante e sensualmente á mostra. Havia ainda uma finíssima capa de um tecido transparente que Igraine não conhecia, mas que era esbranquiçada e com minúsculas pedrinhas vermelhas, que ondulavam no ar em cada mínimo movimento que fizesse. Além de estar presa na  extremidade superior do corset, essa capa (ou seria algum tipo de véu, tão fino que era?) ainda era discretamente presa nas luvas compridas que usava, fazendo com que se movimentasse em cada gesto manual que fizesse.
- E então...gostou? – perguntou Cruello aproximando-se por trás dela.
- É...é maravilhoso...como conseguiu fazer algo assim em tão pouco tempo...?
- Eu sou um Devil. O talento está no meu sangue.
-  Scarlet me disse que você foi o único estilista da Devil’s a desenhar e costurar todos os modelos que serão usados no desfile. Os outros fizeram apenas os acabamentos e ajustes. ...você deve amar muito desenhar e costurar...
- Gostar...é.
- Cruelloooo! Amarre meu corset!
   Scarlet surgiu da outra sala, caminhando com elegância em seu salto finíssimo. Ela usava um vestido igual ao de Igraine, mas inteiramente feito em couro preto. O corset (que Cruello apertava e amarrava do mesmo jeito que fizera com Igraine mas, ao contrário desta, Scarlet não ficava nem um pouco desconfortável que suas costelas fossem apertadas) valorizava seus seios já avantajados e era cravejado com minúsculas pedras de rubi mas os contornos sutis eram feitos com prata em vez de ouro. 
   Apenas um olhar atento notaria que a disposição das pedrinhas dos corsets de Igraine e Scarlet eram feitas em lados diferentes de modo que se ambas ficassem lado á lado, as pedras representavam  o logo da Devil’s.
 Scarlet usava, assim como Igraine, sandálias de salto fino, com as tiras sendo trançadas até as coxas; preta para Scarlet, branca para Igraine. E nas tiras fora colocada pequenas pedras de rubi. A capa de tecido semitransparente de Scarlet era preta, também cravejado com minúsculos rubis e ondulava até mesmo no mínimo movimento que a mulher fizesse. Suas curvas e exuberância sem dúvidas a tornariam um dos principais centro de atenções da festa.
  Após terminar de amarrar o corset de Scarlet, Cruello colocou as duas mulheres lado á lado e as observou, satisfeito.
- A mídia e a clientela vai ao delírio quando você suas entrarem lado á lado comigo. Cruello Devil e suas duas beldades!
- Hãn... – Igraine  passou a mão pelo próprio vestido. – É um vestido maravilhoso mas...tão ousado...não sei..eu...eu não estou acostumada ...
- Na boa, não vá me fazer passar vergonha! – ralhou Scarlet. – Cruello quis te colocar do meu lado então trate de tentar ficar no meu nível! Ele nunca fez isso antes e não vou admitir que o faça para alguém sem sal! Vai ter que ser lacradora, ficar com salto o  tempo todo, não surtar quando ver as celebridades e não nos fazer passar vergonha! ESTÁ ME ENTENDENDO?!
  Scarlet já estava chacoalhando Igraine pelos ombros quando Cruello se interpôs.
- Calma, calma! Sem exaltações... – ele segurou Igraine delicadamente pelos ombros. – Vamos, raposinha. Olhe pra mim.
  Igraine obedeceu.
- Você está com um Devil agora. E precisa perder os pudores. Precisa mostrar que é poderosa, orgulhosa, uma deusa entre os mortais. Deixe bem claro todos os motivos que me fizeram escolher você e como você foi uma boa escolha. Se você não fizer isso...a mídia vai criticar sua falta de elegância, o público irá te usar como chacota e fábrica de memes, os grandes nomes da moda irão rir da sua cara, o meu fã-clube irá te perseguir e você irá fazer com que as pessoas aleguem que você jogou uma praga em mim para eu estar com você.  E manchar o meu nome, o nome da Devil’s e fazer você passar vexame não é algo que queremos, certo? Ótimo.  Sem pressão, só relaxe, okay?
