1. Spirit Fanfics >
  2. The Devil Is A Woman - Jenlisa ( G!P ) >
  3. First Day

História The Devil Is A Woman - Jenlisa ( G!P ) - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Oii povo td bem ? Espero que sim... quero agradecer a todos q estão comentando e favoritando na história, isso ms ajuda muito, obg 💙 espero que gostem do cap, talvez, eu fiz ele meio curto, diferente do outro q eu fiz 4.000 palavras kkkkk.



Comentem nessa e em outras fics do meu perfil. Eu perdi o decker_lini e estou tendo que começar td d novo, ent me sigam, pfv, para que vcs possam ver as minhas outras fics originais que são :




The Lady of the mafia, room 24, the devil dresses chanel, suicidal love e possessive love, elas eram todas de jenlisa e ja estavam alcançando os 200 fav. Estou chateada por isso ainda.





Boa leitura viu 💕🇰🇷




Amo vcs 😚

Capítulo 2 - First Day


Fanfic / Fanfiction The Devil Is A Woman - Jenlisa ( G!P ) - Capítulo 2 - First Day




Leiam as notas do autor !








Pov jennie













"Má, eu vim pra lhe dizer que ela é má, definitivamente má, teimosa, escandalosa e má, definitivamente. "




"A tensão está ficando mais pesada e 
Eu gostaria de segurar a cabeça dela debaixo d'água"





                                           - Doin' Time













                 - 4 ANOS ATRÁS - SEOUL










A escuridão da noite tomou conta do lindo céu, retirando suas nuvens e colocando as belas estrelas no lugar.








Meus pés doíam. Eu estava andando a mais de uma hora, e não conseguia mais tentar saber para onde iria. O relógio em meu celular, marcava as meia noite e sete... talvez eu fique vagando mais um pouco.










As ruas estavam desertas. Nenhum sinal de carros, ou pessoas. Só havia eu ali, naquele espaço que nem sabia onde era.










O frio, tomou conta do ambiente também, me fazendo apertar o casaco contra o meu fino corpo. Meu telefone estava com cinco por cento de bateria, e eu esperei por minha omma ligar, mas quem disse que ela fez isso ?










Atravesso o grande e extenso corredor de um "beco" que estava com algumas caçambas de lixo, e que estava mal iluminado, por um poste, que falhara algumas vezes.










Os prédios comerciais eram enormes.










Eu carregava um vazio. Sentia que meu coração havia escorregado de minhas mãos, virando pó.










Não sabia se meus dedos estavam doloridos e vermelhos, por conta do frio, ou por conta de eu estar segurando as malas por muito tempo.











Escuto um latido de cachorro, e olho para trás, vendo um animal coberto de pelos marrons, com olhinhos grandes, igual a duas bolas de gude... ele era tão pequenininho.










- oi, está perdido ? - indago indo até ele, que recua por um momento - não vou te machucar !










Ele lambeu minha mão, quando eu agachei para perto dele, e fiz carinho em seus pelos macios.










- é, sem coleira... eu também estou sozinha, somos dois - digo lhe lançando um sorriso triste.










Eu o pego no colo, deixando minhas malas, próximas de mim e vejo o sexo dele... e eu não estava enganada, ele era um menino.










Escuto mais um barulho. Garrafas se quebrando, digamos assim.










Eu me assustei e me encolhi na parede, segurando o cachorro fortemente.








Fecho os olhos quando escuto barulhos de passos mais e mais fortes, que estavam vindo em minha direção.











- óra óra o que temos aqui... - escuto uma voz forte e masculina bem próximo de mim.










O cachorro começou a latir altamente e eu abri os olhos, vendo um homem moreno e alto, próximo ao meu rosto.










- o que você quer de mim ? - pergunto e ele ri.










- o que uma donzela como você está fazendo aqui sozinha ? - pergunta e me encolho sentindo ele passar a mão em meu cabelo - mande seu animal calar a boca, antes que eu corte a garganta dele.










O cachorro não se cala. E eu tiro a mão do homem ludibriado do meu cabelo.











- por favor, saía de perto de mim - digo










- a última coisa que eu vou fazer com você é te deixar em paz, sabe, muitas mulheres morreriam de vontade de estar comigo na cama ! - diz sorrindo e ele pega meu pescoço com força.











- m-me s-solta ! - digo com dificuldade, enquanto ele apertava o mesmo e tirava meu casaco - não... p-por favor !










- eu gosto quando imploram por misericórdia... - ele distribuí beijos em meu pescoço.










