História The Crush Teacher - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens August Wayne Booth (Pinóquio), Capitão Killian "Gancho" Jones, Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Tinker Bell, Vovó (Granny), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Aluna, Colegial, Escolar, Professora, Romance, Swanqueen, Swen
Visualizações 627
Palavras 13.713
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Ficção, Fluffy, Musical (Songfic), Orange, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu sei que levei um mês para escrever esse capítulo, mas não peço desculpas. Foi o último, e é o maior da fic toda, então vocês deveriam ficar felizes! Hahahaha!

Obrigado pelos comentários e elogios no último capítulo! A fic está quase alcançando 400 favoritos e eu não poderia estar mais feliz!

Obrigada pelo apoio durante todo esse tempo! Espero que gostem do último capítulo dessa história 😜

Capítulo 21 - This Is Love


Fanfic / Fanfiction The Crush Teacher - Capítulo 21 - This Is Love

Emma’s Point of View

Quando saíram da escola, já passava da meia-noite e elas ainda estavam sorrindo como idiotas. Estavam no carro de Regina, dirigindo em direção a casa da professora e Emma sentia que tudo estava acontecendo em câmera lenta.

“De alguma forma, eu ainda acho que estou sonhando.” Ela comentou, vendo Regina virando para olhar para ela em uma fração de segundo.

“Eu sei. Eu sinto o mesmo. Nunca pensei que algo desse tipo fosse acontecer.”

“Nem eu. Eu nunca pensei que você declararia o seu amor por mim na frente de todos assim.”

“Já era hora, você não acha?” Regina piscou para ela e a loira sorriu. 

“Bom, eu não sei. Eu não tinha certeza se você me amava.” Emma disse com a cabeça baixa, evitando os olhos escuros da morena.

“Eu não pude evitar.” Regina agarrou a mão da loira, entrelaçou seus dedos e Emma sorriu ainda mais, olhando para as mãos delas juntas.

“O que vamos fazer hoje à noite?” Ela perguntou, arqueando as sobrancelhas repetidamente e mudando o assunto, fazendo Regina rir. Emma corou imediatamente depois de perceber o que havia feito e viu sua professora mordendo seus lábios sedutoramente.

“Você sabe,” Regina começou com um tom rouco. “Tomar um pouco de chá, assistir televisão, talvez comer algo... O que você quiser, querida.”

“Estou feliz que você tenha dito ‘o que você quiser’ porque nada do que você acabou de dizer está em minha mente.”

“Desculpe, querida,” Regina continuou, sarcasmo em sua voz. “Eu mal interpretei o que você queria fazer comigo?” 

“Eu acho que você sabe o que eu quero fazer com você…” Emma murmurou, suas bochechas coradas quando ela sentiu o formigamento em seu estômago lembrá-la do que ela mais ansiava por agora.

“Hum, desculpe, acho que não. Se importa em me lembrar, Senhorita Swan?”

“Não há problema com isso,” disse Emma, ​​sua voz rouca de desejo. Ela se inclinou para mais perto de Regina e sussurrou em seu ouvido, “Eu mal posso esperar para arrancar sua roupa.”

“Oh não,” a professora negou com a cabeça. “Você definitivamente não vai arruinar esse vestido.” Ela disse séria.

“Não me teste.” 

“Senhorita Swan-” Regina começou com um tom de advertência e rapidamente parou quando a mão de Emma tocou o espaço entre seus seios. “Não faça isso. Estou dirigindo.” Ela balbuciou e a loira riu.

“Por favor, vá mais rápido. Eu mal posso esperar para chegar em casa e te fazer gemer.” Emma riu quando viu Regina arrepiando-se; seus olhos ainda bem focados na estrada. A loira deixou um beijo casto na pele macia do ombro da professora e recuou para seu próprio lugar, concentrando-se na viagem de volta para casa.

Três minutos depois, Regina estava estacionando o carro na garagem e desligando o motor para olhar Emma com olhos escuros cheios de desejo. Ela sorriu sedutoramente e depois disse, antes de sair do carro, “Vou fazer um pouco de chá.”

Emma foi deixada sozinha, sem saber o que dizer dentro do carro, e quando ela percebeu o que havia acontecido, Regina já havia entrado em casa. Agindo por instinto, ela rapidamente saiu do carro e começou a tirar seu vestido. Não era uma tarefa fácil, porque esse vestido estúpido era literalmente de Princesa e ela só concordou em usá-lo porque Ruby disse a ela que Regina iria babar sobre ela. E isso foi realmente o que aconteceu no baile.

Ela conseguiu retirá-lo rapidamente, ficando com apenas sua calcinha, e adentrou a casa, deixando o vestido para trás. Ela encontrou Regina na cozinha, bebendo diretamente de uma garrafa de whiskey Jack Daniels. Ela riu disso e então inclinou o seu corpo contra a porta.

O olhar escuro de sua professora finalmente caiu sobre ela e Emma sentiu-se como se fosse ser devorada por aqueles lábios grossos. Ela sorriu amplamente enquanto os olhos de Regina traçavam a forma nua de seu corpo, coberto apenas por uma única peça de vestuário.

Olhando para a garrafa de whisky, ela disse, “Eu pensei que você ia fazer chá.”

“Esse é o tipo de chá que eu estava falando,” Regina estendeu a garrafa no ar e a loira riu desse ato. “Como você tirou o seu vestido sozinha?” A professora perguntou com curiosidade.

“Eu tenho mãos muito habilidosas,” ela arqueou as sobrancelhas  repetidamente para a professora. “E você já deveria saber disso.”

Regina piscou os olhos lentamente enquanto sua boca formava um sorriso, “Não se preocupe. Não consegui esquecer o que suas mãos habilidosas podem fazer.”

“Interessante,” Emma disse, ​​caminhando alguns passos para a frente. “Bem, acho que é hora de parar de fazer chá e ir fazer outra coisa…” Ela fechou a distância entre elas, pegou a garrafa de whisky e colocou-a no balcão. Ela virou a frente da morena para o balcão e pressionou seu corpo na parte de trás da professora, circulando instintivamente seus braços em torno de sua cintura. “Você quer fazer outra coisa, Regina Mills?” Emma ronronou em sua orelha, vendo os arrepios aparecerem na pele oliva.

“Precisamente, sim,” a professora respondeu quando Emma começou a deixar beijos suaves na curva de seu pescoço. Suas mãos chegaram ao espaço nas costas de Regina e começaram a desfazer os laços de seu vestido. “Eu não pensei que nos tocaríamos novamente…” A morena ronronou baixo, sua cabeça inclinada para um lado, descansando no ombro de Emma e instintivamente dando-lhe mais espaço para beijos.

“Foi cruel de você pensar isso.” Emma disse enquanto chupava o pescoço quente.

“Me desculpe por machucar nós duas com as minhas atitudes,” ela murmurou, mal alto o suficiente para Emma ouvir. “Foi difícil ficar sem você.”

“Eu sei. Foi difícil para mim também.”

“Isso não é um sonho, é?” Perguntou a professora entre suspiros, enquanto a loira mordia o seu pescoço e apertava seus seios cobertos pelo grosso material do vestido.

“Não é. Eu estou aqui. Estamos aqui, juntas, e nada irá nos separar. Você está me ouvindo?”

“Sim,” Regina respondeu, quase sem fôlego. Ela mordeu o lábio inferior enquanto Emma deslizava seu vestido para baixo, acariciando suas curvas no caminho. “Eu preciso do seu beijo, Emma…” Ela ronronou em sua orelha, e a loira obedeceu rapidamente, beijando Regina com força e depois abriu os lábios para que suas línguas se encontrassem. A professora virou-se, e pressionou seu corpo fortemente contra o de Emma; seus seios nus tocaram-se, fazendo seus mamilos enrijecerem instantaneamente, o que enviou uma onda de arrepio para suas espinhas. Ambas as línguas finalmente se encontraram e se deslizaram juntas e Emma pôde provar o sabor de whiskey na boca de Regina.

Ela fez a professora arfar de surpresa quando a levantou, segurando-a em estilo nupcial. “Emma!” Exclamou a professora, rindo. “O que você está fazendo?”

“Eu vou levá-la lá pra cima. Preciso cuidar muito bem de você esta noite…” Ela murmurou na orelha da morena, sorrindo quando a professora fez um som positivo com a boca e mordeu os lábios novamente.

A jornada para o quarto de Regina no andar de cima foi complicada, não tão fácil quanto Emma esperava, mas ela conseguiu percorrer as escadas entre risadinhas e beijos. Quando chegaram ao quarto, colocou a professora na cama e deitou-se sobre ela, fazendo com que seus seios tocassem mais uma vez. Suas pernas se emaranharam e seus lábios se encontraram, começando um beijo ardente e longo. Elas rolaram pelo colchão, esfregando o corpo um no outro e riram com sua ansiedade e sensações prazerosas que estavam causando uma na outra.

Neste momento exato, Emma lembrou da última vez que elas estiveram juntas intimamente. Faziam duas semanas — não tanto tempo para aqueles que ouviram sobre isso, mas demais para elas, que sofreram demais durante  se período de tempo. Estar com Regina novamente lembrou-a porquê ela havia sofrido tanto; a fez lembrar de todas as suas qualidades e por que ela se apaixonara por ela. Regina é engraçada, inteligente, generosa, adorável, atraente, sexy, gentil e tudo de bom que faz alguém gostar em outra pessoa. Claro que ela tem os seus defeitos — o que Emma não consegue lembrar agora —, mas eles não são nada em comparação com a mulher que ela é. Emma não poderia ser mais sortuda de ter encontrado Regina.

“Por que você está me olhando assim?” Emma foi interrompida desde seus pensamentos quando ouviu a voz de sua namorada.

“Estou admirando você em meus pensamentos,” ela sorriu maliciosamente e beijou a morena. “Estou apenas pensando o quão sortuda eu sou de ter você.”

“Você é muito romântica, Emma.” A morena murmurou em seu ouvido, sorrindo com carinho e beijando sua mandíbula.

“Um pouco, sim, mas você sabe que eu sou mais safada do que romântica, babe.” Ao dizer isso, as mãos de Emma seguiram o caminho de curvas suaves até chegar ao bumbum de Regina, onde ela o agarrou e apertou.

“Eu amo os seus dois lados, querida.” A professora murmurou contra lábios finos e então começou a beijá-la profundamente. “Mas agora, vamos tentar algo novo,” ela se virou para encarar as pernas de Emma e inclinou seu corpo para baixo, para que ela ficasse exposta diretamente em frente ao rosto da loira. “Vamos nos dar prazer ao mesmo tempo, Senhorita Swan.”

“Hmm, ótima ideia, Senhorita Mills. Eu sempre quis fazer isso.” Emma sorriu quando viu o sexo de Regina encharcado apenas a poucos centímetros de seu rosto. Ela não esperou mais tempo para lamber o sexo da morena, gemendo enquanto saboreava o delicioso sabor. “Oh, hmm, eu senti falta disso.” Ela cantarolou e sentiu o riso gutural de Regina vibrar contra o seu centro quando ela começou a chupá-la também.

