1. Spirit Fanfics >
  2. The Director's Son >
  3. OK i Will try

História The Director's Son - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura ☺️

Capítulo 4 - OK i Will try


                               ⚖️                                          

- Não Taehyung - eu disse nervoso com o ruivo que estava pintando as unhas de Heylin. - Não faça isso,ela tem só sete anos,não pode ter unhas pintadas.


- Deixe de chatice hyung,eu já sou quase uma adolescente. 


- Ouviu hyung?.- Taehyung falou rindo 


Noite passada Marcos me trouxe em casa após o trabalho. Como hoje é sábado eu fico em casa o dia inteiro, o que por um lado é bom, mais por outro é péssimo


Meu pai é como sedentário,ele dificilmente faz alguma coisa como, organizar a casa, ou até mesmo lavar as roupas de Heylin. Então eu acabo tendo que fazer toda tarefa doméstica por todo final de semana.


- Taehyung oppa, eu quero que nessa seja laranja. - a garota disse apontando para o seu mindinho da mão esquerda. 


- Laranja? Mais todas as outras são amarelas meu anjo...


Eu deixei de prestar atenção no diálogo dos dois e me concentrar nas panelas que se encontravam sobre o fogo. Eu nunca levei muito jeito para comida,mais tive que aprender quando mamãe morreu.


Se não todos passaríamos fome,e eu não tinha essa opção em mente.


∆××××××××××××××××××××××××××××××××××∆


- Wow - pirralha disse após engolir um pouco do ensopado eu havia feito. - dessa vez você se superou hyung, esse é o melhor ensopado que eu já comi em toda minha vida.


- Não exagere anjo. - Taehyung falou com a boca cheia do mesmo que Heylin havia provado.


- Eu sei que sou o melhor pirralha. - dei uma piscadinha pra ela que sorria feliz da vida. Um dos sorrisos mais bonitos que eu já havia visto na minha vida inteirinha.


Heylin lembrava muito minha mãe,era como uma cópia idêntica. Sua personalidade também é extremamente parecida. O que me faz amar mais ainda a pirralha.


∆××××××××××××××××××××××××××××××××××∆


Já estava entardecendo, eu já havia feito tudo. Quando digo tudo é tudo mesmo, limpei o apartamento e o deixei um brinco. Taehyung havia me ajudado, na verdade, ele sempre ajuda. Sempre que possível ele vem aos finais de semana e olha Heylin ou me ajuda nas tarefas de casa.


Porque como eu já disse, ele sempre está comigo. E sempre estando comigo, sabe da minha dificuldade em me relacionar, por isso sempre está me arranjando problemas.


- Você deveria ir Jimin, ela é uma moça bonita e educada. Vocês podem se dar muito bem - o ruivo disse se sentando ao meu lado no sofá 


Havíamos colocado Heylin para dormir, meu pai como sempre fazia,estava trancado no quarto. Era sempre isso aos finais de semana. Ele nem sair pra comer saia, eu só deixo a comida na porta do quarto, ele pega e não sai mais de lá. Um tédio,um idiota por estar fazendo isso com os filhos e com a própria saúde mental e física também.


- Não não Tae - eu disse sem muito empolgo me deitando de olhos fechados em suas pernas, que permaneciam sobre a mesinha de centro da sala.


- Mas Jimin, já faz muito tempo desde que você não transa, talvez esse estresse todo seja isso.


Eu reviro os olhos e permaneço em silêncio. 


- Jimin, é sério cara - passou a mão em meu cabelo o acariciando levemente.


- Eu não quero me envolver com ninguém, com certeza só me trará prejuízo como da última vez.


- Só tenta essa vez bebê - disse em tom manso - talvez você tenha uma ótima experiência e se apaixone novamente. Ou consiga transar pelo menos. Não pode negar que Lisa é muito bonita e atraente.


Então me veio a mente.


Não lisa claro. Mais sim Jeon Jungkook.


- Tae... Eu esqueci de te contar uma coisinha - me coloquei sentado ao seu lado rapidamente.


- O que? Você já transou com ela? Nossa Jimin se eu soubesse nem tinha marcado o encontro hoje - ele disse coçando a nunca numa visível confusão.


- O que? Não eu não transei com ela idiota - eu ri por sua dedução 


- Ah, então o que é que tem pra me contar?


Puts, e agora. Como eu falo que quase tive um infarto quando um homem me tocou, e que esse homem é filho do diretor. 


- Taehyung, sabe aquele homem que eu disse que nenhum aluno da universidade sabia a existência?


- Sim, o tal filho fantasma do diretor não é? - ele deu de ombros.


