História The Delights of a Sin - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Abo, Alfa/alfa, Exo, Kaihun, Sekai
Visualizações 247
Palavras 4.002
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OHAYO ABIGUINHOOOOS
Tudo bom com vcs? Eu tô com alergia no momento, espirrando mais que tudo. Mas não deixando de dizer amém a esse frio delicioso. ♡♡♡
Como sempre, desculpem a demora. Cursos ocuparam muito minha mente e acabei desviando um pouco das minhas fics. Eu tenho tentado ler algumas, pra pegar inspiração, e acabou que saiu isso aí de hj.
Hehehehehe, tá pequeno, mas é o suficiente por hj.

Ah, tô escrevendo outra fic, acho que será Sulay, ainda não decidi, com o tema de mitologia grega.♡ Se der certo, logo posto ela.

Ah, tem gatinho diferente tbm, que eu acabei mudando o capítulo que eu ia postar, mas PROMETO que posto aquilo! Tenho uns 2 ou 3 caps pra postar já.

Enfim, muuuuuuuuuuuito obrigado pelo amor que vcs estão dando pra fic. O feedback está tão lindo, que eu realmente fico pasma ao ver os números. Não imaginava que vcs iriam gostar tanto ♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡

Bom, vamos ao cap! Espero que gostem, boa leitura e bom dia!

Capítulo 6 - The Beginning of The End


Fanfic / Fanfiction The Delights of a Sin - Capítulo 6 - The Beginning of The End

○●○●○88○●○●○

Ah, heat is up, ladies, fellas drop your cups
Bodies packed, front to back, move your ass, I like that
Tight hip huggers, low for show
Shake a little somethin' on the floor
I need that, uh to get me off, sweatin' till my clothes come off


Uma das melhores partes em ser irmão de Jongin, era que apesar de ser um Lúpus, diferente da maioria, o Alfa não ouvia músicas pesadas, ou até mesmo nem ouvir, ele ouvia pop. Mas não era qualquer pop, era aquele que com toda certeza os outros Alfas o zoariam por estar ouvindo.

Basicamente, Jongin amava ouvir Christina Aguilera, Britney Spears, Shakira, Rihanna, Madonna, etc. Enfim, deu para entender né? Quando ouvia música, o Lúpus se soltava e queridos, Baekhyun dava boas risadas.

E bem, esse foi o caso ao abrir a porta de casa e dar de cara com o irmão mais novo, de shortinho moletom, sem blusa, segurando uma vassoura e com um pano de tirar pó, no ombro, descendo até o chão com a bunda empinada, ao som de Dirrty, Christina Aguilera.



Let's get open, cause a commotion
Still goin' eight in the mornin'
There's no stoppin' we keep it poppin'
Hot rockin', everyone's talkin'



J- Give all you got (give it to me), just hit the spot. Gonna get my girls, get your boys, gonna make some noise.- Melhor parte era ele cantando com emoção.


Baekhyun ainda rindo, fecha a porta e se aproxima do som, o desligando, gargalhando quando Jongin cala a boca e acaba despencando no chão.- Para um Alfa durão, você rebola bem essa cinturinha ai.- Tenta imitar o irmão e coloca as mãos na cintura, rebolando a bunda e rindo.


J- Não se pode nem ter privacidade nessa casa.- Bufa e levanta, voltando a varrer o chão.


B- Não sei se você percebeu.- Se joga no sofá.- Você está no meio da sala, da casa que divide com mais três pessoas.- Jongin bufa, mas não responde.- Ok.- Levanta e vai à cozinha.- MAS QUERO SABER COMO FOI A NOITE.


Por um segundo, o Lúpus paralisou ao lembrar, lembrar não, ao pensar na noite, já que esquecer seria impossível. Bem, o motivo da música alta, além de ter que limpar a casa, era a felicidade sem fim por finalmente ter tido aquele homem nos braços.

Mas tecnicamente, para Baekhyun, ele apenas saiu com amigos, então ele não sabia de seu interesse por Alfas.

Ou melhor, por um Alfa.


