1. Spirit Fanfics >
  2. The Dark Side of Red >
  3. Adaptações

História The Dark Side of Red - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Olha eu aqui de novo!
Primeiramente, queria agradecer aos comentários e os favoritos de vocês, de verdade, me incentivou bastante <3
Sou muito manteiga derretida com essas coisas, qualquer coisa já fico super emocionada! hahaha

Enfim, boa leitura s2

Capítulo 3 - Adaptações


— Tem certeza de que vai dar certo, Evan?

— Isso só depende de você, Becky, eu já fiz a minha parte. - ele disse enquanto vasculhava a gaveta do seu guarda-roupa, procurando algo. Minhas malas estavam dentro do carro que estava estacionado em frente a casa de Evan, de acordo com ele aquele teria que ser meu carro durante toda a missão.

Evan pegou uma caixa preta, abrindo-a e tirando alguns papéis de dentro, colocando-os em uma pasta azul. Pude ver alguns documentos também, me deixando mais ansiosa.

— Aqui estão todos os documentos que você vai precisar. A partir do momento em que você sair dessa casa, seu nome vai ser Eleanor Mendez, entendeu?

Eu assenti, pegando a pasta de suas mãos. 

— Bom, então... Até quando eu voltar. - disse, me despedindo dele.

— Só entre em contato comigo quando for extremamente necessário, Becky. Não podemos arriscar que descubram sua identidade, embora eu tenha cuidado da sua parte, eles ainda podem achar meu arquivo no banco de dados da CIA, me ligando à você.

Assenti mais uma vez, dando meia volta e indo até a porta do quarto.

— Boa sorte, Becky.

Saí de sua casa, entrando no carro e largando a pasta com os documentos no banco de trás. Suspirei pesadamente, encarando o volante e a rua à minha frente.

— Pronta? - desviei o olhar para a platinada sentada ao meu lado no banco do passageiro, sorridente.

— Prontíssima. - ela respondeu, animada.

— Eu também estou! - escutei a voz de Alexy no banco de trás, ele também estava animado.

Para ajudar no meu disfarce, eu resolvi trazê-los comigo. Mesmo que fosse em outro estado, ainda era dentro do país, então não vi motivo para não virem comigo, já que eles insistiram tanto depois de fuxicarem minhas coisas e descobrirem do que se tratava a missão.

Liguei o motor do carro, finalmente pisando no acelerador e saindo do lugar, deixando a casa de Evan para trás.

...

 Após 3 longas e cansativas horas de viagem, havíamos chegado em uma casa grande, que havia um quintal invejável com piscina e área para fazer festas. Os outros dois mal esperaram eu estacionar dentro da garagem, saindo às pressas para conhecerem o lado de dentro.

Balancei a cabeça em negação, sorrindo fraco. Peguei as minhas coisas, trancando o carro e indo até a parte de dentro, onde os dois já estavam curtindo ao ligarem o som.

— É, bem-vindos à casa de vocês. - ironizei, largando a bolsa no sofá.

— Meu Deus, esse lugar é incrível! Eu já tô quase te perdoando por não ter ido no meu casamento, Becky. - Alexy disse, ainda maravilhado. — Ai se o Morgan pudesse ver isso!

— Alexy, toma cuidado em como você vai me chamar na frente das outras pessoas, você sabe que lá fora meu nome é Eleanor. - disse, fazendo-o revirar os olhos. Foi difícil fazê-lo voltar a falar comigo pelo o que eu havia feito, mas acho que deixá-los virem comigo pode ajudar.

Olhei as horas no relógio, logo eu teria que estar no escritório do FBI para me apresentar. Evan me disse que Eleanor era uma pessoa importante, além de ter tido êxito em todos os testes para entrar na agência, o que é extremamente importante pois ela conseguiu uma certa fama por lá.

— Bom, acho melhor eu ir para não chegar atrasada. Lembram das regras, não é? Sem ligações, mensagens e nada de entrar nas redes sociais de vocês! - eles assentiram. Distrubuí um celular novo para cada um, isso diminuía as chances de encontrarem algo caso fôssemos pegos. — Tomem cuidado, por favor!

