1. Spirit Fanfics >
  2. The Decision - Romanogers >
  3. Capitulo 19

História The Decision - Romanogers - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Fiquem em casa, tem milhares de estorias no spirit, deem uma olhad.

bom, agora sim. Voltei!!!
Nosso casal, mas forte que nunca, leiam, espero que gostem.
Mas antes, eu tenho uma pergunta, qual seus preferidos ?
Buck e Wanda
Buck e Hill
Sam e Hill
Sam e Sheron

Capítulo 19 - Capitulo 19


Fanfic / Fanfiction The Decision - Romanogers - Capítulo 19 - Capitulo 19

Natasha encostada na parede que divide a sala da cozinha, um sorriso reconfortante faz os cantos de sua boca se curvar. Steve sentado no chão ensinando alguns truques de desenho para o filho, James está praticamente vivendo em um sonho com sei pai ali. Uma família como Steve sempre sonhou, mas um momento que Natasha nunca esperou viver.

Mulheres como ela, todas as garotas do red room, aprenderam que sentimentos são para crianças, que não existe lugar no mundo para elas, mas não é algo que ela pensar agora. Ela achou um lugar no mundo,  que é seu filho e Steve, independente de onde eles estejam, presente ou passado não importa, ela só que termais momentos assim.

-Que tal um fotografia? –Steve pergunta sorrindo, tirando a ruiva de seus pensamentos.

-A  resolução das imagens nessa época são horríveis.

-Nessa época ? –James pergunta. Nat e Steve trocam um olhar, eles sempre conseguem entender o que querem dizer um ao outro sem precisar de palavras.

A Ruiva dá de ombros e anda até o sofá, levando James para sentar em suas pernas. Uma das coisas incomodas desse século são as saias e vestidos que não a deixam se mexer como gostaria. Steve se acomoda no chão mesmo se virando para poder ficar de frente com os dois.

-Eu, você e a mamãe, somos do futuro. –os olhos verdes do garoto se estreitam  e a ruiva sorrir, não é bem uma boa maneira de começar.

-Você não é bem do futuro. –Natasha faz uma piadinha sobre o loiro que a olha com aquela expressão de “Serio Romanoff?” –O que seu pai quer dizer  que, no futuro as pessoas vão poder viajar no tempo e foi isso que nós fizemos. Você nasceu em 2020 e nós voltamos no tempo pra morar aqui. 

-Por que vocês iriam querer morar no passado se no futuro tem tecnologia até pra voltar no tempo?

-Por que nós queríamos ficar todos juntos, só que o papai veio no tempo errado e quase não encontrou a gente. –o casal troca um sorriso cumplice, o loiro agradecido pelo filho não saber que ele não tinha voltado necessariamente por eles.

-Por que a gente não ficou todo mundo junto lá em 2020? Assim não tinha que mentir que o papai está morto.

-Por que tinha um cara muito mal que fez a gente ficar longe de você. –Steve fala lembrando de todo o desespero de quando James sumiu e principalmente do seu coração quando Nat estava morta, tudo isso tirou sua razão e quebrou seu coração.

-Mas isso não vem ao caso, o importante é que estamos juntos. –a ruiva abraça o filho apertado, Steve gostaria de ter um celular só para registar os dois amores da sua vida. –Vamos jantar, a comida já deve ter esfriado.

Os três se sentam em volta da mesa, uma típica família comercial de tv, o pequeno James ainda está tentando absorver a historia de viagem no tempo, por que isso parece ser muito estranho, mas já que os pais dele disseram é verdade.

-Então mocinho, por que você brigou na escola? –Natasha pergunta levando um o garfo com comida a boca, o ruivinho queria se esconder da mãe, por que ela dando bronca é assustadora.

-Mãe...

-Ele só se defendeu Nat. –o loiro fala, mas logo se arrepende pelo olhar que recebe da mulher.

-Mentir é o problema. –Steve fica indignado por escutar isso saindo da bota de uma espiã, mas concorda que James tem que ser bem educado, não deve sair por ai mentindo.

-Não vou mais fazer isso. –ele abaixa a cabeça rendido. O  loiro fica orgulhoso, para a mulher que quase surtou quando descobriu que estava gravida que estava gravida, Natasha está fazendo um bom trabalho como mãe.

-Esta de castigo, uma hora toda a tarde você  vai lá pra fora jogar futebol com os garotos da vizinhança.

-Mãe...

-A comida está uma delicia, eu tenho comido comida enlatada desde que me mudei. –Steve muda de assunto, mesmo pensando que tipo de castigo é esse?

-Você se mudou temo que? Menos de uma semana. – o loiro já estava até com saudades da ruiva tirando com a acara dele, um robe preferidos da Romanoff.

