1. Spirit Fanfics >
  2. The Emperor And The Renegade Prince (Yoonmin) >
  3. Prólogo

História The Emperor And The Renegade Prince (Yoonmin) - Capítulo 1


Escrita por: , XSafillyX e LUCYDOP


Notas do Autor


Oiiie, pessoas!!! Tudo bem? Espero que sim 🙂

Olha aqui... A gente postando outra estória e Yoonmin 😁

Esperamos que vcs gostem da estória 😅

Capa linda e maravilhosa por sunnynxy (Tumblr). Muito obrigada, nós amamos a capa 😍❤❤

É isso...

Boa leitura 😊

Capítulo 1 - Prólogo


Há 31 anos atrás, na província de Hwaiteu Taigeo, havia um príncipe bondoso, cujo nome era Min Jong-su. Era um homem belo, que encantava a todos com sua personalidade e encantava a todas por sua beleza. Seus cabelos eram loiros da cor do belo sol e sua pele era levemente bronzeada. Era magnifico.

 Em um dia qualquer, depois de um dia cheio de estudos e aprendizados, saiu de sua zona de conforto - o palácio - para as ruas da província. Ele andava pelas ruas tranquilamente e disfarçadamente, apenas apreciando em volta e sentindo aquele cheirinho de comida que ele estava gostando bastante.

Ele observava as pessoas caminhando, os trabalhadores atendendo fregueses em suas barraquinhas, crianças acompanhando seus pais, eram pessoas muito simples mas que pelo que via, ainda sorriam uns para os outros, felizes com o que tinham. Era isso que ele gostava de ver, as pessoas da província que seu pai governa serem felizes. Amava ver o sorriso estampado no rosto de cada pessoa que morava ali, isso o deixava muito feliz.

Suspirou contente.

Era raro ele achar tempo para sair, pois como era o primogênito, seria o futuro imperador e com este cargo tão importante, vinha as responsabilidades e para arcar com as responsabilidades de imperador, o príncipe tinha que aprender muitas coisas, como por exemplo, defesa pessoal. Não negava que todas essas coisas o deixavam cansado, porém, não reclamava já que tudo a ser aprendido era para o bem de seu povo e isso o animava a continuar.

Ainda estava observando tudo em volta quando, repentinamente, ele paralisou. Era como se fosse uma miragem. O príncipe havia visto a mais bela moça que já viu em sua vida. A garota tinha uma pele branca como a neve e os fios tão negros como a noite. Era extremamente linda.

O rapaz se viu encantado pela moça e passado este dia, ele ia sempre na barriquinha dela comprar ervas naturais para chás, o que era irônico já que o mesmo não gostava de chá. Ia apenas para conversar com a bela moça e poder vislumbrar sua beleza. Com o tempo, os dois começaram a ficar bem próximos e consequentemente, se apaixonaram. Ambos começaram a namorar escondido - seu irmão sempre o ajudava a escapar do palácio - porém, o Min estava determinado a enfrentar seu pai e sua mãe para conseguir casar com a pessoa pela qual estava apaixonado, o que não foi necessário, já que assim que soube pelo seu filho sobre seu relacionamento, ele os parabenizou e falou que nunca o proibiria de ficar com quem amava e assim, algumas semanas depois, se casaram, em uma cerimônia linda e naquela noite, eles consumaram o casamento, se tornando apenas um só.

Os meses de casados foi algo muito tranquilo, naquele palácio não haviam concubinas, pois todos os antecessores aos sucessores, casaram por amor e não havia motivos ou possibilidades de se ter uma. Eram poucas as brigas e quase sempre, por motivos bobos.

Três meses após o casamento, descobriram que a bela moça Min Ji-Hye, estava esperando um filho, o que deixou seus familiares e seu povo muito contentes com a descoberta do mais novo membro da família Min. Nessa mesma época, o imperador ficou muito doente e como não conseguia mais ser, em seu ponto de vista, um bom imperador, quis repassar seu título ao seu filho, então, alguns dias depois, Min Jong-su foi decretado o mais novo imperador da província de Hwaiteu Taigeo, tendo o olhar invejoso de seu irmão, esse que queria o poder mais que tudo. Os dois eram bem próximos, porém, conforme iam crescendo, foram se afastando, logicamente, pelo seu irmão que não conseguia mais esconder a inveja que sentia, mas que ninguém percebia. Ele o ajudava algumas vezes, porque pensava que ele se daria mal, o que nunca aconteceu, o que o deixava extremamente irritado.

Com o novo título, Jong-Su tinha mais responsabilidades além de cuidar de sua esposa grávida, o deixando extremamente cansado, mas sabia que no final, tudo valeria a pena.

6 meses depois, nascia o primogênito do casal, Min Yoongi cujo nome significa a esperança de viver sem problemas. O antigo Imperador conseguiu conhecer seu neto, porém, semanas depois, veio a falecer, deixando todos desolados, principalmente, sua esposa e seus filhos. Tiveram um semana de luto, porém, logo após, todos voltaram com seus afazeres. A antiga imperatriz decidiu ir morar em um lugar mais afastado, deixando seu filho triste, porém, foi compreensivo. 

