História The Dark Mark - Drarry - Capítulo 38


Escrita por:

Visualizações 98
Palavras 6.505
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, LGBT, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Capítulo novo meus amores. Leiam também as notas finais. Durante esse capítulo algumas músicas vão tocar, escutem para dar mais emoção! Boa leitura.

Capítulo 38 - A Praia: P1 - Vamos Ter que Dividir


Draco***

 

Acordei naquela manhã me sentindo completamente renovado e recarregado, eu tinha conseguido dormir finalmente, mesmo que com a ajuda dos calmantes... Pretendia ficar o dia todo deitado, mas Pansy entrou em meu quarto dois minutos depois que eu tinha despertado.

 

- Bom dia - A garota disse se deitando na cama a meu lado - Conseguiu dormir, não é?

- Consegui - Respondi aliviado - Obrigado pelo calmante.

- De nada - Ela disse me abraçando com força - Vamos levantar.

- Levantar? - Perguntei olhando a hora em meu celular - São sete da manhã e hoje é sábado, quero ficar o dia todo na cama.

- Nós vamos para a praia hoje - Pansy disse me olhando fixamente - Esqueceu? 

- Putz, é mesmo - Disse me lembrando do recado de Hermione - Tinha me esquecido completamente.

- Agora que lembrou - A garota disse enquanto levantava - Vamos lá, o Blás e o Te já estão de pé. 

- Vamos - Respondi saltando - Acho que um pouco de água salgada vai me fazer bem.

 

A garota sorriu e nós saímos juntos do quarto, tomamos um café super rápido e meia hora depois já estávamos na casa de Hermione.

 

- Valeu por fazer a minha mala - Eu disse para Pansy - Eu nunca lembro.

- Eu sei - A garota disse - De nada. 

- Nós já vamos? - Theo perguntou com Luna a seu lado - Acho que não falta mais ninguém.

- Na verdade... - Hermione fez uma pausa quando sua campainha tocou - Acho que é ele.

 

A castanha caminhou até a porta e a abriu, lá estava parado Harry com uma camiseta regata amarela e bermuda cinza, ele estava tão lindo que por um momento pensei em levantar do sofá onde estava sentado e beija-lo no meio de todo mundo, revelar sobre a gente e ainda o perdoar ao mesmo tempo.

Harry me olhou por alguns segundos e em seguida entrou completamente dentro da casa.

 

- Bom dia - Ele disse.

- Bom dia - A maioria de nós disseram em uníssono, com exceção de Blásio e eu.

- Então agora podemos ir - Hermione disse animada e dando pulinhos - A praia nos aguarda.

- Aonde é que vamos ficar? - Luna perguntou - Vamos dormir lá, não é?

- Vamos - Hermione disse - Vamos dormir na casa de praia dos meus pais.

- Eu nem sabia que eles tinham uma casa de praia - Ron disse - Você nunca me disse.

- É que eu nunca tinha visto sentido em contar isso - A castanha respondeu tranquilamente - Mas então, vamos?

- Vamos - Todos dissemos em uníssono.

 

Assim como quando tínhamos ido para a casa de campo de Marcos, Hermione tinha alugado uma van, então nos esprememos dentro e pegamos a estrada.

 

- Ele está bonito, não é? - Pansy perguntou de maneira sugestiva.

- O que? - Perguntei saindo de meus pensamentos - Quem?

- Ele - Pansy apontou com a cabeça para Harry que estava sentado três poltronas a frente com Dino, os dois conversavam e riam bastante - Na verdade está lindo.

- Já que acha que ele está tão lindo - Eu disse com rispidez - Por que é que você não vai lá tentar ficar com ele.

- Estou fora - Pansy disse levantando as mãos em sinal de rendição - Já tenho minha ruiva, e mesmo que não tivesse... Não pego ex namorados de amigos, principalmente aqueles que meus amigos ainda amam.

 

A garota deixou isso no ar, levantou de meu lado e foi se juntar a Gina que estava sentada no chão da van, já que éramos em um número maior do que a quantidade de assentos. Fiquei pensando no que Pansy tinha dito "Principalmente aqueles que meus amigos ainda amam", de certa forma Pansy tinha razão, eu ainda amava Harry, eu nunca tinha pensado que não o amava, apesar de toda a raiva que eu estava sentindo antes, em momento algum eu achei que não o amava mais, e agora que a raiva tinha passado e apenas a tristeza tinha ficado era difícil não olhar para ele e não ter vontade de dizer tudo o que eu pensava... Por outro lado eu sabia que Harry ainda estava com raiva de mim, sabia que ele provavelmente deveria estar fazendo de tudo para deixar de gostar de mim, isso se ainda gostasse.

 

- Está muito quente - Blásio disse e eu virei minha cabeça para vê-lo sentado a meu lado conversando com Ron, fiquei observando os dois por algum tempo - Tô morrendo de sede.

