História The Essential Is Invisible To The Eyes - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Alan Deaton, Bobby Finstock, Brett Talbot, Chris Argent, Corey Bryant, Derek Hale, Ethan, Hayden Romero, Jackson Whittemore, Jordan Parrish, Kira Yukimura, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Mason Hewitt, Melissa McCall, Personagens Originais, Peter Hale, Scott McCall, Sheriff Noah Stilinski, Stiles Stilinski, Theo Raeken
Tags Escute, Liam, Max Dexter, Perfect Imperfections, Romance, Sterek, Young Derek Hale
Visualizações 127
Palavras 2.588
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Slash, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oii gente. Olha eu aqui trazendo mais um capitulo para vocês, espero que gostem dele.
Desculpem pela demora pessoal, prometo trazer o proximo assim que possivel.
Espero que gostem dele.

PS:Ignorem os olhos do Derek young, finjam que é verde kk

Até as notas finais.
Qualquer duvida comentem.

Capítulo 2 - Garotos estão me cheirando!!


Fanfic / Fanfiction The Essential Is Invisible To The Eyes - Capítulo 2 - Garotos estão me cheirando!!

Autor

 

 

O garoto estava andando por ruas estreitas que se aglomeravam formando um grande tipo de favela, ele andava de cabeça baixa enquanto alguma sombra com uma penumbra grande o observava no topo de um prédio. Seu sorriso psicopata era terrivelmente assustador para quem visse, qualquer um teria medo. Seus cabelos longos e pretos realçavam sua pele pálida.

A garota olhou para lua que estava gigante aquela noite e falou com ela.

-Não vejo a hora de vê-lo-logo o mundo começou a se descontruir e um garoto acordou todo suado com a respiração descompassada.

-Max querido, venha tomar café. Suas aulas começam daqui a pouco-a voz da sua mãe preencheu o quarto e o corredor.

Ele se levantou da cama um pouco zonzo ainda por acordar tão rapidamente, fez uma pequena massagem circular nas têmporas rumando em direção ao banheiro aonde fez sua higiene e tomou um banho gelado, apesar do frio que fazia do lado de fora.

Saiu do banheiro pegando sua mochila que já estava devidamente arrumada ao lado da sua cama e colocou seus óculos que estavam no pequeno criado mudo na sua mochila.

- Max, vem logo nos vamos nos atrasar-a voz da sua mãe novamente preencheu o corredor.

Com um caderno de desenhos nas mãos ele saiu para o lado de fora escrevendo alguma coisa nele.

Se dirigiu para o andar debaixo ainda escrevendo nele, escutando a barulheira que se instalava na sua casa.

“Mais um dia normal” o pensamento se passou pela sua cabeça.

Ele segurou o caderno com uma mão só pegando uma maça em cima da mesa, fazendo um sinal chamando as suas irmãs que correram animadas na sua direção abraçando ele.

-Vamos família tenho que ir trabalhar, não quero me atrasar logo hoje-o pai falou tomando um café apressadamente para logo depois dar um beijo na sua esposa que estava com um terninho feminino muito elegante.

Todos começaram a sair da casa e entrar no carro, incrivelmente um silêncio predominou no carro.

-Podem pegar-o pai tirou um saquinho e um por um pegaram algo lá de dentro, assim que o Tyler pegou, ele deixou o saquinho ao seu lado. Todos estenderam as mãos e mostraram alguns palitos, porém na mão do Max se encontrava o menor.

-Escolha as músicas Max-a mãe falou enquanto o menino se debruçava no meio do banco puxando um fino fio até seu celular aonde ele plugou. Logo o som de No Promisses do Shawn Mendes se instalou dentro do carro, logo ele já estava em movimento.

O Max conseguiu ver a tempo um garoto entrando correndo em um jipe azul e saindo cantando pneu na direção oposta à escola, ele ignorou naquele momento, não era da sua conta de qualquer jeito.

O Max se sentou melhor no banco e continuou passando as páginas enquanto escrevia alguma coisa no seu caderno.

-O que você está escrevendo Max?-Katherine perguntou interessada.

“Apresentação para sala de aula”

-Ata-ela retirou a sua atenção do garoto que passava outra página e voltava a escrever.

Logo eles se encontravam em frente à escola de Beacon Hills onde vários alunos transitavam conversando entre si.

