1. Spirit Fanfics >
  2. The enemy of my brother (Taekook - Vkook) >
  3. Trigésimo Segundo Capítulo

História The enemy of my brother (Taekook - Vkook) - Capítulo 33


Escrita por:


Notas do Autor


Volteeeei 👉🏻👈🏻😁
Gente, quero pedir desculpa a vocês por não ter postado capítulo nesses últimos dias, mas eu estava/estou com um grande bloqueio de criatividade :( me desculpem mesmo viu? Eu prometo que não vou desistir dessa fica, só estou com dificuldade pra desenvolve-la 🥺💔
Enfim, sem mais enrolações, espero que gostem, boa leitura e perdoem os erros ortográficos ^•^

Capítulo 33 - Trigésimo Segundo Capítulo


Fanfic / Fanfiction The enemy of my brother (Taekook - Vkook) - Capítulo 33 - Trigésimo Segundo Capítulo

30/12/2016

POV's Kim Taehyung

Era a quinta vez que via Jeon me encarando do outro lado da pista de dança. Esse estava sentado em um sofá, junto de seus amigos, com excessão de um; Seokjin. Este estava com seu corpo colado no meu, mexendo seu quadril junto ao meu, em um ritmo sensual, conforme a batida da música.

— Por que não vai falar com ele? — Jin gritou em meu ouvido, por conta da música alta.

— Seu amigo não parece querer conversar comigo.

E foi só eu responder isso, que o louco do Seokjin separou seu corpo do meu, indo em direção ao Jeon, que ergueu uma de suas sobrancelhas quando o amigo se aproximou. O Kim falou alguma coisa para ele, que sorriu de ladinho, deviando seu olhar para mim, antes de se levantar e começar a andar em minha direção.

— Puta merda, eu vou matar o Seokjin. — Falo a mim mesmo, me virando de costas para Jeon, continuando dançando como se não tivesse o visto.

Movimentei meu quadril para trás, ondulando meu corpo conforme a batida da música, mas logo senti braços envolvendo minha cintura firmemente. Era ele. Ele puxou minha cintura para trás, fazendo meu corpo se chocar com o dele, então ele começou a mexer seu quadril conforme eu mexia o meu.

— Você não deveria fazer isso, sabia? — Falou em meu ouvido, arrepiando-me por inteiro.

— Isso o que? — Faço-me de desentendido, virando de frente para si.

Era a primeira vez que estavamos assim; tão perto um do outro. Não vou mentir dizendo que não fiquei nervoso, afinal, eu tenho um precipício por Jeon.

Acho que a maioria das pessoas que estão aqui tem.

— Ah Taehyung, não se faça de desentendido. — Ele apertou um pouco mais minha cintura. — Você sabe do que eu estou falando. — Raspou seus dentes no lóbulo da minha orelha, arrepiando-me.

Ignoro sua fala, aproveitando o pingo de coragem que havia me dado para passar meus braços em volta de seu pescoço. Também tiro proveito para puxa-lo para mais perto, tão perto ao ponto de sentir seu hálito contra minha boca.

— Oh... Também acho que não deveria fazer isso. — Um sorriso sacana surgiu em seus lábios enquanto ele sussurrava.

— E... Por que eu não faria? — Aproximei meus lábios do seu, deixando-os apenas alguns centímetros de distância.

— Porque quem muito mexe com fogo, pode acabar se queimando. — Sussurrou a última parte, passando a língua entre os lábios.

Sorrio com sua resposta e começo a dançar novamente – ainda naquela posição –, suspirando quando em um movimento os lábios dele roçaram os meus. Jeon adentrou suas mãos em minha camisa, tocando a minha pele com precisão.

— O que você acha surpreender-mos todos aqui e agora? — Olhou por cima de meus ombros, provavelmente vendo as pessoas nos olhando.

Sem pensar duas vezes assinto, logo sentindo as mãos do Jeon saindo de dentro da minha blusa, tocando uma de minhas mãos, puxando-me para fora da boate. Caminhamos em passos calmos até o estacionamento, onde finalmente paramos 6 quando chegamos neste. Olhei para Jeon e vi que este me encarava, então rapidamente desviei o olhar, sentindo minhas bochechas arder, o que causou uma risada baixa do mais novo ao meu lado.