- Eu trouxe água - Ron respondeu enquanto mexia em sua mochila e de lá tirava uma garrafa com o líquido que Blásio tanto queria - Toma.

- Obrigado - Blásio disse e abriu a garrafa ao qual tomou mais da metade - Estava morrendo de sede mesmo.

- Tem um pouco aqui - Ron disse com certo receio na voz e Blásio franziu o cenho - Na sua boca - Ron disse e levou seus dedos até a boca do moreno - Tinha água escorrendo.

 

Para mim estava claro que os dois estavam loucos um pelo outro, Blásio já tinha me contado tudo sobre Ron e ele, sobre o selinho que deram e que ambos disseram que gostavam um do outro, eu sinceramente adorava os ver juntos, eles ficavam uma gracinha, eu torcia muito para que eles ficassem cada vez mais próximos e que aquilo evoluísse para algo maior, eu só queria que Blásio fosse feliz 

 

- Você quer ouvir música? - Blásio perguntou - Vamos descobrir nossos gostos em comum.

- Quero - O ruivo respondeu pegando o fone da mão do moreno o colocando no ouvido, cada um estava com uma parte do objeto - Você gosta de Lana del Rey, não é?

- Gosto - Blásio respondeu - Tenho todos os álbuns baixados, você me mostra as suas favoritas e eu te mostro as minhas.

- Ok.

 

 

 

Ron***

 

Todos nós estávamos indo para a praia, Hermione tinha nos convidado repentinamente e todos aceitaram, Blásio e eu estávamos conversando por todo o percurso.

 

- Essa é a minha favorita da Lana - Blásio disse e colocou a música no fone.

 

A música* que começou a tocar em meus ouvidos era "American" e coincidentimente ou não também era minha música favorita da Lana.

 

- American - Eu disse calmamente - Essa também é minha favorita.

- Está brincando - Ele disse com um tom de voz calmo, era como se estivéssemos apenas nós dois ali, mesmo com todo o barulho de nossos amigos - Sério? 

- Muito sério - Eu disse sendo sincero - Eu gosto de todas as músicas dela, mas American é minha favorita.

- Está vendo como temos tantas coisas parecidas? - Blásio perguntou baixo.

- Estou doido para descobrir o que mais temos em comum - Respondi e quase sorri, mas decidi por não o fazer.

 

Blásio me olhou por alguns segundos, olho no olho, sua boca entreaberta com se fosse dizer algo, mas nada saiu dali, ele apenas encostou as costas no banco e respirou fundo, fiz o mesmo e fomos o resto do caminho em silêncio.

 

Depois de um bom tempo na estrada, eu comecei a sentir o calor do local, o que significa que já estávamos chegando.

 

- Chegamos - Neville disse depois de mais uns cinco minutos.

- Finalmente - Ana respondeu se espreguiçando - Já estava cansada de ficar aqui nesse carro.

 

A loira levantou, abriu a porta da van e saltou para fora e logo todo s nós estávamos fazendo o mesmo.

 

- Puta merda Hermione - Simas disse com um tom de surpresa - Que casarão.

- É - A garota respondeu um pouco constrangida e eu sabia que ela não gostava de se exibir - Vamos entrar logo.

 

Todos começaram a entrar enquanto eu fique ali parado observando a construção, era uma casa de dois andares com as janelas do topo em formato circular, sua cor era como uma pérola, a grama estava muito bem aparada, parecia até que alguém morava ali. Entrei pelo portão e vi que ali também havia uma grande piscina, não pude deixar de me admirar.

 

Entrei pela porta branca e vi sai em uma sala que terá facilmente o tamanho de minha casa inteira, ao lado havia uma grande porta de vidro que dava acesso a parte de trás da casa, nossos amigos estavam explorando o local.

 

- Ron - A voz de Harry soou atrás de minha cabeça - Será que eu posso falar com você? 

- Pode - Respondi virando-me de frente para ele.

- Vamos lá fora - Harry disse e saiu andando, o segui rapidamente.

- Agora que já estamos aqui pode falar...

- Eu queria te pedir desculpas - Harry bufou - Acho que agi igual um idiota na faculdade ontem.

- Ah, é isso? - Perguntei com o ar tranquilo e ele confirmou com a cabeça - Relaxa, está tudo bem.

- Tem certeza?

- Claro - Dei de ombros - Eu sei que às vezes você explode, mas...

- Mas...

- Mas eu acho que não é pra mim que você tem que pedir desculpas - Joguei tudo de uma vez - Você tem que pedir desculpas é pro Draco... E pro Blásio.

 

Harry bufou e revirou os olhos, cruzou os braços e virou de costas para mim, era como se estivesse evitando dizer algo.

 

- Estou falando sério, Harry - Fui para sua frente para olhar em sua cara - Você deu a maior mancada batendo no Blásio, e nem preciso falar sobre o Draco.

