História The Cupid (Taekook) - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga
Tags Bts, Comedia, Drama, Jenlisa, Jensa, Jhope, Jikook, Kookv, Lennie, Namjin, Romance, Taegi, Taekook, Vkook, Yoonmin
Visualizações 462
Palavras 2.816
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ohayo baes!
Como está o sábado de vocês? O meu 'tá estranho, mas vamos fazer o que né non.
Esse capítulo... vamos refletir sobre ele... eu não sei o que dizer.
Ele 'tá legalzinho, mas somente isso kkkk, sei lá não gostei tanto assim..
Quero agradecer pelos inúmeros comentários e pelos favoritos, ganhei até um bolo por isso e o dediquei aos meus baes!
Amo vocês, muito!
Boa leitura :D

Tradução do capítulo: Desmaio (não tenho certeza, mas é mais ou menos isso)

Capítulo 12 - Fainting


Fanfic / Fanfiction The Cupid (Taekook) - Capítulo 12 - Fainting

Ponto de vista do Taehyung

Capítulo 12. Fainting

Estava quase saindo do colégio quando escuto alguém me chamar, viro meu corpo e observo Jungkook correr até mim.

— E o trabalho?

— Eu tenho que ajudar meu appa a tirar umas coisas velhas da casa da vovó, você se importaria de aparecer lá em casa na hora do jantar?

Ele pensou por uns instantes e logo assentiu, murmurei um “legal” e ele passou a me fitar.

Confesso que sinto um puta medo quando Jungkook resolve me encarar, o olhar dele é tão profundo que parece que vai atravessar minha alma, fora o fato dele não piscar um segundo se quer. São em momentos como esse que eu passo o maior sufoco, fico me perguntando se meu rosto ‘tá sujo, se estou com caquinha no nariz ou algo do gênero, mas não pergunto pelo simples fato de ter vergonha.

Imagina se eu pergunto se ‘tô com caquinha e ele responde que sim, é o fim dos tempos.

Melhor acabar logo com isso antes que eu surte de vez.

— Temos que ir, não?

Ele apenas assentiu, viramos e fomos para casa.

 

— Chegamos. – Appa anunciou abrindo a porta.

Ele entrou primeiro enquanto eu desamarrava meus coturnos, coloquei os calçados ao lado da porta e fechei o objeto, me virei para a sala e tive a surpreendente visão da minha noona sentada no sofá com um álbum de fotografias em mãos e Jungkook ao seu lado.

— Olá Jungkook. – Meu pai acenou e ele se curvou. – Olá meu amor. – Selou os lábios da noona. – Oh, estava mostrando o álbum de fotos da baby era do Taehyung?

Mostrando.

Fotos.

Baby era.

Taehyung.

— Noona! – Gritei fazendo-a rir, senti minhas bochechas esquentarem e coloquei as minhas duas mãos em meu rosto.

— Ah Taehyung não fique assim, você não mudou tanto. – Noona diz.

— Continua estranho. – Appa comentou avaliando as fotos.

Revirei os olhos enquanto tirava minhas mãos do rosto e fitava Jungkook, ele encarava uma foto com um semblante estranho, me aproximei um pouco para poder enxergar melhor.

— Quem é essa? Não se parece com a senhora. – Jungkook pergunta para noona.

— Oh, essa é Kim Minkyeong, você não chegou a conhecê-la, era uma maravilhosa mulher, muito sábia, carinhosa e simpática. Era uma estilista incrível e uma ótima… – Parou de falar e me encarou.

Jungkook fitou noona, desviou o olhar para mim e voltou para noona.

— Uma ótima? – Jungkook pergunta.

— Uma ótima mãe. – Completo fazendo a atenção dos outros dois homens irem a mim. – Minha mãe.

Jungkook pareceu ligar os pontos e fez uma careta de arrependimento.

— Me desculpem, e-eu não fazia ideia eu… eu, aish, me desculpem. – Abaixou a cabeça constrangido.

— Não se desculpe Kookie, como você saberia? – Noona o conforta passando uma de suas mãos em seu braço direito.

