História The Cure - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Bradley Cooper, Lady Gaga, Nasce Uma Estrela
Personagens Bradley Cooper, Lady Gaga
Tags Bradga, Bradley Cooper, Lady Gaga, Nasce Uma Estrela, Romance
Visualizações 11
Palavras 1.960
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 13 - "The Cure"


Estava sentada no sofá a espera de Dan, estava ansiosa por show do The Cure, era uma das minhas bandas favoritas, eu vestia um short preto com uma camisa larga e grande cinza com a estampa do Enigma, peguei um casaco largo e joguei por cima, calcei minha botas e fiquei a espera.
Ash estava sentada comigo no sofá, a gente conversava sobre algumas coisas, ela insistia em não me contar sobre a ruiva em que ela saía, isso já estava me dando nos nervos, mas eu sei que deveria ter calma, ela iria me contar na hora certa, pelo menos eu achava isso.

-Desde quando você conversa com a Flo?
-Quem é Flo?
-A Florence, Ashley! Não venha se fazer de desentendida!
-Eu? A gente se fala faz um tempo, mas eu pedi pra ela conversar com você depois de tudo aquilo.
-Ash, eu não quero você envolvendo a Flo nisso, ela tem trabalho demais pra cuidar, tem uma vida.
-E você é a amiga dela, qual é o problema disso? Eu só queria que ela te acalmasse um pouco Stef, não seja exagerada.
-Eu não sou Ash, a Flo é uma ótima pessoa, mas também não quero que ela fique me vendo assim.
-Então o galanteador que vem aqui, arrasa teu coração, e depois some como se nada tivesse acontecido ele pode tudo. Agora só porque eu falei algo pra Florence você quer armar uma confusão.
-Que?! Ashley você não tá falando nada com nada porra.
-Não?! Então tá dona Lady Gaga, faça o que você quiser. -ela se levanta-
-Ash, para de se estressar fácil vai... Eu sei o que você quis dizer, mas também me entende poxa.
-Uhum, eu tento fazer isso... Mas você acaba me irritando.
-Sera que o Dan vem mesmo?
-E você acha que ele ia perder alguma coisa com você?
-Não sei Ash, não faço ideia não. -coloco as mãos na bochecha-
-Você é tão fofa, mas toma cuidado com ele.
-Tenho 33 anos Ash, eu sei me cuidar.
-Uhum, eu sei o que é seu tratamento. -ela diz num tom malicioso-
-Cala a boca Ash! -jogo a almofada nela-

Escuto a buzina do lado de fora, espio pela cortina e vejo o carro de Dan, o mesmo sai dele e fica ali parado me esperando, eu retoco meu batom, dou um beijo na Ash e então decido sair. Ele está vestindo uma camiseta preta e jeans, particularmente estava lindo.
Cumprimento Dan, e ele me dá um leve beijo no canto da boca, logo depois de um abraço, era diferente o que eu e ela tínhamos, talvez mais um pouco que amizade, talvez a atração por ele era simplesmente altíssima. Então entramos no carro, foi quando pude escutar a música "Pictures of You".

"Se ao menos eu tivesse pensado nas palavras certas

Eu poderia ter me agarrado ao seu coração

Se ao menos eu tivesse pensado nas palavras certas

Eu não estaria rasgando

Todas as minhas fotos suas"