Eu ja havia soltado o cachorro, que estava pulando aflito. O homem tentava agora, me beijar a força e eu me debatia sobre ele, lhe dando alguns tapas sobre seu peito. 











- ei, acho que você não vai querer ficar sem dentes colega ! - uma voz feminina faz o mesmo parar com suas "carícias" e olhamos a mulher.











Ela era linda. Tinha o cabelo com algumas ondulações, e ele tinha alguns detalhes de mechas azuis.










- quer participar querida ? Aposto que eu daria conta com duas - diz o homem rindo.










Eu aperto minhas roupas contra o corpo e a vejo sorrir.











- eu não faço ménage, e se você fosse um homem mais educado, e com uma índole boa, talvez eu aceitaria, mas eu sinto em te dizer que eu odeio homens, ainda mais homens com a masculinidade frágil como você ! - ela diz se aproximando - aposto que não foi essa a educação que sua omma lhe deu, que desgosto você está trazendo para ela em... como será que ela reagiria, se eu mandasse sua cabeça para ela no correio ?










Ela aponta uma arma para ele, que saí de perto de mim.










- eu duvido... porra, eu te desafio a atirar em mim ! - ele diz indo em direção a mulher.










Ela atira. Ela deu dois tiros certeiros em seu peito.










O homem caiu inconsciente no chão, cuspindo sangue por uma última vez, antes de fechar os olhos.










- está sozinha por que ? - pergunta a mulher me levantando do chão.










- meus pais... eles me expulsaram de casa - digo e abaixo a cabeça.










- você é a prosituta nova não é ? Que honra te conhecer, vamos, vem comigo - diz ela pegando em minha mão, mas eu me afasto - que petulância a minha, sou wheein, a dona da boate onde você trabalha.










A olho incrédula. Quem cuidou da minha primeira estadia lá, foi hirai momo, e eu nunca cheguei a conhecer wheein. A mulher disse que eu a conheceria em breve, ja que a mesma não ficava muito na boate, e sempre resolvia as coisas em sua própria casa.









- hirai me falou sobre você - continua e eu olho para baixo.










- espero que não tenha sido coisas ruins - digo e ela ri.










- não, ela só disse que você era muito bonita, e isso eu não nego - ela pisca e sorri me guiando para um carro branco luxuoso.










Ela fez menção de entrar no veículo, e eu fiz o mesmo, colocando minhas bagagens no porta malas e logo em seguida fechando a porta.










- tem certeza que quer se sentar ai atrás? - indaga e eu confirmo - ok, pode dormir se quiser.










- para onde vamos... ?










- para bem longe dos seus pais - diz e eu sorrio.













                          ...




















Lalisa e eu ainda estávamos nos encarando. Nos olhavamos intensamente, nenhuma de nós queria acabar com a troca... até que eu a vi franzir o cenho.










- desculpe, já nos vimos antes ? - pergunta e eu gelo.










Droga, será que ela me descobriu ? Já faz tanto tempo...










- não... acho que não deve estar me confundindo - digo e ela se aproxima.









- não, eu não estou... oh, é claro, você é a mulherzinha petulante que derrubou café no meu armani ! - ela diz e eu suspiro aliviada.










- me desculpe por isso, eu realmente estava estressada nesse dia - digo e ela ri debochadamente.










- pouco me importa se você estava estressada ! Tive que jogar a merda do terno fora por sua culpa - diz e eu a encaro incrédula.











- eu posso p-pagar um novo se quiser ! - droga, por que eu gaguejei ?











- eu não aceito caridades, mas obrigada pela parte que me toca, seria incrível se você parasse de falar comigo agora - diz e eu franzo o cenho.










Ela é uma puta grossa. Não me lembrava da mesma ser assim comigo...










- mas quem estava falando comigo era você, e eu só estava te respondendo ! - digo e ela me olha com um olhar frio.










- você quer perder o seu emprego ? Posso arrumar isso rapidinho para você srta jenna











- é jennie, com ie no final, e não, eu não quero perder algo que eu ainda nem lhe mostrei que sou boa - digo e ela arqueia uma sobrancelha.













- pois bem, quero que me prove o quanto antes, mas só um desaforamento sequer, e você irá para o olho da rua - ela esboça um sorriso de lado - fui clara ?










- como o sol querida - digo baixo.










- o que você disse ?!










- claro, eu entendi ! - digo revirando os olhos.












(...)









O elevador foi aberto e conseguimos sair, juntamente a uma equipe das pessoas que concertam os elevadores e maquinas de snickers. Eles nos tiraram e lalisa saiu apressadamente, ela nem sequer esperou por mim e ja foi me dando ordens assim que saiu daquela lata velha, sem se importar se eu estava a seguindo ou não.