Emma abraçou a cintura de Regina, trazendo seu sexo para mais perto de sua boca, e chupou-a profundamente, torcendo a língua contra as dobras lisas. Ela não pôde segurar um gemido quando Regina fez o mesmo com ela lá embaixo, usando a língua e os lábios ao mesmo tempo, causando arrepios em sua pele.

Ela estava perto; e com as arfadas e os gemidos que sua professora estava soltando, Emma soube que ela também estava perto. Mas a loira queria fazer outra coisa... algo mais selvagem; algo que ela sabia que Regina adoraria vê-la fazendo — até porque elas tinham feito uma única vez durante o tempo juntas.

Ela deu leves palmadas na bunda firme de Regina e a empurrou para o lado para que ela caísse sobre a cama. “Emma, ​​o que você está fazendo?” 

“Você vai gritar de prazer, Regina Mills,” ela interrompeu, sorrindo maliciosamente ao ver a morena estreitando os olhos para ela. Não pensando duas vezes, ela colocou sua perna esquerda sobre o quadril de Regina e pôs a perna direita sob a esquerda, conectando seu próprio sexo com o dela. A morena ofegou e gemeu em surpresa, colocando ambas as mãos sobre a boca. Ela deu a professora um sorriso travesso e começou a mover-se contra o seu sexo.

A loira inclinou-se para a frente e capturou um mamilo em sua boca, começando a provocar o bico erguido. Seus quadris continuaram a mover-se, misturando seus líquidos, esfregando seus sexos juntos, enviando pequenas ondas de prazer através de seus corpos.

Emma observou com admiração quando Regina agarrou os lençóis brancos, suas mãos se transformando em punhos enquanto os puxava; suas costas arquearam-se ao mesmo tempo em que sua boca abriu-se e ela gemeu.

Sorrindo e mordendo seus próprios lábios, Emma puxou a perna direita de Regina até o seu ombro e começou a deixar beijos molhados em suas panturrilhas e coxas. Ela passou suas unhas para cima e para baixo na pele macia, deixando marcas vermelhas. Os gemidos da professora tornaram-se mais altos quando Emma começou a mover seus quadris mais rápido; a sensação deliciosa de seus clítoris esfregando-se, fazendo-a estremecer e abafar seus gemidos contra a pele oliva. A outra mão se aproximou e agarrou um seio, começando a massagear e provocar o mamilo sem piedade.

“Emma…” Regina arfou, tocando a mão de Emma em seu seio e entrelaçando seus dedos. “Eu te amo.” 

E era tudo o que ela precisava ouvir para atingir o ápice. Ela exalou um gemido alto, seus quadris tremendo e empurrando para frente em movimentos, que agora se tornaram lentos; Regina gritou e arqueou suas costas mais uma vez, seguindo seus movimentos e atingindo ao orgasmo, sua expressão de prazer a mais linda de todas.

Emma sentiu seus sexos palpitando juntos, seus líquidos misturando-se completamente, molhando os lençóis, e então ela ofegou, gemeu, balbuciou palavras incompreensíveis, deixando o orgasmo estremecer através dela até que caiu sem fôlego em cima de Regina, que riu e beijou o topo de sua cabeça.

Passaram um longo momento em silêncio; o único som na sala era as suas respirações cansadas. Emma fechou os olhos, apoiando a cabeça no peito da professora e começou a ouvir o ritmo suave e repetitivo do coração dela. Isso a acalmou. Isso a deixou feliz. Isso fez com que ela acreditasse que isso tudo não era um sonho. Isso fez com que ela acreditasse que elas estavam juntas novamente, e ninguém iria entrar em seu caminho.

Emma não esperava ouvir nada em breve, e ficou surpresa quando Regina falou com a voz baixa e cansativa, “Por que você tirou o colar que te dei?”

Ela imediatamente ergueu a cabeça para encarar olhos escuros e duvidosos. “Porque eu não queria me lembrar de você.” Ela respondeu sinceramente, perdendo-se na imensidão desses olhos que significavam tanto para ela.

Com dedos tentativos, Regina começou a acariciar os cabelos de Emma. “Quando percebi que você não estava usando, me senti mal, mais do que já estava.”

“Bom, se ajuda, eu me senti devastada por duas semanas inteiras.”

“Mas você estava com raiva de mim.”

“Sim. Foi a emoção que achei que era melhor para me ajudar a superar isso: culpá-la, ficar com raiva de você por causa do que causou.”

“Eu estava com tanto medo do que poderia acontecer…” A professora murmurou, sua voz baixa e triste.

“Hey, está tudo bem agora,” sua mão descansou abaixo de sua orelha, seu polegar acariciando sua bochecha em um ritmo lento. “Você não precisa se lembrar dessas duas semanas horríveis agora. Tudo está bem.” 

“Eu nunca quero passar por isso de novo.”

“Nós não vamos.” A loira disse séria. “Se algo de agora em diante acontecer para arruinar o nosso relacionamento ou de alguma forma machucar nós duas, por favor, me conte para que possamos resolvê-lo juntas e nunca mais passar por isso. Okay? Você quer me prometer isso?”

“Sim, eu prometo.”

“Não quebre promessas desta vez, okay?” 

“Nunca mais. Eu amo você, Emma.”

“Eu também te amo, Regina.”

 

xXx

 

Uma Semana Depois

Regina Mills’ Point if View

Era dia da Cerimônia de Graduação de Emma e Regina não podia sentir-se mais feliz. Ela estava orgulhosa de sua namorada e ainda mais feliz em saber que, depois disso, a loira estaria completamente fora desta escola com nada segurando-a de volta. 

Quando a cerimônia começou, todos os alunos estavam sentados nas cadeiras em frente ao grande palco no campo de futebol; com sua beca acadêmica e seu chapéu, Emma estava linda. Aquele belo sorriso sempre no rosto cada vez que a professora olhava para ela.

Emma tinha dito a Regina que sua avó provavelmente estaria aqui, então a professora estava tentando não ficar tão perto de Emma porque ela achava que não era o momento adequado para conhecer a avó da menina, ainda. Afinal, já havia se passado muito tempo desde que ela conhecera a família de uma namorada e não estava pronta para isso novamente depois de alguns anos sem quaisquer relacionamentos sérios.

Expulsando esses pensamentos para longe, ela viu o Mr. Gold entrando no palco. Ele logo começou a chamar os alunos lá em cima, disse seus nomes e lhes deu o certificado de graduação. Quando foi a vez de Emma, a loira tinha os olhos fixos em Regina enquanto recebia aplausos e sorria amplamente. A professora simplesmente não conseguia parar de sorrir; amava o quão feliz e orgulhosa Emma estava de si mesma e, provavelmente, tudo o que tinha acontecido a seu favor.

Depois que cada aluno tinha subido no palco, havia uma pequena festa com comida e bebidas à espera para desfrutarem, mas Regina não iria lá agora, porque ela precisava falar com o Sr. Gold sobre sua situação e ela precisava fazê-lo agora.

Regina: Não se preocupe comigo, eu vou encontrá-la mais tarde. 

Ela mandou uma mensagem a loira e começou a caminhar para onde o diretor estava. “Sr. Gold,” ela tocou seu ombro e ele se virou para ela. “Eu acredito que nós precisamos conversar.”

Ele sorriu falsamente e fez um gesto com a mão para que ela o seguisse. Logo, eles estavam em seu escritório. “Eu acho que já sei por que você está aqui, mas eu vou deixar você começar. O que você precisa me dizer, Senhorita Mills?”

Regina respirou fundo antes de começar, “Eu queria pedir desculpas por tudo o que fiz. Eu sei que não foi certo, e eu sei que não deveria ter feito nada disso. Mas tecnicamente não foi uma escolha...” Ele revirou os olhos e ela continuou. “Eu também queria te agradecer por não chamar a polícia e me mandar para a prisão. Eu sei o quão difícil foi para tomar essa decisão. Eu sei que você só quer cuidar desta escola e eu aprecio o seu esforço. Mas eu sinto muito sobre o caos no baile e tudo que os outros fizeram para ajudar a Emma e eu.” O homem acenou com a cabeça, seus olhos ilegíveis, como sempre. “E eu acredito que, para o bem de todos e principalmente o seu, eu deveria pedir demissão e não causar mais problemas que poderiam surgir no futuro.”

O Sr. Gold concordou prontamente neste momento e apoiou os cotovelos sobre a mesa de madeira. “Eu acredito que você esteja certa. Eu estava prestes a demiti-la, de qualquer maneira.” Regina sentiu uma pontada de dor em seu coração, porque ela nunca havia sido demitida antes. Isso era novo para o seu ego. “E, felizmente, se os formandos não comentaram nada ainda, nenhuma das grades 10 e 11 irão saber sobre o que aconteceu no baile. Vou me certificar de que os professores não comentem nada sobre disso com ninguém, também. Como você já sabe, preciso manter a reputação dessa escola muito alta.”

“Sim, isso é verdade,” ela sorriu fracamente para ele. Ela precisava ser grata, no entanto. Ela não está na prisão agora, e isso é certamente algo para comemorar.

“Isso é tudo, Senhorita Mills?”

“Eu acredito que sim. Tem algo que você queira me dizer?”

“Só... mesmo que você esteja namorando uma aluna e isso tudo soa tão absurdo na minha cabeça, apenas... seja feliz, porque você ganhou essa oportunidade. Eu não tenho certeza se você não iria acabar na prisão se estivesse em outra escola. Eu não estou em todos os lugares, querida.” Ele brincou e Regina sorriu graciosamente para ele.

“Obrigada, Sr. Gold. Eu realmente aprecio o que você fez para ajudar. Muito obrigada.” E ela saiu, sentindo-se como se um peso tivesse saído seu o peito.

Emma: Regina, onde você está?

Era a mensagem que tinha recebido de Emma após deixar o escritório do Sr. Gold.

Regina: Eu estava conversando com o Sr. Gold. Onde você está, querida?

Emma: Conversando com Sr. Gold? Por quê?

Regina: Te explico mais tarde.

Emma: Por favor, venha rápido. Granny está aqui e ela quer te conhecer.

Regina se sentiu ansiosa de imediato após ler essa mensagem. Merda, por que hoje?

Regina: Sério?

Emma: Sim, Gina. Estou perto da mesa das bebidas. Esperando por você. Beijos!

Sentindo o coração a ponto de sair do peito, Regina caminhou até a mesa de bebidas devagar, tomando o seu tempo, enxugando as mãos suadas em sua saia preta. Quando chegou mais perto, viu Emma e Ruby abraçadas com uma senhora de cabelos grisalhos - que ela achava que deveria ser a avó - e aproximou-se mais com um sorriso nervoso.

Emma e Ruby se separaram do abraço e a loira seguiu o aceno de sua irmã para Regina.

“Regina!” A loira disse sorrindo, e se aproximou para abraçá-la. “Tudo certo com o Sr. Gold?”