- Você parece que não entende - Harry disse calmamente, não havia o menor sinal de raiva em sua voz, era apenas tristeza e cansaço - Você não sabe como em senti quando descobri isso sobre o Draco, porra, eu amo ele.

- Você não descobriu nada - Eu disse calmamente - Tenho certeza que eles dois não tem nada, e como você disse que ama o Dra, para com essas paranoias e corre atrás dele. 

- Você acha? - Harry perguntou como se estivesse pedindo um conselho.

- Eu acho que...

- Ei - Hermione veio trazendo dois copos de suco para nós e nos entregou - Sobre o que estão falando?

- Sobre o Malfoy - Harry respondeu.

- Sobre isso... - A garota disse ficando no nosso meio - Eu acho que você tem que ir falar com ele, e acertar as coisas.

- Eu até faria isso - Harry disse como se estivesse tirando um peso de suas costas - Mas eu não sei se ele vai querer falar comigo, e também não sei o que pensar.

- Eu acho que o Draco é cabeça dura igual você - Hermione respondeu - Mas acho que se você conversar com jeitinho ele pode ceder, mas presta atenção no jeito que você fala, e pega ele sozinho.

- Vai ser meio difícil - Harry disse com uma ponta de rispidez na voz - Já que ele vive para cima e para baixo com o Blásio.

- Eles são amigos Harry - Hermione disse - Assim como Ron, você e eu...

- É - Eu completei - E outra, se fosse para você ter ciúmes era para ter ciúmes também do Theo e da Pansy, já que eles vivem juntos... Literalmente.

- Mas a Pansy namora a Gina, sem contar que o Draco é gay - O garoto levava seus olhos para Hermione e eu - E o Theo namora a Luna, e ainda é hétero.

- E é exatamente por isso que você desconfia - Eu disse - Por que o Blásio é bissexual e está solteiro, esse é seu bode expiatório. 

- E na hora de brigar com o Draco no bar você não lembrou que ele era gay, e foi discutindo por causa de uma garota - Hermione disse como se estivesse o acusando - Como você mesmo disse. 

- Acho que vocês tem razão - O moreno bufou - Acho que eu fiz merda.

- Enquanto você acha - Hermione disse calmamente - Eu tenho certeza.

- Mas agora o Draco não vai mais querer nem olhar na minha cara - Parecia que finalmente a ficha de Harry tinha caído - E com razão.

- Fica calmo que as coisas vão se acertar - Respondi levando minha mão até seu ombro - Eu sei que você deve estar super apressado e desesperado, mas deixa tudo se encaixar.

- E começa pedindo desculpas para o Blásio - Hermione disse - Assim o Draco vai ficar sabendo e já vai dar uma amolecida.

- Você acha? - Harry perguntou tenso.

- Tenho certeza - A castanha respondeu sorrindo.

 

Harry retribuiu o sorriso e em seguida ficamos nós três ali jogando conversa fora por bastante tempo, até que chegou a hora do almoço e todos nós nos reunimos na mesa de jantar da casa, estávamos espremidos, mas cabia todo mundo.

 

- Essa comida está fantástica, Ana - Pansy disse - Acho que você realmente deveria investir na carreira de gastronomia.

- Obrigada, Pan - Ana respondeu sorrindo e ficando levemente corada - Eu sinceramente não sei o que fazer, porque eu gosto das duas áreas: gastronomia e investigação criminal.

- Continua nas duas - Draco disse e vi quando os olhos de Harry praticamente se grudaram nele - Você continua no seu trabalho e continua fazendo a faculdade, mas quando terminar já vai ter as duas áreas para poder escolher, a vida é assim, sempre temos que ter muitas opções.

- Eu concordo com o Draco - Neville disse - E também não importa o que você faça, você é boa em tudo.

 

A garota ficou tão corada que parecia que iria passar mal, mas em seguida sorriu e o moreno a retribuiu. Após o almoço todos foram arrumar suas coisas, menos eu que preferi ir para fora e observar o mar.

 

- É tão lindo aqui, não é? - Blásio disse surgindo atrás de mim - Posso me sentar?

- Por favor - Sinalizei para o balanço a meu lado.

 

O balanço que estávamos era como aqueles onde várias pessoas podem sentar de uma vez, era marrom e um pouco apertado, o que fez com que o ombro do rapaz roçasse levemente no meu.

 

- Mas respondendo sua pergunta - Blásio continuou olhando para frente enquanto eu falava - É muito lindo sim.

- Você quer dar uma volta? - Blásio perguntou - Quero te mostrar uma coisa.

- Claro - Respondi levantando e ele fez o mesmo.

 

Saimos do jardim da casa e fomos até a areia onde tirei meus sapatos e os joguei no canto, Blásio fez o mesmo, começamos a andar descalços pela areia morna. A sensação de ter aquela areia entrando em todos os espacinhos de meus dedos era simplesmente maravilhosa, Blásio e eu caminhamos por uns dez minutos até que a casa já estava um pouco afastada, ali havia algumas pedras grandes, constantemente as ondas vinham e quebravam em suas bases. 