- Então, ele não é um fantasma. Ele é real - mesmo com minha voz de uma pessoa que está contando uma história interessante até de mais, Tae só fechou os olhos e encostou a cabeça no encosto do sofá.


- Continue - ele pediu 


- Bom... Esse homem, me avaliou ontem na universidade, mais também apareceu na empresa. 


- E o que tem de legal nisso?.


- Ele vai se casar os pais dele estão organizando todos os preparativos.


- isso explica a ida dele a empresa. Jimin, até agora não vi nada de legal nessa história. Para de enrolar e fala logo o que realmente aconteceu.


- Ok... Marcos pediu pra que eu o acompanhasse até a sala ao lado chegando lá ele me provocou eu retribui eu sentei ao seu lado ele passou a mãos em minha perna tocou meu pau eu levantei disse que era hetero ele veio e me prensou na porta quando eu tentei sair me tocou mais e eu fiquei de pau duro ele também eu disse que era hétero ele desistiu e eu fiquei triste por que ele me deixou daquele jeito mais eu já prometi pra mim mesmo que nunca mais falo com ele.


Cai pra trás recuperando meu fôlego assim que acabei de falar, porque eu disse tudo muito rápido pra que fique claro.


Eu estava aliviado por ter contado a alguém. Já Taehyung parecia escandalizado,me olhando com os olhos arregalados daquela forma estranha. 


- Pera, que? - é o que ele diz ainda me olhando estranho - você teve relações como um homem? - ele suspirou e abriu um sorriso que dificilmente eu vejo em seu rosto, o que me causa confusão - finalmente Jimin, já estava na hora de você sair do armário.


- Taehyung! - eu quase grito - eu não sai do armário coisa nenhuma, eu sou inteiramente hétero - ele passa a mão no rosto como que se tivesse sem paciência.


- Jimin... Eu já te conheço a muito tempo, e já te conheço o suficiente pra saber que hétero é a última coisa que você poderia ser.


Taehyung sempre me falou tudo o que pensava em relação a mim, o que de certa forma é bom, ele é sincero e me conforta. Mas as vezes é incoveniente como agora.


- Hoje eu saio com a Lisa. - o que eu menos precisava nesse momento era uma conversa sobre minha sexualidade, então vou logo aceitar esse encontro e ver se pelo menos eu consigo uma transa. Até porque já faz muito tempo desde a minha última.



- Uhul, vamos escolher sua roupa - Taehyung levantou e me puxou em direção ao meu quarto.


∆××××××××××××××××××××××××××××××∆



- Você está lindo Jimin. - Tae disse me olhando de cima a baixo.


- Eu sei, nasci lindo e isso nunca vai mudar.


- Lindo e convencido né bebê, já pode parar porque lisa não vai querer alguém que fala tanto da própria beleza.


- Nossa, mais eu nem falei nada. - dei uma risada.


- Ok ok, olha aqui pra mim - ele me virou pra ele segurando meus ombros e me olhando nos olhos. - eu disse a ela que você vai levá-la em um restaurante top, e que as oito em ponto estará na porta da casa dela para pegá-la.


Eu acabei engasgando com isso que ouvi de Taehyung.


- Isso é impossível, na verdade... Você é impossível Taehyung - eu disse afastando as mãos dele, eu já estava irritado - como você fala que vou levá-la a um restaurante top sendo que nem dinheiro para isso eu tenho? E também, eu não tenho carro, esqueceu?! 


- Aí jiminzinho, você tem que aprender a relaxar um pouquinho. Eu já resolvi tudo isso, você vai com meu carro e... 


Ele foi até a sala e logo voltou com um envelope em mãos.


- Toma - me entregou e eu abri vendo que continha dinheiro, um pouco mais do que o necessário.


- Ah não Taehyung, eu não posso aceitar.


- Não discuta comigo porque você sabe que sempre perde.


- Mais é muita grana cara, olha - puxei o ar e soltei devagar - depois eu te devolvo então certo?.


- Tudo bem gracinha, agora já pode ir porque faltam quinze minutos para você estar na casa de lisa.


- Cuide bem de Heylin e avise meu pai que tive um compromisso.


- Sim senhor, vá com cuidado e boa sorte - ele piscou pra mim.


∆××××××××××××××××××××××××××××××∆



Eu já estava na porta da casa de lisa. Ela vive bem pelo jeito, é uma casa muito bonita.


Lisa aparece no portão e eu apenas aceno, ela vem na direção do carro e entra.