“Sim, está tudo bem.” Ela olhou nervosamente para a senhora de cabelos grisalhos e Emma riu enquanto entrelaçava seus dedos. “Olá.” Ela murmurou para a senhora, tentando sorrir menos estranhamente.

"Olá, querida. Então você é a famosa professora, eh?”

Regina assentiu e sentiu a outra mão de Emma em sua lombar, o que a fez sentir-se menos nervosa. "Sim, eu sou. É um prazer conhecê-la...” Ela então percebeu que não sabia o nome da mulher.

"Oh, me desculpe. Meu nome é Eugenia Lucas. Encantada em conhecê-la, Regina Mills.” Eugenia caminhou até ela e a abraçou. Elas logo se separaram e a senhora olhou para Emma. “Emma, querida, ela é deslumbrante!

“Ela é, sim,” Emma piscou para Regina, que corou. “Oh, babe, você está corando!” A loira deu um beijo em sua bochecha e abraçou-a de lado.

“Eu não estou corando, Emma.” Ela protestou em vão, deixando seu rosto ser beijado por lábios macios.

“Eu disse que elas eram fofas, Granny.” Ruby disse, cutucando Eugenia que tinha um enorme sorriso no rosto enquanto olhava para Emma e Regina.

“Elas de fato são. Então, eu tenho uma ideia. Por que não vamos todos almoçar na minha casa? Quero passar mais tempo com Regina e conhecê-la melhor.”

“Eu acho que é uma ótima ideia, Granny!” Emma disse acariciando o ombro da professora. “Ruby e Killian poderiam ir, também!”

“Eu estava prestes a sugerir isso, Blondie!” Ruby disse sorrindo.

“Ok, vamos lá, então.”

 

xXx

 

Elas estavam na casa de Emma e, Regina havia oferecido para ajudar Eugenia a cozinhar o almoço para todos. Ela não estava tentando impressionar, nem nada disso. Ela só queria ser útil. Mas antes de decidir isso, ela não sabia que Eugenia iria interrogá-la enquanto elas cozinhavam.

“Então Regina, o quanto você gosta minha neta?”

A morena clareou a garganta antes de responder sem jeito, evitando os olhos da senhora, “Hum, gosto muito.”

“Gostar não é o suficiente. Você não tem ideia do quanto Emma sofreu durante a semana que você terminou com ela.” Ela respirou fundo para manter a calma. Aquelas duas semanas não iriam ser esquecidas tão cedo. “Eu sei como ela estava se sentindo porque eu basicamente sentia o mesmo. E eu sei que agi errado sobre a carta... Você sabe o que aconteceu?”

“Sim, eu sei.”

“Então, hum... Eu já amava Emma um tempo antes de acontecer aquilo, mas eu estava com muito medo das consequências.”

“Eu entendo. Estou feliz que está tudo bem entre vocês duas agora.”

“Eu também. E não se preocupe, não vou nunca deixá-la de novo. Eu prometi a ela e desta vez eu vou manter as minhas promessas.”

“Eu sei que você vai. Eu posso ver em seus olhos o quanto você a ama,” Regina sorriu carinhosamente. “Você sabe o que ela passou no passado, certo?”

“Sim, eu sei.”

“Então você provavelmente já percebeu que ela não lida bem com abandono.”

“Eu prometo a você, Eugenia. Não vou mais machucá-la. Eu a amo e ela significa muito para mim.”

“Fico feliz em ouvir isso, Regina.”

“Hey!” Ela ouviu a voz de Emma e virou rapidamente para olhar para a garota loira sorridente. “Como vocês duas estão se conhecendo?”

“Muito bem, eu diria,” Granny respondeu ao colocar condimentos na salada.

“Que bom!” Emma sorriu carinhosamente para Granny. “Então, você gosta dela agora?”

“É claro que sim! Ela é maravilhosa!”

“Eu espero que você não esteja mentindo.” Regina disse, olhando para as duas.

“Eu não estou, querida. Eu estou é muito contente que minha menina encontrou o amor com uma pessoa incrível como você.” Emma e Regina sorriram para Eugenia, ambas sentindo-se imensamente feliz.

 

xXx

 

        Um Mês Depois

O verão tinha começado há um mês e elas estavam curtindo muito, fazendo tudo o que um casal de férias gostaria de fazer: elas voltaram para a casa de praia de Regina novamente por alguns dias, visitaram outras praias, saíram para jantar, visitaram novos lugares e cidades... Havia se passado apenas um mês e já era o melhor verão da vida de Emma. Estar com a mulher que ama a fazia mais feliz do que nunca.

A loira mal ia para casa agora que elas estavam viajando juntas. Sua avó não se importava muito, porque ela sabia exatamente onde Emma estava e com quem estava o tempo todo. Estava ficando cada vez mais normal agora tecnicamente 'viver' na casa de Regina. Elas são um casal e passam muito tempo juntas em uma casa que já parece como um... lar. E Emma não quer mudar isso. Ela se sente bem.

Foi nas poucas últimas semanas de verão quando Emma recebeu a carta de aceitação para entrar na universidade. Ela ficou imensamente feliz com isso, mas ainda assim... ela sabia o que sua professora havia feito durante todo esse tempo - além de viajar com ela. Regina tinha entregado seus currículos para várias universidades e estava esperando por uma resposta. Emma a tinha visto morder suas unhas, parecendo preocupada e queria que a professora conversasse com ela sobre isso... mas ela não o fez. Emma estava tão ansiosa quanto Regina a espera de uma carta para chegar. Emma, mais do que ninguém, sabia que sua professora merecia um bom trabalho porque ela é uma das melhores e mais dedicadas desse mundo. 

 

xXx

 

Foi na última semana de verão que a mãe de Regina convidou Emma para jantar em sua casa e para que elas pudessem finalmente se conhecerem. As últimas semanas foram de pura diversão entre Emma e Regina em que elas aproveitavam do seu tempo livre antes de começar a estudar e... talvez Regina iria trabalhar novamente em breve. Mas agora, a loira estava se sentindo extremamente nervosa, prestes a conhecer Cora Mills. Ela sempre soube que isso iria acontecer algum dia, mas ela se sentia como se não estivesse preparada ainda...

“Querida, não me diga que você está com medo de conhecer a minha mãe.” Regina disse olhando fixamente para ela. Elas estavam na Benz e Emma estava dirigindo em direção a casa de Cora.

"Não, não. Claro que não. Por que eu estaria?” Emma negou, olhando diretamente para a estrada, com as mãos segurando o volante do carro com tanta força que os nós dos seus dedos estavam ficando brancos.

“Sua expressão está impagável, Senhorita Swan.” Regina disse, abafando uma risada.

“Pare de me zombar. Você estava se sentindo exatamente como eu quando conheceu a Granny.”

“Não, eu não estava.” A morena negou prontamente.

“Sim, você estava, Regina. E além disso, eu nunca conheci nenhuma mãe. Isso é novo para mim. Eu tenho medo de ser muito estranha e sua mãe não gostar de mim.”

“Emma, conhecer a mãe de sua namorada é muito normal, a não ser que a mulher seja ruim, o que não é o seu caso. Minha mãe não é assim. Pare de exagerar.”

“Eu não estou exagerando. Estou apenas sendo cuidadosa.”

“Não se preocupe. Eu estarei ao seu lado o tempo todo.”

“Yea?”

Regina assentiu e agarrou a mão suada da loira. “E para de suar. Minha mãe não gosta de segurar mãos suadas.” Os olhos de Emma se arregalaram imediatamente e ela afastou sua mão da de Regina para esfregar em seus jeans. A morena começou a rir alto e pegou a mão de Emma de novo. “Eu estou brincando, querida. Não há necessidade de pirar, sério. Minha mãe está bem.” Ela tranquilizou novamente.

“Não faça isso comigo, por favor. Eu estou muito nervosa.”

“Não há necessidade de estar. Oh! Vire à direita. Acabamos de chegar.”

“Puta que pariu!” Emma murmurou, nervosa, olhando para a grande casa branca na frente de seus olhos enquanto estacionava o carro.

“Hey, olhe para mim,” a morena puxou o rosto da menina pelo queixo para olhar em seus olhos. “Tudo vai ficar bem e minha mãe vai adorar você. Não se preocupe.”

“Okay,” ela respirou fundo e depois sorriu. “Você pode me beijar para que eu possa me sentir melhor?”

A professora riu e beijou sua namorada apaixonadamente; e Emma sabia que esse beijo com certeza a deixaria mais calma... se não excitada.

“Hmm, que gostoso. Eu me sinto 50% melhor agora.”

A morena beijou os lábios finos novamente e, em seguida, abriu a porta do carro. “Hora de ir, Senhorita Swan.”

Elas saíram do carro e seguiram o caminho até a entrada da casa - ou ela deveria dizer mansão? Família muito rica, de fato.

Regina tocou a campainha e depois entrelaçou seus dedos com os de Emma. A loira imediatamente sentiu-se mais calma de novo e sorriu para a professora.

A porta foi aberta de repente e uma ruiva apareceu com um enorme sorriso e braços abertos. “Oh, Emma! A aluna favorita da minha irmã! É tão bom ver você de novo!” Zelena abraçou-a com força.

“É bom ver você também, Zelena.” Emma disse, sentindo-se feliz em ser recebida assim.

“Mãe, elas estão aqui!” Zelena gritou para a casa - provavelmente a Cora - e depois abraçou Regina por pelo menos vinte segundos. “Eu senti sua falta, Sis.”

“Senti sua falta também, Zee.”

“Minhas queridas! Vocês chegaram!” Uma morena mais velha apareceu no hall de entrada com os braços abertos e acolhedores. Por um momento, Emma pegou-se surpreendida pelas características físicas de Cora. Ela parecia muito com Regina e nada com Zelena. “Você deve ser Emma.” Cora apontou para ela e ela concordou.

“Sim,” respondeu sorrindo timidamente. “Prazer em conhecê-la, Sra. Mills.”

“Oh, sem formalidades, querida! Pode me chamar de Cora.”

“Okay.” Ela encolheu os ombros e olhou para Regina, que sorria com carinho para ela.

“Mãe, como você está?” Regina perguntou e se aproximou de Cora para abraçá-la.

“Eu estou bem. Como você está?”

“Melhor do que nunca.”

“Bom saber, querida. “Agora, entrem porque acredito que temos muito o que conversar!”

 

xXx

 

“Então você declarou o seu amor por Emma na frente de todos no baile?” Zelena perguntou, seus olhos azuis arregalados e sua expressão chocada enquanto olhava para a irmã.

“Sim,” Regina sorriu com carinho para Emma, que retribuiu. “Eu não podia mais ver aquela homofobia e eu tive que fazer alguma coisa.”

“Regina, minha querida, eu admiro sua bravura. Mas o que aconteceu depois?” Cora perguntou, parecendo curiosa.

“Bom, houve mais discussão, mais confissões e Mr. Gold, o diretor, decidiu expulsar Robin. Depois que ele foi arrastado para fora da sala, Gold queria chamar a polícia para resolver a minha situação, mas alguns alunos protestaram contra ele e disseram coisas lindas e-”

“E então tudo estava bem.” Emma interrompeu, sorrindo para Regina.