  Igraine pensou em retrucar, mas desistiu. Era inútil, afinal de contas. Ao longo dos últimos dias, sua vida se resumia em se dedicar a aprender como agir feito uma socialite elegante e requintada. Isso, obviamente, não estava sendo fácil e ela sentia-se esgotada com tantos padrões impostos, maquiagem, salto fino, corsets, penteados e regras de etiqueta que estava sendo obrigada a aprender e suportar. 
- Vamos treinar nossa entrada triunfal e coreografada! Ali. Vamos caminhar daqui até o espelho. Segurem em meus braços! Uma de cada lado!
  Elas obedeceram, segurando o braço que Cruello lhes oferecia. Do outro lado da grande sala que servia como vestiário, havia um grande espelho rodeado por lâmpadas que cobria quase toda a parede.
- Vamos lá, amores...um dois, três...andando no lacre pra sambar na cara das inimigas!
  Os três começaram a andar com passos elegantes. Igraine prendeu a respiração, tentando acompanhar o estilo de passos que Scarlet dava. Os vestidos eram mesmos maravilhosos e acompanhavam os movimentos com graça e suavidade.
- Igraine, corrija a postura, sorriso discreto e soberbo no rosto! Não demonstre nervosismo!
-C-calma Cruello, e-eu preciso me concentrar! - ela murmurou enquanto sentia o ar fugir. 
- É mesmo uma caipira! Não consegue usar um salto? - Scarlett soltou de Cruello e se colocou diante da garota. - Você é fraca! Se continuar assim, será descartada em menos de um mês! 
- Não sou fraca! - Igraine a fitou chorosa. – Eu só não...
- Não aguenta lidar com as pessoas da cidade?  Então largue o Cruello e volte para a fazenda, ordenhando vacas e limpando chiqueiros! Sua caipira!
   As palavras de Scarlett acertaram o ego de Igraine com força, ela fitou Cruello que parecia curioso com a situação. Pra variar ele não diria nada, apenas esperando que ela agisse. Por que não a defendia?
- Saia do meu caminho, Scarlett! - Igraine murmurou, porém a raiva vibrava em sua voz.
  Igraine  respirou fundo e atravessou  a sala com passos elegantes e precisos, o rosto altivo, os passos firmes. A capa esvoaçava á medida que andava e ela moveu os braços enluvados com charme e sutileza. Vendo-se diante do espelho, Igraine sentiu-se não apenas bela, mas poderosa.   Absorta em admirar a si mesma, não percebeu o discreto sorriso que Scarlet e Cruella trocaram entre si.
  Estava voltando de onde viera, quando a  porta foi aberta e Yumie surgiu, segurando uma lata de refrigerante em uma mão e um hambúrguer em outra.
- Mas caramba! Olha o lacre! Que vestido maravilhoso!!! É tu mesmo, Igraine?! Ou fizeram um clone seu melhorado?
- Yumie?! O que você está fazendo aqui?
- Eu a chamei. – respondeu Cruello diante da surpresa de Igraine.
- ...por quê?
- Porque no dia do desfile eu estarei ocupado demais me arrumando e não terei tempo para arrumar você. Scarlet será maquiada pelo nosso maquiador particular e para não houver atrasos, chamei sua amiga que me garantiu que saber fazer uma boa maquiagem. – Cruello colocou ambas mãos na cintura. – Você sabe, não sabe?
- Bom, eu fiz um curso...
  Cruello fez uma cara de entojo.
- Acho bom que saiba fazer. Quero Igraine belíssima! Vamos até a mesa, irei maquiar Igraine e te ensinar como fazer isso no dia. Mas antes..vocês duas vão tirar esses vestidos. NINGUÉM pode ver meus modelos antes do dia do desfile! Vão, vão! Depois encontrei eu e essa aqui – ele apontou para Yumie. – No segundo camarim. Depressa, eu ainda tenho de fazer uma reunião com os estilistas!