- Boa noite Jimin - me deu um beijo na bochecha, lisa estava realmente muito bonita. Na verdade sempre foi e eu nunca neguei.


- Boa noite lisa, você está muito bonita hoje.


- Obrigada.


Até agora nenhum assunto surgia ali no meio daquela tensão que tinha se formado, então eu decidi puxar uma conversa. Nós já estávamos perto do restaurante.


- Ótima escolha de vestido - sorri pra ela. 


Lisa estava com um vestido preso colado ao corpo, um batom rosê suave e brincos pequenos que mesmo assim tinham um charme. 


- Obrigada - ela riu abafado - é estranho um homem me falar que eu escolhi bem meu vestido.


- Estranho? - arquiei a sombrancelha ainda olhando na direção da pista.


- Sim, normalmente minhas amigas que me dizem isso, o homem só elogia de forma diferente entende - ela falou com humor.


Eu entendi o que ela quis dizer, que eu elogiei ela igual uma mulher elogiaria. Não fiquei ofendido, e também não toquei mais no assunto.


- Chegamos 


Estacionei o carro em uma das vagas que eu havia avistado de primeira. A levei em um restaurante muito bom. Já fazia tempo que eu não visitava um ligar assim.


- Nossa Jimin - segurou em meu braço enquanto caminhavamos para dentro do restaurante - eu não sabia que você ia a lugares assim


- Não gostou? Podemos voltar - eu disse com certa arrogância na voz, não entendo o porque. 


- Não não, calma desculpa, não foi a intenção reclamar.


Eu só assenti e nós entramos, um lugar espaçoso e haviam muitas pessoas de nariz em pé naquele lugar.


Fomos para uma mesa no fundo do restaurante, meio escondida, sempre gostei de coisas mais discretas.


Nós nos sentamos, eu sentei de frente pra lisa, ela sorria amém parar, não sei como conseguia.


Seu sorriso também é muito bonito. Logo o garçom veio e nós fizemos os pedidos.


- Então lisa, como vai a vida - meu Deus eu realmente não sirvo pra conversar com alguém.


Ela tirou a atenção da mesa aí lado onde tinha um cara forte e alto que também a encarava.


- Oi? Repete por favor, eu não ouvi 


Tentei um sorriso.


- Eu perguntei como vai a vida.


- A sim... Bom... Muitas coisas pra estudar, muitas brigas em casa - percebi um certo cansado em sua voz ao falar.- mais e a sua vida Jimin? Como vai?


- Vai indo - foi a única coisa que consegui dizer. 


Logo ficamos em silêncio e lisa voltou a olhar pro cara da mesa aí lado. Vez ou outra dava um sorrisinho impróprio pra ele. 


E eu ali na frente dela. Passei o olho pelo restaurante e algo me chamou atenção. O desgramado estava lá me olhando.


Ele acenou e eu senti meu rosto arder assim que veio em minha direção.


- Boa noite Sr. Park - o mais alto disse estendendo a mão pra mim.


- Jimin - lisa me chamou - você conhece Jeon Jungkook?


- Sim, ele conhece - Jungkook respondeu por mim apertando mais forte ainda mais minha mão - e ele pretende vir comigo agora não é Jimin? 


- Assim? De depende? Sr. Jeon , se não percebeu eu estou em um encontro e não tenho motivos para sair com o senhor.


O olhei incrédulo, aquela situação estava toda confusa. Lisa por outro lado, não se importou e voltou a encarar o cara ao lado. Aquilo já estava virando palhaçada. Ela claramente queria dar pra ele, mais acho que por respeito não subiu em cima da mesa e fodeu com ele ali na minha frente.


- Lisa, eu acho que já achou uma pessoa que vá te satisfazer essa noite não é? 


Jungkook estava de braços cruzados ao meu lado em pé, até agora não entendi o porque de ele ainda está aqui.


- Não Jimin... - eu fiz uma cara pra ela de quem já tinha entendido e não queria explicações - desculpa.


- Tudo bem - me levantei e coloquei umas notas na mesa - ele paga o seu - apontei pro cara aí lado que ela tanto encarava 


- E você sai, não quero nada com você - eu disse para Jungkook e o empurrei, sai do restaurante indo em direção ao carro. Andando o mais rápido que eu podia.


Eu não devia ter ido a esse negócio de encontro. Eu não estava chateado, só não foi muito agradável.


- Espera Park - Jungkook me segurou, não sei como ele me alcançou.


- Sr. Jeon e-


Fui cortado por ele 


- Me chama de Jungkook ou Jeon, ou do que quiser - ele sorriu malicioso.