 

- O que é que quer me mostrar? - Decidi quebrar o longo silêncio.

- Na verdade é algo que eu queria te de dar - Blásio disse e logo minha mente captou a mensagem - Algo que nos atrapalharam de fazer.

- E seria um beijo? - Eu não sabia de onde tinha vindo toda aquela coragem, mas a verdade era que eu estava adorando e ia a aproveitar o máximo que pudesse - É isso?

- Acertou. 

 

Blásio fechou os olhos e começou a aproximar seu rosto do meu, os meus olhos permaneceram bem abertos e quando os lábios dele tocaram os meus foi como se uma corrente elétrica passasse por todo meu corpo, pensei que seria apenas mais um selinho e é claro que se tivesse sido eu não reclamaria de maneira nenhuma, mas o moreno abriu levemente a boca o que me fez fazer o mesmo, o beijo que antes começara leve foi se aprofundando e Blásio pediu passagem para sua a língua, permiti e nossas línguas roçaram uma na outra tão lentamente que eu podia contar mentalmente a quantidade de curvas e pequenas veias que havia ali. Levei minha mão até a cintura do moreno e o puxei mais para perto, ele passou suas mãos ao redor de meu pescoço e acariciou minha cabeça.

 

Quebramos o beijo para que pudéssemos respirar e nos olhamos por alguns segundos, então Blásio encostou sua cabeça em meu ombro e meu abraçou, meu Merlin do céu meu coração disparou forte naquele momento ficamos assim por um bom tempo até que deitamos na areia e passamos o resto da tarde apenas quietos, vendo os pássaros migrando e sentindo a brisa morna em nossa pele.

 

 

 

Pansy***

 

A casa de Hermione era fantástica e muito grande, mas o que eu tinha gostado mesmo era do lado de fora da residência, principalmente de poder sentar na varanda ver e ouvir o barulho do mar. Eu estava sentada nos degraus de madeira que davam acesso a varanda quando ouvi passos atrás de mim e era Gina que vinha com um biquíni azul escuro e uma canga de praia na cor amarela, sua pele parecia brilhar no sol.

 

- O que está fazendo aqui sentada aqui? - A garota perguntou me olhando de cima - Vamos nos divertir um pouco.

- O que quer dizer com isso? - Perguntei ficando de pé lhe dando uma beijo nos lábios - Posso saber?

- Quero dizer que podemos tomar um belo banho de mar - A garota sinalizou para todos nossos amiguinhos s que estavam espalhados pela areia, alguns no mar... - O que acha? 

- Eu acho que você está incrivelmente sexy - Eu disse não me contendo de vê-la vestida daquele jeito - Olha só esse biquíni.

- Você gostou? - A ruiva perguntou divertida e eu confirmei com a cabeça - Mas você gostou mais do biquíni ou de quem está o trajando? 

- Com certeza dessa ruiva maravilhosa que está trajando ele - Eu disse sorrindo, mas ela não me retribuiu, apenas chocou sua boca com a minha e me beijou com voracidade, mas mãos da ruiva se enrolaram em volta de meu pescoço, Gina mordeu levemente meu lábio, o que devo confessar, me deixou completamente maluca.

 

- O que acha de irmos lá pra cima? - Perguntei em seu ouvido e ela apenas confirmou com a cabeça.

 

A garota me largou e começou a subir as escadas da casa e entrou no quarto onde as garotas iriam dormir, entrei logo atrás e tranquei a porta logo em seguida. Gina mal esperou que eu olhasse para ela e já foi tirando a canga.

 

- Tão rápido assim? - Perguntei enquanto me aproximava dela e passava minhas mãos lentamente em volta de sua cintura - Calma ai.

 

Gina não respondeu nada, apenas trouxe sua boca delicadamente até a minha e começou a me beijar lentamente, nossas bocas se encaixavam perfeitamente uma na outra era como elas tivessem sido desenhadas perfeitamente uma pra outra. Levei minha mão até às costas da garota e comecei a desamarrar seu biquíni lentamente, a peça já estava solta quando a própria o tirou e revelou seus belos seios, os olhei por alguns segundos e tornei a beija-la, levei minhas mãos até a bunda da ruiva e a apertei com um pouco de força, ela arfou e começou a desabotoar meu short jeans, deixei que ele caísse a meus pés e rapidamente tirei o cropped preto que eu usava, a garota me observou por um bom tempo e em seguida deitou-se na cama, caminhei até ela em silêncio e comecei a tirar a parte de baixo do biquíni.

