1. Spirit Fanfics >
  2. The cure for my life - Choi Jongho >
  3. Short fic - Capítulo 2

História The cure for my life - Choi Jongho - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Bom galerxs!
Demorei mais voltei
Vida corrida, faculdade e trabalho estavam chupando meu sangue
Mas estou eu aqui de novo trazendo mais capítulo
Espero que gostem e boa leitura!💚🌻

Capítulo 3 - Short fic - Capítulo 2


Fanfic / Fanfiction The cure for my life - Choi Jongho - Capítulo 3 - Short fic - Capítulo 2

Estava sentindo minha vista exausta de tanto conferir emai-ls, avaliar contratos e outras milhões de tarefas que um gerente de setor faz. As coisas no meu setor não andavam muito bem, estavamos vivendo dias tensos com sobrecarga de trabalho, eramos os últimos a sair da empresa todos os dias e confesso que não estou aguentando mais. Hoje era sexta, o que significa que todo esse estresse daria uma pausa, não parava de olhar para o relógio e as horas pareciam não passar nunca fazendo com que eu ficasse cada vez mais impaciente.

- ______?

- Pode entrar! - Ordenei assim que escutei a voz de Mingi, um dos funcionários que cumpunham a minha equipe, chamando na porta.

- Olá ______, trouxe esses documentos e um inventário semanal do setor.

- Certo! Perfeito. Hoje todos do setor vão embora no horário normal, nada de extra. Vamos pra casa, descansar e aproveitar o fim de semana.

- Que coisa boa, estou exausto!

- Estamos meu querido! Bom, repasse para os outros esse recado.

- Pode deixar, eu já vou indo ______. Bom descanso e até segunda.

- Pra você também, até mais Mingi.

O vejo sair da minha sala, olho para meu o relógio pela milionésima vez agora indicando que faltavam apenas quinze minutos para o fim do expediente, o que me deixou aliviada. Arrumo minhas coisas, fecho a caixa de emai-ls e arquivando os documentos decidida em analisar só na segunda, não estava nenhum pouco afim de levar trabalho pra casa. Deixo tudo na mais perfeita ordem e fecho minha sala indo em direção a saída do prédio da empresa, hoje Jongho viria me buscar já que largaria mais cedo do trabalho. Assim que chego na recepção do prédio recebo uma mensagem de meu namorado.

Jongho❤: " Cheguei, estou te esperando aqui fora gatinha"

Apenas o respondo com um "Oky!" e vou direto para saída desejando um bom descanso para alguns funcionários que ainda se encontravam por alí. Nada era mais revigorante do que ver Choi Jongho encostado no carro de braços cruzados e com lindo sorriso lhe esperando, naquele momento, mesmo com os pés cansados, corri ao seu encontro sendo recebida por um abraço apertado e acolhedor.

- Nossa amor, isso tudo é saudade?

- Também! Hoje o dia foi o inferno, estou exausta...

- Então vamos logo pra casa para podermos descansar.

E assim o fizemos, dentro de trinta minutos chegamos em casa e não tinha ninguém, normalmente essa hora Tia Mey já havia chegado do trabalho, achei estranho porque ela nunca chegava tarde.

- ______, Mey deixou um bilhete dizendo que teve que viajar de última hora e só volta segunda.

- Poxa, nem pra nos ligar!

- Deve não ter dado tempo, certamente ligará mais tarde.

- É verdade, bom amor, vou subir pra tomar um banho.

- Vai lá, vou fazer alguma coisa pra gente comer. - O mesmo deposita um selinho em meus lábios logo indo rumo a cozinha.

Subo as escadas correndo mesmo que estivesse ainda com o salto nos pés, chego ao meu quarto logo tirando a roupa entrando no banheiro. Tomei um banho com direito a lavagem de cabelo e tudo pois eu merecia, esses dias estava um verdadeiro trapo humano. Ao terminar saio do cômodo procurando o que vestir, vou no guarda-roupas decidindo usar uma calcinha de renda preta e uma blusa que Jongho deixou aqui da última vez que dormimos juntos. Estava decida a aproveitar bem esse final de semana com meu namorado, ao longo da semana mal tivemos tempo para nós, sempre quando chegava do trabalho ele já estava dormindo. Estava terminando de vestir a camisa quando sou surpreendida.