Eu estava apenas parado ali o olhando entranho. Já estava tarde, não sei como ficou tão tarde tão de repente. Não queria falar com ele, eu prometi pra mim.


- Me solta - disse pra ele, ele soltou e deu um passo pra trás receoso.


O olhei desconfiado, passei o olho por seu corpo. Ele estava mais gostoso do que ontem, quer dizer, mais elegante.


- Pelo visto a moça lá dentro não tem vergonha na cara mesmo não é - cruzou as duas mãos, sério , ele é muito estranho. Do nada muda a sua personalidade.


- Sim, olha S- Jungkook, eu não sei porque você está aqui, e nem porque veio atrás de mim, mas eu preciso ir. Você é muito estranho.


- Jimin - agora ele disse manhoso - você não entende que eu quero muito te foder?


Ah, sério? Não acredito que ele me disse isso.


- E Jungkook - imitei ele falando - você não entende que sou hétero? E que a gente nem se conhece? 


- Mais pode se conhecer - ele se aproximou me colocando contra o carro de Tae com as mãos em minha cintura.


- Jungkook - fechei meus olhos quando ele veio com a sua boca em meu pescoço e começou a distribuir beijos ali. - é sério - quando deu por mim eu já estava com minhas mãos em sua nuca segurando uns fios seus de cabelo.


A partir daí eu perdi a minha voz, ele explorava meu corpo com suas mãos, e eu só estava aproveitando todos os seus toques.


Estava na última situação que eu pensei em estar na minha vida, no estacionamento de um restaurante depois de uma tentativa não muito bem sucedida de um encontro, com um cara que eu nem conhecia direito no meu pescoço me fazendo sentir coisas muito boas, que eu nunca pensei em sentir.


- Jimin... - ele parou agarrou em minha cintura e envolvia seu pescoço com meus braços, me olhava e eu abri os olhos. Quando ele me deu um selinho. - deixa eu te pagar um jantar antes? 


Eu ri disso que ele me disse.


- Como assim Jungkook? 


Eu já não ligo mais pra nada, talvez seja melhor eu me entregar logo de uma vez só pra esse sentimento. Eu posso aprender a lidar com ele, é só uma tentativa. Pode dar errado, mais e se der certo? Talvez Jungkook não queria nada comigo, só uma foda mesmo. Mais é o que eu quero também.


- Ué - ele disse e beijou minha bochecha várias vezes, carinhoso de mais esse homem - você quer ir direto pra melhor parte? 


- Uhum - foi como um sussurro, porque anvançei e o beijei, eu o beijei. Foi eu quem tomou a iniciativa.


Nossas línguas pareciam que lutavam, um beijo veloz, quente , delicioso. O melhor que eu já dei em alguém.


Paramos por falta de ar.


- Já que insisti - ele disse e me agarrou mais uma vez, mas eu o parei por lembrar que estávamos em um estacionamento.


- Aqui não Jungkook 


- Vem - ele me puxou e logo estávamos em seu carro pelo que deduzi.


Ele abriu rapidamente a porta e entramos no banco de trás, uma carro grande. Mais eu nem reparei muito pois sem perceber Jungkook já me atacava em meus lábios.


- Jimin - ele me chamou e se afastou um pouco, eu soltei um murmúrio de desagrado.


- Não para não - o puxei pela camisa e sentei em seu colo - agora não por favor. 


- Calma mocinho - ele sorriu, deve ter percebido meu desespero - você precisa me dizer uma coisa antes de continuar.- Me arrumou em seu colo, minhas pernas estavam cada uma de um lado do seu corpo e envolvia seu pescoço com meus braços.


- Hum? - tentei alcançar seu lábios mais ele me segurou de novo - o que foi Jungkook? Eu quero mais.


Ele riu e passou a mão em minha bochecha de uma forma carinhosa.


- Eu preciso saber se você realmente quer isso Jimin... Porque pelo o que eu vi você jura de pé junto que é hetero. Talvez você não queria realmente isso.


- Não Jungkook, eu quero - dei um selinho nele - por favor por favor Sr. Jeon


Ele sorriu safado, aquele sorriso me destruiu.


- Certeza absoluta Sr. Park? - passou a mãos em minha coxa a apertando e eu soltei um gemido baixo.


- Sim, certeza.


Ao ouvir as palavras que eu mesmo disse, tive certeza que hétero era a última coisa que eu era, tive certeza que a noite seria longa e certeza que Jungkook não sairia tão fácil da minha vida. Porque agora eu quero ele, e também tenho certeza que não vou querer só hoje.


Notas Finais


Só avisando que tá no wattpad tbm em💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...