História The end - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Apocalipse Zumbi, Aventura, Ficção, Ficção Cientifica, Sobrevivencia, Zombies, Zumbis
Visualizações 81
Palavras 1.089
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Romance e Novela, Survival, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


(➕)

Ta ai outro capítulo ^-^

Capítulo 4 - Não estamos sozinhas


Não iríamos descer do predio tão cedo. O medo de arriscar a descer era grande, não sabíamos nem mesmo usar a porcaria de uma faca.

A Mirella tinha trazido um isqueiro, então juntamos um monte de papel que estava jogado pelo prédio e colocamos fogo neles. Virou o que seria o projeto de uma fogueira, mas pelomenos pegou fogo.

Tava muito frio....tinha me esquecido que o inverno tinha chegado. Comi o resto dos meus biscoitos e acabei com minha água. Decidi pegar o primeiro turno porque não tava afim de dormir. Peguei minha mochila e me sentei na borda do prédio, tirei dela a faca e minhas blusas.

Era uma blusa verde de fecho, e uma de lã preta. Peguei a de lã e fiz um rasgo em cada manga e as coloquei. A de lã por baixo e por cima a verde. Usei os rasgos pra colocar o polegar neles como se fosse uma espécie de "luvas". Pra isso que servem as gambiarras.

Olhei pra baixo e fiquei vendo aqueles que um dias foram pessoas. Era estranho pensar que todos eles que estavam agora procurando algo vivo pra comer, ja tiveram uma história toda antes disso.

No meio dos grunhidos dos zumbis ouvi um barulho de passos bem perto...estava vindo de trás.

Me levantei e com a faca na mão, fui até a escada, que dava acesso pra dentro do predio. Meu coração parecia saltar de tanto medo. Minha mente gritava pra eu não fazer aquilo, mas eu fui mesmo assim.

???: -larga a faca - era uma voz masculina.

Gelei. Não sabia o que fazer. Se eu largasse a faca o que ia acontecer? E se a pessoa tivesse com uma arma? Eu realmente tava ouvindo a voz de outra pessoa? Meu Deus.

Dei um passo pra trás ainda segurando firmemente a faca. O que diabos uma faca iria fazer a um homem provavelmente armado? Eu sou muito trouxa.

Um cara que parecia ter uns 20 e cacetada anos de idade, loiro, olhos castanho claro e com uma faca na cintura, saiu do escuro com uma arma apontada pra mim. Foi a primeira vez que eu senti a tensão que é ter uma arma apontada pra sua cabeça, parece ter o dobro do tamanho quando você vê essa merda de perto.

???: -olha garota, não quero te machucar, só solta a faca, por favor. Nunca matei ninguém antes e não quero matar agora - ele apontava com a arma pra minha mão.

Coloquei a faca no chão e dei dois passos pra trás, ainda encarando o homem. Ele se abaixou e pegou a faca.

???: -tem comida?

-não vou te dar minha comida - é sério? Eu não sei o que fazer.

???: -olha garota, podemos fazer um acordo, você me da comida e eu te dou uma arma.

-não adianta de nada eu ter uma arma sem saber usar.

???: -eu presiso muito de comida. Tem um filho meu presisando, eu não posso deixar ele morrer - ele colocou o dedo no gatilho - por favor, já disse que não quero te matar - e eu tenho escolha?

Fui devagar até a mochila da Pietra e a abri. Tinha dois enlatados e mais umas coisas por ali. Eu não queria mesmo fazer isso, aquela lata podia fazer toda a diferença pra gente. Mas era isso ou morrer.

Peguei um enlatado e chutei ele pro homem. Ele pegou e em seguida colocou no chão, minha faca e uma arma com uma munição do lado.

???: -muito obrigado. Eu não queria ter que fazer isso mais é necessário. Aproposito, meu nome é Yurii... - ele foi andando de costas ainda apontando a arma pra mim, até sumir de vista no escuro.

Corri até minha faca e a arma. Peguei elas e fechei a porta das escadas.

-porcaria.... - me esbarrei na porta e fui escorregando até me sentar, peguei a arma e a munição - como que eu vou usar isso?

Mirella: -que isso?! - me assustei mas vi que era apenas ela.

-uma arma...- falei desanimada e a coloquei no chão.

Mirella: -como que tu conseguiu sa porra?

-teve um homem...ele veio aqui.

Mirella: -oi?! Não somos as únicas vivas não?!?!!

-ele levou uma lata de comida...

Mirella: -QUE?!

-ele queria comida, ele chegou apontando uma arma pra mim, disse que presisava de comida. Não tive escolha.

Mirella: -cê sabe que a gente ta com pouca comida, e ninguém aqui sabe usar a puta que pariu de uma arma - suspirei.

-é.....eu sei

-dia seguinte-

Passei a noite inteira acordada com a Mirella, tentando entender como funcionava a arma. Tentamos ver se ela estava carregada ou colocar a munição, mais nao sabíamos porra nenhuma.

A Nicole e a Pietra acordaram e eu expliquei o que aconteceu, e que teriamos que poupar aquela comida até conseguirmos mais.

Arrumamos nossas coisas e finalmente tomamos coragem pra descer do predio. Descemos com cuidado, sem fazer barulho.

A rua tava mais calma e tinha uns zumbis mortos a pouco tempo...aquele Yurii devia ter matado eles pra chegar até o prédio...agora como ele nos achou? É a pergunta.

Nicole: -ta, pra onde nois vai agora? -cochichou perguntando pra mim.

-procurar comida...vocês vão ter que prestar muita atenção...ok? - segui o tom baixo de voz.

Nicole: -ok....

Com a faca na mão fui andando abaixada pela rua, era estranho ver aqueles corpos ali e não sentir nada, eu mudei bastante desse pouco tempo pra cá...aconteceu muita coisa em pouco tempo, não só pra mim, mas pra as meninas também.

Continuamos andando e nenhum sinal de zumbi, quando viramos a esquina do supermercado avistei uns zumbis no estacionamento então parei e me virei pra Nicole, que estava atrás de mim.

-acho que isso nao vai ser uma boa ideia - senti o medo me consumir.

Nicole: -presisamos tentar... - suspirou colocando a mão no meu ombro - vamo entra sem ser persebida, eles são muito burros....acho eu né.

-vamo presisar que fique alguém de vigia na porta... - troquei olhares com cada uma.

Mirella: -deixa comigo.

-ok então - entreguei a faca pra Nicole - vai servir mais que uma pistola... - olhei a Pietra - toma cuidado, fica perto - peguei a pistola e entreguei pra Mirella - não vai servir pra mim. Agora vamo acabar com isso de uma vez - elas acentiram.

Fomos nos esgueirando por alguns carros e chegamos na porta dos fundos do supermercado, a Mirella ficou na porta e nós três entramos. Fui lentamente andando de prateleira em prateleira mas graças a Deus não vi nenhum zumbi.

Não tinha absolutamente nada naquele lugar. Olhamos várias prateleiras e nada. A Pietra continuou do meu lado mas eu não tava vendo a Nicole.

Continua...


Notas Finais


Espero que tenham gostado :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...