“Espera,” Zelena começou, trocando olhares entre Emma e Regina. “Então a escola protestou contra o diretor para ajudar vocês duas?”

Regina assentiu com um sorriso, “Sim. É impressionante, não é mesmo?” 

“Sis, isso é mais do que impressionante! Onde nesse mundo alguns alunos seriam tão legais e com mente aberta para a homossexualidade? Eu estou perplexa!”

“Às vezes ainda é difícil de acreditar.” Regina comentou, lembrando do dia surpreendente do baile. 

“A maioria dos alunos que protestaram são meus amigos, então isso é um bônus.” Emma disse, olhando para Cora por alguns segundos e observando que a mulher estava perdida em pensamentos.

“Sim, mas nenhum outro disse nada contra vocês duas estarem juntas, e isso é realmente estranho.”

“Eu não previ isso acontecendo,” a professora disse, agarrando a mão de Emma e acariciando os seus dedos. “Eu nunca pensei que Robin nos exporia à escola já que eu obedeci à sua carta; e fiquei completamente chocada quando isso aconteceu.”

“Eu acredito que todo mundo ficou chocado, Regina.” Zelena disse, e olhou para Cora. “Você não disse nada, mãe. Você não acha que o que aconteceu com a Gina é a melhor coisa de todas?” A ruiva disse animadamente, sorrindo feliz.

“Sim, claro,” a mulher mais velha respondeu baixo, desviando os olhos de Regina e Zelena. “Você teve sorte, querida.” Ela disse finalmente, olhando para Regina com o que parecia ser um sorriso falso.

Emma apertou a mão da morena levemente e olhou para ela quando disse, “Talvez nós somos destinadas a ficar juntas.” A professora assentiu com um sorriso e, em seguida, a voz de Cora interrompeu o momento em que elas tinham seus olhos fixados um no outro por alguns segundos.

“É mesmo?” Cora tocou seu próprio queixo em uma posição pensativa e continuou, “O que aconteceu depois?”

“Eu pedi demissão uma semana depois disso e Sr. Gold ficou feliz que eu fiz isso... Eu não poderia continuar trabalhando lá nem mesmo se ele quisesse que eu ficasse. Eu não me sentiria bem com isso.”

“Uau, sis! Eu nunca esperava que você pediria demissão.” Zelena murmurou, seus olhos azuis ainda arregalados.

“Bom, era a coisa certa a fazer.”

“Você tem um trabalho, agora?” Cora perguntou severamente, olhando fixamente para Regina. Emma não estava gostando desses olhares e tons que ela estava usando. Sua expressão não era uma das melhores, e a loira sentiu que algo estava errado.

“Na verdade, eu tenho.” A morena disse, olhando para Emma com um sorriso.

“Você tem? Você recebeu uma carta de aceitação?” 

“Sim, eu recebi, minha querida. Eu tenho um novo emprego como professora na Universidade de Boston.” 

“Oh meu Deus, isso é tão incrível, Regina! Estou tão feliz por você!” Emma disse e abraçou sua namorada com força, beijando o topo de sua cabeça em seguida.

“Obrigada, querida. Eu sei que você estava tão ansiosa quanto eu. Obrigada por se preocupar comigo.”

“De nada,” respondeu ela e recebeu um beijo de Regina em seus lábios.

Um pigarreio as interrompeu e ambas olharam para Cora, que ainda não tinha uma expressão feliz. “Parabéns, Regina.”

“Obrigada, Mãe.”

“Você merece isso, Sis! Estou feliz por você.”

“Obrigada, Zee.”

“E você, Emma? O que você vai fazer?” Cora perguntou, olhando para Emma com os olhos ilegíveis.

“Eu vou começar a estudar música na Berklee College of Music na próxima semana.”

“Ah, é mesmo? Música?” A mulher mais velha perguntou com um pouco de sarcasmo na sua voz.

“Sim, é a minha paixão. E eu sou apenas capaz de fazê-lo porque Regina me mostrou que eu consigo. Ela me ajudou a encarar meus maiores medos.” Ela sorriu para sua namorada que retribuiu prontamente.

“Oh, que bom! Essa é uma história interessante de amor, Regina.” Mais sarcasmo e Emma sentiu-se um pouco desconfortável sobre isso.

“Obrigada, mãe.” Regina respondeu com sinceridade.

Cora pigarreou mais uma vez e olhou para Emma, “Agora, Emma, me fale sobre você.”

A loira se sentiu desconfortável sob o olhar de Cora nela, mas conseguiu dizer, “Hum, o que você gostaria de saber sobre mim?”

“Quantos anos você tem mesmo? Dezessete?” Ela perguntou com desdém. 

“Hum, dezoito anos.”

“Mãe-” Regina interrompeu, mas Cora continuou.

“Quando Regina me disse que ela estava namorando uma aluna, eu fiquei muito surpresa de primeira. Na verdade, eu não acreditei até ver você aqui hoje.”

“Mãe, não-”

“É apenas interessante, Regina. Como ela é tão jovem e você-”

“Pare, Cora.” Regina interrompeu sua mãe com uma voz severa e elas se encararam com olhares fulminantes.

“Eu só estou tentando conhecer a sua jovem namorada, minha querida. Você tem algum problema com isso?”

“Já é hora da sobremesa, Cora?” Regina perguntou severamente de novo. “Quer vir comigo para a cozinha?”

“Como quiser.” Cora respondeu com uma carranca. Ambas se levantaram e foram até a cozinha, deixando Zelena e Emma sozinhas.

“Emma, não se preocupe com elas, okay?” A ruiva começou a dizer. “Elas estão sempre brigando desse jeito, mas no final, tudo volta ao normal.”

“Hum… tudo bem… Mas… sua mãe tem algum problema com a minha idade ou eu entendi errado?”

“Não se preocupe com isso, querida. Deixe-as resolverem entre si.”

“Okay…” 

Emma pretendia deixar isso pra lá e aproveitar o resto do jantar, mas… ela não poderia já que a voz de Cora e de Regina estava vindo em alto e bom som da cozinha:

“Você perdeu a cabeça, Regina! Você não pode sair com uma jovem de dezoito anos de idade!”

“Claro que posso, Cora! Por que você se importa tanto sobre a idade dela? Você deveria se importar com a minha felicidade e não com isso!”

“Eu me importo com a sua felicidade, mas acredito que não será com uma adolescente!”

“Você é quem perdeu a cabeça, Cora Mills. E você não pode me dizer o que fazer. Esta é a minha vida e eu pretendo continuar cuidando eu mesma!”

“Regina, você tem que me ouvir. Você não aprendeu os erros do seu passado?”

“Eu aprendi sim, e o que eu tenho com Emma agora não é nada como o que eu tive no passado.”

“Você está agindo impulsivamente de novo. Que futuro reserva para você e essa moça? Ela vai te largar assim que se cansar de estar em um relacionamento sério, e então você vai estar sozinha de novo.”

“Não-”

“Ela é jovem, Regina! O que você acha que ela quer fazer com você?”

“Ela me ama.”

“A outra disse a mesma coisa, e veja o que aconteceu.”

“Não-”

“Aceite a verdade, Regina, isso não está cert-”

“Não!” Ela gritou, interrompendo Cora. “Eu não vou tolerar a sua opinião! Esta é a minha vida e eu fazer o que eu quiser com ela. Eu amo a Emma e eu sei que ela me ama também. Me liga quando você tiver vontade de aceitar o que eu tenho com a minha namorada de dezoito anos. Adeus, mãe.”

Emma estava ouvindo essa conversa em completo silêncio, com os olhos arregalados enquanto evitava olhar para Zelena, que provavelmente estava se sentindo muito constrangida com o que estava acontecendo.

Quando Regina entrou na sala, Emma rapidamente olhou para ela com um sorriso tímido e seu coração se partiu quando viu a expressão triste e perdida no rosto de sua namorada.

“Emma, vamos embora.” A loira se levantou rapidamente e começou a seguir Regina, que já estava quase na porta.

“Sis, espere!” Zelena chamou, andando apressadamente em direção a ambas. “Não vá, por favor. Vocês duas podem corrigir isso agora. Por favor, não vamos brigar mais.”

“Eu tentei. Ela não consegue cooperar e você sabe o que acontece quando ela não aceita os meus relacionamentos.”

“Sim, eu sei e eu não quero que isso aconteça novamente.”

“Eu não posso lidar com ela assim, Zelena. Ela não quer me ver feliz. Ela só quer uma boa reputação para sua filha.” Uma lágrima escorreu em suas bochecha e Emma sentiu o seu coração quebrando-se em pedacinhos.

“Baby, por favor, não chore.”

“Tarde demais para isso.” Ela murmurou enquanto Emma segurava sua mão. “Nós precisamos ir.” 

Ela abriu a porta da frente e Zelena disse, finalmente, “Por favor, não se esconda novamente, Regina. Eu sinto a sua falta.”

“Eu não vou, Zee. Não se preocupe comigo.” A ruiva assentiu e elas entraram no carro.

 

xXx

 

Fazia cinco minutos de puro silêncio, e Emma não tinha ideia de como começar uma conversa. Regina estava dirigindo, e seus olhos estavam fixos na estrada. Emma observou-a e viu algumas lágrimas indesejadas caindo em seu rosto, mas ela não sabia o que fazer sobre isso.

Ela sabia que a situação em que estavam agora era muito complicada e, de alguma forma, ela tinha entendido que isso tinha acontecido antes, o que a intrigava de um jeito que não podia manter a boca fechada por muito tempo. Ela só precisava encontrar as palavras certas para começar esta conversa.

“Regina, você está bem?” Ela perguntou, olhando atentamente para a sua namorada.

“Não,” ela respondeu baixo. “E eu não quero falar agora.” Ela disse seca.

Emma assentiu e, em seguida, agarrou a mão direita de Regina, entrelaçando seus dedos. “Eu respeito isso, mas eu quero que você saiba que eu estou aqui para você.” Ela deu um beijo na parte de trás da mão da professora e viu a mesma sorrir levemente.

Isso era um bom sinal, certo?

 

xXx

 

Quando chegaram em casa, Emma estava pensando em tentar iniciar uma conversa novamente quando Regina disse, “Eu quero um banho. Você quer se juntar a mim?”

“Sim, claro. O que você quiser.” Regina sorriu e levou-a para cima. Quando chegaram no banheiro, Regina começou a tirar a roupa e Emma fixou os olhos sobre ela, imóvel. Ela não podia tirar os olhos do corpo perfeito em sua frente. 

Regina pareceu notar e sorriu, olhando para Emma por alguns segundos, “Por que você não está se despindo, Senhorita Swan?”

“Desculpe, você me distraiu.” Ela, então, começou a tirar a roupa, peça por peça, enquanto Regina entrava na banheira cheia de sais minerais e água quente.

“Entre.” Emma acenou com a cabeça e entrou quando ela estava totalmente nua. Ela se sentou na banheira, de frente para Regina. Seus pés e coxas se tocaram e ela sentiu o formigamento habitual de prazer em seu ventre. “Isso é bom.”