— O que foi Kim? Ficou com vergonha, é? — Sussurrou, dando um passo a frente.

Ignoro sua fala, fazendo-me de difícil. Jungkook pareceu perceber essa minha ação, então levou sua mão até meu rosto, obrigando-me olhar para si.

— Oh Taehyung, você é definitivamente um pecado em pessoa. — Mordeu o lábio inferior, deixando-me ansioso para sua próxima ação, porém ela não aconteceu, pois meu celular começo a tocar.

Kim Namjoon, lembre-me de sempre te agradecer por me tirar de momentos como esse.

— Sim? — Atendo no mesmo instante.

— Taehyung? Onde você está? Estamos te procurando que nem loucos! — Referiu-se a si e ao Seokjin.

— Oh, me desculpe, estou aqui no estacionamento... — Olho para o lado, vendo Jeon com uma das sobrancelhas arqueadas. — Com o Jungkook. — Completo.

Depois disso ele só respondeu um "Opa, desculpa" E desligou, arrancando uma breve risada minha.

— Comigo, é? — Passou uma de suas mãos em minha cintura, ficando frente a mim.

— Opa, opa, opa! — Tiro as mãos dele de lá, fazendo-me – mais uma vez – de difícil.

A risada gostosa de Jeon se fez presente no estacionamento da boate, causando o olhar de algumas pessoas. Jungkook assentiu, suspirando pesadamente.

— Ok, eu gostei de você. — Sorriu de ladinho. — Não é igual aos outros, então compensa investir. — Piscou, pegando o meu celular de minhas mãos.

Como meu celular estava desbloqueado, ele simplismente adicionou seu contato ali. Para previnir, ele mandou mensagem no seu celular, me entregando o meu assim que viu minha cara de indignado. Jungkook sorriu fechado, dando-me um beijo no rosto e se virando de costas para mim, prestes a sair, mas então segurei-o pela blusa.

— Por que salvou meu contato se não irá responder minhas mensagens? — Praticamente sussurrei.

Ele soltou um riso baixo, virando brevemente a cabeça em minha direção, o que fez a meu coração disparar, pois a cena foi a mais linda que já vi em toda minha vida.

— Então quer dizer que irá mandar mensagens? — Piscou, me fazendo morder a bochecha.

Ok, agora ele me pegou.

Sem respostas, Jeon apenas voltou a olhar para frente, ajeitou sua roupa e voltou a seguir para dentro da boate, mostrando sua pulseira para o segurança, mostrando que já tinha pagado sua entrada.

— Kim Seokjin, eu vou te matar! — Falo a mim mesmo, sentindo minhas bochechas pegarem fogo.

Atualidade...

POV's Jeon Jungkook

Estava sentado na cama, esperando Taehyung terminar de se arrumar quando uma mensagem me chamou atenção. Era de Lalisa, uma amiga – bem intima por sinal – minha. Lisa sempre foi uma pessoa que eu confiei, e por esse motivo ela sabe bem mais do que deveria. Justamente por isso estou sempre querendo a proteger, e bem, não irei dizer que não ficamos algumas vezes pois estaria mentindo as dissesse isso.

Lisa

Kook, o que houve? Por quê não está respondendo minhas mensagens? [20:56]

Eu

Olha, assim, talvez eu tenha  voltado com o Tae... [22:47]

Lisa

Jeon Jungkook, você fez o quê?! [22:46]

Jungkook, olha aqui, só eu sei o que você passou, só eu sei o quanto você sofreu com esse relacionamento... [22:47]

Eu

E eu sou muito grato por você ter me ajudado quando eu precisei, mas agora você precisa entender que eu já construí uma família com ele, não posso simplesmente deixá-lo apenas porque você quer ou por algo que aconteceu no passado! [22:47]

Sem contar que eu amo ele mais que tudo. Você deveria estar feliz por eu finalmente ter voltado com ele! Porra Lisa, tu é minha melhor amiga caralho, sabe muito bem que eu não suporto que falem assim sobre meu relacionamento com o Taehyung! [22:47]

Você falando assim até parece que a culpa foi dele do que aconteceu... [22:48]

Lisa

Jungkook, olha, como você disse, eu sou sua melhor amiga, certo? [22:48]

