História The Danger Love-Love Forever (1 temporada) - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Criminal Minds, Fifth Harmony, Got7, HyunA
Personagens Aaron Hotchner, Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, HyunA, Jackson, Jennifer "JJ" Jareau, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lauren Jauregui, Mark, Min Yoongi (Suga), Normani Hamilton, Park Jimin (Jimin), Penelope Garcia
Tags Bts, Criminal Minds, Jeon Jungkook
Visualizações 10
Palavras 3.460
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olaaa meus amores desculpe a demora e espero que gostem!😍

Capítulo 21 - Vai ter que me dar um beijo!


Fanfic / Fanfiction The Danger Love-Love Forever (1 temporada) - Capítulo 21 - Vai ter que me dar um beijo!

Nathany Pov´s

  Déjavu, era isso o que estava acontecendo naquela cena, um déjavu- reação tida psicoligica com a sensação de ter vivido aquilo antes. Eu estava sentada em frente a sala onde Jungkook estava, no 3º andar, pensando e repensando milhares de vezes, pode ser meio conotativo mas é a verdade, eu estava sozinha com a cabeça encostada na parede e os braços cruzado, os médicos estavam perto de mim, cochichando sobre os pacientes, 5 minutos depois a ambulância chega com um paciente em coma. Peim havia ido na "lojinha de importados" comprar biscoitos para nós, o insisti para ele ir lá, eu estava consada de comer ramen nas horas vagas, ele queria ir na lanchonete do hospital, mas imagina a comida do hospital, e ainda por cima da lanchonete?! Estou cansada da comida coreana, um pouco de fast-food não faz mal.

    Em tanto pensar havia me dado fome, onde deve estar o Peim? Havia me trocado de roupas, Norman está de frente com a questão do Jungkook, ela me emprestou roupas pra me vestir, uma calça moletom cinza e um casaco cinza da marca puma, lavei os meus cabelos no banheiro com o shampoo e condicionador que o hospital dar para visitantes, eu estava com os cabelos ainda úmidos. Vejo Norman sair da sala onde o Jeon permanecia, ao se encontrar com os meus olhos ela arqueia sobrancelha e depois solta um sorriso singelo.

     Normani vem em minha direção com a sua prancheta e se senta ao meu lado e segura em minha mão, acariciando-a com o polegar as costas de minha mão esquerda, deixando a prancheta no seu colo.

-Ele está bem?!- pergunto monotonamente.

-Está ótimo!-diz sorridente-, o soro o salvou... a alimentação desses coreanos é muito saudavel, é um pouco dificil deles terem diabetes, ele é super saudavel, e está em boa forma.- diz ainda acariciando-me.

-Que bom... imaginei que ele estivesse bem, mas não tanto!-falei me culpando- achei que fosse pediatra!

- Também, crianças são pequenos seres humanos, é a mesma coisa,Jeon Jungkook... Hum, ele é muito esperto, inteligente, tem um grande amigo Nathy!

-Inteligente? Jungkook não é isso tudo. Ele nem possui um QI normal de 90 á 105!

-Observe-o melhor! Pode ir vê-lo.- disse se levantando.

-Norman... eu não sei como agradecer por tudo que fez a mim e á Jungkook. Obrigada pelas roupas, pela estadia dele no hospital, por todo o seu tratamento, não sei como agradecer de certa forma.- falei me levantando.

-Não precisa me agradecer Nathany!-disse- vai lá!

Assenti. Norman se foi com a sua prancheta até a recepção, já era de madrugada umas duas da manhã, eu não havia cochilado nem por um segundo. Passei a mão na maçaneta, devagar e entrei no quarto. Jungkook estava com uma feição distorcida olhando para o teto com o cenho franzido, deitado na maca, o ar condicionado estava no 19°, fechei a porta e entrei eu estava praticamente ao lado da cama, e ele não me encarava, nem por um momento ele me encarou.

-Deveria ter batido na porta,Nathany!-disse ainda na mesma posição.

-Como sabe que sou eu?-perguntei estranhando.

-O seu cheiro!- disse suspirando- não mudou!-falou com um tom arrogante.