J- Boa.


B- Só boa? Com quem você saiu mesmo?


J- Com uns amigos da faculdade.- Dá de ombros e larga a vassoura encostada na parede.- E a sua noite?- Pega o pano no ombro e começa a tirar o pó da mesa de centro.


B- Normal. Nós vimos um filme e depois dormimos.- Mesmo com os pais em cima, ele conseguia pular o muro e ir para a casa dos namorados.- Mas sabe, eles me falaram uma coisa interessante.- Volta pra sala com uma maçã nas mãos, e observa o irmão passando o pano na enorme televisão que possuíam na parede.


J- O que?- Pergunta sem interesse, só no automático. Não que estivesse tentando ser chato, só teve seus pensamentos tomados por um certo Alfa de lindas tatuagens.


B- Sobre você gostar de meu noivo.- Morde a maçã e sorri contido quando Jongin trava e prende a respiração.- E então?





○●○●○94×88○●○●○




Algumas horas antes…




○●○●○88×94○●○●○





Impressionado.


Isso, essa era a palavra que queria achar.

A única coisa que se passava na cabeça do Alfa era em como aquilo tudo o deixou impressionado. Se acostumou com Jongin rápidos demais.


Aquela noite foi uma das que com certeza entraria para a lista das melhores, junto com a que Luhan conheceu o casal de estrangeiros novatos em Seul, a que conheceu Sallyra, Junhoe e a pequena Alaïs, e a do casamento de Yonghwa e Shinhye, em uma capelinha no meio do nada.



Apesar de ficarem com vergonha, os dois voltaram pra mesa para se sentarem com os amigos. Mas ao contrário do que pensaram, os híbridos não comentaram nada do beijão de cinema protagonizado a minutos atrás, apenas sorriram e agiram como se nada tivesse acontecido.


E bem, vocês realmente acharam que Sehun tinha deixado de “frescura” e se entregado a Jongin?

Pois acharam errado. O Alfa apenas decidiu curtir aquela noite, não se importar com olhares ou qualquer coisa do tipo, ao lado do dono de seu lobo. Ele passou a noite toda de mãos dadas com o Lúpus, trocando carinhos discretos e tímidos, enquanto o mesmo dividia sua atenção entre Sehun e os amigos.

Mas seria apenas aquela noite. Amanhã provavelmente voltaria a fugir do Lúpus e agir como se não tivesse uma marca dele no ombro.


Tudo ficou ainda melhor quando Anthony apareceu, com uma camisa negra e uma gravata vermelha, calça e sapato sociais, com os cabelos soltos, descansando sobre os ombros e um cigarro entre os lábios. Ele entrou no bar, como sempre chamando a atenção por sua beleza natural, seus cabelos negros combinando com sua palidez anormal, os olhos azuis destacados pelas olheiras avermelhadas e escuras, que lhe deixavam só mais charmoso.


Luhan não poderia ter namorados melhores.


O Lúpus avistou os namorados e foi em direção a mesa, vendo Sehun de mãos dadas com Jongin. Sorriu pequeno e se aproximou do Alfa tatuado, deixando um selo na testa do mesmo, antes de pegar Luhan pela cintura e se sentar no lugar do Beta, o sentando em suas pernas.


Yonghwa não aguentou e começou a encarar o Lúpus enorme e recém chegado na mesa, com curiosidade. Será esse o tão amado hyung de seu Sehunzinho?- Hã… Sou Park Yonghwa, amigo de escola do Sehun.- Sorriu e esticou a mão em direção ao Lúpus, com um sorriso de canto no rosto.


Anthony sorriu pequeno e pegou a mão delicada do Ômega, a levando aos lábios e deixando um beijo contido nela.- Prazer em conhecê-lo, Anthony Way Jr., amigo do Sehun.


J- Ele não foi tão educado assim quando me conheceu.- Sussura para Sehun, que não aguenta e começa a rir baixinho.


S- Anthony-hyung é assim com os Ômegas.- Sussura de volta.- Espera…- Se vira e olha o Lúpus nos olhos.- Você queria beijinho na mão, donzela?- Prensa um lábio no outro, tentando conter uma gargalhada.

