História The Decision - Romanogers - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Agent Carter, Capitão América, Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Clint Barton (Gavião Arqueiro), Howard Stark, Laura Barton, Natasha Romanoff, Peggy Carter, Peggy Carter, Personagens Originais, Sam Wilson (Falcão), Steve Rogers, Thanos
Tags Captasha, Capwidow, Romanogers, Steggy
Visualizações 134
Palavras 1.482
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eitaaaa!
Steve Grant Rogers meu amigo, te prepara que a Nat vai vir com tudo.
Olhem a cara de ranço da Peggy na imagem do capitulo, nem atinge a Nat rainha.

Desculpem os erros de português

Capítulo 13 - Capitulo 13


Fanfic / Fanfiction The Decision - Romanogers - Capítulo 13 - Capitulo 13

É difícil viver tão perto do amor da sua vida e ao mesmo tempo tão longe.  Natasha está machucada e a ultima pessoa na qual ela quer ver em sua frente é Steve  Rogers. No fundo de seu coração ela poderia aceitar que ele não soubesse lidar com a dor, mas voltar para o passado, para Peggy.

Como ela tinha sido ingênua, nos últimos temos a agente está radiante. Sempre que ela visitava Howard  eles alavam sobre alguém que voltou e ela estava feliz com isso, claro, o amor dela voltou para seus braços.

Steve quer se aproximar de sua família, de Natasha e james, mas sabe que isso vai ser difícil. Natasha perdeu a confiança nele, ele sabe que fez toda a segurança da ruiva  sobre o amor deles sumir. Um idiota, mas no fundo ele não se arrepende de ter voltado, se ele estivesse no futuro, nem a chance de lutar pelo amor dela ele teria. Ele os teria os perdido para sempre.

O caminho para a aceitação passa pela raiva, e é o que a ruiva sente. Raiva por ter confiado nele, por ter amado ele,  por ter vivido por ele. Aprender a viver nesse tempo foi complicado, mas em seis anos ela conseguiu, agora a sua prioridade é dar um futuro para o seu filho. Natsha sabe que steve vai querer conviver com James, vai querer cumprir o papel de pai, por que se tem uma coisa que ele tem é honra e ele vai cumprir com seus deveres.

James vai amar ter seu pai por perto, é coisa que ele mais sonha em sua vida. Mesmo não querendo, eles precisam conversar sobre isso, mas ela ainda não sabe como. Primeiro ela precisa aplacar a dor e a raiva de seu peito, ela não pode fazer nenhuma besteira. O futuro já está mais do que comprometido.

Enquanto ela não sabe o que fazer, Natasha continua na sua “vida normal” trabalhando como secretaria do Stark, logo logo ela vai precisar arrumar um novo emprego. Com Steve em 1952 as coisas complicam, ela não quer ver ele com Peggy e ninguém pode saber do envolvimento deles, não por enquanto.

-Bom dia Senhora Petrov. –Howard passa pela porta do elevador com seu óculos escuro e seu fiel guarda costa ao seu lado.

-Boa tarde senhor Stark, pensei que não viria hoje. –ela sorrir, é divertido conviver com ele.   –Já passam das duas da tarde.

-Eu perdi o horário com algumas invenções. –ele retira o óculos e se apoia sobre a mesa da mesma. –O que acha de relaxar depois o trabalho, um drinque quem sabe?

-Eu preciso ir para casa depois do trabalho, tenho um filho para criar.  –é seria estranho sair, pelos menos para ela, sair com o pai do Tony.

-Deixe ele com a vizinha, dessa vez.  –ele dar uma piscada na tentativa de ser charmoso e a ruiva nega sorrindo. –Traga seu filho para conhecer a empresa, ele vai adorar passar um tempo com o futuro pai no laboratório.

Que Steve não o escute.  O soldado fecha a sua ultima mala na mansão Stark, durante toda a manha ele esteve procurando um lugar para ficar. Acabou alugando uma casa próxima a da Natasha, na verdade somente há a casa de uma senhora muito gentil  entre as deles.

O loiro que ficar perto de sua família, das pessoas que ele carrega em seu coração. Seus amigos do passado e seu amor do futuro. Seu garoto está tão grande, ele é uma criança especial, muito inteligente  e ele pode perceber isso em pouco minutos. Ela sabia que tinha algo naquele garoto que mexia com ele.

Olhar para a James é como olhar em cada detalhe para Natasha, dá um pouco de orgulho ver que ele tem suas convicções. Natasha fez um bom trabalho, o quanto deve ter sido difícil para ela. Agora ele está aqui, ele quer ser pai do seu filho, quer está perto, brincar com ele e ajudar a fazer o dever de casa.

Seu ódio por Thanos e por tudo que aconteceu só aumenta, por que tudo isso fez ele perder tudo o que tinha construído.