Não posso negar, uma onda de timidez tomou conta de meu corpo fazendo minhas bochechas queimarem.

-Espero que seje bom!-falei timida.

-E é!-disse se virando- o que faz ainda aqui?-disse no mesmo tom.

-Uau! Parece que voce odeia o clima de hospital, pela segunda vez és arrogante comigo, no hospital ainda por cima!-falei dando volta a na maca.

-O que a medica disse?- falou se sentando.

-Que voce está ótimo! Parabéns!

 Jungkook me olhou nos olhos e depois de cima para baixo, se eu pudesse ser o Edwart da saga crepusculo eu conseguiria ler a sua mente.

-Sente-se aqui! Quero conversar com voce!

Sentei-me ao seu lado na maca e o olhei, até que Jungkook pega em minha mão e a segura. Sua mão era grande e quente e macia, uma onda distinta passou pelo corpo, parecia que ele sabia o que eu estava sentindo, ele deu um sorriso e acariciou a minha mão.

-Está gelada!-falou com um tom calmo.

-Sim! Deve ser o ar.-falei suspirando.

-Deite-se aqui!- Jungkook falou enquanto dava alguns tapinhas ao seu lado no colchão.

-Para que?!-falei com as sobrancelhas arqueadas.

-Pra ficar aquecida.- disse como se fosse obvio.

-Não Jungkook, não precisa, eu estou da casaco, e também não iria ficar muito legal! Meu irmão pode chegar a qualquer momento e intepretar algo maldoso!-falei sincera.

-Já ficamos assim antes.- reviro os olhos- e parece que o casaco não está adiantando muito!-disse com um meio sorriso.

-Está bem!-falei me entregando- dividimos o mesmo cobertor?

-Voce é pequena, não vai fazer diferença pra mim!-disse divertido.

-Está me chamando de anã, senhor Jeon Jungkook?!-pergunto furiosa

-Anda logo!

Me deitei ao lado de Jungkook, e ele permaneceu sentado. O maior pegou o cobertor e me cobriu, e me olhou e soltou um sorriso, e o retribui. Começamos a nos encarar, até que começo a perceber os seus traços finos de seu rosto, tudo era bem desenhado, seus cabelos era lustrosos, dava uma vontade de passar a mão, até que fecho os olhos e bocejo.

-Acho melhor voce dormir!-disse em sussuro.

-Disse que queria conversar.-falei suspirando profundamente.

-Não com voce com sono, precisa dormir!-falou.

-Só depois da gente conversar!-falei

-Obrigado! Por ter me salvado.-disse se deitando- eu nem sei como agradecer!

-Já agradeceu!-falei rindo.

-Ah, disso eu sei, eu digo de forma... como posso dizer...

-Com atitude?!-sugeri.

-Isso! Com atitude! Voce é uma grande amiga, estou te devendo essa! Alias, eu não te paguei aquele sorverte, lembra no dia que a gente fez trabalho?! Sabe aquele trabalho das fotos?

-Me pagar um sorverte? Não precisa!

-Fazer suas traferas?-sugeriu animado.

-Voce não sabe nem responder um questionario pessoal!-falei.

-Te acompanhar até em casa?!

-Eu vou com o Peim!

-Uma semana de lanche grátis?!

-Eu levo marmita!

-Faço todos os seus trabalhos?!

-Sua letra é bem diferente da minha, os professores vão perceber!

-Ah é verdade, a sua letra parece de médico!-falou ironico.

-Que tal voce ficar quieto e dormir? Já é um grande favor retribuido!-falei cansada.

-Lembre-se que está na minha cama, minha cama minhas regras!

-Lembre-se que eu te salvei!

-Lembre-se que não precisava fazer isso!-disse em sussurro.

-E porque não?

-Poderia ter se machucado! E... eu não iria aguen... não seria legal voce se machucar!-falou suspirando.

-Então eu deveria ter deixado voce lá?-perguntei.

-Quer saber? Valeu mesmo por ter me salvado! Bem melhor!-disse rindo.

-Sabia!-falei bocejando.