- eu sou cem por cento organizada, não permito atrasos como ja sabe, não gosto de conversas paralelas e gosto do meu Café quente e sem açúcar toda manhã, a propósito, busque um, quero você aqui de volta em cinco minutos, entendeu ? - ela indaga parando poucos centímetros de mim.










Abro a boca para dizer prontamente que sim mas, ela é mais rápida.










- ótimo !











As pessoas dali lhe lançam um sorriso e um "bom dia sra. Manoban" mas é claro, ela dispensa todos os cumprimentos e adentra a sua sala, batendo a porta furiosamente.











Qual é o problema dessa cadela ?











Respiro fundo e dou meia volta, indo em direção a nayeon, que assim que notou meu descontentamento, riu.











- ela é tão....










- eu sei, mas ela ja teve dias melhores, ela está com muito mau humor ! - diz e eu aceno meio incerta.










- sabe onde fica alguma cafeteria aqui perto ? - pergunto e ela é interrompida pelo telefone.









- alô... sim, sim ela está ind... tabom, irei avisa-la - ela coloca o telefone na base e me olha sorrindo - a sra. Manoban perguntou se você ja tinha trazido o café dela, e eu disse que estava indo, porém ela disse : tem alguma merda de cola no chão ? ela até agora não saiu do lugar.










- ela quer que eu saiba até onde é o endereço dela ?! Por que eu sou nova, ainda tenho que me instalar direito por aqui ! - digo irritada. 











- eu te mostro onde é o café - escuto uma voz feminina e doce atrás de mim.











Me viro e encaro a ruiva a minha frente. Ela era a mulher da cafeteria, ou melhor, a atendente... e eu confesso que ela era linda.










- prazer, sou kim jisoo - diz estendendo a mão em minha direção e eu sorrio, apertando a mesma.










- kim jennie - digo e ela sorri. - e então, vamos ? Eu realmente preciso ir rápido, se não já perco meu emprego !











A mulher ri, e me acompanha até a Saída do prédio. Reparo que nossas mãos ainda não haviam se soltado, e quando fiz questão de faze-lo, ela a segura, esboçando um sorriso de lado.










- você é a mulher que brigou com a tzuyu não é ? - indaga e eu olho para baixo concordando.










- sou sim... - digo e nós olhamos para os lados, atravessando a rua.










- era para você ter ficado e dado um murro na boca daquela mulher, sério, ela é insuportável - diz e nós rimos.










- não mais insuportável que minha chefe - digo e ela sorri.











- lalisa é difícil mesmo, mas, pude ver a frustração sua quando ela estava falando - diz e eu rio - bom, o que precisa saber é que, ela dorme, ou dormiu, com todas as suas antigas secretárias e outras funcionárias da empresa, posso questionar que ela é bem carente por sexo.










- sério, tipo, com todas ?! - pergunto incrédula enquanto entramos em uma cafeteria grande e extensa.










- sim, e você talvez seje a próxima, mas eu estou te alertando... e ai, qual foi o pedido dela ? O clássico café sem açúcar para viagem ?










- é, isso mesmo










- um café sem açúcar para viagem, você pode me ver um sachê de adoçante por favor? - pergunta e o homem acena - obrigado.










- adoçante ?










- é, lalisa não pode ficar comendo muito açúcar por conta do seu problema de diabete - diz e eu franzo o cenho.










- você sabe bastante sobre ela - digo e ela solta minha mão.










- acho que é por que eu sou a melhor amiga daquela vaca egocêntrica - diz sorrindo e eu arregalo os olhos.










- isso é realmente uma surpresa para mim ! - digo e ela ri.











- mas é verdade a relação que ela tem com as funcionárias, e por favor, tente aguenta-la, você é a única em anos, que eu gostei, e pelo visto ela também, por que ela estava secando sua bunda - diz e eu coro.











- ela não tem interesse em mim para com isso jisoo - digo e olho o ambiente.











- é normal, eu também ficaria com interesse em você, não me leve a mal, estou sendo sincera, e você é muito bonita - diz e sinto minhas bochechas ficarem ruborizadas novamente. 











- você também é... - digo e sorrimos uma para a outra.











O café ficou pronto, e em uma embalagem de papel.










- não, eu pago ! - diz jisoo, quando fiz menção de tirar a carteira da bolsa.










- não jisoo o que é isso, eu pago - digo e ela me barra.











- não, eu faço questão, afinal, nós somos amigas agora ! - diz e eu sorrio concordando.











(...)