Observo sua feição e vejo que ele está realmente constrangido.

— Jungkookie esqueça isso, é passado e nem dói mais. – Digo sincero.

Ele me encara seriamente, mas logo solta um sorriso torto.

— Vamos fazer o que temos para fazer, sim? – Pede e eu assinto.

Se levanta e se curva para os meus pais, caminhamos lado a lado até o meu quarto.

— Foi muita mancada? – Ele pergunta se referindo ao episódio na sala.

— Jungkook eu já disse esqueça isso, eu já superei.

Ele ficou alguns instantes quieto.

— Como fez para superar?

Pergunta difícil.

— Uh, eu não sei direito, tipo doeu muito ter perdido uma das pessoas mais importantes da minha vida, mas com o tempo a ferida foi se fechando e agora eu nem me lembro mais disso e quando lembro eu levo numa boa.

Ele pendeu a cabeça para o lado e me encarou com uma expressão confusa – e fofa, cai entre nós –.

— Você não pensou em fechar seu coração? – Pergunta.

— Hm, não que eu me lembre, sabe se você passa por uma situação dessa só o tempo vai te ajudar, tentar ocupar sua mente com outras coisas e não se privar é um ótimo remédio.

Ele assentiu.

— Por que tantas perguntas? – Questiono curioso.

— Sei lá, deu vontade de perguntar. – Ele deu de ombros.

Assenti convencido com aquela resposta, me virei e fui atrás do meu notebook, afinal temos um trabalho enorme para montar. Liguei o eletrônico e esperei aquela lenga-lenga toda do início, fiz a senha e esperei abrir.

— Você não era estranho. – Ele fala do nada.

O encaro meio confuso, afinal do que ele ‘tava falando?

— Quando era bebê, você era muito bonito, mas eu prefiro atualmente. – Sorri de lado fazendo com que eu core.

Por que eu sempre coro quando ele me elogia? E porque meu estômago embrulha e eu sinto tanta vontade de beijá-lo? Aish, o que ‘tá acontecendo comigo?

Balancei a cabeça de um lado para o outro a fim de afastar aqueles pensamentos, entrei no Power Point e comecei a preparar os slides enquanto ele retirava do resumo trechos importantes e interessantes para apresentarmos.

 

Imprimi algumas folhas, peguei-as e me levantei indo até Jungkook com os olhos fixados nos papéis.

— Jungkook o que você acha da… – Parei de falar quando senti meu pé enroscar no tapete e meu corpo cair com rapidez para frente.

— Você ‘tá bem? – Pergunta segurando minha cintura.

Agora que eu fui me dar conta do local onde eu havia caído, adivinhem onde… Isso mesmo em cima do Jungkook. Nossos rostos estavam a um palmo de distância, um dos meus joelhos estava fixado no meio de suas pernas enquanto o outro estava ao lado da sua coxa direita, meus braços estavam um de cada lado da cabeça dele e suas mãos em minha cintura.

— ‘Tô... 'tô muito bem. – Conforme ia falando ia me aproximando de Jungkook e conforme me aproximava meu tom de voz abaixava.

Sabe quando você come uma coisa muito gostosa, mas muito gostosa mesmo? Então, você não sente uma sensação estranha? Tipo, como se você fosse para o céu e voltasse, aquele sabor incrível que se espalha pela sua boca e deixa um gosto de quero mais? Eu sinto isso em apenas duas situações.

Primeira: quando como qualquer alimento que for.

Segunda: Quando beijo Jungkook – ou quando Jungkook me beija, enfim, vocês entenderam –.

Os seus lábios eram incrivelmente incríveis e o seu gosto era viciante. Ele consegue passar diferentes sensações com um simples selar. E ainda tem os dias em que ele resolve ser carinhoso e fica fazendo carinho na minha bochecha, aish… tão bom.

Nosso beijo era calmo, mas afoito, suas mãos faziam uma massagem gostosa em minhas costas, minha esquerda fazia carinho no rosto dele enquanto a direita amassava cada vez mais os papéis que serviriam para alguma coisa que agora eu não ‘tô me lembrando o que é.