 Eu estava cansada demais, foi uma dia longo e agitado, só de saber que Jungkook estava bem me deixava mais calma. Senti a cama mexer e sinto um cheiro de perfume forte e quando abro os olhos, ele estava olhando para mim, com aquele sorriso travesso de sempre com o seu cabelo desarrumado.

-Nathany!-exclama-posso te fazer uma pergunta?-assento- como me achou? 

   Arregalo os olhos e acabo engulindo seco. Como eu iria explicar a ele? Dizer a verdade?

-Um amigo meu, viu voce então ele nos contou e a gente seguiu sua pegada!-falei rapido.

-Que amigo?-perguntou curioso.

-Amigo do meu irmão Jungkook!-falei.

-Disse que era seu amigo!

-Do meu irmão também Jungkook!

-Ele sabia seu nome Nathany! Eu sei quem é o Hiroki, ele é da Yakuza! Ele apareceu nos jornais, como ele sabia o seu nome?-perguntou em sussurro.

-A yakuza sabe os nomes de todos, eles rastreiam... essas coisas!

-Aquele cara parecia ser obsecado por voce! Primeiro se identificou como Scarlus depois o subordinado dele o chamou de Hiroki, ele falou que era seu namorado!

-É mesmo?

-Sim! E...

-Como voce chegou lá?-perguntei desconfiada.

-Eu estava indo pra escola, até que uns homens com cara de japones me abordaram e falaram que minha mãe havia morrido,então eu não acreditei, falei que eu tinha de ir para escola, então voltei a andar até que alguem esbarrou em mim, e acabei sentindo uma picada no braço e depois apaguei e... acordei naquele lugar!- falou confuso.

-Tudo bem, isso já passou!-falei ao fim de deixa-lo calmo.

-Voce está bem?-perguntou se aproximando em sussurro.

-Com fome!-falei com olhos fechados.

-Tenho ramen!

-Boa noite Jungkook!-falei me virando.

-Não quer ramen?

-Boa noi-te!

-Ramen é muito bom, voce vai gostar!-insistiu- Nathany?! Nathy? Já dormiu? Boa noite!-sussurrou em meus ouvidos.

  As vezes a unica forma de fazer alguem ficar quieto é fingindo que está dormindo, ou que estar passando mal. Senti um calor percorrer ao meu corpo e percebi que Jungkook estava de costa para mim, e ele estava encostando em mim, como ele pode ser irritante e ao mesmo tempo cavaleiro? Claro, do jeito dele. Demorei um pouco para dormir, Jungkook se mexia muito, mas estava bem aconchegante, eu queria ir pro sofá, mas ali eu estava bem aquecida, e no sofá eu iria demorar pra me aquecer, então eu havia resolvido ficar ali.  Acordar as 09:30 no hospital é estranho, voce percebe que acabou dormindo em um lugar onde muitos doentes ficaram, e voce conseguiu suportar aquilo. Me viro e encontro Jungkook me encarando enquanto acariciava os meus cabelos, franzi o cenho e esfreguei os meus olhos em não conseguir acreditar naquilo, e vejo nitidamente ele fazendo cafuné em mim.

-Bom dia!-falou sorridente- dormiu bem?

-Minhas costas doem!-falei o encarando.

-A minha também.-falou.

   Jungkook continuava com aquele cafuné, devo admitir que era muito bom, mesmo no ar condicionado, suas mãos ainda eram quentes, e o seu olhar era outro.

-Bom dia!-disse a enfermeira entrando- está na hora do seu café da manhã senhor...Jeon?

  A enfermeira entra com o café da manhã de Jungkook, e fica sem reação ao olhar para nós dois ali naquele jeito, minhas bochechas começaram a queimar, certamente eu estava toda corada. "Porra, mais que merda!"-pensei. A enfermeira olhava para mim meio assustada até que me sentei rapidamente me ajeitando.

-Bom dia...-digo e ela me interrompe.

-Hyuna! Enfermeira Hyuna, vim trazer o desjejum do paciente Jeon Jungkook! Já está no horário, mas desculpa atrapalhar voces dois! Sei que o namoro é...