Chego na empresa e vou de escada até o próximo andar, não queria que o elevador parasse outra vez.










Ando apressadamente até a sala de lalisa e bato na porta. Escuto um "entre" e assim faço, olhando a mulher, que estava de braços cruzados olhando para a janela.










A sala dela era imensa... a janela que continha persianas das cores pretas, dava para a visão de quase toda a cidade.










O design em si do espaço era preto. Suas paredes eram brancas e haviam quadros enfeitando o lugar. Um lustre com cristais azuis, estava pendurado no centro da sala e sua mesa era enorme, tinha papéis, um computador da apple e quadros, que estavam virados em uma direção oposta.









- posso saber que demora foi essa ?! - pergunta me encarando finalmente. 











- sra. Manoban, com todo respeito, esse é apenas o meu primeiro dia e fazem apenas três horas que estou aqui, não me familiarizei direito com as coisas ainda - digo e lhe estendo o saco de papel - seu café.










- com ambiente talvez, mas com as funcionárias com certeza ! - diz pegando o saco de papel.










O que ela quis dizer com isso ?











- eu... não entendi onde a sra. Está querendo chegar - digo e ela sorri de lado, se aproximando.











- acha que eu não vi ? Você e jisoo estavam parecendo melhores amigas, andavam até de mãos dadas e tudo - diz colocando o saco na mesa e cruzando os braços.











- ela só me ajudou - digo e seu olhar desce para minha boca.










- srta. Kim, acho que deve saber que eu não sou trouxa e nem mesmo tenho cara de trouxa. Eu sei cada passo dado aqui dentro e fora também, quem comanda aqui sou eu e não quero ser feita de otária. O que eu disse sobre conversas paralelas?










- que você não gosta...











- que eu odeio ! E vá fazer os seus afazeres por favor, te chamarei se precisar de você, e torça para esse café não tiver ruim ou frio, por que se não você irá comprar outro - diz e eu saio da sala.











             Ela é muito intensa...












Um homem se aproxima de mim e me lança um sorriso.











- olá, você deve ser a srta. Kim, eu sou jiwong, me desculpe pelo atraso, já conheceu a sra. Manoban ? - pergunta e eu aceno.










- sou eu mesma, e sim, ja a conheci - digo.










- bom, sua mesa é esta aqui, do lado da sala dela. Aqui é uma planilha do prédio, será melhor lhe dar ela do que explicar onde fica tudo - diz rindo e eu rio também.










- ok obrigada ! - digo pegando o papel impresso.










- acho melhor ir embora, foi bom te conhecer mas... a sra. Manoban está olhando para nós com raiva e eu não quero perder o meu emprego, até mais ! - diz e eu aceno para ele, que foi embora rapidamente.











Coloco minha bolsa em cima da mesa, e vejo jisoo sorrir para mim do outro lado da sala.










Quando iria sentar na cadeira, o meu telefone tocou e eu o atendi.











- srta. Kim, me compre outro café, esse aqui está péssimo, e vá sozinha dessa vez, aposto que deve ter memorizado o lugar - lalisa diz e eu faço uma careta, colocando o telefone no guincho.










Jisoo ri e eu a olho incrédula.










- outro café ? - pergunta e eu respiro fundo acenando. - boa sorte ! 














                            ...










Exausta. Estava querendo ir embora já, não estava aguentando mais lalisa me dizer várias vezes para fazer coisas inúteis para ela. Como ligar para uma corregedoria e pedir os relatórios de um empréstimo feito semana passada, ligar para uma lavanderia e pedir uma limpeza de seu novo terno... coisas assim.











Meu horário de almoço enfim chegou, e eu estava terminando o meu último relatório, quando mais uma pilha foi parar em cima da minha mesa.










- quero isso pronto daqui a duas horas - lalisa diz e entra em sua sala.










Era impossível ! Tinha uns 180 relatórios aqui... estou fodida !










- não acabou ainda jen ? - escuto a voz de jisoo e a vejo parada com nayeon e jiwong.











- não, ela veio aqui e jogou isso na minha mesa, e eu ja tinha acabado a primeira pilha ! - digo e eles vem até mim.











- quer que nós te ajudamos ? - pergunta jiwong e eu nego.











- não, obrigada, eu preciso fazer isso sozinha, bom almoço para vocês ! - digo e eles sorriram indo embora.











Bufo irritada e olho mais uma vez para a sala de lalisa, que me encarava com a feição irritada. 











Lhe lanço um sorriso provocador, e termino as pilhas de papéis.












(...)










