1. Spirit Fanfics >
  2. The Dragon Princess >
  3. Retorno.

História The Dragon Princess - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Gente estou repostando o cap, por causa de um erro no Spirit que não deu minha fanfic como atualizada, coisa que talvez pareça besta, mas meu medo era que quem me seguisse ou tivesse a fanfic na biblioteca não recebesse notificação, então desculpa mesmo para quem achou que era cap novo.

________________________

Mais um capítulo, e espero que tenha ficado bom e já peço desculpas pela capa, eu sei que ficou ruim, mas achei que combina com o cap.

Espero que gostem do capítulo foi difícil escrever ele, e eu não fazia idéia que ficaria desse tamanho, meus dedinhos doem ;-;

Mas bem, é isso que tenho a dizer aqui, espero realmente que gostem ^^

Capítulo 6 - Retorno.


Fanfic / Fanfiction The Dragon Princess - Capítulo 6 - Retorno.

Erza, Wendy e Cryph se encontravam no alto de um morro olhando o sol nascendo no horizonte, Erza respirava fundo tentando se acalmar e não correr para a direção oposta a de magnólia, inspirava e expirava lentamente colocando o pensamento de que voltar para a floresta não lhe traria nasa em sua cabeça, e do seu lado Wendy se encontrava em uma situação semelhante, pensava em como seria rever tudo que deixou para trás durante tantos anos, o quanto a guilda Havia mudado? Como estavam os seus amigos? Magnólia ainda era a mesma cidade? Balançou sua cabeça expulsando esses pensamentos deixaria tudo para o momento, e logo atrás delas estava Cryph, que não pensava em nada a não ser.

— Nós vamos de trem? — Ao perguntar isso Wendy e Erza se olharam e mesmo sem dizer nada já descobriram que nenhuma podia andar a veículo e olharam meio desconfortáveis para Cryph — Sabem que é meses a pé né? — Suspirou com preguiça

— Eu disse que chegaríamos nesta semana para a guilda — Wendy disse meio nervosa coçando a parte de trás da cabeça enquanto suava

— Nós podemos ir voando — Erza sorriu enquanto abria as suas grandes asas negras, pareciam estar maiores do que antes, e os tribais vermelhos davam destaque a cada escama de maneira única, além de que as asas não pareciam ter saídos sozinhas, Erza também havia ficado com ombros draconianos, e logo após Cryph deu de ombros e para surpresa de Wendy o mesmo estalou o pescoço, logo depois os ombros, cintura e cotovelo jogando o corpo para trás enquanto se contorcia e ao jogar o corpo para frente um par de asas púrpura surgiu em suas costas, mas as asas pareciam ser feitas de pura magia dando um ar único a elas, e após os dois terem aberto suas asas ambos olharam Wendy esperando a mesma abrir as delas — Wendy, pode abrir…


Wendy travou por alguns segundos olhando os dois, suas pernas tremiam como se estivesse sob pressão, vê aqueles 2 pares de asas gigantes a olhando enquanto balançavam para frente e para trás esperando a ordem de vôo.


— Eu não tenho asas — Começou a pressionar a ponta dos indicadores um contra o outro enquanto roçava seus joelhos envergonhada

— Achei que já teria desenvolvido asas Wendy — Erza riu um pouco sem graça, não poderiam ir andando e muito menos de trem, talvez acabasse por desidratar, e isso seria horrível para si, Cryph com certeza não teria um problema, já havia visto o mesmo dormir embaixo de um monte de neve sem nem sair resfriado, o'que poderia afetar ele afinal? Já Wendy, não sabia o quão forte havia ficado, talvez sofresse da mesma coisa que ela

— Erza, você pode tentar carregá-la, posso te dar meu braço para amarrá-la — Cryph falou suspirando enquanto seu braço começava a se transformar, virando uma espécie de gelatina e depois um macacão canguru, havia ficado só com um pouco de seu ombro no processo.

