1. Spirit Fanfics >
  2. The Detective >
  3. Chapter.29- Final

História The Detective - Capítulo 29


Escrita por:


Capítulo 29 - Chapter.29- Final


Fanfic / Fanfiction The Detective - Capítulo 29 - Chapter.29- Final

Det.Min- S/N. S/N, acorda.

Sou acordada pelo detetive, que estava balançando meu ombro. Suspirei fundo e o olhei com os olhos ardendo pela claridade.

-O que foi?

Det.Min- Vamos interrogar o Charlie.

-Agora?

Det.Min- Temos meia hora, tome um banho, está cheirando a cerveja.

-Isso é você.

Det.Min- Eu já tomei banho.

-Vou me arrumar.

Ele saíu do quarto e fechou a porta. Não estava nem um pouco disposta para sair da cama, mas eu não tinha muita escolha no momento, então me levantei, tomei um banho, troquei de roupa, ajeitei meu cabelo, coloquei meu tênis e fui para a cozinha, onde estava uma tijela de cereal na bancada.

-Sabe que é de tarde, né? Deveríamos almoçar.

Det.Min- Não temos tempo, come rápido.

-Você é chato, vou comer porque já está pronto.

Quebra do tempo

O detetive estava interrogando o Charlie e eu estava atrás do vidro ouvindo tudo, junto de mais alguns agentes.

Det.Min- O que levou você a fazer isso?

Charlie-  Você não precisa saber disso, detetive Min. Não tem nada a ver com você.

Det.Min- Vamos de novo. Quem mais está por trás disso?

Charlie não queria cooperar com o detetive, isso vai ser complicado. Aperto um botão que era como um interfone para dentro da sala de interrogatório e digo:

-Estou indo aí.

E assim fiz, entrei na sala de interrogatório, me sentei em uma das cadeiras e olhei para Charlie, ele estava calmo e parecia não se preocupar.

Charlie- Com você que eu queria falar, detetive S/N.

-Comece a falar.

Charlie- Já te disse o que me levou a fazer isso, S/N.

-Sim, responda a outra pergunta que o detetive fez para você.

Charlie- Não é assim que se trata seu superior.

-Superior? Você não é mais um superior. Você é simplesmente um assassino que vai para a prisão logo depois daqui.

Charlie- Eu tenho outros dos meus por todo lugar, o detetive Min pode ser um deles e você não saberia, detetive S/N.

-Ótimo, ele admitiu que tem outros.

Charlie- E eles vão terminar o que eu não consegui e quando você estiver morta, outras detetives vão trabalhar no caso, isso irá se tornar um loop infinito.

Det.Min- Veremos sobre isso.

-Por que matou meu pai?

Charlie- Como eu te disse, lugar errado na hora errada.

-O que iria fazer no bar, naquele dia?

Charlie- Seu pai somente morreu porque você não estava lá, S/N. Você era o alvo.

Det.Min- O que quer dizer?

Charlie- Eu tenho superiores, faço somente o que eles mandam, aparentemente sua mãe devia dinheiro de drogas e falou que você tinha dinheiro. Fui somente fazer meu trabalho.

-Eu não consigo, termine isso sozinho.

Me levanto para sair, mas o detetive segura meu pulso, sua mão estava gelada, mas ainda sim era macia.

Det.Min- Se acalme, sente-se.

Estalo a língua enquanto me sentava, cruzei meus braços e olhei para Charlie.

-Sabe a localização da minha mãe?

Charlie- Ela pode estar em qualquer lugar, detetive.

Det.Min- Quem é seu superior?

Charlie- Por que precisa saber?

-Responda e diminuímos sua pena.

Charlie- Você sabe muito bem que não irá diminuir minha pena.

Det.Min- Ele não vai dizer nada.

Charlie- Sabe o que isso me lembrou? A detetive Chae.

Charlie sabia exatamente como deixar o detetive Min bravo, o canto direito de sua boca se levantou enquanto nossos olhares se voltaram para o detetive. A feição do mesmo está uma mistura de raiva, medo e tristeza. Eu esperava que ele dissesse alguma coisa, mas nada. Ele praticamente paralisou.

-O que você sabe sobre a agente Chae?

Charlie- Eu estava no dia em que ela foi morta. S/N, você deveria ter visto como ele ficou desesperado, chorando e gritando.

-Seu psicopata 

Det.Min- Foi você, desgraçado.

Finalmente o detetive se manifesta, sua voz saí alta, ele se levantou rapidamente, fazendo sua cadeira ser empurrada e bateu na mesa com o punho fechado.

Charlie- Nunca disse que havia sido eu.

-Yoongi, sente-se.

Det.Min- Você, foi você o tempo todo.