- ______, a comida já está pronta. - Foi inevitável tomar um susto fazendo com que eu soltasse um pequeno grito arrancando uma risada gostosa do homem encostado na minha porta - Desculpa não ter batido a porta.

Um sorriso escapa de meus lábios e vou em sua direção enlaçando meus braços em torno de seu pescoço depositando um selar demorado em seus lábios sempre tão convidativos, sinto sua pele arrepiar e suas mãos apertam minha cintura.

- ______, se você continuar com isso... - Me solto de seus braços o deixando falando sozinho indo em direção a cozinha já sentindo um cheiro bom.

- Que cheiro de comida gostosa!

- Eu só sei fazer assim. - Jongho diz sussurrado rente ao meu ouvido, e quase que instantâneo sinto um fisgada no meu íntimo.

Pelo visto a noite vai ser bastante longa.

                             §§§

Eu e Jongho tinhamos um acordo que consistia no seguinte fundamento: Quem cozinha não lava a louça suja. Então sobrou pra minha pessoa fazer tal tarefa, que particularmente não era lá a coisa que eu mais gostava de fazer. Estava quase terminando de secar as louças para poder guardar quanto sinto um corpo quente atrás de mim, era ele, queimando em desejo, eu sabia disso. Suas mãos subiram pelas laterais de meu quadril até a minha cintura, já foi o suficiente para que meu corpo reagisse de forma recepitiva, se tinha uma coisa que eu não queria naquela noite, era resistir. Jongho acariciava com a ponta dos dedos a região mas também fazia uma trilha de beijos da nuca até o lóbulo de minha orelha fazendo com que um gemido sofrengo escapasse pelos meus lábios.

Agora as mãos do homem arriscaram um caminho pecaminoso pelo meu ventre por fim chegando em meu íntimo, invadindo o tecido da calcinha tocando com maestria minha vulva vergonhosamente molhada somente com aquele contato. Tombo minha cabeça encontrando seu peito nu como apoio, meu olhos se fecham pela descarga de tensão que é depositada em mim quando a destra de Jongho explora minhas curvas chegando ao meu mamilo rígido de tesão, onde ele toca pressionando entre seus dedos.

- Sinto falta de você, do seu corpo, do seu calor... - Sua voz soava torturante e sussurrada em meus ouvidos.

- Acabe longo com isso, preciso de você agora!

Minha fala foi o suficiente para que ele me virasse de frente ao seu corpo, e juro que minha boca salivou por ver a parte superior de corpo definindo. Jongho toma meus lábios em um beijo totalmente sensual, era assim todas as vezes que a gente transava, mas eu sempre sentia uma desejo novo, a minha necessidade aumentava cada vez mais, ele tinha poder sobre mim e eu nada podia fazer, somente me entregar. Em um único impulso ele me põe semtada na bancada do cômodo se posicionando entre minhas pernas logo retirando a camisa de meu corpo.

O homem me olhava da forma mais obscena fazendo-me sentir desejada, ele passou a maltratar meu pescoço com mordidas e chupões, já não tinha mais um pingo de sanidade entre nós. Com seus olhos presos aos meus, Jongho desce com sua boca extremamente deliciosa até meu seio onde passou a chupar como se estivesse faminto, realmente estava, não só ele. Meus gemidos estavam descontrolados, isso parecia incentivar-lo a continuar nessa linha de tortura, seus lábios quentes enfim chegam no ponto em que eu me encontrava mais necessitada logo rasgando a minha calcinha em pedacinhos.

- Poxa amor, era a minha preferida! - Sorrio sacana o olhando nos olhos.

- Você não vai nem sentir falta! - Diz seguido de um tapa lá me fazendo gritar, aquilo foi deliciosamente imoral.

Não demora muito para que o safado me invada com sua língua me chupando com vontade se concentrando principalmente no clitóris e pelos deuses, esse homem fazia um trabalho maravilhoso com aquela língua. Ele parecia não se cançar naquilo enquanto eu só sabia me contorcer e quase perder os sentindos ao sentir seus toques nada castos. Me sentia cada vez mais próxima ao auge e Jongho percebe parando o que fazia subindo seu corpo novamente.

- Cretino!

