1. Spirit Fanfics >
  2. The Dog, the Cat and the Rabbit >
  3. Mais Um Erro

História The Dog, the Cat and the Rabbit - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Mais capítulo chegando, este sendo o PENÚLTIMO, com Jungkook confuso e Vkook interagindo, o que... não vai dar bom.
Espero que gostem, boa leitura!

Capítulo 8 - Mais Um Erro


Fanfic / Fanfiction The Dog, the Cat and the Rabbit - Capítulo 8 - Mais Um Erro

Jeon não entendia como tudo aconteceu e sua cabeça já doía perante o martírio de lembrar-se. Ele havia ficado com o amigo durante um cio, este em que ao terminar a insanidade de cinco segundos, fugiu desenfreado, deixando o gatinho aos prantos em sua dor, ligando insistente.

Mas não poderia ceder. Ou melhor, não poderia ter cedido e já era tarde para amargura. Havia cometido um deslize, que até mesmo poderia comprometer sua amizade com Kim, em vista do romance que ele anseava ter com o mais velho. Céus.

- Jungkook... você está estranho, que foi? - observou Suga arqueando a sobrancelha.

- N-nada, appa. - anuiu em negação o mais novo.

- Você por acaso está doente?! Não quis cenoura. - apontou enfático na direção do prato, dispensado pelo rapaz e contendo o legume preferido, mas que não descia pela garganta hoje.

A culpa e confusão lhe privavam de qualquer fome ou bem estar. E como se não bastasse tal fato, a ligação de Kim o devastou por inteiro. E numa ferrenha hesitação sobre atender ou não, fez à contragosto, para não levantar mais suspeita.

- Hyung? - atendeu arisco.

- Oi, bafo de alface. Liguei pra saber se... por acaso você tem notícias... do Jiminie. - perguntou cauteloso.

- B-bom, não. Por que? - tremelicou se amaldiçoando mentalmente. Como diria o que houve? Não conseguia.

- Pabo. Hoje é o dia da operação e como meu humano não me diz nada, pensei que saberia sobre o cio antecipado. Ele... tá legal? - emplacou ansioso.

- D-deve estar. - entonou tenso.

- Você tá esquisito. Nem parece preocupado. - disparou ácido.

- É que... desculpa, hyung. Só... não sei nada mesmo. - mentiu dolorido.

- Que seja, tô aqui na frente, abre pra mim? - emendou para desespero do coelho.

- Q-que? - arregalou os olhos.

- Na frente da sua casa, boboca. Abre a porta para seu hyung, mal educado. - comandou firme e sob uma espiada na janela, o meio humano vislumbrou a silhueta ali, com o telefone no ouvido.

Ele estava ali. E agora? Agir naturalmente? Era a alternativa restante e assim...

- Nossa, que demora. - reclamou o mais velho entrando. - Pensei que estivesse no ban... - sua fala parou abrupta, para então farejar o maknae, que parou acuado.

- Q-que foi? - franziu o cenho intimidado.

- Esse cheiro é do... Chim? - atentou-se desconfiado.

Essa não. O faro infalível do descendente canino, como o moreno pôde esquecer?

- Não. - negou devagar.

- Eu só precisava saber de algo dele, aish! - relinchou se sentando na cama do mais novo, que respirou aliviado.

- Provavelmente foi cedado e... estará melhor. - tentou tranquilizar cauteloso.

- JK, ele pode não sofrer agora, mas e depois?! Ele nunca mais terá cio, nem filhotes por minha causa. - lamuriou tristonho.

- Os humanos darão um jeito, mas eles não querem que... - a fala do rapaz foi interrompida.

- Que fiquemos juntos denovo, eu sei. - suspira pesado e absorto nas emoções, o cão chora silencioso. Nisso...

O Jeon em seus discretos gestos, passa um lisonjeiro lenço no rosto úmido com cuidado, ganhando a atenção do Kim, que ri leve.

- Desde quando passei à merecer esse carinho todo?! Pensei que o seu favorito fosse o Jimin. - brincou faceiro, fazendo o coelho cessar o ato, ultrajado.

- Também gosto de você, apesar de ser um chato que sempre riu de mim. - elucidou emburrado, escondendo as bochechas rubras, porém...

- É, acho que tenho culpa de fato. - coçou a nuca com pesar. - Hum... pelo menos você não secou minhas lágrimas com lambidas igual o Chim. - findou arriscando em piada e viu as orbes escuras o fitarem curiosas.

- I-isso é coisa de gatos, não faço isso. - redarguiu baixo e...

- Pois é, não. Mas faz algo bem característico: abaixa essas orelhas grandes, parecendo que vai se enfiar dentro delas. - gargalhou debochoso.

- Eu não abai... - a sentença foi cortada pelo amigo.

- Abaixa, sim. - debateu cutucando a região citada, que Jungkook puxou, irritado. - Sabe... cães também lambem de vez em quando. Lambem o humano no rosto para brincar e cumprimentar. - refutou explicativo.

