História The depressive girl from facul - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Meninas Malvadas, Supernatural
Personagens Dean Winchester, John Winchester, Personagens Originais, Sam Winchester
Visualizações 11
Palavras 1.281
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Mutilação, Sexo, Spoilers, Suicídio
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Chapter IV


Pov Olívia:


Ele não podia parar de ser um escroto uma vez pelo menos?

Bufei e sai de perto deles indo para outro corredor e pegando algumas frutas -Olivia!

-Oi Sam.

Disse baixo e olhei para ele -Desculpe pelo Dean.

-Tudo bem, não deve se desculpar pelo seu irmão.

Dei um sorriso forçado e continuei a olhar as frutas -Olivia..

-Sam.. Isso não é culpa sua, nem do seu irmão ok?

-Claro que é, ele que faz isso.

-Sabe Sam? Uma vez a mulher do orfanato me disse uma frase "Se você é o motivo da risada de alguém, do sorriso de alguém, mesmo que o motivo dela rir te machuque, continue, porque essa pessoa ri de você e faz pessoa feliz então, continue."

Terminei e senti braços quentes e grandes me envolverem num abraço apertado, fazia tanto tempo que ninguém me abraçava deste jeito. Me desabei no peito de Sam e ele começou a afagar levemente minhas costas -Esta tudo bem Olívia, shii.

*

Eu já estava passando as compras e Sam apareceu, novamente -Oi Olívia.

-Oi Sam.-Respirei fundo -Quer ir lá em casa?

Ele sorriu -Sim, hoje?

-É, eu moro ali descendo a rua da faculdade, uma casa de portão branco, de número 221.

-Tudo bem, depois eu passo lá.

[...]

Já era quase meio dia quando recebi uma mensagem de Sam.

-Olivia?

-Oi Sam.

-Tudo bem se eu levar meus pais?

-Eles queria tem conhecer..

-Não! Pode vir com eles!

-Tudo bem, em uma hora estamos chegando!

-Ok!

Tomei um banho já que eu tinha ido correr um pouco. 

Coloquei um cropped cinza, um shorts jeans de cintura alta e uma blusinha branca por cima, por ultimo um tênis branco também.(Roupas notas finais)

Sequei meu cabelo, e terminei de fazer meu macarrão com queijo.

Coloquei os pratos na mesa, os copos, os talheres e me sentei no sofá abrindo meu Instagram e procurando alguma foto que eu tinha, fazia milênios e milênios que eu não postava uma única foto e estou com uma puta preguiça de tirar foto.

Achei uma foto de quando eu estava na praia, e eu fiz um amigo lá. O nome dele é Justin, não não é o Bieber kkkkkk.

Mas ele acabou se casando e nós paramos de se falar porque sua mulher tinha muito ciúmes de nós dois, mas resumindo, ele que tirou essa foto.

Fiquei mechendo mais um pouco no celular e ouvi a campainha. Me levantei e andei até a porta, abrindo a mesma vendo Sam uma mulher atrás de cabelos loiros e um homem ao seu lado.

-Oi Sam.

Disse e ele sorriu me abraçando e dando-me um beijo na bochecha -Esses são meus pais, Mary e John.

-Prazer em conhecê-los!

Disse e os coprimentei -O prazer é todo nosso, Olívia não é?

-Isso.

Sorri e dei espaço para eles entrarem -Eu fiz macarrão com queijo, vocês gostam?

-Eu amo!

Sam respondeu me fazendo rir, nos sentamos na mesa e começamos a comer.

-Como você conheceu o Sam?

O Pai de Sam perguntou - Foi no começo desse ano, conheci ele pelo Dean.

[...]

Os pais de Sam já tinham ido e ele também, quando bateram na minha porta, novamente.

-QUE DESGRAÇA, JA VAIIII!

Gritei e desci rápido as escadas, e abri a porta vendo Dean,Miguel, Gabriel e Lúcifer.

-Que boca suja em Olívia.-Disse Dean e eu lhe mostrei meu dedo do meio.

-O que porra vocês querem aqui?

-Sam me contou que veio na sua casa, e que ela é enorme.

-E?

-E que como ela é grande, queríamos fazer uma festa nela.

-Vai sonhando meus anjos.

Disse e entrei -Vamos Olívia! Você faria isso por mim, não faria?

Ouvi a voz rouca do Winchester e dei risada -Claro que não meu lindo, não faria.

Apertei seu rosto em minhas mãos e ele bufou -O que você quer?

-Nada, vão embora daqui.

-Dinheiro? Quer dinheiro?