-There was nothing in the world... That I ever wanted more -cantarolo-
-Essa música é ótima... -Dan dirige-
-Eu também acho, mas a minha favorita é "Never Enough"... -coloco os pés em cima do porta luvas- Se importa?
-Claro que não Gaga, a vontade.
-Me chame de Stef, Dan.
-Tudo bem Stef... Sinta-se a vontade! -ele olha pra mim-
-Ansioso?
-Um pouco, ainda mais quando tenho você aqui...
-Meu Deus Dan... -dou risada- Não fique nervoso por estar comigo, nos já fizemos isso antes.
-Eu sei, mas é sempre uma aventura com você, nunca sei onde tudo isso vai parar.
-Só depende de nós Dan! -aceno um baseado- Você fuma?
-Não, a única coisa que faço de "errado" e beber.
-Fumar cannabis não é errado, isso deveria ser legal, ainda mais pra pessoas com vários tipos de doença.
-Eu sei, mas meio que, desde que eu era pequeno fui ensinado assim...
-Então você é do tipo de engomadinho que os pais não permitiam sair por ai?
-Meu Deus Stef, não é isso... Só aprendi que fumar cannabis entre outras coisas era ilegal. -ele ri- Mas nada contra com quem faz, já fui praticamente casado, e minha ex adorava isso ai.
-Hmm, ela está certa, isso relaxa. Você deveria experimentar.
-Um dia Stef, quem sabe...
-Casado então Dan Horton...
-Quase fui, era noivo e morávamos na mesma casa.
-Hmmm...
-Você também já foi noiva...
-Sim, 2 vezes..
-Porque não deu certo? É errado perguntar isso?
-Não! -eu ri- Taylor e eu decidimos seguir caminhos totalmente diferentes. Já Christian e eu, foi por causa de ciúmes e muita discussão.
-Ele realmente parecia ser fixado em você, tem até tatuagem...
-Christian? -eu ri- Ele realmente teve coragem de me marcar no corpo dele, não diria que era fixação, mas um pouquinho de loucura. -disfarço-
-Você não tinha medo?
-De que? -olho pra ele-
-De conviver com esse Christian. O cara é super esquisito.
-Christian tem seus problemas... -encaro ao lembrar da festa de Donatella-
-Tá tudo bem Gaga?
-Uhum, está. -sorrio falso- Mas eu vejo que você pesquisou muito antes de vir me buscar.
-Não é isso, eu sempre gostei de saber sobre você. Desde quando você me chamou pra trabalharmos juntos.
-E você fez um ótimo trabalho! -pisco-

Já estávamos na frente do show, Dan estacionou o carro, e então abriu a porta pra mim, entramos no show, e estava lotado, encostamos no balcão de bebidas, e pedimos duas cervejas. Eu adorava as músicas, e acabei deixando Dan pra trás quando escutei minha música favorita tocar.
Corri até perto do palco e comecei a dançar e cantar junto deles, era incrível a energia de estar escutando sua banda favorita tocar, e você ser apenas uma fã enlouquecida ali sem privilégios algum, eu sentia o que meus Little Monsters sentiam.


"Por mais que eu caia

Nunca é o suficiente

Por mais que eu me esforce

Nunca é o suficiente

Por mais que eu faça acontecer

Nunca é o suficiente,

Nunca é o suficiente,

Por mais que eu faça"


Eu cantava com todo o meu ser, até que voltei a estar do lado de Dan, ele me filmava quando me dei conta, comecei a rir da situação, virei a garrafa de cerveja na boca. Dan me observava, até que ele me deu um beijo, um beijo bem calmo, nossas línguas se enrolaram, e fizeram sincronia.
Postei um vídeo nos stories do meu Instagram, e depois fiquei ali curtindo com Dan, nos estávamos bem íntimos, até deixamos escapar mais alguns beijos, percebi que haviam algumas pessoas com celulares virados pra nós dois, tentei fazer Dan se sentir confortável com a situação.

O show acabou por volta das 02 da manhã, Dan insistiu me deixar em casa, então eu deixei, acabei dormindo no carro, estava exausta meus pés doíam demais, eu tinha mesmo aproveitado cada minuto daquele show incrível. Senti então o carro parar e depois de alguns segundos minha porta abrir.
Dan me pegou no colo, e me levou até meu quarto, tirou minhas botas, me deitou na cama e me cobriu, eu insisti pra ele ficar, já era tarde pra ele ir embora. Então ele se deitou comigo na cama, me aconcheguei no seu peito e dormimos ali mesmo.

Acordei de manhã, e vi Dan ainda dormindo, ele estava sem camisa, provavelmente tinha tirado na noite passada, ele tinha um abdômen realmente definido, algo bonito de se ver e sentir uma leve excitação. Qual me dei conta Dan me olhava, esperando que eu falasse alguma coisa.
Eu olhei pra ele tentando disfarçar, o mesmo se levantou e me puxou para um beijo, suas mãos alcançavam minha nuca até minha bunda, ele a apertava delicadamente. Seus olhos as vezes pairavam por mim, e sua mão levemente puxou minha camiseta.