~*~
  Enquanto Cruello ia para o camarim seguido por Yumie que devorava seu hambúrguer com avidez, Scarlet e Igraine foram até o vestiário se trocar.
- Ah!!! Que alívio me livrar disso! – suspirou Igraine quando conseguiu desamarrar o corset. – Como você consegue usar isso por tantas horas? Eu senti que todos meus órgãos foram amassados!
- Acho bom que no dia do desfile você aguente ficar o tempo todo com isso e com os sapatos de salto! Seria o fim da picada que a tal namorada de Cruello aparecesse usando sapatilhas porque não aguentou ficar míseras doze horas com salto fino!
  Igraine emburrou. Iria mostrar para Scarlet que se portaria como uma verdadeira..uma verdadeira o quê? Que tipo de pessoa teria de parecer para ficar no nível de alguém como Cruello Devil? 
- ..O Cruello gosta de mim como eu sou... “em partes...”
- Ele pode até gostar mas as pessoas não. As pessoas dessa festa são de outros níveis com as quais você não está acostumada então nesse caso, a impressão a ser passada é não ser como você é.  
~*~
  Após se trocarem, as duas seguiram para o segundo camarim de cara amarrada. Ali havia um gigantesco espelho iluminado por várias lâmpadas e uma longa mesa repleta com uma quantidade absurda de maquiagem. Enquanto o maquiador de nome Carlos (que Igraine reconheceu como aquele que havia menosprezado ela quanto tinham pego um elevador junto com algumas modelos dias atrás) arrumava os pincéis, Cruello mostrava para Yumie os produtos que estavam á mostra, dando explicações técnicas e precisas sobre os efeitos e maneiras de aplicar cada um.
- Igraine... – Yumie se virou pra a amiga, com um sorriso fascinado e as pupilas dilatadas. – Eu nunca vi tanta maquiagem maravilhosa em um único lugar! Se eu não amasse tanto a ONG, iria enviar meu curriculo para trabalhar de auxiliar de maquiadora aqui!
- Acho que deveria largar aquela ONG capenga. – murmurou Cruello. – Aquilo não dá dinheiro e nem futuro.
  Igraine e Yumie abriram a boca para refutar tal comentário, mas Cruello bateu palmas e impôs sua autoridade.
- Chega de conversa fiada! Scarlet, você fica aos cuidados do Carlos. Igraine, sente-se aqui e você. – ele apontou para Yumie. – Quero que preste atenção á tudo que eu fizer e usar!
- Sim, senhor! – respondeu Yumie batendo continência.
- O que está fazendo?! – indagou ele indignado.
- Hãn? – a japonesa mantinha o celular em mãos. – Eu pensei em gravar o processo, assim fica mais fácil para eu fazer a maquiagem no dia.
- De jeito nenhum! Não vai filmar nada! Aloka, vai que esse vídeo cai na internet e começam a plagiar minhas técnicas? Trate de prestar atenção e botar essa memória para trabalhar!
- Cruello... – murmurou Igraine sentando-se. – Eu não costumo usar muita maqui...
- Eu vou decidir o quanto de maquiagem você  vai usar na festa do meu desfile. – ele começou a passar um hidratante no rosto da jovem. – Será sua primeira aparição oficial ao meu lado, precisa estar deslumbrante.  – ele se virou para o maquiador. – Carlos, vamos usar aquele estilo de maquiagem que combinamos. Deixe Scarlet um arraso.
-  Não será dificil...madame Scarlet já é um arraso! – bajulou o maquiador. – Já essa outra...
- Disse alguma coisa, Carlos? - perguntou Cruello de forma rude e sutilmente ameaçadora. 
- De modo algum, senhor Devil!