— CRYPH — Os olhos de Wendy ficaram brancos vendo a cena e a mesma suou frio vendo aquele macacão canguru

— Não se preocupe Wendy, ele pode repor com matéria depois, e até mesmo esse cinto, acho que é um dos benefícios de ser um homúnculo — Erza falou despreocupada afagando a cabeça de Wendy, mas para a azulada pôde ver Cryph olhar para o lado desconfortável, suspirando e fazendo um tsc em seguida, mas ao Erza virar voltou ao normal estendendo o macacão canguru que Erza vestiu tranquilamente e abriu os braços para wendy ir lá

— Tá boooommm — Foi uma situação extremamente desconfortável para si, não era mais uma criancinha e mesmo assim tinha que ser carregada por alguém… certas coisas parece que demoram para mudar


Após conversarem sobre como iriam para Magnólia, se fariam paradas ou não, o tempo que levaria e o estado do clima, finalmente abriram vôo em direção a Magnólia pensando no que fariam ao chegar ao chegar lá, Erza e Wendy estavam animadas com a volta, um pouco receosas, mas animadas e Cryph olhava atentamente Wendy, se perguntando várias coisas e suspirando no final, na hora certa perguntaria.


Mas enquanto eles viajavam para Magnólia, na Fairy Tail o clima estava bem complicado.


— COMO ASSIM VOCÊ É CONTRA A VOLTA DA ERZA? — Lucy deu um tapa com força na mesa rosnando para a albina a sua frente, e Lisanna simplesmente cruzou os braços com raiva da loira

— Não foi seu marido que foi quase morto por ela, a Erza é instável e ainda por cima é filha do Acnologia, você sabe o'que os membros passaram sem a gente por culpa do pai dela? — Laxus o mestre da guilda se encontrava num canto observando a tensão que a guilda passava, ambas tinham argumentos justos e se interferisse poderia acabar por causar mais desavenças entre a guilda e acabou por preferir a neutralidade.

— O Natsu é a favor e foi ele quem quase morreu, por que você não é? — Estava indignada com toda aquela situação, como Lisanna poderia ser tão… tão… no momento Lucy não conseguia nem sequer pensar em um adjetivo para ela e isso a irritava mais ainda.

— Tsc… — Lisanna rosnou virando de lado e se negando a olhar para Lucy e nisso viu Helena no canto com seu martelo nas costas e uma maçã na mão — E você Helena? O'que acha?

— Me mete nisso aí não floquinho… — Mordeu a maçã antes de continuar sua frase — A Erza é alguém que eu nem conheço, é uma antiga companheira de vocês, minha opinião nem conta nessa discussão — Embora parecesse arrogante com sua posição, afinal a escolha afetaria a mesma de qualquer jeito, todos eram obrigados a concordar, não era seu lugar de opinar ali, afinal nem opinião formada tinha sobre o assunto.

— Gente, ninguém conhecia a Erza melhor que o time Natsu, os magos classe S e o Jellal — Gray finalmente abriu a boca para falar sobre o assunto — O Gajeel, Levy e outros já participaram de missões com ela e sabem como ela é, eu sei que é uma decisão que afeta a guilda como um todo, mas como a Helena disse, alguns não podem opinar por não conhecê-la direito, é melhor discutirmos isso na sala do Laxus se o mesmo permitir — Laxus confirmou com a cabeça, junto com outros que aprovaram a idéia, embora alguns ficassem relutantes e assim subiram para a sala do mestre indo discutir em privado sobre o assunto deixando uma guilda extremamente pensativa para trás.

— Vamos organizar isso — Laxus disse entrando na sua sala junto com os demais — Não irei opinar sobre, mas quero que falem sobre, sem interromper o outro, entendido? — Sentou na sua mesa cruzando os braços e olhando sério para todos ali presente — Os que são contra a volta dela para direita e os que são a favor para a esquerda — Ao falar isso a sala se dividiu, e alguns olhares se colidiram, como o de Levy e Gajeel e Natsu com o de Lisanna e o de Gray com Juvia afinal ficou do lado de Laxus.

