1. Spirit Fanfics >
  2. The Dark Vampire - Kim Taehyung >
  3. Chapter 07

História The Dark Vampire - Kim Taehyung - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, minhas princesas. Eu estou de volta, me sinto bem melhor, eu estava com dengue, perdi muitos kilos, mas já estou me recuperando. Espero que gostem desse capítulo que fiz com muito carinho.

Não esqueçam de comentar, ler seus comentários são um grande incentivo para mim. :3 ❤

Capítulo 7 - Chapter 07


Fanfic / Fanfiction The Dark Vampire - Kim Taehyung - Capítulo 7 - Chapter 07


°`Três Semanas Depois`°



Chery: Você deve se sentir muito sozinha.— Falou enquanto encarava-me com um olhar confuso– Você precisa de um bixinho, um gato, um cachorro.. Entende? 



Eu realmente me sentia confortável mesmo estando sozinha, muita coisa veio acontecendo em minha vida para por em risco mais uma vida, e logo a de um animal, já bastava não poder evitar ver minha melhor amiga, o Yoongi, já evitei muitas pessoas, agora eles? Bom, não consigo, não é algo fácil, simplesmente se apegar a solidão e conviver com outros tipos de seres. 



S/n: Acho que não preciso de um animal de estimação, Chery.— Falei enquanto voltava a arrumar a cama ao lado da mesma– Você acha que me sinto sozinha, mas eu me sinto bem. 



Chery: Você poderia passar um tempo aqui em minha casa, hoje por exemplo, depois de muita insistência teremos uma noite das amigas.— Eu acabei aceitando o pedido da garota para vir até sua casa e fazer uma noite do pijama, apenas eu e ela, isso pelo menos pode afastar inúmeros pensamentos ruins, me acalma.– Você também precisa descansar, foi uma semana pesada no trabalho, você não percebe, mas o cansaço acaba te afastando até mesmo de mim. 




S/n: É, você tem razão. — Sorri sem mostrar os dentes pegando uma almofada azul claro que estava no meio da cama, logo em seguida jogando na direção da garota– Preciso descansar a mente, obrigada Cherry, por tudo que tem feito. 




Cherry: Eu sei, eu sou demais, bobona. — Me encarou com um largo sorriso sincero em seu rosto. – Vou dar uma olhada na cozinha ver tudo o que esta faltando de alimento para comermos, e então farei uma listinha. ... 



S/n: E a noite você irá ao mercado comprar o que falta, você já falou isso mil vezes.— Sorri vendo-a mostrar o seu dedo do meio, mas logo parou pegando a mesma almofada que eu havia jogado, agora vindo em minha direção– Ai, sua chata! 



{... }



Caminhei em direção a sala onde havia deixado uma bolsa com tudo o que precisava para passar a noite na casa da mesma. Retirei um moletom vermelho escrito "champion" na cor azul e ao redor das letras na cor branca, em seguida pegando uma calça da mesma cor com uma frase na lateral da coxa esquerda. Digamos que ao meu ver era um conjunto confortável e quente para o frio. 



S/n: Incrível, quando conhecemos alguém e esse alguém se destaca com uma cor específica, ela simplesmente aparece ao nosso redor, é inevitável, não é? — Deixei um sorriso ladino escapar enquanto balançava minha cabeça negativamente– Enfim.. 



Chery: Você conheceu um alguém, olha só, e não me fala nada? — Pude ver um biquinho se formar em seus lábios me fazendo gargalhar com sua atitude infantil— Não pense que não irá me contar, me diga, quem ele é, eu o conheço? 



Apertei sem muita força o moletom que segurava acima da bolsa, agora desfazendo o meu sorriso, eu não podia simplesmente contá-la quem ele era, pois nem eu saberia explicar, apenas não saia de minha cabeça a cor vermelha, por ter se destacado tanto naquele homem. "Eu sei que irei voltar", passou em minha mente suas últimas palavras fazendo-me despertar voltando agora a encarar Chery. 