-Boa aula filho-os pais da família falaram em uníssimo enquanto o garoto descia do carro, ele acenou para o carro que estava indo embora e ficou de frente para escola. Seus pensamentos estavam uma bagunça, raciocinava de tudo um pouco enquanto começava a andar lentamente em direção a entrada da escola. Precisava falar com a diretora de qualquer jeito.

 

 

 

Max Dexter

 

Aquela escola me assustava um pouco talvez seja pela grande quantidade de pessoas me olhando como se eu fosse uma peça em um museu ou talvez seja por eu estar andando abraçado com um caderno de desenho.

Eu tinha um problema, precisava achar a sala da diretora para pegar meus horários, mas será que alguém pararia para ver o que eu estava escrevendo?

Que mal faria se eu tentar? Comecei a escrever no caderno o que eu queria e tentei chamar atenção de uma garota que passou por mim cutucando seu ombro, mas ela simplesmente me ignorou, tentei achar alguma pessoa que não estivesse fazendo nada visualmente até que encontrei um garoto com uma bola de basquete nas mãos quicando ela no chão de vez em quando.

Me aproximei dele meio receoso, seus olhos verdes eram muito bonitos. Cutuquei ele no ombro ele desviou a atenção do corredor e começou a olhar para mim.

-Está perdido?-ele perguntou enquanto segurava a bola com ambas as mãos.

Virei o caderno de desenho na sua direção onde eu tinha escrito algumas coisas.

“Olá meu nome é Max, sou novo na escola. Estou procurando a diretoria, teria como me ajudar por favor?”

Ele levantou uma sobrancelha como se intimasse o motivo por eu não simplesmente falar o que eu queria, ele deu de ombros e apontou para o corredor onde estava olhando anteriormente.

-Você vai seguir esse corredor reto e subir as escadas antes do último corredor, aí você sobe as escadas de novo e vai achar no fim do corredor-ele falou enquanto fazia alguns gestos como se descrevesse.

Peguei meu lápis e escrevi no meu caderno para logo mostrar para ele.

“Obrigado!!”

-De nada-ele olhou para porta e se abaixou pegando uma mochila que eu só tinha reparado agora colocando sobre seu ombro e andando em direção ao grupo de pessoas que estavam chegando agora.

Comecei a andar na direção que ele instruiu.

 

 

 

 

Estava com o meu horário em mãos e estava tentando decifrar aquilo que eu simplesmente não entendi nada, era meio confuso as aulas, na minha antiga escola não era daquele jeito. Eu já tinha entendido que eu tinha aula de economia na primeira aula, mas ela confundia com algumas outras estava parado no meio do corredor que estava praticamente vazio. Senti uma mão no meu ombro.

-Está perdido?-um garoto de cabelos castanhos claros alto me perguntou. Acenei positivamente com a cabeça, peguei meu caderno de comecei a escrever nele, senti o olhar do garoto até então desconhecido em mim.

Virei o caderno em sua direção.

“Sou novo aqui, meu nome é Max. Estou procurando a sala de economia, mas não estou entendendo o horário”

-Entendi, vem eu te levo lá-ele falou começando a andar, rumei ao seu lado enquanto ele virava alguns corredores.

-Por que usa o caderno?-ele perguntou enquanto passávamos perto de uma sala onde eu consegui ver a Lydia sentada, ela também me viu e acenou para mim, retribui seu aceno.

Comecei a escrever no caderno.

“Eu sou mudo”

-Ata-vi que ele ficou meio envergonhado e com pena.

“Mas tudo bem, eu nasci assim”

-Essa é a sala de economia, se precisar de alguma coisa me procure. Meu nome é Brett-sorri acenando positivamente com a cabeça. Ele se virou e começou a ir em direção ao fim do corredor até que virou para esquerda.

Estava em frente a porta fechada, mas eu conseguia escutar alguém gritando do lado de dentro, pelo timbre da voz parecia ser o professor.

Abri meu caderno na folha certa que eu já tinha escrito no caminho até a escola.

Bati na porta fracamente, o barulho da sala se silenciou até que um homem que aparentava ter uns 35 anos de idade abriu a porta e me olhou de cima a baixo.

-Quem diabos é você?-ele falou enquanto algumas pessoas da sala soltavam risadinhas.

Virei em direção a ele que começou a ler.

“Meu nome é Max Dexter, sou o novo aluno”

-Por que você não simplesmente não fala isso?-ele parecia se irritar facilmente, algumas veias eram visíveis na sua testa franzida.

