História The Dark Side Of Red ( O lado escuro do vermelho) - Capítulo 3


Visualizações 6
Palavras 1.734
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Survival, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Daniel: Está gostando da história? Indique para um amigo e ajude na divulgação da fanfic. Boa leitura e deixe seu comentário no final do capítulo!

Capítulo 3 - Nova vida


Fanfic / Fanfiction The Dark Side Of Red ( O lado escuro do vermelho) - Capítulo 3 - Nova vida

Nick cuidou dos machucados e ferimentos de Shawn.

- Você deve estar com fome, também trouxe um chá de hortelã quentinho e pão, o chá vai te ajudar a se manter aquecido. - Entregou ao Shawn, que começou a devorar tudo.

- Obrigado.

- Se quiser mais é só pedir. - Nick nunca havia visto alguém tão faminto.

- Muito obrigado. - Shawn agradeceu de boca cheia.

- Então, de onde você veio? Quem é você?

- Eu... - Shawn ponderou tentando encontrar uma resposta que não fosse a verdadeira.

- Você... - Nick continuou esperando uma resposta.

- Vim do reino Antíope.

- Antíope? - O plebeu não se recordava. - E qual é o seu nome?

- George. - Mentiu. - Nunca ouviu falar do reino Antíope?

- Não. Graças ao bom Deus aqui no vilarejo não temos rei, rainha ou algum príncipe para mandar e desmandar. Mas por que você está tão desgastado?

- Viagem longa. - Continuou a tomar o chá.

- Parece mais que esteve fugindo.

O príncipe engoliu seco com o que o plebeu disse.

- Ai. - Shawn gemeu.

- Você ainda vai precisar repousar por pelo menos até amanhã. Quer água?

- Sim, por favor! - Seus lábios rubros agora estavam ressecados.

O jovem plebeu se retirou do quarto para ir até a cozinha buscar água, ele não demorou muito e logo retornou com um copo de água.

- Está melhor? - Perguntou assim que Shawn tomou a água.

- Sim. - Suspirou.

Shawn acabou adormecendo naquela manhã, o jovem artesão não tirou os olhos, uma vez ou outra saía do trabalho e até sua casa saber como Shawn estava. O rapaz conversou com seus irmãos antes de ir trabalhar, os mais velhos não se opuseram a aceitar um estranho ferido em sua casa.

[...]

Enquanto isso, o rei Manuel se desesperava sem notícias do filho, os guardas vasculharam as redondezas do palácio mas nenhum vestígio do príncipe foi encontrado. Nada que pudesse indicar seu paradeiro!

- Ninguém sabe onde está nosso filho. - Lamentou o fato diante da rainha.

- Eu temo o pior! Shawn nunca saiu das redondezas do palácio antes. Ele pode estar em perigo. - A rainha Karen estava com seu coração aflito sem notícias do filho.

- Eu tenho esperança que os guardas irão encontrá-lo. Como você mesmo disse: Ele nunca saiu das redondezas do palácio. Estou certo que mais cedo ou mais tarde iremos encontrá-lo. - Disse o rei tentando consolar sua esposa.

- Se algo acontecer a ele jamais vou me perdoar por ter concordado com esse casamento. - A mulher enxugava algumas lágrimas.

- Ah, mais ele vai ter um grande castigo quando o encontrarmos. Claro que o casamento não está cancelado, a oferta continuará de pé até ele ser encontrado onde quer que esteja. - Afirmou o rei.

- Não consigo descansar nem por um minuto de tanta preocupação. - Disse exausta.

A pobre rainha já não aguentava mais ficar sem notícias do seu único filho.

- Senhor. - Entrou o chefe dos guardas.

- Alguma novidade? - Perguntou o rei Manuel esperançoso.

- Infelizmente ainda não. Vasculhamos tudo, exceto um vilarejo além da floresta.

- E o que está esperando para ir até o tal vilarejo?

- Irei convocar os homens imediatamente. - Assentiu o guarda.

- Por favor, encontrem meu filho. - Implorou o rei.