Paramos o beijo pela falta de ar e – por uma ironia do destino – um segundo depois ouvimos batidas na porta e a voz da noona anunciando que o jantar estava pronto. Saí de cima dele envergonhado e estendi minha mão para ajudá-lo.

Chegamos na cozinha onde encontramos appa sentado em seu devido lugar e noona colocando a comida na mesa, me sentei no meu lugar costumeiro e Jungkook ao meu lado, noona colocou duas tigelas de Bibimbap na nossa frente, se sentou e começamos a comer.

Quer dizer, eles começaram.

— Então Jungkook, como está a sua mãe? – Appa pergunta.

— Está bem, senhor Kim, um pouco cansada pela grande movimentação do mercado, mas fora isso está bem.

— Oh, ela precisa de ajuda? Taehyung pode ir ajudá-la sem problema algum. – Appa diz.

— Eu, Somin e Matthew estamos ajudando como podemos, mas se não for incomodo eu agradeceria.

— Amanhã e domingo são seus dias, mas a partir de segunda-feira ele pode ir ajudá-los, que horas mais ou menos? – Dae pergunta depois de engolir um pouco da comida.

— Hm, depois do almoço, umas duas horas mais ou menos, eu passo aqui para irmos juntos, tudo bem para você Taehyung? – Me olhou.

— Sim. – Disse enquanto remexia a comida com os hashis.

Ele me fitou estranhando, olhou para minha tigela e mudou sua feição.

— Senhor e senhora Kim, por acaso Taehyung tem se alimentado direito? – Pergunta fazendo-me suspirar.

Appa ia responder, mas noona tomou a frente.

— Não.

Jungkook me repreendeu com um olhar enquanto largava seus hashis.

— Taehyung você tem que comer, se continuar assim vai adoecer. – Diz realmente bravo.

— Eu não sinto fome, Jungkook.

— Independente de ter fome ou não, você vai comer.

— Jungkook… – Tentei dizer.

— Shhh, coma.

Respirei fundo enquanto sentia as lembranças inundarem minha mente, vovó sempre dizia coisas parecidas quando eu não me alimentava. Peguei uma quantidade considerável de comida e levei a minha boca, mastiguei e engoli, ato que fez com que meu estômago embrulhasse e eu sentisse uma súbita vontade de vomitar.

A campainha tocou e appa foi atender, percebi uma movimentação e logo uma garotinha de cabelos negros e olhos de gato apareceu, ela me encarou por uns instantes e soltou aquele sorriso maravilhoso que só ela sabe dar.

— Oppa! – Correu em minha direção e pediu colo, a peguei e senti seus pequenos bracinhos rodearem meu pescoço.

— Olá princesa, como você cresceu, está cada dia mais linda. – Fiz carinho em suas bochechas. – Aliás, o que te traz aqui?

— Appa e omma vão viajar, vou ficar aqui por um tempo. – Explicou enquanto se afastava, acenou para Dae e encarou Jungkook curiosa.

— Yeon esse é o Jungkook, Jungkook essa é Yeonri, minha sobrinha.

— Olá Yeonri. – Ele sorriu e ela fitou seus dentinhos com os olhos brilhando.

— Oppa olha ele tem dentes de coelho. – Me chamou e apontou para o sorriso de Jungkook. – Você é bonito, quantos anos você tem?

— Eu tenho dezessete e você pequena? – Ela pareceu gostar do apelido, pois sorriu quando ouviu.

— Eu tenho seis. – Ergueu seus dedinhos mostrando seis deles. – Você é velho demais para mim. – Balançou a cabeça negativamente arrancando risos de nós dois, ela pareceu pensar e me encarou feliz. – Mas tem a idade do oppa, vocês podem namorar.

Ok, isso foi estranho.

Ficamos sem fala naquele momento, Jungkook estava corado e pela quentura das minhas bochechas eu também.

— Yeon não faça esse tipo de comentário. – Dae falou enquanto a pegava no colo.

— Por quê vovó?

— Por que eles já namoram.

Isso mesmo.

Pera aí.