Charlie- Não fui eu, eu estava somente presente no local.

O detetive partiu para cima do Charlie e diferiu um soco no maxilar do mesmo, o ódio estava tomando conta dele a cada segundo que se passava.

-Yoongi se acalme, vamos conversar lá fora.

Puxei ele pelo ombro e o levei para fora da sala. Suspirei fundo olhando o mesmo e encostei minhas costas na parede.

Det.Min- Por que me tirou dali?

-Você está descontrolado.

Det.Min- Eu odeio aquele cara. Ele acabou com uma das coisas mais importantes para mim.

-Ele também tirou coisas importantes minhas e de outras famílias. Se acalme.

Det.Min- Era ele o tempo todo, S/N.

-Por mais que você ache isso, pode realmente ter sido outra pessoa.

Ele se abaixou ao meu lado esquerdo, abaixou a cabeça e colocou as mãos em seu rosto. Eu sabia exatamente como ele estava se sentindo e pelo que ele estava passando, sabia o sentimento horrível que estava sentindo e toda dor que ele tinha.

Det.Min- Eu queria somente vingar a Chae.

-Não sei se gosto da palavra "vingar", neste contexto.

Me abaixei ao lado dele, coloquei mão esquerda em suas costas e afaguei a mesma. Ouvi ele fungar várias vezes e vi que sua respiração estava alterada.

-Pare de chorar, hm? A Chae está bem, assim como meu pai.

Det.Min- Não queria que ela tivesse ido dessa forma e a culpa foi toda minha.

-Você sabe que não foi, Yoongi.

Det.Min- Eu falei em um momento que era para ficar em silêncio.

-Eu sei da história...não precisa dizer mais nada se não se sentir confortável.

Det.Min- Eu vou pegar quem matou a Chae.

-Eu vou fazer mais algumas perguntas e vou finalizar, fique aqui.

Minha mão foi até seu cabelo, sorri de labios desanimada, me levantei e voltei para a sala de interrogatório.

Charlie- Sabe, S/N. O detetive gosta bastante de você, não é justo, vou ter que tirar você dele como fizeram com a Chae.

-Você já era, acabou para você, Charlie.

Charlie- Vamos ver isso, S/N.

-Você não irá sair da prisão tão cedo. Agora me responda, quem mais está por trás disso?

Charlie- Acha mesmo que vou te dizer?

-Tudo bem, você que sabe. Interrogatório finalizado.

Saí dali e não vi o detetive do lado de fora, então perguntei para alguns agentes que estavam saindo da sala que ficava atrás do vidro.

-Viram o detetive Min?

Polícial1- Não, detetive.

Polícial2- Vi ele voltando para a mesa dele.

-Obrigado. Podem pedir para alguém tirar o Charlie daqui?

Polícial1- Claro.

Acenei com a cabeça e caminhei para minha mesa. Avistei o detetive em sua mesa, sua cabeça estava baixa, ele estava roendo a unha enquanto olhava para um ponto fixo no notebook.

-Yoongi, tudo bem?

Det.Min- Acho que sim.

-Esqueça isso, vamos achar o culpado uma hora ou outra.

Det.Min- Espero que esteja certa.

-Eu nem sempre estou errada

Quebra do tempo

Já estávamos em junho, eu havia sido transferida para o andar superior novamente porque iria ajudar em um caso de drogas e meu braço estava muito melhor. Continuei morando com o detetive, andávamos ocupados e por isso não nos víamos muito, mas sempre que tínhamos um dia de folga ou estávamos nos finais de semana, saíamos para algum lugar para aproveitar um ao outro.

Hoje, um sábado, recebi uma mensagem do detetive.

Min Yoonguinho

S/N, se arrume, vamos sair hoje.

Sério? Achei que iria trabalhar até mais tarde.

O senhor Choi me deixou sair mais cedo.

Pode me dizer para onde vamos?

Surpresa.

Preciso ter uma ideia para onde vamos, para colocar uma roupa legal.

Você fica bem com qualquer coisa.

Vai me dizer?

Não. Boa sorte, já estou saindo.

Ele normalmente me diz para onde vamos, mas por que hoje não?

Havia tomado banho, colocado uma calça jeans preta, uma blusa de frio branca, e por fim, um tênis. Gostava desse tipo de roupa, me sentia confortável.

Este seria nosso sexto encontro, nos beijamos de verdade já no segundo, era simplesmente incrível a sensação de ter ele para assistir um filme, comer porcaria e rir de piadas sem graça. Não éramos namorados ainda, estávamos fortalecendo nossa relação primeiro. Nunca dormirmos juntos, aparentemente somos muito tímidos e eu odiaria que ele soubesse que eu durmo de boca aberta, é vergonhoso.