- Farei tudo que estiver ao meu alcance. - O guarda lhe prometeu.

O chefe dos guardas do palácio ordenou que todos fossem para uma busca no tal vilarejo, vilarejo esse que Shawn se esconde. Será que o príncipe será capturado e retornará ao castelo?

[...]

Na manhã seguinte os guarda chegaram ao vilarejo procurando pelo príncipe, ninguém soube informar.

"Que diabos um príncipe estaria fazendo num vilarejo tão pobre?", pensaram os moradores.

Logo os moradores ficaram assustados, pois eles não vivem sob as ordens de nenhum reino.

Shawn ouviu alguns movimentos estranhos, ele podia jurar que conhecia o barulho dos cavalos.

- O que está acontecendo? - Ele perguntou ao plebeu que ainda não havia saído para trabalhar.

- Uns guardas procuram um príncipe.

- O quê? - Shawn tomou um grande susto.

Nick achou sua atitude muito estranha. Ele não era burro, um jovem que parecia nunca ter trabalhado na vida, mãos mácias, cabelos cheirosos, roupas sofisticadas apesar de simples.

- Sabe algo sobre isso? - O plebeu ousou perguntar encarando-o seu novo hóspede.

- Não... - Ponderou com expressão desesperadora. - Não mesmo!

- Tudo bem. Preciso ir trabalhar! Volto mais tarde. - Saiu do quarto deixando o príncipe sozinho.

Shawn já estava bem melhor, levantou da cama e olhou pela brecha da janela que havia no quarto do plebeu, ele avistou alguns guardas conversando com os moradores. O rapaz não queria ser encontrado pelos guardas reais, não queria mesmo.

[...]

Nick voltou para o almoço.

- Está melhor, George? - Perguntou ao ver Shawn sentado numa cadeira que havia no quarto.

Shawn mentiu seu nome no dia anterior.

- Sim, muito melhor. Os guardas já foram embora?

- Sim.

- Tem certeza? - Se preocupou.

- Absoluta. Foram embora ainda de manhã. - Disse Nick.

- Obrigado por tudo.

- De nada. Pode me agradecer respondendo por que parece está fugindo dos guardas reais?

Shawn gelou imediatamente.

- Não estou fugindo deles. - Continuou negando.

- Você quase correu quando falei que guardas reais estavam aí fora.

- Sabe que não estavam atrás de mim. - Insistiu.

- Eles procuravam um jovem de cabelos negros, branco, lábios rubros, topete... Por incrível que pareça acho que você é quem eles procuram.

É claro que Nick ia perceber que seu hóspede George tem as mesmas características do príncipe que os guardas descreveram. Numa medida desesperadora Shawn resolveu confessar contando toda sua história e o que o fez fugir, ele já confiava em Nick.

- Por favor, não posso voltar ao palácio e me casar com alguém que não amo.

- Isso é demais! Você é um príncipe, não pode fugir assim. - Nick estava na beirada da cama em frente a cadeira que Shawn estava sentado.

- Se eu voltar meus pais vão me obrigar a me casar e serei infeliz pelo resto da minha vida. - Disse quase chorando.

- Seu nome verdadeiro é Shawn Mendes, não é? Os guardas falaram.

- Sim. - Assentiu triste.

É óbvio que Nick se comoveu com a história contada por Shawn, ele não podia deixar o outro voltar para o palácio e ter uma vida infeliz.

- Se ficar aqui no vilarejo terá de trabalhar como todos os outros. - Disse olhando para o príncipe.

- Eu faço tudo o que for preciso para você me deixar ficar.

- E seus pais?

- Meus pais claramente não dão a mínima para mim, se me amassem de verdade jamais me obrigariam a casar sem amor. - Lamentou o jovem príncipe.

- Você está certo de que quer ficar aqui?

- Quero. Bem, talvez não por muito tempo... - Ponderou pensando em outro lugar para ir mas não havia mais nenhum.

[...]

UM ANO SE PASSOU!