“Sim, é muito bom.” Regina enfiou a cabeça dentro d’água e respirou fundo depois de emergir, olhando fixamente para Emma. “Como você se sente?”

“Chateada.” Ela respondeu e, em seguida, arrastou-se até Emma e sentou sobre sua cintura. “Mas eu acredito que você possa me fazer sentir melhor.” Emma teve que lutar imediatamente contra seu desejo de tomar Regina agora nessa banheira... porque ela sabia que precisava falar sobre o que tinha acontecido.

“Tenho certeza que posso e vou, mas primeiro... Eu quero que você converse comigo.” Regina respirou fundo e Emma a puxou para mais perto, descansando a cabeça dela em seu peito.

“O que você quer que eu diga? Você provavelmente já ouviu tudo o que dissemos. Não há mais nada a dizer sobre.”

“Você pode desabafar comigo. Você sabe que eu estou aqui por você e que eu quero ouvir você, Regina. Nós estamos juntas, então me fale sobre seus os sentimentos.” 

Outra respiração profunda e a professora começou a falar, com a cabeça no peito de Emma e sua mão direita acariciando o seio da loira com leves toques. “Cora Mills sempre encontra uma maneira de intervir em meus relacionamentos. Se eu a deixar, ela até arranjaria uma namorada para mim.”

“Hum, isso não é bom.”

“Eu sei. Ela sempre me irritou com isso.”

“Ela só faz isso com você ou com Zelena também?”

“Com nós duas. Ninguém nunca é suficiente para suas filhas.”

“Mas não precisa ser o suficiente para ela, só pra você.”

“Sim, mas ela não entende isso. Ela nunca aprovou nenhum dos meus

relacionamentos.”

“Sério?”

“Sim, e eu estou cansada das suas regras e opiniões estúpidas.”

“Eu posso imaginar. Mas você não precisa ouvi-la, certo?”

“Não.”

Elas passaram longos segundos em silêncio, apenas curtindo a sensação de seus corpos nus e molhados pressionados juntos. Emma estava tentando muito se concentrar, porque ninguém poderia ser capaz de manter a calma quando se tem Regina Mills colado a você, completamente nua. Elas já transaram várias vezes, mas cada vez, Emma se sente ainda mais louca  por ela. É como se fosse a primeira vez todas as vezes.

Colocando os pensamentos eróticos para longe, ela disse baixo, “Há sempre algo ou alguém em nosso caminho.”

“Isso se chama vida,” Regina respondeu com uma careta. “E às vezes eu me pergunto se minha mãe está certa...”

“O quê? Não.” Emma protestou, puxando Regina para que ela pudesse encarar seus olhos. “Não, ela não está certa. Foi você quem disse no baile que você pode amar qualquer pessoa de qualquer idade, gênero ou qualquer outra coisa. Agora você não pode deixar sua mãe entrar na sua cabeça. Ela não pode escolher quem você pode amar.”

“Sim, eu sei disso, mas... é inevitável não pensar sobre o que ela disse e que talvez seja… verdade.”

“Regina, o que está querendo dizer com isso?”

“Que talvez ela esteja certa. Isso me fez pensar se algum dia você gostaria de ir para outro lugar, ou encontrar outra mulher... desfrutar da sua vida com outra pessoa…”

“Regina, por que eu gostaria de conhecer outra mulher se eu tenho você aqui do meu lado?”

“Talvez um dia você vai perceber que eu não sou o suficiente para você. Você vai perceber que isso é errado e você não vai me querer mai-”

“Como você ousa pensar em uma coisa dessas?” A loira a interrompeu, de repente, sentindo-se traída por sua namorada e sua maneira de pensar. “Você é mais do que o suficiente, Regina. Você sabe que é tudo para mim, certo?”

Regina sorriu. “Não, eu não sabia disso.”

“Bom, é verdade e sua mãe está errada. Eu não vou te largar. Não importa o que aconteça, eu ainda estarei te querendo. Não importa o tempo, a nossa idade, gênero, ou quem apareça no nosso caminho, eu vou permanecer a mesma e vou continuar te amando.”

“O que isso significa?”

“Isso significa que eu quero estar com você para sempre, Regina. Não há ninguém mais nesse mundo que eu queir-”

“Ainda,” a professora interrompeu.

“Não, é para sempre, você está me ouvindo? Para sempre.”

“Para sempre é muito tempo.”

“Não importa. Eu estou com você para o long haul.”

“Você está?”

“Por que você ainda está duvidando de mim? Você não vê o quão profundamente apaixonada eu estou por você?” A morena sorriu amplamente, sua mão já segurando o rosto de Emma.

“Às vezes eu vejo, às vezes é mais difícil... Mas agora é a sua vez de prometer que nunca vai me deixar.”

“Sim, eu prometo, Regina. Você é minha e eu sou sua.” Emma puxou-a para mais perto, abraçando-a com força e trazendo seus rostos a centímetros de distância. Regina segurou seu rosto com as duas mãos e seus olhos se encontraram; logo a loira perdeu-se na imensidão escura do mar de olhos duvidosos.

“Você está falando sério sobre o que você acabou de dizer?” A morena perguntou, seu rosto mostrando o quanto ela queria acreditar em Emma e parar de duvidar.

“Sim, absolutamente.”

“Okay.” A professora murmurou e deitou sua cabeça no peito de Emma.

“Apenas ok? Isso é tudo o que você vai dizer?”

“Na verdade, eu gostaria de te perguntar uma coisa.” Ela levantou a cabeça de novo para olhar para a loira. “Minha mãe ia surtar se soubesse que eu ia te perguntar isso, mas eu não me importo porque ela está errada.”

“Sim, ela está. O que você quer me perguntar?”

“Se eu sou o que você está dizendo, se você está realmente aqui para o long haul... Eu gostaria que você morasse comigo.”

Emma não estava esperando por isso - não mesmo. Nesse momento, ela se sentia completamente perplexa com essa pergunta. Ela sabe que Regina e ela praticamente ‘vivem juntas’ por agora, mas ao ser questionada desse jeito, depois do que aconteceu hoje, é certamente uma surpresa.

“Sé-sério?” Emma gaguejou, sem saber exatamente como reagir a isso.

“Sim. Bom, você já vive comigo praticamente, mas as suas coisas não estão todas aqui e eu... eu quero que seja real, se você entende o que quero dizer.”

“Oh meu Deus, Regina,” Emma murmurou antes de puxar o rosto de Regina para mais perto e beijando-la nos lábios inúmeras vezes. “Claro que eu quero morar com você.”

A morena sorriu amplamente, seus olhos mostrando como estava feliz depois de ouvir isso. “Eu te amo tanto, Emma Swan.” Ela disse, e Emma viu seus olhos marejando.

“Eu também te amo, Regina Mills.” Ela imediatamente atacou aqueles lábios grossos maravilhosos em um beijo selvagem, sentindo seus corpos nus esfregarem-se um no outro, o que a trouxe arrepios.

“Quer comemorar esse novo acordo?” Regina interrompeu o beijo para perguntar enquanto mordia os lábios sedutoramente.

“Não há necessidade de pedir duas vezes.” Emma respondeu enquanto levantava sua perna e guiava os quadris de Regina, conectando seus sexos juntos.

“Oh sim,” a morena gemeu quando Emma começou a mover os quadris, o atrito crescente enviando pequenas ondas de prazer através de seus corpos.

 

xXx

 

O verão havia terminado e a vida acadêmica de Emma tinha que continuar. Ela começou a estudar na Berklee College of Music, há uma semana, e Regina tinha começado a trabalhar na Universidade de Boston também. Estava tudo muito bom até agora e ela estava amando estudar o que ela gosta de fazer. 

Ela havia se mudado para a casa de Regina, e Granny tinha pirado um pouco quando Emma disse à ela. Mas tudo estava bem agora. Era mais que incrível a sensação que sentia ao ver suas roupas no closet de Regina, como se fossem casadas. Seus objetos pessoais estavam por todo o quarto e o banheiro. Isso certamente a fez sentir em casa e a loira não poderia estar mais feliz. 

Uma noite, após um dia intenso de trabalho para Regina e horas estudando para Emma, elas decidiram apenas deitar na cama, assistir a um filme e relaxar um pouco. Elas estavam precisando disso.

Emma tinha escolhido um filme lésbico chamado Imagine Me & You — porque ela nunca, em toda a sua vida, havia assistido um antes — e Regina estava muito contente com a sua escolha. 

Suas pernas e braços estavam emaranhados desde o início até o final do filme, e quando acabou, ambas tinham olhos marejados.

“Oh wow, foi realmente bom. Estou contente por elas terem ficado juntas.” Emma comentou, virando o rosto para olhar sua namorada.

“Eu também. Eu gostaria que pudéssemos ver mais da vida delas juntas depois disso... mas filmes lésbicos são sempre assim ou pior.”

“Esse é o meu primeiro. Parece que temos que fazer maratona de alguns, eh?” 

“Claro que sim, querida. Você sabia que há um sobre uma professora e aluna?” 

“Sério? Vamos assistir!” 

“Oh, não. Absolutamente não.”

“Porquê?”

“Não há um final feliz. A professora, na verdade, vai para a prisão.”

“O quê? Eu não quero assistir isso.”

“Eu pensei que não.”

“O que acontece no filme?”

“Tem essa garota rebelde que começa a estudar em uma escola católica. Elas começam a ter uma ligação forte, tem tensão sexual, e um dia elas transam pela primeira vez e alguém as vê. A professora foi imediatamente arrastada para a prisão por policiais. Foi horrível. Eu pensei que elas estariam juntas no final, ou fugiriam, não sei, mas... foi assim que terminou.”

“Porra, isso é horrível! Não deveriam fazer filmes assim. Destrói as esperanças de todos.”

“Exatamente.”

“Felizmente para nós, tudo ficou bem. Nossa história não é nada como aquele filme. A nossa é um perfeito conto de fadas.”

“Conto de fadas?”

“Sim. Você é a Rainha e eu sou a Cavaleira e sempre vou protegê-la de tudo de ruim neste mundo.”

“Uma cavaleira, Emma? Sério?” Regina provocou com um sorriso.

“Bom, eu não me vejo como uma princesa nem como uma rainha. Cavaleira é a melhor opção, você não acha?”

“Talvez. Quando você estava usando aquele vestido azul no baile, você estava parecendo como uma princesa de uma terra de conto de fadas.”

“Eu só queria fazer você babar por mim.” Regina em bateu seu braço de brincadeira e riu, “Você com certeza atingiu o seu objetivo.” Elas passaram um momento em silêncio, perdidas em pensamentos até Regina começar novamente, “Emma, vendo esse filme me fez lembrar de algo do meu passado que eu acho que você deve saber.” Emma olhou desconfiada para ela e acenou para que ela continuasse. “Seis anos atrás, eu me casei.”

Os olhos da loira se arregalaram imediatamente, “Vo-você o quê? Você foi casada?”

“Sim, eu fui casada com uma mulher chamada Fiona.”