— Fica tranquila, Becky. Nós estamos aqui para te ajudar, nós jamais faríamos algo que prejudicasse você ou a sua missão. - Rosalya disse, acariciando meus ombros. Relaxei a postura, tentando tirar os pensamentos ruins da cabeça.

— Obrigada. - sorri para eles. — Vejo vocês mais tarde. - me despedi dos dois, entrando no carro e saindo em seguida.

É a primeira vez que me sinto bem iniciando uma operação, saber que eu não ficaria totalmente sozinha até o fim era reconfortante. Após poucos minutos, eu já havia estacionado e prestes a entrar nos elevadores do FBI. Senti meu coração acelerar dentro do meu peito, naquele momento me veio na cabeça o meu primeiro dia na CIA, eu estava nervosa exatamente como estou agora.

As portas do elevador se abriram no subsolo, me fazendo abrir os olhos. Saí de lá de dentro, observando todas aquelas pessoas sentadas de frente para os computadores super concentradas. No meio do salão principal, havia o brasão do FBI desenhado no piso, algo muito bem feito.

— Oi, você deve ser a agente Mendez, não é? - uma voz feminina surgiu do meu lado, me trazendo de volta à realidade. Eu assenti em resposta. — Sou Sophia, bem-vinda ao time.

"Time". Há quanto tempo eu não escutava aquela palavra, nem devo mais saber o que é isso.

— Obrigada. - retribuí o sorriso, ela parecia ser uma boa pessoa. A seu pedido, a segui pelos corredores até chegarmos em uma espécie de laboratório com algumas telas enormes em um canto, algo de última geração. Haviam mais 2 pessoas ali, pareciam estar analisando algo, mas um deles parou para me observar.

— Esses são os agentes Nathaniel e Castiel. - encarei o ruivo, que não fez questão alguma de me olhar desde que eu entrei. Então era ele...

A porta automática se abriu atrás de nós, e uma mulher ruiva que vestia um jaleco branco apareceu, abrindo um sorriso para mim. 

— Essa é a Íris, chefe da unidade de ciência forense do FBI. Nada escapa dos olhos dessa cientista! - a elogiou.

— Sophia está exagerando. - revirou os olhos. — Prazer, agente Mendez. Você tem sido assunto por aqui, soubemos que conseguiu passar com êxito em todos os testes para ser uma agente. É realmente impressionante. - Íris disse como se estivesse fascinada.

— Podem me chamar apenas de Eleanor. - sorri de forma gentil.

— Podemos voltar ao caso? - olhei para o dono da voz, era de Castiel. Ele não parecia muito feliz com minha presença ali.

— Resumindo para você, Eleanor, estamos interceptando uma venda de alguma substância que ainda não sabemos em um aplicativo de namoro.

Por um momento eu tive vontade de rir, mas a situação era bem mais comum do que parecia. A maioria dos criminosos agem por meio desses aplicativos de mensagens, na expectativa de não deixarem rastros.

Um alerta soou em uma tela grande atrás de nós. Íris pegou o tablet e passou a controlá-lo, vendo do que se tratava.

— O que foi? - Nathaniel se aproximou, curioso.

— Parece que marcaram o local de entrega, mas tem muitos códigos nas mensagens, não consigo decifrar o que significam...

Observei a outra tela que estava no perfil de um dos homens. Quando me aproximei para ver a imagem, acabei me assustando. Não, não podia ser... Esse era o cara que eu estava seguindo na minha última missão, antes do Evan me chamar de volta.

— Parece que eles estão vendendo sarin. - Íris disse um tanto assustada.

— Eles querem fazer uma bomba de gás sarin e atacar nosso país. - comentei, chamando a atenção deles, que me olharam de um jeito estranho. Será que dei muita bandeira?

— Estamos lidando com uma substância muito perigosa. - Íris digitou algo no computador ao lado. — Parece que esse é o endereço de onde vai acontecer a venda.