   Igraine fechou os olhos, permitindo que Cruello a maquiasse da forma que ele quisesse. Os movimentos dele eram precisos e suaves e pela forma como ele explicava cada coisa que estava fazendo para Yumie, ele realmente sabia o que fazia. Não que Igraine entendesse de maquiagem, sabia somente o básico para o dia á dia nunca fora o tipo de garota que costumava se maquiar, embora achasse bonito, duvidava de suas habilidades para tal. 
  Procurou relaxar enquanto sentia os pincéis deslizarem suavemente por seu rosto enquanto Cruello falava o passo á passo, com Yumie murmurando um “certo, certo”, toda vez que ele terminava uma frase.
  Só abriu os olhos assustada quando sentiu um peso em seu colo e então viu o rosto de Cruello próximo ao seu. Seu instinto a fez se inclinar para frente, depositando um beijo em seus lábios. Mas logo ele afastou o rosto, surpreso.
- O que é isso? Eu estou trabalhando!
- Hãn?!  Igraine percebeu que Cruello mantinha um pincel em uma mão e uma paleta de sombras na outra. E então ela notou que Cruello estava literalmente sentado no colo dela.
- Vo-você senta desse jeito em cima de mim e espera que eu pense o quê?! – rosnou ela, corando. – O que você está fazendo?!
- Te maquiando, lógico!
- E precisa ficar assim para me maquiar?!
- Preciso usar a melhor posição para conseguir fazer  a maquiagem do jeito que eu quero. – ele riu, rebolando em cima das pernas da jovem. – E vai dizer que não gosta de ter um homão desses no seu colo?!
- Nossa, eu adoraria... – murmurou Carlos disfarçadamente de modo que ninguém ouvisse, mas Igraine ouviu.
  Ela espalmou ambas mãos na bunda de Cruello, fazendo-o soltar um gritinho surpreso.
- Sua ordinária!
- Ordinário é você! Quem vem fingir que vai me maquiar e quer é ficar abusando de mim!
- Abuso mesmo!  E sei que...
- Dá para pararem com putaria aqui?! – ralhou Scarlet. – Pelo amor da deusa Ishtar, parece que vocês vivem no cio!
- Scarlet, bixa você está destruidora mesmo, viada! Olha essa make! – exclamou Cruello. -  Bom trabalho, Carlos!
- Eu não preciso de muito para lacrar! – resmungou a morena admirando-se no espelho. – E você? O que conseguiu produzir na caipira?
  Cruello se levantou do colo de Igraine e girou a cadeira da jovem. Scarlet e Carlos arregalaram os olhos surpresos mas foi Yumie que exclamou.
- Nossa, Igraine! Você está linda! Nem parece você!
-....eu vou levar esse comentário como um elogio....
- Olha, devo admitir...estou impressionada. – comentou Scarlet. – Realmente ficou bom.
- Lógico, eu que fiz. Eu sempre disse que Igraine  tinha potencial.
  Igraine olhou-se no espelho e se surpreendeu. Cruello lhe fizera uma maquiagem bela e ao mesmo tempo pesada, com tons escuros que realçaram seus olhos, deixaram sua pele aveludada e os lábios vermelhos. Se achou mais que bonita...se achou...atraente. Então era esse o poder da maquiagem?
- Nossa...
- Hum...mas eu acho que ainda falta alguma coisa... – murmurou Cruello olhando-a pensativo.
- Tem que dar um jeito nesse cabelo.  
   Avisou Carlos lhe estendendo uma tesoura, que Cruello pegou. Igraine sentiu o corpo congelar.
- Não..o meu cabelo não..não corte ele!
- Relaxa Igraine, só vou dar uma aparada nessas pontas, fazer um corte decente.
- Toda vez que um cabeleireiro fala isso, ele corta mais do que devia!
- Eu não sou cabeleireiro, sou Cruello Devil! E esse cabelo precisa de um corte, está torto e com pontas duplas! Desse jeito não vai ficar bom para o penteado que quero fazer em você.
- Mas..mas...
- Ora, por favor! – ralhou Scarlet. – Cabelo cresce de novo, deixa de ser medrosa! Se ficar choramingando eu mesma corto seu cabelo e te faço um moicano!