“Oh meu Deus,” a loira murmurou, sentindo o ciúme consumindo-a. “Oh, wow.” Ela tocou sua testa e tentou evitar uma dor de cabeça depois de ouvir isso. Quando que ela imaginaria que Regina havia sido casada no passado? Isso é muito surpreendente.

“Me desculpe se eu demorei muito para te dizer... Eu só não gosto dessa parte da minha vida.”

“Eu estou tão surpresa, Regina. Nossa, is-isso é loucura.”

“Sim, foi uma loucura e um ato completamente imprudente.” 

Emma estava chocada, mas ela não queria que Regina percebesse, por isso, ela simplesmente continuou falando, “Por que você se casou com ela?”

“Bom, Fiona e eu estávamos namorando há três meses, quando decidimos nos cas-”

“Três meses?! Sério?” Não, ela claramente não conseguiria esconder o seu choque. “Isso não é nada! Eu e você estamos juntas há muito mais do que isso.” Ela bufou e cruzou os braços sobre o peito.

“Eu te disse que havia sido um ato imprudente. Eu não estava pensando direito quando decidimos isso.”

“Estou vendo que não,” ela respondeu secamente. A pontada de dor em seu coração estava incomodando muito e ela não podia evitar suas palavras duras de sair de sua boca.

“Você está com ciúmes, não está?”

Ela franziu os lábios e respondeu, não convincente o suficiente, “Não.” 

“Você está, Senhorita Swan. E não há necessidade. Isso foi há seis anos atrás.”

“Mesmo assim, Regina. É de casamento que você está falando. Só de imaginar alguém tocando você todos os dias como eu faço me dá arrepios furiosos.”

“Isso nem existe, Emma,” Regina riu, encarando o olhar frio de Emma e segurando a risada alta que queria soltar.

“Eu estou com ciúmes, mas por favor, continue com a história.”

“Okay. Minha mãe não gostou nada disso, porque ela não gostava tanto de

Fiona-”

“Oh, eu já esperava por isso. Eu ficaria surpresa se sua mãe tivesse realmente aprovado. Eu não aprovo, por que ela aprovaria?” Emma disse tudo muito rápido, sentindo o ciúme insano tomar conta de sua cabeça.

“Emma-”

“Quantos anos você tinha, afinal?”

“Vinte e um.”

“Hm, realmente foi um ato imprudente.”

“É, e eu sei isso agora. Posso continuar sem você me interromper?”

“Desculpe.” A loira murmurou baixo, ainda evitando os olhos de Regina.

“Eu estava feliz no início, mas depois de sete meses de casamento, ela começou a sair muito e não dizer para onde estava indo. Isso me chateou e começamos a brigar todos os dias. Foi realmente horrível. Eu me sentia sozinha e sem amor.”

“Você a amava?” Emma finalmente se virou para olhar em seus olhos, na esperança de que ela iria receber um não como resposta.

“Não, na verdade,” a loira deixou sair instantaneamente o ar que não sabia que estava segurando e esperou que Regina continuasse. “No começo eu pensei que eu a amava, mas depois, eu percebi que era todas as coisas domésticas que fazíamos que me fez pensar que eu estava apaixonada por ela. Eu tinha certeza de que eu gostava dela. O início do nosso relacionamento foi muito bom, mas depois... tudo se desfez.”

“O que aconteceu?”

“Eu descobri que ela estava me traindo por uns... dois meses.” 

“Oh, merda.” 

“Eu sei. Fiquei arrasada e com muita raiva. Eu disse a ela para ir para longe de mim e ela se foi, para sempre. Eu nunca mais a vi depois daquele dia. Talvez ela se mudou para outra cidade ou não sei. Eu acho que ela nunca se importou o suficiente comigo.”

“Ela é uma filha da puta.” Emma disse severamente.

"Sim, ela é. Depois que ela se foi, eu fiquei feliz, sabe? Mesmo que eu estava sozinha, eu me senti melhor, como se um peso tivesse deixado o meu peito e eu estava livre de novo.”

“Você se apaixonou por alguém antes dela?”

“Não, e você? Houve alguém antes de mim?”

“Você é o meu primeiro amor, Regina.”

“Bom saber.”

Alguns minutos em silêncio se passaram onde Emma começou a pensar sobre como seria uma vida casada com Regina... e tudo o que a outra mulher fez com sua namorada. Ah, não é seguro pensar sobre isso... Não mesmo... Mas a curiosidade a estava matando lentamente. Ela precisava saber.

“Como era o sexo com ela?” Ela perguntou baixo, as cores rosas atingindo suas bochechas enquanto evitava os olhos escuros.

“Tem certeza que você quer saber isso?” Regina perguntou, parecendo surpresa.

“Ugh, não, ew...” Ela fez uma careta, lutando contra o seu ciúme, mas então... ela sabia que precisava saber-

“Você quer saber se você é melhor do que ela ou algo assim?” Perguntou a morena, e depois virou o rosto de Emma para que seus olhares se encontrassem.

“Hum... talvez?” A loira perguntou incerta, não querendo mostrar o que queria realmente.

“Querida, você é claramente a melhor que eu já estive.”

“Sério?” Ela perguntou, sentindo-se surpreendida mais uma vez hoje.

"Sim. Você é muito talentosa, minha querida.”

“Eu sou melhor do que sua ex-esposa?”

“Sim, você é melhor do que ela em tudo. Literalmente tudo!”

“Oh, poof! Meu ciúme já se foi!” A morena riu e beijou sua namorada docemente nos lábios.

“Você sabe que eu nunca trairia você, né?”

“Eu sei.”

“Você se casaria novamente algum dia?” Ela perguntou, não sendo capaz de segurar a sua curiosidade.

“Hum... Talvez. Eu não gosto de chamar o que eu tive com Fiona de casamento.”

“Hum,” Emma murmurou e Regina olhou para ela.

“E você? Quer se casar algum dia?”

“Só se for com você.” Ela respondeu com carinho e beijou Regina novamente.

“Ótimo,” a morena respondeu em meio a sorrisos felizes.

 

xXx

 

Foi um dia estranho e surpreendente que aconteceu: Cora bateu na porta de Regina. Ambas tinham acabado de chegar da Universidade quando a campainha tocou.

“Mãe?” Foi a resposta confusa de Regina quando viu Cora Mills esperando na calçada. “O que você está fazendo aqui?”

“Eu vim aqui para me desculpar.”

“Desculpar? Você sabe mesmo o que essa palavra significa?” 

A morena mais velha revirou os olhos, “Sim, Regina, e eu sou capaz de fazê-lo.” A professora cruzou os braços sobre o peito e olhou para sua mãe. “Você não vai me convidar para entrar?”

“Eu não sei. Você aceitaria o fato de que minha namorada de dezoito anos está morando comigo?” 

A boca de Cora ficou de queixo caído e Emma sentiu os nervos em seu corpo novamente. Merda. 

“Hum, sim, Regina. Eu apenas estou... surpresa que você não me disse.”

“E porque eu diria algo? Você nunca concorda com nenhum dos meus relacionamentos.”

“Isso não é verdade, Regina. Se estou aqui hoje é porque eu estou tentando concordar com você. É difícil, mas eu estou aqui e eu quero que você me perdoe pelo meu comportamento.”

“Eu estou realmente surpresa que você veio aqui para dizer isso.”

“Eu simplesmente não quero que você se afaste da sua família de novo. Nós amamos você, independentemente de suas escolhas.”

“Hm, bom saber.”

“Você vai me deixar entrar, agora?”

“Tudo bem. Sinta-se em casa, Cora.” Regina disse enquanto se afastava para Cora poder entrar.

“Obrigada, querida. Olá, Emma.” Cora sorriu para ela e desta vez, pareceu realmente como um sorriso verdadeiro.

“Hey, Cora. Como você está?”

“Eu estou bem. Ficarei melhor quando a minha filha me perdoar. Falando nisso, eu quero me desculpar com você também, Emma. Sinto muito pela situação que causei em minha casa.”

“Está tudo bem. Obrigada por se desculpar.”

“Você gostaria de algo para beber, mãe?” Regina perguntou friamente, sua expressão ainda dura.

“Não, obrigada. Eu só quero conversar.”

“Ok,” Regina sentou-se no sofá e puxou Emma com ela. Cora sentou no outro sozinha, de frente para elas. “O que você gostaria de conversar sobre?”

“Eu só quero que você diga que me perdoa, Regina. Eu prometo que nunca vou intervir em seus relacionamentos de novo. Não é o que eu deveria ter feito a você todos estes anos.”

“E com Zelena também.”

“Sim, você está certa. Agora eu posso ver os meus erros. Sinto muito.”

“Tudo bem, eu te perdôo.” 

A morena mais velha sorriu genuinamente, “Obrigada, Regina. Estou muito feliz que você encontrou alguém especial como Emma. Você merece ser feliz, e se você está, eu também estou.”

“Obrigada,” Regina murmurou em um tom calmo. 

“Será que você pode abraçar a sua mãe agora, por favor?”

“Sim,” Regina sorriu e abraçou a mãe.

 

xXx

 

        Um Mês Depois

            Regina’s Point of View

É sábado de manhã e é seu aniversário hoje e Regina continua se perguntando onde Emma Swan tinha se metido. Ela acordou em uma cama vazia, achando difícil de acreditar que sua namorada a tinha deixado sozinha no dia do seu aniversário. Onde diabos Emma está?

Regina tinha enviado 15 mensagens para a loira perguntando onde ela estava, mas tinha não obtido nenhuma resposta. Ela estava com raiva, e isso não era bom, porque ela deveria estar se sentindo feliz em seu aniversário... mesmo que ela esteja ficando mais velha.

Depois de verificar a casa duas vezes para ver se Emma estava escondida em algum lugar, ela decidiu preparar o café da manhã porque seu estômago já estava roncando alto.

Quando ela estava prestes a quebrar os ovos na panela, a campainha tocou e ela revirou os olhos. Se não for Emma, ela vai chutar essa pessoa para fora assim que abrir a porta.

Bom, não é Emma, mas não é ninguém. Tem apenas uma caixa marrom grande em sua porta. Que diabos é isso?

Lembrando das surpresas do passado, ela sentiu um pouco de medo de abrir essa caixa. Regina estava realmente esperando que ninguém havia decidido ameaçá-la de novo. Balançando a cabeça negativamente, ela pegou a caixa e entrou em sua casa. Ela colocou a caixa pesada na mesa de centro da sala de estar e respirou fundo antes de abri-la.

Um latido alto veio de dentro e um cachorrinho todo branquinho saltou para fora, assustando Regina. Um clique e um flash foram ouvidos e ela olhou para trás e encontrou Emma com uma câmera nas mãos e um sorriso no rosto.

“Emma!”

“Feliz aniversário, babe!” A loira tirou outra foto enquanto ela se aproximava de Regina para abraçá-la.

“Emma!” Ela murmurou novamente, sem saber o que dizer.

“Você estava procurando por mim, não estava?”

“Você... sua idiota!” Ela deu um tapa forte no braço da loira. “Por que você desapareceu assim? E por que havia um cachorro  naquela caixa?” Ela perguntou com firmeza.