Estranho, Sehun não ria tanto assim.


Maldito Alfa Lúpus que domina até mesmo seu jeito de ser.


J- Lógico que não, idiota!- Dá um tapa no amante.- Você me entendeu.- Bufa.


Sehun deixa uma risadinha escapar e segura o queixo do outro, o aproximando e lhe dando um selinho demorado nos lábios tão tentadores daquele moreno bonito.- Ele foi criado por uma família tradicional da Inglaterra. Mesmo nascendo em New Jersey, aprendeu desde cedo a ser um cavalheiro com Ômegas.- Virou seu rosto e olhou seu hyung.


J- Ele não é assim só com Ômegas.- Observou o outro Lúpus também.- Você e Luhan não são Ômegas.- Franziu as sobrancelhas.


S- Ah.- Riu leve.- Antes mesmo de cavalheirismo, ele trata Luhan e Frank-hyung como uma pessoa deve tratar sua alma gêmea.- Sorri, se lembrando de uma manhã em que dormiu no apartamento dos namorados e acordou junto com Anthony, já que dormiam todos na mesma cama, e conversaram entre sussurros.  



S- Porque vocês vieram para Seul?- Se vira na cama, abraçado a Luhan, que tinha o agarrado no meio da noite e não o largava mais.


A- Minha família não gostou muito da idéia quando comentei que sentia falta de algo na minha relação com Frank.- Acaricia os cabelos do Ômega adormecido, que estava enganchado ao seu braço, e com uma mão, segurava o braço de Luhan.- Eu amo ele, mas sentia que faltava algo. Frank concordou comigo, e acabamos indo embora de lá.- Seu olhar era perdido no teto.

“Minha mãe se revoltou com a idéia de quem sabe largar o meu Ômega e procurar outro. Ela não tinha entendido.”- Sorri fraco, sem emoção.

“Então eu sai de casa. Ela queria brigar todo dia por conta disso, que eu não devia largar Frank e tudo mais. Eu não iria largá-lo. Mas ela insistia que sim, que eu ia largar o melhor Ômega que eu poderia ter.”- Sua voz não passava de um sussurro naquela manhã calma de domingo.

“Acabei indo morar com Frank. Ele morava sozinho em um apartamento pequeno no centro, perto da loja de discos que trabalhava, então meio que ficou ruim um homem do meu tamanho em um lugar pequeno daquele.- Sorriu.- Conversamos e chegamos a conclusão que seria melhor se nós mudássemos. Procuramos casas, apartamentos, lofts, pensões, tudo, mas não iríamos conseguir pagar nada.- Suspira.- Estávamos desanimando, quando recebi uma ligação.”

“Um amigo que estudou direito comigo, disse que precisavam de um advogado urgente em uma empresa que trabalhava aqui, em Seul. Aquela foi a nossa oportunidade, conversei com Frank e logo estávamos em território coreano.”


S- Ah…- Olha pra baixo e vê Luhan suspirar e apertar os braços em sua cintura, ainda dormindo.- Que bom que deu tudo certo.- Sorri contido e também aperta o pequeno Beta.


A- Uhum.- A pele extremamente branca, brilhava levemente com a luz fraca que entrava pela persiana.- Frank e Luhan são os bens mais preciosos que possuo.- Olha sonhador para os dois adormecidos.


Mesmo com um roncando e o outro babando, balbuciando coisas desconexas, eles eram a paisagem mais belas e perfeitas que o Lúpus já vira na vida.



S- E comigo, eu acredito que seja pela convivência.- Dá de ombros, rindo baixo.- Quando nos conhecemos, Frank-hyung se apaixonou pelos meus olhos, no dia eu tinha esquecido as lentes.- Suspira.- E não saia mais do meu lado me perguntando como era ter olhos de cores diferentes. Até o Anthony-hyung aparecer e ficar me encarando.- Dá uma olhada rápida no Lúpus citado.- Quase uma hora depois, ele interrompeu as perguntas do Frank-hyung e disse que meus olhos transmitiam o menino inocente e frágil que eu era.- Franziu as sobrancelhas, rindo.- Eu meio que fiquei bravo com as palavras dele, nunca gostei de ser chamado de fraco.- Dá de ombros.- Mas depois que eles entraram em um relacionamento com o Luhan, não me deixaram mais em paz, me tratando como um irmão mais novo.- Sorri gentil.