- Não vai cortar não! No meu cabelo ninguém mexe...nem mesmo Cruello Devil! - ela o olhou desafiadora - Quer fazer penteado, eu aceito, mas se ousar passar a tesoura eu faço questão de picotar essas madeixas que você ama tanto Cruello! 
- E você acha que  vai deixar esse cabelo crescer até onde? Não me diga que quer bancar a Rapunzel ou pior...irmã da igreja! Não vou cortar mais do que dois dedos, aloka criatura! Tá achando que meu desfile é bagunça?! Está achando que os convidados são a gentinha com a qual está acostumada?! Eles notam e falam de tudo em todo mundo! Já estou farto de você fazer tanta questão em continuar sendo riponga quando poderia se tornar uma deusa!
  Scarlet, Carlos e Yumie assistiram á cena chocados.
Igraine o olhou horrorizada, encarou Carlos e arriscou.
 - Carlos, por favor... tire apenas 2 dedos e não deixe que o Senhor Devil se aproxime de mim enquanto esse cabelo é cortado. Porque eu juro, pela minha deusa, que eu faço a sua bancada voar na cabeça dele! 
   Carlos soltou um suspiro enquanto Cruello indicava para que ele fizesse o que a jovem pedira. Bufando, ele se afastou e Igraine pôde notar um olhar significativo que ele e Scarlet trocavam.
   Apesar do pavor de Igraine, Carlos simplesmente cortou as pontas e ajeitou o corte de forma a dar uma vitalidade nova ao cabelo. 
- Viu só..não doeu, não cortou muito e já deu uma diferença enorme. Assim não precisará de nenhum penteado elaborado e artificial, quero seus cabelos naturais e vivos para representar o que penso de você!
  Igraine odiava ter que admitir que Cruello estava certo. Mas não falaria aquilo em voz alta. Realmente o cabelo, com o novo corte, havia dado uma aparência mais jovial e leve para si.
-  O que você pensa de mim?
- ...um dia...um dia eu digo. Agora vamos, melhor você voltar para sua casa e descansar. – ele se virou para Yumie. – Não deixe ela mexer demais com animais...não quero um resquício de cheiro de bicho nela no dia do desfile! 
-  Vou fazer o teste da make nas modelos. – anunciou Carlos fechando uma grande valise. – Até mais tarde, beijos amores!
-  Temos de ir para a reunião com o pessoal da publicidade, Cruello. – lembrou Scarlet olhando a agenda do celular. 
- Ah nossa, nem me fale! Fora que tenho de terminar de costurar minha roupa para o desfile.
- E não se esqueça que ainda temos..
- A reunião final com os estilistas. – eles falaram juntos. -  Sim, sim... – ele suspirou. – Bom, Igraine eu preciso voltar ao trabalho. Pedirei que Alfred leve você e sua amiga.
- Vou deixar vocês se despedirem.
- Espere! – chamou Cruello antes que Yumie saísse pela porta junto com Scarlet. – Tome, pegue isso. – ele estendeu uma valise. – Aqui está tudo o que precisa para maquiar Igraine.  O que sobrar da maquiagem é seu, como pagamento pelo serviço prestado.
  O rosto de Yumie se iluminou e ela pegou a valise como se ali estivesse contido os protocolos dos sábios de Sião.
- Tens minha gratidão eterna, Cruello Devil! Obrigada!
  Assim que as duas mulheres saíram do camarim, Cruello notou que Igraine admirava a si mesma no espelho.
- Gostou mesmo hein? – ele riu, presunçoso. – Eu sempre disse que valorizar a aparência melhora a auto estima de qualquer pessoa.
- ...eu nunca...me maquiei desse jeito.
- A partir de agora gostaria que adquirisse o hábito...o que foi?
- Eu...eu estou preocupada com o desfile. Em como vai ser, se vou conseguir agir como tenho de agir. Eu não conheço ninguém e sei que virão falar comigo! E você estará ocupado e...