Então eu não quero te ver sofrer novamente [22:48]

Kook, você tentou se matar tantas vezes por causa disso... Eu não quero que aquilo volte a acontecer [22:48]

Eu 

Eu sei Lisa, mas fica tranquila. Antes eu não tinha um motivo pra viver [22:48]

Meu único motivo era o Taehyung, mas hoje em dia além dele eu ainda tenho mais três motivos [22:48]

Lisa

Mesmo assim Jungkook, te ver mal me deixou completamente destruída [22:48]

Porra Jeon, imagina se isso acontece novamente? [22:49]

Eu juro que se isso acontecer mais uma vez, não me importo se você vai me matar, mas eu no mínimo deixo o Taehyung sem um braço [22:49]

Eu

Você não é nem louca [22:49]

Chega perto dele pra você ver se eu não arranco sua cabeça e dou de presente para o Thor comer [22:50]

Olha, eu te amo, mas se pensar no nome do Taehyung não irei pensar duas vezes antes de acabar com a sua existência [22:50]


— Jungkook, estou pronto. — Taehyung avisou, me fazendo desligar a tela do celular no mesmo instante, ato que o fez arquear as sobrancelhas.

Puta merda, eu estou fudido.

— Tudo bem, vamos. — Me levanto da cama, caminhando até a porta.

— Jeon Jungkook, nós não iremos sair daqui enquanto seu celular não estiver na minha mão. — Segurou em meu braço, fazendo meu coração disparar. 

Não é que eu esteja escondendo algo... É que tenho certeza que se ele ver essa conversa minha com a Lalisa vai ficar chateado por ela falar isso, ou vai ficar irritado, e nenhuma dessas opções é uma boa agora que ele está grávido. 

Viro-me em sua direção, olhando-o indignado, rapidamente negando seu pedido. Taehyung soltou um riso irônico e isso foi o bastante pra me deixar nervoso, afinal, ele ainda está na razão de querer pegar meu celular. 

— Taehyung, não fode comigo... — Joguei a cabeça para o lado, respirando fundo. 

— Oh, vai por mim Jungkook, eu estou muito longe de foder contigo. — Sorriu, olhando para sua mão que estava esticada em minha direção. 

Puta merda... 

— Taehyung, vamos logo. — Revirei os olhos. — Já estamos atrasados, se não quiser ir, eu vou sozinho. — Voltei a me virar de frente pra porta. 

Péssima escolha. 

Taehyung passo por mim feito um Jato, ficando na frente da porta, de frente pra mim. Céus, dai-me paciência... 

— Da logo a porra do celular. — Ele falou nervoso, me fazendo rir. 

— Sabia que confiança é tudo em um relacionamento? — Sou irônico, fazendo ele suspirar. — Quer saber? Pega essa porra e enfia no cú. — Entrego o celular. 

Logo o mais velho desbloqueou, vendo as mensagens. Ele lia atentamente cada palavra escrita ali, partindo meu coração ao me olhar com os olhos cheio de lágrimas. 

— É por isso que não queria deixar eu pegar seu celular? — Sua voz saiu trêmula, me fazendo xingar e amaldiçoar Lalisa e os seus descendentes. — Olha... Não direi nada sobre isso. Apenas... Vamos logo. — Me entregou o celular, abrindo a porta atrás de si, andando para fora do quarto sem me esperar. 

Eu

(Mensagem de voz)
Vai se preparando, porque se eu e o Taehyung brigarmos por sua causa, eu não vou deixar barato ouviu Lalisa? [22:55]


(...)


— Muito bem, primeiramente vamos ver a quantidade de venda de cada um, depois falaremos sobre os preços e depois... Bom meus caros, o que vem depois vocês já sabem. — Sorri, apoiando meus braços na mesa, entrelaçando meus dedos. — Primeiro o Yugyeom. — Aponto para este, que estava sentado a minha frente. 

Taehyung estava sentado ao meu lado, com uma cara nada boa, e o caminho todo até aqui ele sequer falou um "a" comigo. Ignorou todas as minhas perguntas e até mesmo um "eu te amo" ele fingiu que não escutou. Sem contar que no instante que chegamos aqui, eu mal pude olhar em seu rosto, passei o tempo todo conversando com os meus "sócios".