J- Hm…- Se perde no olhar amoroso que o Alfa a sua frente lançava para o trio de namorados que conversava animadamente, e por um momento, sentiu inveja.


Queria tanto ser o motivo desse amor tão lindo…





Y- Sehun falava muito sobre você.- Comenta pegando da mão da esposa o copo de whisky e tomando um gole.

Há, Shinhye tentava passar um ar mais “másculo” só por ser Alfa, mas quem era pé de cana mesmo era o Ômega.


A- Jura?- Arreia uma sobrancelha.


Y- Sim.- Toma outro gole.- Ele vivia falando do hyung dele. Hyung isso, hyung aquilo, afe, era um saco ficar perto dele quando começava.- Bufa.


Anthony olha de canto para o Alfa citado da conversa e vê o mesmo conversando baixinho com Jongin.- Posso lhe perguntar onde vocês se encontravam?


Y- … Hã?- Arregala os olhos rapidamente, mas disfarça quando sente Shinhye lhe cutucar na cintura.- Na nossa casa.- Dá de ombros.- Eu gosto de redecorar minha casa.- Sorri maroto.- E como a Hye tá sempre ocupada, acabo chamando ele.- Só ouvem a mulher rir, provavelmente imaginando a desgraça de Sehun ao se matar empurrando e carregando coisas a mando de Yonghwa.

Tudo bem que eles se viam nos rachas, mas Sehun infelizmente era obrigado a ajudar Yonghwa mesmo. Isso a quase um ano atrás.


A- Hm…- Arreia a sobrancelha direita.- Sehun nunca falou sobre vocês.


Y- Ele não se importa com a gente.- Pega um guardanapo da mesa e finge secar os olhos.- Tanto que nos abandonou por um ano.- Põe a mão no peito, fingindo que se mergulhava em lágrimas, enquanto Sehun, que passou a ouvir a conversa, olhava o Ômega, com cara de tédio.

Yonghwa amava drama.


Shin- Ele é um merda.- Sorri de canto e desvia do garfo que o mencionado ataca.- Vai partir pra agressão agora?!- Olha cômica para o outro Alfa.


S- Paro, Hwa.- Suspira.- E eu só não te mando pra puta que te pariu, Hye, porque eu respeito tua mãe.


Shin- Ela nem gosta de você mesmo.- Dá de ombros.


O tatuado bufa e sente o amante lhe dar um beijo na bochecha, atraindo sua atenção. Sorri e junta as bocas em um beijo lento e carinhoso, rindo quando ouve Luhan cochichar o quanto os dois são lindos juntos.


É, a noite estava sendo boa.







Em uma hora da noite, o celular de Sehun começou a tocar, chamando a atenção da mesa. O Alfa olho na tela e se levantou da mesa, atendendo e sem perceber, deixando Anthony ouvir um nome ser pronunciado pelo mais novo.


Sallyra


Yonghwa observou o Alfa parar perto dos banheiros e parecer brigar com a pessoa no celular, então deu um beijo na bochecha na esposa, com a mesma acenando a cabeça, entendendo o que estava acontecendo e permitindo o mesmo ir atrás do outro Alfa. Levantou e foi em direção a Sehun, chamando a atenção do resto da mesa.


F- O que aconteceu?- Pergunta olhando os dois.


Shin- Não faço idéia.- Mente, tranquila.


L- Você não sente ciúmes dos dois?- Vê o Ômega tocar o braço que o Alfa rodeou por sua cintura.


Shin- Nem um pouco. Eles sempre foram assim.- Dá de ombros.