O safado me lança um sorriso maldoso e excitante. A espera de suas próximas ações o vejo retirar as peças que se encontravam em seu corpo divino me contemplando com seu membro já rígido, minha boca secou na hora. Se tinha uma coisa que Choi Jongho sabia fazer muito bem era deixar uma mulher extremamente excitada, dependente de seus toques.

- ______...- Ele se aproxima ainda mais de mim ficando a milímetros de distância de meu rosto. - Me diga o que quer que eu faça agora.

- Me fode, fundo e forte, do jeito que só você sabe fazer.

- Seu desejo em uma ordem.

E sem mais demora o sinto dentro de mim, estocando forte me deixando completamente perdida no prazer. Eu me agarro ao seu corpo afundando minhas unhas em suas costas arrancando gemidos prazerosos de Jongho. O mesmo se movimentava divina bem dentro de mim me levando para o inferno onde meu corpo queimava no desejo sexual que se acumulou em nós por dias.

- Jongho...

Seu nome saia de minha boca da forma mais impura possível, eu não controlava mais nada alí.

- Ahhh... Gostosa...

Seus olhos não se desprendiam dos meus enquanto ele metia fundo e forte em mim. O homem me desce da bancada me colocando de costas bem empinada, apoio minhas mãos na superfície e me agorro com mais força quando o sinto entrar em mim novamente. Uma de suas mãos me segurava pela cintura e a outra se encontrava massageando meu pontinho novamente.

- Ahh... Desgraçado! - Gritei ao senti-lo daquela forma.

- Eu sei que você adora, safada. - Sinto um tapão em meu bumbum seguido de outro que foi o suficiente para que eu arquiace a coluna. O ouvir gemer o meu nome era a coisa mais gostosa e excitante, naquele momento eu já podia sentir uma tenção se concentrando no meu baixo ventre e minhas paredes vaginais se contrairem o apertando dentro de mim.

- Ah ______! Não faz isso.

E mais estocadas me entrego ao orgasmo avassalador e delicioso, meus músculos se contrariram e relaxaram numa fração de segundos. Jongho se desfaz dentro de mim logo após. Nossos corpos suados, exaustos porém satisfeitos se uniram em um abraço cheio de amor e afeto, sem palavras apenas ao som de nossas respirações desreguladas sou recebida em seu colo, ele caminhou comigo até o banheiro mais próximo onde tomamos um banho cheio de carinho, nada sexual e sim amoroso. O jeito que ele me olhava era tão único, eu não conseguia mais imaginar minha vida sem esse homem que em poucos meses foi capaz de me fazer uma nova mulher e eu amava isso a cada dia que passa.

Já vestidos, estavamos no meu quarto deitadinhos na cama aproveitando a campainha um do outro, Jongho estava aninhado em meu peito uma vez que eu acariciava os fios macios de seus cabelos recém lavados. Eu moraria naquele aconchego o resto da vida se fosse possível, seu cheiro é a coisa mais gostosa do mundo, me trazia paz e conforto que a muito tempo não tinha.

- ______!

- Oi amor - O olho nos olhos, aqueles brilho cheio de felicidade me deixava enfeitiçada.

- Você já parou pra pensar no quanto que eu amo você?

- Acredita que não! Mas eu tenho a plena certeza que eu te amo demais! - Jongho começa a distribuir vários beijinhos em meu rosto me fazendo rir sem controle.

- Você não tem o direito de ser tão adorável, linda e fofa assim! - Exclamou um tanto revoltado. - Mas eu quero que saiba que te amo, amo de verdade!

- Eu não te mereço nenhum pouquinho... - Acaricio seu rosto tão perfeito pensando no quanto aquele homem era demais pra mim e no quanto eu ficava mais apaixonada por ele.

- Merece sim, merece muito.

      Com um sorriso no rosto Jongho inicia uma sessão torturante de casquinhas em mim que não aguentei muito tempo e sem perceber já estávamos dormindo agarradinhos.


Notas Finais


E foi isso meninxs!
Quem diria um Jongho safadinheo
TUDO PRA MIMMM!
Espero que tenham gostado
Deixem o seu comentário para que eu compartilhe de opiniões sobre a estória com vocês!
Um cheiro!
(Fiquem em casa e se cuidem!)
💚💚💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...