  Cruello puxou uma cadeira, sentando-se ao lado da jovem. Em um gesto inesperado, ele segurou as mãos de Igraine nas suas.
- Eu sei o que está se passando por essa cabecinha.
- Como?! Você é Cruello Devil! Sempre esteve entre as pessoas da alta sociedade, é uma celebridade, herdeiro da Devil’s, cheio de contatinhos e que sabe lidar com todas as pessoas ricas e excêntricas ...eu não vou conseguir me tornar uma pessoa que consiga lidar com isso!
- Quando você me conheceu eu não era o que sou hoje. Eu era um punk irresponsável, briguento, inconsequente e que não tinha preocupações na vida. Mas aconteceu de tudo isso mudar e eu precisei me tornar responsável e capaz de lidar com as pessoas mais excêntricas e insuportáveis possíveis. Sabe como eu consegui?
- ...se tornando como eles?
  Cruello riu, irritado.
- Está dizendo que sou excêntrico e insuportável? – ela abriu a boca para explicar. – Não responda! 
  Silêncio.
- O caso é que eu consegui e cheguei onde estou. E é onde pretendo ficar. – ele se levantou. – E tenho certeza que você vai conseguir também. Relaxe, não vou cobrar que me acompanhe sempre. Mas dessa vez é importante  e necessário, compreende?
  Igraine assentiu. Era a primeira vez que Cruello falava sobre seu passado e isso era algo que atraía sua curiosidade. Mas ele logo tratou de cortar o assunto antes que ela fizesse perguntas.
- Muito bem, agora preciso trabalhar. Amanhã mandarei que entreguem o vestido e os sapatos. No dia, mandarei que um dos motoristas da Devil’s lhe busque na sua casa.
- ...não será o Alfred?
- Alfred tem outras prioridades para o desfile. Mas não se preocupe, tudo dará certo. Não estou me estressando e me dedicando tanto á isso para algo sair errado!
- ...bom então eu vou encontrar Yumie e voltar para casa. Ainda tenho de ir na ONG essa semana.
- Logo você não precisará mais ficar nesse trabalho simplório.
- Quê?
- Nada. Está certo.  – ele se aproximou. – Estarei bem ocupado esses dias então não terei como ficar ligando, conversando, essas coisas.
- ..tudo bem. Eu acho que consigo sobreviver sem falar com você por alguns dias. – ela comentou com um sorriso. – Só não exija demais de si mesmo.
   Igraine não sabia mais o que dizer e, enquanto pensava nisso, Cruello tocou em seus cabelos e, quando ela ergueu o rosto para encará-lo, ele desenhou o contorno de seu rosto com os dedos.
- Você é realmente muito bonita. – quando percebeu que ela corara feito um tomate maduro, ele deu um sorriso provocador. – Mas claro eu sou muito bom é natural que eu escolha muito bem.
  Igraine murmurou um “besta”  e tocou seus lábios aos dele, sendo prontamente retribuída. Queria saber mais sobre o passado de Cruello que ficava entre o fim da sua época de rebelde  até o que era agora. Mas ele não parecia disposto a contar sobre isso mas...por quê?
~*~

   Chegara o momento. A noite do desfile exclusivo da Devil’s para o sheik Abdulah Al-Sahim e  convidados especiais dava início. Todo o espaço da Devil’s cedido para o desfile e a festa havia sido rica e cuidadosamente decorados. Todos os presentes usavam trajes elegantes e finos, e por todo o salão, empregados caminhavam com bandejas contendo taças com diversas bebidas. Havia também uma grande mesa com petiscos. Música clássica era tocada ao vivo no salão e o clima de conversas, risos e bajulações dominavam o ambiente.
  Igraine encontrava-se sozinha, á entrada do salão. No final das contas, uma mudança de planos fez com que ela tivesse de entrar sozinha, pois Cruello decidira de última hora surgir desfilando pelas escadarias principais do teatro em que se realizaria o desfile e consequentemente a festa. Ela e Scarlet então entrariam juntas, com seus vestidos únicos e ousados. 