- Eca! - exclamou o mais novo numa careta.

- Você quando filhote, lambia as mãos do tio Suga, eu lembro. - externou risonho.

- Yah. M-mas eu pensava que era algo de... comer. - admitiu enrusbecido.

- Esfomeado. Por isso come rápido, não sei como não engasga. - satirizou meneando a cabeça.

- Eu mastigo bem, ao contrário de você. - retrucou ácido.

- Resumindo, você é um estranho fofinho. - provocou sorrindo largo. - E falando nisso, posso dormir aqui? - tornou com expressão pidona.

- Por que? - Jeon vincou as feições com nervosismo. Não era uma boa idéia, droga.

- É que meu humano pediu, pois tem uma conferência e não quer me deixar sozinho, daí fico aqui com seu tutor e você. - detalhou simplista.

E sem ter muita opção, o moreninho assentiu vencido. Decidiu também que não falaria nada sobre Park, já que era uma linha tênue para acabar entregando sua drástica burrada cometida.

A questão ali era: até quando conseguiria manter o segredo? Era bem certo que viria à tona e traria como maré revolta, ondas violentas de instabilidade.

[...]

Dividindo o cômodo, Taehyung estava bem acomodado em seu colchão, logo ao lado do anfitrião, que como forma de tornar mais confortável, colocou também seu colchão ali, mas... logo descobriu da pior maneira, que fôra uma péssima idéia.

O cachorro estava sereno, até certo ponto em que teve um pesadelo e ali, no ímpeto de sua agonia pela subconsciente, agarrou o corpo próximo com gana, despertando o coelho alarmado. E conquanto...

- T-tae? - exprimiu o Jeon trêmulo.

- Não chora, Chimmy. Eu tô aqui. Você vai ficar bem. - ciciou o mais velho ainda imerso no sonho e diante deste estado, nem sequer hesitou em lamber o rosto alheio, lentamente.

- Tae, acorda! - entonou o híbrido roedor ao outro, que parecia estar confundindo-o com o terceiro membro daquela tríade, vulgo, o amor do mencionado. Todavia...

- Calma Ji... - em um salto, o corpo maior despertou e notou a proximidade, se afastando. - J-jungkook? D-desculpa, pensei que fosse... - sua frase foi completada pelo mais novo.

- Sim, o Jimin hyung. Eu n-notei. - engoliu em seco, desviando o olhar. Seria normal estar com calor à aquela carícia estranha?

- Perdão, não queria te... lamber. - segredou num riso, mas logo dissipou inquieto. - Ele parecia tão aflito no sonho, eu... sequer conseguia ajudar, aish! Eu preciso vê-lo. - praguejou irado.

E vendo a agitação do amigo, Jungkook ofertou uma taça, amistoso.

- O que é isso? - desconfiou o Kim, cheirando o conteúdo com estranheza.

- Álcool dos humanos. É uísque, segundo meu appa. Horrível de gosto, mas acalma. - ditou encorajador e o mais velho riu, bebericando numa careta.

- É, tem razão. Um gosto forte. Não tem nada doce?! - soltou em tom brincalhão, mas logo viu a feição do coelho pensativa.

E mais tarde...

- Uau, ficou gostoso. - elogiou o moreno animado.

- Bem melhor que o gosto de antes. - concordou o canino com a outra taça em mãos.

- Vou fazer mais. Faz silêncio, senão o appa acorda. - destacou Jungkook eufórico ao amigo, que riu cúmplice da façanha que acabaram realizando naquela madrugada, sob um Yoongi dormindo no quarto, sem sequer imaginar. No entanto, ainda naquela manhã...

- Que tá fazendo, hyung? - Jeon lançou se afastando duvidoso da aproximação imposta pelo outro, inesperadamente.

- Querendo sentir o gosto doce na sua boca, pra saber se é igual, coelhudo. - disparou o cachorro com voz embargada pela embriaguez.

- P-pare, eu não... sou o Jimin hyung. - interceptou pensando alto. Ah, ele por vezes ele quis ser, apenas para partilhar dos ósculos que via ambos darem, em sua frente, despreocupados. Droga, estava ensandecido. Será que era apenas um efeito de bebida, de fato?

- Sei que não é. O Chim tem aqueles bigodinhos e você... hum, apenas uma boquinha pequena e... - sem qualquer aviso prévio, colou a boca nos lábios finos do coelho, que por alguma razão, não quis se apartar.

Estava imerso naquela sensação única de beijar seu outro amigo de infância. Era tão único e diferente de Park e descobrindo ali, a vontade que ocultou em si por algum tempo, se permitiu desfrutar do contato. Mas... dessa vez, uma interrupção veio repentina e catastrófica.

- Jungkook, Taehyung! O que está acontecendo aqui? - a voz carrancuda e o rosto em completa e plácida seriedade, fizeram a dupla recuar, temerosa e assustada.

Era o fim. 


Notas Finais


E aí, gostaram? Comentários são bem vindos :D
Bora pro ÚLTIMO?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...