 

Por Merlin, Gina era completamente perfeita, eu amava cada parte de seu corpo, desde seus cabelos lisos e ruivos, passando por seus seios rosados, sua barriga com sardas, sua intimidade delicada até chegar as pontas de seus dedos dos pés, eu achava aquela garota uma completa deusa.

 

- O que está observando? - A ruiva perguntou enquanto continuava deitada da mesma maneira.

- Como você é perfeita - Respondi com a voz calma - Você é muito linda.

 

A garota não respondeu nem fez nada, apenas continuou me observando enquanto eu tirava lentamente meu sutiã e o deixava cair no chão, deitei na cama a seu lado.

 

- Quero que você tire minha calcinha - Sussurrei em seu ouvido e vi quando ela se arrepiou por inteira - Por favor. 

 

A ruiva ajoelhou-se na cama e ficou sobre mim, colocou um dedo de cada lado da peça e começou a desce-la. Gina deitou-se de bruços na cama e abriu levemente minhas pernas, colocou sua cabeça ali e começou a dar leves beijos no interior de minhas coxas, cada beijo que ela dava era como se eu tivesse tomado uma dose de prazer, e era incrível porque eu nunca tinha sentido aquilo com ninguém, nunca tinha me sentido completamente vulnerável e ao mesmo tempo tão segura de mim mesma, nunca um simples beijo em alguma parte de meu corpo tinha me causado aquela sensação tão nova e fantástica.

 

- Continua - Eu disse com puro êxtase em minha voz - Continua me beijando aí.

 

Gina não disse nada, apenas continuou beijando o interior de minha coxa, e com a ponta dos dedos começou a estimular minha intimidade, gemi um pouco alto demais e senti que já estava completamente molhada.

 

- Você gosta desse jeito, Pan? - A garota perguntou com delicadeza e eu apenas confirmei com a cabeça, mas ela não se deu por satisfeita - Gosta? 

- Gosto - Respondi sentindo um pequeno espasmo de prazer, minha intimidade já doía querendo que ela tocasse em meu clitóris, e foi como se ela estivesse ouvido meus pensamentos.

 

Gina levou sua mão até meu clitóris e começou a massagear a região lentamente, tão lentamente que era como se uma bolinha de algodão estivesse sendo passada ali em cima, gemi mais alto do que devia e joguei minha cabeça para trás. Gina parou de me tocar e começou a usar sua maravilhosa língua que fez um dos serviços mais sensacionais que eu já tinha sentido naquela região, era como se a garota estivesse chupando um pêssego doce e suculento, constantemente os olhos dela se encontravam com os meus o que aumentava ainda mais minha excitação. 

 

Fiz Gina parar de me chupar e fiquei alguns segundos respirando fundo.

 

- Está tudo bem? - Ela perguntou preocupada - Pan?

- Está tudo ótimo - Respondi e sentei-me lentamente, estava com o corpo mole - Deita aqui.

 

A garota me obedeceu e logo se deitou ali.

 

- Abre as pernas - Eu nem tinha terminado a frase e ela já tinha feito o que eu pedi - Agora só fica quietinha e aproveita.

- O que é que você vai fazer? - A ruiva pergunto com delicadeza na voz.

- Shiii - Levei meus dedos até seus lábios e ela os beijou lentamente - Fica em silêncio - Deitei de bruços e me posicionei no meio de suas pernas, olhei para ela e vi que ela observava tudo com certa curiosidade no olhar - Agora eu vou te mostrar o meu trabalho.

- E qual é o seu trabalho? - Gina perguntou respirando fundo.

- Te fazer gozar - Respondi e beijei lentamente sua barriga e em seguida comecei a lamber a região, descendo lentamente até sua intimidade.

 

Gina gemeu com o toque de minha língua; a ruiva tinha um gosto incrível, eu adorava te-la em minha boca continuei a chupando por um tempo até que parei e sem sentei por cima dela, nossas intimidades encostando uma na outra, comecei a movimentar minha cintura lentamente e a fricção que era formada ali me fazia sentir tanto prazer que era difícil não gemer alto, com certeza se alguém estivesse na casa naquele momento escutaria nossos gemidos.

 

- Continua assim - Ela disse enquanto eu rebolava fazendo movimentos circulares - Por favor.

- Está gostando amor? - Perguntei e ela confirmou com a cabeça - Quero que que diga.

- Estou - Ela respondeu - Está maravilhoso.

 

Levei minhas mão lentamente entre nós duas e dei um jeito com que meu dedo a penetrasse lentamente, mas sem parar com a fricção. Era maravilhoso sentir meu dedo em seu interior e foi ainda mais maravilhoso quando ela puxou minha mão livre até sua boca e mordeu as pontas de meus dedos em busca de abafar o gemido do orgasmo que já estava chegando. Gina se derramaou em minha mão, a garota estava completamente suada e respirava fundo, ver seu estado de êxtase aumentou ainda mais meu tesão e em poucos segundos depois eu me derramei sobre ela.