    Ela estava nervosa, podia sentir o ar fugir, assim como o tremor em seu corpo. Respirou fundo enquanto um desespero violento a tomava, daria errado, ela sabia... E para piorar Scarlet não falava com ela.A porta foi aberta e ambas começaram a desfilar pelo tapete vermelho colocado no hall de entrada da Devil's. Mas o desfile não seria em outro local?
   Havia  muitas pessoas de ambos lados do tapete vermelho e Igraine não conseguia ver seus rostos. Tudo que via eram os flashes de inúmeras câmeras de imprensa.A luz cegante , Igraine sentiu quando seus pés tropeçaram um no outro e ela se desequilibrou. Tentou se manter, mas o salto fino não foi o suficiente para lhe sustentar o equilíbrio e ela caiu o chão.
- Pela deusa...
    Igraine olhou desesperada em volta e viu a imensidão de flashs que a cercava. Sentiu-se tomada por um terror violento e seu corpo começou a tremer quando ouviu a voz cortante de Scarlet.
- Você é mesmo uma vergonha para o Cruello!  
   Igraine só queria sumir dali mas quando percebeu estava sendo levantada, embora sua mente estivesse em um turbilhão, tudo o que queria era que aquilo acabasse.
   Como se livrara dos flashes e da mídia não sabia, mas esperava que não viesse abordá-la. E Cruello, onde estaria?
- Valder, você viu o Cruello?
- Estou ocupado, estou ocupado... - resmungou o amigo sem olhar pra ela.
  O amigo se afastou para longe dela, e Igraine viu-se novamente só em meio aquelas pessoas desconhecidas e de olhares presunçosos. Ela tentava se movimentar, mas a cada passo que dava, mais difícil ficava.
" Nossa, ela é gorda para o Cruello! "  Igraine ouviu enquanto tentava sair do meio daquelas pessoas.  " É tão desengonçada...e olha esse cabelo...todo esturicado! "  “É mesmo muito caipira!"  - outra voz se misturava.
- Ar...preciso de ar...- Igraine murmurou aterrorizada.
  Notou mais á frente, que Charlene dava uma entrevista exclusiva para Patrick Star enquanto era fotografada e paparicada por jornalistas interesseiros. Percebeu que Charlene falava sobre ela, Igrainer, de uma forma extremamente baixa e deturpada.
-O- o que está acontecendo?!
  Igraine já não conseguia mais suportar aquilo, tinha que achar Cruello, tinha que dizer que estava assustada e precisava de sua ajuda. Perdida, ela se viu em uma multidão de gente e por fim conseguiu ver a silhueta máscula e os inconfundíveis cabelos monocromáticos do jovem mais á frente.
-  Cruello?! - ela a muito custo conseguiu alcançá-lo enquanto as lágrimas embaçavam-lhe a visão – Cruello!! 
  Então ela viu. Cruello abraçado com uma mulher estonteante ao seu lado, dando uma entrevista coletiva á alguns jornalistas.
- E aqui anunciou oficialmente algo que todos estavam esperando. Meu noivado com minha assessora Scarlet Medusa.
  Cruello e Scarlet enlaçaram-se em um beijo apaixonado, registrado por incontáveis flashes das câmeras que os rodeavam.   Igraine sentiu o mundo desabar. Se virou, correndo a esmo...todas as pessoas parecendo borrões até que esbarrou contra algo grande e peludo. Olhou aturdida e demorou alguns segundos para sua visão se focar.
Soltou um gritinho ao se deparar com ninguém menos do que Cruella Devil.
- Você não achou MESMO que meu sobrinho, único herdeiro da Devil's iria ficar com uma garota tão sem graça como você e que ainda por cima é neta daquele casal amante de dálmatas, achou? – Cruella soltou uma baforada nacara da garota. - Caia fora daqui, caia fora da vida do meu sobrinho! Não merecemos ter a honra dos Devil manchada por uma criaturinha como você!