-Você parece feliz. –Steve não percebe a presença da mulher até que ela rodeia seus braços em volta dele. Ele não quer ser grosseiro com Peggy, mas ele já deixou claro que não a ama mais.

-Peggy, por favor. –o soldado segura as mãos dela e as afasta do seu corpo.  A mulher fica um pouco desapontada, mas não é algo que vai a abalar. Ela já falou que está disposta a lutar contra as lembranças do loiro, mal sabendo que não são somente lembranças.

-Eu esteve pensando que poderíamos sair para comemorar sua casa nova. –ela se aproxima e passa a mão sobre o peito do homem. Ele fica lindo com seu uniforme do exercito, mas as roupas civis o caem muito bem.

-Acho melhor não. –ele tem o intuito de se mudar e quem sabe conversar com Natasha, explicar as coisas diretos e tentar se entender. Se os dois estão aqui, por que não ficarem juntos como sempre quiseram?

-Por favor Steve.  Podemos chamar os caras do comando selvagem, Howard, estaríamos entre amigos. 

-Acho melhor não, tenho algo para resolver. –Rogers tira a mala de sobre a cama e segura sua alça.

-Eu vou ligar para o Howard, vamos esperar você naquele bar perto das Industrias Stark.  –ela sorri, antes esse sorriso derreteria o coração do capitão. –Eu vou ensinar você a dançar melhor.

-Peggy, não, Peggy. –o loiro tenta argumentar, mas ela deixa o quarto antes que ele possa negar. Ela conhecer Steve sabe que ele não deixaria seus amigos esperando.

A ruiva bate na porta da sala do Stark  com vários papeis em mãos para o mesmo assinar. Quando escuta o “entre” ela abre a porta e Howard está no telefone. Em outras situações ela não iria nem ligar e muito menos prestar atenção no que ele fala, mas quando escuta o nome Steve seu cérebro rapidamente  se volta para a conversa do homem ao telefone.

-Então não encontramos lá. –ele coloca o telefone no gancho. Eles estão marcando de tomar um drink todos eles, e logo a vontade de irritar o ex marido a consome.

-Preciso que você assine.  –Natasha coloca os papeis sobre a mesa e se inclina um pouco para deixar o decote mais visível, um dos motivos para a maioria das mulheres não gostarem dela. Mesmo que as roupas sendo de 52 ela ainda usa vestidos justos com decote, mesmo que seus comprimentos sejam abaixo do joelho.

-Não canso de dizer que você é muito bonita senhora Petrov. –Howart entrega os papeis em suas mãos e ela da de costas e anda sensual ate a porta antes de se voltar para p chefe.

-O drinque ainda está de pé? – do rosto de surpresa do Stark se transforma em um sorriso  em questão de segundos.

-Claro.

-Eu encontro você lá. –ela não usa o senhor Stark pela primeira vez sem que ele tenha pedido.  –Espero que não se importe que eu saia mais cedo, preciso deixar meu filho coma vizinha.

O sorriso que ela dar antes de fechar a porta quando enfarta o homem. Ele se senta em sua cadeira fazendo drama com a mãos no peito. Por essa mulher ele deixaria a vida boemia sem pensar duas vezes.

Como dito Natasha deixou o prédio pouco depois das cinco da tarde. Ela pega um taxi na porta das Industrias Stark, para ser mais rápido, ela precisa está completamente irresistível  como somente ela sabe ser. Ela entra na casa e James está com o bloco de desenhos na mãos, poderia ser menos parecido com o pai. 

-James querido, eu vou precisar ir para um compromisso  você vai ficar com a senhora branca. Falei com ela antes de vir. –o sorriso do ruivo vai de orelha a orelha, na simples imaginação de que a mãe vai sair com seu pai. Por que ela nunca sai a noite.

-Tudo bem.  Poso levar os desenhos? –ele fica de pé todo contente e Natasha pensa que é por que ele gosta muito de ser mimado pelos cookes de chocolate da senhora Branca.

-Tudo bem, vou só tomar um banho e trocar de roupa.  –ela escolhe uma camisa azul bem feminina, com uma sai preta, a mais justa que ela tem, e saltos altíssimos.  James fica com a dina Branca e ela novamente pega um taxi para ir até o bar.

No futuro lugares assim serão chamados de balada. Ela entra no local que tem iluminação baixa em vermelho e amarelo. É Sexta feira e o local está lotado.  Os olhos de choque de Steve e Howard  são o que mais  deixa Natasha animada, assim como a cara feia que Peggy  faz.  Tem alguns homens compartilhando a mesa com eles e todos olhos encantados pela ruiva que entra no lugar. 


Notas Finais


Essa saída para beber com os amigos vai dar o que falar kkk
nos vemos no proximo
bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...