Um mapa apareceu na tela maior, com a localização marcada em vermelho.

— Tomem cuidado. - Íris disse, com certa preocupação.

...

Já no meu primeiro dia as coisas estavam um tanto tensas, se essa substância caísse nas mãos dos russos, os EUA estaria correndo sérios riscos, sem contar a dificuldade que eu estava tendo em me adaptar com o "trabalho em equipe". Suspirei pesadamente, Sophia e Nathaniel estavam na parte de trás do carro enquanto eu estava na frente ao lado de Castiel, que estava dirigindo. Por um momento parei para olhá-lo de canto, ele era bem atraente.

Seus fios avermelhados estavam presos para trás, mas haviam algumas mechas soltas na parte da nuca. Suas tatuagens também me chamaram atenção. O escutei pigarrear, provavelmente havia percebido que eu estava o olhando.

Resolvi voltar minha atenção para a estrada, onde ficamos por mais alguns minutos até chegarmos ao endereço.

Assim que chegamos, descemos do carro e entramos em um galpão abandonado, onde aparentemente iria ocorrer o encontro. Os dois estavam trocando maletas, quando um deles nos viu, saiu correndo.

— Nathaniel, agente Mendez, vão atrás dele. - Castiel orndenou. - Sophia e eu vamos atrás do outro.

Corri junto com Nathaniel atrás do cara que parecia ser o comprador, mas parecia estar cada vez mais dificíl alcançá-lo. Como não tive alternativas, saquei a minha arma, parando e mirando na perna do homem, atirando em seguida. Ele caiu, largando a maleta e levando sua mão até a ferida enquanto Nathaniel e eu corríamos na direção dele.

— Uau, que mira. - o loiro comentou, abaixando-se e abrindo a maleta. Por um momento eu havia esquecido que ele estava ali também.

— Pegou de raspão, foi péssimo. - falei, fazendo-o rir fraco. Algemei o homem, levantando-o. Observei o conteúdo que tinha dentro da maleta, eram muitos frascos de sarin.

— Bom trabalho. - Nathaniel piscou para mim.

...

O dia havia sido um pouco cansativo pra mim, que estava mais acostumada com ficar trancada dentro de um carro apenas observando algum suspeito ou segui-lo com o máximo de descrição possível. Eu havia me esquecido dessa adrenalina toda de perseguição e mais.

Peguei minha bolsa dentro do armário, fechando-o em seguida. Vi Castiel lavando o rosto na parte dos espelhos, despertando minha curiosidade, mas infelizmente eu não podia levantar suspeitas então apenas terminei de me ajeitar e saí do vestiário.

Vi Íris, Sophia e Nathaniel parados na entrada do prédio, pareciam estar esperando alguém. Pensei em passar direto, até porque o meu objetivo era somente o Castiel.

— Eleanor! - escutei a voz de Íris e me virei, indo até eles. — Vem dar uma saída com a gente, tem um bar ótimo aqui perto. Você também, Castiel.

Não havia percebido a presença do ruivo atrás de mim, ele ainda não parecia confortável com a minha presença.

— Vou passar. - disse curto e grosso.

— Ué, você nunca recusa nada. - Sophia comentou. — Será que você inalou um pouco daquela substância? - ela arqueou uma das sobrancelhas, zombando dele.

Não precisava ser muito inteligente para sacar que o problema era eu, e por mais que eu quisesse acabar logo com tudo isso, precisava ir com calma. Ele não iria se eu fosse, então de nada adiantaria.

— Eu vou embora pra casa, mas obrigada por chamarem.

— Poxa, queríamos te conhecer melhor... Mas fica pra próxima então. Você vem, Castiel? - Íris o questionou novamente.

Eu não quis ficar ali, era capaz de eu estragar uma relação que ainda nem tinha com Castiel. Eu tinha o plano perfeito formando-se em minha mente, mas só o tempo seria capaz de me ajudar a colocá-lo em prática.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, desculpem estar postando tão tarde e desculpem qualquer erro
Até semana que vem,
bjosss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...