-Não namoramos!-digo rapidamente- eu irei lavar o rosto e já volto!

 A enfermeira Hyuna disse de forma infeliz, e ao eu  contradizer um sorriso é exposto em seu rosto, e Jungkook parecia não gostar da situação.

-Senhor Jeon, está mais radiante do que nunca, aqui o seu... ramen!

  Eca! Ramen? Sai do quarto e fui no banheiro lavar o rosto e escovar os dentes, aquele enfermeira me parecia meio suspeita, deve ser uma de minha neuroses! Dormir com o Jungkook foi a coisa mais aconchegante do mundo, ele era quente e macio, mesmo sendo um saco de ossos e musculos do tamanho de uma porta. O calor dele novamente percorria pelo meu corpo, como da ultima vez que fizemos trabalho, o calor dele ficou percorrendo pelo corpo, fazendo barreira para que o "frio" não entrasse  "Onde que o Peim se meteu?" ele não havia me ligado, e nem se quer foi no quarto entregar os biscoitos. Depois de tudo feito, fui até a recepção e acabei encontrando com Peim!

-Onde voce estava?-falei dando um beslicão em sua costela.

-Me perdoe... ai, para Nathany! Eu estava em casa!-falou esfregando o local.

-Em casa?!-falei comica- fazendo o que em casa, voce tinha de estar aqui comigo! O que pensa que estava fazendo?!-falei dando beslicão.

-Calma Nathany, só fui ver se a tia está em casa, e como a Ruthe está. Lyly e Nathan viajaram para outro estado resolver um caso, a interpol está junto, estamos livres de qualquer coisa, Ruthe eu falei que o celular dela estava com problema e fui concertar!-falou calmo- pelo visto não vamos ficar de castigo.

-As cameras são nossas inimigas agora!-digo com os braços cruzados.

-E o Jungkook?

-Está bem!-digo nervosa.

-Aconteceu alguma coisa?-diz desconfiado.

-Não! Eu heim, voce é muito estranho, é... cade os biscoitos!?

-Estão aqui!- diz me entregando a sacola- cheettos, fandangos, equilibrio e barrinhas de cereais pra dá uma quebrada!

-Sim! Obrigada.- digo distraida, olhando para as pessoas que entravam e saiam.

-Vá pra casa, descanse e pegue alguns pesinhos...seus beliscões estão ficando fracos!-diz divertido.

-Não é isso... Jungkook me contou uma coisa, alias, diversas coisas que se resume em uma situação que está prestes a acontecer!- P me olha e me puxa pra fora do hospital, e acabamos ficando na entrada dele- Jungkook me contou que "Hiroki" se identificou á ele como "Scarlus" dizendo que éramos namorados!-falei em sussurro.

-Ele quer voce!-falou Peim pensativo- ele sabe de nós, ele descobriu a existencia de Jungkook! Cabe agora nós tomarmos cuidado com quem conversamos, ele pode ter mandado um deles ficar perto de nós!-falou me encarando.

-Acho que os assassinatos iram aumentar agora!-falei pensativa.

-Porque acha isso?

-Talvez para nos chamar mais! Ou, eles sabem que nossos pais estão na america do norte, e pode ser uma forma de a... tia lyly e o tio Nathan se afastarem da gente com os...

-Casos!-exclamou surpreso- então não é alguem da escola, e sim do trabalho deles!-falou com os olhos arregalados surpreso- devemos avisar a eles?!

-Não! Assim não pegaremos quem matou o Bily e o sumisso do Jack!-Peim franziu a testa- preciso me aproximar da jisoo usando o Jimin esqueceu?!

-Voce vai cuidar do Jungkook branquelinha!-disse apontando pra mim- pode ter alguem do hospital o vigiando também!

-Estamos cercados!- falei balançando a cabeça em negação.