Consegui. Porra consegui ! Terminei tudo, e o departamento estava vazio, ja que todos estavam almoçando. Fiz tudo ouvindo lana del rey nos fones de ouvido, e ja não estava aguentando mais lalisa me encarando na sala dela.











Escuto algumas risadas do trio e me viro para eles.










- jen, te trouxemos um lanche ! - diz nayeon me mostrando um saco de papel do mc donalds.










- obrigada gente, terminei as planilhas e os relatórios, já volto ! - digo e pego a lista de papéis indo para a sala de lalisa.











Adentro no ambiente frio da mulher e vou em direção a sua mesa, colocando os papéis na mesma.











- pronto sra. Manoban ja terminei tudo - digo e ela me encara.











- ótimo, pode sair - diz e eu saio trincando o maxilar.










Fui em direção a mesa da jisoo que tinha o pessoal, e me sentei de costas para a sala de lalisa, ouvindo as risadas deles. Aproveito e abro meu saco de papel.










- você está irritada não é ? - indaga nayeon e eu rio.










- esgotada, mas uma boa noite de sono será o suficiente para mim estar com toda a energia - digo dando uma abocanhada no meu lanche e bebendo um pouco de suco de laranja.













(...)










Estava para desligar todos os equipamentos da minha mesa, e então lembro que lalisa não comeu...










Vou até sua sala e bato na porta.










Ela estava com um óculos de leitura, e com uma caneta de ouro entre os dedos.










- sim srta. Kim ?










- sra. Manoban, quer que eu peça algo para a sra. comer ? - pergunto e ela me encara.










Seus olhos esboçaram curiosidade e eu misto de frieza, o que não é novidade.











- muito obrigada pela gentileza, mas, eu ja comi, se você tivesse prestando atenção em seus serviços saberia e veria que eu tinha saído da minha sala e pedido comida sozinha, ja que minha secretária não fez isso para mim - diz e eu abaixo a cabeça.










- perdoe-me pelo impesilio sra. Manoban, bom, ja deu meu horário...a sra. Irá precisar dos meus serviços ? - pergunto.









- não mais, obrigada - diz e eu concordo com a cabeça.










- então tenha uma boa noite - digo e saio de sua sala sem esperar por resposta.











Pego minha bolsa e meus pertences, vendo jisoo fazer o mesmo.










- com licença, você sabe onde fica a sala da minha omma ? - escuto uma voz de criança abaixo de mim e eu olho para baixo, vendo um menino.










- olá, qual é o nome da sua omma ? - pergunto me abaixando da altura dele.










- lalice - diz e eu franzo o cenho.










- lalice ?










- lalisa ou lisa - diz e meu coração dispara.











Ele era filho de lalisa... ela teve filho com outra mulher ?!











- quantos anos você tem ? - pergunto e ele sorri mostrando uma janelinha.










- tenho quatro anos, fiz ontetem - diz e eu rio.










- ante'ontem - digo e ele sorri concordando com a cabeça.











Como eu não percebi antes ? Ele era a cópia de lalisa. Ele tinha um cabelinho preto e liso, seu rosto era gordinho e tinha suas bochechas vermelhas, juntamente com seus lábios, e suas roupas eram de grife.










- está importunando a moça bam - diz uma mulher atrás de mim.










Olho para trás e vejo uma linda mulher de cabelos pretos e curtos na altura dos ombros e seus traços coreanos a deixavam mais bonita.










- não, não estou omma - diz e eu pisco alguma vezes sentindo meus olhos arderem.










- sou hwasa, omma do bam bam, e esposa da lalisa - diz e eu lhe dou um sorriso.










- prazer, sou kim jennie a nova secretária da sua esposa - digo e ela sorri me dando um abraço.










- prazer, e não precisa me anunciar ta bom, eu estou acostumada a vir aqui, foi bom te conhecer, vem bam - diz e o menino me dá um beijo na bochecha.










- tchau tia - diz e eu sorrio.










- tchau...











Levanto e jisoo vem até mim.












- bam gostou de você e hwasa também, que milagre, eu odeio aquela puta, vem nayeon e jiwong estão nos esperando lá em baixo - diz e eu olho para a sala de lalisa.











Ela deu um beijo demorado em hwasa e pegou bam no colo, lhe dando um abraço.











- vamos.










Acerto minha bolsa no ombro e vou com jisoo até a Saída do prédio. 












Estava com a cabeça longe, o que me faz lembrar que o garotinho tinha quatro anos, o mesmo de ella... e o que me faz pensar que talvez, só talvez, lalisa tenha traído hwasa comigo, enquanto ela estava grávida e...









                      Casada !












       Em que porra eu me meti ?!













































Continua.









































Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...