“É o seu presente de aniversário, Gina! Você gostou?”

“Você me comprou um cachorro?”

“Sim! Eu sei que você gosta de cachorros.”

“Eu gosto, mas... Eu não estava esperando por isso.”

“Bem, eu estou feliz, porque era pra ser uma

surpresa!” O cachorrinho latiu, correu em direção a elas e começou a pular em suas pernas. “Oh, é tão fofo!” Regina pegou o cachorro no colo e sorriu quando o mesmo lambeu seu rosto. “Eu sempre quis um cachorrinho, Emma. Obrigada por isso.”

“De nada, babe. Agora, como você gostaria de nomeá-la? É uma fêmea.”

“Zoe!” Regina respondeu rapidamente, aconchegando a cachorrinha em seu peito. “Awn, ela é tão bonita.”

“Eu sei. Mas chega agora, porque eu já estou com ciúmes.” Emma beijou a bochecha dela e segurou sua cintura por alguns segundos. “Eu tenho um outro presente para você.”

“Sério? O que é?”

“Está no andar de cima,” a loira balançou as sobrancelhas de um jeito engraçado e Regina estreitou os olhos para ela.

“Okay...”

Quando elas chegaram no quarto, havia outra caixa sobre a cama, essa pequena e embrulhada em papel de presente. Regina virou rapidamente para encarar Emma, “Isso não estava aqui antes.”

“Eu sei, eu sou uma garota sorrateira.”

“Você com certeza é, Senhorita Swan. Por favor, não me diga que tem outro filhote aí dentro. Já tenho dois para cuidar agora: você e a Zoe.

“Awn, que doce que você é, babe, mas agora deixa eu segurar a Zoe para que você abra o seu presente.” Emma disse com tremor em sua voz, parecendo um pouco nervosa e Regina estreitou os olhos para ela mais uma vez.

“Tudo bem,” Regina abriu cuidadosamente a caixa, à espera que algo saltasse de lá, mas não aconteceu nada além de seus olhos se arregalarem na medida em que ela não conseguia desviar o olhar dos objetos na caixa. “Oh meu Deus, Emma!”

“Interessante, eh?” A loira estava sorrindo sem jeito para ela e agora Regina sabia porque ela parecia nervosa alguns segundos atrás.

“Você é tão safada, Senhorita Swan!” Ela disse, não sendo capaz de evitar um sorriso.

“Eu sei,” a loira riu com Zoe em seus braços. “Eu mal posso esperar para experimentar com você.”

Regina virou-se para sua namorada com um sorriso travesso e viu a loira mordendo os lábios, “Eu não posso acreditar que você me comprou uma cachorrinha e um strap-on dildo para o meu aniversário, Senhorita Swan.”

“Eu sei que é surpreendente, mas... você gostou?”

“Sim, eu gostei,” a morena colocou as mãos em torno do pescoço de Emma e pressionou seus corpos suavemente juntos -obviamente, porque Zoe estava no meio. “Foi muito gentil da sua parte de me comprar um strap-on, Senhorita Swan.” Ela disse sarcástica, sorrindo sedutoramente para sua namorada que estava corando agora.

Emma riu sem jeito e tentou esconder seu rubor, evitando os olhos de Regina, “Eu não tinha certeza se você gostaria... Eu sempre quis experimentar com você, mas... Eu tinha medo de perguntar...”

“Oh, querida, não se preocupe. Essa foi a melhor surpresa de aniversário que eu já recebi. E sim, eu gostaria de tentar com você, também. Foi uma ideia muito interessante, Senhorita Swan.”

Emma sorriu genuinamente e disse de uma forma lisonjeira, “Eu sou a melhor namorada de todas, não sou?”

“Você me surpreendeu, na verdade, minha querida.” 

“Bom, ainda não acabou. Há muito mais para acontecer hoje e você vai adorar.”

“Vou mesmo?” 

“Com certeza.”

 

xXx

 

Emma tinha dito que Regina tinha a tarde livre para escolher qualquer coisa que ela quisesse fazer. Mas à noite, elas fariam algo que Emma tinha preparado... e isso deixou Regina um pouco curiosa, mas ela teria que esperar até a noite, porque a loira não lhe diria nada.

Regina, então, decidiu que queria comprar tudo o que Zoe precisava, incluindo roupinhas, gravatas, laços e guloseimas. Ela e Emma passaram pelo menos trinta minutos no Pet Shop e saíram com bolsas cheias e uma Zoe feliz abanando o rabo. Se Regina fosse uma cadela, ela certamente estaria fazendo o mesmo agora, porque ela não podia sentir-se mais feliz do que isso.

Depois de brincar com Zoe por pelo menos uma hora, elas prepararam a casa dela e fizeram parecer o mais aconchegante possível; estava cheio de brinquedos ao redor com sua comida e água ao lado. Quando eram 17 horas, Emma disse a Regina que ela deveria começar a se preparar e colocar algo incrível. 

A morena decidiu usar um vestido preto, florido com saltos altos pretos, e quando ela desceu as escadas, Emma já estava esperando por ela, usando um 'vestida-para-matar' terno feminino preto e branco. A boca de Regina ficou de queixo caído, porque onde que ela imaginaria Emma vestindo um terno para ela em seu aniversário? Bem, hoje é claramente um dia de sorte para Regina.

“Emma! Você está tão gostosa!” Ela exclamou, mordendo os lábios.

“Assim como você, baby! Pronta para ir?”

“Mais do que pronta!”

 

            xXx

 

Elas tinham acabado de chegar no restaurante mais chique da cidade e Regina ficou impressionada mais uma vez com as habilidades de sua namorada de preparar surpresas. A loira pegou sua mão e levou-a para o andar de cima.

“Você me trouxe para um encontro?”

“Sim, e é muito especial. Temos o segundo andar só para nós duas.”

“Sério?”

“Sim, baby. É tudo para você e para mim.”

“Gostei de saber disso.”

Quando chegaram ao segundo andar, Regina ficou fascinada com as belas decorações em preto e vermelho. Estava tudo cheio de velas cheirosas e rosas vermelhas; havia apenas uma mesa única no meio do espaço, com duas cadeiras, e Regina podia sentir a vibração incrivelmente romântica desse lugar. Sua namorada é definitivamente a melhor!

“Isso é incrível, Emma! Eu amei!” 

“Estou feliz que tenha gostado! Vamos sentar?”

 

xXx

 

O encontro começou calmo; elas estavam falando sobre temas cotidianos  até que Emma decidiu seduzir Regina. A professora começou a sentir-se tão molhada e com tesão que se tornou difícil controlar seus desejos mais profundos. 

A loira de repente inclinou-se e começou a acariciar-lhe o braço com toques suaves, indo para cima, até que a mão dela alcançou seu queixo. Para a surpresa de Regina, Emma puxou seu rosto mais perto e beijou-a rápido nos lábios para então começar a beijá-la profundamente. Suas línguas se encontraram e ela gemeu com o delicioso sabor dos lábios de sua namorada...

“Ar-hem...” Elas ouviram um pigarreio. “Desculpe interromper, senhoritas. Gostariam de alguma Sobremesa?”

“Sim, mas não agora, Herbert. Volte daqui quinze minutos e estaremos prontas para pedir.” Emma disse cada palavra olhando atentamente para Regina, seus olhos de esmeralda mostrando puro desejo.

“Tudo bem, voltarei em quinze minutos.”

“Nós temos quinze minutos, babe.” Emma murmurou com a voz rouca quando o garçom saiu.

Regina estava confusa. O que Emma quis dizer com isso? “Quinze minutos para quê?”

“Para nos divertirmos,” a loira sorriu maliciosamente e estendeu a mão para que Regina se levantasse. 

“Você está sendo safada de novo?”

“Eu sempre estou, baby. Vamos,” Emma andou com as mãos de Regina nas dela até a parede mais próxima e pressionou-a lá. “Pronta para se divertir um pouquinho?” A loira começou a ajoelhar-se no chão na frente dela e seus olhos se arregalaram quando percebeu o que estava prestes a acontecer.

“Emma, você está-”

“Sim, baby. Você merece isso.”

“Em um restaurante público? Isso é loucura!” Ela exclamou, olhando em volta para ver se alguém estava por vir.

“É divertido, Gina. Apenas não grite, okay?” Um sorriso diabólico apareceu nos lábios finos e Regina sentiu suas pernas se tornarem bambas.

Emma deu um beijo casto em sua mão esquerda, e, em seguida, começou a acariciar as pernas nuas de Regina sob o vestido até alcançar sua calcinha. A loira riu ao olhar fixamente para os olhos de Regina, e, em seguida, em um movimento rápido, ela rasgou o tecido rendado da calcinha da morena. Regina soltou um suspiro e colocou a mão em sua boca para cobrir suas respirações irregulares. Ela viu a loira colocando a calcinha rasgada dentro do bolso do terno e, em seguida, houve uma piscadela sexy em sua direção.

“Está gostando até agora, Senhorita Mills?”

Regina amava quando Emma a chamava de Senhorita Mills. Sempre trazia arrepios para todo o seu corpo e parecia que elas estavam no início de seu relacionamento proibido, quando tudo começou.

“Sim,” ela murmurou com a voz rouca e empurrou os quadris para a frente quando o dedo de Emma tocou o seu clitóris inchado. “Emma...” Ela murmurou sem fôlego. A loira sorriu sedutoramente e empurrou o vestido de Regina para cima.

A professora teve que abafar um gemido alto quando aquela boca habilidosa e quente tocou a carne molhada e sensível de seu centro, chupando rápido e deliciosamente, fazendo com que seu cérebro derretesse quando sentiu a incrível língua macia trabalhando duro para o seu prazer.

Tinha se passado mal três minutos e Regina já estava perto de seu orgasmo. Ela tinha os olhos fechados e a cabeça apoiada na parede, concentrando-se na incrível sensação da língua de Emma fazendo um movimento rítmico em seu sexo. Ela sabia que ela ainda estava de pé só porque Emma estava segurando suas coxas, acariciando sua pele e arranhando com as unhas de cima e a baixo, provocando-a sem piedade enquanto sua língua lambia e provocava o seu centro quente.

Regina sentiu como se estivesse prestes a desmaiar quando Emma levantou sua perna esquerda para cima e descansou em seu ombro; a língua girando em torno de suas dobras e, de repente, um dedo longo a penetrou e ela viu estrelas. Seu corpo começou a vibrar e gemidos saíram de sua boca enquanto ela tentava segurar-se firme. Suas mãos encontraram a cascata de cabelos loiros e encaracolados entre suas pernas e pressionou com mais força, empurrando para a frente mais uma vez quando o maravilhoso e forte orgasmo estremeceu através dela.

Ela desmoronou no chão, caindo nos braços de Emma, e sentiu beijos molhados em seu pescoço enquanto tentava buscar um pouco de ar. Esse foi certamente um aniversário para se recordar.

“Mal posso esperar até chegar em casa e poder te foder com o strap-on.” A loira ronronou com a voz rouca em seu ouvido.