S/n: Ah, ele.... Bom, foi um tempo atrás, não rolou nada, e eu também não iria querer que acontecesse algo.— Pude sentir a raiva tomar conta em questão de segundos do corpo da mulher a minha frente, por com certeza não ter respondido suas duas últimas perguntas.— Vá por mim, Chery. Você iria achá-lo um homem encantador, iria facilmente cair na dele só de ver aqueles olhos da cor da noite, tão escuros e belos, mas só de conhecê-lo melhor, iria se assustar, gostaria de fugir e no final, sempre ficará as principais lembranças, e o que mais me lembra nele é a cor vermelha. Fim. 



Chery: Entendo, você o vê com frequência?— Balancei minha cabeça em " Não" vendo a garota afirmar.– Tudo bem, deve ser melhor assim e você parece preferir assim, estar longe desse rapaz. 



S/n: E como prefiro assim, me sinto melhor.— Respirei fundo vendo Chery andar em direção a porta principal com sua bolsa preta que estava em sua mão esquerda– Ei, cuidado! Como as horas passam rápido, conversamos tanto assim? Ta vendo? Quando estou com você as horas passam voando.— Falei um tanto emburrada, mas logo voltando a minha realidade— Volte logo, já está de noite, você sabe que fico preocupada quando sai neste horário. 



Chery: Você que deveria tomar cuidado. —Falou num tom assustador ou pelo menos queria parecer, coisa que acabou conseguindo– Ei, eu estou brincando, não tem perigo lá fora, pois ele sou eu.— Falou batendo sem força em seu peito e agora imitando uma posição típica de heroína de desenho animado, me fazendo revirar os olhos segurando-me para não rir.– Vou nessa, não se preocupe. Estarei de volta rapidinho e com as coisas que você gosta de comer também. 



Afirmei acenando e logo voltando a caminhar com as roupas que havia pego em minha bolsa indo em direção ao banheiro. Pus em cima da pia, agora segurando nas alças finas do vestido na cor vinho que estava usando deixando-o deslizar até ser retirado do meu corpo. Ao retirar minhas roupas íntimas adentrei no box fechando os meus olhos aproveitando a água caindo em meu corpo. 



{.... }



Peguei a toalha branca que estava pendurada ao lado da porta, a mesma que Chery sempre lava e separa para mim quando venho dormir em sua casa, logo em seguida a entrelacei em meu corpo parando minhas mãos em meu cabelo voltando agora a me olhar no enorme espelho que ali possuía. 



S/n: Preciso mesmo descansar. 



Abri a porta sentindo um fraco arrepio percorrer o meu corpo, pelo o simples motivo, a casa de Cherry sempre foi bastante arejada, o que era bom, pois o vento era natural, não seria necessário ligar o ar condicionado, ventilador ou qualquer outro. 



Retirei a toalha do meu corpo colocando-a em cima da cama, então pondo um conjunto íntimo da Calvin Klein branco em seguida pegando as vestimentas que havia escolhido para dormir. Me sentei em seu puff marrom escuro enquanto pegava minha escova de cabelo agora penteando os meus fios. 


S/n: Que demora.— Após finalizar minha frase acabei por escutar um barulho alto vindo da porta me fazendo encarar a madeira da mesma, me levantei rapidamente já sentindo a minha respiração pesada. Foi exatamente como se tivesse uma outra pessoa do outro lado da porta batendo em toques fortes– Chery? 



O vento gelado vergastava o meu cabelo no moletom. Podia escutar perfeitamente o barulho das folhas com a ajuda do balançar da árvore em frente a janela aberta do quarto da garota. Minhas mãos já estavam gelando, lábios e bochechas entorpecidos, mas permaneci ali e não iria sair até saber a resposta. 



S/n: Que droga, responda! — Gritei enquanto mantinha os olhos fixos na porta, mas sem obter uma só resposta.



Em passos lentos fui me aproximando de onde veio o barulho pondo com cuidado minha mão esquerda na maçaneta em seguida a girando abrindo a porta com uma certa força, e bom, eu estava enganada, nada, nem ninguém estava alí, afinal só estava a minha pessoa ali parada ao som do vento uivante com o chacoalhar da árvore. 



