1. Spirit Fanfics >
  2. The end of the world (Hosie) >
  3. Chapter eleven - R.I.P. 2 my youth

História The end of the world (Hosie) - Capítulo 11


Escrita por: deluded_muffin

Notas do Autor


*LEIAM A OBS³ POR FAVOR*
Oi pessoichas, resolvi fazer um POV Caroline antes da parte Hosie do capítulo, devo fazer mais POVs especiais? Não se esqueçam que o próximo capítulo é do Kai, de 6 em 6 capítulos ele é o narrador.
A música do capítulo é "R.I.P 2 my youth" (the neighborhood), porque eu AMO essa música!
OBS ¹: sério quem tá animado pro episódio dessa semana?
OBS²: Quem quiser ne recomendar mais músicas pros capítulos, eu vou ouvir e ver se gosto/combina.
OBS³: Eu NÃO faço hot, sou menor de idade, então no decorrer da história vai ter uma parte onde vcs deixem a imaginação levar vcs, pq eu vou deixar só insinuado, beleza?

Capítulo 11 - Chapter eleven - R.I.P. 2 my youth


Fanfic / Fanfiction The end of the world (Hosie) - Capítulo 11 - Chapter eleven - R.I.P. 2 my youth

POV Caroline 

8 anos antes... 


Olho no espelho. O vestido azul brilhante de anos atrás de alguma forma ainda cabia perfeitamente em mim, e havia ficado muito bem com a pequena tiara que eu havia ganhado há anos. Eu me sentia como a Cinderela. E ele, é claro seria meu príncipe no cavalo branco. O único homem que eu amava. 

Suspiro. Mesmo eu jurando que isso nunca aconteceria, era impossível que não cair de amores por aquele homem.  Niklaus Mikaelson havia me conquistado e eu havia me entregue a ele.  

Sorrio, lembrando de todo o tempo que havíamos passado juntos. Ele fazia uma pose de ser durão e invencível, mas na verdade era só um bobo apaixonado, assim como eu. Tomo um susto quando vejo uma figura parada na porta. 

- Elena! Não me assuste assim! - digo, abraçando minha amiga. Algumas pessoas não gostavam dela, porque ela tinha uma tendência a ser... Muito exagerada, dramática e egocêntrica. Ou era sobre ela ou ela não queria saber. Ou era sobre Stefan, ou sobre mim. Lembro-me da época em que ela gostava de Damon, o irmão de Stefan, porém antes de saber que ele era gay. Rimos tanto quando ela falou para Stefan que iria largá-lo para ficar com Damon e o próprio chegou e disse que preferia Jeremy. Ah... Aquela época foi... Simplesmente maravilhosa. 

- Ah, como vão as coisas com o Klaus? 

- AI AMIGA, TÁ TUDO TÃO PERFEITO EU O AMO TANTO! - digo, dando gritinhos e pulinhos. Já tinha filhas com Alaric e Jo, mas me sentia uma criança. Sim, Alaric, Jo e eu tínhamos duas gêmeas lindas. Eu era a "barriga de aluguel" deles. Mas as filhas eram minhas também. Josette Olivia Saltzman e Elizabeth Jena Saltzman. Os amores de minha vida. Depois, obviamente Klaus. 

- Como vão as coisas com Stefan?

- Nós dois estamos bem, mas ele constantemente se preocupa com Damon. 

- O irmão gay? 

- Sim. O irmão gay problemático que já foi pra cadeia e só se mete em furada, esse mesmo... - Elena parecia guardar algum tipo de rancor contra Damon Salvatore. 

- Bom, por aqui está tudo perfeito! Eu sinto que estou vivendo o sonho americano! 

- Mas é claro que está Barbie! Só que seu Ken não é dos melhores não é? - lhe dou um tapa no braço. - Ei! 

- Você não fale mal do meu Klaus hein! - vejo Klaus parado na porta.  

- Meu Klaus? Hmm... Nunca achei que seria de ninguém, mas vou deixar essa passar, minha Caroline. - corro para seus braços, o abraçando. 

- Oi pra você também Klaus. 

- Elena. - ele responde, acenando. - Sei que sentiu saudades de mim. Como está Stefan? - pergunta Klaus, olhando em volta. - Ele está aqui? 

Antes que Elena abra a boca para respondê-lo, eu a interrompo.