Devido a um problema eu seu parto, Ji-Hye não pôde mais ter filhos, o que abalou ambos, porém, foram superando durante os meses. Yoongi foi crescendo bastante saudável e com muito amor a sua volta, pois não só seus pais o amavam, como todos que moravam no palácio. Sempre aprontava poucas e boas e claro, brigavam com ele, mas a irritação não durava dez minutos, pois amavam demais o filho deles e sabiam que crianças agiam dessa forma.

Eram uma família feliz, pena que não sabiam o que aconteceria anos mais tarde.

****

há 25 anos atrás, na província de Wonsung-i, Park Chae-young - Uma garota de fios negros e pele pálida de apenas 19 anos - era escolhida como a mais nova concubina do imperador. A menina vinha de uma família pobre e devido à uma dívida que sua família tinha com o imperador - Kim Seung-Hyun - e não conseguiram pagar, ele resolveu pegar uma das filhas da família Park para ser mais uma que satisfaria seus desejos e justamente escolheu a filha mais nova. Ele a achou muito linda, encantadora e inocente. Quis leva-la na hora e assim, o fez.

Quando a Park chegou no palácio, as mulheres que trabalhavam no lugar, tiraram suas medidas para fazerem suas roupas. Uma semana depois, ela estava deslumbrante com toda aquela roupa da nobreza, deixando o imperador cada vez mais encantado pela beleza da jovem. Ele já tinha uma esposa cujo nome era Kim Hyun-ah, essa que nem se importava pelas concubinas que seu marido tinha, pois a mesma o traía com os guardas do palácio. 

Naquele palácio, tudo era diferente do da província vizinha. Em Wonsung-i as pessoas das famílias nobres se casavam pelo poder e não por estarem apaixonadas e, se estivessem, era um bônus. A imperatriz já havia tido um filho com o imperador e teria mais um bebê, estava grávida de 3 meses. O primogênito do casal  fora nomeado de Kim Hoseok . Na época, Hoseok tinha apenas 1 ano.

Em uma noite, Seung-Hyun iria finalmente passar a noite com a encantadora Chae-young e assim foi feito. Ela não queria, mas não podia negar, então, eles ficaram juntos, o imperador tirando a inocência da bela moça.

Um mês depois, descobriram que a jovem moça estava grávida, o imperador odiou a notícia, mas não quis fazer nada a respeito. A garota era tratada muito bem por todos que trabalhavam no palácio, porém, ela nunca conseguiu se dar bem com nenhuma das outras duas concubinas do imperador, essas cujos nomes eram Bae Joohyun e Kang Seulgi. Elas morriam de inveja da garota, pela beleza dela e por ela ser a preferida do imperador. Quando descobriram que a Park esta esperando um bebê do imperador, as duas quase surtaram de raiva.

Passado os 7 meses, esses que Seung-Hyun nem fez questão de presenciar, finalmente seria o dia do parto, o que foi a surpresa de todos, por a garota não estava esperando somente um, mas dois bebês, um menino e uma menina, deixando o imperador as cuncubinas irados. O kim por não querer ter tido filhos com uma pessoa que para ele era uma qualquer, sem relevância e as outras concubinas, pela Park ter conseguido algo que elas nunca conseguiram e em dobro. 

A Park escolheu os nomes de seus bebês, o menino era Park Jimin e a garota era Park Lalisa. Chae-young deu o máximo de amor ao seus filhos, sempre cuidando deles e tentando protegê-los. A garota não podia deixá-los perto do imperador, pois esse os odiava e se irritava com eles. Ambos nunca foram aceitos pelo pai e não entendiam o porquê. 

Foram renegados.

Mas mesmo assim, Park nunca se deixou abalar, sempre cuidando de seus filhos direitinho. Ambos tiveram uma infância até que boa, tudo por causa de sua mãe.

Eles também eram muito bem tratados e amados pelas pessoas que trabalhavam no palácio.

Hyuna não gostava que os filhos da concubina se interagissem com os seus filhos. Kim Hoseok e Kim Jennie nunca gostaram dos gêmeos e sempre que podiam, aprontavam com eles. Chae-young ficava irada, mas não podia fazer nada, apenas dar mais amor aos seus pequenos. A imperatriz havia tido mais outros dois filhos, só que esses não haviam tido a personalidade de seus pais e seus irmãos, sendo duas pessoas muito boas, que amavam seus meio-irmãos. Kim Jisoo e Kim Taehyung foram praticamente criados pela Park, fazendo assim, que os dois a vissem com uma segunda mãe, o que deixava de fato Hyuna irada. Mas nada daquilo importava, a mulher não amava seus filhos, ela não amava ninguém, apenas o poder, assim como seu marido,  o imperador.

Durante anos, Seung-Hyun planejava um ataque a província vizinha. Queria mais poder e vingança contra os Min. Hyuna sempre o ajudava no plano, pois a mulher era muito inteligente e fazia vários tipos de estratégias. Os dois, quando se juntavam, se tornavam uma dupla invencível.

Os dois queriam aquilo mais que tudo e Seung-Hyun não teria medo de usar um de seus filhos bastardos para conseguir o que quer e com certeza, Hyuna também não. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Obrigada por terem lido até aqui e até a próxima atualização. Bye 😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...