- Não não... Eu quero ir embora...não quero mais isso! - Igraine encolheu-se enquanto ouvia os risos envolta dela. – NAAAAAO!
 
    Igraine abriu os olhos em pânico, fitando o teto bege. Arfando e suando, permaneceu imóvel, notando que estava em seu quarto, mais precisamente em sua cama. O relógio na cômoda emitia um suave tique-taque. E ela sentiu seus pés quentinhos pelo contato de Mimo, que adorava dormir aos seus pés. Olhou ao redor, como para ter certeza de que estava em casa.
- Um sonho...um pesadelo...ainda bem... – levou uma mão ao peito. – Pela deusa, ainda bem...
    Percebendo que sua dona havia acordado, Furacão pulo sobre a cama, seguido por Golias, o que fez Mimo miar emburrado e se afastar.
- Oi meus amores... – ela murmurou, sentando-se na cama e afagando os cães. -Mamãe teve um sonho daqueles! -  ela afagou Furacão apertando-lhe a cabeça com carinho.  - Imaginem que sonhei que o desfile tinha sido um desastre! - ela disse preocupada, enquanto Furacão prestava atenção, - Cruello me ignorava e aquela demônia da Cruella aparecia e me dava o maior susto! -ela exclamou, fazendo Golias pular assustado para baixo da cama.

- Mas...não é um pesadelo qualquer que vai estragar meu dia! Com Cruella ou sem Cruella, vou fazer o possivel para fazer Cruello se orgulhar de mim! - ela espreguiçou-se enquanto colocava furacão para fora da cama. - E não é aquela biscate da Scarlet que vai me impedir! Vou mostrar para aquela siliconada tarada que eu tenho sangue dos Radcliffes e mostrarei ao Cruello que tenho atitude e sou um mulherão da porra! E ninguém vai vir me dar ordens, não!
~*~
“ Ai minha Deusa e se der tudo errado? E se eu cair igual ao meu sonho? E se as pessoas rirem de mim?! E se o Cruello dizer que o faço passar vergonha e me lagar para ficar com, a Scarlet?! Eu não deveria ter aceitado acompanhar ele nesse desfile! “
  Igraine havia tomado um banho e permanecera sentada diante de sua penteadeira, encarnado o próprio reflexo no espelho. Toda sua convicção e atitude havia miado no momento que a consciência lhe abateu com a realidade dos fatos. 
  Respirou demoradamente. Não poderia ter uma crise de ansiedade justo hoje.  Tentara ligar para Cruello mas evidentemente o celular dele se encontrava desligado, na certa preparando-se em um SPA para a grande noite.
 Não. Precisava parar de tanto receio. Estava com Cruello, tinha que ser capaz de encarar o ambiente e as pessoas com as quais ele costumava viver. Se quisesse ficar com ele, tinha de encarar. Talvez, ao final, essa noite não seria tão difícil quanto pensava.
  Ela só não sabia que seria pior.

~*~
 


Notas Finais


E aí pessoal! Nossa, nem acredito que consegui terminar esse capítulo dentro do prazo! Na verdade eu demorei pra atualizar então quando comecei a escrever o capítulo eu coloquei em mim o prazo de duas semanas pra finalizar e deu tempo! \o/
Eu quero pedir novamente desculpas pela demora, esse capítulo foi bem difícil pra escrever porque embora eu tivesse as linhas gerais do que aconteceria, não conseguia colocar em palavras e também eu tinha foco em outros afazeres e acabava não me concentrando muito na história. Quero agradecer imensamente á minha amiga Hime por não desistir de mim e me ajudar na fanfic com as partes em que eu estava travada.
Enfim...acho que vou ter um pouco de dificuldades (devido á falta de tempo e foco nos cosplays RS) mas não irei abandonar a fanfic, não! Continuarei tentando fazer o meu melhor e espero poder contar com o apoio de todos vocês!
Até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...