- Não, não, não! Deixem o papo de bro pra depois, essa noite ele fica comigo! Tchau Elena! - digo, arrastando Klaus e acenando para Elena. Ela sorri e revira os olhos. 

- Então, o que quer fazer? - ele me pergunta.

- Uma dança. Você me deve uma, não é?


R.I.P 2 my youth

        (The neighborhood)


And you could call this the funeral

(Você podia chamar isso de funeral)

I'm just telling the truth, yeah

(Eu só estou dizendo a verdade)

You can play this at my funeral

(Você pode tocar isso no meu funeral)

Tell my sister don't cry and don't be sad

(Diga para minha irmã que não chore, não fique triste)

I'm in paradise with dad

(Estou no paraíso com meu pai)

Close my eyes and then cross my arms

(Fecho os olhos, e então cruzo meus braços)

Put me in the dirt, let me dream with the stars

(Me coloque na terra, me deixe sonhar com as estrelas)

Throw me in a box with the oxygen off

(Me joguei em uma caixa sem oxigênio)

You gave me the key then you locked every lock

(Você me deu a chave, e depois trancou todas as fechaduras)

When I can't breathe, I won't ask you to stop

(Quando eu não conseguir respirar não vou pedir que pare)

When I can't breathe, don't call for a cop

(Quando não conseguir respirar, não chame um policial)

I was naive and hopeful and lost

(Eu fui ingênuo, esperançoso e perdido)

Now I'm aware and trapped in my thoughts, oh

(Agora estou consciente e preso em meus pensamentos)

What do I do? What do I do?

(O que eu faço x2)

I don't believe it if I don't keep proof

(Não acredito se eu não tiver provas)

I don't believe it if I don't know you

(Não acredito se não lhe conheço)

I don't believe it if it's on the news or on the internet

(Não acredito nisso se está nos jornais ou na internet)

I need a cigarette

(Preciso de um cigarro)

I'm using white lighters to see what's in front of me

(Estou usando isqueiros brancos para ver o que está na minha frente)

I'm using white lighters to see

(Estou usando isqueiros brancos para ver)

R.I.P. to my youth

(Descanse em paz, minha juventude)


A música termina e eu falo.

- Poderíamos jantar? Estou com fome... 

- O que você quer comer? 

- O que você quer fazer de comida? 

- Hmm... Acho que vou deixar isso como uma surpresa. - ele me olha de cima a baixo, lambendo os lábios. - Sabe, você fica linda com esse vestido, mas precisa ir se trocar para podermos comer. 

- Okay, meu Klaus. - ele sorri, me dando um selinho e indo para a cozinha da mansão Mikaelson. 

Volto para o quarto, colocando uma blusa de manga comprida, azul e uma calça moletom beige.


[•••]

 

Klaus me ajuda a sentar, retirando a venda que estava sobre meu rosto. Ele havia feito ostras. 

- Klaus! Ostras? Essas coisas são caras!

- Que bom que eu sou um filantropo milionário então, não é? - reviro os olhos.

- Tem planos para depois do jantar? 

- Não.

- Sabe, deixei as meninas na casa da Jo e do Alaric. Hope está com Elijah e Hayley, não é?

Ele assente , sorrindo.

Comemos e bebemos bastante vinho, alegremente conversando. 


[•••]


Klaus me pressiona contra a parede, nossas respirações se misturando, em um beijo cheio de desejo. 

- Tem certeza? - ele diz, entre uma respiração e outra. 

Não respondo, apenas o puxo para o quarto. 


[•••]


Alguns anos depois


Vejo as notícias, sem acreditar no que estava vendo. Não era possível... Não! Aquilo não podia estar acontecendo. Não podia, não podia! 

Sinto os braços de Elena me envolverem, ela própria tremendo.

- Elena... Não, não, não eram eles. Eles estão bem... Não podem não estar. Não podem! - falo, desabando em lágrimas. 

- Shh... Eu sei... - ela diz, com a voz trêmula. 

Josie e Lizzie entram na sala, com expressões confusas.

- Mommie? Está tudo bem? - pergunta Lizzie, se sentando no chão. Josie caminha em nossa direção. 

- Se não está, vai ficar. - diz, colocando sua pequena mão em volta da minha. Elena ainda estava me segurando. 

Klaus estava morto.


[•••]


Me despeço de Lizzie e Josie no aeroporto. Precisava de um cenário fresco. Mais liberdade. Iria passar um tempo viajando pela Europa, deixaria as gêmeas com Alaric e iria ver o que fazer lá. 