— Juvia não quer discutir, nem ver ninguém discutindo, principalmente com Gray-sama, então Juvia prefere não opinar — Falava extremamente receosa com a mão no peito, desviando o olhar e evitando olhar todos 

— Tudo bem Juvia… quem gostaria de falar primeiro? — Laxus falou e logo Jellal deu um passo à frente.

— Bem eu acho que deveríamos… — iria falar algo, mas Lisanna abriu a boca

— Ah — E logo foi interrompida por Lucy

— Bla bla bla bla Natsu bla bla bla bla filha do Acnologia bla bla bla bla bla ele ama a Erza e não pode opinar bleeeeerrr — Laxus olhou Lucy a repreendendo e a mesma deu de ombros — Já ouvimos esse discurso lá embaixo, Laxus é filho da pessoa que tentou destruir nossa guilda e o Natsu é irmão do Zeref, e mesmo assim eles estão aqui não?

— A questão Bunny Girl é que a Erza é uma máquina de guerra, feita perfeitamente para destruir — Gajeel falou se impondo sobre o ponto de Lucy, e logo Levy fez o mesmo

— Gajeel você literalmente tentou me matar e esta aqui, além do mais, não quero você falando assim da Erza Humph — Bateu o pé no chão olhando o maior que deu de ombros olhando a mesma

— Não seja irracional Levy — A repreendeu dando um passo à frente

— Eu estou sendo irracional? — Levy colocou o dedo no peito de Gajeel claramente irritada com a sua fala e logo Lily se pronunciou

— Sim você está sendo irracional Levy-san — Suspirou se encostando na parede — Gajeel, Natsu e até mesmo o Laxus, tínhamos métodos ou magos capazes de parar o mesmo, para parar Acnologia foi necessário a guilda inteira, no caso da Erza-san talvez não possuímos métodos ou magos necessários para para-la

— Vocês tem a mim, se eu parei o pai dela, eu posso parar ela — Natsu sorriu animado olhando Lily enquanto estalava os dedos

— Precisou de toda a guilda e outros magos para parar ele, não foi você sozinho, além do mais Erza é estratégica e provavelmente tem mais poder bruto e evolutivo que seu pai, sua arrogância e orgulho de guerreiro não lhe renderão nada nessa batalha Natsu — Olhou Natsu com desdém que respondeu pisando forte no chão inflamando as mãos, e Lily reagiu aumentando de tamanho e olhando Natsu de cima

— O'que você disse? — Rosnou para o mesmo tendo sua magia exalando para fora de si 

— Que sua arrogância, Orgulho e prepotência não lhe levarão a lugar nenhum nessa batalha a não ser a derrota — Falou sem dar um passo para trás encarando Natsu, e após isso a sala toda ficou tensa pela discussão, Levy encarava Gajeel nos olhos irritada, Lisanna e Lucy pareciam a que podiam se atacar a qualquer momento, ao ver Lily mexer sua mão para trás e lembrar que o mesmo tinha uma espada nas costas, Natsu avançou tentando pisar no pé de Lily, coisa que não conseguiu, mas foi o suficiente para desestabilizá-lo minimamente e conseguir a vantagem de velocidade para dar um soco em seu peito, mas Gajeel ao ver o pé de Natsu ainda no ar avançando transformou seu braço em metal e estava preste a transformá-lo em uma espada para acertar Natsu, foi percebido por Lucy que removeu seu Shakujo das costas o carregando com Regulus para atacar Gajeel e Lisanna transformou sua perna na de uma espécie de canguru e se preparou para dar um chute no Shakujo de Lucy e Levy começou a escrever um kanji de metal para impedir isso de acontecer, Laxus nem teve tempo de reagir direito, havia tudo sido tão rápido e quando tudo parecia preste a se colidir…





