1. Spirit Fanfics >
  2. The Dark Side Of Red >
  3. Prólogo

História The Dark Side Of Red - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oii! Sei que acabei pegando alguns de surpresas, mas aqui estou eu com uma nova estória. Sei que não atualizei a minha outra fanfic yaoi, mas assim que puder eu irei atualizar.


Estou com essa fanfic nova para dá um entretenimento de agrado a todos, então resolvi fazer essa para vocês. Se preferirem podem trocar o nome da Choi Mary por Choi S/N ou qual quer outro, que seje de sua imaginação.

A minha intensão é de mexer com a imaginação dos leitores com essa estória, para se aventurarem juntos. Espero que gostem, e me perdoem os erros.

Tenham uma boa leitura!!
💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction The Dark Side Of Red - Capítulo 1 - Prólogo

                           Coréia do Sul -Seoul

                          Apartamento; 5:45AM

                                               Choi Pov's



 

Acordo suada e extremamente ofegante, sinais de um pesadelo horrível, o que já havia anos que o mesmo sempre aparecia para me fazer ter uma péssima noite de sono. Isso já estava sendo um fardo, talvez o passado realmente possa ser o nosso inimigo, mesmo que com insistência ele volte a você. Uns dizem que os sonhos tem significado, bem... por assim dizer, o meu tem, e isso é totalmente um pesadelo, desde aquele dia eu nunca mais fui a mesma, desde aquele pesadelo não fictício e tão real eu não me tornei a mesma. Talvez a  verdade possa ser dolorosa, mas  com o tempo aprendemos a lição, por isso temos o passado sendo bom ou não.

Sou Choi Mary, ex moradora da cidade americana Chamberlain, nos EUA meu país e lugar Natal.
Eu sempre fui uma menina muito tímida, criada e sendo oprimida por minha mãe Margaret, uma fanática religiosa.
Minha vida nunca foi fácil, sempre fui aquela garota humilhada por todos a sua volta, o alvo de  Bullying. Eu nunca tive reconhecimento do que era verdadeiro ou falso no mundo real, fui criada por uma mulher extremamente "louca", mas que eu amava muito. Eu não tive pai, do qual eu herdei o primeiro nome de Choi. Nunca soube muito sobre o mesmo, minha mãe sempre foi voltada por sua religião na qual era muito fanática, e isso não me deixava saber nada sobre o mesmo.
Muitas coisas estão em branco em minha vida, das que quero esquecer e das que eu quero saber a verdade.

Já havia se passado exatos 4 anos, desde aquele dia de baile escolar, desde aquele Maldito dia! O dia em que fui humilhada e ingênua, talvez se eu tivesse escutado a minha mãe na aquela época, nada disso teria acontecido. Foram tantas mortes, tanto sofrimento. Por muitos - no caso eu-  foi um alívio a morte de algumas pessoas. Dizem que aprendemos com o nosso passado, e lhes informo que aprendi e muito desde então. Resolvi começar uma nova vida; mas... o problema é que meu passado me condena, e ele sempre aparece nos meus sonhos.

Mudei de país em início de começar uma nova vida, sem a "fama" de bruxa ou  assassina, muitos acreditam que aquele dia do baile foi uma explosão, até porquê de testemunhas eram poucas, muitas morreram e as que sobraram simplismente foram chamadas de loucas com problemas psicológicos, causados pelo o trauma da noite. A Noite que vive me perseguindo, se eu podesse voltar no passado eu até voltaria, mas por assim dizer eu vivo bem por aqui, aprendi sobre a cultura e a língua falada da aqui, conhecida como coreano. Hoje curso e faço faculdade de fotografia, e eu aprendi que fotografar as coisas me fazem sentir bem,  gosto de fazer o que me faz bem.
A  foto é um modo de retratar um dia feliz, ou algo que poucas pessoas se importam; gosto de mostrar a beleza em volta do mundo em coisas simples que poucos notam, assim como coisas grandes e admiradoras. É um modo bom de admirar e lembrar de um momento bom da vida, até porquê sei o quão ruim é ter um passado assombrado.

Com o tempo estou me acostumando com os meus poderes sobrenaturais, mas... eu não tenho muitos reconhecimentos sobre ele, e o porquê de eu ter eles, e isso é um dos motivos de minhas curiosidades na qual quero tanto saber, porém tenho medo do "desconhecido".

...

Após novamente aquele pesadelo perturbador, me sento na cama logo olhando o despertador, ainda estava cedo, faltava alguns minutos antes do meu horário normal do dia a dia. Como eu não iria conseguir dormir após o pesadelo, resolvi tomar um banho quente.

Me despia com um pouco mais de rapidez, queria tirar logo aquelas roupas onde já se  encontravam suadas. Liguei o registro do chuveiro, optei por tomar um banho mais rápido porém relaxante. Ao sentir o contanto da água em minha pele, logo um arrepio me subia, era o atrito do vento a fora gelado com a água quente do chuveiro  em minha pele, o que me resultou em "nostalgias" o que me fez pensar no pesadelo, ele sempre vinha com algo diferente nele o que me fazia pensar se era um sinal, ou apenas algo "normal" de pesadelos do passado, muita das  vezes o nosso cérebro esquece de  processar algumas lembranças, e as que ele processa ele passa de comando ao nossos sonhos, talvez seje apenas alguma das lembranças não mostradas antes no pesadelo anterior.