Ao virar-me quase congelei por completa vendo quem eu mais temia, Hyrai, um flashback passou rapidamente em minha mente, era ele, ele quem havia sumido deixando Danyel para trás que quase tinha me matado naquela noite terrível que desde então não sai de meus pensamentos. 



Ele estava bem atrás de mim, tão perto que minhas roupas poderiam tocar as suas quando me virei. A essa distância, eu devia ter sentido outro ser humano parado alí, sentido o calor do corpo dele ou tê-lo ouvido. Mas Hyrai, evidentemente, não era humano. 



Recuei alguns passos cerrando os meus punhos, eu estava com tanto medo que meu corpo estava imobilizado, mas mesmo assim, conseguia sentir uma onda de raiva tomar conta de mim. 



Hyrai: Achou mesmo que eu não iria voltar, princesa? — Falou passando seu polegar em minha bochecha fazendo-me retirar sua mão daquele local– É assim que me recebe? Pensava que estava com saudades. 



S/n: O que você quer? —Falei o mais rápido evitando qualquer contato com o rapaz a minha frente—



Ele estava vestido como na primeira vez em que o vi, de preto. Botas pretas, jeans escuro, uma camisa pouco folgada e uma jaqueta de couro por cima na mesma cor. O mesmo possuía uma beleza perturbadora, era belo, mas conseguia ver suas unhas atravessarem a carne de seus dedos, um olhar misto de fúria e raiva e um sorriso cruel. 



Hyrai: Quero o que tivesse acontecido em nosso primeiro encontro. —Aproximou seus lábios de meu rosto falando agora em tom baixo. – Você, morta! 



Assim que ia correr senti sua mão agarrar meu braço direito pondo atrás de meu corpo me encurralando na parede do quarto. 



Hyrai: Seu medo me excita, só me deixa com mais energia de querer vê-la sofrer, enquanto me pede para soltá-la. —Senti uma pressão a mais em minha mão fazendo-me apertar meus olhos, aquilo estava realmente me machucando. —




S/n: Você não deveria me machucar, sabe quem sou, melhor do que eu mesma, se me matar você será o próximo a ser perseguido. 



Hyrai: Não se preocupe com isso, quando vê-la morta poderia sugar melhor o seu sangue, junto com ele o seu poder, você morrerá como uma humana normal, tão ingênua, não era isso o que queria? Ser normal? — Finalizou enquanto via de relance seu sorriso sádico—



Senti uma ardência em meus olhos que me incomodou fortemente, mas que logo me fez segurar em sua mão o puxando para mais contato com o meu corpo, em seguida o empurrando na parede segurando agora seus braços. 



Hyrai: Uau, olhe só para você, está se descobrindo—Falou o moreno entre sorrisos– Agora já está sabendo aos poucos que és, um ser monstruoso, acha mesmo que alguém que você ama daqui aceitaria um verme anormal como você? Além de tudo, você os mataria, hoje seria a noite perfeita para matar a Chery não acha? 



S/n: NÃO OUSE.. — Fui interrompida pelo o garoto sentindo meu sangue ferver cada vez mais—



Hyrai: Eu? Você ainda não acordou para a sua realidade mesmo, não é? — Finalizou me deixando um tanto quanto confusa– Você iria matar a sua própria amiga hoje, você precisa de sangue, já se olhou no espelho? Você mesma iria em busca dela ou de qualquer outra pessoa, permita se sentir, respire fundo, pense no quão faminta você está se sentindo, está com sede, o que você quer? 



S/n: E-Eu... —Fazia de tudo para me manter firme no momento, mas algo em mim estava falando mais alto, tentava de alguma forma me acalmar, mas sentia minha respiração ficar descontrolada, pus minhas mãos em minha garganta me ajoelhando no chão sentindo a dor em todo o meu corpo, como se alguém estivesse me dando choques extremos. – não.. Fique longe de mim, por favor. 