Det.Min- S/N, cheguei.

-Foi rápido.

Os passos animados do mesmo vem até mim, o mesmo beija minha testa e me olha.

Det.Min- Disse que ficava bonita com qualquer coisa.

-Se ficar todo meloso eu vou te bater.

Digo brincando, ambos rimos e ele caminha para seu quarto.

Det.Min- Vou tomar um banho, já venho.

Quebra do tempo

Estávamos no meu carro, ele dirigia por ruas iluminadas e cheias de lojas, eu não tinha ideia de onde ele me levaria.

-Não vai me dar boa noite cinderela e depois tirar meu rim, né?

Det.Min- Droga, fui descoberto.

Rimos enquanto ele virava a direita em uma rua. Nossa relação era cheia de brincadeiras, gostava de falar coisas idiotas para ele, era divertido.

Um tempo depois, acabamos parando em um restaurante não muito chique, um pouco cheio e com o cheiro da comida exalando em todo o lugar.

Det.Min- O que acha?

-Vamos comer, está cheirando bem.

Det.Min- Ótimo.

Nós sentamos em uma mesa para dois, fizemos os pedidos e ficamos conversando.

Det.Min- Como está indo seu caso?

-Um colega se infiltrou, está tudo nas mãos dele por enquanto.

Det.Min- Espero que conclua o caso.

-Eu também. E como está indo o seu, que você ainda não me disse sobre o que era.

Det.Min- Não quero te magoar.

-Por que me magoaria?

Det.Min- Lembra a vez que você disse que sua mãe trabalhava em um clube de strip?

-Sim.

Det.Min- Estou investigando o tráfico de mulheres lá.

-Isso é horrível, mas não me magoou. Nem sei quem é minha mãe e muito menos sei se ela trabalha lá, ou está ao menos viva.

Det.Min- Não está magoada?

-Não estou.

Det.Min- Ainda bem, eu não te contei porque achei que ficaria triste.

Quebra do tempo

Nossos pedidos haviam chegado, nós comiamos enquanto conversávamos sobre alguns casos que resolvemos e sinceramente, conversar com o ele me trás lembranças de quando trabalhávamos juntos, sentia muita falta disso. Meus colegas não tinham o mesmo temperamento exagerado que o detetive, eles também não almoçavam comigo, esses tempos eu almoçei sozinha práticamente todos os dias.

Det.Min- Satisfeita?

-Muito.

Det.Min- Vou pagar e vamos para outro lugar.

O detetive paga a conta, saímos do restaurante e ele segurou minha mão, coisa que nunca tinha feito. Nos olhamos e sorrimos um pouco envergonhados.

Det.Min- Vamos a pé, é bem pertinho.

Ele me levou até uma pequena montanha, era um ponto turístico e por isso era iluminada e com algumas pessoas. Nós nos sentamos na grama e olhamos o céu, o céu que estava estrelado e lindo para aquela noite.

Det.Min- Não é lindo?

-Muito. Para falar a verdade, é perfeito.

Det.Min- Eu sei que eu sou, mas eu estava falando do céu.

-Bobo

Rimos baixo e eu recebi uma mensagem do senhor Choi.

Sr.Choi

S/N, Temos um problema.

Do que se trata?

Eu sei que está com o detetive Min, mas provavelmente estão em perigo.

O que aconteceu?

Charlie fugiu da prisão, nas paredes da cela dele haviam mensagens e indícios que ele iria atrás de você.

Obrigado por avisar.

Entreguei meu celular para o detetive e o olhei preocupada.

-Yoongi, olhe.

Det.Min- Isso é um problema. Vamos embora.

Nos olhamos nervoso, levantamos e fomos em direção ao carro. Nós sabíamos que o Charlie viria atrás de mim, mas em quanto tempo? Eu estava a salvo por quanto tempo? O detetive estava a salvo do Charlie ou estávamos na mesma? Qualquer coisa era possível de se acontecer a este ponto, mas eu morrer não será uma das coisas que vão acontecer e eu espero que o Charlie saiba disso.




Notas Finais


Oie.
Espero de coração que vocês tenham gostado da fanfic, ela foi feita com muito amor e criatividade.

Se você acompanhou até aqui, eu agradeço de coração por ter lido.

Agora que meu primeiro trabalho acabou, vou retomar "Uma noite de inverno", se você gostou do jeito que essa fanfic foi, vai amar meu outro trabalho, ele será desenvolvido com muito amor e coração.
Link- https://www.spiritfanfiction.com/historia/uma-noite-de-inverno-19231123

Mais uma vez, obrigado leitor, sem você eu não seria nada👉👈❤️😔


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...