Hyuna Pov´s

  Trabalhar como enfermeira em um hospital é uma coisa admirável porém, não é um sonho! Nunca pensei em ser uma enfermeira, e sim uma matadora de aluguel, essa ideia surgiu após matarem meus pais. Fui morar em um ofarnato com 9 anos de idade, fiquei até os meus 14, fui adotada por uma familia de classe média, meu pai adotivo trabalhava neste mesmo hospital, como neurocirurgião, minha mãe adotiva tinha uma farmacia perto de casa, era um sucesso! Hoje em dia eles moram em um outro país, na França, eu queria fazer faculdade lá, mas preferi continuar vivendo aqui, e cuidar da filha da minha amiga, Jennie, que fiz na faculdade. Ela tem 4 anos, se chama Kono, ela sabe quem é a mãe dela biologica que faleceu em um acidente de carro junto com o noivo, caso com o pai da menina que trabalhava pra interpol, norte americano, só eu não imaginava que nas escrituras caso acontecesse algo, a menina ficaria comigo. Moro em um prédio um pouco afastado do centro, que era da minha amiga. Só tenho apenas 25 anos de idade, e ter vivido isso tudo não é facil, ser enfermeira, foi uma forma de deixar meus pais orgulhosos de mim.

-Quer alguma coisa senhor Jeon?-digo ajeitando seu travesseiro.

-Poderia chamar a minha amiga? Nathany!-diz timido.

-Oh, irei chama-lo pro senhor!

-Obrigada Hyuna!

  Outro plano é achar um pretendente, aqui quando se tem 27 anos é considerada "velha demais" pra continuar solteira, então acho-me nas condições certas em achar um "marido", apenas tenho 25, meu tempo está se esgotando.

-Irei chama-la!

"Nathany, Nathany!", como ele pode ser tão agarrado á essa menina? Esses coreanos não podem ver meninas com "sustancias" que já ficam loucos, isso é um absurdo! Esses estrangeiros estão acabando com a nossa raça pura do tradicionalismo coreano, eles vem com doenças, com a alimentação precária de outros paises, "mulheres gordas são antonimos da saude", como minha mãe biologica sempre dizia.

  Fui direto para o elevador ao fim de procurar aquela "Nathany", é isso que dar trabalhar em hospital de ricos, sempre pedem alguma coisa, até que vejo aquela menina correndo de moletom.

-Senhorita Nathany?-digo.

-Enfermeira Hyuna! Com está o Jungkook?-pergunta euforica.

-Ele está bem, está lhe chamando!

-Obrigada, bom trabalho!

"Dissimulada!", passo na recepção e passo meu crachá pra saida, meu turno já havia terminado. Vou pro banheiro e troco de roupa, coloco uma saia colorida colada, e uma camiseta branca de alça com renda branca, e uma jaqueta preta, e sigo ao rumo do ponto de onibus com o uniforme dentro da mochila. "Como deve estar a minha Kono?" em torno de 1 hora e meia dentro do onibus ele para na esquina de minha casa, e ando apenas por 10 minutos e era apenas 11:30, eu passaria dois dias de folga, "claro contando com o final de semana!". Pego o elevador do prédio e subo até o 5° andar e vou pro 212, meu numero, e encontro a porta aberta. Tenho uma vizinha que pega a Kono na escola e deixa ela na minha casa e fica com ela até eu chegar, ela tem 37 anos.

-Kono! Cheguei minha querida!

Digo fechando a porta.

-Kono? Cade voce? Olha eu vou te achar em?-digo apagando as luzes-Konooo! Jackson?

  Encontro Jackson sentado no sofá com a Kono no colo dele enquanto eles estavam assistindo filme de "investigaçao criminal". Jackson é o meu ex namorado, ele aonda tem a chave da minha casa, as vezes ele vem pro meu apartamento e acontece as "preliminares quentes", fora isso nada.

 Só não gosto quando isso tudo acontece perto de Kono, principalmente quando ele tras garrafas de cervejas, ou vem contar um de seus problemas. Ele as vezes era meio "sem noção" ficava vendo filmes ou séries impróprias na frente da minha criança. Vou pra frente da televisão, jogando a mochila na poltrona e desligando a televisão.

-Tiiaaaa!-diz Kono correndo pros meus braços e a pego no colo- titia, o Jack bem e buscou na escola, e de moto! Acredita?-fala euforica.