Quando eles terminaram de jantar, Natasha foi ajudar James com o dever de casa e Steve cuidou da louça do jantar, já que quem cozinhou foi a ruiva. Eles ficaram um tempo na sala, mas como toda criança que não tem um vídeo game ou internet, James foi dormir cedo.

-Desde quando brincar na rua é castigo? –Steve fala baixinho para não acordar o filho, ele está tão bonitinho dormindo. Ele só consegue lembrar do pequeno bebe ruivo no berço.

 -Desde que seu filho puxou a você e não gosta de sair de casa. –Natasha fecha a porta do quarto do filho. -Vinho?

O loiro nega com a cabeça e se aproxima dela, o coração da mulher fica a mil, um efeito que mesmo depois de tudo ele ainda consegue causar nela. Steve envolve sua cintura com o braço e a puxa para perto do seu corpo, Natasha deixa suas mãos sobre o peito do loiro. Os dois tem um sorriso nos lábios.

-Você é linda.

-É você não anda nada mal para um fóssil. –o sorriso no rosto da ruiva aumenta, mas logo é apagado para que seus lábios sejam acariciados pelos lábios De Steve.

O que começa um selinho é substituído por uma briga de desejo entre suas bocas. A mulher suspira entre o beijo quando sua costa se encontra com a parede. Os dois completamente entregues a paixão.

Natasha desce suas mãos para a camisa do loiro retirando ela de dentro da calça e passando  suas mãos por baixo do  tecido, acariciando e arrepiando o homem. Ela impulsiona o seu corpo para sair da parede.

-Quarto. –ela sussurra com o rosto ainda próximo do rosto do Steve, ele ainda mantem seus olhos fechados e ela mal consegue tirar os seus da boca dele.

Steve concorda com a cabeça, mas não se move, o que faz ruiva sorrir. Ela segura sua mãos e o arrasta até o seu quarto, só depois de escutar a porta fechando o loiro se livra  do extasse e volta a se aproximar da mulher. Somente  o beijo é suficiente para deixar o ambiente mais quentes, mas quando as mãos da ruiva começam a fazer um caminho na pele do loiro para retirar a sua blusa o sangue do Steve ferve em suas veias.

A ruiva fecha os olhos e inclina a cabeça para trás respirando pesado quando o loiro distribui beijos pelo seu pescoço. Quando ela termina de abrir os botões de sua camisa, Natasha o faz dar alguns passos ate os dois caírem sobre a cama.

A saia da lápis da mulher sobe quando ela coloca suas pernas em volta da cintura do Steve. Ela morde os lábios tendo a visão do peito nu do loiro, uma excelente visão diga-se de passagem. Steve coloca suas mãos nas pernas na ruiva, acariciando o lugar, e seus olhos escurecem de desejo ao vê-la desabotoando a blusa sedutoramente, que logo  se perde pelo quarto.

O corpo da Natasha se inclina sobre o do Steve  e eles se beijam novamente, em meios as caricias, beijos e gemidos nada mais separada seus corpos. Pele com pele se desejando e se sentindo. Steve sobre o corpo da ruiva, se entrega deliciado do corpo da mulher pedindo aos céus para que ele não a perna novamente, que esse momento não acabe.

Os dois sempre tiveram sincronia no trabalho, nos olhares, mas é na cama que em eles mais se completam. Se entregam um ao outro, definitivamente estão juntos e não vão se separar, são uma equipe, dois loucos apaixonados nesses momento.

-Shiuu. – a ruiva tampa a boca do loiro com a mãos, e as vezes tampando a sua também. As paredes são finas e James está dormindo.

Mas é inevitável segurar suas vozes quando simplesmente encontram uma passagem de ida e uma volta completamente lenta do céu. São necessários alguns segundos para que seus corpos parem de dar pequenos espasmos de prazer.

Steve se deita na cama  trazendo a ruiva para deitar abraçada a si.  Sem sombra de duvidas o melhor dia da vida dele, e da dela também, o loiro se sentiu em família. Sentiu que finalmente era pai do seu filho e que podia ficar perto da mulher que ama sem surgir um titã lunático querendo matar todos.

-Eu te amo. –ele fala beijando os cabelos vermelhos da Natasha.

-Eu sei, eu sou incrível. –não é bem a resposta que ele estava esperando e Natasha sorri por que sabe muito bem disso. Ela se apoia no cotovelo para poder olhar os olhos azuis mais lindos da vida dela. –Eu te amo Steve Rogers. 


Notas Finais


Gostaram? Espero que sim.
Desculpem os erros de português.

Proximos capitulos:
Steve e Nat juntos, Peggy surtando, Maria Stark chegando e missão conjunta Romanogers.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...