F- Vocês três estudaram juntos mesmo?- Parece que sobrou para a Alfa o interrogatório.


Shin- Uhum.- Olha os dois abraçados. Sehun parecia nervoso.- Eu me mudei no meio do ano letivo para Seul, então quando cheguei, eles já eram inseparáveis.- Sorri.

“Pelo o que eles me disseram, Hwa era alvo de um grupo idiota de Alfas, e um dia, eles tentaram estuprá-lo.- Bufa ao lembrar de quando Sehun e Yonghwa lhe contaram como se conheceram.- Sehun o salvou e a partir daquele dia, não se desgrudaram mais.”

“Acabou que o merdinha nos juntou e hoje estamos casados.- Olha novamente para o esposo e Sehun, suspirando ao ver os dois nervosos. Ela já imaginava que era por conta dos rachas, então nem falava nada.- Inclusive, Sehun é nosso padrinho de casamento.”


L- Sério?- Seus olhos brilham.


Shin- Uhum.- Ri.- Nos casamos escondidos de nossas famílias, minha linda sogra queria arranjar um casamento com um rico pro Hwa.- Bufa.- Então o único que soube foi Sehun, já que o merda era importante pra gente.

“Nos encontramos em uma capelinha de beira de estrada, eu e Hwa com roupas de trabalho.- Ri ao lembrar.- E nos casamos, com Sehun como testemunha.”


L- Aí que lindo.- Sorri graciosamente.


A- … Ainda acho estranho ele nunca ter mencionado vocês.- Anthony não era idiota. Dentre todos ali na mesa, ele era, provavelmente, o mais inteligente.


Shin- Ah,- Suspira, pedindo desculpas internamente para Sehun.- Nós meio que somos um lado que Sehun prefere ocultar.


Aquelas palavras foram o suficiente para que a mesa calasse e prendesse seu olhar na Alfa de roupa esportiva. A mesma apenas pegou seu antigo copo de whisky, que ainda estava pela metade, e tomou um gole, fazendo uma careta ao sentir o líquido.


Shin- Deveriam prestar mais a atenção nele.- Olha o citado.- Sehun pode ser mais complexo do que vocês imaginam.- Se cala ao perceber o cheiro do esposo se aproximar.


Y- Me desculpem, mas preciso ir embora.- Segura na mão de Shinhye e a força a levantar, não tendo muito sucesso.- Vamos!


Shin- Estamos sem carro.- Fala com preguiça.


Y- Sehun me deu a chave da camionete.- Se vira para os outros na mesa.- Tchau, foi um prazer conhecê-los.


Shinhye apenas franzi as sobrancelhas, mas segue o esposo, se curvando e se despedindo dos outros híbridos.

Enquanto observavam os dois irem embora, nem perceberam Sehun voltar, com a cara cansada.


A- O que aconteceu?- Foi o primeiro a notar o Alfa.


S- A chefe do Yong me ligou, reclamando que ele não atende o celular e que é para ir na empresa agora.- Sorri contido.


Sehun não queria, mas era preciso mentir. Na verdade era Sallyra no celular, Junhoe aparentemente levou a pequena Alaïs para a festa que geralmente dão depois dos rachas, e perdeu a menina no meio do povo. Ao ouvir isso Sehun ficou possesso e quase liberou sua presença ali no bar, ainda bem que tinha se afastado da mesa. Começou a discutir com Sallyra, a obrigando a ir procurar a pequena, e a mãe devolvia falando que já olhou em todo lugar, até que Yonghwa chegou e ouviu a conversa, se oferecendo a ir até a festa e ajuda-lá a encontrar a filha.

Sehun queria ir, mas sabia que não poderia com quatro pessoas ali na mesa, não sabendo nem da existência de pessoas chamadas Sallyra, Junhoe e Alaïs.







No final, acabou que Sehun cumpriu com o que planejava.

Antes de ir para casa, na garupa da Harley-Davidson Fat Boy Shadow Rocket, customizada, já que a original não possuía garupa, de Anthony, o Alfa tatuado chamou Jongin para a viela que tinha ao lado do bar, sobre o aviso de Frank para serem rápidos, e logo prensou o Lúpus moreno na parede, atacando seus lábios.