— PAREM AGORA — Em um rápido movimento Gray criou uma parede de gelo entre eles, congelando as mãos, armas e pernas deles na mesma impedindo de atacar — DÁ PARA DISCUTIRMOS IGUAL ADULTOS? — Desfez a parede e todos começaram a prestar atenção no mesmo, afinal sua marca de devil slayer estava cobrindo mais do seu corpo que o normal — Achei que só entre nós seria melhor, mas vocês parecem ignorar tudo, ela é filha do Acnologia agora? Ou sempre foi? — Estava irritado e embora não estivesse gritando sua voz saía no mesmo no tom —  Querem falar sobre família? Minha vida, Ur, meu pai e tudo mais, é culpa do Natsu e seu irmão… e se não fosse a Erza Lisanna, eu ou o Natsu estaríamos mortos agora… se não fosse a Erza talvez tivéssemos perdidos os jogos mágicos… ela se manteve em pé contra duas inimigas extremamente poderosas pela guilda, ela suportou o canhão júpiter pela guilda, ela salvou a todos em Tenroujima, ela lutou contra a própria mãe, pela guilda e se quiserem que eu diga mais, eu digo, só pedirem… — Respirou fundo de forma trêmula removendo a marca de seu corpo — Chega a ser hipócrita toda essa discussão… ela já foi nossa mestra de guilda, mesmo que temporária, chorou, sangrou e sorriu do nosso lado… vocês falam como se o pai dela fosse mudar quem ela é de um dia para o outro, OUÇAM O'QUE ESTÃO FALANDO E VEJAM O QUÃO ABSURDO É — Socou a parede atrás de si, a rachando por completo e Juvia foi ao seu lado o abraçando fazendo o mesmo se acalmar levemente, mas continuava tremendo de raiva

— Juvia e Gray-sama vão esperar do lado de fora — Juvia segurou a mão de Gray e juntos saíram da sala, fazendo com que todo aquele clima de raiva e briga sumisse dando lugar a um de tristeza e ficaram em silêncio até que Carla voou chamando a atenção dos demais

— Eu… era contra a volta da Erza… mas… a Wendy sumiu por tantos anos, me deixando para trás… sei que ela não teve opção, mas se… a Erza está voltando com ela, isso quer dizer que a Wendy a convenceu, e eu confio na Wendy… — Suspirou de forma trêmula por estar chorando, fazendo com que Happy e Lily fossem até ela a abraçando e ao tentarem tirar ela dali, a mesma se debateu levantando a patinha — Eu sou a favor da volta da Erza — Ao falar isso todos se entreolharam e foram levantando a mão, primeiro Lucy, Levy, Natsu, Gajeel, Lily e por último Lisanna um pouco receosa, e Natsu levantou de sua mesa

— Então está decidido a Erza irá voltar… alguém tem algo a falar ainda? — Natsu levantou a mão — Diga

— Deveríamos fazer uma festa para comemorar — Abriu um sorriso e Laxus revirou os olhos dando a ele a permissão para tal, mas logo em seguida sorriu… como o rosado conseguia superar tudo tão fácil e de pouquinho em pouquinho todos foram saindo da sala conversando e pedindo desculpas pelas desavenças, e Gajeel recebeu de Levy o aviso que dormiria fora de casa no dia, coisa que o fez resmungar extremamente alto, mas aceitando no final.


Algumas horas depois


Erza, Wendy e Cryph se aproximavam de magnólia, já era de noite, mas Erza não pôde deixar de perceber um vulcão ao longe, algo que com certeza não estava ali


— Por que têm um vulcão ali? — Disse cutucando Wendy e consequentemente acordando a mesma — Desculpa

— Não é um vulcão é a forja da Helena, pelo que Lucy me disse ela é uma ferreira bem habilidosa, mas o metal com o qual ela trabalha requer um vulcão ativo, então usando sua magia ela criou um — Wendy falou bocejando afinal havia sido acordada após horas dormindo e a informação deixou Erza surpresa, o quão poderosa era ela para permanecer no fundo de um vulcão ativo? — Pelo que a Lucy disse ela possui imunidade a magias de fogo por ser ligada ao deus das forjas Hefesto… 

— God Soul?