Ouvi a voz de Miguel e eu dei risada -Não.... Vamos fazer um acordo..

Disse e os quatro sorriram -Vocês fazem a festa, mas.... Quando acabar vocês limpam a bagunça toda.

-Fechado! Podemos usar os quartos?

Dean perguntou -Podem menos o meu, que é o primeiro do corredor.

-Isso! Daqui a pouco vamos trazer as coisas para cá.

[...]

Já era quase nove horas quando ouvi música alta, e meu gatinho estava dormindo ao meu lado enquanto eu assistia um filme.

~~

Eu estava com a mesma roupa de antes, não queria trocar, apenas fiz um coque bagunçado e desci vendo várias pessoa dançando e bebendo.

Passei pela cozinha e abri a geladeira pegando um cerveja, olhei para a parede onde fica uma foto dos meus pais e a mesma estava rasgada, senti meus olhos marejarem e a raiva consumir meu corpo, olhei para o lado onde o Winchester jogava dardo nas paredes -Seu inútil.

Disse e andei até ele segurando seu rosto com minhas mãos - Ah Oi Olivia!

Ele estava quase bêbado, dava para perceber, dei um joelhada em suas bolas e ele caiu no chão resmungando.

-Olivia a virgem, quem você acha quem é pra bater no meu homem assim?

-Cala boca Regina.

Disse e me virei pronta para subir novamente, quando senti unhas cravarem em meus pulsos -Você não me manda calar a boca, sua virgem.

Com um pouco mais de força inverti as posições e segurei seus pulsos com uma das minhas mãos -Eu não sou virgem que desgraça!

-Não é meu amor?  Então conta a história ai pra gente.

-Você não vai querer saber minha lindinha.

-Então quer dizer que você está mentindo?

-Cala boca sua puta.

Disse e apertei mais minhas unhas em seu pulso fazendo ela resmungar de dor, vi Gabriel se aproximar de mim -Gabriel não, eu tenho uma mão e outro pé.

Disse e ele se afastou -Vamos Olívia! Conte para nós sua história!

Gabriel gritou e eu neguei -Então você é virgem!

-PORRA!-Gritei com raiva -Então vocês querer ouvir? Então vamos lá.. Eu estava em casa, quer dizer, orfanato não é? Eu tinha sete anos, tinha acado de fazer sete anos, eu estava sem sono de madrugada então acordei para beber um pouco de água, e assim eu fiz. Bebi um pouco de água e então ouvi risadas e tamparam minha visão com um pano, eu acho. Eu me lembro, que rasgaram meu vestido e abusaram de mim, e também lembo de um cara gritar "VAMOS EDWARD !" E depois ele tirou o pano do meu rosto e saiu correndo. Isso aconteceu novamente meses seguintes, depois aconteceu quando eu fiz nove anos, depois ao treze e por último aos quinze. Era isso que você queria ouvir Regina? Era isso mesmo.

Disse e já sentia as lágrimas escorrerem pelo meu rosto -Uau...

Regina deu risada -Mas então.. eu não vou ficar chorando aqui, vou me divertir não é Regina? Contar sobre seus podres.

-Cala a boca garota!

-Não minha linda!-Apertei mais seus pulsos -Deixa eu contar pro seu namoradinho, sabe Dean... Sua namoradinha mentiu para avoce várias vezes e você nem sabe. Regina reprovou e mentiu que passou um ano em Portugal, ela mentiu para você meu anjo. Ela te trai todas as sextas na sala de vídeo, o que mais Regina? -Dei risada e olhei para Dean que estava sentado numa cadeira -Ah é verdade, ela transou com o professor Robert, e não usou camisinha, pois é Dean, você pode estar com uma doença de um velho de sessenta anos. E ela engravidou ele e depois abortou. Acho que é só isso. E pra você Gretchen, a casa não é desses três, é minha os três ainda moram com a mamãe.

A soltei e cheguei perto de Gretchen -Oi Gretchen quero te mostrar uma coisinha.

Peguei o celular de Miguel que estava no meu bolso e o desbloqueei, abrindo sei WhatsApp e mostrando a conversa de Miguel com Sophie.

-Sim meu amor, ele está te traindo. Eu sinto muito. -Começei a subir as escadas -E Gretchen -Ela olhou para mim com os olhos cheios de lágrimas -Não liga pra Regina não, seu cabelo é maravilhoso.

-Obrigado.

Sorri e me virei mostrando meus dois dedos do meio -Se divirtam Bitches.

Dei risada e entrei no meu quarto e chorei, lembrando daquele dia horrível.

Continua...


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...