Caminho em direção ao avião, pensando em minha nova vida. Uma vida sem Klaus. Sem Stefan. Sem a família Mikaelson, sem minhas filhas.

Mesmo assim aquela era a única decisão que parecia certa naquele momento. 


POV Josie

Atualmente


Solto a cintura de Hope.

- É ela! Lizzie, é ela! Mamãe está viva! - digo, me levantando para correr em sua direção. Sinto um braço me impedir.

- Espere. Precisamos ver se está tudo bem. Se a mãe de Penelope está com ela, se elas não são reféns. - sussurra Lizzie. Me agacho de volta, mal conseguindo me conter. Sinto as mãos da Mikaelson esfregarem meus ombros, um gesto para que eu me acalmasse. Sorrio. Ela também parecia feliz.

Penelope olha em volta, procurando sua mãe. A avistamos andando em direção a minha. Elas olham em volta. Aponto nosso dispositivo de ouvir conversas, que não tinha nome, para elas. 

- Elas não estão aqui. - minha mãe diz.

- É melhor voltarmos. Eu disse que isso seria perigoso! Não foi uma boa ideia. 

- Não, espere. Elas vão vir. Aquela era a escrita de Lizzie, eu sei que era. Talvez elas estejam apenas... Atrasadas. 

Cutuco Lizzie e Penelope. Elas assintem. Eram nossas mães. Corro em disparada, chegando por trás de minha mãe e a abraçando, vendo Penelope fazer o mesmo. 

- Mamãe! Você está bem! - digo, abraçando minha mãe forte. Ela se vira para mim, lágrimas em seus olhos. 

- Se alguém me acordar agora, eu juro...

- Estamos aqui. Não é um sonho. - diz Lizzie, se juntando ao abraço.

Hope e Jade caminham até nós. Minha mãe olha para Hope.

- Hope? 

- Oi Carol... - ela diz, um pouco tímida, porém sorrindo. Olho para ela. Minha mãe nos encara. 

- U- Ahn... Mas- ela gagueja. A olho confusa. - Vocês duas. Estão. Juntas. 

- O que? Não! - digo. Hope me encara, seu olhar indecifrável. - Quer dizer... Estamos. Eu acho. Mas, como...? Como você descobriu?

- Bom, foi fácil. Vi o olhar que Hope usou para olhar pra você. Klaus tinha esse mesmo olhar. Então, vocês duas? 

- Não sei. - diz Hope, um pouco chateada. 

- Não se chateie Hope. Você é a primeira pessoa que Josie me diz que namora. - fico vermelha. 

- Então... Penelope? - Hope diz, me fazendo engasgar com as palavras. - Rafael? - lhe lanço um olhar de advertência, mas é tarde demais. 

- Namorou duas pessoas?! Josette Olivia Saltzman! Porque não me contou? 

- Bem, você estava ocupada com a Europa... E Lizzie... Não sei, não achei que fosse a hora. - Penelope, sua mãe e Jade se aproximam de nós. 

- Então sua mãe não sabia de mim? 

- Hmm, claro que não, não deixaria minha filha namorar essas más sementes. - a loira responde, brincando. Penelope ri. 

- Bom, nós terminamos e somos amigas, mas as duas estão com outras pessoas agora. 

- As duas? Com quem você está, Penelope? - interrompe Lizzie. Penelope esfrega o braço. 

- Hmm... - ela se vira para Jade, que miseravelmente tenta fingir que não está com ciúmes. - Com você, eu espero? 

Naquele momento eu realmente senti falta de uma máquina fotográfica para capturar a expressão no rosto de Jade. Era um misto de confusão, êxtase, amor, felicidade, ciúmes.

- Mas é claro que sim! - diz Lizzie, interrompendo o momento novamente. Por um instante eu acho que ela se confundiu e está falando sério. Penelope arregala os olhos. - Estou brincando, calma!  Jade, só fala sim logo. 

- Sim! - Penelope a abraça e entrelaça sua mão na dela. 

Todos sorrimos. E, pensando mais para frente, eu queria congelar aquele momento, pois o que estava por vir não era nada bom. 

Me viro ao som de palmas, para ver quem as batia. Levo um pequeno sobressalto ao ver um rosto familiar. Minha mãe aperta minha mão. Hope nos olha, sem saber o que fazer.

- Kai? O que você tá fazendo aqui?





























 







Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...