 

- Você foi simplesmente fantástica amor - Pansy disse com sua voz ofegante - Puta que pariu, foi maravilhoso.

 

Tirei meu dedo de sua intimidade e cai a seu lado, Gina me abracou com força e ficamos alguns minutos ali em silêncio, até que levantamos e cada uma tomou um banho rápido e em seguida descemos para a praia que era onde nossos amigos estavam.

 

 

Neville***

 

O dia tinha sido tão divertido que eu não sabia descrever com palavras, Hermione tinha tido a melhor de todas, nós realmente estávamos precisando daquilo, mas apesar disso constantemente minha mente viajava para o dia anterior mais específicamente para Ana e eu naquele motel.

 

Era óbvio que não tinha acontecido nada entre a gente, mas eu tinha me sentido tão bem como nunca tinha me sentido na vida, era estranho que aquela garota de cabelos loiros fosse ultimamente o meu maior motivo para sorrir, mas ela era. Ana tinha me surpreendido em várias coisas, ela era simplesmente a mulher mais fantástica e incrível que eu já tinha conhecido.

 

- Nev? - A voz de Harry soou em minha cabeça e me tirou de meus devaneios - Posso sentar aqui com você?

- Claro - Respondi observando Ana vestida em um maiô amarelo e brincando com as outras meninas dentro do mar - Você está bem?

- Estou - Harry respondeu sério - Será que eu posso conversar com você?

- Pode sim - Respondi estranhando o tom triste dele - O que quiser.

- Eu estou com um problema e preciso de outra opinião que não seja a de Ron e Hermione - O rapaz disse sentando na areia a meu lado.

- Qual é o problema? 

- É que eu estava namorando com uma pessoa - Harry disse meio sem jeito - E aí eu descobri que essa pessoa já ficou com o melhor amigo dela, e eu encontrei mensagens comprometedoras entre elas.

- E...

- E eu pirei e terminei - Harry disse rapidamente - Mesmo as mensagens não mostrando nada, eu acusei essa pessoa de ter me traído.

- E você se arrepende? - Perguntei sério.

- Com certeza - Harry respondeu - Mas você acha que essa pessoa não fez nada mesmo?

- Bom, eu acho que essa pessoa te disse que não fez, você devia confiar nela - Respondi sendo totalmente sincero - Um relacionamento é feito a base de confiança.

- Mas eu percebi tarde demais que ele não tinha feito nada - Harry parecia dizer mais para ele mesmo do que para mim.

- Ele? 

- Ããã - Ele pareceu querer disfarçar.

- Está tudo bem - Eu disse segurando seu ombro - Se você estivesse com um cara, você sabe que pode me contar.

- É eu sei que você é incrível - Harry disse e eu não pude evitar sorrir - Era com um cara sim.

- E quem era? - Perguntei curioso - Era o Draco não era?

- Sim - Harry disse - Mas, por favor, não conta para ninguém, eu só te disse porque confio demais em você e sei que você não espalharia isso de jeito nenhum.

- Relaxa - Levantei as mãos em sinal de rendição - Não vou contar para ninguém não, pode confiar.

- Obrigado - Harry disse dando um sorriso sem dentes - De verdade, é muito importante para mim saber que tenho você para conversar.

- De nada, pode contar comigo sempre - Respondi com um tom compreensivo - Se você acha que tomou a atitude errada e quer concertar tudo, não perca a chance, ele está bem ali.

 

Harry olhou para onde Draco estava parado e conversando com Dino e Simas, e em seguida me olhou.

 

- Obrigado pela conversa Neville - O rapaz disse se levantando.

- Sempre que quiser - Respondi enquanto ele me dava as costas e começava a caminhar.

 

A noite chegou rapidamente e nós estávamos completamente arrumados para ir a uma festa que teria na praia um pouco mais distante da onde a casa de  Hermione ficava, alguns de nós já tinham ido, só faltava Ana, Ron e eu.

 

- Você ainda vai demorar muito para terminar? - Ron perguntou sentado na poltrona da sala - Ana? 

- Já estou descendo - Ana gritou do quarto onde estava - Só mais cinco minutos.

- Você já está dizendo isso a mais de duas horas - Ron gritou de volta e bufou - Merlin me livre - Dei uma risadinha contida. 

- Mulheres são assim mesmo - Dei de ombros - Não importa ela quem seja.

- Eu sei - Ron disse com visível tédio - Quando eu ia sair com a Hermione era a mesma coisa, por isso eu sempre chegava atrasado para busca-la e na maioria das vezes ela ainda não estava pronta.

- Imaginei - Eu ri grandemente e ele me acompanhou. 

- Estou pronta - Ana disse enquanto vinha descendo as escadas - O que acharam? 

 

A loira estava magnífica, ela usava um vestido de caimento solto e com estampas de tucanos e palmeiras, o cabelo estava amarrado em dois coques no topo da cabeça, e ela usava uma maquiagem bem leve.