Como planejava fugir novamente amanhã daquele sentimento, decidiu ter sua última vez.

Entre apertões na cintura, garras fincadas na carne, suspiros e rosnados, chupões nos pescoços e beijos afoitos, o Alfa supriu nem metade do real desejo, mas era o suficiente.

Tinha medo de deitar com Jongin e acabar criando uma dependência, exatamente o que ele evitava, contrariando a mordida insistente em seu ombro.


Essa história não está nem na metade ainda, a hesitação do nosso belo Alfa tatuado está longe de acabar.




○●○●○88×94○●○●○



Voltando ao presente…



○●○●○94×88○●○●○




J- O que?- Pergunta sem interesse, só no automático. Não que estivesse tentando ser chato, só teve seus pensamentos tomados por um certo Alfa de lindas tatuagens.


B- Sobre você gostar de meu noivo.- Morde a maçã e sorri contido quando Jongin trava e prende a respiração.- E então?




J- …


Bem, ele definitivamente não esperava isso.

Sua cabeça, apesar de sempre viajar pela maciez que aquela pele tinha, o odor forte de rosas, ah, um belo e maravilhoso roseiral, e em seus suspiros quentes, ainda tentava desvendar o mistério que aquele Alfa era.

Aquela junção desesperada de bocas naquela viela não foi sem um propósito. Sehun parecia esconder algo, sentia isso toda vez que se aproximava do mesmo. Mas antes ele até entendia, todos nós temos segredos, agora, ele percebia que talvez seja mais sério do que pensava.

E era provavelmente o que impedia o Alfa de se soltar. O imaginava preso em correntes que apertavam cada vez mais seu pescoço, a cada movimento.

Aquilo era de certo modo assustador. Porque diabos quando botava seus olhos em Sehun, imaginava uma bela rosa acorrentada?


B- Jongin?


Acorda de seus pensamentos e como um tapa bem dado no meio da fuça, se lembra do irmão.  


Puta que pariu, nunca tinha pensado em como contaria sua preferência para Baekhyun.


J- Seus namorados são bem astutos.- Responde e se recompõe, voltando a limpar a televisão como se nada tivesse acontecido.


B- Não é? Eu, por exemplo, nem tinha notado isso.- Morde a maçã e caminha até o sofá, se jogando nele novamente.


J- Você não tem essa capacidade.- Dá de ombros e consegue pegar a maçã que o Ômega tenta atacar em sua cara.- Calma.- Ri.


B- Não me provoca, Wu Jongin! Fala!!


Suspira e deixa o pano de tirar poeira em cima da mesa, se aproximando e compartilhando o sofá com o mais velho.- Ok, eu conto.- Desvia o olhar para a parede.- Eu estou apaixonado por um Alfa...


Uou, falar aquilo em voz alta foi um soco nele mesmo.

Não que seja ruim, lógico que não, mas era uma surpresa. Jongin era homem de uma noite, sua vida era composta por dança, dormir e muito sexo.

O Lúpus era um verdadeiro homem da gandaia e a palavra “paixão” nem ao menos tinha significado em seu dicionário!


Já hoje, ela tem nome e sobrenome.


B- Nossa…- Olha para a mesma parede que o mais novo estava perdido.- Não imaginava isso de você.- Franzi as sobrancelhas.- Um Alfa Lúpus que come Alfa, interessante. Não é todo dia que vemos isso por aí.- Solta uma risada.- Mas o que eu realmente queria saber, era do porque não ter me contado antes.


Ao ouvir aquilo, se vira para o irmão e sente seu coração apertar ao ver a expressão triste do outro.


J- Desculpa.- Abaixa a cabeça.- Eu não sabia como você ia reagir. E com toda essa briga sobre o seu namoro, eu preferi não piorar.


B- Piorar o que?