— Não… é algo um pouco além ou não… nem mesmo Helena sabe a origem de sua magia — Erza riu e ao mesmo tempo ficou curiosa, Natsu deveria estar brigando bastante com ela, alguém imune ao seu fogo, claramente o irritaria.

— Vamos rápido então, posso ver que a guilda está brilhando daqui — Erza abriu bem as asas dando um impulso extremamente rápido em direção a guilda

— HEY MINHAS ASAS NÃO TEM ESSA VELOCIDADE TODA — Acelerou usando as suas asas, mas não foi o suficiente para alcançar a ruiva ficando um pouco para trás dela durante o vôo, e não demorou muito até chegarem na Fairy Tail e lá puderam vê que estava acontecendo uma espécie de baile — Tinha necessidade desse tamanho? — não podia acreditar que aquilo era uma guilda… parecia ter mais de 3 andares aquilo… nem a prefeitura de sua cidade era desse tamanho

— A gente é exagerado — Wendy saiu do macacão de canguru e Erza o devolveu para Cryph que transformou novamente em seu braço sorrindo por não estar mais sentindo o corpo de outra pessoa nele — Está pronta Erza? — Olhou para a ruiva que suspirou olhando o prédio à sua frente

— Se ela disser que não eu empurro ela para dentro… voei quilômetros a toa não, minha costa está doendo — Falou zoando Erza recebendo um soco no ombro da mesma e ambos riram juntos e Wendy os acompanhou após um tempo

— Você tem razão… não posso voltar agora — Se pôs a frente deles e se preparou a abrir a porta e Wendy estava dando pulinhos ansiosa atrás dela

— Olha o coração baixinha — Falou puxando a bochecha da mesma, mas teve o dedo mordido pela azulada 

— É… doce? — Wendy olhou Cryph confuso

— Que? — Antes que pudesse ter qualquer reação sobre o ato de Wendy, Erza abriu as portas e ao ver ela ali um monte de magos voaram em cima dela e de Wendy, e como já estava acostumado, ignoraram por completo a si, o jogando para longe e o fazendo cair no chão… e então Cryph suspirou enquanto se levantava — Você não é nada mais nada menos que um objeto… esqueci disso mãe… — Ao falar essa frase Cryph entrou na guilda procurando um lugar para ficar e ao ver que tinha como ir para o terceiro andar onde estava vazio, se pôs a ir até lá, sendo ignorado por todos no caminho

— ERRRRZAAAAAAA — Natsu correu em direção a ela com um largo sorriso no rosto, pegando fogo e tentou dar uma cabeçada na mesma, mas antes de chegar nela seu fogo acabou e caiu para trás após dar a cabeçada — Han? — Ao olhar Erza viu que a mesma estava a comer seu fogo — HEY ISSO É INJUSTO — Se levantou recebendo um abraço de Erza, coisa que o fez abrir um sorriso singelo — Senti saudades de você

— Eu também Natsu… eu também — Abraçava Natsu com força como se não quisesse deixar ele sair nunca, todo aquele local lhe trazia tantas lembranças que não conseguiu impedir que lágrimas saíssem de seus olhos e começasse a chorar ali mesmo recebendo tapinhas nas costas de todos ao redor dela