 

- Está magnífica - Eu disse não conseguindo segurar minha língua dentro da boca. 

- Duas horas para vestir um vestido e amarrar um cabelo? - Ron perguntou com um tom sério e até Ana riu.

- Cala a boca, Ron - A loira respondeu - Vamos lá.

 

Ana pegou uma pequena bolsa de mão e nós saímos, ao chegar lá a algazarra estava gigante, era praticamente uma rave no meio da areia, pessoas dançavam e pulavam por todos os lados, vários quiosques de bebida e comida estavam montados por ali, passei minha visão em busca de alguém que eu conhecia e vi Dino e Simas que estavam as beijos, segurei na mão de Ana que consequentemente segurou na mão de Ron e fomos caminhando multidão a dentro.

 

- Dino, Simas - Eu chamei e eles nos olharam ao mesmo tempo.

- Ei - Dino disse animado - Pensei que vocês não fossem vir nunca.

- Era a Ana que estava demorando pra se arrumar - Ron disse ainda parecendo indignado e todos nós rimos.

- Vou pegar uma bebida - Ana disse em meu ouvido por causa da música* alta que tocava ali, era Walking On Air da Katy Perry - Vem comigo Nev? 

- Claro.

 

Saímos passando pelo meio das pessoas até que chegamos a um dos quiosques onde algumas pessoas bebiam animadas.

 

- O que vai querer? - Perguntei para a garota - Cerveja amanteigada?

- Não - Ela disse - Quero Uísque de Fogo.

- Tá bom - Respondi - Também vou querer um.

- Eu quero duas doses - Ela fez um dois com os dedos - Por favor.

- Três doses de uísque de fogo, por favor - Disse a uma moça que trabalhava ali e ela foi preparar a bebida.

- Mas então... - Eu ia dizendo, mas me calei quando ouvi a música que coincidentemente tinha começado a tocar, era Why Stop Now do Chase Atlantic, a música que nos tínhamos escutado no motel, a música que fazia total sentido com a gente - Não acredito que essa música está tocando aqui. 

- Nem eu - Ela disse pegando a bebida que a moça tinha acabado de trazer e a tomando em apenas um gole, a garota fez uma expressão daqueles que fazemos quando tomamos algo forte - Vamos dançar.

- Mas e as bebidas? - Ana não respondeu nada, apenas pegou a outra dose de uísque de fogo e virou de uma vez, depois daquilo tive que beber a minha em uma dose só, a bebida desceu rasgando a garganta - Vem.

 

Ana puxou minha mão e me guiou até o meio das pessoas que agora dançavam mãos sensualmente. Ana se afastou uns três passos de mim e começou a sensualizar, ela desceu e subiu várias vezes, se aproximou de mim e segurou meus ombros para ter um apoio maior, virou de costas e colocou minhas mãos ao redor de sua cintura, consegui sentir seu cheiro maravilhoso e não pude evitar fungar em seu cangote, a loira virou de frente e sorriu.

 

- Você tem "aquilo" aí? - Ela perguntou e eu soube exatamente ao que ela se referia, confirmei com a cabeça - Pega aí.

- Só tenho um - Respondi em seu ouvido, mas não por causa do barulho e sim porque estávamos falando em um tom mais baixo e sensual - Vamos ter que dividir.

 

Peguei a latinha que continha o LSD em meu bolso e imediatamente ela colocou a língua para fora, por Merlin, eu morria toda vez que ela fazia isso, coloquei a droga em sua língua e achei que ela fosse fechar a boca, mas ela se aproximou lentamente de mim e começou a me beijar, meu coração disparou no peito como um tambor, o LSD começou a derreter e nós compartilhamos daquilo dessa maneira, a loira colocou seus braços ao redor de meu pescoço e eu passei meus braços ao redor de sua cintura e a puxei para mais perto.

 

- Você só me beijou para dividir? - Perguntei sabendo que aquilo soava estúpido, mas eu precisava saber.

- Não - Ela respondeu e voltou a me beijar novamente.

 

Sua língua pediu passagem para a minha e eu permiti, nossas línguas roçavam delicadamente e eu podia sentir o gosto da bebida e da droga que minutos antes tinham sido consumidas pela garota. Eu não conseguia acreditar que eu finalmente tinha conseguido beijar Ana Abbott, nunca tinha pensado que poderia ser ainda melhor que minhas imaginações; Ana eu eu continuamos dançando a música que agora estava quase no fim, e quando essa terminou continuamos dançando juntos pela noite inteira. Se antes eu já sabia que estava apaixonado por Ana, agora eu sabia de mais uma coisa: que eu a amava pra caralho.

 

 

Draco***

 

Estávamos em uma festa, todos nossos amigos estavam dançando juntos, até Ana e Neville se juntaram a nós depois de um tempo, mas eu já estava começando a ficar cansado, então sai do meio da multidão e fui tomar um drink.