“Eu sou mudo, eu nasci assim”

-Entendi, entra logo e fique sabendo senhor Diksel, eu não tolero atrasos-achei estranho o jeito que ele falou meu sobrenome, mas só acenei positivamente com a cabeça.

Comecei a procurar com os olhos alguma cadeira para sentar, quando vi uma um pouco no fundo fiz a menção de ir lá para o fundo, mas o professor me parou.

-Se apresente para a sala-ele disse sentado na sua cadeira tomando algum tipo de bebida na cor laranja.

Todos da sala estavam me olhando, era assustador ter toda aquela atenção em mim.

Respirei profundamente enquanto começava a folhear o caderno até na página certa.

“Bom dia”

Folheei.

“Meu nome é Max Dexter”

Folheei.

“Tenho 15 anos e cheguei recentemente na cidade”

Folheei.

“Espero que nos demos bem”

Abaixei o caderno.

-Pronto?-o professor falou olhando para o relógio. Acenei positivamente. –Bob Finstock professor de economia, agora vá sentar-ele falava tudo gritando mesmo?

Comecei a andar em direção a mesa que estava indo de início, me sentei e o professor começou a falar algumas coisas.

Comecei a prestar atenção na aula, era fácil o que ele falava parecia que tudo entrava no meu cérebro rapidamente, cada palavra.

Olhei de relance para o lado e vi uma garota me olhando, logo ela desviou o olhar com uma cara de paisagem como se eu não tivesse visto.

Virei para frente de novo.

Até que depois de um tempinho o professor gritou.

-Malia, já entendemos que o aluno novo é bonito agora comece a prestar atenção na minha aula ou de o fora da minha sala-ele falou aquilo de um jeito tão alto que todos os alunos tamparam os ouvidos.

-Desculpa professor Finstock-ela voltou a olhar para frente enquanto o professor voltava a gritar.

 

 

 

 

Estava perambulando pela escola durante o intervalo tentando me familiarizar com a escola, já encontrei os banheiros, a biblioteca, o pátio, aonde compra lanches e entre outras coisas. Estava rumando em direção a minha próxima aula, eu não tinha muito o que fazer do lado de fora mesmo.

-Hey Max-escutei a voz do Brett atrás de mim. Me virei e dei um aceno com a mão.

-Já almoçou?-neguei com a cabeça.

Abri meu caderno que tinha levado junto comigo.

“Não estou com muita fome”

-Eu ia te chamar para almoçar comigo, minha irmã faltou hoje e geralmente almoço com ela-ele falou sorrindo para mim.

“Eu posso te acompanhar se quiser, posso tomar um suco kkk”

Era fácil colocar as risadas escrevendo.

-Vamos?-ele falou apontando para o corredor acenei positivamente com a cabeça e comecei a segui-lo.

Depois de um tempo chegamos no refeitório pegamos os lanches que no meu caso era só um suco, sentamos em uma mesa um de frente para o outro. Ele estava olhando fixamente para mim.

-Você tem quantos anos?-ele perguntou mordendo um pedaço do seu hambúrguer.

“15 e você?” Escrevi no meu caderno.

-Tenho 17, o que você gosta de fazer?-ele perguntou parecendo realmente interessado.

“Depende do dia, as vezes escutar música, ler, assistir series ou filmes, correr, limpar alguma coisa, estudar e entre muitas outras coisas, mas a minha favorita com certeza é plantar alguma coisa ou cuidar de jardins”

-Nossa-ele riu de mim. –Você é engraçado-não entendi o que ele quis dizer com aquilo, quando eu ia começar a escrever para perguntar consegui ver com o canto do olho um braço estendido do meu lado.

-Mas você não perdoa ninguém mesmo, não é mesmo Brett? O garoto mal chegou na escola-olhei para o lado e consegui ver aquele mesmo garoto de topete de ontem.

-Cala boca Theo-estava olhando para o intitulado Theo quando o Brett disse isso, mas pelo relance dos olhos eu jurava ter visto alguma coisa amarelada muito grande perto do Brett.

“Você viu isso?” Escrevi no caderno mostrando para o Brett.

Ele me olhou com dúvida.

-O que Max?-Brett me perguntou, o garoto agora estava sentado ao meu lado com cada perna de um lado do banco de frente para mim.

“Como se fosse uma penumbra amarelada sinistra perto de você”

-Eu não vi nada-ele falou olhando para os lados.

“Deve ter sido impressão minha, esquece”

-Não fomos devidamente apresentados. Meu nome é Theo Raeken-estendi a mão para ele apertar, ele ignorou a minha mão e me puxou para um abraço.