— O cabeça de fósforo fez a Erza chorar? Que crime — Natsu olhou Gray irritado, mas antes de fazer qualquer coisa Erza foi para cima dele o abraçando — Bem vinda de volta Erza… — Sorriu fazendo cafuné nela, que parecia uma criança, e ao ver outros rostos bem conhecidos Erza acabou por fazer o mesmo avançando para cima de todos os abraçando, e levantando enquanto dizia o quanto de saudade sentiu, logo se tornando o centro de atração da festa e logo atrás dela estava Wendy que foi recebida por um abraço no rosto de Carla 

— NÃO SOME ASSIM NUNCA MAIS — Grudou no rosto de Wendy a abraçando, seu rabo abanava de forma rápida e animada

— Desculpa… você estava doente na época e eu fiquei preocupada com a Erza-san — Abraçou Carla que ficou na forma humana para abraçar melhor a maior

— Tudo bem… você cresceu tanto — Carla olhou para cima vendo o rosto de Wendy que havia mudado tanto nesses anos, de uma forma tão brusca, nem parecia mais aquela garotinha pequena 

— Eu sei… foi difícil comprar roupas — Riu sem graça começando a andar com Carla do seu lado — Tenho tantas coisas para te contar, o tanto de coisas que eu fiz

— Você tem a noite toda para contar vamos — Carla começou a puxar Wendy para dentro da guilda — Também tenho novidades hihi


Após isso foram minutos conversando com os membros da guilda, novos e velhos, perguntando de novidades, o'que aconteceu nesses anos, tudo… embora já tivesse passado por ali, tudo parecia tão novo para as duas, os magos mudaram, alguns estavam bem velhos, outros haviam ficado bem mais maduros, tudo era tão diferente e igual ao mesmo tempo, que Erza e Wendy sabiam que poderiam passar dias conversando sobre isso, e ainda não faltaria assunto, Wendy estava conversando com seus amigos de forma descontraída enquanto Erza pedia desculpas e explicava o'que havia acontecido com ela nesse tempo, e demonstrava o poder que tinha devorando tudo que davam para ela, mas seu principal objetivo era encontrar Lucy naquela bagunça, sem deixar muito na cara que seu foco era ela, coisa que se mostrava impossível no momento.


Quando Carla saiu para chamar Happy e Lily, Wendy sentiu falta de uma coisa mais exatamente alguém, e nesse caso foi Cryph, e ao olhar ao redor viu uma luz vindo de uma janela no segundo andar e decidiu ir até lá, e ao chegar olhou pela janela procurando o mesmo e viu seus pés ao olhar para cima e logo saiu voando para onde ficava o sino da guilda


— Achei que não podia voar… — Estava deitado olhando o sino e seu interior e vendo a quantidade de marcas que ele tinha, alguém treinava socando ele diariamente?

— Distâncias pequenas eu consigo, tenho que posar para voar mais — Se sentou do lado dele, dando tapinhas na perna do mesmo, fazendo com que o albino bufasse e se sentasse ao lado dela — Estou te incomodando?

— A lua é linda né? — Sua troca de assunto repentina fez com que Wendy ficasse confusa 

— Sim, eu amo ela… mesmo sendo branca, seu brilho a faz ter uma cor indescritível, é extremamente linda… por não ter explicação alguma — Sorriu olhando a mesma, e sentindo uma calma enorme dentro de si

— Sim, o nome dela tem tantos significados, tantas mitologias, tantas religiões ao redor dela… fico me perguntando por que a nomeamos — Sua voz soava de forma neutra e sem emoção, embora suas frases parecessem bem profundas

— Acho que precisamos dar nomes às coisas, se não como identificá-las? — Riu dando de ombros

— Então você me deu um nome só para identificar uma coisa? — Olhou Wendy e dessa vez soava melancólico, de uma forma estranha, como se fosse forçado, mas não parecia falso, era como se estivesse forçando algo inexistente a sair

— Não — Segurou a mão dele e olhou no fundo de seus olhos, vendo o quão vazios eram… pelo que ele havia passado para ficarem assim? — Você não é uma coisa… é um ser humano, e todo ser humano precisa de um nome… você diz que não é um ser humano… mesmo se não for, você tem vida e toda vida é preciosa e especial.