 

- Boa noite - O rapaz que trabalhava ali disse, era um rapaz gordo e de cabelos pretos - No que posso ajudar?

- Eu vou querer... - Eu ia dizendo, mas então o reconheci - Ai meu Merlin, você é o Crabbe, não é? 

- Sou - Ele disse sorrindo - E você é...

- Malfoy - Eu disse animado - Draco Malfoy, nós éramos amigos nos primeiros anos de colégio.

- Eu me lembro! - Ele disse animado e sorrindo - Quanto tempo, chega aqui, me dá um abraço.

 

Entrei no quiosque e lhe dei um abraço apertado, na verdade ele quase quebrou meus ossos, e então voltei para o lado de fora.

 

- Você está morando por aqui? - Perguntei curioso.

- Sim - Ele respondeu - É por isso que eu tive que sair do colégio, lembra?

- É verdade - Respondi - Você vai ficar trabalhando até que horas? A gente podia sair pra conversar um pouco.

- Olha como você tem sorte - Ele disse consultando o relógio no pulso - Meu turno acabou de acabar. 

- Ótimo - Respondi enquanto enquanto ele tirava o avental e a toca e saia para o lado de fora - Vamos dar umas voltas por aqui.

- E o que você está fazendo por aqui? - Crabbe perguntou me olhando enquanto começamos a caminhar - Está a passeio ou se mudou para cá? 

- Ah, a passeio - Respondi - Mas vou ficar até segunda de manhã.

- A gente podia sair para algum lugar - O rapaz disse - O que você acha?

- Eu adora... - Mas antes que eu pudesse completar o que tinha a dizer vi Harry vindo em minha direção com ira nos olhos. 

- O que está fazendo? - Ele disse com um tomo se estivesse indignado - Hein, Malfoy?

- Harry - Disse sem ânimo - Esse aqui é o Crabbe - O rapaz estendeu sua mão para Harry, mas ele não a apertou.

- Esse é o seu namoradinho da praia? - Harry perguntou com raiva.

- Que? - Eu perguntei ficando vermelho pela cena que ele estava armando - Não, esse é o Crabbe, ele foi meu amigo de escola.

- É cara - Crabbe disse - Relaxa aí, somos só amigos, eu nem sabia que...

- Cala a boca - Harry disse e o garoto se calou - A conversa está entre o Malfoy e eu.

- Harry, pelo amor de Merlin - Eu disse praticamente implorando - Esse é um amigo antigo, não vamos brigar aqui, chega de briga, por favor.

- Mas...

- Sem mas - Respondi - Eu não estou com ninguém, e mesmo se estivesse não era da sua conta, foi você que terminou comigo, lembra?

- Eu sei - Harry respondeu - E eu queria que você soubesse que eu estou totalmente arre...

- Draco, eu acho melhor eu ir embora - Crabbe disse atrapalhando Harry.

- Não - Respondi - Não vai não cara.

- É melhor eu ir, sério - O garoto respondeu e saiu andando - A gente se vê depois se você quiser, eu trabalho aqui todo dia...

- Você acabou de estragar a minha amizade com um amigo de infância - Eu disse com rispidez - Está feliz?

- Draco, eu vim te dizer que estou arrependido - Harry disse com a voz calma - Eu fiz a maior burrada da minha vida não acreditando em você e ainda terminando.

- Olha, Harry, desculpa - Eu disse sendo tomado pela raiva - Mas eu não estou afim de falar com você agora, que dirá voltar.

 

E assim sai deixando ele para trás antes que ele pudesse responder alguma coisa. Minha cabeça estava a mil, afinal, eu ainda amava Harry e tinha esperado por aquele momento que ele fosse se arrepender e pedir para voltar, mas naquela situação e naquele momento eu não estava pronto para o perdoar.


Notas Finais


Música 1: American - Lana del Rey
Música 2: Walking On Air - Katy Perry
Música 3: Why Stop Now? - Chase Atlantic

Primeiramente peço desculpas pelos erros ortográficos, sou um ser-humano e posso revisar quantas vezes for, sempre vai ter erros, ainda mais agora que estou sem tempo nenhum pois estou estudando muito, mas escrevo os capítulos com o maior carinho.
O que acharam do capítulo meus amores? Quero a opinião de vocês... Blásio e Ron escutando música juntinhos e se beijando de língua? Gina e Pansy transando de novo? Neville e Ana finalmente se beijando, acham que eles vão evoluir como casal? (Eu shippo muito 😍 E por último temos Draco e Harry naquele conflito maluco de sempre, eles se querem e ficam assim... Acham que Draco está certo de ainda não perdoar Harry, e quanto tempo isso ainda vai durar? E o que acham que essa chegada do Crabbe vai desencadear na fic? Um beijão meus amores, até o próximo capítulo 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...