O abraço durou alguns segundos a mais do que deveria e eu poderia jurar que ele estava me cheirando....só uma palavra estranho, logo ele me soltou.

“Meu nome é Max Dexter” Peguei a mesma folha que mostrei para os alunos que estavam na sala de economia.

-Bom te conhecer, espero esbarrar em você pelos corredores-sorri para ele que se afastava e acenei positivamente com a cabeça.

-Eu não ficaria muito perto dele se fosse você, aquele ali é pior que uma cobra-o Brett me falou enquanto olhava para o Theo que se sentava em uma mesa aonde eu conseguia ver os cabelos da Lydia.

“Eu não gosto muito de tirar conclusões precipitadas das pessoas, prefiro tirar conclusões por mim mesmo kkkkk” Escrevi logo mostrando para ele, quando ele terminou de ler seus olhos pareciam brilhar.

-Isso é uma coisa muito legal de se dizer, tá mais vamos continuar falando sobre voc-ele foi interrompido por um sinal que tocava para indicar a volta das salas.

-Depois conversamos então, boa sorte na próxima aula, tchau Max-ele veio até perto de mim e me abraçou também, estranhei isso porque ele também parecia me cheirar.

Acenei para ele com a mão enquanto ele fazia o mesmo, comecei a voltar para minha sala. Consegui ver o Brett sentando na mesa da Lydia antes de eu sair pela porta.

Rumei em direção a minha sala de aula.

 

 

Autor

 

O garoto de cabelos castanhos claros se aproximou da mesa se sentando no meio da pack que estava ali.

-Então Brett é verdade mesmo?-Lydia perguntou com uma cara enigmática.

-Pelo cheiro dele sim, você sentiu Theo?-o garoto assentiu pensativo.

-Eu nunca tinha sentido esse cheiro antes, é meio estranho parece uma mistura de flores, é bem estranho o cheiro dele, mas não deixa de ser muito bom e gostoso de se sentir é quase hipnotizante-o garoto falou quase em transe.

-Eu também senti, era bom, mas acho que já senti esse cheiro em algum lugar-o garoto de olhos verdes disse pensativo.

-Aonde bebê Derek?-um castanho falou rindo do apelido que ele mesmo tinha dado para nova situação do velho Derek Hale.

-Eu já disse que eu vou rasgar sua garganta hoje?-os olhos do garoto brilharam em um azul claro enquanto encarava o castanho.

-Sim sim, tanto faz. Temos coisas para fazer agora, coisas importantes como descobrir o que esse novo aluno é-o garoto de nome impronunciável, mas conhecido como Stiles disse olhando para as costas de um certo garoto que estava vagando em seus pensamentos enquanto saia do refeitório.

-Como você é exagerado Stiles, talvez ele nem saiba que é um ser sobrenatural-o garoto de queixo torto falou enquanto estava sentado preguiçosamente no banco.

-Tem alguma intuição negativa sobre ele Stiles? Como você tem a respeito de todos os outros que sempre são vilões no final-Theo tirou sarro dele fazendo todos rirem.

-Incrivelmente...não, ele só parece um adolescente normal-Stiles disse olhando em volta vendo todos até um pouco surpreendidos com isso, ele sempre costumava desconfiar de todos.

-De qualquer forma depois resolvemos isso vamos para sala-a garota que sempre pensava nos estudos disse se levantando.

-Você sempre corta o barato Lydia-a Malia se levantou sendo acompanhada por todos os outros.

-Eu só digo uma coisa, eu quero distancia daquele garoto-o mais novo da Pack se pronunciou de repente.

-Como assim Liam?-Scott perguntou realmente curioso pelo seu beta falar assim.

-Alguma coisa nele é estranho demais para mim-ele disse ignorando os comentários seguintes, pegou sua mochila e rumou para sala deixando os que ficaram com algumas dúvidas.

-Será que ele percebeu algo nele que ninguém mais percebeu?-Kira que até então estava quieta se pronunciou fazendo mais dúvidas entrarem nas cabeças do resto da pack.


Notas Finais


Obrigado por lerem. Me avisem se tiver muitos erros, criticas e elogios são sempre bem vindas.
Vou tentar postar o próximo o mais rápido possível.
Qualquer semelhança com a vida real ou outra fanfic é mera coincidência. Me avisem se minha ideia for igual a de outro autor para eu poder conversar com ele ou até mesmo cancelar a fanfic.
Até o próximo capitulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...