-Sim meu amor!-digo a apertando- Kono, voce pode ir pro seu quartinho por favor, a tia Hyuna vai falar com o titio Jack, ta bom?

-Tá!

      Coloco a Kono no chão e ele vai para o quarto pegando a reta do corredor.

-Fala ae gostosa!-diz Jackson se levantando com braços abertos.

-Não vem com essa não!-digo estressada- qual é o seu problema? Quantas vezes tenho que te dizer que eu não quero voce vendo essas "porcarias" na frente de Kono!-falo o empurrando até ele se senta no sofá.

-Hyuna ela só é uma criança, ela não tem ideia do que significa essas "merdas", se preocupa não!-diz apontando pra TV.

-Eu me preocupo com ela!-digo sentando em seu colo- não quero que ela seje igual a mim!

-Tenho um negocio pra te falar gostosa!-diz cheirando meu pescoço.

-Não! Chega! Não acredito que seje mais um de seus problemas!- digo me levantando.

-Hiroki me contratou pra fazer um trabalho!-falou de braços cruzados.

-Pra fazer o que?-digo.

-Pra pegar uma garota que ele tanto cobiça!

-Ata!-digo com indiferença- olha! Já esta na hora de voce sumir Jackson, deixa eu ficar um pouco com a Kono! Tchau vaza.

-Ei! Ei! É assim que são as coisas? Não vai me dar uma de suas tecnicas? Hum?- diz lambendo os labios.

-Sai daqui Jack!- digo o empurrando até a porta.

-Está bem, está bem! Tchau!

  Fecho a porta e a tranco colocando o cadeado, "Finalmente a sós, só eu e a Kono!"

Nathany Pov´s

  Fico no sofá assistindo televisão com o Jungkook enquanto ele comia seu almoço e eu meus fast-food. Eu havia pedido na recepção um edredom, bem quentinho, e eu estava ali parecendo um pacotinho bem embrulhado. Jungkook havia colocado na televisão aquelas animações bizarras, ele gostava de assistir animes, "animações japonesas", eu não achava a maior graça naquilo! Eu prefiro milhões de vezes criminal minds.

-Ah, caramba! Pena que acabou.-disse Jungkook desligando a televisão- gostou?

-Nem um pouco!-digo revirando os olhos- qual a graça de assistir isso Kook?

-Kook?-pergunta me olhando.

-O que foi agora?

-Me chamou de Kook? Que fofo!-disse fazendo caretas fofas.

-Cade a enfermeira Hyuna?-pergunto na tentativa de sair do assunto.

-A de peitos grandes? Acho que o turno dela acabou!-falou se lamentando.

-Peitos grandes?! Voce fica olhando pra elas?

-Todo mundo olha, não me diga que não reparou!-falou me encarando.

-Eu mal a vi direito.-me defendi.

-Não me diga que não olhou pros peitos dela Nathany!-falou.

-Não, eu não olhei!-falei brava- eu não saio por ai olhando pra todo mundo e isso é feio!

-Está com ciumes?-falou provocativo

-Ciumes, de voce? Nunca!-falei nervosa.

-Não se preocupe Nathany, eu olho pra todo mundo, em especial, voce!-falou sorrindo.

-Em especial a mim?!-digo nervosa.

-Ham... depois que eu sair dessa cama, e-eu vou querer te levar a um lugar!-falou olhando para as proprias mãos.

-Que lugar?-perguntei o olhando.

-Um fliperama!-disse animado.

-Isso é uma forma de agradecimento mais distinta que já vi em minha vida!-falo sorridente.

-Mas tem uma coisa!-falou- é um desafio, e amo desafios!

-Qual desafio?

-Vamos fazer uma competição no fliperama?!-perguntou esticando o braço.

-Claro!-digo apertando a sua mão- se eu ganhar... voce vai ter que me pagar um almoço na escola!

Jungkook me encarou com diversão, estava claro que aquela cabecinha de vento estava tramando alguma coisa. Jungkook umedece os lábios e solta um sorriso encantador me deixando estática, dizendo:

-Aceito, e seu eu ganhar... vai ter que me dar um beijo!


Notas Finais


Obrigado por lerem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...