— Você realmente acha uma aberração como eu especial? — Abriu um sorriso extremamente tremido e choroso enquanto parecia ter um tique nervoso nos olhos e ao perceber isso escondeu o rosto 

— Não precisa esconder o rosto… é normal ter dificuldade em mostrar sentimentos após tanto tempo escondendo… — Sorriu dando tapas nas costas do mesmo para acalmá-lo 

— Você acha? — A olhou com certa curiosidade 

— Sim, eu tenho certeza disso… — Wendy se levantou estendendo a mão para ele — mas agora vamos descer, te apresentar a guilda e te fazer parte dela

— Não sei se quero apertar sua mão, você soa muito — Se levantou colocando as mãos no bolso, olhando Wendy

— Como tu sabe disso? — Pendeu a cabeça para o lado curiosa

— O macacão canguru, mesmo sendo meu braço transmorficado, ainda era meu braço, eu sentia tudo — Falou dando uma espécie de risada

— Pera… — Corou ao ouvir aquilo — Mas o macacão… ficava entre minhas pernas… — Seu rosto ficou extremamente vermelho, sendo que Wendy sentia que talvez derreter-se

— Sim… qual o problema? Você está bem? Está muito vermelha — Ao se aproximar de Wendy foi empurrado pela mesma

— PERVERTIDO — Devido a vergonha Wendy acabou por empurrá-lo com um pouco de magia fazendo com que o mesmo se desequilibrasse e caísse para fora da torre do sino — CRYPH — tentou alcançá-lo, mas não conseguiu e ao olhar para baixo viu o albino com um espinho de ferro atravessando o peito e outros quatro atravessando seus braços e mãos, e Wendy começou a tremer naquele exato momento — Eu…eu… matei alguém?

— Não se preocupe… eu só morro queimado — Levantou um braço dando um joinha para Wendy que suspirou aliviada — Agora me tira daqui, Wendy, riu aliviada indo tirar o mesmo dali.


Enquanto isso na guilda


Erza, finalmente havia conseguido ficar tranquila e viu Lucy entrando na guilda logo acenando para a mesma que foi correndo em sua direção para abraçá-la 


— Eeeeerrzaaaaa senti tanta saudade de você — Abraçava a mesma com força separando o abraço depois de alguns segundos e se sentando na mesa com ela — Eu queria ter ido com a Wendy, mas ela já estava longe quando me recuperei

— A Wendy me falou que você quase morreu, o'que aconteceu? — Embora estivesse preocupada não podia impedir de sorrir por estar vendo a loira

— Bem… aquele mago removeu toda magia de mim e eu morri naquele momento, mas a forja da Helena exalava energia celestial e isso me manteve viva por uns meses, entende? — Erza confirmou com a cabeça e Lucy pegou o Shakujo de sua costa e mostrou para Erza — Esse cajado ou melhor Shakujo, permite que eu absorva energia celestial na quantidade que eu deseje, assim consigo me manter viva até minha morte natural, Helena disse que quando eu dominar o poder do mesmo, poderei usar qualquer chave celestial do mundo sem ter ela, e até mesmo invocar o rei celestial sem oferecer sacrifícios — Lucy havia ficado bem poderosa nesses anos, coisa que deixou Erza surpresa, e seu potencial era tão grande assim? Helena devia ser a ferreira das ferreiras para fazer algo tão poderoso assim

— Essa Helena é uma ótima ferreira hein — Riu colocando o seu queixo sob a palma da mão apoiando o seu rosto nela

— Sim, eu a convenci a participar do campeonato de forja em Crocus, acho que ela ganha, embora ache que seja injusto ela ter um deus do lado dela — Deu de ombros um pouco envergonhada

— É… mas bem… a guilda mais forte de Fiore vai ter algo a mais para se gabar, tenho dó das outras — Riu imaginando Natsu e os demais zoando as outras guildas por perderem o torneio — Mas então Lucy… eu posso te perguntar algo?