QUE?

— Uou, uou, uou, noona nós não namoramos.

— Ainda. – Ela solta uma piscadinha e saí da cozinha com Yeonri no colo.

— Isso foi estranho. – Comentei.

— Bastante. – Jungkook diz, mas muda de assunto. – Yeonri chamou Dae de “vovó”?

— Ah sim, eu não sei se você sabe, mas eu tenho um irmão mais velho, ele é casado e adotou uma garotinha, que no caso é a Yeonri, e antes que me pergunte sim ela sabe que é adotada, embora tenha seis anos ela é bastante inteligente, Yeon não gosta de chamar Dae de unnie pelo fato dela ser praticamente casada com meu appa, que é seu avô, então ela resolveu chamar Dae de vovó.

— Ata, mas tipo a esposa do seu irmão não pode ter filhos? Por que eles adotaram e tals.

Ri fraco e respondi: – Eu não disse que ele era casado com uma mulher, disse?

Ele me encarou com um semblante de “Ata, agora eu entendi.”

— Bom, acho que já jantamos, não? – Pergunto me levantando e ele me encara sério.

— Eu já, você não, senta e come. – Ele manda me puxando para sentar de novo.

— Aish Jungkook, me deixa.

— Não. Você parece um bebê Taehyung. – Leva a tigela mais para perto dele, pega uma quantidade de comida e traz até minha boca. – Anda, abre.

— É sério isso? – Pergunto.

— Vai logo cacete.

Abri a boca e ele colocou a comida ali, mastiguei e engoli, ficamos nessa até eu ter comido quase tudo.

— Agora é sério, chega. – Digo sentindo meu estômago pesar.

— Certo, mas se sentir fome é para comer, sim? – Assenti enquanto me levantava.

Seguimos para sala e ele disse que tinha que ir embora, se despediu da família, de mim e se foi. Fechei a porta e fitei meus pais, estes que me encaravam sérios.

— Que foi? – Pergunto.

— Quando vai chamá-lo para sair? – Appa pergunta.

Nem foi direto.

— Que?

— Aish Tae, ‘tá tão óbvio que você ‘tá mexido com esse garoto, qual a dificuldade em chamá-lo para sair? – Dae pergunta.

— Nenhuma, eu só não quero mesmo.

Eles me encararam como se dissessem: “ata e nós dois terminamos”, revirei os olhos e anunciei que iria para o quarto. Cheguei no cômodo e vi Yeon deitada na minha cama dormindo agarrada com Soonshim, me aconcheguei ao seu lado e comecei a pensar.

Que mal teria chamá-lo para sair?
 

Abri os olhos um pouco zonzo, não estava nos meus planos dormir, mas tudo bem. Minha vista ainda estava embaçada, mas pude ver claramente a minha televisão ligada na Disney, olhei para o lado e vi Yeonri e Soonshim com os olhos vidrados na televisão. Peguei meu celular e chequei as horas, 08h12min da manhã, meu turno no mercadinho começava as dez, ou seja, duas horas ainda, voltei a fitar a TV e vi que estava passando “Encantada”, a cena era uma das minhas preferidas, Giselle começou a cantar no parque e uns carinhas a acompanharam, brota um monte de gente e, como todo filme musical da Disney, todos cantaram e dançaram.

— Oppa? – A encarei. – Como você mostra que ama o coelho?

A encarei confuso, mas logo me toquei que o coelho era o Jungkook.

— Yeon, sua vó disse aquilo de brincadeira, eu e Jungkook não namoramos.

Ela me encarou desapontada, mas logo sorriu travessa e murmurou “ainda”, essa família ‘tá contra mim, não é possível. Voltamos nossos olhares para a TV, meus pensamentos voltaram ao que appa me disse ontem, “quando vai chamá-lo para sair?”, a questão é como chamá-lo para sair? Eu não tenho experiência com isso e seria vergonhoso pedir ajuda para Lalisa, Jimin não quer me ver nem pintado de ouro, Yoongi me zoaria pelo resto da eternidade, Namjoon hyung tentaria me explicar, mas levaria tudo para o lado malicioso da coisa… Eu ‘tô perdido.