O rei Manuel ordenou que os guardas nunca parassem de procurar pelo príncipe, bem, mas depois de um ano era bem óbvio que Shawn havia fugido para longe então o rei cessou as buscas há alguns dias, já sem esperanças de reecontrar o seu sucessor. Shawn vem trabalhando com Nick como artesão por meses, o príncipe havia se tornado um ótimo artesão, morava com Nick e seus outros dois irmãos. Uma grande amizade cobrindo um forte sentimento surgiu entre o plebeu e o príncipe nesse meio tempo.

Shawn Mendes voltou a floresta assim que se recuperou totalmente, ele precisava saber que criatura habitava ali. Bem, só alguém com o coração puro e sem maldades seria capaz de ver o fauno, o mesmo sabia disso, então é claro que ele queria contato com o príncipe. No início foi bem díficil mas aos poucos eles foram se aproximando, hoje Shawn sempre procura o fauno na floresta, ninguém sabe sobre o fauno. Se só Shawn o vê, quem acreditaria no atual artesão?

- Água? - Nick ofereceu.

- Sim, por favor. - Shawn pegou a caneca das mãos do amigo.

Os irmãos de Nick ainda não sabem que Shawn é um príncipe, sabem apenas seu nome, eles nem repararam na semelhança que havia entre o nome do rapaz ferido e do príncipe que fugiu.

- Por sorte o Sr. Jones nos dispensou mais cedo hoje. - Nick riu.

- Hoje realmente não é o meu dia. Começando pelo fato de que acordei indisposto. - Bufou o príncipe.

- Indisposto? - Gargalhou o plebeu. - Ontem a noite você dormiu como uma pedra.

- Considerado as noites que eu passo em claro por causa do seu ronco. - Shawn riu passando a língua sob o lábio superior, como de costume.

O príncipe dormia no mesmo quarto que Nick, claro que em camas separadas. Os dois adoravam conversar até altas horas da madrugada, sempre tinham o que conversar, ainda o assunto seja as brincadeiras que os dois pregam em Kevin, o irmão mais velho de Nick.

- Onde está o Joe? - Kevin saiu do seu quarto bocejando.

- Como sempre está vadiando por aí. - Nick cruzou os braços ao sentar numa cadeira no canto da sala.

- Caramba. Daqui a pouco vai escurecer e Joe ficou de ir buscar mantimentos no outro lado do vilarejo. - Kevin sentou-se apoiando as mãos na mesa.

- Ele deve estar flertando alguma jovem moça do por aí. Sabe como é nosso irmão! - Nick revirou os olhos.

- Não seria nenhuma novidade o encontrarmos assim. - Disse o mais velho.

- Vamos, Nick? - Shawn saiu do quarto bem animado.

- Aonde irão? - O irmão protetor perguntou.

- O Sr. Jones nos dispensou mais cedo hoje e gostariamos de aproveitar o fim da tarde. - Nick ficou de pé.

- Bem, então aproveitem! E se virem Joe, avisem que quero que ele volte pra casa imediatamente.

- Pode deixar. - O príncipe assentiu.

- Até mais tarde, irmão. - O mais novo bateu no ombro do irmão mais velho antes de sair.

[...]

A paz entre os reinos Antíope e Salazar deveria ser estabelecida com o casamento de Patrick e Shawn, o que não aconteceu, porém desde que o príncipe "desapareceu" a guerra cessou.

De um lado, Salazar perdeu o rei na última semana, Patrick teve a díficil tarefa de assumir o trono antes do esperado. Claro que o novo rei está cercado de pessoas dando-lhe total apoio, inclusive ajudando-o a cuidar do reino. Patrick agora tem uma grande responsabilidade.

Enquanto no reino Antíope as coisas íam de mal a pior. Manuel não estava mais conseguindo arcar com os problemas do seu povo, a economia faliu, suas reservas de alimento estavam escassas. Parecia que uma praga espreitava as paredes do palácio, o rei não tinha mais o controle de nada, nada mesmo.

O que poderá ter acontecido?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...