J- Esse clima de merda!- Bufa e levanta, pegando o pano empoeirado.- Não somos exatamente o que Mommy e Daddy esperam. Você gosta de dois Alfas e tem um relacionamento triplo, eu gosto de Alfas e estou apaixonado por um.- Vai à bancada que separa a cozinha da sala e começa a tirar o pó.


B- … Não sei se acho fofo você se esconder por mim, ou estar apaixonado pelo Sehun.


J- ...para de ficar falando isso…- Murmurou envergonhado. Já não bastava ter Chanyeol enchendo seu saco sobre isso, agora tem o irmão.  


Baekhyun franziu as sobrancelhas e olhou para o irmão, o vendo encolhido, apoiado na bancada, todo vermelhinho.- Não aceitou isso ainda?- Sorri graciosamente ao notar o quanto seu irmãozinho ainda era uma criança, aquela criança que mesmo sendo um Alfa Lúpus chorava quando a luz desligava e o escuro reinava, ou quando o som do trovão ecoa pelos corredores daquela enorme mansão.


J- … Não é que eu não tenha aceitado…- Murmurou baixinho.- Sei que gosto muito dele, só… sei lá…


B- Ownt, meu filhotinho de urso.- Se levanta e vai até o outro. Puxa o irmão e rodeia seus braços ao redor de seus ombros, apoiando o rosto do outro em seu peito, o ninando.- Não tem nada de errado amar alguém, ainda mais se essa pessoa te faz feliz.

“Se te faz desejar ele a todo momento perto de ti, o abraçando, beijando, amando. Se te faz imaginar um futuro onde se encontra vocês dois velhinhos e de mãos dadas, observando seus filhotes se casarem.- Sua voz sai calmamente, enquanto acariciava os cabelos prateados do Lúpus.- A vida é fácil, nós a dificultamos escolhendo caminhos desnecessários e complicados. Então se o destino está te dando uma chance dessa de viver em paz ao lado da pessoa perfeita, não desperdice."

“Aprendi isso quando conheci Jongdae e Minseok. Podemos não ter um namoro normal, mas é ao lado deles que vi minha eterna paz.”




○●○●88×94○●○●




A- Você não vai viver muito desse jeito.


S- … Ju-jura?!- Pergunta irônico, tentando recuperar o fôlego.



A cena que se passa agora, no banheiro da suíte do casal a três, não era muito agradável para olhos fracos.

Sehun se encontra debruçado sobre a pia, tentando encontrar algum equilíbrio para se manter em pé. Seus lábios estavam quase sem cor, sumindo pela pele leitosa, apenas manchada com o rubro que escorria e pintava suas roupas. O cabelo estava grudado na testa, tendo o suor como cola, e se não fosse uma situação tão séria, os olhos que tremiam, tentando criar foco, seriam sensuais demais até para Anthony que observava da porta do banheiro.


Não estão entendendo? Então farei um breve resumo para que podemos voltar a cena.


Após chegar em casa depois de saírem do bar, na noite passada, Anthony notou que Sehun estava meio abalado, parecia prestes a chorar, mas não comentou nada, sua personalidade era mais de observar do que de agir.

Luhan e Frank, cansados demais para perceberem algo, só se abraçaram e caíram na cama, roncando logo depois, levando o Lúpus a rir baixo e se aproximar, puxando Sehun, para que deitassem também.  

Não soube dizer em que momento da noite acabou abraçando o Alfa tatuado, mas acordou com o mesmo tentando sair do aperto, com uma cara de dor tão sofrida que desesperou Anthony, o forçando a largá-lo. Não passou um segundo e Sehun já tinha corrido para o banheiro, vomitando tudo que ainda não havia digerido, junto a uma água avermelhada, coisa que o Lúpus notou não ser um sinal bom.

Após vomitar, ele levantou e começou a tossir sangue, sujando suas mãos e roupas com o tom tão forte de vermelho, que em compensação, levou embora ainda mais sua cor, o deixando quase tão pálido quanto Anthony é.


Olhou seu reflexo no espelho e suspirou ao ver que provavelmente estava acontecendo o que uma hora ou outra iria começar.


Sua morte.






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...