Tentei encarar o mais velho sentindo uma forte dor em meu rosto ao sentir seu chute naquele local me fazendo grunhir de dor.



Hyrai: Está sentindo? Dói, e como dói, não é? — Senti minha visão aos poucos escurecer e ao mesmo tempo voltar a realidade que estava tendo no momento– Não se preocupe, acabarei logo com isso, sua morte princesa, chegou. 



Fechei meus olhos os apertando fortemente enquanto abraçava o meu corpo sentindo meus fios da nuca serem pegos com brutalidade levantando minha cabeça, encarei o homem em minha frente que agora aproximava sua boca do meu pescoço. 



Tae: Te darei um minuto para soltá-la. — Escutei uma voz mais grossa e de fato, já sabia de quem era– Por que não foi logo para o fogo? Naquele dia foi em busca do seu clã para me matar, não foi? Sabia que não iria dar conta. 



Senti Hyrai me empurrar bruscamente chocando o meu corpo na penteadeira de Chery, pus minha mão direita com dificuldade em minha cabeça sentindo algumas lágrimas escorrerem em minha bochecha. 




°Kim Taehyung Pov's° 




Ao ver a atitude de Hyrai senti meu corpo se contrair acordando em mim a completa fúria que sentia no momento, apenas conseguia enxergar sangue em minha frente, a visão de acabar logo com todo o seu corpo e sugar todo o seu sangue imundo era o que eu mais queria no momento. 



Hyrai: Sabe que não fugi de você, apenas fui atrás do mestre, ele quem quer você morto, ela seria apenas um aperitivo. E você.. 



Não deixei o mesmo finalizar suas palavras fazendo-me atacá-lo naquele mesmo instante, segurei em seu pescoço vendo sua íris mudar de cor, para um vinho intenso, senti logo em seguida um chute certeiro em meu abdômen, logo levantei meu olhar para o mesmo vendo-o se aproximar de S/n, sentindo a ardência em meus dedos vendo minhas garras aparecerem rapidamente, logo em seguida as pousando em sua clavícula fazendo um corte com as afiadas naquela região. 



Hyrai: Seu.. —Vi-o apertar a garganta da s/n vendo-a se contorcer, mas em questão de segundos aprofundei mais o corte em sua clavícula me levantando, ainda deixando-o em minha frente segurando com a esquerda em seu cabelo arrastando seu rosto até meu joelho, repetindo o mesmo movimento rápido e doloroso três vezes vendo seu sangue começar a aparecer em seu rosto. —



Tae: Era isso o que eu tanto queria ver, você não tem forças o suficiente para me ferir, achou mesmo que eu não iria protegê-la? — Comecei a escutar uma risada vindo do homem que estava prestes a ser morto, logo após apontando para a mulher ainda deitada no chão com sangue escorrendo em seu nariz. Encarei Hyrai sentindo meu sangue ferver, pus seu rosto para o lado chutando de forma certeira o seu pescoço, escutando o fim de sua vida. Puxei seus fios com minha esquerda trazendo-o para perto dos meus lábios sentindo meus dentes se formarem logo atacando aquela região começando a saborear seu sangue. 




° S/n Pov's °



Olhei já sem forças para o lado vendo Taehyung com a boca no pescoço do homem que havia me atacado, logo vindo em mente tudo o que o mais velho de madeixas avermelhadas havia me falado, todas as verdades, eu deveria tê-lo escutado, agora sinto o que tanto queria, a morte. 



S/n: Perdoe-me — Falei com dificuldades sentindo a dor principal em meu pescoço e a respiração cada vez mais fraca– Por não ter...lhe escutado. 



Em questão de segundos comecei a ver apenas borrões e uma última frase vinda do mesmo que me segurava agora em seus braços:







      "Não faça da minha vida a escuridão... "








Notas Finais


E então, quais são as suas teorias? Ksks❤

Vestimenta da S/n: https://pin.it/FICL59r

Vestimenta do Kim Taehyung: https://pin.it/3DZJXzS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...