— Claro, temos todo tempo do mundo — Sorriu docemente para Erza, e naquele momento percebeu o quanto aquele sorriso fazia falta em sua vida, o quão belo ele era, se pudesse beijaria Lucy naquele momento, por que tinha que esperar para tê-la em seus braços? Sentia como se o destino torturasse a mesma com o quão grande era a vontade de tê-la, e respirou fundo criando a coragem para perguntar

— Lucy eu queria saber se você gostaria de na— Antes de poder terminar uma garota rosada e manchada de marcas de carvão e óleos se sentou do lado de Lucy

— Oi loirinha — Afagou a cabeça dela — Não saía mostrando o Shakujo assim, sua vida depende dele e se você perder? E se um rapidinho passar e roubar? Sabe que não vou fazer outro né? — Embora Lucy risse Erza ficou com raiva da mesma, afinal os afagos pareciam ser até que violentos pois balançava a cabeça de Lucy de um lado para o outro.

— A Erza não vai roubar — Se abaixou fazendo a mão da rosada bater na mesa com força fazendo uma marca ali

— Essa é a Erza de que você falou? Ela fala bastante de você… prazer Helena — Toda a raiva de Erza foi embora e se deu lugar a vergonha, a loira falava bastante de você? Será que havia se confessado para Helena? Isso fez com que toda hostilidade que tinha, sumisse em um segundo

— Prazer Erza — Sorriu apertando a mão de Helena

— Por que está tão animada Helen? — Lucy parecia curiosa olhando a mesma — Normalmente você é simples e direta com os demais

— Eu consegui fazer o cajado que o Jellal pediu e finalmente consegui acertar a temperatura do vulcão e fazer diamantes, além de ter feito pedras vulcânicas para o Natsu ativar a dragon force, não sabia que conseguiria fazer um fogo tão forte sem ser o de Hefesto, além do fato do vulcão ser do lado de um oceano posso deixar meus objetos dias esfriando sem muito esforço… esse lugar é maravilhoso — A reação de Helena era incrivelmente infantil e Lucy até fez um cafuné nela bagunçando seu cabelo a fazendo voltar ao estado normal de irritadinha inflando as bochechas e se afastando, fazendo Lucy ri, para si que conhecia Helena a Anos, era estranho ver a mesma tão infantil, mas acontecia, sabia que nada era melhor para si do que forjar algo bem feito, as vezes sentia que poderia ser facilmente trocada por um metal extremamente raro que ela nunca testou na forja.

— Vocês parecem ser bem próximas, acho que quando alguém salva sua vida vocês se tornam amigas na hora — Lembrou das vezes que isso aconteceu consigo, sair por aí salvando vidas parecia a melhor forma de arranjar amigos

— No caso, fomos além né sujinha — Apertou a bochecha de Helena que tentou mordê-la

— Como assim? — Pendeu a cabeça para o lado

— Eu e essa loirinha mimada namoramos — Helena disse sorrindo e beijando Lucy que logo se afastou devido ao cheiro da mesma tampando o nariz

— Ah… namoram? — E nesse momento, foi como se o mundo de Erza parasse e se despedaçasse.


Notas Finais


Espero que tenham gostado do cap, e caso tenha ficado muito grande e difícil leitura me avisem que eu divido outros caps em duas partes, afinal ainda não sei se preferem caps grandes ou pequenos

E sobre a cena do Cryph, Wendy e o macacão canguru, sei que talvez seja um pouco desconfortável para alguns a idéia, já que foi um toque em partes íntimas e tudo mais, mas saibam que não teve nenhuma intenção pervertida ou maldosa por meio do mesmo.

E bem… foi isso, me digam suas opiniões no comentário para saber se gostaram.

Bjss de ursinho =^^= e até o próximo cap.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...