— Antes Jeon, quero que me responda uma coisa... — Ele se levantou de sua cadeira, ganhando a atenção de todos para si. — É verdade que você e o Byun estão se dando bem novamente, e que você já tem um herdeiro? — Endireitou a postura, me olhando seriamente. 

— Eu não diria "dando bem" porque não tivemos muita opção... — Vejo um sorrio querer brincando no rosto de Taehyung, e suponhei que ele estava pensando no dia em que Hwang fiz birra por querer eu e Baekhyun no mesmo lugar. — Mas sim. Demos uma trégua. — Ergo uma sobrancelha, vendo-o abrir a boca, prestes a questionar mais coisas. 

Antes que ele o fizesse, eles começaram a murmurar entre eles, mas não durou muito, pois me levantei da minha cadeira as pressas, batendo a mão na mesa, assustando Taehyung que estava distraido perto de mim. 

— Desculpa... — Sussurrei para si, sendo ignorado. — Olha aqui seus bando de filhos da puta, eu estou pouco me fodendo pra opinião de vocês, mas se tiverem amor pela vida, não questionem minhas ações. — Travo a mandíbula. 

— E quem é que te garante que esse aí... — Olhou com desprezo para Taehyung. — ...Não voltou com você apenas por interesse? E que essa trégua que o Byun e você deu não passa de uma armação deles? Aliás, não era nem pra ele estar aqui. — Mina arqueou as sobrancelhas, cruzando os braços. — E se ele sair daqui e contar para o Byun sobre nossos negócios, em? — Olhou diretamente para o Kim, fazendo este se encolher. — Quem te garante que ele não está te iludindo novamente? Mas se bem que não seria ruim, assim você viria correndo pra gente te consolar novamente... — Ela mordeu seu lábio inferior.

Senti meu sangue ferver, e sem ao menos perceber já estava sendo segurado por cinco dos que estavam presentes para não matar ela ali mesmo. Estava completamente notável que o Taehyung ficou chateado com seu comentário, sem contar que já tínhamos brigado antes, então provavelmente ele estava destruído. 

— Me solta porra! — Tento partir pra cima dela, mas não consigo por conta dos meninos.

Mina até então estava quieta, um tanto encolhida, porém logo voltou a sua postura séria, fazendo cara de deboche. Ela deu um passo a frente, ficando cara a cara comigo, arqueando as duas sobrancelhas.

— O que foi Jeon? Vai me dizer que ficou putinho só por eu ter falado verdades? — Ela arqueou as sobrancelhas, me fazendo rir.

— A primeira coisa que você deveria ter aprendido quando entrou pra esse mundo, é que nunca se ofende a família de um cara, principalmente se ele for Jeon Jungkook. — Falei alto para que todos ouvissem. — E a segunda coisa é que não deve ficar perto de alguém com raiva. — Dito isso, impulsionei minha cabeça pra trás, e voltei pra frente com força, acertando o nariz dela, no qual ficou em um tom avermelhado no mesmo instante, e eu pude ver um filete de sangue escorrer do mesmo.

Os meninos que me seguravam logo me soltaram, afinal, se você interromper uma briga entre líderes; você terá que brigar com um dos dois. Mas Taehyung pouco se importou com isso. 

— Jeon, não faça isso. — Ele segurou meu pulso, fazendo-me olhar para si. — Ignora ela. Está tudo bem. — Sorriu fraco, tentando me convencer.

Até parece...

— Olha, o bagulho é o seguinte; ou você pede desculpas a ele agora... — Olhei na direção de Mina, vendo que ela me olhava enraivada. — Ou as coisas não vão ficar nada boas para o seu lado. E vai por mim, você não vai gostar da segunda opção. 

— Jungkook, deixa isso pra lá... — Taehyung voltou a dizer, atraindo a atenção de todos pra si. — Não estou me sentindo muito bem... — Colocou discretamente a mão em cima da barriga, me fazendo suspirar.

Olho para todos em minha volta, endireitando minha postura. Ajeito meu terno, olhando diretamente para Mina, que sorria ao ver que eu obedeceria Taehyung. Ela negou com a cabeça, rindo soprado, o que me fez revirar os olhos.

— Você virou um puto de um pau mandado. É esse o líder que querem? — Ela perguntou a todos, não obtendo resposta.