“Vamos para casa agora. Eu preciso mais de você, Senhorita Swan.”

Emma sorriu sedutoramente para ela e respondeu, “Seu desejo é o meu desejo, Senhorita Mills.”

 

xXx

 

Regina mal teve tempo para pensar quando saiu do carro e Emma a puxou contra seu corpo, pegando-a no colo e colocando suas pernas ao redor de sua cintura. Elas começaram a se beijar apaixonadamente, e a língua de Emma traçou o interior de sua boca, explorando cada centímetro como se fosse novo para ela. Regina não tinha ideia de como elas entraram em casa, porque ela já estava sendo pressionada com força contra a parede quando notou os arredores de sua sala de estar. Amando o quão ansiosa sua namorada estava, Regina gemeu no beijo e conseguiu tirar o blazer de Emma, e, em seguida, começou a desabotoar sua camisa branca. 

“Emma, me leve para o quarto,” ela ronronou com a voz rouca no ouvido da loira. Porra, ela estava morrendo por outro orgasmo.

“Não há necessidade para isso, Senhorita Mills. Nosso brinquedo está bem ali,” Emma apontou para a mesa no centro da sala e andou com Regina em seu colo até lá. Ela colocou a professora no sofá perto da mesa e começou a tirar suas próprias roupas. Regina só a assistiu em puro desejo, mordendo os lábios na medida em que o perfeito corpo tonificado de Emma vinha à tona.

Quando Emma estava completamente nua, ela pegou o cinto e o dildo cor-de-rosa e ajeitou em sua cintura. A loira olhou para a frente e Regina abriu suas pernas, puxando o vestido para cima de modo que ela ficaria completamente exposta para Emma. A loira soltou um gemido alto quando ela olhou para o centro molhado e exposto de Regina e rapidamente se aproximou da morena. Ela ajoelhou-se no sofá, em frente de Regina e começou a beijá-la novamente, ferozmente e apaixonadamente. Uma mão alcançou seu sexo e acariciou todo o comprimento, parecendo buscar por umidade. Emma brincou com seu clitóris por um tempo e, em seguida, sua mão agarrou o dildo entre suas pernas e deslizou levemente por suas dobras. 

Regina olhava entre o dildo muito perto de penetrá-la e, Emma, que tinha a expressão mais sexy de todas. Quando a loira enfiou dentro dela levemente, Regina arfou, sentindo seu sexo encharcar-se ainda mais. 

Emma lentamente começou a ir mais fundo, penetrando-a mais profundamente e Regina não pôde deixar de gemer, sentindo e vendo também o comprimento do material penetrando-a completamente. Sua namorada estava olhando fixamente para ela, observando-a com aqueles olhos esmeraldas cheios de desejo enquanto ela a fodia lentamente com o strap-on. 

“Está bom assim?” A loira perguntou, sua voz baixa e rouca.

“Eu quero mais rápido, Senhorita Swan.” Ela respondeu, olhando para os olhos esmeraldas. Emma sorriu e, em seguida, começou a mover seus quadris mais rápido, indo cada vez mais fundo dentro Regina, fazendo-a ofegar e gemer alto. Ela estava muito molhada por agora, então o dildo a penetrava rápido, fazendo barulhos molhados e deixando ambas loucas. Seu interior se apertou, e do pulsar do seu núcleo, ela suspeitou que seu centro tinha um link direto para seus tímpanos. Regina gemeu, suas unhas cravando nas costas de Emma enquanto as mãos da loira agarraram sua cintura, a fodendo forte e rápido;

Regina sabia que ela estava chegando ao ápice e ela não conseguiria segurar por muito tempo. Emma estava gemendo baixo enquanto ficava olhando para o movimento do dildo entre suas pernas e quando fodia Regina. Ela parecia hipnotizada com o que estava vendo, o que fez a professora sorrir. 

Com cada estocada, o ritmo aumentou e em pouco tempo, Emma estava indo bem rápido; cada impulso mais e mais forte. Regina cerrou os punhos e jogou a cabeça para trás, o orgasmo construindo dentro de si até que, finalmente, ela chegou ao ápice, sua boca aberta em um longo gemido enquanto o orgasmo a tomava por completo.

“Oh Deus, isso é tão erótico, Regina,” Emma murmurou em suspiros enquanto gemia com Regina e elas gozavam juntas.

“Melhor aniversário de todos, Senhorita Swan,” Regina disse antes de seus lábios serem capturados mais uma vez e imediatamente acariciado por uma língua que se enroscou com a dela.

E elas ficaram ali, no sofá, apreciando a sensação incomensurável de pós-sexo... o tipo de sexo que elas iriam fazer várias e várias vezes durante a sua vida juntas.

 

 

xXx

 

        Epílogo

                                        Regina’s Point of View 

    Três Anos Depois

Lá estava ela, no palco, cantando uma das canções mais incríveis que tinha sido escrita para ela. Ela estava lá, olhando-a nos olhos e sorrindo com carinho, mostrando o quão feliz ela estava se sentindo neste momento. Regina olhou em volta e viu amigos e família de Emma com lágrimas nos olhos. Bom, como poderiam não chorar? A canção era linda! Emma é puro talento e eles não poderiam estar mais orgulhosos dela.

A loira tinha terminado a universidade de música e durante o seu tempo lá, ela começou a cantar em bares todo fim de semana e a cantar suas próprias canções. Ela era muito boa e seu público gostava muito, assim como todos os outros da família. Até Cora ficou espantada com o talento da garota! Regina não poderia estar mais orgulhosa de sua namorada.

Finalmente, tinham sido três anos de namoro, desfrutando de cada momento juntas, amando uma a outra e sendo felizes... E sim, isso tinha sido mais do que surpreendente. Regina, então, percebeu que isso era tudo o que ela queria para sua vida: trabalhar com o que ela gosta de fazer e namorar alguém maravilhosa como Emma. O amor delas certamente é um tipo de amor para recordar.

A música terminou e todo mundo começou a aplaudir e a assobiar para a mulher loira no palco. Ela inclinou-se em uma reverência e olhou fixamente para Regina e disse, “Essa música foi escrita para a minha namorada Regina. Espero que tenha gostado dessa amostra do meu amor por você, babe. Eu te amo.” O

coração de Regina estava batendo forte e rápido dentro de seu peito enquanto ela sorria para a bela loira. Sua incrível namorada. Ela enxugou as lágrimas que caíram de seus olhos e soprou um beijo no ar para Emma e murmurou 'eu te amo' de volta.

 

            xXx

 

Elas estavam indo de volta para casa, com as mãos entrelaçadas e sorrisos em seus rostos. Regina havia notado depois de alguns minutos que a mão de Emma estava suando. Era uma noite fria e sua namorada estava suando. Por que isso?

“Emma, querida, sua mão está suando.”

“Sério? Hum, está quente aqui, você não acha?” Ela disse sem jeito.

“Está frio, Emma. Você está bem?”

“Sim, sim, estou bem, não se preocupe.”

Regina analisou a expressão de sua namorada por um tempo e, logo, apenas deu de ombros. “Espero que você não esteja mentindo para mim.”

A loira riu sem jeito, “Eu não estou, babe. Estou bem, juro.”

Quando chegaram em casa, Regina notou a partir da calçada que sua casa parecia estar... queimando por dentro? Estava tão brilhante e parecia que havia velas em todo o lugar.

“Emma, algo está estranho com a nossa casa.” Ela agarrou o braço da loira, impedindo-a de andar.

“Não, não há nada de estranho.”

“Claro que há! Parece que está queimando.”

“Claro que não, Gina. Vamos.” Emma riu de novo e puxou Regina pelo braço para dentro da casa.

Quando a porta foi aberta, Regina ficou de queixo caído instantaneamente. “O qu-que é tudo isso, Emma?”

Toda a sala de estar estava decorada com velas e rosas vermelhas do chão ao teto. Havia uma garrafa de vinho tinto sobre a mesa de centro e duas taças. Havia uma pequena caixa vermelha ao lado do jarro de flor extravagante e Regina olhou para aquilo atentamente. “E o que é aquela caixa específica sobre a mesa?”

A loira sorriu e puxou Regina contra seu corpo, saboreando um beijo inebriante e surpreendendo a morena completamente. Suas línguas se deslizando juntas, curtindo o calor e o aconchego da boca uma da outra.

Emma terminou o beijo com um selinho suave e quando Regina foi capaz de abrir os olhos aturdidos causadas pelo beijo repente, ela viu o rosto sorridente de sua namorada e o brilho nos seus olhos.

“Eu queria que esta noite fosse especial para nós duas.”

“Está tudo lindo, Emma.” Ela respondeu olhando em volta novamente.

“Venha aqui,” a loira começou a andar com a mão de Regina na dela e caminharam até o sofá. “Eu preciso que você saiba de uma coisa,” ela continuou depois que elas se sentaram e entrelaçaram as mãos. “Você precisa saber que, após três anos de namoro e convivência com você, eu ainda sinto exatamente o mesmo. Meu coração bate por você e meu objetivo na vida é fazer você feliz... comigo. Eu sei o que eu prometi a você três anos atrás, e aquilo foi real, verdadeiro. O nosso amor é para sempre. E é por isso que eu decidi te pedir algo muito importante.”

Regina estava se esforçando para não chorar ali mesmo, porque ela tinha uma sensação do que estava prestes a acontecer agora.

“Eu amo você e eu quero passar o resto da minha vida com você, Regina Mills,” ela se levantou e puxou Regina com ela. Ela soltou suas mãos e pegou a pequena caixa sobre a mesa. Seu joelho direito apoiou no chão e o outro ficou dobrado. Emma encarava Regina atentamente, aquele sorriso lindo e brilhante em seu rosto enquanto abria a pequena caixa. A professora tinha lágrimas escorrendo em seu rosto agora, porque ela não conseguia mais segurar. Suas mãos estavam em sua boca em choque e seu coração parecia que estava prestes a saltar para fora do peito. “Quer casar comigo?” 

As quatro palavras foram finalmente ditas e Regina se derreteu. Ela sorriu amplamente para sua namorada ajoelhada no chão e sentiu o amor irradiando de seu coração por essa mulher. “Sim! Sim! Sim!” Ela puxou Emma e a abraçou com força, sentindo o cheiro bom do corpo da loira contra o seu. “Eu te amo, Emma, e eu quero passar o resto da minha vida com você, também.”

 

O amor pode superar todos os obstáculos. Você só tem que acreditar nele. Lute pelo conto de fadas. Ele existe.

 

Fim.

 


Notas Finais


Se você chegou ao fim, OBRIGADA! Eu me senti tão bem depois de terminar essa história. Eu sei que pode ser triste porque está terminando, mas... para mim, é como um "trabalho feito" e posso começar outras histórias! Hahaha! Sim, não estou brincando! Eu tenho muitas ideias para novas histórias e eu apreciaria se vocês lessem!

Obrigada, obrigada, obrigada, [email protected] leitores! Vocês fizeram o meu ano mais feliz!

Te vejo em breve! Xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...