Meus seios então estavam amostra, Dan os encarava com um olhar malicioso, foi então que ele começou a chupar um, sua língua rodeava ele, e algumas mordidas foram deixadas ali, eu estava molhada, Dan sabia realmente fazer isso. A outra mão apalpava minha bunda, me empurrando ainda mais pra si.
Eu não pude fazer mais nada a não ser segurar seu cabelo e puxa-lo algumas vezes. Foi quando ele me virou, e me deixou deitada na cama, seus beijos deslizaram até minha barriga, me fazendo ficar ainda mais molhada. Suas mãos desabotoaram meu shorts, que foi arrancado com delicadeza.

Senti seus dedos passarem pela minha intimidade ainda por cima de pequena calcinha de renda que eu vestia, ele podia sentir ali mesmo o quanto eu estava molhada, mas voltou a me beijar ainda mais com vontade. Ele mordiscava a minha boca e deixava algumas marcas no meu pescoço.
Ele então retirou minha calcinha com delicadeza, e deixou leves beijos por dentro das minhas coxas e virilha, ele me observava enquanto o fazia, e a cada toque eu soltava um gemido.Dan deu um beijo em minha intimidade, o que me fez arrepiar, introduziu seu dedo me estimulando um pouco.

Sua língua percorreu ao meu clitóris, me fazendo ter espasmos, a boca quente que ele tinha, e sua língua me fazia ir às nuvens. Até que ali ele parou, e me olhou, sua boca retornou ao ponto de encontro, foi quando eu sentei em cima de seu abdômen ainda o beijando.
Desci até sua calça, e tirei um pouco com pressa, pressionei sua intimidade com a minha e senti ele se excitar ainda mais, desci até sua box e dei uma leve mordida no seu membro que já estava completamente enrijecido, Dan soltou um gemido abafado, e foi aí que tirei sua box.

Ele estava completamente duro, e eu sabia o que fazer, peguei seu membro e ali comecei a fazer meu trabalho, ele estava completamente quente, e eu pude sentir quando introduzi na minha boca, Dan segurou um pouco meu cabelo, e eu adorava isso.
Dan estava louco por desejo, e eu também, o tesão nos consumia por dentro, foi quando eu sentei em cima do membro de Dan, e pude deixar quantos gemidos quisessem escapar dali, nos dois estávamos consumidos pelo prazer. Sua mão apertava levemente minha cintura conforme o ritmo.

Até que ele se levantou comigo ainda com ele dentro, me pegou no colo como se fosse uma garotinha, e ali me fudeu gostoso como se não houvesse alguém que nos atrapalharia. Minhas unhas arranahavam suas costas enquanto ele me prendia na parede e me fodia ainda mais.
Já haviam se passado tempos, Dan e eu entravamos em completos espasmos após orgasmos múltiplos. Tomamos um banho juntos, e enrolamos ainda mais na cama, mas teve uma hora que precisávamos descer. Quando estávamos no último degrau, pude ver Bobby, Ash, Mamãe e Papai me olhando, e ali tive a certeza que eles escutaram tudo.

Me despedi de Dan, e ficamos alguns minutos abraçados do lado de fora. Quando entrei todos me olharam intrigados a espera de que eu falasse algo, ao som de "Rádio Ga Ga", me sentei no sofá me espreguiçando um pouco.

"Então não se torne apenas um barulho de fundo

Um apoio para as garotas e garotos

Que não sabem ou simplesmente não se importam

E apenas reclamam quando você não está lá

Você teve seu tempo, você teve o poder

Você ainda terá sua melhor hora

Rádio"


-Se vocês estão esperando dizer que eu estou namorando com ele, podem tirar o cavalinho da chuva! -bocejo-
-Não estamos esperando nada Stef. Só escutamos algumas coisas...
-Incrivel! Querem que eu conte o que esses barulhos são?! Vocês não são mais crianças caralho, me deixem em paz!
-Pra quem acabou de fuder não parece nada feliz. -Ash brinca-
-Pra quem não contou nada sobre a garota que você sai pra sua melhor amiga, você está muito brincalhona não é?

Me levanto, e deixo todos na sala, estava impaciente, a foda com Dan tinha sido maravilhosa, mas ficar sendo interrogada pela minha família era um saco!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...