— Olha aqui, como você mesma disse, ele é o líder então acho melhor tu calar a porra da boca e escutar o que ele está falando de cabeça baixa, sei questionar nada que ele fizer. Caralho, como sua voz me irrita! — Dahyun tomou a frente. — Quer saber? Vai tomar no seu cú arrombado e deixa o Taehyung quieto. — Ela se pôs ao lado do citado. — Vai me dizer que isso tudo não é raiva porque o Jungkook voltou pra ele e enquanto eles estiveram separados ele sequer deu bola pra você? Vai se foder e deixa ele em paz. — Ela passou seu braço em torno do pescoço do Kim. — Ou eu vou arrancar seu pescoço fora e usar como chaveiro. 

Dito isso, eu apenas olho para dois seguranças que estavam na porta, fazendo sinal para eles tirarem ela daqui, e assim eles fizeram.

Olho para o Kim, vendo que este estava com os olhos prestes a derramar lágrimas, mas quando eu fui abraça-lo, ele se esquivou.

— Eu preciso ir ao banheiro... — Sussurrou, afastando-se sem dizer mais nenhuma palavra. 

Sem muito o que fazer, voltei a conversar com o pessoal, mas como o Kim não estava naquele momento, tratei eles com mais arrogância, mostrando que posso até ser carinhoso com Taehyung, porém eles nunca serão ele, então eu nunca os tratarei daquele jeito.


(...)


Olhei mais uma vez no meu  Rolex conferindo a hora. Já haviam se passado dez minutos e nada do Taehyung voltar e eu já estava ficando preocupado. Não estávamos em Seoul e muito menos na minha área, então caso aconteça alguma coisa aqui eu não posso fazer muita coisa...

— Muito bem, agora que já está tudo resolvido, vão indo para a boate, já estou indo pra lá. — Me levantei da cadeira que estava sentado, abotoando o terno. — Ah, e vê se escolhem uma boa dessa vez. — Pisco pra eles, vendo todos sorrirem.

Digamos que dá outra vez que viemos aqui, a boate que escolheram não foi uma das melhores. Sequer tinha maconha nela.

Sem esperar respostas deles, saindo em direção ao banheiro, passando pelo corredor principal, onde vi uma mancha de sangue no chão quando estava andando. Quando tive certeza que o sangue estava fresco, comecei a correr na direção do banheiro, abrindo a porta com tudo assim que cheguei na frente do mesmo.

Meu coração quase saiu pela boca quando vi Taehyung lavando o braço na pia, na qual estava completamente vermelha por conta do sangue que estava escorrendo deste.

— O que houve? — Caminho rapidamente até si, vendo que seu rosto estava banhado por lágrimas.

— N-Nada. — Soluçou, tentando fazer seu braço parar de escorrer sangue. — Eu só... Bati o braço quando estava estava voltando. — Ele abaixou a cabeça. — Não se preocupe comigo. Eu estou bem. — Ergueu o rosto e sorriu fraco.

Ele está mentindo.

— Taehyung... — Tento relar em si, porém mais uma vez ele esquivou.

— Não. Eu já disse que estou bem. — Desligou a torneira, pegando papel para secar o machucado.

Nunca que aquele corte havia sido feito por uma batida.

— Ah, e Jungkook... Tem como você me deixar no hotel antes de ir pra boate? Não estou me sentindo muito bem... — Mordeu a bochecha.

Neguei com a cabeça, dando um passo a frente, segurando em sua rosto – mesmo ele não querendo –. Antes que ele tentasse me falar alguma coisa negativa, levei minha mão até sua barriga, fazendo um carinho singelo ali.

— Por favor... Me conta o que aconteceu? — Vi os olhos dele brilharem por conta das lágrimas que queriam voltar a cair. 

Eu não posso...


Notas Finais


E então? O que acharam?

Mais uma vez eu gostaria de pedir desculpa pela demora; é como eu disse, estou com bloqueio :( espero que isso passe logo viu? Quero fazer vários capítulos tops pra vocês ;)
Bem, acho que por hoje foi só ^•^ espero que tenham gostado, não se esqueçam de se alimentarem e nem de se hodratarem, beijos da Bad_Taekook, eu amo vocês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...