Flashback on~

Eu estava finalmente feliz, nunca havia sentido tantas emoções juntas, eu só era pensada pelo os demais como uma estranha uma completa esquisita, e por incrível que pareça eu estava em cima da aquele palco montado, sendo coroada a rainha do baile juntamente ao rei do baile, o meu parceiro que havia me convidado, eu achei estranho de início porém eu aceitei.

Eu estava realmente feliz, mas tudo que é bom dura pouco; e foi o que aconteceu.
Logo senti algo molhado sendo derramado a minha cabeça o que logo foi descendo para o resto de minhas vestimentas, tentei processar o mais rápido que pude, mas quando fui ver eu já estava aos berros em cima do corpo do meu parceiro, ele já se encontrava desacordado, o balde de tinta vermelha havia batido com força em sua cabeça, em quanto eu estava totalmente suja de tinta vermelha, não pude tentar negar a saber quem foi, eu estava em choque o que me resultou levantar a cabeça para ver de onde havia caído o balde tinta, o que eu não contava era  ver o óculos do verdadeiro culpado, ou melhor a culpada. Ela havia armado tudo aquilo, só por ter sido proibida de ir ao baile, sabia que ela era ruim, mas isso foi o demais.

Quando me dei conta eu já estava completamente em fúria, o que nunca havia acontecido.
Quando dei de percebida por mim, eu já  havia matado muito das pessoas que se encontravam no recinto, principalmente as que me fizeram todo o mal no meu colegial.
Eu havia encontrado a tal causadora disso, e a matei sem dó, eu estava fora de sí e o que me resultou a fazer tudo aquilo meu que estava oculto, o meu outro lado.

Após ter percebido o que eu fiz, tentei ao máximo chegar em casa. Sai correndo do local até me encontrar em casa, sai pelo os corredores de minha casa  após entrar, gritando por chamar a minha mãe, eu só queria um abraço reconfortante materno, e me confessar a Deus pelo os meus pecados. Tomei um banho na banheira, o que me gerou lágrimas saírem de meu globo ocular, eu estava chateada e completamente destruída psicologicamente.

Eu havia me encontrado com minha mãe, não pude negar a minha vontade de  abraçar a mesma, e foi o que eu fiz.
Comecei a rezar e  pedir meu perdão como minha mãe havia me falado, eu só não contava ter  sido esfaqueada pela a mesma.
Eu não contive a dor e o desapontamento que tive com a mesma, logo a gritei a jogando para longe em um cômodo da  casa, o impacto foi tão grande que eu também voei, o que optou de acontecer ao eu cair rolando nas escadarias, batendo nas paredes e fazendo meu sangue do esfaqueamento ficar preso na parede. Me deparei com tudo no chão, logo vendo minha mãe descendo as escadas com uma faca afiada na mão, na qual ela me perfurou, tentei me arrastar até outro cômodo da casa, e quando me dei por sí ela já estava em cima de mim. Tentei e usei a minha força e meu poder para impedir de que a mesma me matasse, ela é minha mãe eu estava em desespero, e por motivos de me proteger acabei "pegando" todas as coisas afiadas que continha na aquela cozinha logo virando elas para minha mãe.
Eu dei minhas desculpas antes mesmo de todos aqueles objetos afiados a perfurar.

Eu via seu sangue escorrendo de seus lábios, mãos e barriga. Eu não queria fazer aquilo, mas foi para o meu próprio bem.
Logo tratei de me levantar e tirar ela colada na parede, tirando os objetos perfurantes em seu corpo.
Me lamentei muito na aquele momento, até ver uma garota loira já bem reconhecida por mim, eu sabia que ela não era tão cruel como as outras, ela estava ali tentando entender o porquê. Implorei para a mesma sair assim que eu senti a casa sendo destruída e sendo afundada, ela veio ao meu encontro na qual a impedir, logo senti algo estranho em sua barriga, era uma criança ela estava grávida, e a loira nem suspeitava disso, a avisei e pedir novamente para ela sair da casa. Assim que senti a casa se afundar eu acabei por dá um  empurrão gentil com os meus poderes, pondo a menina da cabeleira loira para fora da casa. Logo sentindo os estilhaços da casa caindo sobre mim, e o corpo de minha mãe.
 

Flashback off~

Havia se passado tantos anos, e o pesadelo se repetia, e toda das vezes eu acordava suada e ofegante, talvez bem no fundo eu saiba que nunca irei  me acostumar.
Logo notei meus dedos  começarem a dá uma leve enrugada, o que me fez desligar o registro.
Horas depois eu já me encontrava pronta, me fazendo olhar meu relógio para ver a hora, o que resultava o horário exato de me sair. Não perdi tempo e logo peguei as chaves de meu apartamento, saindo mais um dia.

Minha vida era bem monótona, mas sempre vinha algumas surpresas, eu me virava, claro que do meu jeito. Eu vivia bem.
E sinto me informar que irei novamente começar um novo dia de minha vida, e lá  vai eu rumo a faculdade.

                                            To be Continued...


Notas Finais


Espero que tenham gostado, isso veio tão de repente em minha mente que logo pensei em compartilhar com vocês.

Me perdoem pelos os erros ortográficos.
E até mais meus Babyezinhos.
💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...