Ouvi uns burburinhos e olhei para a garotinha do meu lado, ela brigava com a Giselle, dizia que ela devia agarrar logo o Robert e esquecer o Edward. Como eu já disse, pequena mais inteligente.

Será que? Aish, não.

Mas, e se? Não Taehyung!

Mas… Aish, desisto.

— Hm, Yeonri, como chamar um garoto para sair?

Pedindo conselhos para uma criança, a que ponto eu cheguei.

— Com a boca.

Criança malcriada, não ganha doce também.

— Desculpe, ahn, achei que você soubesse, não é um especialista nessas coisas?

Ela tem razão, você deveria saber. – Minha consciência gritou.

Não enche.

— Sim, mas, é bem mais fácil falar para alguém chamar outro para sair do que eu mesmo fazer, sabe? Não tenho experiência com essas coisas.

Ela fez uma pose pensativa, me encarou feliz e disse:

— Aproveite que vai encontrá-lo no trabalho e o chame, seja direto, mas não tão direto.

Direto, mas não tão direto. Anotado.

— Sugira um lugar divertido, como… um fliperama, ou ir ao parque de diversões, é o primeiro encontro de vocês, não siga aquelas dicas bobas da internet e o leve a um jantar chique e romântico, vocês são adolescentes e não tem paciência para esse tipo de coisa, o leve para fazer algo que vá ser bem lembrado.

A pergunta é: como ela sabe disso tudo?

— Eu andei pesquisando, tava pensando em começar a te ajudar nessa coisa de cupido e, talvez, virar uma cupido mirim.

Berrei.

— Yaah, isso é incrível, qualquer dúvida que tiver é só vir falar comigo. – Falei bagunçando seus cabelos.

— Menos sobre encontros. – Caçoou.

A encarei incrédulo, ela riu e voltou a assistir ao filme. Me levantei e fui ao armário, peguei uma muda de roupas e entrei na suíte.
 

— Bom dia, bom dia. – Desejei entrando no mercado.

— Bom dia dongsaeng. – Somin desejou enquanto entregava o troco para uma senhora.

Reverenciei a senhora e fui para a área dos funcionários, coloquei meu jaleco e fui atrás da senhora Jeon, a encontrei colocando os doces que chegaram em seus lugares.

— Bom dia senhora Jeon. – Curvei-me, porém quando me ergui senti uma vertigem estranha.

— Bom dia querido. – Me fitou e mudou seu semblante para preocupação. – Está tudo bem?

— Sim, por quê? – Pergunto arrumando minha franja.

— Você está pálido.

— Ah, acho que preciso sair mais de casa. – Ri fraco. – Quer que eu faça isso? – Pergunto me referindo a guardar os doces, Senhora Jeon sorriu em minha direção, sem tirar o semblante de preocupação.

— Obrigada Tae. – Tomei o seu lugar e comecei a colocar cada doce em seu devido lugar. – Tem certeza que está bem?

— Tenho sim, pode ir senhora Jeon. – Ela apenas assentiu e saiu.

A vertigem voltou, senti meu estômago embrulhar e o vômito subir, o prendi e engoli sentindo um gosto ruim na minha boca. Continuei o meu trabalho e quando me virei para trocar de caixa uma vertigem ainda mais forte me atingiu, fazendo-me cambalear e derrubar algumas coisas da prateleira.

— Taehyung? Está tudo bem?

Foi a última coisa que eu ouvi antes de apagar.

T H E C U P I D


Notas Finais


Então é isso!!
Obrigada mais uma vez pelos 110+ favoritos, pelas exibições e pelos comentários, vocês são incríveis <3
Gostaram? Odiaram? Me deixem saber!
Qualquer dúvida sobre qualquer coisa me mandem uma MP.
Querem alguém para surtar por kpop? Me sigam no twitter e venham enlouquecer comigo haha: https://twitter.com/uttmarkson
Até o próximo capítulo :)
Xoxo e Annyeong <3
Banner cheiroso feito pela @Younghie


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...